sábado, 17 de maio de 2014

O Sábado entre os Adventistas – uma compreensão bíblica ou misticismo de Ellen White?

A guarda do sábado pelos servos de Deus no Antigo Testamento foi pressuposta no Éden, e dada por Deus por intermédio de Moisés. Esse dia foi substituído pelo Dia do Senhor no Novo Concerto, com algumas mudanças. Ou seja, o princípio moral do 4º mandamento continuou em sua formatação neotestamentária no dia que que Jesus ressuscitou, isto é, no domingo. Obviamente isso não foi de forma abrupta. A medida que a Igreja amadureceu, ficou claro que o sábado era sombra (Cl 2.16) e o primeiro dia foi objeto instrumental de culto (At 20.7).

Alguns cristãos no passado questionaram a validade desse argumento, entre eles os valdenses, e no presente os irmãos batistas do sétimo dia. Na atualidade, os dispensacionalistas rejeitam o pressuposto da continuidade.

Mas isso não foi apenas levantado por cristãos, os hereges também. Alguns adventistas do grupo desiludido de 1844, acabou aceitando o argumento de que a guarda do sétimo dia era vigente para a era cristã. Até aqui, em partes, tudo bem. Um dos vários líderes antitrinitaristas do grupo, J. Bates, leu os argumentos dos batistas do sétimo dia (e cá entre nós, o cara já estava na lama espiritual, qualquer argumento que fosse apresentado, que de alguma maneira deixasse distante da maioria das Igrejas Cristãs, esse herege aceitaria rapidamente, bem como seus comparsas).

Foi entre esses desapontados mas ainda crentes adventistas que Edson e Crosier (com sua luz sobre o santuário), Ellen Harmon (com sua luz sobre o santuário e o espírito de profecia) e Bates (com sua luz sobre o sábado) exerceram seus esforços.” (C. M. Maxwell. História do Adventismo, p. 89.)

Então, dizem os adventistas que foi o exame da Escritura que levou a Igreja Adventista lá em 1846, começar a guardar o sábado, não com exatidão horária, mas foi nessa investigação bíblica que isso veio a ser a principal doutrina proselitista adventista. Outro ariano, J. N. Andrews, teve a responsabilidade de acertar o ponteiro do relógio sabático entre os adventistas para o pôr do sol. Tanto que a profetisa disse que a inclusão do nome “sétimo dia” era uma denúncia contras as Igrejas protestantes.

Embora Bates introduziu o sábado no bojo adventista, devemos dizer que o que mais se destaca hoje, para essa decisão posterior, especialmente no período em que ela tornara-se a “Mensageira do Senhor”, são as visões da Papisa Ellen White. E isso não é exagero de críticos, são os fatos. Veja como isso é admitido pelos próprios eruditos adventistas:

“Ellen G. White (1827-1915), cofundadora da Igreja Adventista do Sétimo Dia, é reconhecida pelos adventistas como expoente autorizada de suas doutrinas e crenças. Os escritos dela sobre lei são abundantes e coerentes consigo mesmos e com as Escrituras. Em 1846, sob a influência de alguns adventistas, como José Bates, ela começou a entender a relação necessária entre o evangelho e a lei de Deus. A convicção veio mesmo, de maneira mais forte, depois que teve uma visão sobre o santuário no Céu, que também lhe dirigiu a atenção para o quarto mandamento. Com relação àquela visão ela escreveu: “Deve-se chamar a atenção para a brecha na lei, por preceito e por exemplo” (VE, 87). Depois acrescentou: “Foi-me mostrado que o terceiro anjo que proclama os mandamentos de Deus e a fé de Jesus, representa o povo que recebe essa mensagem e ergue a voz de advertência ao mundo para que guarde os mandamentos de Deus e Sua lei como menina dos olhos; e que, em resposta a essa advertência, muitos abraçariam o sábado do Senhor”(ibid.,87).”(Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia, p. 545).

Os fatos são assim corretamente julgados: 1. Os arianos adventistas iniciais passaram a guardar o sábado.2. Ellen White tinha mania de ter visões, assim a posição adotada seria mistificada por uma declaração divina em suas visões. 3. Com o oposicionismo para com as igrejas cristãs, os adventistas sob as convulsões visionárias de White, fez desse tema um carro chefe, tanto que fizeram do quarto mandamento um “selo”.

Após um período de tempo, ela respirou profundamente, sua primeira respiração desde o início da visão.  Todos ansiavam saber o que teria a dizer. Ela correu o olhar ao redor da sala enquanto seus olhos se acostumavam com a escuridão da Terra após contemplarem o fulgor celeste.
-Pode nos dizer agora o que o Senhor lhe mostrou? –indagou-lhe Tiago serenamente. 
-Sim, sim, posso –respondeu Ellen. 
-Vi um anjo voando rapidamente em minha direção. Ele me transportou rapidamente da Terra para a cidade Santa. Na cidade vi um templo no qual entrei. Depois passei ao lugar santo. Jesus ergueu o véu e eu passei para o santo dos santos. Ali vi uma arca coberta do mais puro ouro. Jesus estava de pé ao seu lado. Dentro havia tábuas de pedra dobradas juntas como se fossem um livro. Jesus abriu-as, e ao fazê-lo, vi os Dez Mandamentos. Numa das tábuas estavam registrados quatro mandamentos e na outra, seis. Os quatro na primeira tábua brilhavam mais do que os outros seis, mas o quarto, o mandamento do sábado, brilhava acima de todos. O santo sábado parecia glorioso. Um halo de glória o circundava.
Com isso, as pessoas se entreolharam surpresas, e Ellen observou a reação delas.
-Eu também fiquei impressionada, –concordou ela. Não tinha idéia de que o sábado fosse tão especial para Deus.
Após uma pausa, continuou:
–Vi que o sábado é e será a parede de separação entre o verdadeiro Israel de Deus e os descrentes; e que o sábado é a grande questão a unir os corações dos queridos santos de Deus que O aguardam. (C. M. Maxwell. História do Adventismo, p. 91)

Imagine se esse assunto fosse apenas um tema teológico em debate. Do tipo como tanto outros temas na teologia. Não teria graça para o proselitismo adventista! Eles não apenas dizem que o domingo é uma concepção errônea do quarto mandamento, mas nos dizeres de Ellen White foi Satanás que promoveu essa mudança do sétimo para o primeiro dia da semana. Portanto, eles precisam fazer do Sábado algo poderosamente místico, que só seria possível, com as visões de Ellen White. Veja que o tema não é o sábado, por esse ser ‘sábado. E esse misticismo em torno do sábado não é apenas delírio de Ellen White. O erudito teólogo adventista Maxwell repete a heresia:


Desde 22 de outubro de 1844 Jesus, no lugar santíssimo, tem chamado a atenção para o sábado, não simplesmente porque é o sétimo dia, mas porque representa um modo único e cristão de vida, o critério final que separa o bem do mal nos últimos dias.” (História do Adventismo, p. 282).


*Mais provas do sectarismo adventista, adquira o livro A Conspiração Adventista AQUI.

244 comentários:

  1. Prezado Luciano,

    Vc diz que "o princípio moral do 4º mandamento continuou em sua formatação neotestamentária no dia que que Jesus ressuscitou, isto é, no domingo. Obviamente isso não foi de forma abrupta. A medida que a Igreja amadureceu, ficou claro que o sábado era sombra (Cl 2.16) e o primeiro dia foi objeto instrumental de culto (At 20.7)".
    Muito bem, agora vem a pergunta:
    Qual seria o dia mais importante para o cristão: a sexta-feira em que Cristo morreu ou o primeiro dia da semana em que Ele ressuscitou? Porquê?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a resposta do irmão Wilton te deu a razão teológica. Eu só incluiria o seguinte: a práxis neotestamentária foi norteada pelo dia da ressurreição. Visto que essa enfase foi imprimida nos relatos evangélicos, os quatros relatam o Dia.

      Excluir
    2. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

      Perdoe-me, mas os 4 evangelhos falam do dia da RESSURREIÇÃO ou da mudança autorização da mudança do dia a ser SANTIFICADO?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  2. Interessante a pergunta do amigo e estimado Josinaldo. Me fez lembrar a pergunta de Paulo com relação a partida deste mundo terreno para a presença de Deus, no que se refere a ressurreição do corpo mortal em imortal, quando receberia o corpo glorificado semelhante ao de Cristo para nunca mais morrer, quando Paulo declara Filipenses 1. 19-26.
    Cristo Morreu por nós na 6a. Feira e isto garantiu nossa salvação, quando Ele pagou nossa dívida para com O Eterno Deus e no Domingo Ele ressuscitou para nossa justificação., pois se Ele não ressuscitou é vã a nossa fé. Ele ressuscitou para se tornar nosso Advogado diante do Pai vivendo para interceder por nós. A Ele a glória para sempre.
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão João Gabriel Villote Rodrigues, a paz do Senhor!

      Muito boa sua resposta!

      Mas não respondeu a pergunta do irmão Josinaldo!

      Qual dia é mais importante, a SEXTA ou o DOMINGO?

      Segundo sua própria resposta a SEXTA seria importante pela SALVAÇÃO e o DOMINGO pela JUSTIFICAÇÃO!

      Voltamos a perguntar:

      qual dos dois dias é mais importante?

      O dia que nos garantiria nossa SALVAÇÃO (sexta-feira - segundo seu comentário acima)?

      ou

      O dia que nos garantiria nossa JUSTIFICAÇÃO (domingo - segundo seu comentário acima)?

      Ou nenhum dos dois, pois quem nos garante a SALVAÇÃO e JUSTIFICAÇÃO não é o DIA, mas a obra REMISSIVA de JESUS CRISTO!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  3. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

    Vocês e nós, sabemos que os DEZ MANDAMENTOS foram escritos pelo DEDO de Deus e que o SÁBADO se encontra no DECÁLOGO. Acredito que o irmão sabe disso, alias, tenho certeza!

    O que me espanta e me impressiona, é sua vontade em diminuir um mandamento que é uma instituição DIVINA achando que está atacando ou diminuindo uma invenção (ou misticismo) adventista.

    Quando o irmão assim procede, não nos atinge em nada, mas o irmão milita contra o AUTOR, LEGISLADOR que não são os adventistas, mas o próprio Deus!

    Eu sei que você sabe, mas é só para constar:

    "Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.
    Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.
    Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.
    Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou".
    (Êxodo 20:8-11).

    Será que este mandamento é "MISTICISMO" feito pelo DEDO do próprio LEGISLADOR?

    Um forte abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, o que coloquei na postagem foi em relação ao bojo adventista, e não o surgimento dessa lei, que o NT findou em sua forma veterotestamentária. O primeiro parágrafo tem meu conceito a respeito da santa Lei de Deus.

      Excluir
    2. Irmão Luciano, a paz do Senhor!

      Se a LEI é santa como o irmão afirmou acima e concordo com você!

      E digo um pouco mais concordando com o irmão:

      Deus é amor (I João 4:8), a base da lei é o amor (Romanos 13:8-10; Mateus 22:37-40).

      Deus é santo, justo e bom (Salmos 99:5; Marcos 10:18; Salmos 7:11), Sua lei é santa, justa e boa (Romanos 7:12).

      Deus é eterno (I Timóteo 1:17), Sua lei é eterna (Lucas 16:17 cf. Isaías 24:5-6).

      Deus é imutável (Tiago 1:17 cf. Malaquias 3:6), Sua lei é imutável (Mateus 5:17-19).

      Deus é a verdade (João 14:6; Salmos 31:5), Sua lei é a verdade (Salmos 119:142).

      Alinhadas acima características inerentes a Deus e atribuídas também a Sua lei, visto que: os seus MANDAMENTOS descrevem o próprio CARÁTER do Legislador e revelam o zelo dEle por Suas criaturas, que é base de Seu governo o AMOR.

      No entanto, o irmão ACEITA 9 e REJEITA 1, mesmo sabendo que a "SANTA LEI de DEUS" que possui as características do SEU LEGISLADOR.

      É no mínimo estranho.

      Um forte abraço e fique com Deus.

      Excluir
  4. Amado do Senhor Alexandre nosso objetivo não é o de responder ao Josinaldo, inclusive a pergunta foi endereçada ao Evangelista Luciano. Apenas fizemos comentário sobre o assunto em termos gerais. Como sabemos o Senhor Jesus é o Senhor de tudo, inclusive de todos os dias da semana de domingo a sábado. Mencionamos os dias como memorial de fatos que ficaram na história. conforme a Palavra nos fala, que : " Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Quem distingue entre dia e dia para o Senhor o faz; e quem come para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e quem não come para o Senhor não come e dá graças a Deus. ( referindo-se ao que se come ).Rm.14.5-6
    Deus seja louvado por Seu Grande Amor
    Em Cristo
    Wilton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão João Gabriel Villote Rodrigues, a paz do Senhor!

      Se o irmão não faz distinção entre dias, por que o irmão defendo o DOMINGO?

      Vejamos alguns textos de Romanos 14:

      “Quem és tu que julgas o servo alheio? Para o seu próprio senhor está em pé ou cai; mas estará em pé, porque o Senhor é poderoso para o suster. Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente”. (Romanos 14:4-5).

      “Um crê que de tudo pode comer, mas o débil come legumes”. (Romanos 14:2).

      “Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Quem distingue entre dia e dia para o Senhor o faz; e quem come para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e quem não come para o Senhor não come e dá graças a Deus”. (Romanos 14:5-6).

      “Débil na fé – Isto é, aquele que não tem senão uma limitada compreensão dos princípios da justiça. Nele está o desejo de ser salvo e ansioso para cumprir o que quer que dele seja exigido.

      “Porém, na imaturidade da sua experiência cristã (ver Hebreus 5:11 a 6:2), e provavelmente também como resultado da primitiva educação e crença tenta obter a sua salvação mais seguramente pela observância de certas regras e regulamentos que na realidade não são obrigatórios. Para ele, estes regulamentos revestem-se de grande importância. Ele os considera como absolutamente obrigatórios para a sua salvação, e torna-se agoniado e confundido quando vê outros cristãos ao seu redor, especialmente os que parecem mais experientes, não participarem de seus escrúpulos.
      “A declaração de Paulo em Romanos 14 tem sido interpretada de várias formas, e tem sido usada por alguns: (1) para depreciar uma dieta vegetariana, (2) abolir a distinção entre alimentos puros e impuros, e (3) remover toda distinção entre dias, abolindo dessa forma, o sábado do 7o dia. Que Paulo não está fazendo nenhuma destas coisas torna-se evidente quanto este capítulo é estudado á luz de certo problemas religiosos referidos que perturbaram alguns cristãos do primeiro século.

      “Paulo menciona vários problemas que são uma ocasião de mal entendido entre os irmãos: (1) problemas relativos á dieta (verso 2), e (2) problemas concernentes á observância de certos dias (versos 5, 6). Em I Coríntios 8 o problema do irmão forte versus irmão débil, considerando a dieta, também é tratado. A carta aos Coríntios foi escrita menos de um ano antes da enviada aos Romanos. Parece razoável concluir que em I Coríntios 8 e Romanos 14 Paulo está tratando em essência do mesmo problema. Em Coríntios o problema é identificado quanto a ser próprio o comer de alimentos sacrificados aos ídolos. Segundo a antiga prática pagã, os sacerdotes praticavam um intenso mercado de animais oferecidos aos ídolos. Paulo dissera aos crentes de Corinto conversos do judaísmo e do paganismo que desde que era um ídolo, nada havia de errado em si, no comer alimentos dedicados a ele. Contundo, explica, por causa da herança em instrução primitiva e diversidade no discernimento espiritual, nem todos possuíam este “conhecimento” e não podiam com a consciência livre, comer de tais alimentos… Daí, Paulo insta com aqueles sem escrúpulos quanto á consideração desses alimentos, a não colocarem pedra de tropeço no caminho dos irmãos pelo consumo destes alimentos (Romanos 14:3). Sua admoestação encontra-se dessa forma em harmonia com a decisão do Concílio de Jerusalém, e sem dúvida lança luz, sobre pelo menos uma razão por que o concílio tomou posição sobre este assunto…Provavelmente por temor de ofender neste assunto, alguns cristãos abstiam-se inteiramente de alimentos cárneos, o que significa que o seu alimento era restrito a “ervas”, isto é, vegetais (Romanos 14:2).

      Excluir
    2. Olá irmão João Gabriel Villote Rodrigues, a paz do Senhor!

      CONTINUAÇÃO...


      “Paulo não está falando de alimentos higienicamente prejudiciais. Não está sugerindo que os cristãos de fé vigorosa possam comer qualquer coisa, desconsiderando os seus efeitos sobre o bem estar físico. Paulo já tem deixado claro no capítulo 12:1 que o verdadeiro crente compreenderá que o seu corpo dever ser preservado santo e aceitável a Deus como sacrifico vivo. O Homem de fé robusta considerará como ato de adoração espiritual, manter boa saúde (Romanos 12:1 e I Coríntios 10:31).

      “Um fato adicional lança luz sobre os problemas que Paulo está discutindo. Apenas muito palidamente, a princípio, os judeus cristãos compreenderam que a lei cerimonial encontra os seus cumprimentos em Cristo… e que esta daí por diante não mais era válida. Em verdade, os primeiros Cris~tabus não forma chamados abruptamente a cessar o serviço das festas anuais judaicas ou repudiar os ritos cerimoniais de uma vez por todas. Sob a lei cerimonial os judeus deviam guardar 7 sábados anuais. Paulo mesmo observou várias festas após a sua conversão (Atos 18:21, etc). Embora pensasse que a circuncisão nada era (I Coríntios 7:19), tinha consigo o circuncidado Timóteo (Atos 16:3) e concordara em cumprir um voto segundo as estipulações do código antigo (Atos 21:20-27). Sob tais circunstâncias parecia melhor permitir que os vários elementos da lei cerimonial da lei judaica gradualmente viessem a desaparecer a medida que a mente e a consciência se iam iluminando. Dessa maneira, era inevitável que entre os judeus cristãos surgisse a questão quanto á conveniência de observar certos “dias” – dias santos judaicos, em conexão com as suas festas anuais (Ver Levíticos 23:1-44).

