sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Como "Aos Hebreus" destrói a doutrina Adventista do Juízo Investigativo?


A Bíblia nos revela que Deus ordenou, para o período mosaico, um tabernáculo, um templo, um santuário para adoração, onde o seu povo ofereceria sacrifícios e ofertas, e seria conduzido pelos sacerdotes neste projeto de reconciliação permanente (Ex 26; I Rs 6). O templo não era muito grande, e tinha utensílios e uma câmara interna. O físico total desse templo era chamado de Santo e o recôndito interno, atrás da cortina era chamado de Santo dos Santos. A Bíblia nos mostra, na carta aos Hebreus, que tal templo era símbolo do próprio céu e do supremo serviço sacerdotal de Cristo quando subiu ao céu após a sua ressurreição.

Após uma década incomodando as igrejas cristãs, anunciando a volta de Cristo para 1843/1844, um grupo de imaturos cristãos, desviados e de hereges arianos, colheram os frutos de sua falsa profecia e desobediência ao Senhor Jesus (Mt 24.36).

O orgulho de Satanás continuou dominando partes do grupo, que recalculou outras datas. Outros, tentaram dar ‘um jeitinho’ na vergonha da falsa profecia. E difundiram mais uma interpretação para a data vexatória, 22 de outubro de 1844. Agora, sob orientações místicas de profetas sem limites, especialmente de uma jovem que sofria de moléstias mentais (alucinações que ela chamava de visões), de nome Ellen White, produziram uma reinterpretação que teorizam da seguinte forma – em 22 de outubro de 1844 Jesus entrou no Santo dos santos no céu.

Antes de mostrar como o desconhecido autor da carta aos Hebreus, divinamente inspirado, antecipou a destruição da mais importante doutrina Adventista, que na verdade é uma doutrina remanufaturada de uma dass maiores decepções profética que o mundo já viu, é necessário provar e verificar suas afirmações sobre essa entrada de Jesus Cristo no santíssimo em 1844.

Deixemos seus documentos oficiais decifrarem a ‘entrada de Jesus no santíssimo em 1844’:

Crença Fundamental 24: “O Ministério de Cristo no Santuário Celestial
Há um santuário no Céu. Nele Cristo ministra em nosso favor, tornando acessíveis aos crentes os benefícios de Seu sacrifício expiatório oferecido uma vez por todas, na cruz. Ele foi empossado como nosso grande Sumo Sacerdote e começou Seu ministério intercessório por ocasião de Sua ascensão. Em 1844, no fim do período profético dos 2.300 dias, Ele iniciou a segunda e última etapa de Seu ministério expiatório. O juízo investigativo revela aos seres celestiais quem dentre os mortos será digno de ter parte na primeira ressurreição. Também torna manifesto quem, dentre os vivos, está preparado para a trasladação ao Seu reino eterno. A terminação do ministério de Cristo assinalará o fim do tempo da graça para os seres humanos, antes do Segundo advento.”

Note bem, que o Adventismo crê que Jesus foi empossado Sumo Sacerdote na sua ascensão ao céu, isto é por volta de 31 d.C. Obviamente, muita coisa não foi dita aí neste trecho. Precisamos verificar outras fontes para entendermos o que está nas entrelinhas da seguinte afirmação: ‘Em 1844, no fim do período profético dos 2.300 dias, Ele iniciou a segunda e última etapa de Seu ministério expiatório’.

A profetisa adventista Ellen White, escreveu a respeito, ‘explicando’ até parcialmente o texto de Hb 6.19,20;9.12, ao falar da doutrina do juízo Investigativo do seguinte modo:

Durante dezoito séculos este ministério continuou no primeiro compartimento do santuário. O sangue de Cristo, oferecido em favor dos crentes arrependidos, assegurava-lhes perdão e aceitação perante o Pai; contudo, ainda permaneciam seus pecados nos livros de registro. Como no serviço típico havia uma expiação ao fim do ano, semelhantemente antes que se complete a obra de Cristo para a redenção do homem, há também uma expiação para tirar o pecado do santuário. Este é o serviço iniciado quando terminarem os 2.300 dias. Naquela ocasião, conforme predito pelo profeta Daniel, nosso Sumo Sacerdote entrou no lugar santíssimo para efetuar a última parte de Sua solene obra – purifica o santuário... em 1844, os 23000 dias, entrou Ele então no lugar santíssimo do santuário celeste, a fim de levar a efeito a obra final da expiação, preparatória à Sua vinda.” (O Grande Conflito, p.420,421).

Em seu livro Primeiros Escritos, afirmou: Esta porta não foi aberta até que a mediação de Jesus no lugar santo do santuário terminou em 1844. Então Jesus Se levantou e fechou a porta do lugar santo e abriu a porta que dá para o santíssimo, e passou para dentro do segundo véu, onde permanece agora junto da arca e onde agora chega a fé de Israel.”

“ ... o tempo profético terminou em 1844, e Jesus entrou no lugar santíssimo para purificar o santuário no fim dos dias”

“Assim como o sacerdote entrava no lugar santíssimo uma vez ao ano, para purificar o santuário terrestre, entrou Jesus no lugar santíssimo do celestial, no fim dos 2.300 dias de Daniel 8, em 1844, para fazer uma expiação final por todos os que pudessem ser beneficiados por Sua mediação, e assim purificar o santuário.” (páginas - 63, 247, 255)

Ou seja, Jesus era Sumo Sacerdote, mas não entrou no Santíssimo Celestial antes de 1844 para realizar essa ‘segunda fazer’ de sua obra.

O grande problema é que o escritor inspirado da carta aos Hebreus, de forma clara, argumenta que Jesus entrou no Santíssimo, no Santo dos Santos, ‘no dia’ de sua ascensão. E nada, nada é argumentado no sentido de que ele esperaria para dar continuidade a um suposto segundo estágio de sua obra, depois de um tempo de espera. Veja:

A qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu, Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. 

Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos, Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança; E sobre a arca os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente. Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços; Mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo; Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo, Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço; Consistindo somente em comidas, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção. Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção. Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne, Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?

De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes. Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus; Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio; De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.
Hebreus 9:23-28

Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,
Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne,
Hebreus 10:19-20

Na argumentação Adventista, esses textos não podem ser aplicados no todo como aparecem nas traduções. Os eruditos adventistas dizem:

O livro de Hebreus revela a existência de um santuário real no Céu. Em Heb. 8:2 a palavra “santuário” é tradução do grego ta hagia, forma plural de lugar santo (coisa). Usos adicionais deste termo no plural podem ser encontrados, por exemplo, em Heb. 9:8, 12, 24, 25; 10:19; 13:11. Ás varias traduções deixam a impressão de que Cristo ministra apenas no lugar santíssimo ou no lugar santo, não no santuário. Isto ocorre porque os tradutores consideram ta hagia como plural intensivo, traduzível como singular. Mas o estudo da Septuaginta e de Josefo mostra que o termo ta hagia se refere invariavelmente a “coisas sagradas” ou aos “lugares santos” – isto é, ao próprio santuário. E o termo geral utilizado em referência ao santuário inteiro, com seus lugares santo e santíssimo. Que o livro de Hebreus utiliza ta hagia para se referir ao santuário inteiro, é algo que possui forte apoio exegético na própria epístola. O primeiro uso de ta hagia em Hebreus, ocorre em 8:2, em aposição a “verdadeiro tabernáculo”. Uma vez que é claro a partir do verso 5 do mesmo capítulo, que “tabernáculo” (skene) indica o santuário inteiro, em Hebreus 8:2 ta hagia do mesmo modo deve designar todo o santuário celestial. Não existe razão para traduzir o plural ta hagia camo lugar santíssimo em Hebreus. Na maioria dos casos, o contexto favorece a tradução de ta hagia como “o santuário” (Nisto Cremos, p.427- nota 1).

Isto é, as referências do autor aos Hebreus não seriam, necessariamente, ‘dentro do compartimento interno’, ou seja, no Santíssimo Lugar. Desta forma, tais argumentos servindo à causa de Ellen White, salva a doutrina de que Jesus entraria ali em 1844, e golpeia na mente de qualquer adventista a leitura simples e obvia da carta aos Hebreus.

Na verdade existe uma pressuposição teológica para essa ausência constante da especificação do uso ‘O santo lugar’, em Hebreus. Jesus quando morreu a Bíblia diz que o véu rasgou por inteiro. Portanto, a Bíblia mostra que no céu, após a morte de Cristo, não existe mais separação de compartimentos: ““o santuário” (não há compartimento separado no santuário antitípico e celestial), no qual os crentes têm “ousadia para entrar” pela fé.” (Dicionário Vine, p. 972).


Além disso, e determinante, o contexto dos versículos citados, está perceptivelmente indicando a parte mais sagrada do templo, para mostrar que o templo celestial está aberto a todos, desde quando Jesus entrou ali na presença do Pai, tipificado pelo Santíssimo.

Obviamente, o Adventismo prefere Ellen White do que a Bíblia. 

E na prática, a conclusão teológica dessa doutrina exclusiva Adventista, deve levar essa gente enganada e escrava de Ellen White, a olhar para boa parte do livro aos Hebreus como tendo utilidade até 22 de outubro de 1844... o que negarão, obviamente.




264 comentários:

  1. Poxa, quando rancor e quanto julgamento, hein amigo Luciano Sena. Não seria este o tal orgulho de satanás?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um membro de uma comunidade criada porque as pessoas não queriam humildemente voltar ao redio depois de um erro grosseiro e que se auto-intitula "a igreja verdadeira" falando de orgulho... É sério isso produção?

      Excluir
  2. Outra pergunta:

    Quando Cristo pretende mudar o caráter de uma pessoa, será que ele começa a enviar bênçãos sem limites, na vida desta pessoa, ou será que permite que uma pessoa passe por desapontamentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem um nem outro. O primeiro é teologia da prosperidade (inexiste na Bíblia que eu leio) o segundo é auto-comiseração, pois nunca estaremos desapontados se nossa esperança está em Cristo e se crermos no que ele diz em João 16:33: "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo."

      Excluir
  3. Mais uma coisa:

    O amigo sabe, que os apóstolos criam de que o reino de Cristo, em glória, seria estabelecido naquela época. Cristo sabia que seus apóstolos e discípulos estavam errado em seu pensamento, mas permitiu que assim continuassem.

    Pergunto:

    Por que Cristo permitiu que aqueles apóstolos e todos aqueles discípulos passassem por aqueles desapontamento?

    Aqueles apóstolos e discípulos eram hereges e sectários, por crerem que a vinda do reino de Cristo se daria naquela época?

    O fato de terem interpretado equivocadamente as escrituras, chegando àquela conclusão, os desqualificam como candidatos a líderes eclesiásticos da Igreja de Cristo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua pergunta gera outras:
      Cristo sabia que os discípulos estavam errados em aguardar que Ele voltasse naqueles dias?

      Eu acho que Cristo não sabia se eles estavam exatamente errados, conforme Marcos 13:32:

      "Mas daquele dia ou daquela hora ninguém sabe, nem os anjos no céu, nem o Filho, senão só o Pai."

      Se nem o Filho sabe, como Ele poderia dizer pros discípulos não o esperarem no primeiro século??

      Excluir
  4. Prosseguindo:

    O povo israelita, recém liberto, também fez um certo movimento, porém de orgia e idolatria aos pés do monte, enquanto Moisés recebia os mandamentos de Deus.

    Isto desqualificou, posteriormente, a nação Judaica israelita de serem o povo de Deus?

    ResponderExcluir
  5. Continuemos:

    Martinho Lutero, cria e pregava muitas doutrinas vistas hoje como erradas. Batismo de bebês, purgatório e várias outras. Deu permissão para que se perseguisse e matassem irmãos de fé protestantes.

    Isto o desqualificou como sendo alguém com uma missão especial, da parte de Deus aqui na terra? Aquilo que ele trouxe de certo, são invalidados por aquilo que ensinou de errado?

    ResponderExcluir
  6. E mais:

    O próprio amigo admite que Calvino cometeu vários erros doutrinários.

    Isto desqualifica o fato de, o amigo, não apenas seguir seus ensinamentos mas também pertence à uma religião de orientação calvinista?

    ResponderExcluir
  7. Mais:

    E quanto ao movimento protestante?

    O amigo é capaz de enumerar os erros doutrinários e as atrocidades ocorridas no desenrolar deste movimento, bem como nos posteriores movimentos em cada religião, dita e aceita como ortodoxa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errar não desqualifica, mas e permanecer no erro???

      Calvino, Lutero e demais reformadores foram usados por Deus mesmo completamente imperfeitos como todos nós. A diferença é que não damos à eles importância maior, muito menos os consideramos únicos detentores do dom da profecia ou consideramos que seus escritos são uma contínua e autorizada fonte de verdade e proporcionam conforto, orientação, instrução e correção à igreja...

      Excluir
  8. Respostas
    1. 6 palavras... É tudo que consegue proferir, amigo Luciano Sena? Que foi? O gato comeu sua língua?

      Excluir
    2. Perguntas dignas de respostas Luciano !!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    3. Na verdade, Sr. Adventista e Sétimo Dia, o prezado Luciano não sabe é contra-argumentar mesmo.
      Fazer acusações levianas é com ele próprio, mas responder aos questionamentos... o vácuo é o seu refúgio.

      Excluir
  9. Srs. Luciano, Adventista e Sétimo Dia
    Deus nos ilumine
    O Amor de Deus é tão imensurável, grandioso e Tão Alto que não podemos alcança-lo em toda sua Essência. À Ele toda a glória!!!
    Muitas das vezes não entendemos Seu proceder para conquistar alguém para o Seu Reino. Nosso entendimento não consegue alcançar as atitudes, Santas, Perfeitas deste Maravilhoso Deus Triúno. Creio que Ele lamente nossa ignorância , porém não pode se prender a ela . Nós é que precisamos nos curvar diante de Sua Grandeza, Amor e Sabedoria.
    Amigos adventistas não podemos CONFUNDIR erros em nossos pensamentos , falta de capacidade de entendermos algo de Deus, devido nossa incapacidade e DESOBEDIÊNCIA A SUA PALAVRA , REBELIÃO e INIQUIDADE. Ele não leva em conta o tempo de nossa ignorância , porém Ele leva em conta a FALTA DE RESPEITO E INSUBMISSÃO A SUA SANTA PALAVRA, JÁ REVELADA e nossa REBELIÃO A MESMA, como infelizmente aconteceu no dia chamado DESAPONTAMENTO em 1844, quando ocorreu uma onda de pregação HERÉTICA , contradizendo a mensagem do Senhor Jesus, que nunca autorizou ninguém a marcar datas para sua volta aqui na terra em Poder e Grande Glória.
    Miller agiu dignamente, reconheceu SUA DESOBEDIÊNCIA a Palavra e a voz profética das Igrejas que alertavam sobre a heresia que estava sendo propagada pelos mensageiros do engano conscientes , já que A Palavra é bem clara sobre este tema escatológico.
    Ele se humilhou, pediu perdão, retrocedeu, deu meia volta , recuou cento e oitenta graus, conforme tema de uma programa na Tv Novo Tempo, muito interessante por sinal, abandonou o erro que estava envolvido, como foi o caso do filho pródigo e voltou para a prática das primeiras obras. Não havendo necessidade que a justiça do Senhor o alcançasse. Retornando ao convívio dos irmãos em Cristo, que oravam, intercediam por ele e demais , que resolveram permanecer no erro e criar mais problemas espirituais para si e demais que seguiriam cegamente suas distorções da Santa Palavra de Deus.
    Passou a ser perseguido e de bem falado que era até pela Sra. White, passou a ser mal falado por parte de seus supostos “ amigos “.
    O importante e que destacamos com alegria foi sua atitude nobre de reconhecer seu erro , ouvindo a voz do Supremo Pastor e Salvador Jesus Cristo: “ Vai e não peques mais “
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o amigo crê em suas próprias palavras amigo Wilton?

      O que incomoda ao amigo é uma afronta à Bíblia, ou uma afronta às crenças ditas ortodoxas?

      As igrejas, chegaram a um consenso sobre as verdadeira doutrinas?

      E o que foi revelado às igrejas? Tudo?

      Então lhe pergunto à qual palavra, já revelada, Miller não se submeteu? À católica? À batista? À metodista? À calvinista? À dispensacionalista?

      Porque alguns pregavam de que Cristo não iria mais voltar, outros, de que Deus haveria abandonado nosso mundo.

      À qual destas palavras já reveladas, Miller deveria se submeter?

      Pois, justamente por deixar esta submissão às religiões e buscar somente na Palavra de Deus, que Miller pôde passar por aquela experiência.

      Será que ao estudar as profecias, Miller se levantou mesmo contra a Bíblia? Ou será que foi contra a mornidão das religiões na época?

      Como adventistas, não recriminamos a Miller, pelo contrário, somos gratos por ter levado as pessoas daquela época à se voltarem para a Bíblia, especialmente as profecias.

      Miller pregou uma verdade importante e que já estava caindo em esquecimento, de que Cristo voltaria em breve.

      Errou como tantos outros, mas ao final acertou, como era de se esperar. Se não houvesse um desapontamento na história, a Igreja Adventista do Sétimo Dia jamais teria surgido. A mornidão daquela época não permitiria.

      Agora o amigo não pode usar para Miller um peso diferente do que o amigo usa para os reformadores.

      A verdade:

      http://novotempo.com/estaescrito/videos/o-que-eu-gosto-nos-catolicos/

      http://novotempo.com/estaescrito/videos/o-que-eu-gosto-nos-luteranos/

      http://novotempo.com/estaescrito/videos/o-que-eu-gosto-nos-batistas/

      http://novotempo.com/estaescrito/videos/o-que-eu-gosto-nos-metodistas/

      http://novotempo.com/estaescrito/videos/o-que-eu-gosto-nos-pentecostais/

      http://novotempo.com/estaescrito/videos/o-que-eu-gosto-nos-por-que-tantas-denominacoes/

      http://novotempo.com/estaescrito/videos/o-que-eu-gosto-nos-adventistas/

      Excluir
    2. Respeitado Sr. Adventista
      Com toda sinceridade não entendi muito bem tuas perguntas iniciais, mas o que posso falar com toda convicção de minha alma é que o que me incomoda como servo de Deus e templo do Santo Espirito, PELA GRAÇA DO BOM DEUS,é a afronta à bíblia sagrada.
      Miller foi " estudar " as profecias com " os demais " , sem a égide do Espirito Santo, esta escrito: " A letra mata , mas o espirito vivifica ".
      Quando a Igreja esta fria ou morma , o trigo que esta presente com o joio deve dobrar o joelho voltar-se para Deus e conforme diz a Palavra em Isaias, deve humilhar, orar buscar a face do Senhor e se converter de seus maus caminhos e não "buscar novidades" . O problema não estava nas doutrinas ortodoxas existentes e registradas nas escrituras mas sim na falta da prática das mesmas. A busca de "NOVAS REVELAÇÕES" é que trouxeram e trazem " o espirito de engano " e foi o que aconteceu e tem acontecido em nossos dias, "infelizmente".
      Uma parte do joio saiu do seio da Igreja para procurar novas revelações e deu no que deu. Desviaram-se da Palavra inerrante, não fazendo caso do texto sagrado que nos adverte COM TANTA ENFASE de que a respeito do dia e hora da volta do Senhor ninguém sabe, senão o Pai.
      Em certa parte de teu comentário esta registrado: "... somos grato por ter levado as pessoas daquela época a SE VOLTAREM PARA A BÍBLIA..." ( enfase minha com tua permissão ).
      Amado do Senhor, como se voltar para a Bíblia SE HOUVE DESVIO ???. O que gerou o GRANDE DESAPONTAMENTO DE 1844.

      Deus te ilumine
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
    3. ...Exatamente. Miller deu tanta importância ao estudo que após constatar seus erros, retornou para a sua igreja local.

      Excluir
    4. Estimado Humbly
      Paz te seja multiplicada
      O que mais me preocupa é que os seguidores, desculpe a sinceridade, do adventismo radicais e pré conceituosos não admitem o pecado cometido pelos seus fundadores, quem reconheceu voltou para o aprisco, como foi o caso do Sr. Miller e os outros membros que arrependidos do seu pecado sairam da Babilônia e voltaram para o meio dos santos e seguir suas vidas buscando o verdadeiro avivamento.
      Querem confundir ERRO com PECADO, TRANSGRESSÃO DA LEI DE DEUS. DOS ENSINOS E MANDAMENTOS DO SENHOR JESUS CRISTO. O adventismo começou com a semente do pecado. Uma ofensa a Deus e a Igreja do Senhor.
      Deus tenha misericórdia!
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
    5. Uma parábola:

      Em meados da reforma protestante, houve um cardeal, servo do Papa, que declarou:

      "O que posso falar com toda convicção de minha alma é que o que me incomoda como servo de Deus e templo do Santo Espirito, PELA GRAÇA DO BOM DEUS,é a afronta à bíblia sagrada.

      Continuou:

      "Lutero foi " estudar " os evangelhos com " os demais " , sem a égide do Espirito Santo, esta escrito: " A letra mata , mas o espirito vivifica ".

      Continuou falando acerca dos integrantes do movimento protestante:

      "Quando a Igreja esta fria ou morma , o trigo que esta presente com o joio deve dobrar o joelho voltar-se para Deus e conforme diz a Palavra em Isaias, deve humilhar, orar buscar a face do Senhor e se converter de seus maus caminhos e não "buscar novidades"

      Acerca das revelações trazida pelos reformadores declarou:

      "O problema não estava nas doutrinas ortodoxas existentes e registradas nas escrituras mas sim na falta da prática das mesmas. A busca de "NOVAS REVELAÇÕES" é que trouxeram e trazem " o espirito de engano " e foi o que aconteceu e tem acontecido em nossos dias, "infelizmente"."

      Este cardeal falou ainda:

      "Uma parte do joio saiu do seio da Igreja para procurar novas revelações e deu no que deu. Desviaram-se da Palavra inerrante, não fazendo caso do texto sagrado"

      Então falo novamente ao amigo Wilton:

      A reforma não foi completa, nem de longe as igrejas se uniram em torno de uma única verdade.

      Até mesmo a união de todas as igrejas em torno do propósito da volta de Cristo, foi acompanhado pelo engano, mas por que isto ocorreu?

      Ocorreu porque não estavam embanhados da verdade das Escrituras. Tantos protestantes, vindos das mais diversas denominações e nenhum destes conseguiram apresentar o verso bíblico que diz que ‘acerca do dia e da hora ninguém sabe’!

      Isto demonstra o extremo descaso que havia para com a palavra de Deus. Julgaram que a reforma estaria completa, ou que faltasse apenas alguns ajustes em seus mínimos detalhes, mas não se atentaram ao fato de que pouco ainda sabiam e pouco entendiam das escrituras.

      Guilherme Miller trouxe interpretações e entendimento acerca das profecias e apontou aquele período como sendo o do tempo do fim.

      (...)

      Excluir
    6. Tanto tinham algum fundamento, suas pregações, que logo conseguiu aquilo que muitos antes não haviam conseguido, atrair a atenção de um avolumando número de pessoas.

      Suas pregações conseguiram atingir praticamente toda a América do Norte e também boa parte do mundo, onde estava ocorrendo um movimento de reavivamento.

      Bem ou mal, em todo o mundo se reacendeu a atenção para a importância de se voltar a estudar a Bíblia e a dar ênfase na pregação do evangelho.

      O efeito porém foi momentâneo, tanto que após o término do movimento de reavivamento, os ânimos novamente esfriaram.

      O único detalhe que notamos de relevante foi o surgimento de uma Igreja peculiar, um pequeno grupo de pessoas, remanescentes dentre um grupo de milhões de pós-reavivistas.

      Muitos se impressionaram com as mensagens de Miller e lhe deram apoio, no início, até que um dia, em reunião com seu amigo Snow, foi convencido sobre uma data específica sobre a volta de Cristo.

      Cristo virá em breve, mas quando?

      Era uma pergunta que ecoava dentre o grupo de milleritas!

      O que Miller não sabia é que embora seus cálculos e boa parte de suas interpretações estivessem corretos, havia um equívoco que seria o divisor de águas para aquele grupo de milleritas.

      "e o santuário será purificado".

      Miller entendeu que o santuário a ser purificado seria a terra, pois ninguém na época tinha noção exata acerca de um Santuário celeste. A Bíblia, por vezes, se refere realmente à terra como uma espécie de santuário, como pregava Miller. Mas ali na profecia, se tratava de um outro santuário.

      Miller então entendeu que esta parte da profecia era o juízo final sobre a terra, Snow e alguns outros milleritas concordaram.

      Desapontamento, foi o resultado daquilo que começou com uma reunião entre Miller e Snow.

      O desapontamento deixou claro de que a maioria das pessaos estavam ali por conta da simpatia de Miller e não por interesse no conhecimento da Palavra de Deus. Fixaram-se demasiadamente na pessoa de Miller e em sua agradável mensagem (por parte daqueles que ansiavam pela volta de Cristo) e esqueceram-se voltar sua atenção ao mais importante, ao Livro que contém todas as respostas.

      Onde erramos? Foi a pergunta que uma jovem fez logo após o desapontamento!

      (...)

      Excluir
    7. Uma visão lhe veio como resposta.

      Enquanto recebia esta visão, um grupo remanescente de milleritas, composto por aqueles que não se deixaram abater pelo desapontamento, começaram a vasculhar a Bíblia por resposta, e um destes, caminhando em um milharal, enquanto tentava entender o que havia acontecido de errado, meditando no texto de Daniel, teve uma idéia do que poderia ter acontecido.

      Aquele santuário referido por Daniel não se trataria realmente da terra, mas sim de um santuário que há no céu.

      Aquele focou, à partir de então, seus estudos neste sentido, assim, após alguns meses, conseguiram chegar à uma resposta sobre, onde Miller haveria errado!

      Miller, de imediato, não aceitou os argumentos daquele grupo, que desde então, seriam chamados de Os Adventistas.

      Mas o por que de aquilo tudo? A resposta veio logo em seguida quando aquela jovem que recebeu sua primeira visão, relatou acerca do ocorrido.

      Por sua perseverança na busca de resposta e na firme esperança da volta de Cristo, aquele grupo havia sido escolhido por Deus para uma importante missão!

      Aquela jovem ficou encarregada de acompanhar aquele grupo. Desde então, aquele grupo passou a contar com a orientação de um profeta. Deus então passou a dirigir aquele povo, segundo seu propósito, através de várias e sucessivas visões concedidas à Ellen White.

      Muito tempo se passou, até que aquele grupo de adventistas, chegaram à um estágio semelhante ao dos Adventistas do Sétimo Dia, que vemos hoje.

      O principal meio com que isto foi possível, foram as doutrinas fundamentais, instituídas várias décadas depois que certo grupo de adventistas começaram a estudar com afinco a Palavra de Deus.

      Os cristãos protestantes, católicos e de outras religiões, vindos do período de reavivamento, conseguiram chegar, então, a um denominador comum e poucos foram os que não aceitaram o resultado final dos estudos.

      Alguns, inconformados, porém, mais tarde, se corrigiram, e passaram a aceitar tais verdades, a exemplo dos anti-trinitarianos.

      E a verdade se desenvolveu ainda por um pouco de tempo, com as publicações daquele grupo inicial de Adventista do Sétimo Dia, até estar devidamente esclarecida, pouco antes da morte do profeta da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

      Os adventistas nascidos à partir dali, já tiveram então contato, apenas com as verdades puras, extraídas das doutrinas puras da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que já era publicada na forma de lições da escola sabatina.

      (...)

      Excluir
    8. Em nossas doutrinas fundamentais não há erro nem enganos, pois são todas doutrinas bíblicas. De modo que a Igreja Adventista do Sétimo Dia pode não ser perfeita, mas tem doutrinas puras em seu conjunto de crenças fundamentais.

      Ellen White atuou como um ferramenta nas mãos de um orientador e consolador, aos aflitos e desapontados. Deixou livros que ajudariam a igreja a passar pelas provas que viriam com o tempo.

      A obra de Ellen White, tem um objetivo pautado na defesa das doutrinas já estabelecidas, da parte de Deus, à Igreja Adventista do Sétimo dia, provendo orientações e explicações acerca de cada uma de nossas crenças com base na Palavra de Deus.

      Não temos hoje, acesso aos estudos e conclusões dos adventistas pós milleritas e que permitiram a formulação de nossas doutrinas fundamentais. Mas sabemos que diante de seus estudos, à cada reunião, Ellen White recebia visões que confirmavam cada uma das verdades, quando estas eram descobertas, quando então pairavam dúvidas que aparentemente não tinham resposta.

      Assim Ellen White é a testemunha presente, sobre as verdades que foram extraídas da Palavra de Deus. Embora sempre deixada de lado e vista com desconfiança por muitos do grupo, conquistou a confiança através dos claros sinais que se operavam em seu ministério, sempre que se faziam necessários.

      Até ali Ellen White foi uma mera observadora, até que foi chamada para atuar nas reuniões e na formação da Igreja Adventista do Sétimo Dia, por isto hoje ela é vista também como uma co-fundadora, cuja contribuição maior, em termos de doutrina, além das relacionadas com a saúde, seja a da trindade, como vemos atualmente.

      De espectadora e simples ferramenta de revelação, Ellen White passou a educadora, escrevendo livros nas mais diversas áreas do conhecimento humano, todos dirigidos para orientar o cristão a ter uma relacionamento mais íntimo e verdadeiro, com Deus. Por causa disto, a igreja adventista, aceita hoje Ellen White como a profetiza oficial dos Adventistas do Sétimo Dia.

      Seu empenho e sua admiração pela pessoa de Cristo se traduzem em obras como "Caminho a Cristo" e "O Desejado de Todas as Nações".

      Todas as revelações de Ellen White possuem o firme propósito de impressionar nossas mentes a aceitarmos certas verdades acerca de um correto caráter Cristão.

      Ellen White usou de revelações, não para contradizer ou chocar, cristãos que possuíam idéias ou interpretações diferentes acerca da Bíblia, naquela época, mas sim para utilizar certos fatos bíblicos para demonstrar importantes lições.

      Por tabela, no uso de acontecimento que ocorreram nos bastidores da Bíblia sagrada, acabou desagradando a muitos e contradizendo muitas crenças.

      (...)

      Excluir
    9. Mas o principal objetivo das obras de Ellen White, são os ensinamentos, que tem por objetivo criar ou reforçar um caráter cristão de forma mais apurada. Um caráter cristão mais de acordo com a vontade de nosso Criador.

      Mesmo contradizendo as várias religiões da cristandade moderna, os livros de Ellen White nos apresentam a verdade acerca das Escrituras. São fonte contínua de orientação aos cristãos, neste conturbado tempo do fim.

      A própria vida da Sra. White, foi marcada por eventos sobrenaturais, levou uma vida digna, tal qual ninguém lhe podia refutar.

      Os vários que compareciam a fim de testar-lhe saíam aflitos e desolados com as palavras que saíam de uma jovem tímida, mas muitos saíam com uma nova esperança.

      E o que Ellen White viu em sua primeira visão?

      Nada além do caminho estreito, ao qual Cristo estava nos lembrando através do desapontamento:

      Este caminho estreito é a Bíblia, neste mar de confusão religiosa.

      http://2.bp.blogspot.com/-nbY9GuyeWcQ/UUEwbj0Y9zI/AAAAAAAAAOE/xw8ipf5vloo/s1600/Pathway.jpg

      Aquele que perseverar na palavra de Deus encontrará a verdade. Este será Salvo!

      E não é que o caminho é estreito mesmo!

      Excluir
    10. Sr. Adventista
      Paz
      O lema da Reforma é a Igreja sempre se reformando, se reciclando. A Palavra manda-nos examinar, " se estamos na fé ", antes de participarmos da Eucaristia, para que participemos discernindo o Corpo do Senhor. É como andar de bicicleta, sempre em movimento em direção ao desenvolvimento de nossa Salvação, conquistada por Cristo Jesus, Nosso Eterno Salvador.
      Quanto as mensagens do Sr. Miller, com certeza nos temas que não se referia "as novas revelações " eram excelentes , edificantes. Inclusive a Sra. White muito elogiava o Milher em suas devocionais, elogiava seu caráter, etc.
      Temos a TV Novo Tempo, que hoje transmite programas de alta qualidade, com temas idificantes, cenário que atrai a atenção dos telespectadores. Já tive a oportunidade de comentar este fato com o Professor Leandro Quadro e equipe, porém quando o foco se direciona nas doutrinas extra-bíblicas, não podemos comungar, pois machucam nossas almas, como o Juízo investigativo, salvação " pela graça ", 1844, que ferem às Doutrinas dos Apóstolos; as que denominamos Ortodoxas.
      Reveja com carinho os pontos divergentes doutrinários, que ferem os ensinos básicos do Cristianismo e volte-se para eles.
      Procure entender o que significa realmente ser salvo pela Graça de Deus e entre no descanso da tua Salvação em Cristo Jesus.
      Creio na tua sinceridade
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  10. Gostaria de saber do Luciano e cia (pra lá de limitada) qual o entendimento deles a respeito de Daniel 8.14 "Até 2.300 tardes e manhãs e o santuário será purificado."
    Dizer que uma doutrina seria falha (juízo pré-advento, 1844) sem apresentar uma alternativa de interpretação é, no mínimo, insensatez. Como os prezados evangélicos entendem esta passagem de Dan.: 8.14? Poderiam explicar?

    ResponderExcluir
  11. Josinaldo Costa

    1-Amados do Senhor. Somente com os olhos do Espirito Santo para entendermos as profecias bíblicas. A interpretação adventista diz que Dn 8:11 refere-se a respeito a um templo físico (demolido pelos romanos) e Dn 8:14 a um templo celestial!!! Mas não é isso que mostra o livro de Daniel, pois lá fala de um mesmo santuáriio.

    11 Sim, engrandeceu-se até ao príncipe do exército; dele tirou o sacrifício diário e o lugar do seu santuário foi deitado abaixo.

    13 Depois, ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão do sacrifício diário e da transgressão assoladora, visão na qual é entregue o santuário e o exército, a fim de serem pisados?
    14Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado.

    2- Dn 8:14 diz que o santuário depois de 2300 tardes e manhãs seria purificado, portanto não seria demolido!! Dn 11:31 fala sobre profanar o santuário: Dele sairão forças que profanarão o santuário, a fortaleza nossa, e tirarão o sacrifício diário, estabelecendo a abominação desoladora.

    3- O termo traduzido por "deitar' aparece também no verso 12 referindo-se à 'verdade' e não tem um sentido literal.
    Dn 8:11-12
    11 Sim, engrandeceu-se até ao príncipe do exército; dele tirou o sacrifício diário e o lugar do seu santuário foi deitado abaixo.
    12 O exército lhe foi entregue, com o sacrifício diário, por causa das transgressões; e deitou por terra a verdade; e o que fez prosperou.

    4- O Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento p.2398 diz:
    "shalak É o verbo normalmente empregado para designar a idéia genérica de 'atirar'. usa-se o verbo numa ampla variedade de situações, que vão desde o ato físico de atirar um objeto até o emprego metafísico de abandonar ou rejeitar uma pessoa ou coisa. "
    Dentre as 120 vezes que esta palavra ocorre na sua maioria tem o sentido literal de "lançar", mas veja outros usos:

    Gn 37:22; Dt 9:17
    Gn 21:15 "abandonar!
    2Rs17:20 "expulsar"
    Sl 22:10 "entregar"
    Sl 50:17 "rejeitar"
    EZ 23:35 "virar as costas"

    Continua [...]

    ResponderExcluir
  12. Continuação [...]

    5- Se nos atermos ao significado literal, o santuário teria que ser arremessado, assim como a verdade!!! 2 Rs 2:21; Ex 1:22;7:10;

    6- A verdade foi lançada por terra, no sentido de ser desrespeitada e violada, assim da mesma forma o santuário foi deitado abaixo por ter sido violado e desrespeitado!!!

