sexta-feira, 18 de maio de 2012

O uso do véu... mais uma vez.

Não existe povo evangélico mais exclusivista do que os membros da CCB [Depois destes apenas os Batistas Fundamentalistas]. Esse exclusivismo tem arrastado essa denominação para a classe de ‘grupo controvertido’ e/ou ‘seita’. Entre os assuntos mais explorados deles é I Co 11. 1-16 rendendo-lhes o apelido de ‘Igreja do Véu’. Mas outros também poderiam ser citados como ‘Igreja do Beijo’, ‘Igreja do Joelho’, ‘Igreja’ do anti-pastor, anti-dízimo, etc, etc.

No entanto, precisamos reconhecer que o assunto do Véu não é apenas uma bandeira deles. Esse assunto ocupa uma parte da Escritura Sagrada de maneira significativa e com uma explicação razoável para reconhecermos que a prática da CCB neste assunto não é errada em si mesmo. Eu tenho dito que esse é o único ponto que a CCB tem razão em praticar, mas não em contrapor com os cristãos protestantes por causa de sugestões viáveis de interpretações.

A esposa de R. C. Sproul usa o véu na igreja, e ele entende que esse é um mandamento litúrgico transcultural.

Mas gostaria de compartilhar algo desse assunto que creio ser interessante para o tema.

Em resumo, alguns dizem, que as prostitutas e as adúlteras da cidade portuária de Corinto, tinham a prática de ter os cabelos curtos ou rapados, isso as identificava para tais serviços imorais. As mulheres de bem cobriam a cabeça e tinham cabelos longos, diferenciando-as.

1º) I Co 10.32,33: Estava ocorrendo em Corinto problemas de comportamento culturais, morais e teológicos que eram perceptíveis. Neste texto percebemos que Paulo também estava preocupado com a fama que a Igreja poderia ter na sociedade em Corinto, tornando-se um ‘tropeço’ para eles. Ao tratar do Véu, não podemos deixar de perceber que ele tinha algo cultural em mira. Não existe uma indicação patente na explicação de Paulo do costume do uso do véu em Corinto. Com essa omissão, a CCB, e outros cristãos tem sugerido que trata-se de um mandamento para a Igreja Cristã em todos lugares e em todas as épocas. A isso devemos declinar diante da força da argumentação. Mas, além do texto já citado quero indicar três em I Co 11 que podem revelar, a intenção cultural do assunto.

2º) I Co 11.3: “Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de Cristo.”

O peso da argumentação é o que ele quer ensinar com isto. ‘Entre tantos assuntos’ poderia se o raciocínio de Paulo, ‘o importante é saber que Cristo é...!’ Os meios que levam a isso podem ser culturais, teológicos (?) ou não, mas tudo deve levar a esse fim supremo. O que devemos saber sobre Deus! O véu ensina isto entre vocês, diz Paulo, não há problema em usá-lo. Afinal esta prática demonstra o que Deus quer que saibamos.

3º) I Co 11.13: “... julgai entre vós mesmos...” Pelo visto, o que ele disse, bem como uma reflexão sóbria do assunto, levaria uma resposta, positiva ou negativa, a essa pergunta. Estaria Paulo deixando um terreno teológico para um cultural? Ou estaria ele apenas estimulando um raciocínio com base (na cultura?) na argumentação teológica proposta por ele anteriormente? Ainda que tenha algum fator contextual é impossível escapar da conclusão que, pelo menos para eles, a questão do véu e/ou cabelo, era muito séria.

4º) “Não diz a própria natureza...?”: Aqui entendo que está o cerne de toda questão (Gordon Clark, ao contrário, entende que o verso 16 resolve quase tudo). A ‘natureza’ a que ele se refere não é a concepção universal da questão. Antes, deve ser, a natureza ou concepção que os corintos tinham do assunto. As razões são bíblicas:

A) O Nazireu tinha cabelo cumprido, embora fosse homem.