      “Em vista destes fatos, torna-se evidente que Paulo, em Romanos 14, não está: (1) depreciando a dieta de “ervas” (vegetais), ou (2) indo de encontro á antiga distinção bíblica entre – alimentos puros e impuros, ou (3) abolindo o sétimo dia, o sábado da lei moral… O que pretenda afirmar que assim foi, deve estar vendo no argumento de Paulo algo o que aí não existe.

      “Que Paulo não ensina ou mesmo de a entender a abolição do sábado do sétimo dia tem sido reconhecido por comentaristas tais como: Janieson, Fausset e Brown em seus comentários sobre o cap. 14:5 e 6: “Dessa passagem sobre a observância de dias, Alford infelizmente infere que tal linguagem não podia ter sido usada se a sábado-lei não estivesse forçando o evangelho de qualquer maneira. Certamente não podia, se o sábado fosse meramente um dos dias de festas judaicas; porém, tal não acontecerá pois não foi outorgado meramente porque fora observado sob, a
      economia judaica. E certamente se o sábado era mais antigo que o judaísmo; se mesmo sobre o judaísmo foi guardado como relíquia entre a terna santidade do decálogo, proferido, com nenhumas outras porções do judaísmo o foram, em meio, aos terrores do Sinai; e se o próprio Legislador disse quando na terra “O Filho do homem ´se Senhor até do sábado” (Marcos 2:28). Será difícil mostrar que o apóstolo significasse que o mesmo devia ser colocado pelos seus leitores entre aqueles desaparecidos dias de festa judaicas, e que só um “débil” poderia imaginar estarem ainda em vigor, uma debilidade que os que tinham mais luz deviam, apenas por amor, suportar.


      “Em Romanos 14: a 15:14 Paulo insta com os cristãos mais fortes para dar simpática consideração aos problemas de seus irmãos mais fracos. Como nos capítulos 12 e 13, ele mostra que a fonte da unidade e paz na igreja é o amor cristão genuíno. Este mesmo amor e respeito mútuo assegurará harmonia contínua entre o corpo de crentes, a despeito das opiniões e escrúpulos diferentes em assuntos de religião”.

      “Paulo não diz que todos os dias são iguais. A palavra iguais está em itálico (Versão Almeida Revista e Corrigida), porque não se encontra no original grego e foi acrescentada por Almeida.

      Excluir
    3. Olá irmão João Gabriel Villote Rodrigues, a paz do Senhor!

      CONTINUAÇÃO...

      O dia aí mencionado não é o dia de repouso semanal, porque o mesmo apóstolo, em sua epístola aos Colossenses (2:16), tratando do mesmo assunto (pois o mesmo problema surgira naquela igreja) nos esclarece que são “dias de festa”. E em Gál. 3:10, abordando o mesmo problema, Paulo menciona “dias, e meses, e tempos e anos” (grifo nosso). Quer dizer que eram dias de festa, os feriados anuais e mensais, como:

      Páscoa – Pentecostes – Dia da Expiação – Luas Novas – Tabernáculos – Jubileu regulados pela lei cerimonial. Por quê? Porque embora abolidos na cruz, esses dias, os judeus neófitos na fé, recém-convertidos (judaizantes) não se desvencilharam deles de pronto; queriam observa-los e ainda julgavam os cristãos vindos do gentilismo por não os observarem. Diz o comentarista Adão Clark: “A referência aí feita [à palavra dia] se prende a instituições judaicas, e especialmente a seus festivais, tais como a páscoa, pentecostes, festa dos tabernáculos, lua nova, jubileu, etc… Os gentios convertidos… consideravam… que todos esses festivais não obrigam o cristão. Nós os tradutores acrescentamos a palavra iguais, e fazemos texto dizer o que, estou certo, jamais foi pretendido, isto é, que não há distinção de dias, nem mesmo do sábado.” (Clark’s Commentary, Rom. 14:5)

      Também os fundamentalistas Jamieson, Fausset e Brown comentam: “… será difícil mostrar que o apóstolo tenha rebaixado o sábado de maneira a ser classificado por seus leitores entre as transitórias festas judaicas…”.
      Em parte algumas dos ensinos de Paulo, o sétimo dia do decálogo é assunto de controvérsia.”

      “Não destruas a obra de Deus por causa da comida. Todas as coisas, na verdade, são limpas, mas é mau para o homem o comer com escândalo. É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar ou se ofender ou se enfraquecer”. (Romanos 14:20-21).

      Após as considerações anteriores, podemos tr mais luz para entender este verso. Paulo está dizendo para os Corintos não destruírem a obra de Deus por causa do comer ou não carnes sacrificadas aos ídolos. O ídolo nada é.
      Ao dizer que “todas as coisas são limpas”, Paulo está se referindo ás “carnes sacrificadas a ídolos”; não está usando o termo genericamente, pois se o fizesse, teríamos de supor que até cobras, lagartos, cachorro, são limpos para alimentação.

      Paulo falou que “é bom não comer carne e nem beber vinho” porque estes eram evidentemente os objetos principais dos escrúpulos religiosos do irmão mais fraco, provavelmente porque eram costumeiramente usados nos sacrifícios aos ídolos pagãos.

      Conclusão:

      Romanos 14 trata em essência do mesmo assunto de I Coríntios 8: Carnes sacrificadas a ídolos. Podemos facilmente perceber isto através da comparação dos dois livros:

      “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo”. (Romanos 14:17).
      “Não é a comida que nos recomendará a Deus, pois nada perderemos, se não comermos, e nada ganharemos, se comermos”. (1 Coríntios 8:8).
      Podemos ver que em Romanos 14 está sendo tratado sobre o mesmo assunto, que diz respeito ás carnes sacrificadas a ídolos. O versos 17 não está dando autorização para usarmos alimentos imundos, pois neste é este o objetivo do livro.

      Outro fator que leva-nos a concluir que o assunto é o mesmo nos dois livros, é o fato da epístola aos Coríntios ter sido escrita menos de um ano antes da de Romanos. Chega-se á inevitável conclusão de que falam do mesmo assunto.
      Lembremos de que o próprio Paulo disse: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus”. (I Coríntios 10:31).

      Os versos 4 e 5 referem-se aos dias de festividades judaicos, que eram chamados de ‘sábados cerimoniais’, sábados estes que eram diferentes do sábado do Senhor, abençoado e santificado na criação do mundo. (Leia Levíticos 23:38; Levíticos 23:3 e 24-25).

      Que Deus ilumine muito a sua vida, um grande abraço dos seus amigos IASD!



      Excluir
    4. Ninguém tem como provar nada do que afirma, cada um acredita no que quer acreditar.

      Essa questão de lei e graça eu já debati inúmeras vezes inclusive aqui neste blog, não sei como isso ainda é assunto, talvez os próprios cristãos não tenham ainda conpreendido sobre santificação e salvação sob o ponto de vista do apóstolo Paulo, onde nas suas epístolas trata amplamente sobre o assunto e são sempre citadas nos debates.

      Eu tive um entendimento da mensagem de Cristo e das epístolas de Paulo que talvez seja diferente da sua, mas isso não significa que um esta certo e o outro esta errado, não adianta discutir.

      Excluir
  5. Oi Luciano!
    Tudo bem? Recordo-me que estou lhe devendo um e-mail ainda, rsrs...

    Boa sua postagem. Sou cristão sabatista (sigo a teologia Batista do 7º Dia), e como já havia dito em outra postagem, não considero que essa seja uma questão crucial para definir quem é cristão e quem não é, ou que seja uma questão que defina a salvação de alguma pessoa.
    Consigo conviver pacificamente com os irmãos que guardam o Domingo, e os amo e considero verdadeiros irmãos em Cristo, mesmo discordando de sua teologia nesse ponto (a propósito, estou nas últimas páginas do livro 'Do Shabbat para o Dia do Senhor', organizado por D. A. Carson, e defendendo que o Domingo é uma nova instituição cristã, e não um substituto para o Shabbat do AT. A leitura foi de grande aprendizado para mim, mas não conseguiu me convencer, hehe. Também acho que a argumentação distoa bastante do entendimento protestante da Aliança em relação à Lei e o Decálogo).

    Em relação ao Adventismo, foi Bates também quem primeiramente criou a interpretação de que o Domingo seria a marca da besta. Ele estava muito ressentido com as igreja cristãs que não aceitaram as interpretações de Miller, e tentou agrupá-las todas na identidade de Babilônia do Apocalipse. E o que teriam a maioria das igrejas em comum, se não a guarda do Domingo? E assim, Ellen White entrou em contato com essas interpretações, que receberam o 'selo profético' da aprovação de Deus.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Fabulo, e te coloquei em divida !!! Mande seu e-mail...kkk.

      Sim irmão, eu sempre procuro não dogmatizar esse tema, como fazem alguns apologistas em classificar a guarda do sábado como heresia. Isso é muito infantil, no minimo. Falta lucidez e consciência teológica para dizer isso dessa maneira.

      A inconsistência de Carson & CIA é de fato com esse pressuposto.

      No mais, se os adventistas que aqui comentam, abandonasse o adventismo e fossem para a Batista do Sétimo Dia, dispensando assim a porcaria de 1844 e o mito "Espírito de Profecia", eu ficaria PLENAMENTE feliz e faria de tudo para que mais e mais Adventistas se afiliassem aos Batistas do Sétimo Dia..

      Excluir
    2. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

      O irmão me disse uma vez:

      " se vc acredita na doutrina adventista, não o considero meu irmão" (Luciano Sena).

      Uma destas doutrinas é o SÁBADO! (e o sábado não é instituição da IASD, mas de Deus).

      Já o irmão considera o irmão FABULO (sabatista Batista) como IRMÃO (e não vejo nenhum problema nisso, pois somos todos irmãos em Cristo), mas vejo o seguinte:

      Seria pré-conceito ou despeito mesmo?

      Pois o irmão considera um SABATISTA como irmão e o outro SABATISTA não é seu irmão!

      Incoerente não é mesmo?

      Mas é claro, isso se chama livre arbítrio e o irmão tem todo o direito de chamar alguém de IRMÃO ou de HEREGE!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  6. Eu já ouvir falar que um Doutor havia dado um atestado médico o qual constava que Ellen White sofria de paranóia, agora vou ver se acho esta fonte, Ellen White viu entre aspas no céu 4 mandamento mais não encontrou novo testamento, é por isto que o apostólo Paulo sabia do perigo das revelacões levando 14 anos para contar uma revelacao que ele ouviu, ao contrário da papisa White que dizia ver as coisas no céu que 2Co12.1-6,  revelacoes tem sido as base de muitas seitas como o Mormonismo e inclusive o Adventismo, a Ellen White teve mais revelacoes entre aspas que os apostolos e profetas, nem uma empresa de fotos nao revelou mais do que ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Benivaldo Nunes de Lima, a paz do Senhor!

      Muito bom seu comentário!

      Morri de rir!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  7. Pós Hermeneutica (vc já identificou, mas esqueci seu nome...por favor inclua seu nome ao fim do comentário).

    O link de um estudo a respeito da probabilidade do distúrbio mental de Ellen White está aqui:

    http://www.ellenwhiteexposed.com/headinjury.htm

    ResponderExcluir
  8. Ok Luciano Sena meu nome é Benivaldo Nunes Lima, sou o BeniePoly do Facebook meu livro Conspiração Adventista chegou, pode deixar vou botar meu nome depois da postagem, um abraço.

    ResponderExcluir
  9. O sábado ou domingo?
    É um assombroso o fato de que alguém tentou mudar o original 7º dia de sábado do nosso Deus. Foi revelado que Deus não fez nenhuma mudança com relação ao sábado. Ele é parte da eterna, imutável, lei dos 10 Mandamentos de Deus. O sábado foi originado no jardim do Éden, será guardado na nova Terra, é o sinal especial de um relacio-namento com Deus. O chifre pequeno teria autoridade para mudar o sábado para o domingo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laerte, o tema da postagem é outro. Tratei da inclusão desse assunto no seio adventista.

      Excluir
  10. O domingo no NT
    Examine todos os 8 textos do NT que mencionam o 1° dia da semana:
    Lc.24:1 Este texto simplesmente declara a verdade de que Jesus ressuscitou no 1º dia da semana. NÃO HÁ INSINUAÇÃO de que devemos guardar este dia em honra a ressurreição de Jesus.
    Este texto deixa claro que o sábado foi o dia anterior a ressurreição, e não o dia da ressurreição.
    Jo.20:19 Os discípulos não estavam reunidos para honrar a ressurreição de Jesus, porque não acreditaram nisto naquela ocasião. Eles se mantiveram trancados e escon-didos por medo de lhes acontecer o que aconteceu a Je-sus. Nada indicava aqui uma mudança no dia ou adora-ção.
    1Co.16:2 Paulo estava arrecadando dinheiro para os cris-tãos de Jerusalém que sofriam de fome At.11:27-30; Rm.15:26 Ele estava instruindo os cristãos coríntios a prepararem e reservarem certa quantia em dinheiro a cada semana como presente especial aos mais necessitados. Nada existe no texto que indique uma coleta ocorrida na igreja no 1° dia da semana. Os cristãos simplesmente reservavam dinheiro e o dariam a Paulo quando chegasse.
    At.20:7-11 Esta reunião aconteceu na noite do 1° dia da semana. Nos tempos bíblicos o dia era contado do pôr do sol ao pôr do sol Gn.1:5; Mc.1:32. Isto significa que a parte escura do 1° dia da semana na contagem bíblica seria chamada como sábado à noite. Paulo estava tendo uma reunião de despedida com os membros da igreja. Ele estava ansioso em colocá-los a par de todos os conselhos de Deus. Na manhã de domingo, o apóstolo Paulo e seus companheiros partiram para sua viagem. Por que eles não permaneceram na manhã de domingo adorando a Deus se eles guardavam de fato o domingo? Não há nada neste texto que mostre um costume regular da primeira igreja cristã em se reunir no 1° dia da semana. Só porque Paulo pregou e partiu o pão neste dia não faz deste dia um dia sagrado. A primeira igreja partia o pão diariamente.
    At.2:46, bem como pregava diariamente. Analisamos todos os textos do NT que mencionam o 1° dia da semana. Não encontramos nenhuma fraca indicação de qualquer mudança no dia de adoração a Deus.

    ResponderExcluir
  11. àDe onde vem o domingo? A oposição ao judaísmo introduziu a festividade particular do domingo. Muito cedo, realmente em substituição do sábado. A festa do domingo como todas as outras festividades foi simplesmente uma ordenança humana, e estava longe das cogitações, esta-belecerem a este respeito uma ordenança divina, longe deles e da igreja primitiva apostólica, transferir para o domingo as leis sabáticas. Talvez no fim do 1º século, começou a surgir uma falsa aplicação dessa espécie, pois, à esse tempo os homens consideravam pecado o trabalho aos domingos. Church History p.186 Neander. A observância foi o 1º suplemento do sábado, mas à medida que se alargou o abismo entre a igreja e a sinagoga, o sábado foi se tornando cada vez menos importante, acabando por se tornar totalmente negligenciado. Christian Worship; Its Originais Evolution p.47

    ResponderExcluir
  12. Quem ordenou a guarda do domingo? A mais antiga do-cumentação da observância do domingo como imposição legal é o edito de Constantino, em 321 que decreta que as cortes de justiça, os habitantes da cidade e o comércio em geral devessem repousar no domingo (venerabili die solis) executando-se apenas os que se empenhavam em trabalhos agrícolas. Enciclopédia Britânica 9ª Ed. Art. Domingo. Constantino, o grande, fez uma lei para todo império, estatuindo que o domingo fosse observado como dia de repouso em todas as cidades e vilas, mas permitindo que os camponeses prosseguindo seus trabalhos. Enciclopédia Americana, art. sábado.
    Inquestionavelmente a primeira lei eclesiástica e civil, pela qual se sabe ter sido ordenada a observância do repouso naquela época é a de Constantino, de 321, AD. Chambers Encyclopedia art. sábado.
    A que obrigava a lei de Constantino? 'que os juízes e o povo das cidades, bem como os comerciantes repousem no venerável dia do sol. Aos moradores dos campos, po-rem, conceda-se atender livre e desembaraçadamente aos cuidados de sua lavoura, visto suceder frequentemente não haver dia mais adequado a semeadura e ao plantio das vinhas, pelo que não convém deixar de passar a ocasião oportuna e privar-se a gente das provisões preparadas pelo céu. '
    Edito de 07/03/321 a.D. Corpus Júris Civilis Cord. Liv. 3 tit. 12,3. Edito promulgado por Constantino foi o 1º a unir a igreja e Estado romano, de certo modo surgiu da falta divina ordem para a observância do domingo e pode ser considerada a primeira lei original do domingo e o modelo seguido para todas as leis dominicais depois dele. Foi um dos passos mais importantes para conquistar o intento da mudança do sábado e estabelecê-la.