    7- O santuário na verdade foi privado de todos os seus utensílios, e colocado outros em seu lugar, além de uma estátua a Zeus:
    "Tomou os vasos consagrados a Deus, os candelabros de ouro, a mesa... nada deixou lá."
    "proibiu os judeus de oferecer a Deus os sacrifícios ordinários, como a sua lei os obrigava...
    "mandou construir um altar no templo"[Dedicado a Júpter Olímpico]
    e ordenou que elá se sacrificassem porcos..." (Novo Dicionário da Bíblia, Edição em 1 volume, p. 84)(Enciclopédia da Bíblia Cultura Cristã, vol. 1, p.341)
    Portanto temos várias evidências que a profecia não diria respeito a uma demolição do templo.

    8-A história comprova que Antíoco Epifâneo cumpriu a profecia, tanto Flávio Josefo quanto o livro de Macabeus prova que ele profanou o santuário e que este mesmo santuário foi purificado nos dias de Antíoco.

    9- A tradução grega do Antigo Testamento usa o mesmo vocábulo grego que o livro de




    Macabeus para descrever a situação do templo, segundo o LÉXICO DE STRONG:

    1 Mac 1:39 "Seu santuário ficou desolado como um deserto..."
    1 Mac 1:39 to agiasma authv hrhmwyh (2049) wv erhmov ai eortai authv estrafhsan eiv penyov ta sabbata authv eiv oneidismon h timh authv eiv exoudenwsin
    2049 erhmow eremoo
    de 2048; TDNT-2:657,255; v
    1) tornar desolado, fazer deserto
    2) arruinar, levar \a desolação
    3) despojar alguém, tirar de alguém os seus tesouros

    Dn 8:11"... e o local do seu santuário ficou desolado" (LXX)
    Dn 8: 11 kai ewv ou o arcistrathgov rushtai thn aicmalwsian kai di auton yusia erracyh kai egenhyh kai kateuodwyh autw kai to agion erhmwyhsetai (2049)

    Assim todas as evidências nos mostram que o termo não significa "demolição" como querem os adventistas!!
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ". A interpretação adventista diz que Dn 8:11 refere-se a respeito a um templo físico (demolido pelos romanos)"

      Errado amigo Wilton, não confunda a interpretação adventista com a dispensacionalista:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2013/11/biblia-facil-daniel.html

      Conseguiria assistir a todos os vídeos?

      Excluir
    2. Prezado Wilton,

      Diga-nos em que ano começam e terminam os 2.300 dias de Dan.: 8.14? Para nós, adventistas, o período compreende 457 a.C. a 1.844 d.C. (Sem desconsiderar fatos importantes dentro desse período).

      E para vc's? Quando começa e quando termina? Que fatos mostram o cumprimento da sétima, sexagésima nona e septuagésima semanas (primeiras 70 semanas) dentro dos 2.300 dias?
      Tudo isso é respondido no livro "Grande Conflito", sendo, portanto, muito claro para nós, adventistas.
      E no entendimento dos evangélicos?
      Mas diga-nos a interpretação de vc's, não cite a interpretação adventista porque, pelas suas palavras até agora, vc não conhece.

      Com a palavra, os prezados dominguistas.

      Excluir
    3. ... O que seria da Bíblia sem "O grande conflito"?

      João 19:30. Havendo Jesus tomado do vinagre, disse: Tudo está consumado. Inclinou a cabeça e rendeu o espírito.”

      Se tudo foi consumado na Crucificação é porque nada ficou para depois, muito menos para o ano de (1844), devemos levar em consideração outra questão, desde quando um Santuário Celestial precisaria de purificação? A pergunta fica no ar, pois o próprio livro de Hebreus diz que o Santuário Celestial é perfeito.

      Excluir
    4. Meu prezado, não estamos falando sobre a provisão salvífica todo-suficiente promovida por Cristo na cruz. Isto é indiscutível. O assunto aqui é cumprimento de profecias.
      Contextualize-se, meu caro.

      Excluir
    5. Ah, ia esquecendo!

      Sua frase "o que seria da Bíblia sem o Grande Conflito" está, em realidade, invertida, o correto é:
      'O que seria do Grande Conflito sem a Bíblia', pois EGW foi um instrumento usado por Deus a fim de nos levar a entender as Sagradas Escrituras como um todo, ok?

      Excluir
    6. Meu caro,
      Sou novo por aqui...
      Me ajude na contextualização:

      - Estamos falando do cumprimento da profecia. A profecia não se refere à expiação dos pecados para a salvação? Como podemos não estar falando de Cristo na cruz?
      - O que é a provisão salvífica que o prezado citou?
      - Se a morte de Cristo proveu salvação mas não tirou a condenação pelos pecados, então ela proveu salvação de que?
      - Como Jesus poderia dizer ao ladrão da cruz a célebre frase: "hoje mesmo estarás comigo no paraíso" se os pecados dele ainda não estariam expiados naquele dia?
      - Se essa distância entre salvação e o perdão dos pecados é necessária, todos os cristãos deveriam ter continuado os sacrifícios do AT até 1844 pois estes sim seriam eficazes na expiação e perdão dos pecados enquanto a obra não estivesse completa. Por que os apóstolos não orientaram quanto à isso? O autor de Atos não deveria ter feito um adendo à respeito do juízo investigativo ao versículo 19 do capítulo 3: "Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor,"
      - Em 1 João 5:13 está escrito "Escrevi estas coisas a vocês que creem no nome do Filho de Deus, para que saibam que têm a vida eterna." Como João poderia assegurar a vida eterna aos que creem se o juízo investigativo não tinha começado?
      -O prezado acabou de escrever que EGW foi um (um ou o único?) instrumento de Deus para entendermos a Bíblia, sendo assim defendo minha frase, pois acredito que o amigo considera a Bíblia ineficaz sozinha enquanto Palavra de Deus.

      Excluir
    7. Sim, sozinha a Bíblia é ineficaz, a menos que alguém se disponha a lê-la. Justamente o que fez Ellen White e o que seu ministério nos convida a fazer.

      Uma Bíblia por si só, parada na estante, não consegue libertar ninguém! Conhecendo o que está escrito dentro dela é que podemos ser libertos.

      Excluir
  13. Josinaldo, a postagem é o meu argumento. Argumentar mais o quê?

    Quanto a Dn 8.14 o mundo cristão entende que se cumpriu no período dos Macabeus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano,

      O "mundo cristão" ao qual vc se refere, entendam-se 'mundo dos evangélicos', certo?

      Ah sim! O seu artigo é só mais uma demonstração do quanto vc não conhece a doutrina cristã-adventista sobre o Santuário Celestial.
      Portanto, a contra-argumentação que vc está devendo refere-se às perguntas do irmão Sr. Adventista acima. Cadê suas respostas?

      Excluir
  14. Wilton, no livro A Conspiração Adventista, que se tudo der certo pela graça de Deus, sai em Março/Abril, tb mostrarei algo nessa direção.

    ResponderExcluir
  15. Luciano Sena
    Estamos na expectativa, inclusive os críticos. Queremos lê-lo, analisá-lo e com certeza todos cresceremos com a leitura, assim como têm acontecido nas postagens de nossos amigos adventistas, que nos têm proporcionado conhecermos mais sobre fatos que nos estavam encobertos e hoje podemos compreendê-los de forma diferente. Esta troca sadia de informações tem sido para mim particularmente e creio que para todos um crescimento em todos os sentidos.
    Deus nos guarde e abençõe abundantemente
    Wilton

    ResponderExcluir
  16. O tal livro de novo? Ah tá, entendi!

    Da última vez apresentou tal livro, após fugir de um convite de debate!

    Agora apresenta novamente, enquanto foge de um conjunto de questionamentos?

    "Fujo de debates e corro de questionamentos, mas não se preocupem, porque publicarei um livro!"

    Seria este o sentido?

    Interessante...

    Por quantas vezes mais o amigo procederá assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem me convidou para um debate?

      Excluir
    2. http://mcapologetico.blogspot.com/2013/11/o-falso-deus-dos-adventistas-do-setimo.html?showComment=1385417445241#c7783933939882806029

      http://mcapologetico.blogspot.com/2013/11/o-falso-deus-dos-adventistas-do-setimo.html?showComment=1385420963810#c3081261660556861570

      E o fato que relatei sobre o livro, no artigo seguinte:

      http://mcapologetico.blogspot.com.br/2013/11/livro-conspiracao-adventista.html

      Está ruim de memória amigo Luciano Sena? Precisa que eu lhe refresque a memória?

      Excluir
  17. Por anos os adventistas espalharam que o Juízo Investigativo originou-se de uma visão dada a Hiram Edson, em um milharal. No entanto, como uma retratação foi feita após tornar-se conhecido pelo público que sua verdadeira origem não foi divina, absolutamente, mas antes, veio de uma teoria inventada por O.R.L. Crosier. O primeiro a encontrar "FALHA" na doutrina do Juízo Investigativo foi SEU CRIADOR. CROSIER viu como sua teoria do Juízo investigativo contrariava o claro testemunho das Escrituras, e rapidamente abandonou-a.

    "Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, NA SUA VINDA (não antes) E NO SEU REINO." 2Tm.4:1.

    Crosier viu que sua teoria do Juízo Investigativo contradizia o evangelho, mas era tarde demais! Ellen White tinha já endossado a teoria através de uma de suas "visões". Para ela não havia como voltar atrás! A jovem "profetisa" teria perdido seus seguidores se ela fosse admitir que uma de suas "visões" contradizia a Bíblia!

    Hebreus 5:6: "Tu és um sacerdote eterno segundo a ordem de Melquisedeque."

    Nota: O sacerdócio levitíco oferecia sacrifícios continuamente, ano após ano. Melquisedeque recebeu dizímos de Abraão UMA VEZ SÓ. Hebreus 9 e 10 enfatizam que a obra de Cristo como nosso sumo sacerdote é para a eternidade, não continuamente e tendo um fim como o sacerdócio araônico.

    A teoria do Juízo Investigativo faz Cristo operar seu sumo sacerdócio "continuamente" no primeiro compartimento até 1844 e "continuamente" no segundo compartimento desde então. Que os adventistas leiam Hebreus 9 e 10 e verão que está diretamente e precisamente ligado ao antitípico Dia da Expiação quando o sumo sacerdote entrava em tipo "DE UMA VEZ POR TODAS NO SANTÍSSIMO CELESTIAL."

    Isto está claro na declaração de Deus Pai:

    "Porque Davi não subiu aos céus, mas ele próprio diz: Disse o Senhor ao meu Senhor: ASSENTA-TE A MINHA DIREITA, ATÉ QUE PONHA OS TEUS INIMIGOS POR ESCABELO DE TEUS PÉS." At.2:34-35.

    "Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, E ME ASSENTEI COM MEU PAI EM SEU TRONO." Ap.3:21.

    O trono de Deus Pai era simbolizado pelo propiciatório que ficava NO LUGAR SANTÍSSIMO.

    "A qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até o INTERIOR DO VÉU, onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito ETERNAMENTE sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque." Hb.6:19--20.

    "Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, ISTO É, PELA SUA CARNE." Hb.10:19-20.

    Vemos então que o "véu" ou a carne de Jesus, seu corpo, era simbolizado pelo "véu que separava o santo do santíssimo, o mais importante, sendo rasgado da alto a baixo e acabando com a separação. Não há mais véu de separação. Todo o santuário celeste é santíssimo ao Senhor, pois era representado pela segunda tenda do santuário terrestre.

    O pecado dos crentes já foi julgado em Jesus Cristo crucificado. O crente não vai a Deus para juízo, mas ao tribunal de Cristo, seu salvador, para receber ou ão galardão, pois a salvação em Cristo ele já tem.

    Hebreus 10:12: "Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados (como cordeiro da páscoa), ESTÁ ASSENTADO À DESTRA DE DEUS (no santíssimo celestial). Hb.10:12.

    O livro de Hebreus não ensina de maneira nenhuma que Cristo ficou por 18 séculos em um primeiro compartimento, mas ao contrário, como o Dia da Expiação retrata Cristo não como vitíma, que foi na páscoa, mas como o sumo sacerdote da ordem de Melquisedec entrando no santíssimo celestial e assentando-se à destra de Deus Pai, no único trono, pois Deus é Espírito Triúno e sua parte humana é o logos encarnado, Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns! Belo comentário!

      Excluir
    2. E de onde você tirou isto amigo Paulo Cadi, acerca de Crosier? Consegue nos trazer aqui as fontes primárias?

      O fato de Cristo se assentar à Destra de Deus, não o impede de exercer seu papel como sumo-sacerdote.

      Que Cristo exerce esta função também está claro através da Bíblia. Contradição? Obvio que não.

      Apenas de que as limitações que o amigo tem imposto à bíblia e à Cristo, não existem, na realidade.

      Pergunto, será que Cristo deixou seu trono, quando criou este nosso mundo? Será que deixou este trono, quando veio apresentar-se à abraão? Será que deixou este trono quando se apresentou a Moisés como o "Eu Sou"?

      Percebemos então que a única vez em que Cristo deixou SEU trono foi para vir encarnado. No demais, sempre pôde viajar livremente, por onde quisesse, sem a necessidade de deixar o seu trono!

      Entendeu então o sentido de o "Cristo assentar-se no SEU trono"?

      Não significa que ficou ali grudado impedido de sair, ou de executar qualquer trabalho ou função até o dia de sua vinda! Esta é mais uma regra absurda.

      Excluir
  18. Só não vê quem usa um óculos com grau "whiteano"... deve ser grau 22/10 ou 1844...

    ResponderExcluir
  19. Sr. Cadi,

    À exceção dos versos sagrados que vc cita, esse seu comentário ridículo já foi mais do que respondido em oportunidades anteriores.

    Só para lembrá-lo como já o respondemos, veja:
    1 - sobre o sacerdócio "segundo a ordem de Melquisedeque" (Heb.: 7.11):
    Referência ao fato de que Cristo é eterno, enquanto que, no sacerdócio da primeira aliança, os ministradores precisavam ser substituídos, ao longo das gerações, devido à morte de sacerdotes e sumo sacerdotes.

    2 - Sobre a "mudança de lei" (Heb.: 7.12):
    Refere-se à alteração acerca do oficiante nos serviços do Santuário Celeste, ou seja, de qual tribo oriunda tal ministrador no Céu? Hebreus diz que este oficiante não é da tribo de Levi, mas de Judá (v. 14).

    3 - Sobre Jesus entrar "além do véu" (Heb.: 6.19-20):
    O Santuário Celestial não é estático como era o santuário terrestre, pois o Celestial tem "rodas" (Dan.: 7.9), e, assim, este Templo pode se movimentar. Dessa forma, não é com a arquitetura do Templo Celeste que devemos conduzir nossas atenções, mas com o TIPO DE SERVIÇO que Cristo faz: do ano 31 d.C. até 1.844, serviços típicos do que era realizado no primeiro compartimento.
    E o que Ele está realizando agora: de 1.844 até o final da ministração no Santuário, o Senhor realiza serviços típicos do que era feito no segundo compartimento, isto é, como o dia da expiação era um julgamento anual dos israelitas, após o qual os que afligiam sua alma, no Senhor, permaneciam vivos e os que não se afligiam ao Senhor eram mortos (ver Lev.: 23. 27, 29); hoje, então, o SENHOR está realizando o juízo investigativo, após o qual Jesus volta a terra, e quem se preparar para Sua vinda será salvo (viverá eternamente) e o que se não preparar será perdido (morrerá eternamente).
    Lembrando que Cristo não é como um ser humano limitado no tempo e no espaço, ou seja, Ele sabe como acumular o Seu serviço Sumo Sacerdotal com o Seu comando sobre os anjos, a Sua ação mantenedora do Universo, o Seu trabalho como Advogado dos crentes, etc, etc. etc.

    Portanto, sr. Cadi, fique mesmo no silêncio! Pare de expor suas concepções infantis e descabidas! É melhor pra vc! Aceite meu conselho.

    ResponderExcluir
  20. Observem como Ellen White afirma que o Deus Pai estava no "lugar santo" ANTES de 1844:

    "O serviço do SACERDOTE através do ano no PRIMEIRO COMPARTIMENTO do santuário...representa a obra de ministração em que Cristo entrou em sua ascenção. ERA O SERVIÇO DO SACERDOTE NA MINISTRAÇÃO DIÁRIA apresentar diante de Deus o sangue de sua oferta, e também o incenso que subia com as orações de Israel.
    Assim Cristo pleiteou com seu sangue DIANTE DO PAI em favor dos pecadores, e apresentou-se DIANTE DELE também , com a preciosa fragrância de sua justiça, as orações dos crentes arrependidos.
    Tal foi a obra de ministração NO PRIMEIRO COMPARTIMENTO DO SANTUÁRIO NO CÉU". (Great Controversy, p. 420, inglês).

    "Eu vi um trono, e sobre ele o Pai e o Filho. ...Diante do trono eu vi o povo do advento, a igreja e o mundo. Eu vi dois grupos, um curvado diante do trono, profundamente interessado, enquanto o outro permanecia indiferente e descuidado. ... Eu vi o Pai levantar-se do trono, e em uma carruagem de fogo ENTRAR NO SANTO DOS SANTOS DENTRO DO VÉU, e SENTAR-SE.
    Então Jesus levantou-se do trono, e com ele a maioria daqueles que estavam curvados levantaram-se com ele.
    Então uma carruagem de fogo, rodeada de anjos. veio onde Jesus estava. Ele entrou na carruagem e foi levado ao santíssimo, onde o Pai estava. Então eu vi Jesus. um grande sumo sacerdote, em pé diante do Pai." (Early Writtings, "End of the 2300 Days", pp. 55-56).

    Agora eu tenho uma importante pergunta a fazer. Você pode abrir sua Bíblia e mostrar onde o trono do Pai alguma vez se moveu do lugar santo, onde os pães e o candelabro estavam? Durante o ciclo anual, você pode mostrar onde o Pai estabeleceu seu trono no LUGAR SANTO e então no fim do ano, mudou-o de lugar indo para o santíssimo onde a arca estava localizada?

    Desde que o santuário terrestre era uma sombra do celeste e isto não pode ser mudado. então, quando e como o trono do Pai entrou na área onde estava o candelabro?

    ISTO NÃO PODE ACONTECER E NUNCA ACONTECEU.

    "E o Senhor disse a Moisés, fale a Arão teu irmão. que ele não entre todo o tempo dentro do lugar santo dentro do véu diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra: Pois eu aparecerei na nuvem sobre o propriciatório." Lv. 16:2.

    No Santuário terrestre Deus aparecia SÓMENTE UMA VEZ AO ANO no LUGAR SANTÍSSIMO.
    Ele NUNCA transferiu seu trono (tipificado pelo propiciatório), ao lugar santo.

    Cristo ADENTROU O VÉU, espiritualmente, representado pela sua carne, e entrou no SANTÍSSIMO CELESTE e assentou-se DEFINITIVAMENTE à destra de Deus.

    Mudando-se o sacerdócio MUDA-SE A LEI. Hb.7:12.

    Mudança de lei não significa alguém de OUTRA TRIBO receber autorização para exercer o sacerdócio arâonico, permitido apenas aos descendentes de Arão, mas quer dizer que TODO O SISTEMA LEVITÍCO FOI ABOLIDO.

    Cristo ascendeu ao céu como SUMO SACERDOTE DE OUTRA ORDEM E COM OUTRA LEI, A DO EVANGELHO.

    O SUMO SACERDOTE SÓ OFICIAVA NO SANTÍSSIMO AS COISAS PERTINENTES AO SEU OFÍCIO DE SUMO SACERDOTE E NÃO DE SACERDOTE.

    White em sua visão do diabo vê o Senhor Jesus fazendo o serviço de SACERDOTE por 18 séculos e com o tromo de Deus transferido por 18 séculos para o lugar santo, contráriando o que o próprio Senhor Deus ordenou a Moisés e a Arão e também as declarações explícitas do novo testamento que afirmam com todas as letras que em sua ascensão o Senhor Jesus assentou-se DEFINITIVAMENTE À DESTRA DE DEUS PAI como SUMO SACERDOTE DE OUTRA ORDEM E COM OUTRA LEI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já lhe respondi esta questão amigo Paulo Cadi!

      O fato de Cristo ser Sumo-sacerdote, não o impede de realizar as funções de Sacerdote e Cordeiro para o sacrifício!

      O Sumo-sacerdóte É um sacerdote.

      A existência de um sacerdote e um sumo sacerdote, servia justamente para mostrar as DUAS fases do sacerdócio de Cristo, uma no santo e a outra no santo-dos-santos. Assim como o Cordeiro também simbolizava uma fase do ministério expiatório de Cristo.

      Não há portanto, regra que impeça a Cristo, sendo sumo-sacerdote de exercer os trabalhos sacerdotais. Como não houve que o impedisse de fazer o trabalho de Cordeiro sacrificado.

      Excluir
    2. A ordem, referida a Cristo e a Melquisedeque, se refere ao tipo de sacerdócio que ambos exerciam.

      Melquisedeque era Rei e sacerdote;
      Cristo também é;

      Portanto ambos representam uma ordem diferente do sacerdócio Levita, onde eram apenas sacerdotes.

      Explicação simples e fácil de entender!

      Excluir
    3. Você falou um uma COISA que não está na Bíblia: "A existência de um sacerdote e um sumo sacerdote, servia justamente para mostrar as DUAS fases do sacerdócio de Cristo, uma no santo e a outra no santo-dos-santos."

      Sr. Adventista, lamento lhe informar, mas ISTO NÃO ESTÁ NO NOVO TESTAMENTO.

      O livro de Hebreus é CLARÍSSIMO ao afirmar que Jesus Cristo é SUMO SACERDOTE SEGUNDO A ORDEM DE MELQUISEDEQUE, e que em sua ascenção entrou no santíssimo da mesma ordem e assentou-se à destra de Deus Pai.

      Depois você afirmou: "Portanto ambos representam uma ordem diferente do sacerdócio levita, onde eram apenas sacerdotes."

      Se você ler o capítulo 7 de Hebreus verá que Cristo não tem nada a ver com o sacerdócio levita.

      Excluir
    4. A comparação que fiz foi apenas para mostrar que o sacerdócio de Cristo era semelhante ao de Melquisedeque, enquanto, que era diferente do sacerdócio levita.

      "Se você ler o capítulo 7 de Hebreus verá que Cristo não tem nada a ver com o sacerdócio levita." (Paulo Cadi)

      "Portanto ambos representam uma ordem DIFERENTE do sacerdócio Levita" (Sr. Adventista)

      Quanto a:

      "servia justamente para mostrar as DUAS fases do sacerdócio de Cristo, uma no santo e a outra no santo-dos-santos."

      Acrescente:

      "...onde na primeira realizava os trabalhos do santo e na outra realizava os trabalhos do santo-dos-santos, segundo as representações cerimoniais"

      Não embasei tal afirmação no livro de Hebreus, mas sim com base nas representações.

      E o que eram estas representações?

      Ora, uma maneira de se ensinar didaticamente acerca do sacerdócio de Cristo!

      Se fosse mais fácil ensinar ao povo, taõ somente através de escritos, as representações seriam desnecessárias!

      Portanto, embora o livro de Hebreus fale acerca do sacerdócio de Cristo, os detalhes encontramos, mesmo, por toda a Bíblia, em especial nas representações cerimoniais.

      E pode ter certeza de que Paulo chegou àquelas conclusões, ditas em suas cartas, com base em seus estudos do Antigo Testamento, que era a única Bíblia na época e o livro pelo qual foi douto.

      E o amigo deveria seguir o exemplo de Paulo e crer também nas antigas escrituras:

      "assim sirvo ao Deus de nossos pais, CRENDO tudo quanto está escrito na lei e nos profetas." (Atos 24:14)

      O amigo bem sabe que "lei e profetas" era a forma, na época, de se referir às Antigas Escrituras!

      Excluir
    5. Paulo NUNCA afirmou que o serviço de "sacerdote araônico" representava o "sumo sacerdócio de Cristo segundo a ordem de Melquisedeque."

      O que Hebreus nos revela é que a entrada do "sumo sacerdote araônico", no lugar santíssimo, no Dia da Expiação, representava a entrada de Cristo no santíssimo celestial da ordem de Melquisedeque, para onde o Apóstolo João foi levado, nos capítulos 4-5 de Apocalipse.

      É isto que representava a tipologia sacerdotal araônica, e não Cristo como sumo sacerdote atuando no lugar santo por 18 séculos, já que nem o sumo sacerdote araônico atuava no lugar santo, mas somente no lugar santíssimo e isto, uma vez ao ano.

      Excluir
    6. Oa!

      Isto mesmo amigo Paulo Cadi

      "a entrada do "sumo sacerdote araônico", no lugar santíssimo, no Dia da Expiação, representava a entrada de Cristo no santíssimo celestial"


      Viu como não doeu?! É isto mesmo meu amigo.

      E Paulo nunca afirmou, categoricamente, que "o serviço de "sacerdote araônico" representava o "sumo sacerdócio de Cristo segundo a ordem de Melquisedeque."

      Mas comparou as coisas do santuário terrestre com as coisas do santuário no céu. E usou tais representações para explicar o sacerdócio de Cristo no céu!

      Podemos chamar a isto de coincidência, ou aceitar de que o cerimonialismo era mesmo uma sombra das coisas que havia no céu!

      Imagine um santuário no céu e sua sombra sendo refletida aqui na terra!

      Então, não apenas os elementos do santuário e os trabalhos, mas também os sacerdócio e o sumo-sacerdócio levita eram uma sombra do sacerdócio e sumo sacerdócio de Cristo no céu!

      Porém, tomemos como sombra a Melquisedeque!

      Porque Cristo acumula no céu cargos de sacerdote e Rei e se dedica às estas duas responsabilidades, assim como melquisedeque. Por isto é dito que Cristo é da mesma ordem de Melquisedeque.

      Então cristo se assenta no trono e ao mesmo tempo realiza trabalhos no santuário. Assim como Melquisedeque possuía seu trono e mesmo assim ministrava como sacerdote.

      Excluir
  21. Amigo Humbly, a questão é outra.

    Trata-se da suposição de Luciano Sena de que um Líder, para ser considerado, movido por Deus, não poderia cometer erros.

    E que uma religião jamais poderia surgir de algum movimento liderado por alguém que tenha ensinado qualquer tipo de erro.

    Concordo com o amigo:

    "Errar não desqualifica"

    E faço a mesma pergunta:

    "mas e permanecer no erro???"

    O amigo permanece no erro de Martinho Lutero? De pregar a Salvação pela Graça?

    Isto é um erro? Claro que não!

    E quanto a pregar a breve volta de Jesus? Também não!

    Agora, marcar datas para esta volta é errado, assim como pregar o batismo de bebês, ou autorizar a perseguição e martírio de santos, como ocorreu na reforma.

    O que ocorre é que o amigo Luciano Sena, tem iludido seus leitores, apresentando ao adventismo, exigências que se ele mesmo cresse, deixaria de ser um protestante.

    Outro ponto, é que se um erro cometido anteriormente compromete a sinceridade de uma igreja, que diremos dos erros que estão sendo cometidos no hoje? Maçonaria, apoio sacerdotal ao homossexualismo, apoio em passeatas umbandistas!

    Seria correto exigir do movimento adventista, uma santidade, que nunca houve desde o surgimento do movimento protestante e que também não há nas igrejas que vemos nos dias de hoje?

    Nem a história Bíblica exige tal perfeição àqueles que são chamados para ser o povo de Deus!

    O coração dos argumentos do amigo Luciano Sena é justamente este!

    Os adventistas não poderiam ser a igreja verdadeira, porque, se fosse, teriam que ter sido perfeitos, porque Deus só escolheria um povo perfeito para representar a igreja verdadeira.

    Temos aí um argumento falho!

    Os critérios utilizados pela Bíblia para definir a igreja verdadeira estão na própria escritura!

    1º) O povo de Deus sempre teve a companhia de um profeta (Deus envia seus profetas ao SEU povo escolhido);

    2º) Guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus;

    3º) Sempre estão incluídos em alguma profecia;

    4º) Apresentam uma mensagem restauracionista das verdades da Palavra de Deus;

    Agora se formos julgar uma Religião pela sua origem e seu passado, teríamos todos que nos tornara Católicos, devido ao seguinte fato:

    Levando-se em conta estritamente o passado, o movimento que deu origem à Igreja Romana era puro, tratava-se da igreja primitiva.

    (...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Contudo, o que temos que analisar é o hoje, e o conjunto de doutrinas presentes em cada religião, e não o seu passado!

      Faça um apanhado, e o amigo perceberá que o conjunto de informações que encontramos, na internet, de críticos adventistas, se dão baseados basicamente na história adventista e nas pessoas que fazem parte desta história.

      Então vem aquela pergunta:

      Por que não tratam acerca de nossas doutrinas, mostrando nossos ensinamentos na íntegra, procurando então contradizê-las?

      A resposta é: Porque não são loucos!

      Seria como apertar uma faca de dois gumes.

      Seria o mesmo que entregar um livro doutrinário adventista para alguém e dizer: - Lê aí e você vai ver as barbaridades que estes adventistas pregam!

      Tais críticos não procedem desta forma! Em verdade procuram manter os leitores, afastados de nossos livros e nosso doutrinariamento!

      Quanto àqueles que assistem aos nossos estudos, lêem nossos livros e assistem nossos programas, acabam chegando à uma conclusão bem diferente de nossos críticos. Basta dar uma olhada nos comentários existentes no site da TV novo tempo por exemplo.

      Milhões de pessoas em todo o mundo estudam e aprendem com nossas pregações. E o fato é este!

      Independente do passado, ou do desapontamento, fato é que nossas doutrinas são muito bem fundamentadas e várias pessoas se dedicam a entendê-las.

      O que temos visto então é uma aceitação cada vez maior de nossos estudos. O que não vem de Hoje, pois os livros de Ellen White, sempre foram bastante lidos e procurados, o que a tornaram a escritora cristã mais traduzida de toda a história.

      E como resolvemos então esta questão?

      De uma forma bem simples!

      Basta que Luciano Sena, permita que se coloque aqui os estudos adventistas, para que os leitores, possam, apender.

      É improdutivo responder aos comentaristas, sendo que não conhecem, de fato, as doutrinas que estão a questionar.

      Então podemos adotar uma postura, de responder à perguntas somente depois de terem feito, de fato, um estudo completo sobre determinada doutrina apresentada pelos adventistas.

      Caso contrário, continuaremos, dia após dia no campo da especulação.

      Fato é que quem assiste a TV Novo Tempo, conhece imensuravelmente mais acerca de nossas doutrinas, do que comentaristas que escrevem aqui.

      Então faço um convite para que deixem o preconceito de lado e comecem a acompanhar nossos materiais.

      Depois de devidamente instruídos, cada um estará devidamente gabaritado a questionar aquilo que lhe foi ensinado.

      Excluir
    2. * do que comentaristas (que não assistem) e que escrevem aqui.

      Excluir
    3. Sr. Adventista,
      Obrigado por responder-me, percebo cada vez mais que entrei num grupo "privado" de discussões, pois pelo que vi nas outras postagens alguns comentaristas sempre se repetem...

      ...Enfim... sobre a motivação do Sr. Luciano não posso falar, mas eu não apresento exigência alguma aos ASD. O fato é que os ADS trazem para si esse fardo, pois se consideram sim, superiores à qualquer outro cristão, digo por experiências próprias. Se o amigo não age assim então fico feliz, pois sei que poderemos conversar "numa boa".

      Blogs são assim mesmo, eu entendo o que o amigo pode pensar dos críticos de sua religião, pois em blogs adventistas vi postagens atacando sumariamente denominações protestantes (das quais os ASD se julgam irmãos) sem base teórica nenhuma. Vi postagens atacando Luteranos, Batistas, Metodistas e Presbiterianos, dizendo que são todos domínio do Anticristo simplesmente porque EGW disse. Se temos críticas sem conhecimento, as temos de todos os lados.

      Quanto aos pontos que o amigo enumerou, eu pessoalmente acredito:
      1º Profetas acompanharam o povo de Deus até João Batista, depois disso não seria necessário, pois em Cristo tudo se resume.
      2º Concordo, mas a guarda dos mandamentos é proveniente da fé e de nada serve sozinha
      3º Concordo, mas não incluiria o "sempre"
      4º Concordo, se estava se referindo apenas ao evangelho de Cristo, da salvação para os pecadores.

      Fica meio difícil analisar as doutrinas presentes sem olhar pro passado se elas foram desenvolvidas no passado e permanecem desde então, portanto, acho válido pesquisar todo o cenário envolvendo a doutrina, afinal, algumas doutrinas com o passar do tempo se provam inexistentes ou ineficientes, como a da "Porta Fechada", tão defendida por EGW no passado.

      Mais uma vez, não posso falar pelos outros comentaristas, mas quanto à mim, considero-me bom conhecedor das doutrinas dos ASD, pois estudei no colégio ASD e nas aulas de religião me foram apresentadas todas elas, assinei revistas, li livros de EGW. Também li dos Mórmos e dos TJ, pois gosto de conhecer qualquer visão que se refira ao meu Deus (continuo lendo e estudando quando possível), mas conheço mais do ASD, obviamente, não tanto quanto o Sr. Por isso o que eu disse no começo sobre os ASD se baseia em experiências pessoais, a convivência com os ASD no colégio, por anos, me permitiu alegar isso.

      Um abraço,

      Excluir
    4. Entendo amigo Humbly e por um bom tempo, meu conhecimento também se deu por base em experiências pessoais e convivência, além dos estudos.

      O que aprendi é que não devemos nos pautar por aquilo que sentimos, ou aquilo que julgamos com nossos próprios olhos, mas sim pela Palavra de Deus.

      Devemos ter em mente de que o "outro" representa mais um de "nós mesmos".

      Enquanto estamos a observar os demais, os demais também estão a nos observar e cada um de nós, temos consciência de nossas próprias falhas e limitações.

      Então ao julgar doutrinas e religião, não podemos olhar para pessoas, pastores ou líderes eclesiásticos.

      Temos que olhar para suas doutrinas, segundo aquilo que representa a opinião e o ensinamento oficial de cada religião.

      Também já vi adventistas a dizerem barbaridades, mas pode ter certeza de que não se trataria de um adventista devidamente instruído e defensor da opinião oficial de nossa igreja.

      Creio, como o amigo, que isto ocorre também em todas as demais religiões. O que temos que fazer então é dar ouvidos à Bíblia e olhar para os frutos de cada religião, pois pelos seus frutos os conhecereis, assim diz o senhor.

      Então embora uma árvore, tenha alguns de seus galhos doentes, outros meio tortos, indo para direções estranhas, devemos observar se, no geral, ela dá muitos frutos.

      Pois se der bons frutos saberemos que os galhos estão bem ligados videira que é Cristo.

      Por isto Creio que, embora tenhamos uma mensagem especial, não foram os adventistas que receberam-na integralmente! Ali tem dedo dos Batistas, Metodistas, Luteranos e até Católicos! Uma verdade progressiva que foi sendo restaurada aos poucos, trazendo também à tona, também, novas verdades, nunca antes descobertas.

      O que os adventistas, remanescentes daquele grupo de milleritas, foi confirmar cada uma destas doutrinas bíblicas e verdadeiras através da Palavra de Deus!

      Devemos, portanto, reconhecer nas religiões as contribuições que deram e dão para levar adiante a mensagem do evangelho, que não é responsabilidade apenas dos adventistas.

      Fosse somente os adventistas não conseguiríamos pregar o evangelho a todo o mundo, mas graças aos esforços de nossos irmãos, está realidade já não se mostra muito longe.

      Somos apenas um grupo, especial, como todos são para Deus, trazendo uma mensagem também especial!