B) Quando o voto terminava, rapava-se a cabeça. Se a mulher fosse a ‘votante’, ela ficaria com a cabeça rapada!

Isso posto, torna claro que ‘a natureza’ de 1 Co 11 não é a concepção universal do assunto, nem o que Deus considera sobre o assunto.

Por causa disso, entendo, que temos neste texto (V. 14) a explicação viável para a justificativa de não exigir o uso do véu na igreja. (Sei que com isso, não posso argumentar de maneira alguma que um homem não possa ter o cabelo cumprido.)

Veja a opinião do respeitado Gordon Clark: AQUI.

25 comentários:

  1. PArabéns irmao Luciano, pelos lúcidos e irrefutaveis esclarecimentos.È aquela coisa ,os irmao daigreja do véu ainda mantem práticas judaizantes .Confundem demais uma prática meramente cultural com um mandamento bíblico inexistente.

    ResponderExcluir
  2. De: Adriano

    ansadriano@hotmail.com

    Irmão Luciano,
    Im sua primeira citação diz...
    1º) I Co 10.32,33: .............. Com essa omissão, a CCB, e outros cristãos tem sugerido que trata-se de um mandamento para a Igreja Cristã em ""todos lugares e em todas as épocas"". A isso devemos declinar diante da força da argumentação. Mas, além do texto já citado quero indicar três em I Co 11 que podem revelar, a intenção cultural do assunto.

    ""todos lugares e em todas as épocas""

    1 Coríntios 1:2 Å igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, "COM TODOS OS QUE EM TODO LUGAR" invocam o nome de nosso Senhor Jesus. Cristo, Senhor deles e nosso:

    No primeiro capitulo da Carta aos Corintios, após a saudação, Paulo direciona o conteudo da carta não somente ao povo de Corinto como para "COM TODOS OS QUE EM TODO LUGAR" invocam o nome de nosso Senhor Jesus.

    Quanto ao Tempo e Época...
    1 Coríntios 11:10 -Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos.

    Sabemos que os anjos não morrem nem envelhecem...estavam presentes na época e se fazem presentes hoje nos "SANTOS SERVEÇOS DE CULTO" tornando válido ainda hoje o verssículo 10.

    ResponderExcluir
  3. parabens adriano, a fé nao é de todos.

    eu não defendo igreja nenhuma mas defendo os escritos pelos santos apostolos. pois toda as escrituras são aptas para serem obedecidas pelos olhos puros.
    algumas tradições judaicas foram aderidas pelos apóstolos porque o espirito santo autorizou à eles, para esitmular nos cristaos respeito, humildade, simplicidade,virginidade espiritual, pureza,o uso do véu na igreja é um ato de recordação de um casamento puramente espiritual mantendo a posição da mulher na sua integridade dentro da igreja perante os anjos ou a Deus, fora desses serviços sacros a mulher deve permanecer com o seu cabelo em honra ao marido carnal.
    dentro da igreja a mulher deve permanecer calada e aprender com os homens que pregam a palavra e principalmente com o seu marido em casa.
    porque a mulher perdeu a sua integridade quando errou com o mandamento de Deus para com adao.
    véu, osculo santo..., coletas..., etc...é mandamento provindo da tradição judaica e deve permanecer como sinal de poder que os anjos exerce sobre as mulheres de Deus.
    mas aos contenciosos eles desprezam os costumes morais adotados pelos ministros dos gentios.
    o véu só vai ser tirados das irmas quando o seu esposo aparecer só ele quem tira o véu tradicional.
    agora o véu que é necessario ser tirado do povo é o véu do coração para se converter ao verdadeiro evangelho de Cristo.