    ResponderExcluir
  13. 1. Sábado e Cristo
    1. O Filho do homem é Senhor do que? Jo.1:3
    2. Cristo descansou no sábado quando esteve conosco? Mc.2:27e28
    3. Quais as intenções dos fariseus para com Jesus? Lc.6:7
    4. Quão simples é a questão do sábado? Lc.6:9e11
    5. Qual é o método de raciocínio usado por Cristo? Mt.12:11e12
    Mc.2:24-27 Lc.13:14-17; 14:5e6
    Ml.3:6 O caráter dos fariseus corrompido, e só mantinham uma religiosidade exterior. Jesus veio mostrar que esta-vam errados e o conceito que inventaram do sábado era deturpado. Era um dos muitos conceitos errôneos que eles mantinham e um dos motivos pelos quais resolveram matá-lo.
    Mt.5:16-18 Um fato digno de nota é que Deus estabeleceu o sábado para o bem da humanidade mas, os fariseus fanáticos queriam que fosse seguido de suas próprias formas. Por esse lado extremo do sábado ter sido rejeitado por Cristo, a maioria hoje acredita que Ele rejeitou o sábado e partiram para era Deus outro extremo, a libertinagem e inventaram outro dia para ser observado. As operações da natureza como o sol, o alimento a crescer, etc. podem e devem ser feitos todos os, pois estão de acordo com a vontade divina. Este é o trabalho recomendado.
    Jo.9:16 A operação desse maravilhoso milagre era a prova de que Cristo era Deus e que Seu conceito de fazer o bem no Seu dia estava correto. Deus aprovava este conceito e condenava à estreita e falsa visão dos fariseus.
    Is.42:21 Essa tarefa foi feita com maestria por Jesus em todos os pontos, inclusive o mandamento que versa sobre o sábado. Os judeus, pelo entulho de suas tradições nu-merosas, falsas idéias, superstições, regulamentos e restrições insensatas, tornaram o sábado um fardo contra o homem. Por esse motivo muitos foi induzidos ao erro de rejeitar o sábado, como sendo só judaico e, sem autoriza-ção divina, colocar outro dia no lugar e chamá-lo de 'sába-do cristão'. Jesus removeu os excedentes que atrapalha-vam, pondo o sábado em sua posição original como dia de adoração e beneficência. Este foi um dos mais salientes trabalhos de Cristo, a reforma do sábado.

    ResponderExcluir
  14. 1. Sábado. Mudança do
    1. O sábado na integra está onde? Ex.20:3-17
    2. O que Jesus veio fazer com a lei? Mt.5:17-19
    3. De onde vem a pseudo autoridade da mudança da lei? Dn.7:25
    4. Que parte da lei acha ter mudado? Ex.20:8-11 sábado
    5. O que mostra nossa obediência? Rm.6:16
    6. Como é visto a adoração contrária Á Deus? Mt.15:9
    7. A raça humana ainda guardará o sábado na nova Ter-ra? Is.66:22e23
    8. É certo, adorar por tradição, ao invés de obedecer aos Mandamentos de Deus? Mc.7:7,9,13
    9. A quem Pedro diz que devemos obedecer? At.5:29
    10. Por que o cristão deveria obedecer a Jesus? Jo.14:15
    11. De quem o sábado é um sinal? Ez.20:12
    12. Do que mais o sábado é um sinal? Ez.20:20

    ResponderExcluir
  15. Is.42:21 Cristo engrandeceu o significado em uma espiri-tualidade da mais alta seriedade e respeito
    Mt.5:19 Deduz-se que todo decálogo é obrigatório na dis-pensarão cristã, e que Cristo não tinha em mente trocar qualquer deles. Um deles ordena o repouso do 7º dia. O que difere em muito da prática de muitos que se dizem 'cristãos' que têm o 1º dia como descanso, mesmo que negligentemente. Pelas palavras do próprio Cristo, Ele não veio para tal propósito. Deve-se buscar em outra parte a responsabilidade dessa mudança.
    2Ts.2:3e4 Só existe um meio pelo qual qualquer poder pode exaltar-se acima de Deus, e é pretender mudar o que Ele estabeleceu e exigir obediência para si em vez de Deus.
    Eles (os católicos) alegam que o sábado foi mudado para o domingo, contrariando ao decálogo. Não existe exemplo de maior jactância do que a mudança do dia do repouso. Grande, dizem eles, é o poder da autoridade da igreja, visto haver dispensado um dos 10 mandamentos. Augs-burg Confession art. XXVIII. Ela (a igreja católica romana) subverteu o 4º mandamento, dispensando os sábados da palavra de Deus e substituindo-o pelo domingo (termo inexistente na Bíblia) como dia santificado. History of the Christian p.418
    A perpetuidade do sábado
    Is.66:22e23 Na nova Terra recriada por Deus, depois de o pecado ser removido, as pessoas ainda vão guardar o santo e sagrado sábado de Deus. Que prazer e que ale-gria será para o povo entrar no sábado com os remanes-centes de Deus na nova Terra onde poderão ficar e co-nhecer melhor a Deus do que O conhecem aqui.
    Ez.20:12 O sábado é um grande sinal de santificação. A santificação descreve o processo pelo qual Deus vive Sua vida no cristão, transformando o cristão conforme a Sua divina imagem e que ele está reservando tempo para construir uma sólida relação com Deus.
    Ez.20:20 Que clareza a Bíblia dá ao significado do sábado. Ele é um sinal especial no qual o povo conhece Deus. É um sinal que o povo tem um relacionamento com Deus. Para o cristão, se tornou um dia de prazer e alegria no Senhor. A Bíblia não requer uma guarda moral do sábado, mas reservá-lo para construir um relacionamento com Deus. Os cristãos ficam animados no sábado, porque ele é uma benção em meio aos problemas do mundo. O sábado é muito importante nestes últimos dias e Daniel nos adverte contra o poder que cuidaria em mudar o dia que Deus nos reserva para uma relação com Ele. Se existiu sempre um tempo na História da Terra quando o povo precisará do sábado, este tempo é hoje. Utilizamos este tempo especial para construir uma sólida relação com Jesus, para que possamos estar preparados para as terríveis cenas da História da Terra tão breve aconteçam. Se o sábado é o sinal que o Eterno tem o Seu povo, um poder que busca exaltar-se Acima dEle, procuraria remover ou cobrir aquilo que chama a atenção para Ele. Isto foi feito com eficiência, excluindo, não da lei, mas das mentes incautas, o sábado. Dn.7:25. E cuidará (pensará)

    ResponderExcluir
  16. [P. Como pode provar que a igreja tem o poder de ordenar festas e dias santos? R. Pelo próprio ato da mudança do dia de descanso para o domingo, o qual todos os protes-tantes aceitam, e, portanto contradizem a Bíblia, obser-vando o domingo e violando a maioria dos dias de festas pela mesma igreja P. Reconhecem os protestantes que foi a igreja católica e não na Bíblia que mudou o repouso? R. Sim. Esta é uma prova de não haver um mandamento divino para tal mudança.]
    Por séculos a mudança jamais cessou na igreja. Os cris-tãos tinham grande respeito pelo sábado e passavam o dia em devoção e sermões. E não é de duvidar que os próprios apóstolos tenham seguido essa prática. Diálogos Sobre o dia do Senhor p.189
    O sábado foi seguido religiosamente na igreja do oriente durante mais de 300 anos depois da do Salvador. Learned Treatise of the Sabbath p.77
    Retrocedendo mesmo até o quinto século, foi continua a observância do sábado judaico na igreja cristã, mas com vigor gradual decrescente até ser esquecida. Ancient Christianity Exemplified, cap.26 seção 2
    O povo de Constantinopla e de outras cidades, congrega-se tanto no sábado como no dia imediato, costume que é observado em Roma. Ecclesiastical Lv. 7 cap.19
    Tudo isso seria inconcebível e impossível caso houvesse um mandamento um mandamento divino para a mudança do sábado. As citações mostram que Roma iniciou a apostasia e a mudança do sábado.

    ResponderExcluir
  17. Irmão Luciano.

    Os observadores do DOMINGO, em uma tentativa desesperada de defender o indefensável, apelam aos pais da igreja (PATRÍSTICA) e ao texto de Apocalipse 1:10 para “PROVAR” que o “DIA do SENHOR” não é o SÁBADO.

    Leiamos o texto Apocalipse 1:10.

    Eles (VOCÊ) pecam em duas coisas:

    1) Em usar a autoridade dos pais da igreja no lugar da autoridade da Bíblia (Jo 17:17);

    2) Em dizer que a expressão grega "KURIAKÊ HEMÉRA" (Dia do Senhor), utilizada em Apocalipse 1:10, se refere ao primeiro dia da semana (DOMINGO).

    Vamos analisar a fragilidade dessa argumentação e mostrar que a Bíblia continua sendo a autoridade para o cristão que respeita a Deus e a autoridade de Sua Palavra.

    Os pais da igreja

    Mesmo tendo sido homens piedosos em suas épocas, não podemos fazer de tais homens nossa autoridade final em assuntos doutrinários. Isso por que “ANTES, IMPORTA OBEDECER A DEUS DO QUE AOS HOMENSs.” (At 5:29).

    Veja no que alguns dos pais da igreja acreditavam e conclua por si mesmo se, em matéria de doutrina, eles são confiáveis 100%. As informações a seguir forma extraídas do livro SUBTILEZAS do ERRO (1981):

    INÁCIO dizia que se torna assassino quem não JEJUA no SÁBADO; defende a transubstanciação, considerando herege quem admite apenas o simbolismo da santa ceia e exalta demais a autoridade do bispo, pondo-a acima da de César, chegando ao cúmulo de afirmar que, quem não o consulta, segue a satanás.

    BARNABÉ (se é que existiu tal personagem), diz que a lebre muda a cada ano o lugar da concepção, que a hiena muda de sexo anualmente, e a doninha concebe pela boca. Afirma que Abraão conhecia o alfabeto grego (séculos antes que tal alfabeto existisse) e alegoriza a Bíblia.

    JUSTINO ensinava, entre outros absurdos, que os anjos do céu comem maná e que Deus, no princípio do mundo, deu o sol para ser adorado.

    CLEMENTE de ALEXANDRIA sustenta que os gregos se salvam pela sua sabedoria; afirma que Abraão era sábio em astronomia e aritmética e que Platão era profeta evangélico.

    TERTULIANO diz regozijar-se com os sofrimentos dos ímpios no inferno. Afirma que os animais oram. Defende o purgatório e a oração pelos mortos.

    EUSÉBIO era ariano (negava a Divindade de Cristo)

    IRINEU quer que as almas, separadas do corpo, tenham mãos e pés. Defende a supremacia de Roma, alegando que a igreja tem mais autoridade que a Palavra de Deus. Defende ardorosamente o purgatório.

    Tais homens são as autoridades doutrinárias dos observadores do domingo!

    Pasmem!

    Não foi por acaso que ADAM CLARCK, comentarista evangélico, disse sobre eles:

    “EM PONTO DE DOUTRINA A AUTORIDADE DELES É, A MEU VER, NULA" – Clarkes’s Commentary, on Proverbs 8.

    A expressão "HURIAKÊ HEMÉRA" (dia do Senhor) se refere ao domingo?

    Só para os desinformados.

    No GREGO CLÁSSICO, realmente a expressão foi aplicada por alguns pais da igreja ao DOMINGO.

    Entretanto, a Bíblia não foi escrita no GREGO CLÁSSICO, mas, no GREGO KOINÊ (comum, do povo). Por isso, precisamos buscar o significado da expressão NO TIPO DE GREGO UTILIZADO PELOS AUTORES DO NOVO TESTAMENTO.

    Isso é óbvio demais a ponto de nem ser preciso redigir um comentário. Mas, por amor à verdade, é bom deixar tudo bem claro.

    Eis algumas evidências de que a expressão grega para “DIA do SENHOR” (no grego bíblico - KOINÊ) não se refere ao primeiro dia da semana (DOMINGO):

    1) A PRIMEIRA menção ao DOMINGO como “DIA do SENHOR” encontra-se num escrito falsamente atribuído a Pedro, chamado “EVANGELHO SEGUNDO PEDRO” (cap. 9:35), datado pelo menos uns 70 a 75 anos após o período que João escreveu o Apocalipse.

    Uma pergunta aos DOMINGUISTAS:

    Como João iria se referir ao DOMINGO em Apocalipse 1:10, sendo que a primeira citação como sendo este o "DIA do SENHOR" aparece cerca de 70 a 75 anos DEPOIS dele escrever este texto? Impossível!

    2) JUSTINO MÁRTIR (ano 150 d.C) quando alude a um costume que se implanta entre os cristãos de sua época a reunirem-se no 1o dia da semana (DOMINGO), refere-se a esse dia com a expressão “DIA do SOL” e não “DIA do SENHOR”.

    CONTINUA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 3) O evangelho de João teria sido escrito mais ou menos na mesma década que o Apocalipse e, ao referir-se ao DOMINGO, o apóstolo não o chama de “DIA do SENHOR”, mas meramente “PRIMEIRO DIA”. Nenhum título de santidade é dado ao DOMINGO (só na imaginação fértil dos que são contra o quarto mandamento da Lei de Deus)

      4) Nem o PAI nem o FILHO reclamaram o DOMINGO como “SEU” em qualquer sentido.

      Se seguirmos a lógica dos DOMINGUISTAS (em guardar o DOMINGO por que Jesus ressuscitou no primeiro dia), poderíamos SANTIFICAR a SEXTA-FEIRA – o dia da crucificação.

      Ele não tem menos importância para nós cristãos! Por que não chamar o dia da “ASCENÇÃO” de “DIA do SENHOR”?

      Qual critério bíblico é utilizado para dizer que o momento da ressurreição é mais importante que o dia em que Cristo morreu e subiu aos céus?

      5) Toda a vez que o Novo Testamento se refere ao primeiro dia da semana, usa a expressão “PRIMEIRO [dia] após o SÁBADO” (Mt 28:1; Mc 16:2; Lc 24:1; Jo 20:1,19; At 20:7; 1Co. 16:2).

      Ou, “SEGUNDO [dia] após o SÁBADO”, etc.

      Isto dá mais valor ao "SÉTIMO DIA" como ponto central da semana, para os escritores evangélicos.

      CONTINUA...

      Excluir
    2. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

      O "DIA do SENHOR" na Bíblia

      “Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército. E, havendo Deus terminado no DIA SÉTIMO a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. E ABENÇOUO Deus o DIA SÉTIMO e o SANTIFICOU; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.” Gênesis 2:1-3 (Não venha me dizer que aqui não é o sábado…)

      “LEMBRA-TE do dia de SÁBADO, para o SANTIFICAR. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o SÉTIMO DIA é o SÁBADO do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao SÉTIMO DIA, descansou; por isso, o SENHOR ABENÇOOU o dia de SÁBADO e o SANTIFICOU.” Êxodo 20:8-11.

      “Respondeu-lhes ele: Isto é o que disse o SENHOR: Amanhã é REPOUSO, o SANTO SÁBADO do SENHOR; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobrar separai, guardando para a manhã seguinte.” Êxodo 16:23 (Não se esqueça que o aquecer fogo no deserto exigia muito esforço e trabalho. Eles não tinham palitos de fósforos ou isqueiros como nós)

      “De que, trazendo os povos da terra no dia de SÁBADO qualquer mercadoria e qualquer cereal para venderem, nada comprariam deles no SÁBADO, nem no dia SANTIFICADO; e de que, no ano sétimo, abririam mão da colheita e de toda e qualquer cobrança.” Neemias 10:31.

      “Se desviares o pé de PROFANAR o SÁBADO e de cuidar dos teus próprios interesses no MEU SANTO DIA; se chamares ao SÁBADO deleitoso e santo "DIA do SENHOR", digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, NÃO pretendendo fazer aTUA PRÓPRIA VONTADE, nem falando palavras vãs” Isaías 58:13.

      “Porque o Filho do Homem é "SENHOR do SÁBADO.” Mateus 12:8 (Aqui e no texto seguinte Jesus não diz que é o “SENHOR do SÁBADO” para desobedecer e sim para dar o exemplo, ensinando as pessoas a guardarem o SÉTIMO DIA da maneira correta).

      “De sorte que o Filho do Homem é SENHOR também do SÁBADO.” Marcos 2:28.

      Onde na Bíblia o DOMINGO é chamado de “DIA do SENHOR”?

      Os textos são tão claros para o filho de Deus – regenerado pelo Espírito – que não farei maiores comentários.

      Cabe a cada um aceitar ou não o que Deus "DIZ" e não ao que os "IASD´S" apenas transmitem, e depois prestar contas a ELE pessoalmente (Rm 14:12; 2Co 5:10).

      Gostaria que os defensores do domingo me respondessem a pelo menos uma pergunta, das várias que surgiram no comentário.

      Como João iria se referir ao DOMINGO em Apocalipse 1:10, sendo que a primeira citação como sendo este o "DIA do SENHOR" aparece cerca de 70 a 75 anos DEPOIS dele escrever esse texto?

      Aguardaremos respostas SINCERAS e EMBASADAS na BÍBLIA
      .
      “Então, disse o SENHOR a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?”Êxodo 16:28

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    3. O apologista francês, monsenhor Ségur, interpõe o protestantismo quanto a guarda do domingo dizendo:

      "Foi a ICAR que, por autorização de Jesus Cristo, transferiu este repouso para o DOMINGO em memória da RESSURREIÇÃO de nosso Senhor.
      Dessa forma, a observância do DOMINGO pelos PROTESTANTES é uma homenagem que eles prestam, contradizendo-se a si próprios, a autoridade da ICAR."(1).