      Os luteranos foram imprescindíveis na restauração da verdade da salvação unicamente pela Graça. Os Batistas na defesa da liberdade religiosa, os metodistas em seu empenho e disciplina no estudo da Palavra de Deus. Os católicos, na importância da vida e da família, bens inegociáveis. Os pentecostais, no fervor da pregação do evangelho.

      E o que mais me chama a atenção no adventismo é o Louvor e a Adoração. Além de seu estilo de vida saudável.

      As diferenças são bem inferiores às semelhanças que nos unem. Mas há uma Bíblia só, sendo nela que devemos nos pautar.

      Então se um ateu por exemplo for julgar o cristianismo, usará por base as religiões? Ou será que será as doutrinas que todo Cristão segue ou que deveria seguir? O livro oficial dos Cristãos a Bíblia sagrada?

      Do mesmo modo não devemos olhar para pessoas, mas sim para a voz oficial de cada igreja, a fim de medir cada religião.

      Da mesma forma que não devemos olhar para as religiões, mas sim para a voz oficial do Cristianismo que é a Palavra de Deus.

      E pode ter certeza de que se colocássemos todas as religiões juntas em uma classe, pensaríamos da mesma forma, quando estamos em uma escola sabatina por exemplo!

      Veríamos as diferenças e principalmente as falhas uns dos outros.

      Então, assim como em se tratando de Cristianismo, não podemos julgar à partir das religiões, mas sim da Bíblia, com cada religião, também não podemos julgá-la com base em pessoas, mas sim com base em seus livros doutrinários oficiais.

      Um abraço também, querido amigo.

      Excluir
  22. Sr. Paulo Cadi,

    A visão profética de EGW, tendo Cristo entrando nos compartimentos, refere-se a uma forma didática de nos ensinar o que o Senhor vem fazendo desde quando subiu aos Céus. Nós devemos volver nossa atenção para os serviços sagrados de Cristo no Santuário, e não para a estrutura interna do Templo (compartimentos ou candelabros literais).

    Vc fala o seguinte:
    "Cristo ascendeu ao céu como SUMO SACERDOTE DE OUTRA ORDEM E COM OUTRA LEI, A DO EVANGELHO."

    Pergunto ao oponente:
    Que lei do evangelho é essa? Seriam outros 10 mandamentos, diferentes de Êx.: 20.03-17? Se sim, onde estão descritos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josinaldo.

      Todo o serviço levitíco FOI ABOLIDO com a morte de Cristo.

      Leia os dez mandamentos ou decálogo e veja se o conteúdo pode ser a lei eterna de Deus.
      Não.
      Você vai ter de admitir que o decálogo EXPRESSA a lei moral de Deus dada a Israel em determinado contexto. O próprio conteúdo do decálogo impede que ele tenha existido em Deus pela eternidade.

      Meu caro, leia o conteúdo do decálogo e você de cara verá que não tem como ele ser a lei eterna de Deus.


      Se você quer conhecer a lei do evangelho, leia e medite POR TODA A SUA VIDA O SERMÃO DO MONTE! É INEXAURÍVEL.

      Raros cristãos desde os tempos dos apóstolos sequer conseguiram vivenciar o que ali está explanado por nosso Senhor; E aqueles que chegaram perto, como são Francisco de Assis, nos deixaram de queixo caído.

      Cristo foi empossado como SUMO SACERDOTE DA ORDEM DE MELQUISEDEQUE, ou seja, daquele santo de Deus que em simbolo serviu a santa ceia para Abraão, que se alegrou em ver os dias de Cristo, como o próprio Senhor afirmou.

      Você afirmou: "Nós devemos volver nossa atenção para os serviços sagrados de Cristo no Santuário, e não para a estrutura interna do Templo (compartimentos ou candelabros literais).

      Exato! E á exatamente o que o Senhor Jesus tem feito ao ascender aos céus, e assenta-se à destra de Deus Pai, no santíssimo celestial segundo a ordem de Melquisedeque!

      Não está correto isto?

      Se você ler o livro de Levítico à partir do capítulo 7, verá que o Senhor Jesus trouxe a lei do evangelho, as Bem-aventuranças, sendo ele a nossa propiciação, ou seja, ele cobre os nossos pecados diários para que o Pai não os veja.

      Excluir
    2. Não é o livro de Levítico, mas o de Hebreus!

      Excluir
    3. Sr. Cadi,

      Vc é muito engraçado! (rs)
      Dizer que os 10 mandamentos não são eternos!? Quem lhe constituiu super-poderes divinos para afirmar isto? Quem é vc para abolir Êx.: 20.03-17?!
      Então, quer dizer que hoje pode-se matar, roubar, adulterar, desonrar pai e mãe...?!!
      É por essas (e outras) que imagino que vc não seja muito bom da cabeça, sabia?

      Onde está Cristo abolindo os 10 mandamentos e afirmando que o sermão do monte substituiria o decálogo? Mostre sr. Cadi! Onde está? Cadê essa "lei do evangelho" sendo posta no lugar de Êx.: 20? Vc não mostrou nada ainda. O sermão da montanha não tem nada a ver, pois lá não temos Cristo dizendo que Êx.: 20 foi abolido.

      Não comentarei mais sobre o sacerdócio de Cristo no Céu. Já o respondi há tempos.

      Excluir
  23. Sr Adventista, não tenho problema de memória... por enquanto... só não vi algum documento onde os garotos Novo Tempo deu alguma autorização para vcs falarem em nome deles...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segundo o que consta, o amigo justificou a recusa pelos motivos contidos no comentário em resposta, basta lê-los. Creio que o motivo não foi uma "falta de autorização".

      http://mcapologetico.blogspot.com/2013/11/o-falso-deus-dos-adventistas-do-setimo.html?showComment=1385420963810#c3081261660556861570

      Então, como não tem problema de memória?

      E o amigo não precisa enfrentar um debate! Responder aquele conjunto de questionamentos que lhe fiz e que constam no início dos comentários, deste artigo, já estaria de bom tamanho.

      Excluir
  24. Josinaldo, pare de minimizar... vc até enfeita bonito: "A visão profética de EGW, tendo Cristo entrando nos compartimentos, refere-se a uma forma didática de nos ensinar o que o Senhor vem fazendo >>>desde quando subiu aos Céus.<<< "

    kkk... aprendeu muito bem com Questões sobre Doutrina em !!! Dizer de forma dúbia...

    ResponderExcluir
  25. Irmão Luciano, o Josinaldo está desmanchando a teoria do Juízo Investigativo. Se Cristo pode passar de um lado para o outro, ou se a separação entre os dois compartimentos é superflua, então acabou a teoria do Juízo investigativo.

    Quando os adventistas começam a se confundir com esta teoria alienígena eles partem para o simbolismo, prática muito comum no meio teológico deles, quando se deparam com a verdade da entronização de Cristo no trono do Pai.

    ResponderExcluir
  26. 1
    O Juízo B Fato ou Ficção Pré- Advento
    parte I
    Gerhard Pfandl
    Instituto de Pesquisa Bíblica

    De todas as doutrinas da Igreja Adventista do Sétimo Dia a doutrina do juízo pré-advento no céu a partir de 1844 tem sido questionada mais do que qualquer outro. Esse questionamento veio de estudiosos e outros dentro e fora da igreja.

    Do lado de fora da igreja, Walter R. Martin , em seu livro O Reino das Seitas escreveu , AAdventists na opinião dos estudiosos bíblicos conservadores , para não mencionar a ala liberal do protestantismo , estão apenas especulando com o seu santuário e teorias juízo investigativo . Na verdade, a maioria concorda que eles criaram doutrinas para compensar erros de interpretação profética . @ 1

    Dentro da igreja , a investigação mais completa negativo foi iniciado nos últimos tempos pelo meu ex-mentor Dr. Desmond Ford. Em 1980 ele apresentou um documento de 991 página para mais de 100 líderes religiosos e teólogos se reuniram em Glacier View . Em seu estudo, ele sustentou que o acórdão Daniel 7 não é um juízo pré-advento , que a profecia apocalíptica também é condicional, que de acordo com o princípio apotelesmático uma profecia pode ter várias realizações , e que o Dia da Expiação antitípica começou em 31 dC em vez de em 1844,2

    No Glacier View , Ford = s opiniões foram rejeitadas. No entanto, as questões que ele levantou foram consideradas suficientemente importante para merecer uma ação de 1981 pelo Comitê Executivo da Conferência Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia , que pediu que o Instituto de Pesquisa Bíblica formar uma comissão especial para reestudar os livros de Daniel e Apocalipse.
    Durante os 11 anos de sua existência , o Comitê de Daniel e Apocalipse produzido sete volumes3 que resolver muitas das questões levantadas durante as reuniões de Glacier View . No seu relatório final da comissão afirmou que Afar de ser uma peça de museu da teologia pioneiro, o ensino bíblico da pré- advento , fase de investigação do juízo final é de importância vital para os cristãos hoje. É uma parte final do processo global de salvação e um componente integrante das três angel = s mensagens . @ 4
    Apocalyptic Profecia e historicismo

    É geralmente aceite que há uma diferença entre profecia clássica, em que o profeta era Deus = s porta-voz de seu povo nos tempos do Antigo e do Novo Testamento, e profecia apocalíptica com seu foco sobre o fim do mundo ea vinda do reino de Deus.

    O cumprimento das promessas na profecia clássica era dependente da resposta do povo (Jr 18:7-10 ) . Profetas AClassical amarrado Deus = s atividades para eventos da história humana. @ 5

    ResponderExcluir
  27. Por outro lado , a profecia apocalíptica apresenta Deus = s calendário cósmico para o
    2
    aparição sobrenatural final do reino de Deus. Por isso, não é condicional. Em outras palavras , não é dependente da resposta humana , por exemplo , Cristo = s primeira vinda não era dependente de Israel = s ou Judá = s obediência. Ele veio, AQuando a plenitude dos tempos [ descrito em Daniel 9:24-27 ] tinha vindo @ (Gl 4:04 NVI ), mesmo que os judeus não estavam prontos para recebê-lo.

    Da mesma forma, as profecias de tempo em Daniel e Apocalipse que apontam para o tempo do fim ea Segunda Vinda são independentes de qualquer resposta humana . Na profecia apocalíptica nos tornamos Aspectators para eventos em um cenário mundial , estamos vendo a presciência divina desdobrar o curso do futuro @ 6.

    Profecias apocalípticas explicar o que Deus previu e que ele determinou deve acontecer. O 2300 Aevenings e manhãs @ eo athree vezes e meia @ em Daniel 7 e 8 , portanto, não são condicionais. Eles não podem ser aplicados várias vezes para diferentes idades , como o intérprete aprouver. No movimento da história que só pode ter um cumprimento , assim como a profecia das 70 semanas de Daniel 9 só tinha um cumprimento .

    Durante a maior parte da história da igreja essas profecias apocalípticas tempo foram interpretados de acordo com o método historicista de interpretação . Somente nos últimos duzentos anos, outros sistemas, como o preterismo e futurismo, substituído historicismo . E, como todos os estudantes de profecia sabe, a espinha dorsal do historicismo é o princípio dia-ano .

    O princípio dia-ano

    É irônico que um dos melhores resumos de princípio dia-ano , com base nas obras de TR Birks7 e HG Guinness, 8 é encontrado em s = D. Ford primeiro comentário sobre Daniel.9 Em seu segundo comentário Daniel , 18 anos mais tarde, ele a rejeitou , alegando que ele não pode ser biblicamente justified.10

    Contrariamente a esta posição , adventistas do sétimo dia crença de que o princípio dia-ano é um princípio bíblico baseado . Os principais pontos de apoio do que pode ser resumido da seguinte forma : 11

    1 ) Uma vez que as visões em Daniel 7 e 8 são em grande parte simbólico, com um número de diferentes animais que representam importantes impérios históricos ( 7:3-7 ; 8:3-5 , 20-21) , os períodos de tempo (7:25 ; 8:14) também deve ser visto como simbólico.

    2) O fato de que as visões lidar com a ascensão e queda de impérios conhecidos na história que existe há centenas de anos indica que os períodos de tempo proféticos também deve cobrir longos períodos de tempo .

    3) A maneira peculiar , distinto , em que os prazos são expressos indica que não deve ser tomado literalmente . Se o " tempo, tempos e metade de um tempo " em Daniel 7:25 significa três anos e meio literais , por que Deus não diz " três anos e seis meses? " Em Lucas 4:25 e Tiago 5:17 onde três anos e meio literais são referidas, cada vez que a frase é " três anos e seis meses " Da mesma forma, Paulo permaneceu em Corinto " um ano e seis meses; (Atos 18: 11) , e Davi reinou em Hebron "sete anos e seis meses " ( 2 Sam 2:11) .


    4) Em Daniel 7, os quatro animais que, juntos, respondem por um reinado de pelo menos mil anos são seguidos pelo poder do chifre pequeno . É o foco da visão , uma vez que é mais directamente em oposição a Deus . Três anos e meio literais para a luta entre o chifre pequeno e do Altíssimo estão fora de proporção com o escopo abrangente da história da salvação retratado nesta visão. O mesmo se aplica ao Apocalipse 12:06 e 14 , onde mil e 260 dias ou três vezes e meia cobrir a maior parte da história entre a primeira ea segunda vinda .

    5) De acordo com o contexto , as expressões " tempo, tempos e metade de um tempo " (Daniel 7:25, 00:07 ; Rev 12:14) , " 42 meses " (Ap 11:2, 13:05 ), e " 1.260 dias " (Ap 11:3 ; 12:6) todos se aplicam ao mesmo período de tempo , mas a expressão natural ", três anos e seis meses " não é usada uma vez
    .

    ResponderExcluir
  28. " O Espírito Santo parece , de uma maneira , para esgotar todas as frases em que o intervalo pode ser expressa , excluindo sempre que uma forma que seria usada , claro, na escrita comum, e é usado , invariavelmente, na Escritura , em outras ocasiões , para denotar o período literal. Esta variação é mais significativa se aceitarmos o sistema de ano - dia, mas bastante inexplicável sobre o outro ponto de vista " 12

    6) As profecias de Daniel 7-8 e 10-12 levar até o "tempo do fim" ( 8:17; 11:35 , 40; 12:04 , 9), que é seguido pela ressurreição ( 12: 2) eo estabelecimento do reino eterno de Deus ( 7:27) . "No curso da história descrita nessas profecias que se estende desde o profeta no século VI aC até o nosso tempo e para além , períodos literais de apenas 3 fevereiro - 6 fevereiro anos, não são capazes de chegar a qualquer lugar perto este tempo final final. Portanto , estes períodos de tempo proféticos deve ser visto como simbólico e de pé por consideráveis ​​períodos mais longos de tempo real que se estendem até o fim dos tempos . " 13

    7) A medida só comumente usado de tempo não utilizado nas profecias de Daniel e Apocalipse é o ano . Dias , semanas e meses , são referidos , mas não a unidade de tempo " ano". A explicação mais óbvia é que o " ano " é a unidade simbolizado ao longo destes profecias.

    8) Há uma série de textos nas narrativas históricas do AT em ​​que "dias" significa "anos" ( Ex 13:10 , 1 Sam 2:19, 20:06 ; Juízes 11:40 etc.) Também nas porções poéticas das OT "dias" às vezes fica em paralelo com a palavra " ano " (Jó 10:5, 32:7 ; 36:11 , Sl 77:5 ; 90:9-10 ; etc ) . " Ambos os usos fornecer um fundo pronto para o tipo de pensamento que pode ser estendido para a aplicação quantitativa mais específica dessa relação em apocalíptico. " 14

    9) Em Números 14 e Ezequiel 4 Deus usou deliberadamente o dia para princípio de um ano como um dispositivo de ensino. "De acordo com o número de dias em que você espiado a terra , quarenta dias , por cada dia que você levará sua culpa um ano, ou seja, quarenta anos, e conhecereis a minha rejeição " (Números 14:34) . E, em uma parábola viva o profeta Ezequiel foi instruído a mentir 390 dias sobre o seu lado esquerdo e 40 dias sobre o seu lado direito , " eu coloquei em você um dia para cada ano " (Ezequiel 04:06 ) .

    10) Em Dan 9:24-27 a profecia de tempo das 70 semanas encontrou o seu cumprimento no tempo exato , se usar o princípio dia-ano para interpretá-lo . Muitos intérpretes, que em outros textos apocalípticos não usam o princípio do dia-ano , reconhecem que as 70 semanas são de fato " semanas de anos " , que vão desde o período persa da época de Cristo. Assim, o teste pragmático em Daniel 9 , confirma a validade do princípio dia-ano .

    4
    Referências a princípio dia-ano pode ser encontrada nos tempos intertestamentários em Qumran , bem como em outros escritos judaicos de que period.15 Assim, o método historicista de interpretação não é um Johnny -chegada na cena teológica , e não repousa sobre um fundamento bíblico e histórico sólido. E , apesar do que alguns podem reclamar , não é um método ultrapassado pertencente ao passado, mas um princípio válido de interpretar profecias apocalípticas hoje.

    Quando o princípio dia-ano é aplicado às profecias de tempo em Daniel 7 e 8 , um pré- julgamento Advent início em 1844 surge a partir do texto. No artigo de conclusão , vamos olhar especificamente a cena do juízo em Daniel 7 .

    ResponderExcluir

  29. Notas :


    1 . Walter R. Martin, Reino das Seitas , ( Grand Rapids: Zondervan, 1965) , 407.
    2 . D. Ford posteriormente publicou seu documento Glacier View como Daniel 8:14 O Dia da Expiação eo Juízo Investigativo ( Casselberry , Fl : Euangelion Press, 1980).
    3 . O conjunto de sete volumes está disponível a partir do Instituto de Pesquisa Bíblica da Conferência Geral , bem como de qualquer Book Center adventista.
    4 . WR Lesher e Frank B. Holbrook, ADaniel e Apocalipse Comissão : Relatório Final @ no Simpósio sobre o Apocalipse B Livro II, DARCOM , editado por Frank B. Holbrook, 7 vols ( Silver Spring , MD : Instituto de Pesquisa Bíblica , 1992 ), 7: 455 .
    5 . Dewey M. Beegle , Profecia e Previsões ( Ann Arbor : Pryor Pettengill , 1978 ), 90
    6 . William G. Johnsson, AConditionality em profecia bíblica com referência especial a Apocalyptic @ em 70 semanas , Levítico, Natureza da Profecia, DARCOM , editado por Frank B. Holbrook, 7 vols. (Washington , DC: Instituto de Pesquisa Bíblica , 1986), 3:278 .
    7 . Thomas R. Birks , primeiros elementos da Sagrada Profecia (London : William E. Painter , 1843) .
    8 . HG Guinness, a aproximação do fim dos tempos, visto à luz da História , Profecia, e da Ciência. 8th ed . (Londres : Hodder & Stoughton, 1882) .
    9 . Desmond Ford, Daniel ( Nashville , TN: . Southern Publishing Assoc, 1978) , 300-305 .
    10 . Em seu último comentário Daniel nega que as 70 semanas são cortadas a partir dos 2300 anos de Daniel 8 e acrescenta , ANeither posso considerar que o princípio dia-ano deve ser aplicado no estudo das profecias de Daniel , embora eu reconheça como uma ajuda providencial sobre longos séculos de Cristo = s @ atraso (D. Ford, Daniel eo rei Vinda, [ Newcastle , CA: Desmond Ford Publications, 1996 ] , 298) . .
    11 . Ver Ford, Daniel , 300-305 e William H. Shea, estudos selecionados na interpretação profética , Edição revista , DARCOM , 7 vols (Silver Spring, MD : Instituto de Pesquisa Bíblica , 1992) . , 1:67-104 .
    12 . Birks , 352 .
    13 . Shea, 73.
    14 . Ibid. 103 .
    15 . Veja Shea, 106-110 ....

    ResponderExcluir
  30. Esse caras querem segurar Jesus no primeiro compartimento, custe o que custar... pelo amor de Deus, fiquem com esse Jesus que o da Bíblia é diferente!

    ResponderExcluir
  31. Estimado irmão Evangelista Luciano
    Estamos e não abriremos mão, com a graça de Deus, do Deus Emanuel, o Deus encarnado, o Senhor Jesus, Rei dos reis e Senhor dos senhores.
    Respeitamos o arcanjo Miguel, responsável pelo povo Judeu, porém ele não é nosso Jesus. Ele não é o Deus, que servimos. 1Jo.5.20. Miguel é apenas um dos principes, ele é um anjo criado pelo Nosso Cristo, o Jesus da Bíblia. O Nosso rasgou o véu de alto a baixo. Glória ao Seu Santíssimo Nome.
    Teu conservo
    Wilton

    ResponderExcluir
  32. Amigo Luciano e demais participantes: acho que o ideal, é o foco da questão, que é comparar e analisar os escritos de EGW com as Escrituras:

    O CERTO QUE NASCEU DO ERRADO?
    A coisa já começou errada desde o início. A sra White sempre defendia o sr Miller com declarações como essas: “anjos de Deus repetidamente visitavam aquele escolhido, para guiar seu espírito a abrir à sua compreensão profecias...” “Deus encaminhou o seu servo escolhido,que, com clareza e no poder do espírito santo, desvendou as profecias...e outras partes da Bíblia.” “anjos de Deus acompanhavam G. Miller em sua missão.”(primeiros escritos)
    Agora, onde ela mais exaltou Miller foi nessa declaração, acompanhem: “Guilherme Miller possuía grandes dotes intelectuais, disciplinados pela meditação e estudo; e a estes acrescentava a sabedoria do Céu, pondo-se em ligação com a Fonte da sabedoria. Era um homem de verdadeiro valor, que inspirava respeito e estima onde quer que a integridade de caráter e a excelência moral fossem apreciadas. Unindo a verdadeira bondade de coração à humildade cristã e ao poder do domínio próprio, era atento e afável para com todos, pronto para ouvir as opiniões de outrem e pesar seus argumentos. Sem paixão ou excitação, aferia todas as teorias e doutrinas pela Palavra de Deus; e seu raciocínio sadio e o profundo conhecimento das Escrituras habilitavam-no a refutar o erro e desmascarar a falsidade.” (cristo em seu santuário pg 61).(grifos meus).

    Obs: ela disse que Miller aferia (conferia) todas as teorias e doutrinas PELA PALAVRA DE DEUS...será? e a Palavra de Deus advertindo para não fazer tal movimento de marcação de data, e que ele fez? Parece que esse homem conferiu todas as doutrinas e teorias pela Palavra de Deus, mas “esqueceu” de conferir a sua própria teoria ou doutrina!
    Bom, depois do desapontamento em 1844, pelo menos o sr Miller foi sincero, que admitiu o erro e voltou à sua igreja batista; ele disse: “Sobre o passado de minha vida pública, eu francamente reconheço meu desapontamento...Nós esperávamos a vinda pessoal de Cristo para aquela época,e,agora, argumentar que não estávamos enganados, é desonesto. Nós nunca deveríamos ficar envergonhados por confessar nossos erros. Não tenho confiança em nenhuma das novas teorias que surgiram fora do movimento,especialmente de que Cristo veio como Noivo,de que a porta da graça fechou,de que a sétima trombeta soou então, ou de que houve o cumprimento da profecia em algum sentido.” (história da mensagem do advento pg 410, 412- por *Matilda Ericsson Andross). (grifos meus).

    * (Matilda E. Andross nasceu em 10 fev. 1880 – faleceu em 09 fev. 1957. Adventista , Secretária - Departamento de Escola Sabatina).

    (continua...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - Com as afirmações do Sr Miller acima, questiona-se: Por que agora, a sra white não seguiu Miller? Não era ele quem tinha “sabedoria do Céu”, “raciocínio sadio”, “profundo conhecimento das escrituras”, que “refutavam erro” e “desmascaravam a falsidade”? cadê o “super-Miller” agora?

      Vejam, o Sr Miller admitiu o erro, mas neste ponto Ellen White não o seguiu. Depois, a sra White passa a narrar em seus livros, os erros de interpretação de Miller...notem como daí, ela muda o discurso. Observem, o próprio Miller, o criador do movimento, afirmou que foi um erro, e voltou para a igreja batista. Olhem só, parece que depois de tudo o que Miller fez de “correto” , os “anjos” o abandonaram e ele voltou para uma igreja “filha da grande prostituta”. Não é esquisito?

      Ela fez, e depois condenou: Aqueles pastores que se opunham a um tempo definido para volta de Cristo, a sra White os chamou de falsos pastores(primeiros escritos – pg 234), e quem citou a frase Bíblica: “ninguém sabe o dia nem a hora”, era hipócrita ou zombador(idem pg 233). ( Ou seja: quem seguiu Miller, estava certo, e quem seguiu a Bíblia, estava errado?)

      Mas, mais tarde, ela declara: “Não nos devemos absorver com especulações relativas aos tempos e estações que Deus não revelou. Jesus mandou que os discípulos "vigiassem", mas não por um tempo determinado. Seus seguidores devem estar na situação de quem espera as ordens do seu comandante; devem vigiar, esperar, orar e trabalhar à medida que se aproxima o tempo da vinda do Senhor; mas ninguém poderá predizer justamente quando chegará esse tempo, porque "daquele dia e hora ninguém sabe". Mat. 24:36. Não podereis dizer que Ele virá daqui a um ano, ou dois, ou cinco anos, nem deveis postergar a Sua vinda com declarar que não se dará antes de dez ou vinte anos. ... Não nos é dado saber o tempo definido, nem do derramamento do Espírito Santo, nem da vinda de Cristo”. (Review and Herald, 22 de março de 1892 - Evangelismo pg 221)

      Vejam que incrível : ela condenou um movimento de marcação de datas, usando passagens Bíblicas que lhe foram ditas no passado, quando ela seguiu Miller. Ela adverte contra, aquilo que ela mesma apoiou...!!! Sendo que na Bíblia isso já estava proibido pelo nosso Salvador! Quando ela seguiu, desobedecendo as palavras de Jesus, então era certo...?? só depois, ficou errado?? Então naquele tempo ou situação, a Palavra de Deus não tinha validade?

      Será que Miller, a sra White e outros ganharam uma autorização super especial vinda direta de Deus-Pai, para poderem passar por cima das palavras de Deus-Filho??? Não há respaldo Bíblico para isso! Isso parece mais um: “faça o que digo, mas não faça o que faço.” (continua...)

      Excluir
    2. O grande absurdo: a sra White disse que para a obra de Deus ser realizada, tinha de haver um movimento de marcação de data: “Sem a pregação de um tempo definido para a vinda de Cristo, a obra designada por Deus não teria sido cumprida." (primeiros escritos pg-246). Mas isso é totalmente contraditório com as Escrituras. Se Deus dá uma orientação clara: “ninguém sabe o dia” mas, ao mesmo tempo, “é preciso” um movimento que contrarie essas palavras, para que sua Obra seja realizada... então a palavra de Deus caiu por terra! Isso é contraditório, confuso e Deus não é de confusão (1 Cor 14:33).
      Desculpem, mas vou repetir o absurdo: quer dizer que para a obra de Deus ser cumprida, era necessário ir contra a palavra de Deus, contrariar e desobedecer a própria palavra de Deus??? Era preciso a pregação de um movimento de marcação de tempo definido para a volta de Cristo, coisa que é proibida pela própria Bíblia, para que a “obra de Deus” fosse cumprida????

      Talvez o amigo leitor não tenha percebido a gravidade dessas declarações da sra white. É como se ela dissesse: “sem desobedecer as palavras de Cristo, a obra de Deus não teria sido cumprida”! Essa declaração simplesmente denigre e cria descrença nas palavras de Jesus; e pior; abrem precedentes. Amanhã aparece um indivíduo alegando visões e dom de profecia, dizendo que certas pessoas devem ser odiadas, que em tal local ou situação não devamos amar uns aos outros...com o argumento de que é para uma “obra de Deus” ser realizada! ela criou um paradoxo Bíblico! ora, Amigos leitores, acreditamos nas palavras de Cristo, ou não? Ele disse que suas palavras, seus ensinamentos, suas orientações, suas advertências, eram para ser ouvidas, seguidas e que não passariam... e agora? Devemos então alegar: -“ Lamento Sr Jesus, mas algumas de suas palavras passaram em branco, (digo, em White)pois mesmo o Sr alertando não ter cabimento saber os temos e épocas exclusivas de Deus-Pai, como o Dia de sua volta, era preciso um grupo de pessoas ignorarem isso, para que a obra de Deus fosse realizada...” (é de ficar pasmo!!!!)

      Jesus também disse para não acreditar em falsos cristos e falsos profetas (Mat.24:23-27); mas então diríamos: “sentimos muito, Sr Jesus, mas se um grupo de fieis não lhe obedecer e não atentar para essas suas palavras, acreditando em falso cristo ou profeta, não podemos censurar-los, nem desencorajar-los, nem orientar-los, nem criticar-los, nem desacreditar-los, nem mesmo orar para que não façam tal coisa, pois vai que eles estão fazendo o que é preciso para que uma obra de Deus seja realizada, como aconteceu no caso do movimento dos Milleritas quando eles desobedeceram o Senhor, e a obra de Deus foi feita.” (este grupo então, poderia estar certo, e seriam obreiros, pois sua ação é necessária para a glória de uma Obra Celestial não?? Mas como estariam certos fazendo o que é errado?) ( o errado é o certo, e o certo é o errado? ?Que confusão.) as palavras de Cristo foram pelo ralo... (continua...)

      Excluir
    3. O feitiço vira contra a feiticeira:
      Ellen White disse que nunca mais haveria um movimento de marcação de datas, e que não nos é dado saber o tempo definido...mas será que os adventistas podem confiar nisso? Ora, se as advertências de Cristo na Bíblia deviam ser desobedecidas para obra de Deus ser feita, daqui a pouco aparece um suposto(a) profeta, dizendo que para certa obra de Deus ser realizada, é preciso ignorar esse e outros ensinamentos de Ellen White...será que os adventistas irão seguir-lo?

      Com tal argumento, diversas advertências Bíblicas podem ser “justificadas”; a Bíblia diz: “não faça tal”, mas vem um profeta e diz: “foi para a obra de Deus...” então, em quem acreditar? O que mais pode ser desobedecido ou ignorado nas palavras de Cristo, para que “obras de Deus” sejam realizadas? Se for assim, o Céu é o limite... aliás, desse jeito, NEM O CÉU é o limite!

      Uma obra de Deus sendo realizada através da invalidez da própria palavra de Deus?!

      É Deus atirando na própria cabeça!!! Se for assim... joguemos fora nossas Bíblias!

      E sobre o ponto principal do artigo; é só ler:

      Mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo;
      Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo,
      Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço;
      Consistindo somente em comidas, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção.
      Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.
      (Hebreus 9:1-12)

      O que se percebe nitidamente?
      O autor começa esse relato acima informando que no primeiro tabernáculo(lugar santo), a todo tempo entravam os sacerdotes! Deixou claro que no segundo, no lugar santíssimo, entrava só o sumo sacerdote, uma vez no ano e com sangue! Logo abaixo ele cita Jesus Cristo como sendo o sumo sacerdote dos bens futuros, que, com SEU PRÓPRIO SANGUE, entrou uma vez no santuário e EFETUOU eterna redenção!

      No comparativo ele se referia exclusivamente ao “dia da expiação”, (dia do perdão).(ver Levíticos capt. 16).
      isso é importante e deve ficar claro: o Sacrifício e Obra de Cristo foi comparada com a obra que era realizada UMA VEZ AO ANO (no Dia do Perdão), PELO SUMO SACERDOTE!

      Agora se pergunta: onde o sumo sacerdote entrava UMA VEZ AO ANO E COM SANGUE???? Era no pátio externo? No lugar santo? Ou era no lugar santíssimo???

      Se o sumo sacerdote do tabernáculo terrestre entrava uma única vez ao ano, com sangue de animais, no lugar santíssimo; onde é que Jesus Cristo entraria para oferecer seu Santo Sagrado Sangue? No lugar santo? Não dá para entender nem aceitar isso; se o sangue de touros e bodes o qual não tira pecados(Hb 10:4), era oferecido no lugar santíssimo, como entender que o Sangue de Jesus foi oferecido no lugar santo??? Não há como negar, essa Epístola Bíblica mostra claramente que Cristo realizou a Obra da Eterna Redenção no Santíssimo lugar.

      Lembrando que, foi escrito que Ele “entrou”, havendo “efetuado” (passado)uma Eterna Redenção! Nada, nada diz ou indica que Jesus “entrará” ou “efetuará”!

      E que Deus tenha Misericórdia de nós pecadores.
      Décio – um Aprendiz de Cristão.

      Excluir
  33. O Juízo B Fato ou Ficção Pré-Advento

    Parte II

    Gerhard Pfandl

    Instituto de Pesquisa Bíblica

    Adventistas do sétimo dia acreditam que o juízo em Daniel 7 é um pré-advento, o julgamento investigativo. Será que este conceito encontra suas raízes na Escritura ou é uma ficção adventista?

    O Conceito Juízo Investigativo na Bíblia

    Desde o início de Deus = s que lidam com os pecadores em Gênesis 3 um padrão de procedimento judicial emerge.

    Primeiro vem a investigação:? AWhere é você @ AWHO disse @ ahave você comeu da árvore @ (Gn 3:9-13)?. Na sequência desta investigação Deus anuncia o veredicto nos versículos 14-19. Encontramos uma abordagem divina similar em Deus = s que lidam com Caim (Gn 4:9, 10) e na sua manipulação de Sodoma e Gomorra. Mais de Gênesis 18 e 19 descreve Deus = s investigações e deliberações antes de seu ato punitivo. É significativo que o Novo Testamento projeta o julgamento sobre Sodoma e Gomorra como um Aexample, @ ou @ ATYPE de Deus = s julgamento no final (2 Pedro 2:6 e Judas 7).

    Nos escritos de Israel = s profetas, Israel ou as nações estão dispostas diante de Deus = s tribunal, uma investigação é feita, os fatos são apresentados, as testemunhas são chamados e, finalmente, um veredicto é pronunciado (por exemplo, Isa. 05:01 -7; 43:8-13; 22-28). A seqüência é sempre o mesmo: o pecado, a investigação e julgamento. 1

    O conceito de um pré-advento, investigação, julgamento aparece também no Novo Testamento. A parábola da festa de casamento em Mateus 22 é um excelente exemplo. AQuando o rei entrou para ver os convidados, viu ali um homem que não tinha em um vestido de casamento @ (Mt 22:11 NVI). Inspeção do rei dos convidados representa um processo de investigação. O resultado desta investigação determinou que os convidados poderiam permanecer e quem não podia. Neste sentido, é uma imagem do, juízo pré-advento investigativo no céu acontecendo agora.

    Outros textos do Novo Testamento que pressupõem um juízo pré-advento são João 5:28-29, onde João menciona uma ressurreição para a vida e uma ressurreição de condenação, e Apocalipse 20:4-6. A maioria dos exegetas bíblicos concordam que Apocalipse 20 ensina duas ressurreições literais dos mortos, separados por mil anos. Na medida em que apenas o "bem-aventurados e santos" vêm-se na primeira ressurreição, um julgamento prévio deve ter ocorrido para determinar quem vai participar na primeira ressurreição.

    ResponderExcluir


  34. O teólogo luterano Joseph A. Seiss reconheceu isso e escreveu, AThe ressurreição, e as mudanças que passam `num abrir e fechar de olhos" sobre os vivos, são eles mesmos os frutos e realizações de julgamento antecedente.