    muitos leêm a biblia e mistura tudo devemos recordar que o apostolo paulo foi escolhido para os gentios e sendo ele semelhante a moises(com exceção a Jesus), recebeu ele todo o poder do Céu para ser ministro, apostolo. embaixador, doutor, e pregador conselheiro do evangelho.
    a tal homem assim eu dou gloria pois ele não aprendeu de homem algum senao diretamente do espirito santo.
    ele mesmo disse: imitai a mim.
    os filhos de Deus obedecem o evangelho sem parcialidade pois tudo cremos tudo sofremos por amor do evangelho e somos instruido diretamente pelo espirito da revelação de nosso senhor e salvador Jesus Cristo.
    Paulo foi arrebatado pelo espirito para aprender diretamente do monte sinai (espiritual) ele subiu ao monte divino, Moises subiu ao monte terreno.
    tudo o que Jesus nos ensinou por meio de Paulo isso obedecemos sem parcialidade ou facção.
    o apostolo divinamente inspirado pelo espirito nos alertou que na sua saida viria lobos defendendo o direito de salarios
    e dizimo para viverem na aparencia e não com graça no coração e dessa forma prevendo tudo isso ele se desprendeu dos direitos que o evangelho lhe proporcionava para que o evangelho nos ultimo dias não fosse escandalizado mas mesmo assim o espirito expressamente lhe avisava que iriam surgir pessoas no meio deles quer estudariam as escrituras para destorcer mais tarde. o novo testamento é para os odres novos .
    o vinho novo é para ser posto em odres novo, o velho testamento é para ser posto nos odres velhos ou seja nos não convertidos em cristo. por causa da dureza de vossos coraçoes
    o vinho novo não entra nos vossos odres os quais se corrompem em criticas e guerras carnais, pois os vossos deleites estao neste mundo de trevas. muitos vivem atras de poderes politicos para serem vistos pelos homens como tal, o meu deleite esta com o sr: que fez o céu e terra.
    quem vive no espirito busca ajustiça do espirito e não a justiça da carne ou vida terrena, quem é terreno entende da terra, quem é espiritual entende do alto.

    ResponderExcluir
  4. desculpe por alguns erros na escrita mas creio que da para entender.

    ResponderExcluir
  5. Acho que deveriam procurar o que fazer, em vez de ficar falando de doutrinas alheias. Não falamos ou criticamos igreja nenhuma, portanto acredito que não deveriam ficar falando sobre o que não sabem. Se procurassem cuidar de sua própria alma, não teria tempo a perder falando baboseiras. ^^

    ResponderExcluir
  6. "Não falamos ou criticamos igreja nenhuma..." a senhora está falando de quem? da CCB?

    ResponderExcluir
  7. Prezados. O que é mais importante: ver uma mulher com roupas decotadas na igreja ou uma que busque o respeito Deus usando véu?
    Creio que o uso do véu é mais importante, pois mostra uma mulher preocupada em servir a Deus internamente: por meio de fé e oração, e externa: mostrando ao Mundo sua conversão diante de Deus.
    É lógico que Deus, por meio de Jesus, tem olhos para uma prostituta ou qualquer tipo de pecadora.
    Para Jesus, o que importa é que a pessoa pecadora venha até Ele como estas. Cabe a Ele, por meio dos nossos ensinos corretos, apresentar ao pecador a transformação que ela terá até o fim da sua vida, em Jesus.
    A CCB não tem nada de errado em seguir o uso do véu, o qual não é um costume cultural. É um mandamento de Deus dado a Paulo, o qual deve ser observado fielmente, pois sem o véu a mulher não será testemunhada pelos anjos perante a Deus. Paulo disse, que o uso do véu às mulheres é uma questão de submissão aos homens e também aos anjos, pois são eles que protegerão e comprovarão as mulheres perante a Deus.
    Ou seja, as mulheres, plenamente fiéis a Ele, estão protegidas pelos anjos para garantirem suas salvações de vida eterna.
    Agora, quanto ao ósculo santo (beijo santo), de fato, é uma tradição cultural do judaísmo. Jesus o considera maldito. Lembre-se do caso de Judas quando traiu Jesus: Judas, você me trai com um beijo?
    Prezados, não devemos criticar por criticar e achar que os modelos modernos são mais atraentes. Os Evangelhos de Jesus estão recheados da observância dos verdadeiros crentes se afastarem do Mundo e de tudo o que nele há. Pense bem nisso.