      O periódico "The Catholic Press of Sydney", (Australian, 25 of august of 1900), declara:

      "O DOMINGO é uma instituição da ICAR e a reivindicação à sua observância só pode ser defendida nos princípios católicos. (...) Do princípio ao fim das Escrituras não há uma única passagem que autorize a transferência do culto
      público semanal do ÚLTIMO dia da semana para o PRIMEIRO."(2).

      Tomás de Aquino foi um padre dominicano, teólogo e cognominado Doctor Communis ou Doctor Angelicus. Comentando sobre a mudança do SÁBADO para o DOMINGO, ele afirma:

      "Na nova lei, a observância do dia do DOMINGO tomou o lugar da observância do SÁBADO não em virtude de preceito, mas pela instituição da
      ICAR e pelo COSTUME do povo cristão."(3).

      Eusébio, que foi bispo de Cesarea, ratifica a declaração de Tomás de Aquino, revelando:

      "Todas as coisas que era dever fazer no SÁBADO, estas nós as TRANSFERIMOS
      para o "DIA do SENHOR", como o mais apropriado para isso, este [DOMINGO] é o
      principal na semana, é mais honroso que o SÁBADO judaico."(4).

      Gaspare de Fosso, arcebispo de Reggio, por ocasião do concílio de Trento fez a seguinte afirmativa:

      "(...) O SÁBADO, o mais glorioso dia da lei, foi modificado para o DOMINGO'.
      (...) Estes e outros assuntos similares não cessaram em virtude dos ensinamentos de Cristo (pois Ele declarou que não veio para destruir a lei e sim para cumpri-la), mas foram modificados pela autoridade da ICAR."(5).

      Karl Keating, apologético católico, defende o catolicismo e ataca o protestantismo declarando:

      "Não obstante, os fundamentalistas se reúnem para adoração no DOMINGO. Contudo, NÃO existe EVIDÊNCIA na Bíblia de que a adoração coletiva deveria ser feita aos DOMINGOS. (...) Foi a ICAR que decidiu que o DOMINGO
      seria o dia de adoração para os cristãos, em homenagem à ressurreição [de Jesus]."(6).

      O teólogo e historiador católico, John Laux, acrescenta ainda:

      "Alguns teólogos têm sustentado que Deus determinou precisamente o DOMINGO como dia de adoração na 'nova lei', e que Ele mesmo,
      explicitamente, substituiu o SÁBADO pelo DOMINGO. Entretanto, esta é uma teoria totalmente desacreditada. Agora, é comumente aceito que Deus simplesmente concedeu à sua igreja [ICAR] o poder para dispor qualquer
      dia ou dias que achar apropriado como dias santos. A igreja escolheu o DOMINGO, o primeiro dia da semana, e no decorrer do tempo acrescentou outros dias como santos. (...) Se consultarmos a Bíblia unicamente, ainda
      deveremos guardar o SANTO DIA de DESCANSO, que é o SÁBADO."(7).


      (1). Cf. SÉGUR, L. G. (1868). Plain Talk About the Protestantism of To-Day, Boston: Patrick Donahoe, p. 225; (Imprimatur: Joannes Josephus, episcopus of Boston).

      (2). Quoted in: HAYNES, B. C. (2005). From Sabbath to Sunday, Review and Herald Pub Association, chap. 4, p. 47.

      (3). Cf. Thomas Aquinas. (1702). Summa Theologica, part. II, q. 122, art. 4; (New York: Benzinger Brothers, Inc., 1947).

      (4). Cf. Eusebius's Commentary on the Psalms (Psalm 92: A Psalm or Song for the Sabbath-day). Too in: Migne's Patrologia Graeca, vol. XXIII, col. 1171-1172.

      (5). Cf. Gaspare [Ricciulli] de Fosso, pronunciamento na 17.ª sessão do concílio de Trento (18 de janeiro de 1562). In: MANSI, Sacrorum Conciliorum, vol. 33, cols. 529-530. Quoted in: Nisto Cremos. (2003). 7.ª ed., São Paulo: CPB, cap. 19, p. 347-348;

      (6). Cf. KEATING, K. (1988). Catholicism and Fundamentalism: The Attack on "Romanism" by "Bible Christians", San Francisco: Ignatius Press, p. 38; (Nihil Obstat: Rev. Msgr. Joseph Pollard, S.T.D., censor librorum. Imprimatur:

      (7).

      Excluir
  18. A observância do domingo pelos protestantes é uma ho-menagem direta a autoridade católica. Abridgement Chris-tian Doctrine, França 1649 p.43 Plain Talk about Protes-tantism of today p.213
    A igreja católica por sua própria 'infalível' autoridade criou o domingo como dia santificado para substituir o sábado da 'velha' lei. Kansas city Catholic 09/02/1893 a igreja católica por sua divina missão mudou o dia de sábado para o domingo. Catholic Mirror 23/12/1893.
    Podereis ler a Bíblia de Genesis a Apocalipse e não en-contrareis uma única linha que autorize a santificação do domingo. As Escrituras ordenam a observância religiosa do sábado, dia que nós nunca santificamos. The Faith of Our Fathers p.11, 1892 Cardeal Gibbon
    É interessante notar a este propósito que a observância do domingo, é o único preceito do protestantismo, que, não só não tem fundamento na Bíblia, mas está em contradição com a mesma, que prescreve o descanso do sábado.
    Foi a igreja católica que, por ordem de Jesus transferiu o descanso para o domingo em memória da ressurreição de Jesus, de modo que a observância do domingo pelos pro-testantes, que prestam independentemente de sua vonta-de, à autoridade da igreja. O Monitor Paroquial 26/08/1926 Socorro, SP
    O domingo é uma instituição católica, e, sua observância só pode ser defendida pelos ditames católicos. De princi-pio ao fim das Escrituras, não é possível achar um texto que autorize a mudança do culto público semanal do últi-mo para o 1º dia. Catholic Press 26/08/1900 (Sidnei Aus-trália
    Ex.31:16,17 diz que o sábado seria sinal perpétuo entre Deus e Seu povo

    ResponderExcluir
  19. A mudança do sábado
    Desde que a Escritura é muito clara sobre o sábado Bíbli-co, o 7º dia da semana, pode muito bem ser perguntado, 'Por que a maioria dos cristãos hoje observa o domingo, o 1º dia da semana?' Em algum tempo, em algum lugar, a mudança ocorreu. Deus diz que Ele nunca muda, e Sua lei nunca muda. Ele perpetuou o 7º dia em Sua lei sagrada.
    Dn.7:24-25 A Bíblia previu que o chifre pequeno tentaria mudar os tempos e a lei. O sábado é o único mandamento na lei que trata com o tempo. Uma tentativa de mudança de tempo tem sido feita do sábado para o domingo. O papa é tão grande autoridade e poder que ele pode modifi-car, explicar ou interpretar mesmo as leis de Deus, ele age como representante de Deus na Terra. Prompta Bibliotheca

    ResponderExcluir
  20. O sábado pode ser mudado?
    Os 10 Mandamentos são a eterna reflexão do caráter de Deus. Não poderiam alterar a lei, sem mudar Deus, porque Deus é imutável!
    Ex.20:8-11 Somente o 4° mandamento trata de algo sobre tempo. O propósito do sábado é dar à Deus e Seu povo tempo para estarem mais próximos. O quarto mandamento nos dá tempo para edificarmos nosso relacionamento com Deus, para a contemplação de Suas bênçãos para nós. Se alguém obedece ao quarto mandamento como Deus deseja existirão poucas dúvidas sobre esta pessoa guardar o restante dos mandamentos. Não é surpresa então, que Satanás tem atacado este mandamento. Ele bem sabe que se puder destruir o relacionamento pessoal com Deus, as pessoas vão terminar servindo a Satanás. Não é de admirar que Deus tenha lutado contra este poder que cuidaria em mudar os tempos na lei
    O Assunto do sábado
    O assunto é claro. Não há absolutamente nada ou peque-na evidência na Bíblia sobre a mudança do dia de adora-ção do sábado para o Domingo. Contudo, o real assunto não é a guarda do sábado ou a guarda do Domingo. O real assunto é o chifre pequeno tem autoridade para mudar a Lei de Deus? Observe esta incrível declaração de uma fonte católica romana:
    'Foi a igreja católica que… transferiu o descanso para o Domingo... Então a observância do Domingo pelos protes-tantes é uma homenagem que eles fizeram, eles próprios, a autoridade da igreja católica. ' Monsenhor Louise Segur, 'Plano Verdadeiro Sobre o Protestantismo de Hoje' p.213.
    Que incrível admissão! A igreja romana clama que quando a pessoa guarda o domingo, reconhece a autoridade da igreja romana! É dito claramente que nenhuma pessoa tem autoridade para mudar a Lei de Deus. Errar sobre isso, sobre o conflito entre Sábado Domingo é um assunto de autoridade. O sábado que guardamos revela de quem reconhecemos a suprema autoridade em nossa vida religiosa. Não admira que Deus diga que o sábado é um sinal para que conhecer o Senhor Ez.20:20
    Jo.14:15 Não podemos esquecer que o motivo de nossa obediência ao nosso Pai do Céu é o amor. Os cristãos não podem obedecer por medo ou obrigação, mas somente porque eles amam a Jesus por salvá-los de seus pecados

    ResponderExcluir
  21. Como já respondi esse assunto (por exemplo da pretensão Romana, em afirmar que estabeleceu o cânon bíblico, pelo jeito vcs não citam muito por aqui...), e avisei acima que o tema da postagem é outro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

      O tema não é este?

      O irmão falou acima que o DOMINGO substituiu o SÁBADO, e concordo 100% com você! Isto ocorreu mesmo!

      A questão é:

      Aonde está tal autorização BÍBLICA?

      Não EXISTE!

      O irmão diz que o SÁBADO é "MISTICISMO", bandeira levantada pelo ADVENTISMO, mas se esquece que o sábado não é instituição ADVENTISTA e ignora conscientemente O LEGISLADOR que a escreveu com SEU próprio DEDO e de toda a bíblia que foi inspirada pelo ESPÍRITO SANTO, a única parte que não HOUVE INSPIRAÇÃO foi o DECÁLOGO!

      Mas você deve ter razão mesmo, o SÁBADO deve ser um "MISTICISMO" mesmo! Deus deve ter SE enganado. Deve ser mesmo o DOMINGO que é a nova instituição DIVINA, mesmo não existindo um ÚNICO VERSÍCULO da bíblia dando tal autorização ou respaldo TEOLÓGICO.

      Mas o irmão deve ter razão mesmo, pois afirmou que o sábado é "SOMBRA" (Cl 2:16) e que o DOMINGO deve ser o "OBJETO" que produz a "SOMBRA"!?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  22. Os adventistas, no caso, os líderes, ensinam os seus adeptos a fazer citações de autores católicos, a fim de provar que a observância do sábado judaico foi mudada para o primeiro dia (domingo), sem sanção escriturística.

    Vamos mostrar o êrro em que eles incorrem, ao fazer isto.

    Quando é que a Igreja tornou-se tanto "Romana" e "católica?" O mais antigo registro existente do termo "católico", ou seja, (katholikos do grego, que era a língua internacional empregada nos primeiros séculos da Igreja Universal), usado como um título para a Igreja fundada por Jesus Cristo é uma carta escrita por Inácio Bispo de Antioquia. Inácio, que foi martirizado por volta de 107 A.D., em sua carta à Igreja em Esmirna, na Ásia Menor, escreveu: "Onde quer que o Bispo esteja, que lá esteja o povo, assim como onde Jesus está, aí esteja a Igreja Católica" [Inácio, Esmirna 8,2]. Cerca de 40 anos depois da carta do Bispo Inácio, um documento contando a história, na forma de uma carta, do martírio do bispo Policarpo de Esmirna [m. cerca de 156, com 86 anos. de idade], um discípulo do Apóstolo São João, registra nas primeiras linhas do documento, o nome da Igreja em Esmirna responsável pelo escrito do relato do martírio de São Policarpo e da saudação a Igreja em Philomelium e "todas as comunidades da santa Igreja CATÓLICA, que residam em qualquer lugar." E o escrito da oração final do amado Bispo pouco antes de sua morte. O documento registra: "Quando ele, (Policarpo), finalmente terminasse a sua oração, na qual ele tivesse se lembrado de todos os que ele tivesse encontrado, tanto pequenos como grandes, conhecidos e desconhecidos, e de toda a Igreja CATÓLICA que o momento de sua partida havia chegado ... "[Martírio de Policarpo, 8].


    Inicialmente, o termo "católico" ou "universal" se referia a missão e expansão geográfica da Igreja, como é encontrado em uma primitiva fórmula batismal escrita em algum momento por volta do 2 º século dC, que afirma: "A Igreja é chamada CATÓLICA porque ela está espalhada por todo o mundo, à partir de uma extremidade da terra até a outra. " À medida que a Igreja de Jesus Cristo cresceu, mantendo a sua solidariedade na crença ", Católica" assumiu uma conotação mais doutrinal e chegou a descrever a sua universalidade, no sentido da obediência continuada e fidelidade aos ensinamentos originais de Jesus Cristo e seus apóstolos. No século 3 º São Cipriano, bispo de Cartago [martirizado 258 AD] expressou esta unidade de crença no documento sobre a Unidade da Igreja Católica, onde ele escreveu que a crença católica era de Deus, porque aqueles que à professavam estavam unidos por meio de Cristo na mesma unidade de crença. Dss últimas instruções de Jesus para Pedro, ele escreve: "E novamente ele diz a ele após a sua ressurreição: 'Apascenta as minhas ovelhas'. Nele, Ele edifica a Igreja, e para ele Ele dá o comando para alimentar as ovelhas, e embora Ele atribua um poder semelhante à todos os Apóstolos, todavia Ele fundou uma única cadeira, e Ele estabeleceu pela sua própria autoridade, uma fonte e uma intrínseca razão para aquela unidade De fato, os outros tiveram também a mesma autoridade que Pedro; mas a primazia é dada a Pedro, pelo que fica claro que não há senão uma só Igreja e uma só cadeira. Assim também, todos são pastores, e o rebanho é demonstrado ser um, alimentado por todos os apóstolos de acordo com um só objetivo. Se alguém não se apega a essa unidade de Pedro, pode ele imaginar que ainda mantém a fé? Se ele abandona a cátedra de Pedro sobre a qual a Igreja foi construída, pode ele ainda estar confiante de que está na Igreja? [...] A igreja é banhada pela luz do Senhor, e derrama seus raios por todo o mundo, mas é uma luz que se espalha por toda parte, e a unidade de sua estrutura é indivisível. " [Sobre a Unidade da Igreja Católica, primeira edição, escrito em 251 AD por Cipriano, bispo de Cartago, capítulo 4; referenciando o Evangelho de São João 21:15-17]. Prossegue...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      Desculpe-me minha ignorância, mas não encontrei no seu comentário (citação) acima, a AUTORIZAÇÃO e CONFIRMAÇÃO teológica da substituição do SÁBADO pelo DOMINGO na BÍBLIA?

      O irmão Paulo Cadi, por favor, poderia me ajudar a encontrá-la em sua CITAÇÃO acima?

      E CATÓLICO é isso mesmo! " UNIVERSAL"!

      Agora Pedro tem a PRIMAZIA, não dá!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  23. "Neste documento, Cipriano correlaciona o centro do cristianismo com o Vigário de Cristo, sucessor de São Pedro, o Bispo de Roma e, portanto, "Romano" com "católico", e assim, daí em diante, os dois termos tornaram-
    se intercambiáveis. Os teólogos que seguiram Cipriano afirmaram esta universalidade doutrinal como o grande teólogo do século 5, Vicente de Lerins [morto em 434] que definiu catolicidade da Igreja como "aquilo que tem sido acreditado em toda parte, sempre e por todos." A Igreja Católica Romana continua nesta tradição, entregando fielmente aos crentes da Nova Aliança da Igreja Católica universal, hoje, o mesmo ensinamento recebido de Jesus Cristo e entregue a seus Apóstolos, os pais espirituais do povo da Nova Aliança de Deus."

    Então, quando os teólogos católicos afirmam que foi a Igreja Católica que efetuou a mudança do sábado judaico para o domingo cristão, eles estão confessando que são a mesma Igreja de Jesus Cristo , e que foi esta Igreja que, desde o tempo dos Apóstolos, mudou o dia tanto pela anulação da observância do sábado judaico pelos cristãos, (Cl.2:16), como pela inauguração do dia da ressurreição, na Igreja. assim como os judeus tinham suas festividades, (Lv.23), para comemorar os fatos importantes que ocorreram com o povo da Antiga Aliança.

    Os adventistas não tem fontes primárias que atestem QUANDO houve a mudança, ou uma lei, decretando que dali em diante o domingo deveria ser observado.

    NÃO EXISTE TAL DECRETO; Daí, a interpretação furada deles, de Daniel 7:25, onde eles afirmam que o papa iria mudar "os tempos e as leis", não passa de outro êrro de interpretação.

    Um deles, Bacchiochi, já discordou de Ellen White, que falsa e ignorantemente atribuí a mudança do dia, à Constantino.

    Não existe NENHUMA fonte primária que prove que aos cristãos gentios foi ordenado observar o sábado judaico.

    A fonte primária mais antiga, e histórica, o próprio Novo Testamento, não registra nenhum mandamento dado pelos Apóstolos, aos gentios quanto a observância do sábado, como está na TORAH, sendo que nem os adventistas observam o sábado como prescrito na lei, sendo portanto transgressores dela.

    Quem define como o sábado deve ser observado, é a própria lei, e não um grupedo apóstata que seguiu uma falsa profecia sobre a vinda do Senhor. 1843, e depois ´44.