    Eles são as consequências de adjudicações então já realizados. Estritamente falando, os homens não são nem muito elevada nem traduzido, a fim de chegar a julgamento. Ressurreições e traduções são produtos de julgamento previamente passadas sobre os mortos como mortos, e sobre o rápido quanto
    2
    rápida. `Os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro", porque eles já estão apanhado em Cristo e os santos vivos são arrebatados juntamente com eles para as nuvens, porque eles já são julgados para ser santos e dignos de alcançar esse mundo. @ 2
    Em Apocalipse 14 a seara da terra (14-20) é precedido por O primeiro anjo = s mensagem, AFear Deus e dai-lhe glória, porque a hora de seu juízo. @ (Apocalipse 14:7 NTLH). A seqüência de eventos retratados neste capítulo indicam claramente que o juízo de que fala 14:07 precede a execução da sentença em Cristo = s segundo advento descrito nos versos 14-20. 3

    Assim, ao longo das Escrituras, encontramos o conceito de um juízo investigativo antes do Segundo Advento.


    O julgamento de Daniel 7


    Daniel 7 consiste essencialmente de uma visão, a sua interpretação eo profeta = s reação à visão. É moldado por um prólogo (vers. 1-2a) e um epílogo (versículo 28). A visão (versículos 2-14) retrata quatro animais, com o foco sobre o quarto animal, que tem dez chifres, daquele que surge outro chifre pequeno. Este pequeno chifre torna-se a principal oposição ao Amost alta @ e os santos no resto do capítulo.

    Enquanto as atividades do chifre pequeno continuar aqui na terra, Daniel = s se a atenção para uma cena do julgamento celestial (vs. 9-14), em que o chifre pequeno é condenado, os santos são vindicada, e domínio, glória e um reino são dadas para Aone como o Filho do Homem. @ 4

    A passagem juízo em Daniel 7:9-14 contém três cenas: (1) um julgamento no céu, nos versículos 9-10, (2) o fim do quarto animal, ou seja, o resultado do julgamento nos versículos 11-12; e (3) a recepção do reino por Filho do Homem (Cristo) nos versículos 13-14.

    É importante reconhecer que este julgamento está acontecendo enquanto o chifre pequeno é ativa sobre a terra.

    ResponderExcluir


  35. No final do versículo oito Daniel ouve as palavras Apompous @ do chifre pequeno. Em seguida, sua atenção é desviada para a cena do julgamento celestial (vs. 9-10). Mas, depois de descrever a cena do julgamento, Daniel = s atenção é novamente preso pelas grandes palavras que o chifre proferia. O texto diz que o tempo Aat, @ ou seja, enquanto ele estava vendo o veredito celeste, esta falando com grandes palavras ocorreu aqui na Terra.

    Tendo lidado com a ponta pequena e os animais, cujos domínios tinham sido levados, mas suas vidas foram prolongadas aqui na terra (vs 11-12), a visão retorna ao reino celestial e do triunfo final de Deus = s plano (vs. 13-14).


    O tempo do juízo


    Há três passagens em Daniel 7, que se referem especificamente ao julgamento. Estes são encontrados nos versos 9 B 14, 21, 22, e 26. Porque as ações do chifre pequeno se cruzam de forma clara e, por um tempo, pelo menos, coincidir com o julgamento celeste, esse julgamento não pode ser o julgamento final de Apocalipse 20. Pelo contrário, deve ser um julgamento preliminar acontecendo no céu antes do Segundo Advento, como adventistas do sétimo dia sempre ensinaram.

    Isto foi reconhecido por um número de comentadores não adventistas: O autor católico romano F. Düsterwald, por exemplo, escreveu: AWithout questão, o profeta
    3
    Daniel aqui descreve o julgamento de Deus sobre os poderes hostis. O julgamento termina com a condenação total dos impérios mundiais eo triunfo da causa de Deus. No entanto, o que é descrito aqui não é como muitos intérpretes mais velhos (Teodoreto e outros) assumiram o juízo geral do mundo, não é o julgamento de Deus aqui na terra, e não o lugar do julgamento está nos céus. O contexto indica, que é um julgamento preliminar que é posteriormente confirmado no julgamento geral do mundo @ 5

    O intérprete protestante T. Robinson viu este julgamento sentado durante o século 19, quando escreveu seu comentário sobre Daniel. Ele disse: AAs já observado, este não é o julgamento geral ao término do reinado de Cristo na terra, ou, como a frase é comumente entendido, o fim do mundo. Parece bastante para ser um julgamento invisível continuou dentro do véu e revelou por seus efeitos e da execução de sua sentença. Como ocasionada pelas> grandes palavras = do chifre pequeno e seguido pelo tirando do seu domínio, ele pode parecer ter já sab Como, porém, a sentença ainda não é por qualquer meio totalmente executado, ele pode estar sentado agora. @ 6
    Quem está sendo julgado?

    Neste julgamento livros de cena são abertos e estudados (v. 10). No Antigo Testamento, encontramos referências ao Abook dos vivos @ (por exemplo, o Salmo 69:28), o Abook de lembrança @ (por exemplo, Malaquias 3:16) ea Deus = s Abook @ (por exemplo, Êxodo 32:32 , Salmo 56:8).

    ResponderExcluir
  36. O mesmo pensamento ocorre na literatura do judaísmo mais tarde e no Novo Testamento (por exemplo, 1 Enoque 47:3, Filipenses 4:03, Apocalipse 3:5; 20:12; 21:27). A questão importante é, que está sendo julgado a partir desses livros? A partir do contexto, concluímos que esse julgamento inclui:

    1. Deus = s pessoas. Porque Aa julgamento foi feito em favor dos santos do Altíssimo @ (7:22 NTLH), eles devem ser de alguma forma o tema do presente acórdão. Este fato não é reconhecido fora da Igreja Adventista do Sétimo Dia, embora isso não deveria nos surpreender. Porque a maioria dos cristãos acreditam na imortalidade da alma, eles acreditam que uma pessoa = s estado futuro é decidido no momento em que ele ou ela morre. Um juízo pré-advento, pois, em que a decisão final é processado para saber se uma pessoa é salva ou não, não faz sentido para eles. Eles vêem os mortos já no céu ou no inferno (ou purgatório para os católicos romanos). Por isso, os cristãos, em geral, não têm espaço para um julgamento pré-advento, embora o contexto em Daniel 7 exige claramente isso.

    2. O chifre pequeno. O contexto da cena do julgamento refere-se várias vezes para o pequeno chifre (vs. 8 e 11). O julgamento, portanto, deve de alguma forma envolvem também o chifre pequeno. Evidência contextual AInternal sugere que os santos e do chifre pequeno dividir igualmente no julgamento veredicto pré-advento @ 7 - os santos, no sentido de que eles recebam o reino (v.27) eo pequeno chifre nesse domínio é tirado lo. Assim, a defesa dos santos (V.22) implica a condenação do chifre pequeno.


    O Objetivo do Pré-Julgamento advento


    O objetivo principal para a investigação juízo pré-advento é a confirmação final da salvação e vindicação de Deus = s pessoas (7:22). AA partir vez em quando alguns desses santos ter sido julgado culpado de vários crimes por tribunais terrestres, quando, na verdade, eles estavam servindo a Deus e homem fiel. No juízo pré-advento
    4
    essas sentenças injustas por tribunais terrestres serão revertidos pelos tribunais do céu. Desta forma, Deus vai vindicar seus santos @ 8

    Além da reivindicação dos santos ea condenação do chifre pequeno, o juízo pré-advento também vindica Deus justiça em Seu trato com a humanidade. Quando os seres não caídos no universo examinar os registros dos santos durante o juízo pré-advento, eles vão chegar à conclusão de que, de fato Deus tem sido justo e misericordioso em cada caso. Desta forma, o caráter de Deus, que tem estado no centro do grande conflito entre Cristo e Satanás será justificada.


    ResponderExcluir



  37. Conclusão


    Em conclusão, nosso estudo confirma que Daniel 7 retrata um julgamento antes do Segundo Advento. Este julgamento diz respeito tanto Deus = s pessoas eo chifre pequeno. Enquanto o tirano mal sofre extinção, Deus = s pessoas, experimentar a Sua justiça poupança e receber a vida eterna. Além disso, através deste processo de julgamento o próprio Deus é vindicado perante o Universo. Na segunda adventos de Jesus, quando as recompensas são concedidos, apenas aqueles que têm mantido uma relação viva com o seu Salvador e cujos nomes permanecem inscritos no livro da vida se tornam participantes do reino eterno.


    Notas:


    1. Para outros exemplos de julgamentos de investigação no AT ver, William H. Shea, estudos selecionados na interpretação profética, Edição revista, DARCOM (Silver Spring, MD: Instituto de Pesquisa Bíblica, 1992)., 1-29; Eric Livingston, AInvestigative Juízo BA bíblico Concept, @ Ministério (Abril de 1992): 12-14;
    2. JA Seiss, The Apocalypse (reimpressão, Grand Rapids, MI: Zondervan, 1973), p. 136. ATENÇÃO: ESTE É uma edição diferente do livro. PORTANTO, eu mudei a nota de rodapé.
    3. Outros exemplos são encontrados em Samuel Bacchiocchi, AThe pré-advento do Juízo Final, no Novo Testamento, @ Adventistas Reafirmam (Outono 1994), 37-44.
    4. No que diz respeito à identidade do ASON de Man @ ver Arthur J. Ferch, o Filho do homem em Daniel Seven, Andrews University Seminário Tese de Doutorado Series vol. 7 (Berrien Springs, MI: Andrews University Press, 1979).
    5. F. Düsterwald, Die Weltreiche und das Gottesreich (Freiburg: Herder = sche Verlagsbuch-Handlung, 1890), 177.
    6. T. Robinson, Daniel, Homilética Commentary, vol. 19 (New York: Funk e Wagnalls, 1892), 139 [ATENÇÃO A CORREÇÃO DA PÁGINA]. Da mesma forma, SP Tregelles, Observações sobre as visões proféticas no Livro de Daniel, 8 ª edição (Chelmsford: O Testemunho Sovereign Grace Advento, nd), 36-38.
    7. Norman Gulley, Cristo está vindo! (Hagerstown, MD: Review and Herald, 1998), 413. Veja também Arthur J. Ferch, A Os pré-advento JudgmentBis ele bíblicas @ Australasian Record (28 de agosto de 1982): 5-7.
    8. William H. Shea, ateológico Importância da Preadvent Julgamento @ em 70 semanas, Levítico, Natureza da Profecia, ed. Frank B. Holbrook (Washington, DC: Instituto de Pesquisa Bíblica, 1986), 328....

    ResponderExcluir
  38. Vamos gente Refute, não fiquem com conversa afiada::

    Luciano Cena, Paulo Cadi, Décio, Wilton, Vamos, leiam o que Publiquei, Primeira e Segunda Parte........

    Aguardando Respostas ....

    Em Cristo .................

    ResponderExcluir
  39. Já está soltando foguete? Ôba! Vai ter churrasco? Ôba!

    Em primeiro lugar não posso refutar algo que não entendo, e seu texto está ININTELÍGIVEL. Nem o grande linguista Strong vai conseguir entender isso aí.

    Eu quero que você responda isto:

    Já que os adventistas acreditam que no ano 33 A.D. em sua ascenção, o Senhor Jesus adentrou o lugar santo do santuário celestial, e somente em 22 de outubro de 1844 passou para o lugar santíssimo (de acordo com White), me mostre no livro de Hebreus um texto onde aparece Jesus passando para o lugar santíssimo.

    Qual o texto no livro de Hebreus que mostra Jesus saindo do lugar santo para o santíssimo, já que tem de aparecer senão a obra de expiação fica incompleta com o livro mencionando Jesus apenas no lugar santo.

    Portanto RESPONDA.

    ResponderExcluir
  40. Leia o texto que você traduziu? ou botou no Google Tradutor que é uma PORCARIA.

    Seu texto está ININTELÍGIVEL. Refaça-o.

    Leia o seu texto e se conseguir entender me explique o que está lá.

    Já vi que você NÃO SABE A RESPOSTA PARA A MINHA PERGUNTA.

    ResponderExcluir
  41. Sétimo Dia, a doutrina Adventista de 1844 não tem crédito algum. Se vc sentar tomando um guaraná com uma Testemunha de Jeová e conversar sobre a presença de Cristo em 1914, perceberá que compartilham de mitos semelhantes, apenas com endereço, (datas) diferentes...

    ResponderExcluir
  42. Foi nesta porcaria mesmo que traduzi o texto..

    Dá pra entender sim, já li, reli e entendo tudo !!!!!!

    Caso o irmão Cadi não saiba a resposta, seja sincero, confesse que não sabe, ou pelo menos irá analisa-lo ....

    Pra Você Sena, fica a mesma dica ......

    ou se vc sabe o Inglês perfeitamente ou tenha um Site que possa traduzir melhor, faça-o , lhe deixo o Site ...


    https://adventistbiblicalresearch.org/

    ResponderExcluir
  43. Você afirmou que entendeu toda a explicação que este sr. Gehard Pfandel fez de Daniel 7.

    Ele não trouxe nada de novo, apenas reitera as explicações já dadas por outros teologos adventistas, que baseados nas visões de White pretendem que o referido capítulo de Daniel 7 mostra um juízo pré-advento do povo de Deus.

    Esta teoria e facilmente refutada quando comparamos Daniel 7:9-10, (que não vou citar mas os interessados podem abrir suas Bíblias que será muito melhor ler direto e pessoalmente do livro), com Ap.20-11-15, que é o único lugar das Escrituras, além de Daniel 7:9-10, onde abrem-se os livros PARA JUÍZO.

    No capítulo 7:13-14 de Daniel um como o Filho do homem vem nas nuvens do céu sendo levado ao Ancião de Dias, não por ser velho, mas simbolo de eternidade e santidade.

    Este evento não pode ter ocorrido na ascensão do Senhor Jesus no ano 33 A.D.
    já que ali iniciou-se a intercessão pelos crentes, não podendo haver Juízo.

    1Co.15:24-28 afirma que só haverá julgamento quando todos os inimigos de Cristo forem subjugados, inclusive a morte, o que não ocorreu em 22 de outubro de 1844, alías nesta ano não ocorreu NADA a não ser eventos de interesses seculares.

    2Tm.4:1 afirma que o julgamento se dará na segunda vinda de Cristo e não antes, assim como demonstra Mateus 25:31:46.

    O Senhor Jesus ensinou que o Julgamento se dará no ÚLTIMO DIA, Jo.6:39-40.

    Quando ele descer para julgamento, os crentes serão separados para encontrá-lo nos ares e não passarão pelo juízo, mas irão ao tribunal de Cristo para que recebam ou não o galardão pelas suas obras no evangelho.

    As escrituras portanto não ensinam um julgamento do povo de Deus antes da vinda de Cristo, o que é incompatível com João 5:24 e com o fenômeno do novo nascimento, já que o crente está assentado nos lugares celestiais em Cristo Jesus. Efésios 2:6.

    A vinda do Filho do homem que Daniel presenciou em Dn.7:13, onde diz, "...e eis que vinha nas nuvens do céu um como o Filho do homem...", não é ao céu MAS A TERRA.

    Jesus quando subiu nas nuvens e assentou-se à destra de Deus NÃO FOI PARA JUÍZO como é o texto de Daniel 7.

    Não pode ser a passagem para o lugar santíssimo em 22 de Outubro de 1844, porque além de contradizer TODOS OS TEXTOS do novo testamento que afirmam que o Senhor assentou-se à destra do Pai, o texto afirma que ele foi levado ao Ancião de Dias para receber "o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem." Dn.7:14. Isto é o cumprimento do sonho de Nabucodonosor, Dn.2 e Ap.11:15-19.

    Nas Escrituras o juízo está sempre relacionado a vinda do Senhor, não antes, porque segundo 1Jo.2:1 ele é a nossa propiciação, fazendo a cobertura de nossos pecados com seu sangue, ao contrario da teoria adventista onde os pecados dos crentes estão registrados no céu.

    ResponderExcluir
  44. Cadi, não perca seu tempo com os desesperados apologistas do erro adventista. Os pobres, cegos e nus continuarão a enviar textos, esbravejar, caçoar e escrever com erros de português, pela eternidade, à exaustão e não verão a luz! Precisam defender sua posição para fazer valer o investimento de toda uma vida em "estudos", tempo, dinheiro, família ou pelos mais variados interesses, mesmo que, no fundo de suas almas, tenham ciência de que tudo não passa de um engano; engano esse forjado e incutido para manter sob expectativa e medo os prosélitos. Porquê estará confrontando uma grande máquina de fazer dinheiro; muito dinheiro.
    O balanço geral (OFICIAL) da IASD no ano de 2011, SOMENTE no quesito dízimos, ultrapassou a casa dos 3,5 bilhões de dólares. Valor superior aos PIB's de um terço dos países do mundo. Essa máquina não está interessada na doce mensagem de Cristo mas na manutenção de uma grande empresa com viés religioso e na ampliação da arrecadação astronômica que a movimenta. "Não há nada de novo debaixo do sol"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este homem perfeito na Língua portuguesa chamado Pelé (deve ser o Pelé da Apologética) kkkkkkkkk

      Me mostre uma Igreja que todo ano distribui GRATUITAMENTE qualquer tipo literatura Cristã em todo O MUNDO ????

      Só America do Sul EM 2012 foram distribuído mais de 25 MILHÕES DE livros, NA MINHA concepção tudo isso tem GASTOS ...

      Sim, você disse que o balanço Geral em 2011 foram mais de 7 Bilhões de reais, só lamento que os vossos membros não seja fies nos Dízimos.. KKKKK OU VOCÊS ROUBAM A DEUS ??

      E isso nos mostra que o povo Adventista é um povo FIEL A SEU DEUS EM TUDO .....


      Saudações Peli, ou, é o Pelé da Apologética kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  45. Cadi,

    Você me garantiu que o Juízo só será quando o Senhor Jesus voltar nas nuvens do céu !!

    O QUE ME DIZER ENTÃO, POR QUE A TEOLOGIA PROTESTANTE EM GERAL NOS GARANTE QUE QUANDO UM SERVO FIEL DE JESUS MORRI, IMEDIATAMENTE VAI GOZAR DAS DELICIAS DO CÉU E DAS AGONIAS DO FOGO DO INFERNO SE O JUÍZO NÃO VEIO ????? COM CERTEZA HOUVE UM JUÍZO PARA TAL PESSOA, PARA ELE IR PRO CÉU OU O SUPOSTO INFERNO !!!


    Vocês meti o pau na Doutrina Adventista do Juízo Investigativo, se ao mesmo tempo precisam (mesmo sem saber que precisam de um Juízo Investigativo) dela pra sustentar a tal "Imortalidade da Alma" ou Partida Logo depois que Morri pro Céu Ou Inferno !!!

    Só lamento o Fanatismo de vocês !!!!!!!

    ResponderExcluir
  46. Sim, o Doutor Gehard Pfandel, só citou a Bíblia e Teólogos Protestante para embasar a doutrina Adventista na Bíblia, eu creio que você não seja sego, ou deve estar com aquele Travessão que o Senhor JESUS nos fala !

    Cabe a você refutar cada ponto que ele explanou !!!!!

    Ou nos dar um estudo completo de Daniel 7, 8 e 9...

    Em Cristo ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lhe respondi sua pergunta. Vocês são incrédulos e só pensam em "estudos", assim como os jeovístas.

      Lhe citei da palavra e você não creu, portanto é um incrédulo. Este espaço democrático ( não como aquela porcaria do forum da Novo Tempo), é um blog.

      Portanto é lugar para se fazer comentários muito longos em forma de estudos bíblicos, o que levaria um tempo considerável e o contraponto seria difícil de se fazer por causa do volume de informações que entrariam inclusive SUPERFLUÍDADES o que é muito comum em textos muito extensos.

      Então defenda suas teorias e cite as escrituras para provar o que afirma.

      Excluir
    2. Errata: No parágrafo 3, onde diz: 'Portanto é lugar', ler 'Portanto NÃO é lugar'.

      Excluir
    3. "Ou nos dar um estudo completo de Daniel 7, 8 e 9..."

      Estou esperando tal estudo à meses. Creio que deste mato não sai coelho.

      Excluir
  47. Não entendi o que você falou.

    É melhor se explicar melhor.

    A doutrina do inferno, ou hades é estritamente bíblica e posso lhe demonstrar a diferença entre sepultura e inferno.

    Está doutrina a respeito do inferno NADA tem a ver com a teoria do "juízo investigativo", já que os salvos NÃO entram em juízo pois quando creram em Jesus Cristo para a salvação, pela fé MORRERAM COM ELE NA CRUZ E RESSUCITARAM COM ELE AO TERCEIRO DIA NO DOMINGO DA PÁSCOA, NAS PRÍMICIAS, não podendo ir a julgamento. O pecado dos crentes já foi julgado em Jesus na cruz do Calvário.

    No Dia do Julgamento quando o Senhor descer dos céus espirituais, os salvos mortos ressucitados e vivos serão separados do resto para ir encontrá-lo nos ares, e depois NÃO IRÃO AO CÉU, mas O acompanharão em sua descida para julgar o mundo, sendo suas testemunhas.

    Isto é a Sã Doutrina da Bíblia.

    Fanatismo foi aquele movimento de William Miller que desencaminhou milhares de pessoas, e dando com os burros na água, pois não aconteceu NADA.

    Até a data 22 de Outubro estava errad, pois os Judeus celebraram o Yom Kippur, Dia do Perdão, no dia 23 de Setembro e não 22 de Outubro de 1844.

    Isto já foi mais do que refutado.

    ResponderExcluir
  48. Você chama A DOUTRINA DE PLATÃO DE SÃ DOUTRINA ??? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Então me mostre a doutrina de Platão na Bíblia !!!!!

    Quuero ver o seu ponto de vista Biblicamente falando,

    Já vi o do Wilson, não me mostrou nada novo !!!

    quem sabe você me liberte desta "Seita" pelo o poder do Espírito Santo !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Sétimo Dia
      Deus te ilumine
      Se basearmos meus comentários ao senhor nos textos, que tem como base o Novo Testamento, realmente não te mostramos nada de novo, pois o Senhor Jesus nos ensinou esta doutrina sobre o Geena e o estado intermediário há mais de 2.000 ( dois mil) anos atrás.
      E a falta de revelação e entendimento por sua parte, provém do amado do Senhor, não abrir o coração para as verdades reveladas nas Escrituras, pois só tens uma formula de estudá-la, baseando-te nos livros em interpretações da sra. White, que não tinha convicção de sua salvação eterna e se continuares a seguir seus passos continuarás no mesmo caminho, com esta incerteza.
      Queremos ajudá-lo a entender pelas Escrituras que isto é possível, aceitando o evangelho, TÃO SOMENTE PELA GRAÇA. Ef.2.8-9. O versículo 10, como já te expliquei, e você não pode perceber, é uma consequência a salvação é o VAGÃO e não a LOCOMOTIVA, que é a Fé, a Graça de Deus.
      Nossa oração é que á luz de Deus brilhe em teu coração.
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  49. Primeiro responda aquela perguntinha que eu lhe fiz, que agora vou repetir:

    Segundo a teoria do "juízo investigativo", no dia 22 de outubro de 1844, após 18 séculos confiado no lugar santo (já que se Jesus podia passar para o santíssimo quando bem entendesse, a teoria do juízo investigativo automaticamente se auto-destrói), Cristo passou para o lugar santíssimol.

    Me mostre no livro de Hebreus, (já que White afirma que Cristo entrou no lugar santo), onde aprece Jesus passando para o lugar santíssimo. Tem de estar lá, porque senão a revelação de livro de hebeus está imcompleta e capenga.

    Então mostre o texto no livro de Hebreus em que Cristo passa então para o santíssimo lugar.

    ResponderExcluir
  50. QUAL O LUGAR DO LIVRO DE HEBREUS MOSTRA JESUS SAÍNDO DO LUGAR SANTO E ENTRANDO NO SANTÍSSIMO?

    ResponderExcluir
  51. Primeiro a treplica ou réplica que eu pedi, do primeiro e segundo post..

    Se eu perguntei primeiro, eu mereço receber primeiro a minha resposta !!!!! Justo não ???

    ResponderExcluir
  52. Em primeiro lugar não espero que você reponda a minha pergunta porque você não vai saber responder. Disso, já sei.

    Então vou lhe poupar de responder bobagem.

    Na questão do inferno, vejo que mencionou o nome do irmão Wilton.

    Faça a sua pergunta, mas não peça para refutar textos extensos, pois já expliquei o motivo.

    Faça sua objeções e cite as respectivas passagens biblicas ou algum comentário teológico, mas não estes textos longos, que só vai dificultar as intervenções.

    ResponderExcluir
  53. Então vamos estudar sobre o tormente eterno:

    Existe o “inferno” de fogo?
    A doutrina que ensina a existência de um “inferno de fogo” tem preocupado muitas pessoas de todas as eras. Pensadores têm rejeitado o cristianismo por causa de tal crença; jovens têm abandonado a religião, pois pensam: “não posso crer em um Deus que, para demonstrar Sua justiça, tenha de atormentar eternamente a alma de alguém no fogo; Ele não pode existir…”. Tudo isso poderia ser evitado, caso fosse feito um estudo correto, sincero e fiel da Bíblia e se fossem usadas devidamente as regras de interpretação do verso bíblico antes de tirar uma conclusão definitiva – uma dessas regras de estudo da Bíblia é: levar em conta todos os textos das Escrituras que tratam do mesmo assunto (Isaías 28:10).

    ResponderExcluir
  54. Antes Precisamos analisar três pontos ::

    O que é o “inferno” de acordo com o ensino bíblico;

    Qual o correto significado de alguns dos textos que mencionam a palavra “inferno”;

    O “inferno” de fogo existe hoje ou existirá em um futuro e por quanto tempo;

    Antes disso, é importante destacar o que a Bíblia ensina sobre o estado do homem na morte.

    ResponderExcluir
  55. O que é a morte..

    Jesus criou todas as coisas com Deus o Pai e o Espírito Santo (João 1:1-3; Gênesis 1:2; Jó 33:4). O Salvador sempre existiu: “Ele é a imagem do Deus invisível o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio Dele e para Ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste[1].” Colossenses 1:15-17. Pelo fato de Jesus ter participado da criação de todas as coisas, é óbvio que Ele sabe melhor que qualquer um o que acontece com o ser humano na morte. Vejamos o que Ele diz:
    “Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Jesus, porém, falara com respeito á morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado do repouso do sono. Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu…” João 11:11-14, grifos meus.
    Aqui vemos que depois de ficar doente, Lázaro morreu. E o que Jesus disse a respeito da morte do Seu amigo íntimo? Afirmou aos discípulos que Lázaro estava dormindo! Não devemos duvidar do Senhor. Não é por acaso que a Bíblia compara a morte a um sono em torno de 53 vezes.
    O Antigo Testamento, que também é da autoria do Espírito Santo (2 Timóteo 3:16), declara que quando alguém morre, está num estado de total inconsciência: “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem “coisa nenhuma”, nem tampouco terão eles recompensa, pois sua memória está entregue ao esquecimento. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram: para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol.” Eclesiastes 9:5,6. Ver também o Salmo 6:5; 88:10-12; 115:17; 146:3,4; Isaías 38: 18,19, etc.
    E, o próprio Cristo disse que a ressurreição (momento em que os justos mortos tornarão a viver) será no último dia, quando Ele voltar (João 6:40).
    Porém, como harmonizar esses versos com aqueles que mencionam o “tormento eterno?”
    Primeiramente devemos fazer uso da seguinte premissa: Sendo que o Espírito Santo, autor da Bíblia, é perfeito, Ele não pode se contradizer. Não irá dizer em uma parte da Escritura que na morte a pessoa está em total inconsciência e em outra afirmar que os ímpios sofrerão eternamente na segunda morte. Portanto, se há uma aparente contradição, não é culpa de Deus, e sim dos seres humanos, cuja capacidade de interpretação das Escrituras foi limitada por causa do pecado. Outro fator que leva-nos a encontrar “contradições” na Bíblia é o fato de não a estudarmos profundamente.
    Estudaremos os principais textos que falam do “inferno” e do “castigo eterno” no contexto deles. Antes, convém estudarmos o significado dos termos hebraicos e gregos traduzidos erradamente[2] por “inferno”. O professor de Teologia Pedro Apolinário, em seu livro Explicação de Textos Difíceis da Bíblia, págs. 135 a 142, nos apresenta o estudo a seguir (foram feitas pequenas adaptações):

    ResponderExcluir
  56. vou comer agora, mais tarde quando eu retorna do trabalho, darei a minha continuação ao estudo ...

    Já escrevi de mais, deixo que você Cadi comente a respeito destes textos..

    As perguntas surgiram com desenrolar da nossa conversa !!!!!

    Boa Tarde... Em Cristo !!!

    ResponderExcluir
  57. Bem, antes que você continue o seu comentário (ainda que o assunto está fugindo inteiramente da postagem), você afirmou em seu comentário de 18/02/2014, as 11:57: "Primeiramente devemos fazer uso da seguinte premissa, sendo que o Espírito Santo, autor da Bíblia, é perfeito, ELE NÃO PODE SE CONTRADIZER." (ênfase minha).

    Me responda: O Espírito Santo se contradisse quando em 1Samuel, 28, trocou os nomes, ou seja, em vez de dizer Satanás, se confundiu e disse SAMUEL? 1Sm.28:12: "...vendo a mulher a SAMUEL..." Esta passagem afirma que a mulher VIU A SAMUEL; no verso 14: "...Entendendo Saul que era SAMUEL..."; verso 15: "SAMUEL disse a Saul..."; Verso 16:"Então disse Samuel; v.20: "E imediatamente Saul caiu estendido por terra, e grandemente temeu por causa daquelas palavras de SAMUEL."

    Se você acredita na inspiração das Escrituras, como é que Deus pode se contradizer tanto assim repetindo o nome errado, quando na verdade deveria ter dito Satanás?

    Se Trata-se de Satanás, você não acha que deveria haver uma modificação no texto de 1Sm.28? Onde está escrito Samuel, retira-se e insere-se a palavra Satanás. Afinal não era Samuel mesmo e também não iria mais confundir o leitor pensando que era Samuel. O que você acha?

    Na história, para alguns parábola, do Rico e Lázaro, porque o Rico pede que avise aos seus, para que eles creiam na palavra e não venham para "aquele lugar de tormento", já que os mortos estão inconscientes? Lc.16:27-28.

    Porque Jesus iria se utilizar de um ensinamento falso e não foi direto ao ponto afirmando a inconsciência na morte?

    A morte é comparada a um sono, porque aos olhos dos vivos, o defunto parece estar dormindo. Sono não é sinal de inconsciência, pois as pessoas sonham e tem pesadelos durante o sono.

    O Rico estava tendo seu pesadelo, mas era REAL.

    Existe uma grande diferença entre SHEOL, mundo invisível e QEBER, sepultura individual onde ficam os cadáveres.

    Depois que você responder as minhas perguntas, lhe mostro a diferença entre ambos os lugares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Dia A Todos que participam deste Blog !!!

      Cadi,,

      Esta sua pergunta é Imatura !!!!

      Todos nós sabemos que a Bíblia ela é de Autoria Humana e Divina !!!!!

      O escritor do Livro de Samuel Só relatou o que aconteceu, como estar descrito na Bíblia !!!

      O por que do Espírito Santo não revelar na quele momento que era o Diabo, não me pergunte que eu não sei !!!!

      Mas de uma coisa eu sei, Que mais adiante da história, Deus nos revela que um dos principais motivos da desobediência de Saul foi consultar a Médium, e nos mostra que Deus reprovou tal atitude Saul..

      E no Livro de Levítico todos nós sabemos que uma das leis era não consultar os Necromantes etc......

      Então não havia perigo do povo consultar "Inocentemente" a Médium, sabendo eles que Deus não aprovava tal comportamento !!!

      Não sei se concorda comigo, esse é o meu pensamento !!!

      Para aqueles que acreditam Na Inerrância 100%

      Todos nós sabemos que é a Terra que gira em torno do Sol.

      Como você me explica, Josué 10: 12 e 13
      Sol, Lua pararam ???? Se eles não giram !!!

      A Inerrância explica Isso ???

      A Bíblia diz que a lebre Rumina só que todos nós sabemos que ela não Rumina..

      Eu Posso afirmar e não estar errado, o seguinte::

      O Paulo Cadi Rumina !!!!!!! Estou certo ou errado com essa minha afirmação ???

      Excluir
    2. Vamos analisar:

      1o: quais as palavras hebraicas e gregas que foram impropriamente traduzidas por inferno;

      2o: o que significam estas palavras na língua original;

      3o: as dificuldades em bem traduzi-las.

      A doutrina de um inferno para tormento eterno é de origem pagã, foi aceita pela igreja dominante, nos séculos escuros da Idade Média, para intimidar os pagãos a aceitar as crenças católicas.

      Análise das palavras erradamente traduzidas por inferno:

      Sheol

      Esse vocábulo aparece 62 vezes no Velho Testamento
      .
      Sheol era o lugar para onde iam os mortos, por isso é sinônimo de sepultura, ou lugar de silêncio dos mortos.

      Sheol nunca teve em hebraico a ideia de lugar de suplício para os mortos.

      Sendo difícil traduzir o termo porque nenhuma palavra em português dá a exata ideia do significado original, o melhor é mantê-lo transliterado como fazem muitas traduções. A tradução brasileira não traduz nenhuma vez.

      Experimente traduzir sheol por inferno nestas duas passagens: Gênesis 42:38 e Jonas 2:1-2.

      Excluir
    3. Hades
      É usada apenas 10 vezes no Novo Testamento: Mateus 11:23; 16:18; Lucas 16:23; Atos 2: 27,31; Apocalipse 1:18; 6:8; 20:13,14 (1 Coríntios 15:55).
      Sobre o emprego dessa palavra em 1 Coríntios 15:55, Edílson Valiante em uma Monografia sobre a palavra Hades, pág. 27 (1978), declarou:
      “A passagem de Paulo de 1 Coríntios 15:55 apresenta um problema de crítica textual. Na leitura feita na Septuaginta, encontramos também nesse verso a palavra Hades, no vocativo. As traduções mais antigas da Bíblia, antes das descobertas do século XIX para cá, traziam a palavra “inferno” como sendo tradução de hades.
      “Com estudos feitos na área da crítica textual, valendo-se das importantíssimas descobertas de Tishendorf, verificou-se que a palavra usada não era Hades, mas a palavra yanatov (morte). Este estudo foi baseado nos mais fidedignos manuscritos descobertos até hoje.
      “Com tudo isso ficou claro que Paulo não usou nenhuma vez o termo hades em seus escritos, provavelmente para não confundir com os conceitos deturpados do hades que existiam em sua época. Outra razão é dada por Edwards, dizendo que Paulo, escrevendo em grego, procurava fugir do mau agouro que acompanhava a palavra e causava terror ao povo; cita Platão para reafirmar sua ideia: “O povo em geral usava a palavra Pluto como eufemismo do hades, com seus temores de levá-los para as partes errôneas do invisível”. É certo, também, que Paulo não usou nenhuma vez a expressão Pluto, mas subentendendo o conceitualismo bíblico, em Romanos 10:7 usa o termo abismo”.
      Edílson conclui suas ponderações declarando: “Além de todas essas razões, Nichol, em seu Answers to Objections diz:
      “Nós concluímos que também em 1 Coríntios 15:55, onde a palavra sepultura é uma tradução de Hades, descreve que sobre o tal os justos serão finalmente vitoriosos na ressurreição. Incidentalmente, 1Cor. 15:55 é uma citação do Velho Testamento (Oséias 13:14), onde encontramos a palavra sheol aplicada”. – F. Nichol. Answers to Objections, pág. 366.
      Nas melhores traduções da Bíblia, inclusive na versão Almeida Revista e atualizada, o termo inferno já foi substituído por morte.
      A palavra “Hades” no Novo Testamento corresponde exatamente à palavra “Sheol” do Velho Testamento. No Salmo 16:10 Davi disse: “Pois não deixarás a minha alma no Sheol…”.
      Pedro, usando esta passagem profética do Velho Testamento afirmou em Atos 2:27: “Porque não deixará a minha alma no hades…”.
      Outra prova da sua exata correspondência se encontra na tradução da Septuaginta, pois das 62 vezes que Sheol é usada no Velho Testamento, 61 vezes foi traduzida por hades.
      Origem do termo Hades
      Provém do prefixo a – alfa, primeira letra do alfabeto grego, com a ideia de negação, privação e do verbo idein = ver, significando então: o que não é visto, lugar de onde não se vê, por isso é sinônimo de sepultura, habitação dos mortos.
      Os gregos dividiam o Hades em duas partes, (posteriormente falavam até em quatro): o Elysium – a habitação dos vitoriosos e o Tártarus – a habitação dos ímpios.
      Essa ideia de divisões e subdivisões do Hades é totalmente pagã sem nenhum apoio bíblico.