    Daniel
    josevanirdaniel@ibest,com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algo me chamou a atenção no comentário acima: "Agora, quanto ao ósculo santo (beijo santo), de fato, é uma tradição cultural do judaísmo. Jesus o considera maldito. Lembre-se do caso de Judas quando traiu Jesus: Judas, você me trai com um beijo?"

      Irmãos, me perdoem... Mas existe maior absurdo que este acima? - Questiono da seguinte maneira:

      1. O ósculo Santo, foi recomendada pelos apóstolos Paulo e Pedro e consta em várias epístolas, inclusive na epístola universal escrita por Pedro.

      2. Todas as vezes que tal saudação é apontada nas epístolas sempre estão no modo IMPERATIVO, o que denota mandamento apostólico.

      3. Por tal ósculo ser "santo", não pode ser 'maldito'(?), os apóstolos jamais ensinariam algo amaldiçoado à igreja, o denota falta de conhecimento Bíblico de quem afirma isso.

      4. Ao fazer ligação do "ósculo santo" com o "beijo" de Judas, o nobre interlocutor não distingue a diferença entre o que é "santo" X "profano", para ele é tudo igual.

      Me perdoe, mas tenho que discordar contigo.
      Deus o abençoe.

      Excluir
    2. Agradeço a visita e comentário.

      Concordo com você, em partes. De fato não torna-se maldito uma prática só pq Judas o fez.

      Mas vc entende que é uma norma cristã necessária?

      Excluir
    3. O amado precisa ser mais específico sobre o que vem a ser esse "necessário". Se para a salvação, não... Não é necessário. O ósculo santo não faz parte da soteriologia, mas da eclesiologia.

      Se fosse desnecessário como prática cristã, os apóstolos não teriam recomendado às igrejas. Aliás, não cabe a nós servos questionar ensinamentos cristãos inspirados, mas tão somente obedecer. Afinal, como disse Louis Berkhof:

      "A igreja não determina o que a Escritura ensina, mas a Escritura determina o que a igreja deve ensinar."

      O que se vê é exatamente o contrário, pessoas impõem seus conceitos em detrimento do conceito divino. Afinal, somos servos e, como tal, a Palavra do Senhor está acima da do servo.

      Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

      Deus o abençoe.

      Excluir
    4. Ok irmão... entendi.

      O lava-pés é uma ordem?

      Excluir
    5. Jesus apenas ilustrou aos apóstolos o ato de servir uns aos outros. De fato, Jesus referiu-se a isto ao dizer a Pedro:

      "Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois." (João 13:7).

      Ora, Pedro sabia que entre os judeus o ato de lavar os pés eram feitos pelos "servos"; mas Jesus estava agindo na contramão da devida prática, por isso que a princípio Pedro se opôs. Sendo Jesus, Senhor e Mestre, não deveria "lavar os pés" (servir) dos discípulos, mas que os Seus fossem lavados pelos discípulos. Contrariou a prática atual onde os servos era quem lavavam os pés dos maiorais. Jesus apenas ilustrou que entre os seus, o maior de entre vós será vosso servo e que Ele não veio para ser servido, mas para servir.

      Em razão disto, depois do ato, Ele disse:

      "Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também." (João 13:14-15).

      Ele ilustrou o ensino de que o quiser ser maior, que se faça como o menor. Os apóstolos entenderam que deveriam praticar não a ilustração do ato de "lava-pés", mas o entendimento do ato:

      "Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois."(João 13:7).

      O que Jesus fez não é o mesmo que os discípulos fizeram. O ato de "lavar" feito por Jesus simbolizava lavamento dos pecados no Seu sangue.

      Em razão disto, os apóstolos jamais ensinaram em suas cartas que o ato literal de lava-pés seja mandamento, jamais ensinaram isso. Há apenas uma outra passagem:

      "Tendo testemunho de boas obras: Se criou os filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os aflitos, se praticou toda a boa obra." (1 Timóteo 5:10).