    Os milleritas erraram em ´43, e não sossegaram o facho, e marcaram para ´44, e erraram de novo. Daí saiu um grupo que adotou está falsa data, como fundamento para seu sistema de teologia, quando as escrituras proíbem quaisquer marcação de datas para a Vinda de Cristo.

    Os adventistas afirmam que creem na trindade.

    Pergunto: Quem elaborou teológicamente esta doutrina?

    Não é a mesma "besta" que inventou a observância do domingo?

    Então, vemos as inconsistências na argumentação dos adventistas, quando vem citando autores católicos, porque quando eles afirmam que foi a Igreja Católica que fez a mudança, ESTÃO SE REFERINDO AOS APÓSTOLOS.

    Eles não começaram em 22 de Outubro de 1844, mas afirmam que são a MESMA igreja dos Apóstolos, já que vocês, adventistas, não podem apontar QUEM é o fundador da Igreja Católica.

    Por isso eu digo: TODA a seita, está desconectada da história da Igreja, fazendo citações fora de contexto e sem conhecer a teologia ou o chamado magistério da Igreja.

    Por isso, ao invés de ficarem lendo os livrinhos fantasiosos de White, vão estudar para não dizerem bobagem.

    Depois continuaremos desmontando a fantasia sabatista.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      O irmão falou, falou, falou, mas ainda não encontrei em seu comentário (citação) a AUTORIZAÇÃO da mudança do SÁBADO para o DOMINGO na BÍBLIA?

      O que encontrei foi sua afirmação de que não faz a menor diferença a ICAR assumir a MUDANÇA e que ela (ICAR) não negar de forma alguma!

      E que a PATRÍSTICA também lhe serve de mesmo argumento que a ICAR para OBSERVÂNCIA do DOMINGO!

      Nós hereges (segundo sua opinião) e falsos cristãos (segundo sua opinião) nos baseamos na BÍBLIA não na PATRÍSTICA!

      Já o irmão parece que se escorra em ambos!
      Sua PRIMAZIA é pela fonte primaria HISTÓRICA e PATRÍSTICA enquanto o relato BÍBLICO seria SECUNDÁRIO. Mas é apenas uma impressão que tive: o que acha?

      Sua citação:

      "Os adventistas não tem fontes primárias que atestem QUANDO houve a mudança, ou uma lei, decretando que dali em diante o domingo deveria ser observado".

      Você tem toda a RAZÃO!

      Quem possui esta fonte PRIMÁRIA é a ICAR! Tanto que o autor adventista citado pelo irmão comprova isto!

      SAMUELE BACCHIOCCHI com seu livro "DO SÁBADO para o DOMINGO" em sua TESE DOUTORAL realizada na "Pontifícia Universidade Gregoriana" (PUG) em Roma, não apenas aceitou a TESE DOUTORAL de BACCHIOCCHI, mas lhe concedeu o "IMPRIMATO" (é uma aprovação eclesiástica que a Igreja católica coloca em suas publicações). Ou seja, a PUG, além de aceitar sua TESE (pesquisa nos arquivos romanos) aprovou seu DOUTORADO e lhe concedeu o "IMPRIMATO" a um Pr Dr ADVENTISTA.

      Tenho certeza que o irmão (Cadi) sabe disso!

      Se o irmão não leu é só ler! Nele o irmão vai confirmar tudo que citou acima (Cadi), ou seja, até CONSTANTINO, não existe nenhuma lei ECLESIÁSTICA, RELIGIOSA (tradição) ou CIVIL! Foi gradativo, lento por vários motivos que tenho certeza que o irmão Cadi sabe pelas fontes PRIMÁRIAS (HISTÓRIA).

      A primeira evidência histórica concreta sobre a existência de cristãos
      observadores do DOMINGO é encontrada somente na metade do segundo século de nossa era.

      A tese doutoral de Samuele Bacchiocchi, intitulada

      "FROM SABBATH TO SUNDAY":

      A Historical Investigation of the Rise of Sunday Observance in Early
      Christianity (Roma: Pontifical Gregorian University Press, 1977), demonstra “que a adoção do DOMINGO em lugar do SÁBADO, NÃO ocorreu na primitiva Igreja de JERUSALÉM, por virtude de AUTORIDADE APOSTÓLICA, mas aproximadamente um século depois na Igreja de Roma”.

      No seu livro o Dr. BACCHIOCCHIO demonstra como, dada a influência do ANTOSEMITISMO, sobretudo sob o imperador romano ADRIANO pelo ano 135 AD, os cristãos foram adotando o “VENERABILI DIES SOLIS” do paganismo romano para substituir o SÁBADO. Não queriam ser confundidos com os judeus e por isso foram trocando o dia GRADUALMENTE, sendo esta a VERDADEIRA origem da OBSERVÃNCIA do DOMINGO.

      O mesmo se passou com a data da Páscoa judaica, em 14 de Nisã, trocado pelo “DOMINGO de PÁSCOA”, na famosa controvérsia QUATRODECIMANA registrada pela História e que provocou a EXCOMUNHÃO de milhões de cristãos orientais pelo Papa VITOR (ca. de 191 AD).

      Ninguém fez pesquisa melhor, mais completa, mais realista, dentro do
      próprio ambiente de documentação INDESMENTÍVEL e INÉDITA da BILBIOTECA VATICANA.

      Vale a pena conhecer os resultados de sua pesquisa, que fez com que até
      merecesse uma medalha de ouro da parte do Papa Paulo VI pela qualidade de seu trabalho acadêmico.

      Portanto, foi só a partir do segundo século desta era que alguns cristãos,
      por MEDO de serem CONFUNDIDOS com os judeus (em virtude de estes últimos estarem sofrendo forte perseguição movida pelas autoridades romanas), se tornaram assim TAMBÉM guardadores do PRIMEIRO DIA da SEMANA (mas sem deixar de guardar o SÁBADO, o SÉTIMO DIA).

      CONTINUANDO...

      Excluir
    2. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      Esquematizo logo abaixo alguns depoimentos escritos em épocas
      variadas, os quais corroboram a tese de que sempre houve cristãos guardadores do sétimo dia da semana ao longo de todos os séculos após a ressurreição de Cristo.

      SÉCULO II

      JUSTINO MÁRTIR (100-165):

      "Devemos unir-nos a eles [observadores do SÁBADO], associando-nos com eles em tudo, como parentes e irmãos." -

      Dialogue With Trypho, em The Ante-Nicene Fathers, vol. I, pág. 218.

      SÉCULO III

      ORÍGENES (185-254):

      "Depois da celebração do sacrifício contínuo (a crucifixão), vem a segunda festividade, do SÁBADO, e é apropriado para quem for
      direito entre os santos, celebrar também a festa do SÁBADO. E qual é, de fato, a festa do SÁBADO, senão a de que o apóstolo disse: 'Portanto resta ainda um SABATISMO para o povo de Deus?' Hebreus 4:9. Deixando, pois, de lado a observância judaica do SÁBADO, que espécie de observância se espera do cristão?

      No SÁBADO nenhum ato mundano deve ser realizado. Se, portanto, repousardes de todas as obras seculares, não deveis fazer coisa alguma mundana, mas estareis livres para as obras espirituais, indo à igreja, dedicando atenção à leitura sagrada e aos estudos de assuntos divinos, pensando nas coisas celestiais e na vida futura, bem como no julgamento vindouro, sem atentar para as coisas atuais e visíveis, mas para as invisíveis e futuras."

      Homily on Numbers 23, par. 4, em Migne, Patrologia Graeca, vol. XII. cols. 749 e 750.

      SÉCULO IV

      HERMAS SOZOMENO (399-443):

      "O povo de CONSTANTINOPLA, e de quase todas as partes, reúne-se no SÁBADO, bem como no PRIMEIRO DIA DA SEMANA, costume que NUNCA se observa em ROMA, nem em ALEXANDRIA."

      Ecclesiastical History, livro 7, cap. 19, em Nicene and Post-Nicene Fathers, 2.ª série, vol. II, pág. 390.

      JOHANNES CASSIANUS, monge egípcio, (360-435):

      Descrevendo a vida monástica:

      "Portanto, exceto os cultos vespertinos e noturnos, só há culto de dia no SÁBADO e no PRIMEIRO DIA DA SEMANA, quando os monges se reúnem à terceira hora [nove horas] para a santa comunhão."

      De Institutione Coenobiorum, livro III, cap. 2, em Nicene and Post-Nicene Fathers, 2.ª série, vol. XI, pág. 213.

      CONSTITUIÇÕES DOS SANTOS APÓSTOLOS (produto de escritores da Igreja Oriental).

      Embora também ordene a guarda do DOMINGO, assim indica a guarda do SÁBADO:

      "Observarás o SÁBADO por causa dAquele que repousou da obra da criação, mas não cessou Sua obra de providência. É repouso para meditação sobre a lei, e não para ficar com as mãos ociosas."

      Constitutions of the Holy Apostles, livro II, sec. 5, cap. 36. The Ante-Nicene Fathers, vol. VII, pág. 413.

      ATANÁSIO (298-373):

      "Reunimo-nos no dia de SÁBADO não porque estejamos INFECTADOS de JUDAÍSMO... Achegamo-nos ao SÁBADO para adorar a Cristo, o Senhor do SÁBADO."

      Pseudoathan, de semente, tomo I, pág. 885.

      AGOSTINHO (354-430): "Neste dia, que é SÁBADO, costumam reunir-se, na maior parte, os desejosos da Palavra de Deus... Em alguns lugares, a comunhão ocorre diariamente; em outros, somente no SÁBADO; e em outros, somente no
      DOMINGO."

      Sermão 128, tomo VII, pág. 629, Epistola ad Janerius, cap. 2.

      continuando...

      Excluir
    3. EDWARD BREREWOOD, historiador (1565-1615)

      Depois de exaustiva pesquisa do assunto:

      "O SÁBADO foi religiosamente observado na Igreja do Oriente,
      durante mais de trezentos anos depois da paixão do Salvador."

      A Learned Treatise of the Sabbath, pág. 77.

      JOSEPH BINGHATH (pesquisador de história da igreja cristã, que viveu na Inglaterra no século XVIII):

      "Depois do dia do Senhor, os antigos cristãos eram cuidadosos na observância do SÁBADO, ou SÉTIMO DIA, que era o primitivo SÁBADO judaico. Alguns o observavam como dia de JEJUM, outros como dia FESTIVO. Todos, porém, UNANIMEMENTE o GUARDAVAM como o mais SOLENE dos dias religiosos de culto e adoração. Na Igreja Oriental era sempre observado como dia de festa."

      Origines Eclesiasticae, ou Antiquities of the Christian Church, livro XX, cap. 3, par. 1.

      SÉCULO V

      SÓCRTES, o ECLESIÁSTICO (historiador - 379-440):

      "Conquanto quase todas as igrejas do mundo celebrassem os sacramentos aos SÁBADOS, cada semana, os cristãos de ALEXANDRIA e de ROMA, por causa de alguma TRADIÇÃO, deixaram de fazer isto."

      Ecclesiastical History, livro V, cap. 22 (escrito em 439 d.C.), em
      Nicene and Post-Nicene Fathers, 2.ª série, vol. II, pág. 132.

      LYMAN COLEMAN (1796-1882), após minuciosa pesquisa:

      "Retrocedendo mesmo até ao quinto século, foi contínua a observância do SÁBADO judaico na igreja cristã, mas com rigor e solenidade gradualmente decrescentes, até ser de todo
      abolida."

      Ancient Christianity Exemplified (1852), cap. 26, seção 2.

      ANDREW LANG (1844-1912), erudito grego-escocês, historiador, referindo-se à igreja do norte da Escócia no décimo primeiro século, igreja fundada por Columba:

      "Eles trabalhavam no DOMINGO, observavam o SÁBADO."

      History of Scotland, vol. I, pág. 96.




      SÉCULO VI

      ALEXANDER CLARENCE FLICK (doutor em Filosofia e Letras, catedrático de História Européia na Universidade Siracusa, 1869-1942):

      "Os celtas permitiam o casamento de seus sacerdotes, e a igreja romana proibia... Os celtas tinham seus
      próprios concílios e editavam suas próprias leis, independentes de Roma. Os celtas usavam uma Bíblia latina diferente da Vulgata, e guardavam o SÁBADO como dia de repouso. Também realizavam cultos especiais no DOMINGO."

      The Rise of Medieval Church, pág. 237 (ed. 1909, New York).

      WILLIAM FORBES SKENE (1809-1892), historiógrafo real da Escócia em 1881. Referindo-se à Igreja Celta do século XI:

      "Parecia seguirem um costume, conforme, vestígios na primeira igreja monástica da Irlanda, segundo o qual consideravam o SÁBADO como DIA de REPOUSO, no qual descansavam de seu
      trabalho... Não deixavam de venerar o DOMINGO, embora sustentassem que o SÁBADO do SÉTIMO DIA era o legítimo SÁBADO, no qual se abstinham do trabalho."

      Celtic Scotland (Edinburgo, 1877), livro II, cap. 8, págs. 349 e 350.

      E na época da reforma, Andreas Rudolf Karlstadt (1480-1541),
      reformador protestante alemão, que se juntou a Lutero em Witenberg, em 1517.

      Escreveu um tratado sobre o dia de guarda. "Quando os servos tenham trabalhado seis dias, devem ter o sétimo livre. Deus disse com toda a clareza:

      'Lembrai-vos de observares o SÉTIMO DIA'... Com relação ao DOMINGO, sabe-se que os homens o INVENTARAM."

      Von dem Sabbath und Gebotten Feyertagen (1524), cap. IV, pág. 23.

      SÉCULO XI

      ANDREW LANG (1844-1912), erudito grego-escocês, historiador, referindose à igreja do norte da Escócia no décimo primeiro século, igreja fundada por Columba: "Eles trabalhavam no domingo, observavam o sábado."

      History of Scotland, vol. I, pág. 96.


      THOMAS RATCLIFFE BARNETT (1868-1941) erudito anglicano:

      "Neste assunto, os escoceses talvez mantivessem o costume tradicional da antiga Igreja da Irlanda que observava o SÁBADO, em vez do DOMINGO, como dia de repouso."

      Margaret of Scotland, Queen and Saint (Londres, 1926), pág.

      continuando ...

      Excluir
    4. Você disse: "O irmão falou, falou, falou, mas ainda não encontrei em seu comentário (citação) a AUTORIZAÇÃO da mudança do SÁBADO para o DOMINGO na BÍBLIA."

      Eu é que lhe pergunto: ONDE está o mandamento para os cristâos gentios observarem o sábado?

      Lhe pergunto: Leia a Torah, que é o espelho para quem deseja saber se está observando a lei, e verifique se você, e seus colegas adventistas observam o sábado COMO ESTÁ NA LEI (TORAH).

      Não adianta você ficar fazendo todo este carnaval em cima do sábado, se você mesmo é transgressor da lei.

      Você foi lá no "Subtilezas do Êrro", e colocou aquelas citações sobre a observância do sábado, em sua maior parte por grupos heréticos, que se você não sabe, se inspiraram nos Ebionitas, um grupo herético primitivo que não aceitavam as cartas de Paulo, o maior anti-sabatista do mundo!

      O Arnaldo Cristianini, como não tinha fontes primárias que comprovassem a observância do sábado pelos cristãos do século 1, (nem o Bacchiochi, apresentou fontes primárias), teve que recorrer a fontes de terceira mão, chamadas de enciclopédias, e começar a citar de fontes heterodoxas.

      Vou citar alguma coisa: 90 A.D. Didaque: Os cristãos reuniam-se no dia do Senhor: "Cada dia do Senhor, nos reunimos e partimos o pão e damos graças"... 100 A.D. Barnabas; "Nós observamos o oitavo dia (domingo), com alegria, o dia em que Jesus ressucitou dos mortos". Epístola de Barnabas 15:6-8 ; 100 A.D. Barnabas: " Além do mais Deus disse aos Judeus, vossas luas novas e sábados, eu não posso suportar. Os presentes sábados não me são aceitáveis, mas o sábado que eu fiz, quando eu descansei ( Hb. 4 ), de todas as coisas, eu farei o início do oitavo dia, que é o início de outro mundo. Portanto, nós cristãos observamos o oitavo dia de jubilo, em que também Jesus ressucitou dos mortos". 15:8 Epístola de Barnabas ante-nicene fathers vol 1 pg. 147 ; 110 A.D. Plinío: " Ele tinham o hábito de se reunir em certo dia fixado, antes que fosse dia, quando eles cantam em versos alternados, um hino a Cristo, como a um deus e obrigam-se a um voto solene de não praticar más obras, nem cometer nenhuma fraude, roubo ou adultério, nunca usar palavras falsas, nem traírem a fé quando forem chamados a declara-la; depois de que era seu costume voltarem a reunir-se para partilharem um bom alimento-mas bom de um comum e inocente tipo". Cerca de 3 anos após a morte de Inácio em 250, uma comunicação oficial importante foi enviada de Plínio a Trajano, imperador romano. Plínio, o romano, imperador da Bitínia escreve acerca dos cristãos que se haviam reunido lá à partir do ano 62 A.D. em diante.