      Excluir
    4. Geena

      Palavra hebraica transliterada para o grego geena, que se encontra nas seguintes 12 passagens: Mateus 5: 22, 29, 30; 10:28; 18:9; 23:15, 33; Marcos 9:43, 45, 47; Lucas 12:2; Tiago 3:6.

      Geena vem do vocábulo hebraico Ge Hinom ou Gé Ben Hinom – Vale de Hinom ou Vale do filho de Hinom. Nesse vale havia uma elevação denominada Tofete, onde ímpios queimavam seus próprios filhos.

      Esse vale se situava ao sudoeste de Jerusalém; nesse local, antes da conquista de Canaã pelos filhos de Israel, cananitas ofereciam sacrifícios humanos ao deus Moloque.

      Terminados os sacrifícios humanos, o local ficou reservado para depósito do lixo proveniente da cidade de Jerusalém. Juntamente com o lixo vinham cadáveres de mendigos encontrados mortos na rua ou de criminosos e ladrões mortos quando cometiam delito. Esses corpos, às vezes, eram atirados onde não havia fogo, aparecendo os vermes que lhes devoravam as entranhas num espetáculo dantesco e aterrador. É a esse quadro que Isaías se refere no capítulo 66 verso 24 do seu livro.

      Por tais circunstâncias, esse vale se tornou desprezível, amaldiçoado pelos judeus e símbolo de terror, da abominação e do asco e foi mencionado por Jesus com essas características. Ser atirado ao Geena após a morte, era sinônimo de desprezo ao morto, abandonado pelos familiares, não merecendo nem mesmo uma cova rasa, estando condenado à destruição eterna do fogo.

      O vale de Hinom era um crematório das sujidades da cidade de Jerusalém.

      O fogo ardia constantemente neste sítio, e com o objetivo de avivar as chamas e tornar mais eficaz a sua força lançavam ali enxofre. Devido a essas circunstâncias, Jesus com muita propriedade usou esse vale para ilustrar o que seria no fim do mundo a destruição dos ímpios, sendo queimados na Geena universal.

      Excluir
    5. Tártaro

      A palavra grega “Tártaro” ocorre somente uma vez no Novo Testamento. Encontra-se em 2 Pedro 2:4 e diz o seguinte:

      “Ora, se Deus não poupou a anjos quando pecaram, antes precipitando-os no inferno (Tártaro no original) os entregou a abismos de trevas, reservando-os para o Juízo”.

      A palavra tártaro, usada por Pedro se assemelha muito à palavra “Tartarus”, usada na etimologia grega, com nome de um escuro abismo ou prisão; porém, a palavra tártaro, parece referir-se melhor a um ato do que a um lugar. A queda dos anjos que pecaram foi do posto de honra e dignidade à desonra e condenação; portanto, a ideia parece ser: Deus não poupou aos anjos que pecaram, mas os rebaixou e os entregou a cadeias de trevas (morais e espirituais). Não existe nenhuma ideia de fogo ou tormento nessa palavra, ela simplesmente declara que esses anjos estão reservados para julgamento futuro.

      Os problemas relacionados com a palavra inferno se desfazem como bolhas de sabão, quando conhecemos bem o significado etimológico dos termos sheol, hades, geena e tártaro, que jamais poderiam ser traduzidos pela nossa palavra inferno, por ter uma conotação totalmente diferente do que é expresso por aqueles vocábulos.

      A palavra inferno foi usada pelos tradutores por influências pagãs e por preconceitos enraizados na mente de muitos, mas totalmente estranhos ao texto sagrado.

      De acordo com a Bíblia todos os que morrem, quer sejam bons, quer sejam maus descem à sepultura, ao lugar de esquecimento e ali esperam até o dia da ressurreição quando então receberão a recompensa (Apocalipse 22:14).

      Muitas das traduções modernas da Bíblia, mais fiéis aos originais hebraico e grego, preferem manter essas palavras transliteradas, por expressarem melhor o que elas significam.

      As palavras Sheol em hebraico e Hades em grego eram usadas para sepultura, não trazendo nenhum sentido de sofrimento e castigo eterno.

      Geena apenas figurativamente foi usada por Jesus como um símbolo das chamas destruidoras dos últimos dias por causa do envolvimento da palavra nos acontecimentos anteriormente descritos.

      Excluir
    6. Textos mal compreendidos......

      Depois vamos para os Textos mal compreendidos !!!

      Saudações em Cristo ...

      Excluir
    7. Sétimo Dia, em 1Samuel 28:12 está escrito:

      "Vendo, pois, a mulher A SAMUEL, gritou com alta voz...."

      A escritura já esta dizendo quem a mulher estava vendo. Nada de revelações posteriores para dizer que era o diabo. Onde está na Bíblia a revelação de que o personagem não era Samuel?

      Inclusive o relato termina assim: "E imediatamente Saul (era Saul mesmo?) caiu estendido por terra, e grandemente temeu POR CAUSA DAQUELAS PALAVRAS DE SAMUEL." 1Sm.28:20.

      Jesus disse que " Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a boca que sai da palavra de Deus." Se isto é a palavra de Deus, quem inspirou o Autor a inserir o nome de Samuel aí?

      Se Jesus tivesse que usar este texto para responder ao diabo, o que ele diria?

      Sheol não se refere ao túmulo.

      No Antigo Testamento "Sheol" é traduzido "inferno" 31 vezes e cova 3 vezes. No Novo Testamento "Hades" é traduzido inferno 10 vezes e túmulo 1 vez.

      Existem muitas razões sólidas pra não identificar Sheol com a sepultura.

      A língua hebraica tem uma palavra comum que claramente significa a "sepultura."

      Esta palavra é QEBER. Ela é usada em Gênesis 50:5 - "Eis que eu morro; em meu SEPULCRO (QEBER) que eu cavei para mim n terra de Canaã, ali me sepultarás."

      Sheol nunca é usado no plural.

      Se a palavra significa "sepultura" nós poderíamos esperar que ela fosse usada no plural. Por exemplo, " e eles disseram a Moisés, porque lá não havia SEPULTURAS (plural de QEBER) no Egito. Êx.14:11. Mas a palavra SHEOL nunca é usada desta maneira.
      QEBER é usada no plural 29 vezes.

      Quando Sheol é usado, ele nunca fala da ida
      do corpo para lá.

      SE a palavra significasse "sepultura" então nós poderíamos esperar que ele fosse descrita como estando "na" ou perto da superfície da terra. Ex. "Em minha sepultura (QEBER) que eu cavei para mim na terra de Canaã, ali me sepultarás." Gn.50:5. Isto foi uma sepultura cavada na superfície da terra, profunda o suficiente para um corpo ser colocado nela.
      Qeber está localizado na superfície da terra ou pouco abaixo 32 vezes. Sheol nunca é usado desta maneira.

      Sheol nunca se refere a uma sepultura individual.

      Se a palavra significasse "sepultura" , então nós esperaríamos que ele se referi-se a um túmulo individual, como nesta sentença composta, " Ali está a sepultura de José." Mas a palavra SHEOL nunca é usada desta maneira. Qeber é usada desta maneira frequentemente: "A sepultura (QEBER) de Kish." 2Sm.21:14. O Antigo Testamento nunca diria, "O SHEOL de Kish." Qeber é usado para sepultura individual 44 vezes; Sheol nunca é usado assim.

      A Bíblia nunca fala de alguém enterrando um defunto no Sheol.

      Se a palavra significasse "sepultura" então nós poderíamos esperar que houvessem textos descrevendo um morto sendo sepultado no SHEOL, mas nós não encontramos isto. Um corpo morto é posto no QEBER 33 vezes como neste exemplo: "E colocou o cadáver (a carcassa do homem de Deus) no seu próprio sepulcro (QEBER)." 1Rs.13:30.

      O homem nunca cava ou "faz" um Sheol.

      Se a palavra significasse "sepultura" então nós poderíamos esperar encontrar versos que falam de um homem cavando um SHEOL, mas nós não encontramos isto. QEBER é usado desta forma 6 vezes. "Em minha sepultura (QEBER) que eu cavei para mim na terra de Canaã, lá me sepultarás." Gn.50:5.

      O Antigo Testamento nunca fala de alguém tocando o Sheol.

      Uma sepultura pode ser tocada. Em Gn.50:5 (citado acima), Jacó cavou e preparou seu próprio túmulo, e suas mãos devem ter tocado ele de uma maneira ou outra enquanto ele o estava preparando. A Bíblia nunca fala do Sheol sendo tocado.

      O Antigo Testamento nunca fala de alguém descendo ao QEBER (sepultura).

      22 vezes a Bíblia fala de descer ou descendo ao SHEOL, mas nunca fala de descer ou descendo a sepultura (QEBER). A razão para isto se tornará mais aparente daqui a pouco quando nós discutirmos a localização do SHEOL/HADES. Continua...







      Excluir
    8. Existem 3 lugares onde a Bíblia fala de diálogos acontecendo no Sheol.

      Veja Ez.32:21; Isaías 14:9-20 e Lucas 16:19-31.

      É óbvio que na sepultura é impossível acontecer diálogos. Uma pessoa morta não conversa com um outro cadáver perto ao seu. Nenhum diálogo sequer é mencionado em conecção com o termo QEBER.

      O Antigo Testamento faz distinção entre sepultura e SHEOL, provando que eles não são a mesma coisa.

      Em Gn.37:35 Jacó diz, "Porquanto com choro hei de descer à meu filho (José) até ao SHEOL chorando.

      Este é o primeiro lugar onde SHEOL é encontrado no Antigo Testamento. Jacó acreditava que José tinha sido devorado por uma fera (verso 33), e assim Jacó sabia que José náo tinha sido sepultado. Todavia, ele acreditava que ele se reuniria ao seu filho no SHEOL, que nesta passagem, não significa sepultura.

      Também Isaías 14:15 descreve um homem que será "levado ao SHEOL." Mas no verso 19 nós vemos que o mesmo homem tinha sido lançado fora de sua sepultura. Portanto sepultura e SHEOL não podem ser a mesma coisa nestes versos.

      SHEOL/HADES não se referem ao inferno como este é normalmente entendido.

      A palavra hebraica SHEOL e a grega HADES são frequentemente traduzidas pela palavra "inferno". Isto pode ser confuso por duas razões:

      1- Quando nós pensamos no inferno, nós pensamos como sendo um lugar de punição eterna para os ímpios, incrédulos, malvados, mas como nós veremos, a Bíblia indica que as pessoas salvas foram ao SHEOL/HADES bem como os ímpios. Isto foi verdade durante o período do Antigo Testamento. SHEOL/HADES era dividido em dois lugares, um dos justos e outro para os ímpios (Lc.16:26). Após a ressurreição, SHEOL/HADES mantém só as almas dos perdidos.

      SHEOL/HADES está localizado no mundo subterrâneo.

      Entre a morte e ressurreição de Cristo é óbvio que seu corpo estava na tumba de José de Arimatéia. A Bíblia também claramente ensina que entre a morte e ressurreição de Cristo, a alma de Jesus, estava no seio da terra: 'Pois como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no coração da terra.' Mt.12:40. O termo seio, coração, refere-se ao centro da terra. A sepultura de José estava localizada na superfície da terra. Mateus 12:40 não está falando sobre o corpo do Senhor e nem da localização de seu túmulo. O corpo de Jesus foi para o túmulo. Jesus foi ao SHEOL/HADES no coração da terra.

      Pode parecer estranho pensar que o SHEOL/HDES esteja localizado no centro da terra, mas Mateus 12:40 não é a única passagem que ensina isto.

      Efésios 4:9 ensina que antes de Cristo ascender, Ele primeiro desceu "até as mais baixas partes da terra." Isto concorda plenamente com Mateus 12:40, Salmo 16:10, Atos 2:27 e 2:31 que ensinam que Cristo foi ao coração da terra, as suas partes mais baixas.

      Estamos tratando de revelação espiritual, e não para satisfazer o intelecto carnal do pecador; por isso, sejamos espirituais.

      Não somente Cristo, mas outras pessoas desceram ao SHEOL/HADES.

      Em números 16:30-32 Deus fez uma única coisa para aqueles que se rebelaram com Coré. Deus fez a terra engoli-los e eles desceram ao abismo (SHEOL). Estes homens foram tragados vivos e transportados imediatamente às partes mais baixas da terra.
      Um caso excepcional!

      Filipenses 2:10 ensina que algum dia todo joelho se dobrará diante de Cristo. Paulo está aparentemente referindo-se a seres humanos, e estes humanos que algum dia curvar-se-ão à Cristo, no presente ocupam três regiões (v.10). 1- Pessoas que estão agora no céu (os salvos); 2- Pessoas que agora estão na terra; 3- Pessoas que estão debaixo da terra (os ímpios). Uma referência ao SHEOL/HADES.

      Por causa desta localização sob a terra, não devemos nos surpreender que a palavra de Deus fala de descer ao SHEOL 22 vezes no Antigo Testamento.

      "Eu descerei ao SHEOL." Gn:37:35. Dt.32:22 e Salmo 86:13 falam do mais baixo SHEOL. Continua...


      .




      Excluir
    9. Cadi,

      Vendo, pois, a mulher a Samuel, gritou com alta voz, e falou a Saul, dizendo: Por que me tens enganado? Pois tu mesmo és Saul.
      13 E o rei lhe disse: Não temas; que é que vês? Então a mulher disse a Saul: Vejo deuses que sobem da terra. E lhe disse: Como é a sua figura? E disse ela: Vem subindo um homem ancião, e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra, e se prostrou.

      E esses deuses ???

      como eu lhe falei, não sei por que que o autor bíblico não disse que era o Diabo !!!

      Com esse relato, o que vc quer me mostrar ?

      Excluir
    10. Continuação........

      Textos Mal Compreendidos....


      Marcos 9:47 e 48:

      “E, se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o; é melhor entrares no reino de Deus com um só dos teus olhos do que, tendo os dois seres lançado no inferno, onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga”.

      Aqui Jesus está citando um verso de Isaías, capítulo 66 verso 24. Portanto, é necessário que usemos o mesmo para entendermos o que está escrito em
      Marcos.

      Vejamos:

      “Eles sairão e verão os cadáveres dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu verme nunca morrerá, nem o seu fogo se apagará; e eles serão um horror para toda a carne”.

      Precisamos atentar para alguns fatos:

      Essa passagem fala em “cadáveres”, não em pessoas gritando;

      É preciso muita imaginação para supor que esse verme não morre, e ainda no fogo! Isaías não pode estar falando de um verme imortal, que possa ter comido da “árvore da vida”.

      Conforme visto anteriormente no estudo do professor Pedro Apolinário, a palavra grega utilizada por Jesus nessa passagem é “Geena”, provinda de um vocábulo hebraico que se refere ao “Vale de Hinom”, onde eram queimadas pessoas mortas (vivas em sacrifícios oferecidos pelos pagãos) e o lixo que vinha da cidade de Jerusalém.

      Jesus utilizou essa palavra apenas figurativamente como um símbolo das chamas destruidoras dos últimos dias no julgamento e punição dos ímpios. Sendo que os discípulos sabiam que no vale de Hinom as pessoas eram queimadas totalmente, Jesus usou essa palavra para que eles pudessem compreender melhor a forma como os ímpios serão destruídos.

      Assim como o fogo do Vale de Hinom “nunca se apagava” porque era constantemente aceso enquanto não terminasse de queimar totalmente, assim o fogo que não se apaga no dia do Juízo não se apagará enquanto não consumir toda a pessoa.
      Portanto, o sentido dessa passagem de Marcos é: completa e definitiva destruição.

      Excluir
    11. Continuando...

      Em Jeremias temos maior esclarecimento do que significa, no contexto hebraico, a expressão “fogo que não se apaga”:

      “Mas, se não me ouvirdes, e, por isso, não santificardes o dia de sábado, e carregardes alguma carga, quando entrardes pelas portas de Jerusalém no dia de sábado, então, acenderei fogo nas suas portas, o qual consumirá os palácios de Jerusalém e não se apagará”. Jeremias 17:27.

      Percebeu? Deus falou que se o povo continuasse a profanar o Sábado, iria acender um fogo que não se apagaria nas portas da cidade.

      De acordo com 2 Crônicas 36:19-21, essa profecia se cumpriu. As portas da cidade estão queimando até hoje? Não!

      Isso mostra de forma clara que a expressão “fogo que não se apaga” é simbólica, usada para descrever a eficácia da destruição, ou seja, aniquilação total depois do castigo no lago de fogo (que existirá depois do milênio, segundo Apocalipse 20), que é proporcional às obras de cada um (Mateus 16:27; Lucas 12:47, 48, etc.).

      Sobre isso, veremos algo mais adiante.
      E a expressão “choro e ranger de dentes”, mencionada em Mateus 25:30? Não dá a entender que o castigo será sem fim?

      O fato é que Jesus não diz que o “choro e ranger de dentes” serão eternos.

      Haverá choro e ranger de dentes por parte dos ímpios que perderão a salvação; mas, as Escrituras não afirmam que esse sofrimento se dará por um tempo indeterminado.

      Continua.......... Em Cristo

      Excluir
    12. Em primeiro lugar, o texto de 1Sm.28, afirma que a mulher VIU A SAMUEL, não algum demônio ou coisa que o valha.

      Todo o texto de 1Sm.28 chama o profeta Samuel pelo nome.

      Ele não anunciou deuses estranhos e nem falsa doutrina e sua profecia a respeito da morte de Saul e de seus filhos se cumpriu. Evidente que não se trata de todos os filhos de Saul, mas apenas os que estavam na batalha.

      vamos ler em 1Sm.16:14: "E o Espírito do Senhor se retirou de Saul, e atormentava-o UM ESPÍRITO MAU da parte do Senhor."

      Deus permitiu a ação de um espírito demôniaco para castigar Saul. Veja como as Escrituras NÃO ERRAM e identificam o personagem.

      Se fosse Satanás ou um demônio que estivesse personificando Saul, as Escrituras o identificariam até mesmo para iluminar a mente do leitor.
      Me mostre um texto sequer na Bíblia onde a INSPIRAÇÃO trocou o nome de algum personagem.

      Quando nas Escrituras Davi é chamado de jeoacaz, ou de Jeremias e vice-versa, Sempre quando Satanás entra em cena, as Escrituras o identificam, como no texto de 1Cr.21:1, onde "Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel."

      Ou no livro de Jó, no capítulo 1, etc.

      Paulo em 2Co.12:1-4 não sabia se tinha sido levado ao terceiro seu se no corpo, ou FORA DO CORPO. A explicação que diz "fora do corpo" significa que ele teria sido levado "em visão" NÃO FAZ NENHUM SENTIDO porque uma visão para aqueles que não creem que o homem possui um espírito inteligente, acontece NO CORPO.

      Quanto a eternidade das penas, encontramos esta doutrina em Mateus 25:46, onde a palavra AIONIOS (eterno) ocorre tanto para os salvos como para os perdidos.

      Está doutrina do aniquilacionismo foi inventada para satisfazer o coração não regenerado, assim a doutrina MAIS FORTE das Escrituras para levar o pecador a conversão POR MEDO DE IR PARA A DANAÇÃO ETERNA fica anulada.

      Leia o sermão de Jonathan Edwards sobre a condenação eterna e você conhecerá a importância da doutrina.

      Em Ap.20:13 ao 15 vai ver que ANTES dos perdidos serem lançados no FOSSO, ABISMO de fogo a morte e o Hades são DESTRUÍDOS.

      Quando em 1Co.15:26 Paulo afirma que o "último inimigo a ser destruído será a morte", não fala que os perdidos serão também aniquilados, mas ao contrário, eles serão imortais em corpo, alma e espírito, já que participarão da imortalidade mas sem Deus.

      Em Ap.14:11 diz que " a fumaça do seu TORMENTO sobe para TODO O SEMPRE; e não tem REPOUSO nem de dia nem de noite..."

      Se Adão comesse do fruto da árvore da vida, seria um pecador imortal e teria que ser lançado à condenação eterna, para sempre separado do Ser que ele mais amava, Deus.

      Por isso, Deus protegeu a integridade de seu filho, ao não permiti-lo comer da árvore da vida.

      Estes assuntos são de natureza espiritual e não tem nada a ver com a sabedoria deste mundo, sendo completamente sem sentido para os incrédulos, ou seja, aqueles que não tem a mente de Cristo.

      Sobre o Rico, em Lucas 16:23 Jesus diz: 'E no inferno, ergueu os olhos EM TORMENTOS..."

      No verso 27 o Rico pede que seus irmãos sejam avisados para não irem para aquele "lugar de tormento."

      Agora você imagine o povo ouvindo tudo aquilo.

      Eles foram para casa, crendo em uma falsa doutrina.

      Os judeus sempre acreditaram na vida após a morte. A proíbição da necromância é uma prova. Se os judeus não acreditassem na existência do espírito inteligente e não apenas o folêgo, Saul não iria procurar a necromante, pois saberia que seria inútil, pois o profeta Samuel que o instruíu sendo o seu líder espiritual o teria ensinado a inexistência do espírito do homem, como ser pensante.

      Vou lhe deixar um questionamento:
      Quando em Romanos o apóstolo Paulo afirma que o Espírito Santo dá testemunho ao nosso espírito de que somos filhos de Deus, que espírito é esse que recebe testemunho do Espírito Santo?

      Já fiz esta pergunta para outra pessoa da mesma crença que a sua e ela está me devendo a resposta até hoje.

      Excluir
    13. Cadi,

      A Feiticeira ela trabalha pra quem ? Deus ou O Diabo ??

      E por que Deus reprovou aquela atitude de Saul ??? Consultar Médium ......

      Se ali era Samuel, por que vocÊ não vai em um Necromante invocar um parente ou amigo seu, que morreu ??

      Ela afirmou que tinha visto a Samuel, mas também afirmou que viu subir junto CoM Samuel 'deuses" !!!! Todos nós sabemos que o Diabo é o Pai da mentira !!!

      "13 E o rei lhe disse: Não temas; que é que vês? Então a mulher disse a Saul: Vejo deuses que sobem da terra. E lhe disse: Como é a sua figura? E disse ela: Vem subindo um homem ancião, e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra, e se prostrou."

      Quem seria esses "Deuses" ? A Trindade ? Pai, Filho e Espírito Santo ?

      Eu quero que você me diga quem eram aqueles deuses !!!!!! Topa ??

      Oche, a doutrina da Imortalidade da Alma não diz que quando uma pessoa em Cristo morri, vai imediatamente pro céu ???

      Mas, a Necromante viu Samuel SUBIR E NÃO DESCER !!! Sera que Samuel tava no Inferno ??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Foi pregar para os espíritos em prisão !!!!!!

      Não existe um ser fora a Trindade que seja mais Inteligente do que a Satanás !!!!!!!!

      Todos nós sabemos quando um Rei de Israel abandonava os caminhos do Senhor, o destino dele era a perda do Reino para os inimigos, sendo assim, Deus levantava um Rei fiel pra governar Israel, e assim seguia sucessivamente !!!!!

      Lógico que o Diabo sabia disto, até que ele mencionou que Saul iria perder o sei reino para Davi e que Deus o iria entregar nas mãos dos Filisteus !!!!!!

      O seu questionamento digo o seguinte ::

      Me diga quais significados tem a palavra espírito ??

      Quando você me dizer, te responderei !!!

      "Se fora do corpo eu não sei"

      Lhe digo o seguinte ::

      Na vossa crença, quando o espírito ou a alma sai do corpo, a pessoa morre, então, você vai ter a coragem de dizer que Paulo Morreu ???

      “Sai-lhes o espírito, e eles tornam ao pó; nesse mesmo dia, perecem todos os seus desígnios”. Salmo 146:4.

      Ei Paulo Cadi, me explique esta passagem de Col. 2:5

      "Porque, ainda que esteja ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito estou convosco, regozijando-me e vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo."

      Paulo era Onipresente ???

      Em Cristo Paulo Cadi...

      Excluir
    14. Continuando.....

      Apocalipse 20:10

      “O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos”.

      Primeiramente, temos de perceber que o Apocalipse é um livro simbólico; sua linguagem é apocalíptica e se refere ao fim dos tempos.
      De acordo com o próprio livro, o lago de fogo e enxofre é um símbolo da segunda morte, aquela em que não haverá mais oportunidade para ressurreição.

      Veja:

      “Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte”. Apocalipse 21:8.

      Portanto, o lago de fogo e enxofre, simbolicamente, é a segunda morte.

      No sentido literal, o lago de fogo só existirá após o período dos mil anos, de acordo com Apocalipse 20. Isto é muito claro nas Escrituras: “Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo”. Apocalipse 20:14.

      Leia o contexto da passagem (todo o capítulo 20) e verá que tal lago de fogo será “após o período dos mil anos” (neste momento os justos estarão no Céu e os ímpios mortos na Terra. Satanás e os anjos dele presos neste planeta, destruído), e não antes disto. Quando a Bíblia usa a palavra “inferno” no sentido de fogo, o faz referindo-se ao lago de fogo no fim; e este lago, não será eterno na duração do castigo, mas, nas consequências.

      Deve-se destacar que esse texto diz que a morte e o inferno serão lançados no lago de fogo. Se tomarmos o verso como sendo literal, teremos de admitir que a morte é alguém ou que Deus irá lançar fogo dentro do fogo (pois diz que o inferno será lançado no lago de fogo). Isso não teria sentido algum!

      “Ao mesmo tempo em que é evidente que os ímpios sofrerão uma terrível sorte, com punição e tormento correspondentes a sua culpa, também é certo que haverá um fim do pecado e pecadores. Um inferno ardendo eternamente cheio de criaturas histéricas, que blasfemam, incessantemente atormentadas, seria uma perpetuação e não um fim ao pecado e ao sofrimento. Em vez de pôr fim à tragédia humana, seria uma terrível perpetuação e aumento dela, sem finalidade e sem propósito”[3].

      O sofrimento de alguns pecadores ao queimarem, sem dúvida, durará um período de vários dias e noites (Apocalipse 20:10), porque cada pessoa ímpia será recompensada “conforme as suas obras” (Mateus 16:27).

      Sobe isso disse a escritora cristã Ellen G. White:

      “Uma distinção, porém, se faz entre as duas classes que ressuscitam. “Todos os que estão nos sepulcros ouvirão a Sua voz. E os que fizeram o bem, sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação.”

      João 5:28 e 29. Os que foram “tidos por dignos” da ressurreição da vida, são “bem-aventurados e santos”. “Sobre estes não tem poder a segunda morte.” Apocalipse 20:6. Os que, porém, não alcançaram o perdão, mediante o arrependimento e a fé, devem receber a pena da transgressão: “o salário do pecado”. Sofrem castigo, que varia em duração e intensidade, “segundo suas obras”, mas que finalmente termina com a segunda morte. Visto ser impossível para Deus, de modo coerente com a Sua justiça e misericórdia salvar o pecador em seus pecados, Ele o despoja da existência, que perdeu por suas transgressões, e da qual se mostrou indigno. Diz um escritor inspirado: “Ainda um pouco, e o ímpio não existirá; olhará para o seu lugar e não aparecerá.” E outro declara: “E serão como se nunca tivessem sido.” Salmo 37:10; Obadias 16. Cobertos de infâmia, mergulham, sem esperança, no olvido eterno”[4].

      Excluir

    15. Sendo assim, o diabo demorará mais tempo no lago de fogo que os demais pecadores, pois suas transgressões e perversidades foram em maior proporção (alem disso, foi o originador do pecado e fez com que outros se afastassem de Deus! Ler João 8:44) e teve maior influência destruidora na rebelião contra Deus; mas ao final de seu castigo, ele será aniquilado:

      “Em breve o Deus da paz esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês.” Romanos 16:20.

      “… os ímpios serão como o restolho; o dia que vem os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo… Pisareis os perversos, porque se farão cinzas debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que prepararei, diz o SENHOR dos Exércitos”. Malaquias 4:1-3.

      A Palavra de Deus é clara em dizer que os ímpios se farão em cinzas; alguém que se desfez em cinzas não existe mais, não pode gritar.

      Neste momento pode surgir a pergunta: por que então em Mateus 25:46 Jesus diz: “E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna” ? A seguir vamos fazer um estudo sobe a palavra grega “aionios”, traduzida em nossas Bíblias por “eterno”, “para sempre”, etc.

      Excluir
    16. Lhe expliquei o uso da palavra "elohim", "deuses" no texto em foco. A necromante não afirmou no verso 12 que ela viu a Samuel; quem o identifica aí é o escritor da narrativa.

      A necromante não viu ninguém mais junto com Samuel como você afirmou.

      A necromante não tinha nem ainda começado as invocações quando foi surpreendida pela presença do profeta.

      A mulher quando viu a Samuel descobriu que o consulente era Saul, porque sabia que o profeta Samuel somente se dirigia ao Rei de Israel.

      O profeta Samuel trouxe uma mensagem de JUÍZO a Samuel porque ele desobedeceu a Deus, não cumprindo em vida o que Deus tinha ordenado mediante Samuel e com a agravante de procurar auxílio em uma necromante.

      O escritor da narrativa encerra o relato do encontro de Samuel com a necromante, afirmando que as palavras eram de Samuel. 1Sm28:20.

      O livro de Apocalise afirma que a segunda morte é o lago de fogo, não o aniquilamento.

      O livro de Apocalipse não ensina que o lago de fogo será destruído. Onde está isso?

      Quando as Escrituras afirmam que os ímpios se "tornarão cinzas debaixo de vossos pés", é uma expressão, já que você não pode aplicar isto literalmente.

      Isto significa que eles serão varridos da superfície do planeta.

      Leia o sobre o Julgamento no capítulo 20 de Apocalipse e veja que a "tornar-se cinza debaixo dos pés dos justos" significa a inversão. Antes os justos, neste mundo ímpio foram humilhados pelos incrédulos, chegando até o martírio; agora acontece um "enborcamento", ou seja, a situação se inverte.

      1Co.12:1-4 onde está a expressão "fora" do corpo", a palavra grega é "ektós" significando "para fora".

      A explicação de que a expressão "fora do corpo" seria uma visão, segundo aqueles que acreditam que somos apenas o corpo, não tem sentido, porque se somos apenas o corpo a visão que Paulo teve teria sido produzida dentro de seu cérebro, ficando a expressão "fora do corpo" sem utilidade e sem sentido no texto.

      A pergunta: Se somos apenas o corpo, com cabeça tronco e membros, incluíndo o cerébro, que espírito é este que recebe testemunho do nosso espírito de que somos filhos de Deus?


      Excluir
    17. Na última frase onde está, "recebe testemunho do nosso espírito, ler "recebe testemunho do Espírito Santo."

      Excluir
    18. Cadi,

      Então disse Saul aos seus criados: "Buscai-me uma mulher que tenha o espírito de feiticeira, para que vá a ela, e consulte por ela. E os seus criados lhe disseram: Eis que em En-Dor há uma mulher que tem o espírito de adivinhar."

      Eles encontraram tal mulher em En-Dor. A mulher indaga:

      Verso 11 "A mulher então lhe disse: A quem te farei subir? E disse ele: Faze-me subir a Samuel."

      Um momento depois a mulher disse:

      E o rei lhe disse: Não temas; que é que vês? "Então a mulher disse a Saul: VEJO deuses que sobem da terra............"

      "Vem subindo um homem ancião, e está envolto numa capa."

      Versos 13e 14 "Samuel disse a Saul: Por que me inquietaste, fazendo-me subir? E o SENHOR entregará também a Israel contigo na mão dos filisteus, e amanhã tu e teus filhos estareis comigo; e o arraial de Israel o SENHOR entregará na mão dos filisteus. Versos 15-19.

      Essa narrativa não diz nada acerca da descida do Profeta Samuel do céu nessa ocasião. Saul usa as palavras !faze-me subir". A médium usa expressões iguais ou semelhante, "que sobe da terra". "vem subindo". E a Samuel são atribuídas palavras equivalentes: "Fazendo-me subir". Se alguém pudesse recorrer a esse excêntrico e trágico relato, seriamos nós que acreditamos que, quando os mortos voltam ao mundo, eles "sobem da terra". Mas, ao procurar evidências a respeito da condição humana na morte, não consideramos seguros nos apoiar nos eventos e conversações espírita infestada de demônios e condenada por Deus. Contudo, visto que os crentes na imortalidade da alma apelam para essa sessão espírita, gostaríamos de indagar:

      Por favor Paulo Cadi, responda as minhas perguntas, vi que pulou algumas..........

      Como harmonizar todas essas declarações com sua crença ?

      Vocês acreditam que os justos mortos então em cima no Céu, não em baixo "na terra".

      Pode "subindo da terra" significar descendo do Céu ?

      Além disso, a narrativa assim descreve "Samuel": "Um ancião ..... envolto numa capa."

      é desse modo que um espírito imortal apareceria ?

      Ele realmente assume um corpo ? Se é sim, onde obtém o corpo ? Se fosse respondido que houve uma ressurreição, responderíamos que tal confissão prejudica todo o argumento, por que cremos que o diabo tem poder para ressuscitar os mortos, e certamente Deus não estava as ordens desta Médium, que se achava sob o divino edito de morte por praticar feitiçaria ( Veja Lev. 20:27; Deu. 18:10 e 11).

      Continua......































      Excluir
    19. A onde estar escrito assim, "por que cremos que o diabo tem poder para ressuscitar os mortos"

      Se escrevi assim " por que cremos que o diabo NÃO,tem poder para ressuscitar os mortos....

      Excluir
    20. ORA, O RELATO POSTERIORMENTE NOS DIZ QUE SAUL CHEGOU AO CLÍMAX DO SEU PECAMINOSO procedimento cometendo suicídio ( Veja 1Samuel 31:14). Mas, "Samuel", prevendo a morte de Saul, declara: Amanhã, tu e teus filhos estareis comigo."

      Por favor, digam-nos:


      Onde habitava Samuel, se o suicida Saul iria estar com ele ?

      Realmente, nos maravilhamos de que aqueles que crêem na doutrina da imortalidade natural tragam à baila este relato bíblico. Com isso, eles fazem Samuel "subir da terra", quando segundo o seu ponte de vista, ele deveria estar no Céu; e fazem o ímpio Saul ir para "estar com" o santo Samuel, sendo que, em vez disso, esse suicida real, como se supõe, iria para o inferno.

      Mas por que o relato fala de "Samuel", se ele realmente não estava ali ? O registro não diz que Saul viu a "Samuel", por que , quando a médium gritou, ele perguntou: "Que vês ?" E um momento depois: " Como é a sua figura ?

      Se Samuel estivesse ali,por que Saul não o teria visto ?

      Eram somente os olhos da feiticeira suficientemente penetrantes para discernir "um ancião.... envolto numa capa"? Lemos: "Entende Saul que era Samuel". A palavra "entendendo" é de uma palavra hebraica diferente de "vendo". O significado é que Saul compreendeu, ou concluiu, como resultado da descrição dada pela a Médium, que Samuel estava presente.