      Esta não se refere ao mesmo ato referido por Jesus, mas ao ato de acolher alguém em casa, sobre a hospitalidade à alguém que chega em casa, de que o mesmo é bem vindo.

      Finalmente, ao falar aos gentios da Ceia do Senhor, o apóstolo Paulo não menciona nenhum lava-pés após a Ceia, exatamente por tal prática não fazer parte do ato litúrgico da igreja, mas apenas um único ato ocorrido entre os discípulos para que Jesus ilustrasse o ensino de servir uns aos outros.

      Veja estes versos: "Na cadeira de Moisés se assentam os escribas e os fariseus. Fazei e observai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem."(Mateus 23:2-3).

      Faço-lhe uma pergunta: Devemos praticar "tudo" o que os Escribas e Fariseus ensinavam?

      Excluir
    6. Para entender melhor a minha pergunta: - Segundo Jesus, devemos FAZER e OBSERVAR a TUDO o que os escribas e fariseus ensinavam?

      Se não, então porque Ele ordenou que sim?

      Excluir
    7. Irmão Daniel...

      Entendi sua posição e é muito interessante suas explicações, porém, acredito que:

      a revelação bíblica foi dada em um contexto que incluía aspectos culturais que eram importantes para ética/família/etc- ali. Desconsiderá-los seria problemático para as pessoas naquela época.

      O caso que vc se esqueceu, Jesus na casa de Simão ilustra o que estou te dizendo.>> ósculo, lava-pés e óleo<<, foram sinais de amor e respeito. Não demonstrado pelo Simão mas pela mulher (Lc 7.44).

      Acho que o caso do ósculo, é o mesmo.

      Deus te fortaleça em Cristo

      Excluir
    8. Irmão Luciano Sena...

      Não esqueci da passagem de Lucas 7.44, apenas que a menção de 1Timóteo 5.10 corresponde a mesma recepção de Lucas 7.44.

      Quanto em dizer que o ósculo santo se enquadra no mesmo caso, o nobre irmão se equivoca pelo simples fato de as devidas passagens serem "narrativas", ao passo que os textos das cartas apóstólicas que mencionam o ósculo santo é ORDENADO por eles universalmente; o mesmo não ocorre com o lava-pés, esta última nunca foi ordenada pelo presbitério apostólico.

      A saudação com ósculo Santo é mandamento praticado pelas igrejas cristãs tanto oriental quanto ocidental.

      "Saudai (gr. aspazomai) uns aos outros com ósculo santo" (Romanos 16.16).

      O verbo grego "aspazomai" está no imperativo, denotando ordem, mandamento! Em razão disto, o Livro "Hermenêutica Avançada" diz que o mandamento dos ósculo santo é pouco observado pelas igrejas cristãs da atualidade.

      Se poucas igrejas observam esta prática, isso é problema delas, cristianismo não é teoria, mas prática.

      Deus o abençoe.

      Excluir
    9. Errata: "Se poucas igrejas observam esta prática, isso é problema delas, cristianismo não é teoria, mas prática."

      O correto é: "Se muitas igrejas não observam esta prática, isso é problem delas, cristianismo não é teoria, mas prática."

      Creio que ficou entendido (risos).

      Deus o abençoe.

      Excluir
    10. >>Por isso, por ser culturalmente importante, conforme revela Lucas 7.44, que nas cartas apresenta uma ordem.

      >>Por isso também, que em 1 Tm 5.10 é um 'quesito' necessário para enquadrar-se dentro do que o apóstolo apresentou sobre as viúvas.

      A ordem do ósculo é cultural, segundo a minha esta perspectiva acima. Creio.