      Diz expressamente que estes cristãos observaram a substancia da maioria dos dez mandamentos e fica implícito que eles observaram na medida em que eles foram capazes de faze-lo. Até onde puderam faze-lo, pois como a maioria dos cristãos era de linhagem escrava ou de outras classes mais baixas e aqueles que tinham mestres ou empregadores pagãos, a grande maioria seria forçada a trabalhar em seu dia de descanso, que infelizmente era o dia de trabalho oficial em todo o império romano, até que o edito do sábado de constantino em 321 A..D. deu-lhes alguma medida de proteção pública. The Covenantial Sabath Francis Nigel. 150 A.D. Justino: ... "Quando ele fala dos gentios, nomeadamente nós, que em todo lugar oferecemos sacrifícios a ele, isto é, o pão da eucaristia, e também o copo da eucaristia, afirmando que nós glorificamos seu nome e voces o profanam. O mandamento da circuncisão de novo obriga-os sempre a circuncidar as crianças no oitavo dia, que foi um tipo da verdadeira circuncisão pela qual nós somos circuncidados do engano e da iniquidade, por aquele que ressucitou dos mortos no primeiro dia depois do sábado , noss Senhor Jesus Cristo. Pois o primeiro dia depois do sábado permanecendo o primeiro de todos os dias, é chamado no entanto, o oitavo dia, segundo o numero de todos os dias do ciclo e ainda permanece o primeiro." Prossegue......

      Excluir
    5. Justino Diálogos 41:4; 15o A.D. " Aqueles que tem perseguido e perseguem a Cristo, se eles não se arrependerem, não herdarão nada no santo monte. Mas os gentios que creram e se
      arrependeram de seus pecados que cometeram, eles receberão a herança junto com os patriarcas e os profetas e os homens justos que são descendentes de Jacó, muito embora eles não observam o sábado, nem são circuncidados, nem observam as festas"... Diálogo com trypho, o judeu 150-165 A.D. ante nicene fathers vol.1 pg. 207. Para abreviar, 150 A.D. justino ante-nicene fathers vol 1 pg.206; 150 A.D. Justino ante-nicene fathers vol.1 pg. 204.

      150 A.D. Justino: " O dia após o de saturno, que é dia do sol, tendo aparecido aos seus apóstolos e discípulos, ele ensinou-lhes estas coisas"... Primeira apologia de Justino. Adoração Semanal dos Cristãos, ch 68. 150 A.D. Justino:" não há outra coisa pela qual culpar-nos, meus amigos, mais do que isto? Que nós não vivemos segundo a lei, nem somos circuncidados na carne como vossos pais, nem nós observamos o sábado como voces fazem". Diálogo com Trypho 10:1. No verso 3, Trypho reconhece que os cristãos não observam o sábado. 150 A.D. Justino: " E no dia chamado domingo, há uma reunião de todos que vivem na cidade ou distrito rural. Nós fazemos nossa reunião em comum no dia do sol, sendo este primeiro dia... Pois eles crucificaram no dia anterior ao dia de saturno". Apology 1, 67: 1-3,7 First apology ante-nicene fathers vol. 1 pg. 186. 190 A.D. Clemente de Alexandria: " O sétimo dia é proclamado um dia de descanso, preparando-se da abstenção o mal, para o dia principal, nosso verdadeiro descanso". ibid vii. xvi 138.1 190 A.D. Clemente de Alexandria: " Ele cumpre o mandamento segundo o evangelho e observa o dia do Senhor... ibid. vii. xii, 76.4. Bardesanes 200 A.D.: " Onde quer que nós estejamos, nós somos chamados pelo nome de Cristo, cristãos. Em um dia, o primeiro dia da semana, nos reunimos".(on fate). 200 A.D. Tertuliano: " Nós solenizamos o dia após o sábado em oposição aqueles que chamam este dia, seu sábado". Apologia de Tertuliano ch 18. 200 A.D. Tertuliano: ... " também a observância do sábado, demonstrou ser temporária". Uma Resposta aos Judeus 4:1.

      200 A.D. Tertuliano: "Outros... supõem que o sol é o deus dos cristãos, porque é bem conhecido que nós temos o domingo como dia de júbilo". As Nações. 200 A.D. Tertuliano: " Para nós, os sábados são estranhos". Sobre a Idolatria, 146 (4). 220 A.D. Orígenes: " Daí que não é possível, que o dia de descanso após o sábado, viesse a existência do sétimo dia de nosso Deus. Ao contrario, é nosso salvador, que segundo o modelo de seu descanso, fez-nos a semelhança de sua morte e também de sua ressurreição". Comentário sobre João 2:28. 225 A.D. Didascalia: " os apóstolos designaram: No primeiro dia da semana, que haja adoração e leitura das escrituras... porque no primeiro dia da semana nosso Senhor ressucitou do lugar dos mortos... no primeiro dia da semana ele ascendeu aos céus". Didascalia (2). 250 A.D. Cipriano: " O oitavo dia, que é o primeiro dia após o sábado, é o dia do Senhor". Epístola 58.

      Você NÂO CITOU DE FONTES PRIMÁRIAS, sendo a PRIMEIRA o Novo Testamento, que tem valor histórico, sendo fonte primaríssima, e ali, nadica de NADA de sábado sendo observado pelos cristãos gentios.

      Lembre-se: O sábado DEVE ser observado CONFORME a LEI (TORAH), porque é a própria lei que ensina COMO o sábado deve ser observado, ou seja, o que neste dia pode-se ou não fazer.

      Os adventistas, não tem nenhuma autorização da LEI, para ensinarem COMO o sábado deve ser observado. Prossegue.....

      Excluir
    6. Você disse: "Nós hereges (segundo sua opinião) e falsos cristãos (segundo sua opinião) nos baseamos na BÍBLIA não na PATRÍSTICA!"

      Se vocês se "baseiam" na Bíblia, então me prove pela PRINCIPAL FONTE PRIMÁRIA, o Novo Testamento, ONDE está o mandamento para os cristãos gentios observarem o sábado?

      Será que está em Atos 15: 28-29?

      Leia aí, e veja como é que começa o verso 28:

      28. "Pois, pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO, e a nós não impor a vocês (gentios), NADA além das seguintes exigências necessárias..." e continua.

      Onde é que está o mandamento para a observância do sábado, (sempre friso, SEGUNDO a lei, a TORAH), se este mandamento fosse o sinal entre Cristo e sua Igreja?

      Olhe o que os apóstolos escreveram no início da carta para a igreja gentia:

      Atos 15:24: "Soubemos que alguns saíram de nosso meio, SEM NOSSA AUTORIZAÇÃO, e os pertubaram, transtornando a mente de vocês, com o que disseram."

      De qual apóstolo vocês, adventistas, receberam AUTORIZAÇÃO para impor a observância do sábado judaico para os cristãos gentios?

      Eu quero o capítulo e o versículo. ONDE?

      Você disse: "SAMUELE BACCHIOCCHI com seu livro "DO SÁBADO para o DOMINGO" em sua TESE DOUTORAL realizada na "Pontifícia Universidade Gregoriana" (PUG) em Roma, não apenas aceitou a TESE DOUTORAL de BACCHIOCCHI, mas lhe concedeu o "IMPRIMATO" (é uma aprovação eclesiástica que a Igreja católica coloca em suas publicações). Ou seja, a PUG, além de aceitar sua TESE (pesquisa nos arquivos romanos) aprovou seu DOUTORADO e lhe concedeu o "IMPRIMATO" a um Pr Dr ADVENTISTA."

      Daí eles bateram palmas, aceitaram a guarda do sábado, e de lambuja Ellen White e o Juízo Investigativo, o sono da alma etc.

      Você vai ficar com Bacchiochi, ou com Ellen White? O Próprio Bacchiochi afirmou que discorda de White quanto ao tempo em que os cristãos, (supostamente, é claro), deixaram de observar o sábado para adotar o domingo.

      Só que daí, o Bacchiochi acaba detonando, mesmo sem querer, com a interpretação adventista, de Daniel 7:25, onde eles afirmam que o Papa, (Constantino), iria "mudar os tempos
      e as leis."

      Ou seja, a conclusão à que chegou Bacchiochi, é anti- adventista; se ele tivesse afirmado que Constantino foi aquele que "mudou" a observância do sábado para o domingo, seria-lhe concedido o "imprimatur" pela igreja Católica? Nooo!

      A igreja Católica sendo detentora das fontes primárias, (excetuando-se, a principal, a Bíblia), sabe muito bem que as principais fontes, atestam a observância do domingo pelos cristãos, desde o ano 10O. Depois continua.....




























      Excluir
    7. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      O DECÁLOGO está em vigor ainda ou foi abolida?

      Onde na BÍBLIA é feita a divisão em VELHO e NOVO TESTAMENTO?

      O irmão quer reposta para confirmação do SÁBADO no Novo testamento certo? Lhe respondo:

      Aonde o SÁBADO (semanal) foi abolido no Novo Testamento? Por favor, não cite versículos sobre o SÁBADO CERIMONIAL. Cite a abolição do SÁBADO SEMANAL.

      Como o irmão mesmo falou:

      "Se vocês se "baseiam" na Bíblia, então me prove pela PRINCIPAL FONTE PRIMÁRIA, o Novo Testamento, ONDE está o mandamento para os cristãos gentios observarem o sábado"?

      Aonde diz que o SÁBADO não deve ser OBSERVADO?

      Aonde diz que o DOMINGO deve ser OBSERVADO?

      Quanto a BACCHIOCCHIO, o irmão não entendeu.

      A PUG reconheceu o trabalho dele confirmando o que ele pesquisou, ou seja, ela (ICAR) ASSUMIU O SEU PAPEL na MUDANÇA e não que passaria a guardar o SÁBADO. Ela ASSUME a AUTORIDADE na MUDANÇA.

      Irmão Paulo, como já foi citado por você e por mim a questão HISTÓRICA da MUDANÇA do SÁBADO para o DOMINGO não foi nenhuma LEI RELIGIOSA e muito menos CIVIL até CONSTANTINO.

      CONSTANTINO só entra nesta questão apenas como o LEGISLADOR de uma LEI CIVIL e não RELIGIOSA que não necessita de comentários falando sobre o DOMINGO.

      HISTORICAMENTE, dos apóstolos até CONSTANTINO não EXISTE nenhuma LEI promulgada por PAPA ou BISPO ou IMPERADOR que desse alguma importância ao DOMINGO. E mesmo que houvesse, não faria a menor diferença, pois quem tem o PODER ou AUTORIDADE para MUDAR um MANDAMENTO?

      CONSTANTINO foi o PRIMEIRO em questão de LEI, e de LEI CIVIL não RELIGIOSA. Ele deu a sua contribuição HISTÓRICA.

      Somando-se a faze PATRÍSTICA, ANTISSEMITISMO e CONSTANTINO o que a ICAR fez?

      Ela RATIFICOU a questão não de uma única vez, mas até ela (ICAR) o fez GRADATIVAMENTE:

      "Em 386, durante o tempo de Graciano, Valentiniano e Teodósio, foi
      decretado que todos os LITÍGIOS e negócios CESSACEM [no domingo]...

      Entre as doutrinas estabelecidas em uma carta do PAPA INOCÊNCIO I, escrita no último ano de seu pontificado (416), encontra-se aquela segundo a qual o DOMINGO deveria ser observado como DIA de JEJUM...

      Em 425, no tempo de Teodósio, o mais moço, foi imposta a ABSTINÊNCIA de espetáculos TEATRAIS e de CIRCO [no domingo]...

      Em 538, no CONCÍLIO de ORLEANS... foi ordenado que todas as coisas anteriormente PERMITIDAS no DOMINGO continuassem em
      VIGOR; mas que se abstivessem do TRABALHO com ARADO, ou em vinhas, sega, ceifa, debulha, cultivo, cercagem a fim de que as pessoas pudessem FREQUENTAR a IGREJA convenientemente...

      Por volta de 590 o PAPA GREGÓRIO, em carta dirigida ao povo romano, qualificou como PROFETAS do ANTICRISTO aqueles que ENSINASSEM que o trabalho não devesse ser feito no SÉTIMO DIA (sábado)."

      The Law of Sunday, págs. 265-267. Grifos acrescentados.

      Eu sei que o irmão vai dizer que é isso mesmo, pois isso ocorreu segundo os MOLDES DOUTRINÁRIOS da ICAR.

      Só que isso não muda a questão da MUDANÇA da LEI. A LEI foi mudada e ponto. E não é apenas no SÁBADO, mas tem os outros que você conhece no CATECISMO ROMANO.

      A bíblia diz que aconteceria e aconteceu (Dn 7:25) ela não diz como, mas quem! O CHIFRE PEQUENO que não é ANTÍOCO EPIFÂNIO. Sobre isso já conversamos...

      Em seu último parágrafo concordo 100%, é isso mesmo o que aconteceu e que a HISTÓRIA COMPROVA! O que o irmão se esquece é que não é esta HISTÓRIA que detêm a AUTORIDADE RATIFICADORA sobre o SÁBADO e o DOMINGO, mas única e exclusivamente a BÍBLIA!

      Um forte abraço e fique com Deus.

      continuando ...

      Excluir
  24. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

    Por que, dentre todos os apóstolos, o único que teve o nome mudado foi Pedro?

    E por que o nome foi mudado justamente para “PEDRA”?

    Por que todos os evangelistas, quando citam os apóstolos, sempre começam por Pedro ou Simão?

    Por que, num momento de tantas dúvidas dos discípulos sobre o cumprimento ou não da lei nos quesitos alimentares, é exatamente Pedro que tem a visão que fecha o assunto?

    Por que Deus parece querer sempre revelar a verdade por meio de PEDRO?

    Prezado IRMÃO FERNANDO, o nome de PEDRO foi mudado para “PEDREGULHO” (tradução de PETRUS) porque ele seria uma das bases da Igreja, que é fundamentada sobre a PEDRA (PETRA, no grego). Pedro foi um líder importante da igreja cristã primitiva, mas a Bíblia menciona outros líderes como Tiago. Por ser mais impulsivo e enérgico, Pedro acaba se destacando. Através de Mateus 16:16-20 tenta-se fazer crer que o apóstolo Pedro teria recebido de Cristo as “CHAVES dos CÉU”, tornando-se, assim, o primeiro PAPA, ou CABEÇA visível da Igreja.

    Não é bem assim.

    Como este assunto é de fundamental importância, convido-o a procurar as referidas passagens em sua própria Bíblia:

    1. De acordo com o próprio apóstolo Pedro, quem é a PEDRA ou líder (CABEÇA) da Igreja? (ver Atos 4:8-12; 1 Pedro 2:4-8).

    2. O que Paulo diz sobre o “FUNDAMENTO da IGREJA”? (1 Coríntios 3:11).

    3. Discussão dos discípulos de Jesus (Mateus 18:1; Marcos 9:33-35; Lucas 22:24-26). Obs.: Essa discussão se deu após o suposto “PRIMADO” de Pedro. Se Cristo houvesse estabelecido Pedro como o “CHEFE”, os discípulos não teriam discutido sobre quem era o maior.

    4. Paulo repreende a Pedro (Gálatas 2:11-16). Obs.: Segundo a concepção católica, o PAPA é INFALÍVEL em matéria de fé e, portanto, seria um tanto estranho Paulo REPREENDER ao “LÍDER INFALÍVEL”.

    5. Quem cuidava da Igreja não era apenas Pedro (Atos 6:2; 14:22-25; 15:13,19; 12:17; 21:18; 1 Coríntios 15:7; Gálatas 2:9; Efésios 2:20; Apocalipse 21:14).

    6. Em termos espirituais, é errado chamar alguém de pai (PAPA) (Mateus 23:9).

    7. A Bíblia não autoriza que se AJOELHE diante de homens (Atos 10:25-26). Obs.: Também considera BLASFÊMIA homens perdoarem pecados (ver Mateus 9:2-3; Marcos 2:7). Não se deve ZOMBAR de Deus fazendo o que Ele não permite (Gálatas 6:7; Apocalipse 19:10).

    continua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 8. Pedro não possuía ouro nem prata, ao contrário do que se vê hoje no Vaticano (Atos 3:6).

      9. Pedro era CASADO, contrariando o CELIBATO(obrigatório) (Mateus 8:14).

      10. Jesus repreende a Pedro (Mateus 16:22-23). Obs.: Como Cristo poderia dizer “AFASTA-TE, SATANÁS”, se Pedro fosse o PAPA?!?

      11. Em Mateus 18:15-18, fica claro que o poder de “LIGAR e DESLIGAR” é da Igreja e não de alguém em especial. Aqui Jesus usa a expressão “LIGARDES” e “DESLIGARDES” no plural. A “CHAVE”, como se nota em Lucas 11:52, é a própria Bíblia, pois ela pode nos garantir a entrada no Céu (leia João 5:39).

      12. Então, quem é a verdadeira PEDRA? (Efésios 2:19-22; Colossenses 1:18). Obs.: Como já indiquei acima, no grego, língua em que foi escrito o Novo Testamento, a palavra “PETRA” tem duas grafias no texto: “...tu és PETRUS e sobre esta PETRA edificarei Minha Igreja.”

      PETRUS significa PEDRA PEQUENA, PEDAÇO, PEDREGULHO;

      PETRA significa ROCHA.

      Cristo não poderia edificar a Igreja sobre algo tão inseguro quanto uma PETRUS. Por isso a PETRA, a Rocha que é Cristo, é o único fundamento e “NINGUÉM PODE PÔR OUTRO” (1 Coríntios 3:11).

      13. A “INFALIBILIDADE” do PAPA foi criada em 1870 pelo CONCÍLIO do VATICANO. Mas foi Leão I que deu ênfase ao PRIMADO de PEDRO entre os apóstolos, ensinando que o que Pedro possuíra havia passado aos sucessores. Em 445, Leão I conseguiu que o Imperador do Ocidente, VALENTIANO III, promulgasse um EDITO ordenando a todos que obedecessem ao Bispo de Roma – o PAPA – como portador que era do “PRIMADO” de Pedro.