      A médium praticou um engano contra Saul. Ela, enganada também pelo o diabo, provavelmente achava que via a Samuel. Saul, por sua vez, aceitou sua explicação. Portanto, a narrativa bíblica simplesmente descreve essa sessão espiritualista em termos de suposições da médium e de Saul. Esta é uma regra literária conhecida como a LINGUAGEM DA APARÊNCIA. Quando o relato diz "Samuel", podemos compreendê-lo simplesmente como significando aquela aparição gerada pelo o diabo que sem dúvidas apareceu, e que eles subponham que fosse Samuel.

      Excluir
    21. Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      • Alma é traduzida como: vida (Gênesis 9:4,5; 35.18; Salmo 31:13), pessoa (Gênesis 14:21; Deuteronômio 10:22; Atos 27:37), cadáver (Números 9:6); apetite (Eclesiastes 6:7) coração (Êxodo 23:9) ser vivente (Apocalipse 16:3) pronomes pessoais (Salmo 3:2; Mateus 26:38). A palavra “alma” aparece na Bíblia aproximadamente 1600 vezes e em nenhum caso refere-se a uma entidade imaterial com imortalidade e que sobreviva fora do corpo.

      • Espírito pode ser traduzido como: vento (respiração – Gênesis 8:1), espírito (no sentido de alento, ânimo – Juízes 15:19), atitude ou estado de espírito (Romanos 8:15; 1 Coríntios 4:21), sopro ou hálito de Deus (2 Tessalonicenses 2:8) consciência individual (1 Coríntios 2:11, primeira parte). O termo também é usado para se referir a seres pessoais: anjos e demônios (Hebreus 1:14; 1 Timóteo 4:1); a Cristo (1 Coríntios 3:17 ) a Divina natureza de Cristo (Romanos 1:4), à Terceira Pessoa da Trindade (Romanos 8:9-11; 1 Coríntios 2:8-12 ); a Deus Pai (João 4:24) e a pessoas vivas (Hebreus 12:22, 23).

      Interessante é que em nenhum momento nas Sagradas Escrituras alma e espírito são sinônimos de uma entidade imaterial pensante que sobrevive fora do corpo após a morte!


      Espero que o amigo aplique o verdadeiro significada da palavra "espírito" nos textos Paulinos .......

      Você VIU né, que a palavra pode significar CONSCIÊNCIA, MENTE...ETC.......

      O Espírito Santo se comunica ou dá testemunho para nosso "espírito" Mente ou Consciência que somos filhos de Deus... Simples não sua pergunta ?????

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.

      Excluir
    22. Eu não pulo as perguntas. Para melhor responder é melhor você enumerar uma após a outra, senão as objeções ficam diluídas dentro do texto. É uma sujestão.

      Por mais que sejam levantadas objeções de que a persolnalidade em 1Sm.28 seja Saul, o texto está ao lado daqueles que defendem que se tratava de Samuel, porque toda a narrativa o chama de Samuel.

      Lhe pergunto: Porque você acredita que existem outros Adãos e Evas vivendo em mundos não caídos, quando a Bíblia não fala nada a respeito, sendo uma "revelação exclusiva dada a Ellen White", sendo que nem os apóstolos receberam tal revelção, e não acredita na Bíblia que afirma que era Samuel.

      Em 1Sm.28:12 é o escritor da narrativa, SOB A INSPIRAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO, que afirma que a necromante viu A SAMUEL e termina o relato afiramando que eram de Samuel aquelas palavras.1Sm.28:20.

      Quanto a palavra "espírito" significar um ser imaterial, além de outros significados, o próprio Senhor Jesus AFIRMOU aos apóstolos que um ESPÍRITO não tinha carne e ossos como o seu corpo ressucitado. Lucas 24:39.

      É evidente que Jesus sabia da realidade dos espíritos dos seres humanos, porque não iria fazer a comparação de seu estado fisíco com um ser imaginário, que não existisse.

      Se somos somente o corpo, os pensamentos se originam no cérebro, sendo fruto de processos elétro-físio químicos. TUDO que compõe o corpo de uma pessoa carrega consigo o DNA de seus antepassados.
      Paulo, apóstolo, afirma que esse corpo será destruído; não sobrará nem uma célula do corpo que herdamos de nossos pais, nada do DNA.

      Este corpo vai ser consumido ou absorvido pelo corpo celestial e vai desaparecer.
      O corpo celestial não terá sangue, porque é o corpo natural que o possui, que é o corpo dos mamíferos. O sangue também vem dos antepassados.

      Não é o cérebro que recebe o novo nascimento, pois também carrega sangue herdado dos antepassados.
      Quem recebe o novo nascimento é o espírito do homem feito à imagem e semelhança de Deus.

      Paulo em 2Co.12:1-4 não sabia se tinha ido ao paraíso NO corpo ou FORA do corpo. Já expliquei, se FORA do corpo significasse "uma visão" não teria sentido esta expressão do grego "ektós", significando "para fora, lado externo".

      Se somos somente o corpo, as visões que Paulo teve no referido texto acima teriam sido produzidas DENTRO do cérebro dele, não tendo a expressão "fora do corpo" NENHUM SENTIDO.

      Excluir
    23. Se é para enumera-las , vamos então::

      A Feiticeira ela trabalha pra quem ? Deus ou O Diabo ??

      E por que Deus reprovou aquela atitude de Saul ??? Consultar Médium ......

      Na vossa crença, quando o espírito ou a alma sai do corpo, a pessoa morre, então, você vai ter a coragem de dizer que Paulo Morreu ???

      “Sai-lhes o espírito, e eles tornam ao pó; nesse mesmo dia, perecem todos os seus desígnios”. Salmo 146:4.

      Ei Paulo Cadi, me explique esta passagem de Col. 2:5

      "Porque, ainda que esteja ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito estou convosco, regozijando-me e vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo."

      Paulo era Onipresente ???

      "Vem subindo um homem ancião, e está envolto numa capa."

      Como harmonizar todas essas declarações com sua crença ?

      Vocês acreditam que os justos mortos então em cima no Céu, não em baixo "na terra".

      Pode "subindo da terra" significar descendo do Céu ?

      Além disso, a narrativa assim descreve "Samuel": "Um ancião ..... envolto numa capa."

      é desse modo que um espírito imortal apareceria ?

      Ele realmente assume um corpo ?

      Se é sim, onde obtém o corpo ?

      Se fosse respondido que houve uma ressurreição, responderíamos que tal confissão prejudica todo o argumento, por que cremos que o diabo não tem poder para ressuscitar os mortos, e certamente Deus não estava as ordens desta Médium, que se achava sob o divino edito de morte por praticar feitiçaria ( Veja Lev. 20:27; Deu. 18:10 e 11).

      Onde habitava Samuel, se o suicida Saul iria estar com ele ?

      Mas por que o relato fala de "Samuel", se ele realmente não estava ali ?

      O registro não diz que Saul viu a "Samuel", por que , quando a médium gritou, ele perguntou:

      "Que vês ?"

      E um momento depois: " Como é a sua figura ?

      Se Samuel estivesse ali,por que Saul não o teria visto ?

      Eram somente os olhos da feiticeira suficientemente penetrantes para discernir "um ancião.... envolto numa capa"?

      Você diz :

      Lhe pergunto: Porque você acredita que existem outros Adãos e Evas vivendo em mundos não caídos, quando a Bíblia não fala nada a respeito, sendo uma "revelação exclusiva dada a Ellen White", sendo que nem os apóstolos receberam tal revelação, e não acredita na Bíblia que afirma que era Samuel.

      A Bíblia diz que o profeta Espirado pelo O Espírito Santo que, quem gira é o SOL E NÃO A TERRA !!!!

      Hoje, eu sendo um cristão adventista do 7° dia afirmar que quem gira é o SOL E NÃO TERRA, ESTAREI CERTO OU ERRADO ? Paulo Cadi ?

      Por que o profeta não escreveu ao contrario ???

      O significado :::

      Lemos: "Entende Saul que era Samuel". A palavra "entendendo" é de uma palavra hebraica diferente de "vendo". O significado é que Saul compreendeu, ou concluiu, como resultado da descrição dada pela a Médium, que Samuel estava presente.

      A médium praticou um engano contra Saul. Ela, enganada também pelo o diabo, provavelmente achava que via a Samuel. Saul, por sua vez, aceitou sua explicação. Portanto, a narrativa bíblica simplesmente descreve essa sessão espiritualista em termos de suposições da médium e de Saul. Esta é uma regra literária conhecida como a LINGUAGEM DA APARÊNCIA. Quando o relato diz "Samuel", podemos compreendê-lo simplesmente como significando aquela aparição gerada pelo o diabo que sem dúvidas apareceu, e que eles subponham que fosse Samuel.

      Creio eu que podemos finalizar esse debate envolvendo O Diabo disfarçado no profeta Samuel !!!!

      Sobre Jesus em afirma que espírito não tem membros, comentarei depois e lhe mostrarei que estais equivocado em dar crédito a essa doutrina Diabólica !!!

      Excluir
    24. Você é INCRÉDULO, ou seja, NÃO CRÊ NA BÍBLIA, como está escrito, mas na intepretação que sua SEITA faz das Escrituras.

      Sobre Samuel, O ESCRITOR DA NARRATIVA é que afirma que se tratava do profeta mesmo. 1Sm.28:12; o ESCRITOR DA NARRATIVA termina o relato AFIRMANDO QUE ERA SAMUEL. 1Sm.28:20.

      Não tem como você escapar, a não ser NEGANDO a Palavra.

      O escritor da narrativa está dando testemunho contra a sua crença. Então não adianta espernear.

      Porque você não envia um e-mail para a casa Publicadora Brasileira sugerindo imprimir uma tradução da Bíblia, em que no referido capítulo de 1Sm.28 seja trocado o nome de Samuel para Satanás?

      Depois você afirmou que a Bíblia diz que o sol gira em torno da terra. Pode me comprovar onde está isso? O que tem a ver a "revelação de White a respeito de habitantes de mundos não caídos com as Escrituras? Eu lhe provo que era Samuel, em 1Sm.28, porque TENHO ESCRITURA, agora você não tem Escritura para me comprovar a existência de mundos não caídos. ISTO É DOUTRINA ESPÍRITA.

      LEIA CEM VEZES até você entender. É o ESCRITOR da narrativa que AFIRMA que era Samuel.

      Os hebreus acreditavam na existência do Sheol , mundo invísivel para onde iam os mortos, como está lá em Eclesiastes. Lá não existe sabedoria, não se louva a Deus, todos os projetos do homem são cortados; os justos, como Samuel ficavam repousando, mas não inconscientes.

      Paulo estava unido aos irmãos pelos laçõs de Amor Divino pelo Espírito, ou seja, "no Espírito estou convosco."
      Era o espírito de Paulo unido aos irmãos pela onipresença do Espírito Santo.

      Se somos apenas o corpo, que espírito recebe testemunho do Espírito Santo de que somos filhos de Deus?

      Excluir
    25. Vou lhe mostrar em 4 versões Bíblicas que o Sol parou !!!!

      1°) "E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isto não está escrito no livro de Jasher? O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pór-se, quase um dia inteiro".

      2°)O sol parou, e a lua se deteve, até a nação vingar-sedos[18] seus inimigos, como está escrito no Livro de Jasar. O sol parou no meio do céu e por quase um dia inteiro não se pôs".

      3°) "O sol ficou parado, e a lua também parou, até que o povo se vingou dos seus inimigos. Estas palavras estão escritas no |iLivro do Justo. O sol ficou parado no meio do céu e atrasou a sua descida por quase um dia inteiro".

      4°) "E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Não está isto escrito no livro de Jasar? O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro".

      Josué 10:13....

      Por que o escritor Bíblico não disse que quem parou foi a terra e não o Sol ?

      Eu me referi a esta passagem, em relação com o que você disse referente ao narrador Bíblico em dizer que aquela aparição era o profeta Samuel e por isso eu devia acreditar....

      Eu devo acreditar no relato de Josué em que diz que quem parou foi o Sol e não a terra, enquanto que é a terra que se movimenta ?

      Em Gêneses capitulo 1°, descreve a criação do seres vivos da Terra e do nosso sistema solar, mas nós sabemos que Deus criou um universo que tem Bilhões de PLANETAS QUE O SER HUMANO NÃO CONHECE MAS A BÍBLIA NÃO NOS FALA DESSES PLANETAS CRIADOS POR NOSSO DEUS CRIADOR DOS CÉUS E DA TERRA, POR NÃO RELATAR A CRIAÇÃO DESTES BILHÕES DE PLANETAS NÃO DEVEMOS ACREDITAR QUE TAIS PLANETAS EXISTEM ?

      Jó cap.1:7 diz que os filhos de Deus iam até Ele adora-lo, mas que filhos são esses ? anjos ? seres de outros planeta ??

      No livro de Apocalipse diz que Céus, Universo e Terra Adorem A Deus !!!!

      O cego é a quele que ver e não quer enxergar !!!!!

      Vamos, responda as minhas perguntas, estão todas enumeradas como você me pediu !!!!

      Você diz:

      "Quanto a palavra "espírito" significar um ser imaterial, além de outros significados, o próprio Senhor Jesus AFIRMOU aos apóstolos que um ESPÍRITO não tinha carne e ossos como o seu corpo ressucitado. Lucas 24:39".

      "É evidente que Jesus sabia da realidade dos espíritos dos seres humanos, porque não iria fazer a comparação de seu estado fisíco com um ser imaginário, que não existisse".

      Quando o Senhor Jesus disse que um espírito não tem carne ou ossos, mostrando-lhes que Ele não era um espírito, então, dai-me a entender que um "espírito de seres humanos" pudesse aparecer a eles, para provar aos Apóstolos, Ele (Jesus) disse que um "espírito" não tem carne e nem ossos !!!!!

      Misericórdia, vocês são Espiritas de primeira !!!!!

      O Espírito Santo dá testemunho de que sou filho de Deus, falando a minha mente, consciência............

      Aceite se quiser, me parece que seus questionamentos não estão suportando assim diz o SENHOR.......

      Excluir
    26. 1- A Bíblia não diz que o Sol gira em torno da Terra.
      Sabe-se que o Sol se movimenta através da Via Láctea e que os planetas deste sistema solar o acompanham por causa da lei da gravidade. As Escrituras não explicam a "mecânica" do fenômeno.
      As Escrituras exigem a fé no relato, sem procurar explicações "científicas", senão teríamos que exigir explicações de natureza intelectual, por exemplo, da criação de Adão e Eva apenas 6.000 atrás, da Arca de Noé, da Torre de Babel, da queda das muralhas de Jericó, da Mula falante de Balaão, da travessia do mar vermelho, da ressurreição dos mortos incluíndo a de Jesus etc.

      Quando se procura explicações "científicas" para os fenômenos registrados nas Escrituras, está se dando combustível para os incrédulos, pois este é o terreno deles, em que eles costumam se movimentar.

      Paulo quando anunciou o Evangelho ao filósofos gregos, no Monte de Marte, em Atenas, só lhes deu a palavra, e não justificativas de natureza intelectual para satisfazer a mente carnal dos incrédulos. Deus poderia ter operado um milagre diante daqueles intelectuais gregos e calar-lhes a boca, mas não o fez, pois o anúncio da Palavra é loucura para o mundo não regenerado.

      No livro de Jó, no capítulo 1, os filhos de Deus são os anjos. Jó 38:6-7. Não são seres de outros mundos não caídos que foram visitar a Deus. Deus está em toda a parte, e revela-se pelo seu Espírito.
      As escrituras não falam em nenhuma parte a respeito de mundos não caídos que possuem Adãos e Evas e as respectivas árvore da vida e árvore do conhecimento do bem e do mal.

      Jesus afirmou que "um espírito não tem carne e ossos como vedes que eu tenho." Jesus afirmou a existência de espíritos, não que eles tenham que entrar em contato conosco, o que já é outra história.

      O ser que apareceu a Saul foi Samuel. O escritor da narrativa inicia afirmando que a necromante "viu a Samuel", e encerra a narrativa afirmando que as palavras eram de Samuel.

      Samuel veio para juízo e não para afagar o ego de Saul. Ele lembrou a Saul a mensagem de advertência que lhe tinha comunicado quando ainda em vida sobre a terra.
      O que Samuel profetizou se cumpriu, mostrando que a mensagem era verdadeira.

      Não há nada na narrativa que justifique a personagem ser o diabo imitando Samuel. É ´so ler o conteúdo da mensagem de Samuel a Saul.

      Você afirmou: " O Espírito Santo dá testemunho de que sou filho de Deus, falando a minha mente, consciência..........."

      Onde fica sua consciência? Se somos apenas o corpo, sua consciência ou mente é produto de processos elétro-físio químicos realizados no cérebro.

      Não é o cérebro que recebe o Novo Nascimento.

      O cérebro carrega o DNA corrupto de nossos antepassados e será destruído por ocasião da ressurreição dos mortos. O corpo celestial não terá sangue. 1Co.15:50.

      O corpo celestial não será este mesmo corpo que herdamos de nossos pais e antepassados, carregando o DNA contaminado pelo pecado.

      Paulo compara nosso presente corpo a uma semente que é lançada na terra e apodrece, trazendo um corpo que não terá nem um pingo deste velho tabernáculo.

      Então, se somos somente este corpo a sua consciência, produto de processos químicos irá ser destruída não podendo ser o elemento que recebe o Novo Nascimento.

      Quem recebe o Novo Nascimento é a essência espiritual do homem, princípio inteligênte, e feito à imagem e semelhança de Deus, o qual chamamos de "espírito."

      Excluir
    27. Era muita coisa pro profeta Josué escrever espirado pelo o Espírito Santo que, por exemplo ?

      "A "Terra" ficou parada, e a lua também parou, até que o povo se vingou dos seus inimigos. Estas palavras estão escritas no Livro do Justo. A "Terra" ficou parado no meio do céu e atrasou a sua descida por quase um dia inteiro".

      Se foi O Espírito Santo que criou a Terra e o Universo, Lógico que Ele sabe que quem gira é a Terra e não o Sol !!!! Mas por que Ele não quis que Josué escrevesse assim ?

      Vamos supor que a Bíblia não fale Diretamente de outros seres Criados por Deus e não caídos, por esse motivo você não crer, mas a Bíblia não fala de outros Planetas criados por Deus, mas você acredita que eles existem no Universo a fora !!!

      Sim ou Não ???

      Comente esse texto pra mim por favor:

      "Então ouvi todas as criaturas que há no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, isto é, TODAS AS CRIATURAS do Universo, que cantavam: “Ao que está sentado no trono e ao Cordeiro pertencem o louvor, a honra, a glória e o poder para todo o sempre!”
      Os quatro seres respondiam: “Amém!” E os líderes caíram de joelhos e o adoraram".

      Esse é o meu Criador Ilimitado !!!!! Amém. Honra, glória, soberania, Majestade, poder, louvor e Adoração ao nosso Deus !!!!

      Você diz : "Jesus afirmou que "um espírito não tem carne e ossos como vedes que eu tenho." Jesus afirmou a existência de espíritos, não que eles tenham que entrar em contato conosco, o que já é outra história".

      Errado !!!!!

      Se Ele disse que Ele não era um espírito, que espíritos não tem ossos e carne, dá a entender que um "espírito" de seres humanos poderiam aparecer, essa afirmação destrói por que completo a vossa doutrina, se crermos que esse "espírito" pode ser o do ser "humano" e não de um demônio !!!!!!

      Também Vejo uma CONTRADIÇÃO DE JESUS, com vossa doutrina da Imortalidade da Alma, vocês dizem que o relato da Parábola do Rico e Lazaro É LITERAL.

      Talvez você possa me explica melhor essa supposta CONTRADIÇÃO.

      Vamos com mais uma objeção (espero que responda).

      Lucas 16:14

      1°) "E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia-me Lázaro, para que molhe na água a ponta do dedo e me refresque a LÍNGUA, porque estou atormentado nesta chama".

      Lucas 24:37-39

      2°) " E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito.
      E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações?
      Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito NÃO TEM CARNE NEM OSSOS, como vedes que eu tenho".

      Objeção::::

      Se Cristo estar falando de um "espírito" de um ser humano (como afirma vocÇe Cadi) em Lucas 24:39 e que esse suposto "espírito" de ser humano não tem carne e nem ossos, (preste a tensão agora na pergunta e responda) como que Cristo afirma que o espírito do Rico EM LUCAS 16:14 tem LÍNGUA E DEDOS ??????

      Não existe carna na Língua e nos Dedos ???

      ESSA MINHA PERGUNTA VALE PRA TODOS QUE PENSÃO DA MESMA FORMA QUE O PAULO CADI......

      Não me venha em me dizer que, SÃO COISAS ESPIRITUAIS, NÃO CABE AO HOMEM ENTENDER, COMO ALGUNS AQUI ME TEM FALADO !!!!!!

      Seguindo o seu exemplo de mente, Cérebro etc.

      Nós, os salvo em Cristo, quando vir o seu Reino, teremos lembranças das coisas que tivemos vivenciados a qui na Terra ? (Lembranças, Memória , Mente).

      Se ser humano quando ganhar seus corpos Glorificados se iram ter no seus corpos sangue, carne ou ossos, eu não sei mas, uma coisa eu sei..

      Mateus 26:29

      "Eu lhes digo que, de agora em diante, não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que beberei o vinho novo COM VOCÊS no Reino de meu Pai".

      Excluir
    28. Espíritos não bebem e não comem, e para comer e beber temos que ter membros, e se temos membros temos que ter sangue, se vamos sentar a Mesa com o Senhor Jesus e Isaque, Abraão e Jacó, por que um banquete vai haver, quando de fale em banquete, fala-se em comida, e quando fala-se em comida é por que alguém vai comer e para comer, temos que ter MEMBROS etc. Ou vai ter um ALIMENTO ESPIRITUAL ?? KKK

      Então, quem nasce de novo é o "espírito" ?

      Espero mais uma vez que responda as objeções !!!!

      É esperar muito de você !!!

      Em Cristo !!!!

      Excluir
    29. Se é para enumera-las , vamos então::

      Perguntas:::

      1°)A Feiticeira ela trabalha pra quem ? Deus ou O Diabo ??

      2°)E por que Deus reprovou aquela atitude de Saul ??? Consultar Médium ......

      3°)Na vossa crença, quando o espírito ou a alma sai do corpo, a pessoa morre, então, você vai ter a coragem de dizer que Paulo Morreu ???

      “Sai-lhes o espírito, e eles tornam ao pó; nesse mesmo dia, perecem todos os seus desígnios”. Salmo 146:4.

      Ei Paulo Cadi, me explique esta passagem de Col. 2:5

      4°)"Vem subindo um homem ancião, e está envolto numa capa."

      5°)Como harmonizar todas essas declarações com sua crença ?

      Vocês acreditam que os justos mortos então em cima no Céu, não em baixo "na terra".

      6°)Pode "subindo da terra" significar descendo do Céu ?

      Além disso, a narrativa assim descreve "Samuel": "Um ancião ..... envolto numa capa."

      7°)é desse modo que um espírito imortal apareceria ?

      8°)Ele realmente assume um corpo ?

      9°)Se é sim, onde obtém o corpo ?

      Se fosse respondido que houve uma ressurreição, responderíamos que tal confissão prejudica todo o argumento, por que cremos que o diabo não tem poder para ressuscitar os mortos, e certamente Deus não estava as ordens desta Médium, que se achava sob o divino edito de morte por praticar feitiçaria ( Veja Lev. 20:27; Deu. 18:10 e 11).

      10°)Onde habitava Samuel, se o suicida Saul iria estar com ele ?

      11°)Mas por que o relato fala de "Samuel", se ele realmente não estava ali ?

      O registro não diz que Saul viu a "Samuel", por que , quando a médium gritou, ele perguntou:

      "Que vês ?"

      E um momento depois: " Como é a sua figura ?

      12°)Se Samuel estivesse ali,por que Saul não o teria visto ?

      13°)Eram somente os olhos da feiticeira suficientemente penetrantes para discernir "um ancião.... envolto numa capa"?


      13 perguntas que calou a boca do Paulo Cadi !!!!!!!!!!

      Excluir
  58. O que tenho visto, são argumentos do tipo:

    - Não é assim!
    - Nossa fé reformada diz diferente!

    Mas nenhum estudo bíblico é apresentado!

    De onde esta fé reformada tirou suas conclusões? Já que não se encontra nem mesmo um estudo Bíblico completo sobre Daniel, na visão que os amigos tem apresentado?

    Isto veio mesmo da Bíblia ou tem sido passado por teólogos e estudiosos, através de análises aqui e ali?

    Onde está o TODO reunido, de forma formar uma doutrina sistemática e completa acerca do livro de Daniel?

    ResponderExcluir
  59. Sr. Adventista eu lhe provo que o livro de Daniel é para o povo dele, Israel. Não tem nada a ver com os Adventistas.

    Leia os capítulos 9-11 e está lá, mais do que explícito. Trata-se de Israel.

    Você insiste no estudo das profecias de Daniel porque o cap.8:14 deste livro, foi tomado emprestado de William Miller, que se arrependeu e sossegou o facho, e tornado o fundamento doutrinário de sua denominação.

    Eu lhe pergunto: Deus rejeitou seu povo, Israel?

    Lhe pergunto: Me mostre no livro de Hebreus o texto que mostra o Senhor Jesus passando para o lugar santíssimo, já que para White (e posso provar), Cristo ficou confinado no lugar santo por 18 séculos.

    Como o livro de Hebreus, é por excelência o livro que trata sobre o santuário, no Novo Testamento, a revelação ali não pode estar capenga, incompleta.

    Então onde está o texto que mostra o Senhor Jesus passando do lugar santo para o santíssimo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A teoria de confinamento, provém do próprio amigo, ou estou enganado?

      Segundo consta o amigo declarou que Cristo está assentado à destra do Pai, justificando uma impossibilidade de atuar no santuário celestial.

      Se o amigo pretende confinar cristo em um compartimento do santuário, ou a um trono, é da conta do amigo.

      Nós cremos que Cristo pode ocupar ambos os lugares ao mesmo tempo. Pois, sua majestade não o impede de atuar no santuário.

      Lembra da ordem de Melquisedeque? Rei e sacerdote?

      Excluir
    2. MEU COMENTÁRIO ESTÁ MAIS ABAIXO E CREIO QUE VOCÊ DEVE LER.

      Excluir
  60. Estimado Paulo Cadi
    A Paz do Nosso Redentor Jo.19.30
    Temos até apresentado estudos diversos aqui no blog para ajudá-los a entender as Verdades da Sã Doutrina. Ficamos as vezes até nas madrugadas estudando, anotando organizando e postando para facilitar a compreensão dos amados adventistas, porém pelo que podemos perceber a maioria não tem o trabalho de lêr e meditar no que preparamos, alguns não se livram do preconceito e têem medo de receber a Palavra sem os óculos da sra. White, que não tinha certeza de sua salvação eterna, como nos primeiros escritos pg.11, que demonstrei ao sr. Sétimo Dia. Estou lendo, mais até agora não encontrei uma declaração da sra. White, que ela tenha mudado de idéia com respeito a sua insegurança, a respeito da salvação. Inclusive se alguém puder me adiantar, antecipadamente agradeço.Não quero ser injusto.
    Deus te ilumine e guarde
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas cadê o estudo amigo Wilton?

      Nós temos o costume de estudar de uma maneira diferente!

      Tal qual os metodistas, procuramos não ouvir a opinião de um ou outro, mas sim um estudo pautado na Palavra de Deus, embasado com os devidos versos.

      Necessário é que o amigo, se disponha então, ao menos, a abrir conosco o capítulo 1 de Daniel e, verso-a-verso, nos explicar tudo que há ali contido.

      É assim que os adventistas trabalham. Contando toda a história desde o início e dando interpretação a tudo que é apresentado de capítulo-a-capítulo.

      Os amigos podem estar acostumados com esta forma de estudo, onde o pastor, explica uma coisa aqui e outra ali.

      Existe um costume na cristandade moderna de se trazer uma teoria já pronta, e, em cima desta teoria, mostrar versos na bíblia que pareçam comprovar cada uma das afirmações (ignorando o restante dos textos).

      Estudiosos como os adventistas, principalmente os historicistas, trabalham de forma diferente.

      Procuram explicar a história bíblica através da própria história!

      Ao invés de formular uma teoria, os historicistas na história o cumprimento de cada a firmação, ou seja, ao invés de teorias, usamos a história pra explicar os versos.

      Como de costume, é feita uma interpretação em cima de cada afirmação que não faz parte de uma narrativa histórica, criando-se então assim os ensinamentos e as doutrinas.

      Deste modo, não fica nada em um livro sem haver explicação.

      Um outro detalhe! Em nosso método de estudos, temos o costume de analisar versos paralelos a fim de solidificar o sentido de um entendimento. Ou seja, versos que dizem a mesma coisa, porém de forma um pouco diferente.

      Além disto, analisamos cada profecias sob a perspectiva de um TODO da Bíblia. E no caso de profecias apocalípticas, procuramos embasar as afirmações, também, através de outros versos ditos apocalípticos.

      Por exemplo, várias afirmações contidas no livro de Apocalipse, são repetições ou detalhamento de informações contidas no livro de Daniel.

      O próprio Cristo fez predições apocalipticas, utilizando o livro de Daniel.

      Ao utilizar estas ferramentas simples, dentre outras, foi possível elaborar um método de estudo que possibilitou identificar por, exemplo, as doutrinas do santuário e do Juízo.

      O que os adventistas pós-millerismo fizeram, nada mais foi do que fazer um estudo utilizando as ferramentas que lhe demonstrei.

      Foi este método de estudo que permitiu elaborar um complexo conjunto de doutrinas acerca do livro de Daniel.

      Podemos ver um pouco do resultado destes estudos através do seguinte link:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2013/11/biblia-facil-daniel.html

      Que tenho insistido para que os amigos assistam:

      E que está sendo repassado, de forma mais elucidatória através de um novo estudo que já se iniciou:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/02/daniel-um-livro-para-nossos-dias.html

      E sinceramento duvido que haja de ocorrer duas coisas:

      a) Que apresentem um estudo do livro de Daniel à altura;
      b) Que o amigo Luciano Sena se proporá a refutar tudo aquilo que está sendo dito pelos nossos estudos;

      O que percebo é que os amigos tem procurado contradizer nossas doutrinas, através de detalhes.

      Pergunto:

      Se tão somente o que os amigos têm apresentado são os detalhes do que aos amigos parece incorreto em nossas explanações, devemos considerar que todo o demais esteja correto?

      Fato é que o adventismo tem um estudo completo a apresentar, mas os amigos não!

      E por que?

      Como os amigos podem ter tanta certezas sobre suas doutrinas, sendo que não são capazes, ao menos, de interpretar integralmente o livro de Daniel?

      Excluir
    2. O Sistema adotado pelo adventismo para estudo é tão " bem elaborado ", que 1844 deu no que deu HERESIA!!! O GRANDE DESAPONTAMENTO, que Graças a Deus Miller foi sensato e abandonou todo sistema de estudo e retornou às ORIGENS ORTODOXAS de interpretação.
      Infelizmente nem todos pensaram igual .
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  61. Irmão Wilton, os adventistas são arminianos, já que Ellen White veio de um lar Metodista. A visão que ela tem da salvação é muito semelhante a doutrina metodista, já que para John Wesley o decálogo não foi abolido e o crente após receber a salvação tem de usar suas faculdades espirituais renovadas e cooperar com o Espírito Santo na manutenção de sua salvação, ou seja, o crente pode voltar atrás (apostatar),e vir a perder a salvação.

    Então a compreensão que os adventistas tem da salvação é que ela é um processo, e assim entendem os metodistas. Neste ponto o ensino das duas denominações é muito semelhante, porque também inclui a busca pela perfeição nesta vida. É claro que na prática não se vê está "busca pela perfeição", salvo em movimentos isolados como o Reavivamento Moráviano, através do qual John Wesley obteve a certeza de sua salvação.

    Ellen White, realmente quando ainda bem jovem, nutria insegurança com relação a sua salvação, mas relata que após um período de trevas, a obteve quando creu na pregação de Wiliam Miller, e não graças ao Metodismo, já que sua família abandonou a igreja Metodista para seguir o movimento Millerita.

    Lendo vários escritos de White vê-se que a doutrina de salvação delineada por ela, é bem dizer igual a doutrina Metodista, salvo sua visões a respeito da doutrina do juízo investigativo.

    Então, eles se afastam bem do calvinismo, e aí começa outro assunto.

    Em Cristo, Paulo Cadi!

    ResponderExcluir
  62. Present Truth, Aug. 1, 1849

    "Caros irmãos e irmãs

    O Senhor tem me mostrado que é meu dever relatar a vocês, o que tem sido revelado a mim concernente a verdade presente, nossa presente condição de tentação, dispersão e provação, e nosso dever em vista dos futuros julgamentos de Deus.

    Sábado, Março 24, 1849, nós tivemos uma reunião muito amável e interessante com os irmãos em Topsham, Me.
    O Espírito Santo foi derramado sobre nós, e fui levada em Espírito a cidade do Deus Vivente.

    Lá FOI-ME MOSTRADO QUE OS MANDAMENTOS DE DEUS, E O TESTEMUNHO DE JESUS CRISTO, CONCERNENTE A PORTA FECHADA, NÃO PODERIAM SER SEPARADOS, e que o tempo para os mandamentos de Deus resplandecerem, com toda a sua importância, e para o povo de Deus ser provado a respeito da verdade do sábado, FOI QUANDO A PORTA FOI ABERTA NO SANTÍSSIMO LUGAR DO SANTUÁRIO CELESTIAL, onde a arca está contendo os dez mandamentos.

    ESTA PORTA NÃO FOI ABERTA, ATÉ QUE A MEDIAÇÃO DE JESUS FOSSE TERMINADA NO SANTO LUGAR DO SANTUÁRIO EM 1844. ENTÃO JESUS LEVANTOU-SE, E FECHOU A PORTA DO LUGAR SANTO, E ABRIU A PORTA DO LUGAR SANTÍSSIMO, E PASSOU O SEGUNDO VÉU, ONDE AGORA PERMANECE DIANTE DA ARCA; "

    Sr. Adventista, mais claro impossível, NADA de Jesus passando de um lugar para o outro ou ocupando ambos os espaços mas com ministérios diferentes.

    Ellen White diz que foi levada a cidade do Deus vivo, ao santuário celestial. Mas Ap. revela que a Jerusalém celestial não tem templo.

    Em outros escritos Ellen White afirma que o templo fica fora da cidade. Contradição.

    Estas declarações contradizem completamente o livro de Hebreus.

    Sr. Adventista, vou repetir a pergunta: Mostre o texto, no livro de Hebreus que apresenta Cristo passando do lugar santo para o santíssimo.

    Se para vocês o livro de Hebreus só mostra Cristo no lugar santo, onde está o texto que mostra ele já no santíssimo?

    O livro de Hebreus está fazendo uma exposição incompleta da Expiação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pergunta é:

      O livro de Hebreus está fazendo uma exposição completa da Expiação?

      Era este o propósito da carta de Paulo?

      Ou será que o cerimonial é que tinha este propósito?

      E não é que Paulo, trouxe aquelas revelações baseadas nas figuras do cerimonial? Segundo a Bíblia que ele utilizava e que eram a lei e os profetas, ou seja, o Antigo Testamento?

      Tal qual Paulo não devemos buscar respostas em toda a Bíblia?

      "...assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na lei e nos profetas." (Atos 24:14)

      E não era que Paulo era taxado de sectário por trazer novos ensinamentos, antes encobertos?

      E não é que Paulo está a dizer de que o santuário no céu existe? E que o sumo-sacerdócio de Cristo existe?