      Deus te fortaleça em Cristo

      Excluir
    11. A ordem do ósculo santo é universal (denotando doutrina eclesiológica). Assim, a ordem do ósculo santo é destinado aos cristãos em todo o mundo, para as mais variadas culturas. Coerentemente com as Escrituras, é ordem transcultural, está explícito nas cartas de Paulo e Pedro. Um costume cultural é local, ao passo que uma doutrina é geral. O ósculo santo é ordenado na epístola UNIVERSAL do apóstolo Pedro:

      "Saudai-vos uns aos outros com ósculo de amor. Paz seja com todos vós que estais em Cristo Jesus. Amém." (1 Pedro 5:14).

      Deus o abençoe.

      Excluir
  8. Caros irmãos,

    O uso do véu é um costume, sim. Porem, ter isto como pré-requisito, para que as orações sejam ouvidas e os louvores sejam aceitos é um grande erro, não da CCB, mas de muitos crentes, que formataram um culto e o dizem perfeito e único...
    Os costumes e tradições não podem nos salvar, nem nos condenar. Já a Graça de Cristo no salva e por ela nada pode nos condenar...
    Igrejas são hospitais espirituais e não reunião de beatos, quem faz uma "igreja" é o povo que a frequenta, a " doutrina" da ccb está de acordo a bíblia, e não pode ser julgada pelo que alguns de seus participantes (ou muitos, infelizmente) dizem ou pensam.Por isso, creio que o chamar de Seita, não cabe, aqueles que procuram servir ao verdadeiro Deus, mesmo que com falhas e até certo ar de exclusivistas. A salvação não é exclusividade de ninguem. Muito menos de uma placa de igreja. A graça ajunta e as religiões repartem...mas é para que se cumpra a palavra de Deus :
    "Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade;
    Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões.
    Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho.
    Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda. "
    Filipenses 1:15-18

    Grande abraço,

    Na paz de Deus, por intermédio da Graça de Seu Filho, nosso Senhor Jesus,

    Parabéns pelo blog...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo comentário...parabéns querido e amado de Deus...se formos ficar procurando erros nas igrejas, com certeza encontraremos muitas falhas, mais quem salva é o nosso senhor e amado Jesus Cristo.
      Deus abençoe !!!

      Excluir
  9. Para os que precisam de dicionário, aponto um publicado pelas Assembleias de Deus:

    “Descoberta
    Akatakaluptos, ( “descoberto” (fornecido de a, elemento de negação, e katakaluptõ, “cobrir”), é usado em I Cor. 11.5,13 (“descoberta”), com referência a injunção proibindo as mulheres estarem sem “véu” ou “descobertas” nas reuniões da igreja. ¶Pouco importando que tipo de cobertura seja, deve estar na cabeça como “sinal de poderio” (I Cor. 11.10), e cujo significado é indicado em 1 Cor. 11.3 no assunto de supremacia, e cujas razões são dadas em 1 Cor. 11.7,9 e na frase “por causa dos anjos” (1 Cor. 11.10), indicando o testemunho e interesse deles naquilo que indica a supremacia de Cristo. As injunções não eram nem judaicas, que exigiam que os homens cobrissem a cabeça na oração, nem gregas, pelas quais homens e mulheres ficavam igualmente com a cabeça “descoberta”. As instruções do apóstolo Paulo eram “mandamentos do Senhor” (1 Cor. 14.37) e eram para todas as igrejas ( 1 Cor. 14.33,34).” (Dicionário Vine – O Significado Exegético e Expositivo das Palavras do Antigo e do Novo Testamento, pág. 547. 2ª Edição, 2003. Rio de Janeiro, Brasil. CPAD).

    Para quem não sabe o que é INJUNÇÃO, basta examinar os dicionários para saber que significa "MANDAMENTO"!

    Tal dicionário acima citado,é aprovado pelo conselho de doutrina da CPAD.

    Deus vos abençoe.

    ResponderExcluir
  10. eu já procurei muitos erros na ccb!
    perdi tempo, deveria ter procurado jesus!

    APDD

    ResponderExcluir
  11. Verdade Roberta!! www.desafioemcristo.com.br eu aqui encontrei!

    ResponderExcluir