      Entretanto, os AUTORES católicos dos PRIMEIROS QUATRO séculos jamais DEFENDERAM, baseados em Mateus 16:18, que Pedro tenha recebido de Cristo qualquer PRIMAZIA ou que ele tenha entregue esse poder aos bispos de Roma (mas parece que o irmão como PRESBITERIANO parece que acredita).

      IRINEU e EUSÉBIO estão de acordo nesse ponto:

      "o primeiro BISPO (ou PAPA) da Igreja de Roma foi LINO"
      (ver História Eclesiástica de Eusébio, Livro III, c. 2).

      Só para concluir, o notável gramático EDUARDO CARLOS PEREIRA nos chama a atenção para a forma do demonstrativo empregado:

      “ESTA” e não “ESSA”.

      “ESTA” refere-se à pessoa que fala e “ESSA” à pessoa com QUEM se FALA.

      Se a PEDRA fosse Pedro, o demonstrativo usado seria “ESSA” e não “ESTA”.

      Que Deus o abençoe em sua procura pela verdade.
      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    2. Você entendeu o que escrevi?

      Não estou falando sobre Pedro.

      Estou lhe mostrando que não adianta citar fontes católicas. A Igreja Católica, pode ter se desviado, (ao contrário da Igreja Adventista que já nasceu herética), mas a história da Igreja Católica, É também a história do Cristianismo, queira você goste ou não.

      É a Igreja que possui TODAS as fontes primárias da história da Igreja. O que expliquei, (e você partiu para outro assunto), é que quando a Igreja Católica afirma que efetuou a mudança, ela, ( a Igreja), está se dirigindo aos Apóstolos.

      Não existe os "fundadores" da Igreja Católica, como acontece com a sua denominação, ou as protestantes. Isto é HISTÓRIA.

      Não estou fazendo apologia em favor da Igreja Católica, mas afirmando a história da Igreja, entendeu?

      Se você não estudou a história da Igreja, não adianta ficar fazendo essas citações a granel!

      A Igreja atribui a mudança de dia porque o DIA da Igreja É O DIA DA RESSURREIÇÃO!
      Qual é o fato mais importante do que o dia em que Cristo ressucitou?

      No sábado, o Senhor estava MORTO, e os discípulos escondidos, chorando, com medo de morrer.

      Porque os adventistas comemoram o seu (deles) aniversário?

      Porque os adventistas comemoram o Natal. ( é católico).

      Porque os adventistas comemoram a páscoa. ( é festa judaica, mas veio através da Igreja Católica, sendo parte do calendário litúrgico).

      Então lhe pergunto: Porque o dia em que o Senhor ressucitou é o dia da besta?

      O que a besta tem a ver com este dia?

      Você sabia que se viesse um decreto dominical, para todo mundo, haveria uma quebradeira em todo o sistema economico mundial!

      Daí, não se cumpriria a escritura que diz, que só pode "comprar ou vender", quem tiver o sinal da besta.

      Ou seja, o sinal da besta é parar de trabalhar aos domingos?! A economia vai para o saco!

      Todas as empresas que fornecem energia, alimento, água, etc. Pense nisto!

      Outra fantasia de White!














      Porque você comemora a páscoa?

      Excluir
  25. Alexandre, você entendeu o que eu escrevi?

    Não estou falando sobre Pedro, mas trazendo a História da Igreja.

    Não adianta citar fontes católicas, quanto ao assunto: observãncia do domingo, porque NÃO EXISTE NENHUM REGISTRO, que aponte quando ocorreu tal mudança.

    No Novo Testamento, em Atos 20:7, temos uma referência, (não mandamento), explicíta de Cristãos se reunindo para a ceia, (gr. eucaristia), do Senhor, chamada também de "partir o pão", no primeiro dia da semana.

    No mesmo livro de Atos, que conta parte da história da Igreja primitiva, e é fonte histórica confiável, sendo portanto fonte primária, não há SEQUER UM relato de cristãos observando o sábado, segundo a lei.

    NÃO HÁ SEQUER um mandamento dos Apóstolos para os gentios observarem o sábado.

    Você imagine... se o sábado fosse o sinal entre Deus e sua Igreja, porque o total silêncio do livro de Atos com relação a observância do sábado pelos cristãos?

    Se você ir lá, no capítulo 23 de Levítico, verá que o sábado ESTÁ elencado entre os dias de Festa.

    Os cristãos somente tem, Colossenses 2:16!

    Veja só. Há uma infinidade de mandamentos morais no Novo Testamento, mas NENHUM mandamento para a observância do sábado!

    As escrituras que vocês se apegam, estão principalmente em Isaías, capítulos 56-58, onde a guarda do sábado está relacionada a admissão dos gentios à nação de Israel, portanto, debaixo da Antiga Aliança; é só ler o contexto e você se certificará que ali em Isaías, não tem NADA a ver com a Igreja, muito menos com a Nova Aliança.

    E posso, (agora não tenho tempo), lhe mostrar pelas escrituras que o sábado NÃO É O SINAL ENTRE DEUS E ISRAEL e muito menos entre o Senhor Jesus e sua Igreja.

    Prossegue depois........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Paulo CAdi, a paz do Senhor!

      Fique a vontade!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  26. À quem interessar, meus comentários respondendo ao Alexandre, estão aí em cima, 21/05/2014, as 08:40, 09:01 e 10:10. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      O tema do sábado não era tão necessário à discussão ou ao aconselhamento já que todos guardavam o SÁBADO.

      Seria como “ensinar um PADRE a REZAR”.

      Paulo simplesmente guardou o SÁBADO. O exemplo é mais forte que o discurso em conformidade com a BÍBLIA e não à PATRÍSTICA.

      Muitos advogam a tese de que, pelos escritos paulinos, o DOMINGO é o dia de GUARDA. Porém, acontece exatamente o contrário, segundo o próprio São Paulo. Se tivesse havido alteração no dia de repouso do SÁBADO para o DOMINGO, certamente ele o teria dito a nós, os gentios, pois, afinal, ele é o nosso apóstolo.

      Acompanhemos Paulo em uma SINUOSÍSSIMA maratona SABÁTICA, entre GENTIOS, JUDEUS e PROSÉLITOS, em todos os lugares, ratificando incontestavelmente a santidade do SÁBADO.

      PRIMEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA: CHIPRE – ANTIOQUIA DA PSÍDIA

      Paulo fez muitas viagens, estabeleceu diversas igrejas (Atos 16:5; 18:22; Gál. 1:22; I Cor. 16:19; II Cor. 8:1; Atos 14:21-27, etc), mas nunca disse nada a respeito do DOMINGO substituindo o SÁBADO.

      Tome sua Bíblia.

      Como ponto de partida, examinaremos a respeito o livro de ATOS, e, no capítulo 13, verso 2, por ordem do Espírito Santo, foram Paulo e Barnabé separados para a obra do Ministério. Empreenderam imediatamente a primeira viagem missionária, que abrangeu inúmeras cidades:

      ATOS 13:14

      “E eles, saindo de Perge, chegando a Antioquia, da Psídia, e, entrando na Sinagoga, num dia de SÁBADO, assentaram-se.”

      Paulo e seu companheiro foram à Sinagoga no "DIA do SENHOR", o SÁBADO, e foi convidado a pregar o evangelho.

      Muitos admitem que Paulo só pregava nas Sinagogas dos judeus. Por isso pregava aos SÁBADOS.

      Bem, continue a leitura e aguarde a RESPSOTA.
      Por enquanto não esqueça: Paulo está no SÁBADO diante de JUDEUS e GENTIOS, e vai pregar. Que excelente oportunidade para anunciar a MUDANÇA do DIA de REPOUSO!

      Será que vai mencionar esta alteração? Diz a Bíblia:

      ATOS 13:16

      “E, levantando-se Paulo, e pedindo silêncio com a mão, disse:

      "Varões ISRAELITAS, e os que TEMEIS a Deus, ouvi.”

      Note suas palavras:

      “ISRAELITAS, e os que TEMEIS a Deus”.

      Isto disse porque estavam congregados JUDEUS e GENTIOS. Paulo discursa poderosamente até o verso 41 deste capítulo e o tema central é a RESSURREIÇÃO de Jesus (lembra aquela teoria de que seria o DOMINGO o dia de GUARDA por causa da RESSURREIÇÃO?) . Portanto, estava à frente da Sinagoga pregando, e nada disse da mudança do dia de SÁBADO para o DOMINGO, em virtude da RESSURREIÇÃO do Senhor, como querem muitos cristãos.

      Ouça:

      ATOS 13:27

      “Por não terem conhecido a Este, os que habitavam em Jerusalém, e os seus príncipes, condenaram-nO, cumprindo assim as vozes dos profetas que lêem todos os SÁBADOS.”

      Paulo está confirmando que todos os SÁBADOS era lida a Bíblia conhecida, isto é, o Antigo Testamento. Paulo relembrou a uma Sinagoga repleta de JUDEUS e GENTIOS o belo hábito da leitura da Bíblia aos SÁBADOS.

      Ouça mais:

      ATOS 13:42

      “E, saídos os JUDEUS da Sinagoga, os GENTIOS rogaram que no SÁBADO seguinte lhes fossem ditas as mesmas coisas.”

      MEU caro irmão Paulo Cadi, é contundente a expressão bíblica:

      os GENTIOS rogaram que Paulo novamente lhes pregasse no SÁBADO seguinte.

      Por que os GENTIOS NÃO FALARAM ASSIM:

      PAULO, nos pregue novamente amanhã?
      Ou de Segunda à Sexta?
      Ou ainda no DOMINGO dia da Ressurreição que era o assunto?
      Por que Paulo OMITIRIA algo tão importante e fundamental?

      Por isso concluo:

      seria desumano e cruel se aqueles GENTIOS que amavam Jesus e desejavam servi-Lo fossem ensinados erradamente. Paulo atendeu a solicitação dos GENTIOS. Passou uma semana inteira trabalhando e se preparando para no próximo SÁBADO voltar a pregar-lhes o evangelho.

      Veja:

      ATOS 13:44

      “… no SÁBADO seguinte ajuntou-se quase toda a cidade para ouvir a Palavra de Deus.”

      Que oportunidade MAGNA para Paulo!

      Estava diante de quase TODA a cidade (de Antioquia da Síria). Que grande responsabilidade!

      CONTINUANDO...

      Excluir
    2. Eu pergunto: Porque Paulo não disse abertamente:

      Irmãos, vocês terão agora que guardar o DOMINGO no lugar do SÁBADO, por causa da RESSURREIÇÃO de Jesus… Afinal, não pregava Paulo a respeito da RESSURREIÇÃO do Senhor?

      Caro irmão Paulo CAdi, Paulo sequer insinuou ou deixou transparecer algo a esse respeito.

      Partiu dali, deixando os irmãos exatamente como encontrou:

      Guardando o SÁBADO, e com um presente, veja:

      “Muitos creram e, foi organizada a primeira CONGREGAÇÃO GENTIA fora da Sinagoga.” (Conciso Dicionário Bíblico, editado pela Convenção Batista Brasileira, em 1983, 12ª edição, pág. 138.

      Ouça o que disse o referido Dicionário, à pág. 137:)
      “Depois do martírio de Estêvão, na época da dispersão, alguns judeus de CHIPRE e de CIRENE, que se criaram em terras gregas chegaram a Antioquia (da Síria) e na Sinagoga pregaram aos JUDEUS e PROSÉLITOS GREGOS. As pregações foram coroadas de êxito. Um misto de JUDEUS e PROSÉLITOS GREGOS formou a congregação primitiva que, pouco a pouco, cresceu até que chamou a atenção da IGREJA EM JERUSALÉM…”

      Viu? Igreja, e não Sinagoga.

      A IGREJA em Jerusalém enviou BARNABÉ a ANTIOQUIA para ver o milagre que estava ocorrendo. Milhares de GENTIOS estavam aceitando a Jesus pela pregação dos discípulos que foram dispersos pela perseguição desencadeada no apedrejamento de ESTEVÃO – (Atos 11:19-22).

      BARNABÉ foi e ficou maravilhado. Encontrou uma IGREJA FLORESCENTE e VIBRANTE. Isso o motivou a tal ponto que decidiu ir a TARSO buscar aquele que fora o perseguidor da IGREJA – SAULO.

      Conduziu-o a ANTIOQUIA. Durante um ano BARNABÉ e PAULO permaneceram ali, fortalecendo a IGREJA.

      Ouça novamente:

      “Daí em diante ANTIOQUIA tornou-se o local de grande desenvolvimento evangelístico e de interesse histórico para a igreja.”
      (Conciso Dicionário Bíblico, editado pela Convenção Batista Brasileira, em 1983, 12ª edição, pág. 138.

      E é verdade mesmo, a ponto do Dr. LUCAS, registrar o seguinte:

      ATOS 13: 1

      “E na IGREJA que estava em ANTIOQUIA havia alguns profetas e doutores, a saber: BARNABÉ e SIMÃO, chamado NIGER, e LUCIO CIRINEU, e MANAEM, que fora criado com HERODES o tetrarca, e SAULO.” (Paulo-verso 9).

      Certamente Paulo fortaleceu a fé e esperança dos irmãos, porém quanto ao dia de guarda, não houve, de fato, nenhuma mudança. Foi exatamente em ANTIOQUIA, onde, pela primeira vez, os discípulos foram chamados CRISTÕAS (Atos 11: 26). Ora, sendo uma cidade onde surgiram os primeiros cristãos, e a primeira IGREJA sedimentada e fortalecida por PAULO, como não lhes ordenou claramente ter o DOMINGO tomado o lugar do SÁBADO?

      Considere isto irmão!
      Percebeu?

      PAULO prega na Sinagoga e o cristianismo se beneficia.

      Lembre-se: Paulo NUNCA falou que o SÁBADO foi trocado pelo DOMINGO. Não o disse na Sinagoga, tampouco na IGREJA.

      ICÔNIO – LISTRA – DERBE

      Nas cidades de ICÔNIO e LISTRA, PAULO não prosperou na pregação do evangelho, NA IDA. Mas, em DERBE, “o evangelho foi pregado com muito êxito”. (Conciso Dicionário Bíblico, editado pela Convenção Batista Brasileira, em 1983, 12ª edição, pág. 138. Ouça o que disse o referido Dicionário, à pág. 139:)

      PAULO e BARNABÉ “deixaram de pregar, QUANDO REGRESSARAM, a fim de se dedicarem à tarefa de organizar novas IGREJAS, elegendo anciãos (Atos 14: 21,23) ou pastores em cada uma.” (Conciso Dicionário Bíblico, editado pela Convenção Batista Brasileira, em 1983, 12ª edição, pág. 138. Ouça o que disse o referido Dicionário, à pág. 139:)

      ATOS 14: 1

      “E aconteceu que em ICÔNIO entraram juntos na Sinagoga dos JUDEUS, e falaram de tal modo que creu uma grande multidão, não só de JUDEUS mas de GENTIOS.”

      Paulo sempre começava seu trabalho missionário pela Sinagoga. Aqui pregou de “TAL MODO” que houve IMENSA CONVERSÃO”, inclusive de GENTIOS.

      Acha você que após essa decisão ao lado de Cristo, PAULO não tenha orientado os irmãos em toda a doutrina do Senhor, no estabelecimento da Igreja Cristã?

      Certamente que sim.

      Eles continuaram guardando o SÁBADO, porque o próprio PAULO considerava-o o "Dia do Senhor", não há dúvidas!

      COTINUANDO...

      Excluir
    3. Ouça mais:

      ATOS 14:21, 23

      “E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e FEITO muitos DISCÍPULOS, voltaram para LISTRA, e ICÔNIO e ANTIOQUIA… E havendo-lhes, por comum consentimento, eleito anciãos em cada IGREJA, orando com jejuns, os encomendaram ao Senhor em Quem haviam crido.”

      Pois bem irmão, PAULO fez muitos discípulos em DERBE, e assim a primeira providência seria a aquisição de uma casa onde pudessem acomodar-se. Se foram organizadas IGREJAS, como diz o texto, forçoso seria delinear as normas, regulamentos, doutrinas e tudo o que tange à liturgia cristã.

      Se isso é verdade, seria grave erro de PAULO não determinar também o dia que deviam santificar e reservar para o encontro especial dos irmãos com Deus.

      Se Paulo explicitamente não o fez é porque o SÁBADO já era conhecido de todos. Nada mais lógico. Da mesma sorte, se estabeleceu anciãos (auxiliares de pastor – presbíteros) em cada IGREJA, certamente deu todas as instruções necessárias na condução do rebanho de Deus, e o SÁBADO permaneceu intocável e inalterado.

      Nada se falou a respeito! Sequer houve vestígios a favor da MUDANÇA do SÁBADO para o DOMINGO.

      ATOS 14:28

      “E ficaram ali não pouco tempo com os discípulos.”

      É um grande desamor deixar alguém enganado com relação a alguma doutrina bíblica. Se Paulo ficou tanto tempo com esses discípulos e nada lhes falou da mudança do SÁBADO para o DOMINGO, duas razões teremos de admitir.

      PRIMEIRA: Concordava ele que o SÁBADO era o dia de repouso, aceito por todos, JUDEUS e GENTIOS, por isso sequer o mencionava, pois era caso encerrado.

      SEGUNDA: Foi muita falta de consideração deixar os irmãozinhos enganados, sem lhes comunicar que agora o DOMINGO era o dia santificado em lugar do SÁBADO.

      O que o irmão acha?

      SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA: TRÔADE – MACEDÔNIA – FILIPOS

      É maravilhoso! Deus “perdeu” ESTEVÃO, mas PAULO o substituiu, e o cristianismo ganhou o maior de todos os baluartes.