      Pois a sua pergunta está mal formulada e segundo o que diz a palavra de Deus e o próprio Paulo, deveria ter sido pedido:

      Sr. Adventista, vou repetir a pergunta: Mostre o texto, NA BÍBLIA SAGRADA que apresenta Cristo passando do lugar santo para o santíssimo.

      Não cremos como o amigo, de que os ensinamentos acerca do santuário deva ser filtrado pela carta aos Hebreus. Como Paulo, cremos de que qualquer ensino deva ser filtrado na verdade por TODA a Palavra de Deus.

      Seguindo a instrução do próprio Paulo de que:

      "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;" (2 Timóteo 3:16)

      Portanto, para ver Cristo adentrando no santo-dos-santos, não apenas por palavras, mas através de uma forma didática, apropriada, uma representação, basta ler o texto bíblico que fala sobre o dia da expiação!

      Ali o amigo verá o sumo-sacerdote, que representava a Cristo passando, do santo, para o santo-dos-santos.

      É nesta base cerimonial que Paulo fixou suas observações, sendo também a base onde os adventistas fixam suas interpretações.

      Assim como os de Berea:

      "Logo pela noite os irmãos enviaram a Paulo e Silas para Beréia, e tendo eles aí chegado, foram à sinagoga dos judeus.

      Ora estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda a avidez, indagando diariamente nas Escrituras se estas coisas eram assim." (Atos 17:10-11)

      Então querido amigo Paulo Cadi, o erro está em sua pergunta e em seu conceito. Não podemos limitar as escrituras tão somente pelas cartas de Paulo, e agora, tão somente pelas cartas aos Hebreus.

      De filtrar a bíblia pelas palavras de Paulo, o amigo passa agora, a um filtro por apenas uma de suas cartas (aos Hebreus)?

      Ainda bem que o amigo não tem pedido para que provemos algo usando apenas o livro de Judas, que é dos menores.

      Porque aí sim os adventistas estariam em maus lenções "segundo as exigências do amigo". Pois jamais conseguiríamos provar todas as nossas doutrinas podendo usar tão somente este pequeno livro.

      Aceite um conselho: Não se limite tão somente à uma carta, ou aos ensinamentos de Paulo! Também não faça como alguns que se limitam tão somente ao Novo Testamento!

      Faça como Paulo e use toda a Bíblia como regra de fé e fonte de ensinamentos!

      Siga o exemplo dos bereanos, de verificavam as palavras de Paulo, para ver se condiziam com o que havia contido nas Antigas Escrituras.

      A situação é justamente o inverso do que o amigo tem crido.

      As palavras de Paulo, eram filtradas pelo que havia contido nas Antigas Escrituras e não o contrário, como o amigo tem proposto que façamos!

      E as cartas de Paulo foram aceitas como inspiradas justamente por não contradizer coisa alguma do que havia nas Antigas escrituras, senão, suas cartas teria sido rejeitadas como uma obra inspirada, principalmente se houvesse ali, algum bereano.

      Excluir
    2. * Assim como os de Berea:

      Leia-se: Procedendo assim como os de Berea:

      Excluir
    3. Wilton,,,,

      Parece que o amigo não compreendeu ou não compreende a crença Fundamental de N°10

      Vou escrever para o amigo tentar pelo o menos compreender :

      10. A Experiência da Salvação

      "Em infinito amor e misericórdia, Deus fez com que Cristo Se tornasse pecado por nós, para que nEle fôssemos feitos justiça de Deus. Guiados pelo Espírito Santo reconhecemos nossa pecaminosidade, arrependemo-nos de nossas transgressões e temos fé em Jesus como Senhor e Cristo, como Substituto e Exemplo. Esta fé que aceita a salvação, advém do poder da Palavra e é o dom da graça de Deus. Por meio de Cristo somos justificados e libertados do domínio do pecado. Por meio do Espírito, nascemos de novo e somos justificados. Permanecendo nEle, tornamo-nos participantes da natureza divina e temos a certeza da salvação agora e no Juízo. (Sal. 27:1; Isa. 12:2; Jonas 2:9; João 3:16; II Cor. 5:17-21; Gál. 1:4; 2:19 e 20; 3:13; 4:4-7; Rom. 3:24-26; 4:25; 5:6-10; 8:1-4, 14, 15, 26 e 27; 10:7; I Cor. 2:5; 15:3 e 4; I João 1:9; 2:1 e 2; Efés. 2:5-10; 3:16-19; Gál. 3:26; João 3:3-8; Mat. 18:3; I Pedro 1:23; 2:21; Heb. 8:7-12)."

      Se quiser pode acompanhar o diálogo que estou mantendo com Paulo Cadi...... é de seu interesse !!!!

      Excluir
    4. Fiz um comentário básico com data de 20.02.14 às 5:29, para o Sr. Adventista, que também destina-se ao senhor e todos os leitores.
      Interessante a crença fundamental 10. Destaco a terminologia, quando diz: "...Permanecendo nEle,...".
      Obviamente, quem passou pela experiência da salvação verdadeiramente, IRA PERMANECER NELE, pois esta até SELADO Efésios 1.13-14. Só para te ajudar a compreender melhor a segurança do verdadeiro salvo, comento, que na antiguidade uma das funções do selo era garantir a propriedade de um objeto ou de um escravo. O selo era uma marca ou uma tatuagem , e o penhor era um objeto que garantia o pagamento de uma dívida . O Espirito Santo vem habitar em nós, a partir do momento em que cremos em Cristo como Único e Todo-Suficiente Salvador , assim Ele nos sela como propriedade de Deus e,ao mesmo tempo, é o penhor de que o Pai cumprirá a promessa de nos salvar.
      OBS: As postagens que estás colando, de estudos, ficam longo demais e cansam a muitos na leitura. Se possível faça teu comentário pessoal, resumindo, para que facilite a compreensão de todos.
      É apenas uma sugestão.
      Quanto a postagem que estávamos tratando, estou procurando resumir ao máximo para facilitar tua compreensão. Te comunicarei, assim que aprontar. O tempo esta bem estrangulado. Tenho escrito nas "altas horas ".
      Deus te abençóe
      Em Cristo
      Wilton

      Excluir
  63. Sr. Adventista disse: "Portanto, para ver Cristo adentrando no santo-dos-santos, não apenas por palavras, mas através de uma forma didática, apropriada, uma representação, basta ler o texto bíblico que fala sobre o dia da expiação!"

    E o que nos mostra o texto bíblico do Dia da Expiação?

    Que o sumo sacerdote entrou DIRETO NO LUGAR SANTÍSSIMO. Ele não ficou no santo lugar NEM UM SEGUNDO, mas atravessou o segundo véu em direção ao propiciatório que representava o trono de Deus.

    Assim fez Cristo, entrando no santíssimo, alías no santuário celestial não tem lugar santo, já que o véu interno foi rompido por Deus na sexta-feira da Páscoa, no momento da morte do Senhor, acabando com as divisões, porque agora pelo véu rompido, sua carne, temos acesso ao Pai pelo Espírito Santo.

    Leia ali em cima no meu comentário o que Ellen White escreveu e confirme se ela não está CONTRADIZENDO AS ESCRITURAS.

    João foi levado ao santíssimo do santuário celestial a ordem de Melquisedeque. Leia Apocalipse caps. 4-5.

    Jesus atravessou o véu diz Hebreus 6:19-20 como nosso precursor e sentou-se à destra de Deus, ou seja, no trono do Pai, que era no tabernáculo terrestre representado pelo propiciatório.

    O véu que ele atravessou foi a sua carne dilacerada até aparecerem-lhe os ossos. Ele ficou banhado em carmesín, da mesma cor do véu interior que separava o santo lugar do lugar santíssimo.

    LEIA o que sua profetisa escreveu e prove o contrário. LEIA, está ali em cima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dia da expiação é o adentramento ao santo-dos-santos. Se o amigo olhar mais atrás, no cerimonial, perceberá que haviam trabalhos que eram realizados pelo sacerdote e que também prefiguravam a Cristo.

      O dia da expiação é uma continuação dos trabalhos que eram realizado nos dias normais.

      Talvez, então, eu tenha entendido onde está o questionamento do amigo:

      O amigo imagina que, segundo os adventistas,o dia da expiação seja uma representação de TODO o trabalho que Cristo realiza no céu. Mas não é assim.

      O dia da expiação é apenas a segunda parte do seu ministério, a primeira é aquela representada nos dias normais, segundo o cerimonial, e que era realizada pelo sacerdote.

      Veja se o amigo entende:

      Cristo é sacrificado, então sobe para ministrar como sacerdote, segundo O CERIMONIALISMO que era realizado nos dias NORMAIS.

      Então, no dia da Expiação, cristo adentra ao santo-dos-santos.

      Ou seja, quando Cristo adentra ao santíssimo, Ele já estava no compartimento do santo. O dia da expiação então trata apenas do seu adentramento ao santíssimo.

      Sendo assim, após subir subir ao céu, Cristo adentra ao santuário e se detêm no primeiro compartimento, para realizar os trabalhos do sacerdote (segundo a representação cerimonial dos dias normais) para que, então, em dia determinado, passasse a trabalhar no santo-dos-santos (segundo a representação do dia da expiação).

      Só que o caminho pelo véu, já estava aberto, segundo o sacrifício de Cristo, por meio de SUA carne.

      Então, Cristo adentra ao santuário, no compartimento do santo, já com o caminho aberto ao santo-dos-santos.

      Cristo então não fica esperando no santo, mas trabalha neste compartimento (segundo a representação dos dias normais do cerimonial), até a chegada da data determinada para o início de seus trabalhos, também, no santo-dos-santos, (segundo a representação do dia da expiação).

      Enquanto Cristo trabalha no Santo-dos-santos, ele não deixa de, também, realizar os trabalhos diários. Cristo executa a obra da expiação, como uma obra maior, além da obra diária de mediação e intercessão pela humanidade.

      Era esta a dúvida do amigo?

      Excluir
    2. Sinal Vermelho! Alerta ao Sr. Adventista:

      Você disse: "Só que o caminho pelo véu, já estava aberto, segundo o sacrifício de Cristo, por meio de SUA carne."
      "Então, Cristo adentra ao santuário, no compartimento do santo, já com o CAMINHO ABERTO DO SANTO- DOS-SANTOS." (Ênfase minha).


      White: "ESTA PORTA NÃO FOI ABERTA, ATÉ QUE A MEDIAÇÃO DE JESUS FOSSE TERMINADA NO SANTO LUGAR DO SANTUÁRIO EM 1844. ENTÃO JESUS LEVANTOU-SE, E FECHOU A PORTA DO LUGAR SANTO. E ABRIU A PORTA DO LUGAR SANTÍSSIMO, E PASSOU O SEGUNDO VÉU ONDE AGORA PERMANECE DIANTE DA ARCA." PRESENT TRUTH, AUG., 1 1849.

      NADA de porta aberta para o santíssimo, ANTES de 22 de Outubro de 1844.

      Hebreus 6:19-20, ensina que Jesus como nosso sumo sacerdote entrou ALÉM DO VÉU, como nosso precursor.

      Só que Ellen White afirma que este véu, é o véu externo que separava o lugar santo do pátio.

      O livro de Hebreus diz que Jesus assentou-se à destra de Deus DE UMA VEZ POR TODAS. No serviço típico do santuário terrestre, o propiciatório que representava o trono de Deus, NUNCA esteve no lugar santo, onde ficavam os 12 pães e o candelabro.

      Em Hebreus 8:1 diz que Jesus está assentado à DESTRA DO TRONO DA MAJESTADE, como sumo sacerdote. O trono de Deus, tipificado pelo propiciatório ficava no santíssimo.

      Além do mais, nunca o sumo sacerdote fazia o trabalho do sumo-sacerdote e vive-versa, e também o ofício de sacerdote nunca tipificou o intercessionato de Cristo, porque não lhes era permitido apresentar-se diante de Deus, privilégio e responsabilidade somente do sumo sacerdote.

      Em Hebreus 9:6 diz: "Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no PRIMEIRO TABERNÁCULO, cumprindo os serviços, (v.7) MAS NO SEGUNDO, SÓ O SUMO SACERDOTE, uma vez ano...(v.8) Dando nisto a entender , o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário (segundo compartimento) não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo (lugar santo). (v.11-12) Mas, vindo Cristo, O SUMO SACERDOTE DOS BENS FUTUROS (herança dos santos na Luz), por um maior e mais PERFEITO tabernáculo, não feito por mãos, isto é não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário (segundo compartimento do santuário, onde em tipo entrava o sumo sacerdote uma vez ao ano), havendo efetuada uma ETERNA REDENÇÃO (nada de olhar registros de crentes)."

      O Autor da epístola, está trazendo a Tipologia do Antigo Pacto e sua realização no Novo Pacto. Assim como o sumo sacerdote entrava no segundo compartimento chamado de santo dos santos, Cristo entrou ALÉM DO VÉU, o segundo, que representava a sua carne.

      Quer mais claro do que isto?

      Excluir
    3. Onde diz , 'Além do mais, nunca o sumo sacerdote, ler 'Além do mais, nunca o sacerdote.

      Obs: No capítulo 9 de Hebreus cuidar o uso da palavra santuário que é usado de forma intercambiável.

      Excluir
    4. Opa! Então parece que temos opiniões realmente diferentes. Ou será que não?

      Esta é uma afirmação de Vinte e quatro de março de 1849; Que consta em documentos referentes à doutrina da porta fechada.

      Esta visão de Ellen White se refere na verdade à mais de uma porta (duas na verdade) e dois véus!

      Veja:

      "Então Jesus Se levantou e fechou A PORTA do lugar santo e abriu a porta que dá para o santíssimo, e passou para dentro do segundo VÉU."

      Quanto a estas portas ocorre o seguinte:

      Trata-se de um outro assunto e que tem a ver com o fechamento da porta da graça!

      Não que houvesse alguma porta no cerimonial de israel, mas que o santuário, foi apresentado em visão à Ellen White, com todos os elementos, porém agora contendo portas, para que Ellen White pudesse se situar quanto aos acontecimentos que envolviam a passagem de Cristo para o santo-dos-santos, através do véu e também de algo mais que também ocorreria no período de 1844, e que foi lhe apresentado no formato de portas.

      Esta visão foi de fundamental importância para se dizer o que foi fechado! E também o que foi inaugurado, por aquela porta que foi aberta ao santo-dos-santos!

      Acabando então com a confusão e a idéia que imperava na época, entre os pós-milleritas acerca do fechamento da porta da graça.

      Eis o texto com mais detalhes:

      http://www.ellenwhitebooks.com/?l=27&p=42
      http://www.ellenwhitebooks.com/?l=27&p=43
      http://www.ellenwhitebooks.com/?l=27&p=44
      http://www.ellenwhitebooks.com/?l=27&p=45

      Na íntegra, o texto não deixa dúvidas de que se trata de outro assunto.

      Mais alguma, aparente diferença de opinião entre minha pessoa e Ellen White?

      Gostaria que os amigos me mostrassem algo de diferente entre o que tenho pregado e os escritos de Ellen White, para que eu possa mostrar de que, minha opinião não tem sido construída com base em Ellen G. White.

      Então não terei problema algum em assumir alguma diferença de opinião, quando esta vier de fato a ocorrer, muito pelo contrário, assumirei com o maior prazer!

      Excluir
  64. O cerimonialismo dividia o santuário em duas parte, para demonstrar que eram duas parte distintas do ministério sacerdotal de Cristo.

    Mas ambos os ministérios ocorrem no mesmo santuário, porém um se inicia imediatamente e o outro começa bem depois. Representativamente Cristo passou do santo para o santo-dos-santos. Esta é a forma didática de ensinarmos, segundo o cerimonialismo.

    Entretanto, Cristo não é limitado por paredes, nem compartimentos. Cristo é limitado pelas circunstâncias.

    Os compartimentos do santuário, tanto celeste, quanto terrestre, servem apenas para demonstrar as limitações trazidas circunstancialmente pela entrada do pecado no mundo e a separação que ocorreu entre o homem e Deus e de que forma ocorreu a reaproximação!

    Porque o que nos era impedido era o acesso direto à Deus, por causa de nossos pecados que fazem separação entre nós e Deus.

    Esta cortina de separação era representada pelo véu do santuário, que continha o sangue provindo da propiciação pelos nossos pecados. O sangue aspergido sobre o véu, simbolizava o registro de nossos pecados, o escrito de dívida que nos era contrário e que cristo removeu inteiramente de nós sendo encravado na cruz!

    Abrindo um novo e seguro caminho, pelo qual temos acesso direto ao santo-dos-santos.

    Dia após dia, Cristo faz propiciação, por todos aqueles que se arrependem, e se convertem, justificando-os através do SEU sangue.

    Como forma de demonstrar na prática aquilo que antes os anjos observavam cerimonialmente.

    Os trabalhos de Cristo no santuário, servem para mostrar, didaticamente ao céu, como funciona o plano criado por cristo, para a redenção da humanidade.

    Assim como os trabalhos realizados pelos sacerdotes, aqui na terra, no cerimonialismo, serviam para mostrar, didaticamente, como funciona este mesmo plano (obviamente limitado pela capacidade dos sacerdotes, que não eram onipotentes nem onipresentes).

    De forma que os trabalhos aqui na terra eram apenas uma reprodução daquilo que ocorreria no céu.

    Cristo precisa fazer este trabalho, porque sua justiça e a forma como lida com o pecado precisa ser registrada.

    O juízo investigativo, por exemplo, é uma forma de Cristo demonstrar às criaturas celestes, os critérios que utilizou para definir cada um daqueles que serão salvos.

    Cristo conhece seu próprio plano da salvação e também seus métodos e tem plena confiança na eficácia de SEU ministério.

    Mas além de registrar, o universo, também precisa entender todo o processo da salvação da humanidade.

    (...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A própria terra e a história humana, tem servido como uma forma didática de Deus mostrar às criaturas a diferença entre o bem e o mal, e a diferença entre um mundo sem pecados e um mundo com pecado.

      Mais do que isto, estes trabalho demonstram o extremo amor e trabalho árduo e incessante de Cristo pela humanidade. Mostrando o quanto Cristo se interessa por SUAS criaturas.

      Não apenas através de SEU sacrifício, mas até mesmo antes e depois, cristo tem realizado uma obra contínua para a redenção da humanidade e que só terminará, quando se efetivar a hora de SUA vinda.

      Portanto, Cristo não está no céu, sentado em um trono, aguardando apenas o dia de SUA vinda. Ele está e continuará atuando em nosso favor, em um trabalho que se iniciou lá no Éden.

      O santuário serve como representativo deste trabalho, invisível, que Cristo realiza por nós (na batalha entre o bem e o mal)! Mas que pode ser visualizado e entendido, através das representações cerimoniais (aos homens) e através dos trabalhos que realiza no santuário Celestes (às criaturas celestes).

      Até mesmo o trono é símbolo de SUA autoridade majestática e não uma limitação!

      O pecado não impediu que Cristo tomasse posse como Rei, bem como não impediu que aqueles (segundo seu livre arbítrio) pudessem voltar para as mãos de Deus.

      Como diz a Bíblia, segundo seu livre arbítrio, aquele que está nas mãos de Deus, satanás não tira.

      E toda a doutrina do santuário e do juízo nos demonstra esta importante obra que Cristo tem feito desde o princípio do mundo, como cordeiro que tira o pecado do mundo e que foi sacrificado desde o princípio.

      Parte da dor e humilhação que Cristo sofreu, iniciou-se quando a humanidade caiu em pecado. E continua ainda hoje, enquanto a humanidade ainda peca e se mantém afastada de Deus.

      Mas quando Pai e Filhos novamente estiverem novamente juntos e o pecado não mais existir, então acabará a dor e o sofrimento.

      Não que a perda daqueles filhos que o rejeitaram não o acompanhe pela eternidade, assim como as marcas de seu sacrifício, nas mãos e sobre as suas costelas. Mas será um episódio passado, triste, mas também feliz.

      A Bíblia diz que com o tempo, nos esqueceremos das antigas coisas, mas nada poderá preencher o vazio que haverá no coração de Deus, por cada um daqueles Filhos que ELE conhecia pelo nome e cujos fios de cabelo estavam devidamente contados.

      Por isto eu creio na doutrina do Santuário e do Juízo.

      Excluir
    2. Minha resposta está aí em cima, as 14:40.

      Excluir
    3. NOÇÃO DE JUÍZO

      Biblicamente, a palavra juízo tem um significado que se separa do conceito que temos e que geralmente resumimos em punição!

      No antigo testamento Juízo era algo desejável! Entre salmos e cânticos a justiça de Deus era invocada, para libertação!

      Trazer justiça, no conceito hebraico era trazer aquilo que o justo necessitava, salvação da injustiça.

      Na doutrina do Juízo investigativo, Cristo registra e demonstra a santificação (separação) que ocorre entre cada pessoa e o pecado.

      Os anjos não sabiam, com certeza, se uma pessoa estava salva ou perdida, nem mesmo o próprio anjo da guarda de uma pessoa.

      Mas através do juízo investigativo, fica claro ao céu quem está salvo e quem está perdido. Porque os anjos sabem o que se passa aqui na terra, mas só Deus enxerga o que se passa no coração.

      Nesta parte do ministério de Cristo, como advogado e ao mesmo tempo juiz (que na cultura hebraica também tem sentido de atuação em favor do justo), confessa diante do Pai e de todo o universo, cada homem que lhe pertence.

      A promessa é clara, se confessarmos a Cristo através do batismo, por exemplo, ele também nos confessará diante do Pai e se formos fiéis à Deus, de forma alguma nosso nome será apagado do livro da vida.

      O juízo investigativo, então, não pretende apagar nosso nome do livro da vida, quem faz isto somos nós mesmos, segundo nossas atitudes.

      O que Cristo faz é apenas ler e declarar ao universo o nome daqueles que se encontram inscritos e cujo nome não foi apagado.

      Somente três coisas podem tirar a salvação do salvo:

      A apostasia, o pecado contra o Espírito Santo e o pecado acariciado.

      Morrer em apostasia, implica em perdição eterna, mas mesmo se apostatando, ainda há salvação desde que se ouça a voz do Espírito Santo que sempre estará a convencer acerca do pecado da justiça e do juízo.

      Mas se rejeitamos esta voz por toda a nossa vida, chegamos a um ponto em que o Espirito Santo não mais atua, porque chegamos ao ponto de cometer um pecado imperdoável que é a rejeição total aos apelos do Espírito Santo.

      A Bíblia diz que o Espírito Santo se entristece com tal atitude.

      (...)

      Excluir
    4. Mas Deus é um deus de amor, e um pai de amor não deserda seu filho por conta de qualquer erro que tenha cometido.

      Deste modo, só não estará no céu aquele que não tiver mesmo condição de ir para lá. Mas qualquer que ouve a voz do Espirito Santo e se arrepende, este anda com Cristo e tem-lhe como melhor amigo, confessa seus pecados e se arrepende, este tem a salvação garantida.

      Mas de tudo isto, existe ainda uma pedra de tropeço: Pecados acariciados.

      Pecados estes que não se tratam de pecados que porventura tenhamos praticados sem perceber, ou que tenhamos nos esquecido de confessar. Mas sim pecados que cometemos, sabendo que é errado e que se torna um hábito do qual não nos arrependemos e carregamos pelos dias de nossa vida, até encontrar a sepultura.

      Maridos de vida dupla, que vão à igreja, mas que às escondidas tem traído sua mulher.

      Pastores que pregam no pulpito, mas que às escondidas sonegam impostos e não pagam o que é devido a quem lhes presta serviço.

      Este tipo de mancha, nem mesmo o sangue de Cristo pode remover. Manchas de pecados acariciados que impregnam até a alma do indivíduo. Pecados por tantas vezes repetidos, que criam calos na consciência, chegando ao ponto de não mais doer nas consciência.

      Bem aventurados aqueles que lavam suas vestes no sangue do Cordeiro e que guardam os mandamentos de Deus. Que dia após dia entregam seu caso nas mãos de Cristo, que se arrependem e permitem ser feitos branco como a neve.

      Mal vai para os pecadeiros, que cometem pecados e delitos e se esquecem que há no céu alguém pronto a lhe perdoar. Cujo pecado não se torna apenas mais uma falha, mas um estilo de vida.

      Como vemos, com Cristo, só nos perdemos se assim nós quisermos. Porque temos um tribunal todo preparado, a nos absolver, onde cada caso é levado dia-após-dia. Onde a sentença de perdão é garantida, através dos trabalhos mediadores e intercessórios que Cristo realiza em nosso favor, no céu.

      Excluir
  65. Sr. Adventista
    Saúde
    O amado do Senhor mencionou acima a seguinte declaração:

    "O juízo investigativo, então, não pretende apagar nosso nome do livro da vida, quem faz isto somos nós mesmos, segundo nossas atitudes."

    É lamentável e triste a pessoa não entender que a salvação é tão somente pela Graça ( favor imerecido ). O texto Bíblico é claro e objetivo, quando nos assegura, que "...isto NÃO VEM DE VÓS, para que NÍNGUÉM SE GLORIE..." Ef.2.8-9, Jo.10.28; Jo.5.24. este ultimo texto citado o de João, refere-se à advertência escatológica da segunda morte Ap.21.8 e à instantânea redenção dos pecados Lc.23.40-43.
    A Obra da Expiação esta completa esta tudo consumado Jo.19.30 ( O escrito da dívida , que tinhamos para com Deus foi pago, pelo Senhor ).
    Observe querido amigo, que o Senhor Jesus veio nos ensinar, que pecado não é apenas, quando praticamos com nossos atos, porém se pensarmos, já cometemos o pecado contra Deus.
    Veja que a salvação tem que ser como a Palavra nos ensina é tão somente pela GRAÇA.
    Uma vez tornando-se filhos de Deus sempre seremos. 2 Co.5.17 e nascimento de Deus. É obra do Santo Espirito.
    Agora, quem nasce da religião, do pastor ,da denominação, da emoção de um fato ouvido ou ocorrido e não nasceu do Espirito Santo. Vai ter que ficar preocupado a todo momento se esta salvo ou não se pediu perdão ou não viverá em constante conflito dentro de si, com sua consciência.
    Isto já não ocorre quem é salvo pela Graça de Deus. Ele descansa na certeza que sua salvação esta nas mãos do Senhor Jesus Jo.10.28. Ele veio cumprir os 613 mandamentos da Lei e nos garantiu a salvação, Aleluia!
    V.10 as boas obras é uma consequência NATURAL na vida do verdadeiro salvo, é o " VAGÃO " a salvação é a "LOCOMOTIVA". Mostramos, sim, nossa salvação através de nossas boas obras, que é uma CONSEQUÊNCIA; é o EFEITO, não a CAUSA.
    Abandone esta idéia, que esta totalmente fora da Palavra e ensino do Senhor Jesus, assim como a data de 1844 para a volta do Justo Juíz . Na ocasião todos tiveram tempo para arrepender-se, infelizmente somente Miller se retratou com Deus e a Igreja, os outros permaneceram, endurecendo suas servís. Hoje estamos alertando, também como a igreja fez com os pioneiros e não estamos sendo ouvidos. Não desistiremos, pois o amor que sentimos por vossas almas é maior.Livre-se deste fardo e receba a salvação de acordo com a revelação das Santas Escrituras e receba o verdadeiro descanso que Jesus oferece a todos os que forem a Ele de todo o seu coração, recebendo-o, como Único e Todo-Suficiente Salvador de Suas almas.
    Com respeito e consideração
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Animador para muitos, amigo Wilton, mas não corresponde à verdade das escrituras.

      A salvação é pela graça e isto é irrevogável. Mas há algumas coisas a se considerar:

      Cristo entra em uma cidade cheia de pecados, nos salva e nos coloca longe dela, em um ponto limite, que nos separa do céu até o dia de SUA vinda.

      Mas Cristo não nos levará para o céu, se voltarmos atrás e caminharmos com nossos pés de volta à cidade pecaminosa.

      Cristo não entrará nesta cidade uma segunda vez para nos buscar. Tudo que ELE pode fazer é, lá do alto, nos chamar através do SEU espírito!

      Mas se o indivíduo quer mesmo voltar a viver no pecado, cristo não poderá levar tal pessoa, para o céu!

      Cristo levará aqueles que o esperaram, fora dos limites da cidade e que não querem, de forma alguma, viverem lá.

      Hora caminhamos rumo à cidade e hora voltamos ao ponto onde Cristo nos deixou. Mas muitos acreditam que dará tempo de darem uma entradinha na cidade e sair antes da volta de Cristo.

      Porém, assim procedendo, muitos não conseguem sair de lá, outros ali perecem, poucos são os que conseguem ainda voltar.

      Assim também é a nossa salvação, que demanda um esforço também por parte de nós, porém não um esforço para sermos salvos, pois quem faz isto é somente Cristo!

      Mas sim um esforço para nos mantermos longe do pecado, ouvindo sempre a voz do Espírito Santo que nos convence do pecado da justiça e do juízo.

      Precisamos estar prontos, quando cristo voltar, quer seja por ocasião de sua vinda ou pelo descer de nossa alma à sepultura.

      Quando Cristo voltar, será que irá percorrer os bares, as boates e os prostíbulos a fim de levar, pelo colarinho, aqueles que lhe pertencem?

      Excluir
    2. Sr. Adventista
      Obrigado por abrir o coração e falar o que esta dentro dele. Somente assim podemos ajudá-lo a encontrar o único Caminho para a salvação de tua alma em Cristo Jesus.
      Por favor releia o nosso comentário e medite nas promessas dos textos que o Senhor fala para você e para mim.
      Não somente são Palavras animadoras, porém são verdadeiras e eternas.
      Quem aceita ou recebe ao Senhor de fato e de verdade em seu coração, JAMAIS TERÁ VONTADE DE VOLTAR ATRÁS.
      Neste ato de recebimento de Jesus em nosso coração, acontece O MAIOR MILAGRE, o NOVO NASCIMENTO, nos tornamos NOVA CRIAÇÃO é algo maravilhoso, Glória Á Deus!!! é algo mais lindo, nunca mais seremos os mesmos e NÃO SENTIREMOS VONTADE DE VOLTAR ATRÁS, recebemos o Penhor do Espírito Santo.
      Na primeira carta de João no capítulo 2 versículo 19, esta escrito: " Saíram de nós, porém não eram de nós, porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós. " Existem diversos textos que nos provam a perseverança dos santos do Senhor.
      Voltamos a lembrar: Infelizmente a maioria das pessoas conhecem , tem até experiências com o Poder de Deus. Estamos responsáveis por uma Congregação, pela Graça de Deus, e já temos tido diversas experiências com pessoas, que foram grandemente abençoadas fisicamente falando, libertação, curadas, etc. Pessoas que experimentaram o Poder de Deus, pela pregação da Palavra, poderem nem todas permaneceram. Não querem muitas das pessoas compromisso com Deus.Exatamente porque não nasceram do Espirito Santo. O Nome do Senhor foi glorificado na vida delas, porém decidiram não seguí-lo.Lembra dos 10 ( dez ) leprosos? só um resolveu seguí-lo e voltou para agradecê-lo.
      Amado do Senhor , não demanda esforço nenhum de nós, Jesus já o fêz e esta intercedendo por nós neste momento, como advogado de defesa diante do Pai.
      Nos esforçamos , sim , voltamos a dizer, para agradarmos ao Nosso Salvador, procurando fazer Sua vontade, como consequência da Salvação recebida, nossa gratidão bem como a nova natereza nos impulsiona a agradá-lo a serví-lo. Não para conquistar a salvação, pois Ele já conquistou na cruz. Jo.19.30 , mas fomo criados para as boas obras as quais Deus preparou para que andássemos nelas e assim fazemos com TODA NATURALIDADE e DESCANÇO em Cristo Jesus.
      Aproveite e receba de Graça da água da vida que o Senhor te ofereçe. " Ò Vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai,sem dinheiro e sem preço, vinho e leite." Is.55.1
      Receba-o agora e sirvá-o tão somente por gratidão, pois tudo Jesus já fêz por você e por mim.
      Amamos vocês
      Em Cristo Jesus
      Wilton

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Sr(s). adventista(s):
      As asserções do amigo incitam questionamentos, em minha humilde forma de ver, interessantes. Acredito serem chave do ponto de vista doutrinário de sua fé.
      "Mas Cristo não nos levará para o céu, se voltarmos atrás e caminharmos com nossos pés de volta à cidade pecaminosa. Cristo não entrará nesta cidade uma segunda vez para nos buscar. Tudo que ELE pode fazer é, lá do alto, nos chamar através do SEU espírito!". Esta conclusão sobre o ânimo de Cristo é sua, é adventista ou tem base bíblica?
      "Mas se o indivíduo quer mesmo voltar a viver no pecado, cristo não poderá levar tal pessoa, para o céu!
      Cristo levará aqueles que o esperaram, fora dos limites da cidade e que não querem, de forma alguma, viverem lá."
      Oque leva um adventista a ter certeza da atitude que tomará Cristo nesta situação? Ou seria esta uma simples conclusão racional?
      " Quando Cristo voltar, será que irá percorrer os bares, as boates e os prostíbulos a fim de levar, pelo colarinho, aqueles que lhe pertencem?"
      Será que não? E porquê não? Esta afirmação se encaixa em Mt 18:12 ?
      paz e bem!

      Excluir
  66. Caros participantes, quero chamar a atenção para um "fenômeno" de natureza intelectual que está acontecendo na mente do nobre Sr. Adventista.

    Quando citamos as escrituras e trazemos as provas bíblicas, o Sr. Adventista só fica tecendo discursos infindáveis, sem citar os textos bíblicos que comprovem o que ele está afirmando.

    Então, acontece o seguinte: O Sr. Adventista está argumentando em "causa própria", e não defendendo a teologia adventista, já que ele CONTRADISSE sua profetisa várias vezes com o objetivo de "salvá-la".

    O Sr. Adventista também está usando de um artifício, que não sei se ele conhece, que se chama em inglês "begging the question", que seria mais ou menos, "sofismando a pergunta", quando a "proposição" da qual ele parte não é sustentada com textos bíblicos, mas simplesmente por um discurso que não chega a lugar nenhum, muitas vezes inintelígivel (não estou questionando a inteligência do Sr. Adventista), mas no afã de defender uma doutrina que em suas premissas carece de provas bíblicas, o Sr. Adventista cai na armadilha do que se chama de "circular reasoning" ou "raciocínio circular".

    Então, solicíto ao Sr. Adventista, que nas suas intervenções CITE AS ESCRITURAS PARA DEMONSTRAR O QUE ESTÁ AFIRMANDO, e não fique apenas dando discursos sem fim, porque assim o debate fica infrutífero, não sendo proveitoso principalmente para os outros participantes, como nós, mas que não tomam parte nos debates.

    Fica então aqui a minha solicítação ao Sr. Adventista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O nome correto disto, é 'overview'.

      Uma visão geral, sobre o que os amigos veriam, caso estudassem a fundo a doutrina do santuário e do juízo.

      Meu objetivo é despertar o interesse dos amigos leitores. Creio que despertei o interesse do amigo, já que tem me pedido versos bíblicos para os textos.

      Quanto às explicações e o embasamento bíblico, já temos tudo pronto e explicado de uma forma fácil e bem acessível. Comecemos pela base, o livro de Daniel, com a história explicada de capítulo-a-capítulo:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2013/11/biblia-facil-daniel.html

      Continuemos em:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/02/daniel-um-livro-para-nossos-dias.html

      E por que começar com o livro de Daniel?

      Porque foi por onde os adventistas começaram.

      Este estudo explica, inclusive, detalhadamente, o cálculo de Miller.

      Bons estudos!

      Excluir
    2. Sr. Adventista, se isto fosse "overview" você estaria descrevendo passo a passo a doutrina do juízo investigativo. DE ACORDO com Ellen White.

      Mas você está simplesmente procurando tapar as brechas que existem nos escritos dela, contradizendo o livro de Hebreus que afirma com todas as letras que Cristo entrou DE UMA VEZ POR TODAS no lugar santíssimo e assentou-se à destra de Deus, assim como o sumo sacerdote entrava direto no lugar santíssimo no Dia da Expiação.

      Eu já disse e REPITO; Se isto fosse um debate ao vivo vocês irão 'pagar mico.' Mas vocês não tem coragem para isso, arranjando um monte de desculpas.

      Excluir
  67. Eu proponho o foco do artigo: (comparar as declarações da White, com as Escrituras, que é o que importa)

    O autor de Hebreus fez um comparativo entre a obra do dia da expiação realizada somente pelo sumo-sacerdote, somente uma vez ao ano, somente com sangue. E isso era efetuado em qual lugar do santuário? onde o sumo sacerdote entrava UMA VEZ AO ANO E COM SANGUE???? Era no pátio externo? No lugar santo? Ou era no lugar santíssimo??? As Escrituras mostram claramente que era no santíssimo.

    REQUISITOS PARA ENTRAR NO SANTÍSSIMO LUGAR:
    - Só o sumo-sacerdote.
    - Só uma vez ao ano no dia da expíação.
    - Só com sangue.

    - Cristo é comparado com o sumo-sacerdote? SIM!
    - A Obra de Cristo é comparada com a obra do sumo-sacerdote no dia da expiação? SIM!
    - O Sangue de Cristo é comparado com o sangue(animais) que entrava no santíssimo? SIM!

    Então por quê cargas dágua, temos de entender que Cristo foi para o lugar santo e ficou oferecendo seu sangue nesse lugar por 18 séculos???? Era isso que o sumo-sacerdote fazia no dia da expiação??? É isso que entendemos na Epístola aos Hebreus??

    Se o sumo sacerdote do tabernáculo terrestre entrava uma única vez ao ano, com sangue de animais, no lugar santíssimo; onde é que Jesus Cristo entraria para oferecer seu Santo Sagrado Sangue? No lugar santo? Não dá para entender nem aceitar isso; se o sangue de touros e bodes o qual não tira pecados(Hb 10:4), era oferecido no lugar santíssimo, como entender que o Sangue de Jesus foi oferecido no lugar santo??? Não há como negar, essa Epístola Bíblica mostra claramente que Cristo realizou a Obra da Eterna Redenção no Santíssimo lugar.

    Lembrando que, foi escrito que Ele “entrou”, havendo “efetuado” (expressão no passado)uma Eterna Redenção! Nada, nada mesmo diz ou indica que Jesus “entrará” ou “efetuará”, ou ainda terminará(futuro)!

    Muito diferente de EGW, que afirmou que Cristo ficou 18 séculos ofereçendo seu Sagrado Sangue no lugar santo, e só em 22 de outubro de 1844, ele foi para o santíssimo! (absurdo). Qualquer um que ler o livro de Levíticos, e principalmente a carta aos Hebreus, não tem como entender que Cristo foi para o lugar santo, ficar lá 18 séculos e só depois passar para o santíssimo. Só mesmo com muito malabarismo mental e torção das Escrituras.

    Depois de uma boa análise, muitos ASD não tem mais como negar isso e então partem para argumentações do tipo como ouvi uns tempos atrás: “Ah, mas Cristo andava por toda parte no santuário...” Isso é exemplo de rodeio e fuga; pois não foi isso que EGW disse, muito menos a carta aos Hebreus! O foco é: EGW afirmou que Cristo foi para o lugar santo, e as Escrituras mostram algo diferente.


    Vamos Refletir.
    Décio – um Aprendiz de Cristão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como entender? Ora, estudando!

      Nós estudamos a Bíblia e entendemos muito bem!

      Sua compreensão, acerca dos versos bíblicos, se mostram errados, nada mais. Não consegue harmonizar as palavra de Paulo, com o cerimonialismo, apenas isto.

      Os vídeos estão aí, se quiser saber o porque, comece a fazer os estudos!

      Excluir
  68. Em muitas questões, como esse caso, o adventismo é que não se harmoniza as palavras das Escrituras; a não ser que torça tudo.

    Na Paz.
    Décio - um Aprendiz de Cristão.

    ResponderExcluir
  69. Acho estranho enclausurar Deus na relação tempo/espaço, tem certas coisas que são acima da nossa capacidade de entendimento, eu creio que Deus esteja fora do espaço-tempo e que o tempo é uma criatura de Deus assim como o Universo. Deus esta fora desse contexto.

    Parece que os criadores dessa doutrina nao acreditavam que Jesus é Deus pois como pode Deus estar preso em um compartimento do santuário durante um determinado TEMPO para somente depois ocupar outro ESPAÇO no templo.

    Esse não é o Deus e Jesus que acredito, eu respeito quem acredita no juízo investigativo, mas eu não acredito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saindo do âmbito bíblico:

      Deus não é limitado pela questão do tempo, mas suas criaturas sim! Não fosse o sentido do cerimonialismo servir de instrução aos homens, assim como as coisas celestes são de instrução às criaturas celestes, Cristo poderia ter resolvido o problema, rapidamente segundo sua onipresença e onipotência.

      Morreria ali por Adão e Eva mesmo, em seguida subiria, realizando imediatamente seus trabalhos, garantindo a redenção da humanidade, de forma imediata! Mas como o universo conheceria o quanto o pecado é ruim? E como teriam a certeza de que Deus procedeu corretamente ao julgar o pecado? E como entenderiam a forma que Deus usou para salvar a humanidade? E será que tão somente salvar a Adão e Eva como os únicos humanos, satisfaria a Deus?

      Sim o tempo é relativo, falando científicamente. Em certos pontos do universo, o tempo corre mais rápido. O vácuo também não é de todo vácuo, Segundo Einstein que provou de que o vácuo se move de forma a dar espaço à matéria (comprovável pela distorção do espaço na silhueta de um astro, por exemplo).

      E o que isto significa? Não muito, mas que Deus respeita o limite da capacidade de entendimento de suas criaturas.

      Dependesse somente de Deus, em fração de tempo, teria realizado seus trabalhos, mas devido a limitação de suas criaturas, e o tempo necessário, para acompanhar o caso de cada ser humano, e também ao fato de que pessoas ainda haverão de nascerem e passarem pelo juízo investigativo, e que ainda há de se cumprir algumas profecias aqui na terra, Cristo continua a atuar de forma entendível e em tempo acompanhável.

      Excluir
    2. O cordeiro foi morto desde a fundação do mundo e não teve que ficar esperando um tempo em um determinado espaço.

      Excluir
    3. E este mesmo cordeiro, porém, após morto, teve que ficar um tempo em um determinado espaço (3 dias na contagem judaica).

      Então não vejo razão neste seu argumento!

      Assim como os dias de Cristo na sepultura estavam determinados, assim também estavam os seus dias antes de adentrar ao Santo-dos-santos.

      Repete-se então, aquilo que eu lhe explanei:

      Quando entrou em cena o cumprimento das representações cerimoniais, Cristo passou a cumprir, no céu, todas as determinações que ELE mesmo elaborou, de forma didática, para que o universo entendesse todo o plano da redenção e como ele lida com o pecado.

      Ou seja, toda aquela didática, que Cristo preparou para ensinar às criaturas do céu (o plano da redenção), ELE compartilhou também com o homem através do cerimonialismo.

      Este é um conceito prático e fácil de entender, não vejo o por que de tanta resistência por parte do amigo.

      O que "limita" Jesus, quanto ao tempo e o espaço, é provindo de seu próprio plano de redenção! Ele escolheu que fosse assim.

      Os limites de Jesus, também não existem de fato, uma vez que é onisciente, onipresente e onipotente.

      Como eu disse bem anteriormente, Cristo é limitado pelas circunstâncias trazidas pelo pecado e também através das escolhas que Cristo faz e a forma como decidiu agir no plano da redenção. E o sentido dos trabalhos no santuário, nada mais é do que representar e documentar, de forma visível, uma importante parte nesta batalha, o de remissão (perdão de nossos pecados).

      Remissão, esta, que se ocorresse, tão somente na mente de Cristo, os anjos, jamais entenderiam.

      No cerimonialismo, ao invés de nos explicar detalhadamente o plano da redenção, Cristo optou por apresentar este plano através de um conjunto de representativos cerimoniais.

      Representação-esta que nada mais é que uma encenação (prévia), daquilo que de fato ocorreria no céu, como forma didática de ensinar o plano da salvação a TODAS as criaturas.

      Excluir
    4. O cordeiro ficou 3 dias no ponto de vista de quem? De Deus ou dos homens?

      Excluir
    5. No ponto de vista bíblico. Cujo autor é Deus e os escritores, homens.

      (Não podemos viajar tanto, fora do âmbito bíblico e devemos tomar cuidado para não relativizar demais as questões)

      Quanto ao que porventura poderia ser relativo, Deus estabeleceu parâmetros, através de SUA Palavra. Creio então que os judeus tenham utilizado estes parâmetros, para a contagem de dias.

      Se o amigo desejar podemos fazer um estudo acerca destes parâmetros.

      Excluir
  70. Estimado Felipe
    Paz do Cristo Vivo
    O Santuário foi purificado depois de 1150 dias, ou seja; 2.300 tardes e manhãs ( I Macabeus 4.36-58 );

    Entretanto os seguidores de Miller não quiseram aceitar tal interpretação do texto de Daniel 8.14. No dia seguinte ao fracasso profético ( O Grande desapontamento ) , surgiu Hiran Edson, dizendo ter tido uma visão. " Vi, distinta e claramente, que Nosso Sumo Sacerdote, em vez de sair do lugar santo do Santuário Celeste para vir a Terra do dia sétimo do sétimo mês ao fim de dois mil e trezentos dias, entrava naquele dia pela primeira vez no segundo compartimento do santuário e tinha uma obra a realizar no lugar santíssimo antes de voltar a terra " ( Administração da igreja, p.20 )

    Com essa explicação foi contornada a TORMENTA , e os ASD prosseguem sua caminhada, apesar desta interpretação do Santuário Celestial ter originado 2 (DUAS ) HERESIAS perniciosas para uma seita que se ufana de ser a igreja remanescente.

    Deus tenha misericórdia!
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este argumento não se sustenta amigo Wilton, pois a doutrina do santuário é deveras sistematizada, de forma a se justificar, que simplesmente, se trate de uma desculpa para o desapontamento!

      Ademais, a doutrina do santuário é toda construída sobre o cálculo de Miller! Sendo que a única mudança na interpretação foi de que ao invés de a profecia indicar a purificação da Terra (pelo fogo), indicava, tão somente e de forma importante, a passagem de Cristo aos trabalhos prefigurados no dia da expiação!

      Ou seja, 22 de outubro de 1844 foi o início do Dia da expiação (A purificação do santuário, no cerimonial, indicava o início dos trabalhos do Dia da Expiação).

      Agora, se o fato de dar interpretação completa ao livro de Daniel, resulta em criar doutrinas que contradizem certas crenças, problema algum há que chamem a isto de heresia.

      Afinal, está se mexendo na comodidade, de uma pequena parcela da cristandade que prefere pensar de que chegaram ao conhecimento pleno da verdade (com seu calvinismo, dispensacionalismo e outros ismos) e que não desejam nada de novo em termos de verdades Escriturísticas.

      Busca por mais verdades e conhecimento pleno da palavra, até hoje só encontrei em um "ismo" (adventismo).

      E os estudos estão lá, já tem alguma coisa a apresentar ou contradizer, segundo o conteúdo daqueles estudos, amigo Wilton?

      Excluir
  71. Peço aos caros irmãos NÃO RESPONDER AO Sr. Adventista
    SE ELE NÃO CITAR OS TEXTOS BÍBLICOS PARA COMPROVAR O QUE AFIRMA.

    Os irmãos se esmeram, citam as Escrituras e o Sr. Adventista só fica de papo furado. ISTO É PERDA DE TEMPO.

    É só um conselho, cada uma faz o que achar melhor.

    Eu solicítei numa postagem acima que o Sr. Adventista CITE A BÍBLIA PARA COMPROVAR O QUE DIZ, NESTA POSTAGEM, NO CASO, QUE ELE COMPROVE QUE CRISTO FICOU NO LUGAR SANTO ATÉ 1844; Só que parece que o Sr. Adventista não quis atender a minha solicítação e continua desfiando "papo furado", inclusive CONTRADIZENDO Ellen White VÁRIAS vezes, negando que faz isto, com os textos de Ellen White, citados nesta postagem aí em cima.

    Então irmãos, é só uma sugestão, senão vocês vão estar debatendo com as "divagações" do Sr. Adventista, e não considerando as doutrinas adventistas à luz da palavra de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoio o amigo Paulo Cadi! É assim que devemos proceder. Então deixemos de lado a conversa e vamos aos estudos. Já indiquei o ponto de partida:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2013/11/biblia-facil-daniel.html

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/02/daniel-um-livro-para-nossos-dias.html

      Passo por aqui depois, elaborem seus questionamentos e responderei, com o uso da Bíblia, acerca do que me perguntarem (segundo o que permite minha, ainda, limitada compreensão acerca das Escrituras Sagradas).

      Excluir
  72. Mas que questionamentos Sr. Adventista?

    Você tem de comprovar pelas Escrituras do Novo Testamento que Cristo em sua ascenção "sentou-se à destra de Deus Pai, no lugar santo do santuário celestial.

    Tem que ser nos escritos do Novo Testamento porque os tipos que estavam no Antigo Testamento passaram a se cumprir no Novo Testamento.

    No meu comentário de 19/02/2014, as 10:14, estão duas citações bem claras de Ellen White sobre esta assunto.

    Este espaço, pelo que sei, é para debates, opiniões, troca de informações, e não para "estudo." Não tem como você fazer um estudo completo sobre doutrina, senão os leitores não vão ter paciência para ler.

    Se eu estou errado, o Luciano que é o administrador do blog, pode esclareçer sobre isto.

    Os leitores vão tomando ciência da crença de cada um e das razões expostas, aos poucos, conforme o assunto vai evoluíndo mais ou menos informalmente.

    Então renovo a minha solicitação feita anteriormente a você, Sr. Adventista, para que ao expor as suas crenças cite a Bíblia, e por que não, os escritos de Ellen White, já que segundo vocês os escritos dela foram inspirados por Deus, sendo portanto fundamentais na interpretação adventista das Escrituras.

    ResponderExcluir
  73. "Tem que ser nos escritos do Novo Testamento porque os tipos que estavam no Antigo Testamento passaram a se cumprir no Novo Testamento."

    Está melhorando!

    De tão somente pelas cartas de Paulo e mais recentemente, somente a carta de Hebreus, o amigo já está aceitando uma resposta baseada em todo o Novo Testamento?

    As doutrinas adventistas se sustentam através do Antigo e Novo testamento, mas parece que as crenças do amigo, só se sustentam, quando se ignora o que está escrito no Antigo Testamento.

    Por que será hein?

    E deixe que os demais leitores decidam por si mesmos se vão fazer o estudo ou não.

    Quanto aos estudos que fazemos, não precisamos citar Ellen White! Assim como no estudo de Daniel, todo o restante da doutrina do Santuário é baseada unicamente na bíblia.

    Isto se repete, por exemplo na TV Novo Tempo. Pelo que consta, Leandro Quadros responde todas as perguntas, usando somente a Bíblia, Ivan Saraiva chama a atenção para as verdades bíblicas, usando somente a Bíblia.

    O pastor Luiz Gonçalves explica tudo que há de ocorrer, usando tão somente a Bíblia, especialmente o apocalipse.

    E pelo que consta pode-se dizer que todas as nossas doutrinas já foram muito bem apresentadas através da rede novo tempo, e adivinha? Usando apenas versículos Bíblicos e a história.

    E tem sido usado, mais textos de teólogos e estudiosos, de outras denominações, do que propriamente dos livros de Ellen White, conforme podemos notar, por exemplo no próprio programa Na Mira da Verdade.

    Nem sei como seria um estudo da bíblia feito em cima dos livros de Ellen White, porque teríamos uma pedra de tropeço logo no início, segundo seus próprios escritos que nos aconselham a não proceder nesta direção, segundo suas palavras que constam no vídeo logo abaixo:

    http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2012/05/um-buscador-da-verdade-pergunta-ellen.html

    ResponderExcluir
  74. Sr. Adventista, é claro que um pastor ou outro membro da igreja adventista "não precisa citar Ellen White". Porque? Porque quando eles começam a explicar as suas doutrinas, as revelações e doutrinas dos fundadores de sua igreja já vem embutida.

    De onde que foi tirada a interpretação das Escrituras segundo o adventismo. De todo aquele movimento adventista que surgiu do millerismo (William Miller).

    Então é óbvio! Quando o sujeito abre a Bíblia ele aprendeu aquelas interpretações de quem? E os que o ensinaram? E assim por diante...

    É preciso citar Ellen White SIM. Sabe porque? Para não deixar vocês explicarem como quiserem, deixando o fator subjetividade à solta, ou seja, cada adventista vai explicar da sua maneira quando confrontado com uma declaração de Ellen White difícil de se harmonizar com a Bíblia.

    Ellen White é peça FUNDAMENTAL, tanto é que um dos diferenciais da "igreja remanescente" são os escritos "inspirados dela". Então TODA A VEZ que as doutrinas adventistas sejam apresentadas, a honestidade EXIGE que suas declarações (de White) sejam conhecidas, porque NO BATISMO, umas das perguntas se refere diretamente ao "dom" de profecia que segundo o adventismo foi manifestado em Ellen White.

    Eu disse que os tipos do Antigo Testamento encontram sua realidade no Novo Testamento. O Novo Testamento começou no Calvário, no derramar do sangue da Nova Aliança (Testamento). Jesus nasceu e viveu debaixo do Velho Testamento e inaugurou o Novo Testamento, sendo ele a ponte de passagem, Os escritos do Novo Testamento não são os 4 Evangelhos que relatam a vida de Cristo e seu ministério debaixo da lei.

    ResponderExcluir
  75. "Porque? Porque quando eles começam a explicar as suas doutrinas, as revelações e doutrinas dos fundadores de sua igreja já vem embutida."

    Exatamente amigo Paulo Cadi, peço então que o amigo explique isto ao amigo Luciano Sena!

    Pergunto então, nossas doutrinas vieram à partir dos livros de Ellen White?

    Creio que muitos, já desistiram desta idéia, ao conhecerem um pouco sobre a história dos adventistas.

    De fato nossas 28 Crenças fundamentais, foram construídas, por nosso fundadores e nelas se baseiam todo o nosso doutrinariamento.

    As doutrinas estão na Bíblia, mas foram entendidas e escritas por pessoas, no caso nossos fundadores!

    E o amigo está certo, e em nenhuma denominação haverá como fugir deste fato! As doutrinas que temos forma interpretadas por homens.

    Como se resolve isto?! Examinando as Escrituras para ver se aquilo que diz nossas doutrinas corresponde ao que está escrito ou não!

    Isto responde ao seu levantamento, amigo Paulo Cadi!?

    É claro que a maioria dos cristãos, em sua religião, haverá de aprender sobre a Bíblia, de alguém! Poucos são os que se dedicam a estudar a Bíblia por seus próprios meios!

    O que diferencia a ordem dos pastores adventista, é que sempre pregam que cada cristão deve verificar na bíblia se tudo aquilo que ele diz corresponde ao que está escrito de fato ou não! Se não estiver, que não dêem ouvidos ao pastor mas sim à Bíblia!

    Mas agora vem a parte mais interessante!

    O pastor adventista também diz de que devemos fazer de TODA a Bíblia nossa regra de fé e se houver qualquer mínimo detalhe, tanto no antigo como no novo testamento que contradiga a palavra do pastor, as palavras do pastor então deve ser rejeitada!

    Um pastor adventista não teme dizer: Olha vocês tem que seguir toda a bíblia e não o que eu digo! Então se eu falar algo contrário ao que está aqui escrito, vocês por favor desconsiderem e depois me digam onde eu errei para que eu me corrija.

    Deste modo, pouco importa se recebemos algo de segunda mão, sendo que temos a possibilidade de checar, na bíblia, se as coisas que alguém diz, corresponde aos fatos ou não!

    O que um pastor faz, é apresentar novas perspectivas e mais conhecimento, para os quais não tenhamos nos atentado.

    (...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre foi assim, sempre será! Tanto através de pastores, sacerdotes ou profetas. Recebemos muitas vezes algo "mastigado", mas isto não é desculpa para sermos preguiçosos ao ponto de nem ao menos checarmos na bíblia para ver se isto é verdade!

      E nem sempre um pregador dará versos bíblicos, por isto devemos conhecer bem a bíblia! Não precisamos chegar ao extremo de um Leandro Quadros, mas tendo capacidade de saber localizar versos mais importantes, na Bíblia, é o suficiente para checarmos boa parte do que um pregador diz.

      Por causa disto os adventistas adotam um costume, de abrir a Bíblia junto com o pastor e acompanhar cada verso que este cite em suas bíblias.

      E para fixar estes versos, realizam estudos diários da Palavra de Deus, através da lição da Escola Sabatina, que é regra geral em todo o mundo (adventista que não conhece a Bíblia, não é adventista).

      Quanto à Ellen White, cada um é livre e até incentivado a analisar cuidadosamente suas obras, antes de aceitá-la como tendo o dom de profecia manifesto em nossa doutrina ou não.

      Eu particularmente não cria! Mas hoje sou um Adventista do Sétimo Dia. Ellen White é tomado como referência do tipo de dom que a IASD acredita como sendo o verdadeiro dom profético.

      Quanto a aceita-la ou não isto é decorrente do interesse de investigar suas obras ou não! O que geralmente ocorre naturalmente após o batismo.

      Há adventistas que tem livros de Ellen White em sua prateleira e outros que não tem!

      Quem conhece bem as escrituras, em verdade não precisa estudar os livros de Ellen White. Porque tudo que nos é exigido é estar em harmonia com a Bíblia e o que estudamos no culto, utilizamos somente a Bíblia e nada mais.

      Os conselhos e orientações de Ellen White, são facultativos, embora valorizados. Alguns lêem Bullón, outros Finley, outros Ellen White.

      Os de Ellen White são mais valorizado, porque diferente dos demais, que são pastores e estudiosos, Ellen White foi uma profetiza.

      Mas talvez o que assombre o amigo, Paulo Cadi, seja esta harmonia e quase que unanimidade de pensamento, que existe na Igreja Adventista do Sétimo Dia!

      Buscando resposta, chuta:

      Nossas doutrinas!
      Os livros de Ellen White!
      Os pastores da TV Novo tempo!

      Sem se dar conta de que o motivo desta harmonia está no fato de lermos diariamente a Bíblia Sagrada e crermos em tudo quanto está ali escrito, independente se é Antigo ou Novo Testamento.

      Excluir
  76. Leandro Quadros NÃO ENTENDE DE BÍBLIA, O QUE ELE ENTENDE É DE PAPO FURADO.

    OS Testemunhas de Jeová também se ufanam de entender da Bíblia, de fazerem estudos sistemáticos mais do que qualquer outra denominação etc.

    Isto é comportamento comum nas seitas, ou seja, depreciar outras denominações para tentar se sobressair.

    Eu lhe afirmo: Desde que começei a participar aqui neste blog, NUNCA, e NUNCA É NUNCA MESMO, vocês conseguiram demonstrar suas crenças DENTRO da Bíblia.

    Esses dias eu estava lendo alguns sermões e estudos de William Miller e observei como a crença de Miller é COMPLETAMENTE DIFERENTE das doutrinas adventistas, ou seja, não existe PROSSEGUIMENTO, mas sim completa DIFERENÇA entre os ensinos do movimento de Miller com as doutrinas adotadas pelos fundadores do adventismo, via Ellen White e anjo guia, sendo IMPOSSÍVEL que Miller estivesse recebendo a visita (sem o saber) de anjos de Deus.

    Este "anjo guia", personagem FUNDAMENTAL das
    revelações dadas a White é pouco falado nas abordagens à este movimento.

    NUNCA um GENTIO recebeu visita de anjo algum, somente Cornélio e assim mesmo era convertido ao judaísmo.

    Me mostre nas Escrituras onde uma mulher gentia recebeu visita de anjos, ainda mais para ser o meio pelo qual Deus iria restaurar a verdade. Isto é uma ANOMALIA.

    No século 19 principalmente (não que deixou de ocorrer tal reivindicação em séculos anteriores), começaram a surgir pessoas principalmente nos USA afirmando que estavam recebendo revelação de anjos, sendo que TODOS estes movimentos não excetuando o adventismo se mostraram completamente equívocados em suas premissas doutrinárias.

    Vocês afirmam que fazem de toda a Bíblia sua regra de fé, mas cometem o êrro de inserir ensinamentos do Antigo Testamento DENTRO do NovoTestamento, quando tais ensinamento não existe na doutrina dos apóstolos, tais como: Juízo investigativo, guarda do sábado, levítico 11 etc.

    NADA disto é ensinamento apóstolico, e olha que Paulo afirmou que "TODA a Escritura é proveitosa para ..."

    O Dia da Expiação da lei apontava para Cristo como sumo sacerdote entrando no santíssimo lugar do santuário celeste e assentando-se à destra de Deus Pai.

    Lhe pergunto: Isto esta errado?

    Se está, então me comprove que o Dia da Expiação na lei tipificava Cristo entrando no lugar santo do Templo Celeste e que o trono de Deus estava no referido lugar santo e que em 22 de outubro o trono de Deus se moveu sobre suas rodas e passou ao santíssimo.

    Onde que está no Novo Testamento está doutrina ESTRAMBÓTICA?

    Se em tipo Cristo, representado no Dia da Expiação pelo sumo sacerdote araônico, entrou no santíssimo, como é que em sua ascenção ele ficou confinado no lugar santo por 19 séculos?

    No meu comentário de 19/02/2014, as 10:14, estão lá duas declarações, dentre outras, bem explícitas de Ellen White sobre este assunto.

    ResponderExcluir
  77. Boa noite a todos;
    Concordo totalmente com a colocação do sábio Sr Paulo Cadi (25 fevereiro de 2014 12:10):

    Aqui é um campo de opiniões, questões, explicações e debates sobre o foco do artigo; não um lugar para copiar e colar estudos adventistas. Tais estudos estão publicados em seus sites e blogs.

    Este é o blog do Luciano; os senhores ASD é quem visitaram esse blog e leram o artigo. Se não concordam com o artigo, cabe aos senhores adventistas, explicar ou refutar (por a+b)cada questão que o artigo apresentou, COM BASE BÍBLICA CITADA. repito: Bíblica.

    Por isso, repito:

    Eu proponho o foco do artigo: (comparar as declarações da White, com as Escrituras, que é o que importa)

    O autor de Hebreus fez um comparativo entre a obra do dia da expiação realizada somente pelo sumo-sacerdote, somente uma vez ao ano, somente com sangue. E isso era efetuado em qual lugar do santuário? onde o sumo sacerdote entrava UMA VEZ AO ANO E COM SANGUE???? Era no pátio externo? No lugar santo? Ou era no lugar santíssimo??? As Escrituras mostram claramente que era no santíssimo.

    REQUISITOS PARA ENTRAR NO SANTÍSSIMO LUGAR:
    - Só o sumo-sacerdote.
    - Só uma vez ao ano no dia da expíação.
    - Só com sangue.

    - Cristo é comparado com o sumo-sacerdote? SIM!
    - A Obra de Cristo é comparada com a obra do sumo-sacerdote no dia da expiação? SIM!
    - O Sangue de Cristo é comparado com o sangue(animais) que entrava no santíssimo? SIM!

    Então por quê cargas dágua, temos de entender que Cristo foi para o lugar santo e ficou oferecendo seu sangue nesse lugar por 18 séculos???? Era isso que o sumo-sacerdote fazia no dia da expiação??? É isso que entendemos na Epístola aos Hebreus??

    Se o sumo sacerdote do tabernáculo terrestre entrava uma única vez ao ano, com sangue de animais, no lugar santíssimo; onde é que Jesus Cristo entraria para oferecer seu Santo Sagrado Sangue? No lugar santo? Não dá para entender nem aceitar isso; se o sangue de touros e bodes o qual não tira pecados(Hb 10:4), era oferecido no lugar santíssimo, como entender que o Sangue de Jesus foi oferecido no lugar santo??? Não há como negar, essa Epístola Bíblica mostra claramente que Cristo realizou a Obra da Eterna Redenção no Santíssimo lugar.

    Lembrando que, foi escrito que Ele “entrou”, havendo “efetuado” (EXPRESSÃO NO PASSADO)uma Eterna Redenção! Nada, nada mesmo diz ou indica que Jesus “entrará” ou “efetuará”, ou ainda terminará(futuro)!

    Muito diferente de EGW, que afirmou que Cristo ficou 18 séculos ofereçendo seu Sagrado Sangue no lugar santo, e só em 22 de outubro de 1844, ele foi para o santíssimo! (absurdo). Qualquer um que ler o livro de Levíticos, e principalmente a carta aos Hebreus, não tem como entender que Cristo foi para o lugar santo, ficar lá 18 séculos e só depois passar para o santíssimo. Só mesmo com muito malabarismo mental e torção das Escrituras.

    Depois de uma boa análise, muitos ASD não tem mais como negar isso e então partem para argumentações do tipo como ouvi uns tempos atrás: “Ah, mas Cristo andava por toda parte no santuário...” Isso é exemplo de rodeio e fuga; pois não foi isso que EGW disse, muito menos a carta aos Hebreus! O foco é: EGW afirmou que Cristo foi para o lugar santo, e as Escrituras mostram algo diferente.


    Vamos Refletir.
    Décio – um Aprendiz de Cristão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto é o que dá não se interessar realmente pelos debates:

      http://mcapologetico.blogspot.com/2014/02/como-aos-hebreus-destroi-doutrina.html?showComment=1392827231913#c8455618685362892145

      Dando uma passada, para bajular alguém, e exigir algo sem estar por dentro do que foi dialogado?

      Já que o amigo pegou o assunto pra lá da metade, por que não começa a ler os comentários desde o início?

      Já deixei os estudos a quem se interessar. Aproveite também para estudar! Afinal o amigo já é um crítico a tanto tempo, seria coerente que pelo menos conhecesse as coisas às quais critica.

      Bon Appétit!

      Excluir
    2. O sr é quem deve aqui sr adventista; no outro artigo, o sr não explicou sua contradição e também a contradição com EGW.

      E não pense que não lí seus absurdos; eis aqui um trecho seu:

      "Cristo então não fica esperando no santo, mas trabalha neste compartimento (segundo a representação dos dias normais do cerimonial), até a chegada da data determinada para o início de seus trabalhos, também, no santo-dos-santos, (segundo a representação do dia da expiação)."

      Veja, o sr é quem não se interessa pelo que eu(e outros) postamos; no meu comentário anterior eu já havia falado sobre o que o autor a Hebreus escreveu e o sr nem se deu o trabalho de ler. Observe bem o o sr escreveu e explique:

      -Como que Cristo ficou no 1º comprtimento "até a data" para passar para o santíssimo, se o autor de Hebreus deixou bem claro que Ele entrou, e efetuou uma eterna redenção?? São expressões NO PASSADO! (explique)

      Nada, mas nada mesmo na carta indica que Cristo subiria e ficaria até 1844 oferecendo seu sangue no 1º compartimento e só depois de 18 séculos passaria para o santíssimo!

      O sr tem uma prova Bíblica disso? uma clara explicação Bíblica que diga que Jesus fez assim como o sr alega??? Onde??? E como explica Hebreus 9 ???
      Só porque o sr quer, sr adventista...só porque o sr quer...

      Vá refletir.
      Décio - um Aprendiz de Cristão.

      Excluir
  78. Irmão Décio, como você disse, as declarações do Escritor da Carta aos Hebreus, estão no tempo passado, ou seja, Cristo adentrou "além do véu" que era simbolo da sua carne, só podendo ser o véu interno, o principal, aquele que separava Deus do homem, mas quando foi rasgado, ou seja, a carne de Cristo dilacerada, abriu o acesso a Deus novamente e terminou com a separação em compartimentos, sendo que o santuário celestial é completamente lugar santíssimo, onde Cristo está sentado à destra de Deus Pai.

    Os adventistas estão simplesmente ignorando esta verdade.

    O véu que foi rasgado de alto a baixo, no Dia da Páscoa, foi o véu interno, então se o tipo, o simbolo, se cumpriu assim, como é que o templo celeste que é a realidade ficaria sem acesso ao segundo compartimento (lugar santíssimo), até 22 de Outubro de 1844, se o que ocorreu na Páscoa está testemunhando ao contrário?

    ResponderExcluir
  79. Correto Sábio Irmão Paulo Cadi;
    enquanto o sr adventista diz que Cristo trabalhou no lugar santo "até a chegada da determinada data",(22 de Out. 1844) para então passar ao lugar santíssimo, o Autor da Carta aos Hebreus comparando a obra do dia da expiação com a Obra de Jesus,diz que Cristo fez, entrou, efetuou...ou seja, Jesus já tinha feito a Obra quando a Carta foi escrita. Não existe nenhuma declaração Bíblica que Cristo ficaria no 1º compartimento realizando trabalhos (oferecendo seu sangue alí, bem diferente do que é declarado em Hebreus)e só efetuaria a "segunda etapa" (ref. dia da expiação), só 18 séculos mais tarde. A Bíblia aponta no sentido totalmente contrário que os ASD defendem.

    Misericórdia do Céu.
    Décio - um Aprendiz de Cristão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simples, amigo Décio:

      Cristo entrou no Santuário! E não propriamente no santo-dos-santos.

      "Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no SANTUÁRIO, havendo efetuado uma eterna redenção."

      No "uma vez por todas", Paulo está mostrando uma diferença primordial que havia entre a representação e o cumprimento, pois na representação:

      "Ora, estando estas coisas assim preparadas, A TODO O TEMPO entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços;"

      Ou seja, enquanto que no cerimonialismo, os sacerdotes entravam no santuário a todo o tempo, Cristo entrou UMA ÚNICA vez.

      Assim, Paulo fez uma ligação entre a entrada de Cristo no santuário, com os trabalhos diários, onde os sacerdotes entravam no santuário a todo tempo!

      Veja como isto é claro:

      Porque um tabernáculo estava preparado, o PRIMEIRO, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se CHAMAVA o SANTUÁRIO.

      Veja bem, o primeiro compartimento era chamado de o SANTUÁRIO!

      E o segundo?

      "Mas DEPOIS DO SEGUNDO VÉU estava o tabernáculo que se chama o SANTO DOS SANTOS,"

      Em qual Cristo entrou?

      "Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez NO SANTUÁRIO, havendo efetuado uma eterna redenção."

      Mais:

      "Porque Cristo não entrou num SANTUÁRIO feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;"

      Paulo Deixa claro a diferenciação dos compartimentos, chamando a um de SANTUÁIRO e a outro de SANTO-DOS-SANTOS.

      Os amigos tagarelam de que Paulo não disse que Cristo havia entrado Santo, quando é justamente o contrário!

      O que Paulo NÃO DISSE é que cristo tenha entrado no SANTO-DOS-SANTOS.

      Em contrapartida em todo o texto afirma categoricamente que Cristo entrou NO SANTO, ao qual chama de 'O SANTUÁRIO'! Veja novamente:


      'Porque um tabernáculo estava preparado, o PRIMEIRO, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o SANTUÁRIO."

      (...)

      Excluir
  80. Pedimos ao Sr. Adventista, que se o mesmo tiver condições para refutar pedimos que o faça de forma didática as colocações, para que possamos entender de forma, clara e objetiva a doutrina adventista então pediríamos a ele que assim o fizesse de forma clara e objetiva citando textos bíblicos, já que ele tem o estudo sistematizado.
    Nosso dizer tem que ser "SIM, SIM e NÃO, NÃO."

    Obrigado
    Wilton

    ResponderExcluir