      E vai ele:
      ATOS 16: 13

      “E no dia de SÁBADO saímos fora das portas, para a beira do rio, onde julgávamos ter lugar para a oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se juntaram.”

      Esse costume benfazejo de PAULO, nós todos poderemos ter. O mais importante do relato é que PAULO não está na IGREJA, nem na SINAGOGA e sim pregando em PRAÇA PÚBLICA (ar livre) no "Dia do Senhor".

      Portanto, PAULO ia à IGREJA pela manhã, no dia de SÁBADO, e à tarde saía para o TRABALHO MISSIONÁRIO.

      Nós os Adventistas do Sétimo Dia, imitamos a Paulo.

      Ainda há que ressaltar o brilhante fato de que PAULO viajou de TRÔADE (Ásia) para MACEDÔNIA (Europa), por ordem divina (Atos 16:9).

      Foi diretamente para a cidade de FILIPOS, uma colônia romana (Atos 16: 12, 21). Ali, em um dia de SÁBADO, pregou para um grupo de mulheres, e entre elas está LÍDIA, uma comerciante de púrpura imigrante da Ásia, mulher PAGÃ, que aceitou os ensinos de PAULO, e se converteu com toda sua casa (Atos 16: 14-15). Tornou-se, assim, a primeira CRISTÃ na Europa, fruto do trabalho missionário de Paulo. Ela o ajudou a estabelecer a IGREJA de FILIPOS, e o SÁBADO permaneceu sendo guardado como antes (Atos 16: 13). Começou portanto o cristianismo no Continente Europeu, no SÁBADO.

      ATENÇÃO – Ouça com carinho o contexto comprobatório:

      Filipenses 1:1

      “PAULO e TIMÓTEO, servos de JESUS CRISTO, a todos os santos em CRISTO JESUS, que estão em FILIPOS, com os BISPOS e DIÁCONOS.”

      Percebeu?

      PAULO está aqui se referindo a uma IGREJA Cristã (seus membros) e não a SINAGOGA. Esta é a IGREJA que PAULO fundou em sua segunda viagem missionária no SÁBADO. E LÍDIA e seus parentes foram seus primeiros membros.

      E o SÁBADO ficou como sempre: "O Dia do Senhor".

      Por que PAULO não falou:

      O SÁBADO FOI ABOLIDO?
      AGORA o DOMINGO em substituição do SÁBADO por causa da RESSURREIÇÃO de Cristo na fundação de mais esta nova IGREJA?

      CONTINUANDO...

      Excluir
    4. TESSALÔNICA – BERÉIA

      ATOS 17: 2

      “E Paulo, como tinha por costume, foi ter com eles e por três SÁBADOS disputou com eles sobre as Escrituras.”

      Veja como é claríssimo e insofismável. O costume de Paulo era ir à IGREJA aos SÁBADOS.

      Quem duvida!?

      Valho-me da expressão de Lucas – “DISPUTOU” – , para dizer-lhe que:

      Se PAULO DISPUTOU sobre as ESCRITURAS, como é que nunca DISPUTOU a respeito do SÁBADO? Porque NÃO DISPUTOU sobre a ABOLIÇÃO do SÁBADO? Porque NÃO DISPUTOU da SUBSTITUIÇÃO do SÁBADO pelo DOMINGO?

      Lógico que não o faria, pois o SÁBADO é o "Dia do Senhor", confirmado por todos, JUDEUS, PROSÉLITOS e GENTIOS. Por isso, nunca DISPUTARAM sobre este SANTO DIA o SÁBADO.

      ATOS 17: 17

      “De sorte que DISPUTAVA na SINAGOGA com os JUDEUS e RELIGIOSOS, e TODOS os dias na praça com os que se apresentavam.”

      O texto é esclarecedor. TODOS os DIAS!

      PAULO pregou o evangelho durante ANOS e ANOS, e nada disse da mudança do dia de REPOUSO do SÁBADO para o DOMINGO.

      Por que não fez?

      Ouça o que PAULO disse:

      I Tessalonicenses 1: 1-9

      “PAULO, SILVANO e TIMÓTEO à IGREJA dos tessalonicenses… como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro.”

      Vê!

      Uma IGREJA só de GENTIOS convertidos do paganismo. PAULO nada lhes falou sobre a ABOLIÇÃO do SÁBADO ou da SUBSTITUIÇÃO do DOMINGO no lugar do SÁBADO.

      OLHA ESTE DETALHE

      PAULO confirmava as igrejas (Atos 15: 41).
      PAULO ensinava nas igrejas (I Cor. 4: 17; 7: 17).
      PAULO pregava em todas as igrejas (II Cor. 8: 18-19).

      Percebe? Paulo não pregava só na Sinagoga.

      CORINTO

      Nesta cidade foi que PAULO diferenciou e exaltou o "Dia do Senhor", o santo SÁBADO.

      O apóstolo partiu de ATENAS para CORINTO, e ali encontrou um casal missionário – ÁQUILA e PRISCILA, que eram construtores de TENDAS, e PAULO a eles se associou, veja:

      ATOS 18: 3-4

      “E, como era do MESMO OFÍCIO, ficou com eles, e TRABALHAVA; pois tinham por OFÍCIO fazer TENDAS. E todos os SÁBADOS disputava na Sinagoga, e convencia JUDEUS e GREGOS.”

      Percebeu?

      JUDEUS e GREGOS (gentios), todos ouviam maravilhados as grandezas de Deus e se convertiam ao Senhor Jesus.

      Anote agora:

      ATOS 18: 11

      “E ficou (PAULO) alí um ANO e seis MESES, estudando entre eles a Palavra de Deus.”

      Por favor, irmão, preste atenção:

      Já me disseram que PAULO trabalhava dia e noite para não ser pesado a ninguém.

      Já ouviu isso?

      Pois bem, não questiono que ele, como qualquer ser humano, trabalhava, mas… somente de DOMINGO a SEXTA-FEIRA, pois acabamos de ler que aos SÁBADOS, ele, ÁQUILA e PRISCILA FECHAVAM a OFICINA de TENDAS e iam para a IGREJA no SÁBADO, pois PAULO era o pastor, e isso de manhã, porque à tarde saíam para o trabalho missionário, com a oficina FECHADA (Atos 16: 13).

      Tal ensino durou, naquela cidade, UM ANO e SEIS MESES (At 18:11)!

      Sabe você quantos SÁBADOS há em um ano e seis meses?

      Isto mesmo: 78 SÁBADOS, nos quais PAULO foi a IGREJA segundo o mandamento (Êx 20:10) e confirmado em (At 18:4).

      Eles trabalharam juntos por 462 DIAS,ou seja, de DOMINGO a SEXTA segundo o mandamento (Êx 20:9).

      Não foi tempo suficiente para que doutrinasse os CORÍNTIOS quanto a ABOLIÇÃO do SÁBADO ou a SUBSTITUIÇÃO do SÁBADO pelo DOMINGO?

      Por que não o fez?

      Parece-me que pelo seu próprio exemplo e de ÁQUILA e PRISCILA, seria muita incoerência da parte deles ficarem em Corinto 1 ANO e SEIS MESES, pregando sempre aos SÁBADOS por 78 SÁBADOS (segundo o mandamento –Êx 20:10) e TRABALAHNDO 462 dias sempre de DOMINGO a SEXTA (segundo o mandamento – Êx 20:9) pra depois de 1 ANO e SEIS MESES no ÚLTIMO DIA DIZER:

      Agora eu (PAULO) afirmo que o DOMINGO é o novo SÁBADO! Deverá ser o dia SANTIFICADO e ABENÇOADO!

      O triste é que não encontramos tal afirmação em toda a bíblia, mas muitos fazem tal afirmação e sem embasamento bíblico!

      Medite nisto:

      Por VISÃO CELESTIAL, PAULO pregou nesta cidade (Atos 18: 9-10).

      Por VISÃO CELESTIAL , converteu-se, no caminho de Damasco (Atos 9).

      Não poderia o SENHOR lhe dar uma VISÃO CELESTIAL a respeito da ABOLIÇÃO do SÁBADO ou SUBSTITUIÇÃO do SÁBADO pelo DOMINGO?

      Mas, não deu!

      Excluir
    5. ATENÇÃO – Anote estes textos:

      I Coríntios 1: 2 – “A IGREJA de Deus, que está em Corinto…”

      II Coríntios 1: 1 “PAULO, apóstolo de Jesus Cristo… à IGREJA de Deus que está em Corinto…”

      Não há dúvidas, para um sincero leitor, compreender que estes 78 SÁBADOS, PAULO os GUARDOU não na SINAGOGA, mas na igreja junto aos irmãos.

      Em realidade tanto na SINAGOGA (judeus) quanto na IGREJA (gentios, prosélitos gregos e judeus convertidos), todos guardavam o SÁBADO.

      Mas ressalte-se a grande verdade:

      Paulo NUNCA falou NADA a respeito do DOMINGO tomando o lugar do SÁBADO!

      TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA – ÉFESO

      PAULO embarcou para ÉFESO e deixou os coríntios GUARDANDO o SÁBADO, que tanto amavam, exatamente como diz a Bíblia. Nesta cidade PAULO também positivou a prerrogativa de ser o SÁBADO o "Dia do Senhor", tanto na SINAGOGA , quanto na IGREJA Cristã.

      Veja:

      ATOS 19: 8,10

      “E, entrando na SINAGOGA, falou ousadamente por espaço de TRÊS MESES , disputando e persuadindo-os acerca do Reino de Deus… E durou isto por espaço de DOIS ANOS, de tal maneira que todos os que habitavam na ÁSIA ouviram a Palavra do Senhor Jesus, assim JUDEUS como GREGOS.”

      Sabe, 2 anos e 3 meses são 116 SÁBADOS guardados por PAULO. É tempo suficiente para doutrinar, de maneira que ficasse patente, sem sombra de dúvidas.

      Porém, que SILÊNCIO TUMULAR!

      Nada de DOMINGO em lugar do "Dia do Senhor", o SÁBADO.

      Toda a Ásia ouvira do apóstolo que TRABALHAVA durante a semana fazendo TENDAS e, aos SÁBADOS, ia à igreja pregar o evangelho e estar com os irmãos. Era o dia mais festivo e feliz, pois se reuniam, vindo de todas as partes, ao encontro de Deus, em Sua casa.


      Convenhamos, o SÁBADO circundava a vida de PAULO. Seu viver foi uma demonstração inequívoca de que o "Dia do Senhor" para ele era o SÁBADO. Como ele gostava de ir à IGREJA neste dia!

      ATENÇÃO – Analise com ternura este detalhe:

      APOCALIPSE 2: 1-3

      “Escreve ao anjo da IGREJA que está em ÉFESO (Ásia)… Trabalhaste pelo Meu Nome…”

      Jesus está dizendo IGREJA e não SINAGOGA. E o detalhe é o seguinte:

      É na IGREJA Cristã ou na SINAGOGA que se “TRABALHA” pelo Nome de Cristo?

      Portanto, os 116 SÁBADOS guardados por PAULO na Ásia resultou num grande avanço para o cristianismo.

      Confirme:

      I Co 16:19 “As IGREJAS da Ásia saúdam-vos afetuosamente no Senhor…”

      Efésios 1:1“PAULO, apóstolo de Jesus Cristo… aos santos que estão em
      Éfeso…”

      Efésios 2:11“… lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis GENTIOS na carne…”

      Efésios 4:17“E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam os outros GENTIOS…”

      PERCEBEU? – Uma IGREJA só de GENTIOS? – Sim! Asiáticos, europeus, cidadãos livres do Império Romano e escravos, todos guardavam o SÁBADO!

      GRAVE ESTE DETALHE – ÉFESO era uma cidade no coração da Ásia.

      RATIFICANDO

      Está claro que o apóstolo PAULO não mencionou ser o DOMINGO o dia de guarda, nas IGREJAS de CHIPRE, ANTIOQUIA, SALAMINA, PERGE, DERBE, ICÔNIO, LISTRA, MACEDÔNIA, TRÔADE, FILIPOS, TESSALÔNICA, CORINTO, ÉFESO e GALÁCIA, por ocasião de suas viagens missionárias.



      Ao contrário, porém, focalizou o SÁBADO como dia sagrado de reunião semanal dos cristãos, da qual ele mesmo participava, deixando isso bem claro e específico, durante 1 ANO e 6 MESES (78 SÁBADOS) em Corinto.

      E em ÉFESO, durante 2 ANOS e 3 MESES, guardou 116 SÁBADOS. Nesta cidade, PAULO também testemunhou para o mundo cristão seu costume de observar o SÁBADO.

      Se Paulo, nestas duas cidades, guardou 194 SÁBADOS seguidos, e, em nenhum deles ENSINOU que fora ABOLIDO, é porque NÃO foi mesmo.

      Consequentemente, devemos admitir que Paulo era a FAVOR e OBSERVAVA o SÁBADO, NUNCA foi contra ele, como muitos sinceros cristãos hoje pensam, e a igreja Romana determina.

      Agora finalizaremos, acompanhando o apóstolo pelas cidades de TIRO, CESARÉIA e finalmente ROMA, e o irmão irá ver que nada dirá com respeito a SANTIDADE do DOMINGO, o primeiro dia da semana.

      CONTINUANDO ...

      Excluir
    6. Antes, analise comigo um episódio de real significado para aqueles que de fato desejam examinar as Escrituras e viver segundo seus ensinamentos.

      Foi após o regresso dos apóstolos PAULO e BARNABÉ da primeira viagem missionária a ANTIOQUIA da SÍRIA, no ano 49 d.C. Criou-se um grande problema em consequência de os novos conversos ao cristianismo serem OBRIGADOS a CIRCUNCIDAR-SE, satisfazendo assim os caprichos dos JUDAIZANTES, que diziam ser este ritual (já abolido por Cristo) essencial a salvação. O conflito foi tão grande, que se determinou enviar tais apóstolos a Jerusalém a fim de consultar a Igreja Mãe, a respeito. Confirme lendo Atos 15: 1-2.

      Agora, ouça:

      ATOS 15: 6

      “Congregaram-se pois os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto.”

      QUAL ASSUNTO?

      Aquele pertinente a LEI CERIMONIAL que estava incomodando os crentes de ANTIOQUIA.

      Observe: O SÁBADO era ponto em comum entre eles. Não havia nenhuma divergência a respeito dele como dia de GUARDA.

      Portanto, reuniu-se em ASSEMBLÉIA GERAL a Comissão da IGREJA, encabeçada pelos apóstolos que Cristo estabeleceu.

      E a decisão foi:

      ATOS 15: 28-29

      “Na verdade pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO e a nós, não vos impor mais ENCARGO ALGUM, senão estas coisas necessárias:

      Que vos abstenhais das coisas SACRIFICADAS aos ídolos e do SANGUE, e da CARNE SUFOCADA, e da FORNICAÇÃO; das quais coisas fazeis bem em vos guardardes. Bem vos vá.”

      Observe que depois de uma demorada reunião a respeito de assunto tão sério e necessário a igreja, a decisão não enfocou nada que falasse a respeito do DOMINGO como o dia que tomou o lugar do SÁBADO.

      Pela lógica do raciocínio CORRETO e do BOM SENSO, conclui-se que, se este ponto não foi focado, é porque não merecia ao menos consideração.

      Entrementes, uma coisa é certa: O SÁBADO era o dia de guarda, para TODOS, APÓSTOLOS, JUDEUS e GENTIOS. Isso é incontestável, ouça o que diz o contexto:

      ATOS 15: 21

      “Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada SÁBADO é lido nas Sinagogas.”

      Portanto, não apenas em Jerusalém, a sede do cristianismo, mas em todas as cidades da Ásia por onde PAULO passou pregando o evangelho, TODOS observavam o SÁBADO, conforme o relato da Bíblia.

      O mais contundente é que foi o próprio apóstolo PAULO o portador destas novas para aqueles dissidentes. Tudo voltou à calma, o cristianismo venceu e o SÁBADO continuou SANTO e SEPARADO como sempre. Glória a Deus!

      GRAVE ISTO:

      Há duas impressionantes CONTROVÉRSIAS no Novo Testamento, entre a IGREJA CRISTÃ e o JUDAISMO.
      Qual seja, CRISTO no CRISTIANISMO e a CIRCUNCISÃO no JUDAÍSMO.

      No entanto, não HÁ e NUNCA houve NENHUMA POLÊMICA entre estes dois grupos religiosos no Novo Testamento, no tocante ao SÁBADO.

      Por quê?

      Imagine, se a IGREJA CRISTÃ GUARDASSE o DOMINGO e o JUDAÍSMO o SÁBADO, não seria tremenda incoerência?!

      Mas nada há a este respeito no Novo Testamento, porque, como estamos vendo até o momento e comprovado pela Bíblia, o dia de repouso bíblico, tanto de JUDEUS quanto de CRISTÃOS, é o mesmo!
      O SÁBADO!

      Caminhemos com PAULO, MEU URMÃO!

      ATOS 20: 20-21

      “Como nada que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, testificando, tanto aos JUDEUS, como aos GREGOS, a conversão a Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo.”

      PAULO aqui usa de uma CLAVIDÊNCIA MERIDIANA, e da sinceridade de um santo.

      Foi explícito:

      “NADA VOS DEIXEI DE VOS ANUNCIAR”.

      Portanto, se disse TUDO que era útil e necessário e nada mencionou sobre o DOMINGO SUBSTITUINDO O SÁBADO, e se no Novo Testamento nada há que o abone; se Paulo o OMITIU em TODAS as suas VIAGENS, PREGAÇÕES, EPÍSTOLAS, IGREJAS, SINAGOGAS, TRABALHOS MISSIONÁRIOS PESSOAIS e PÚBLICOS, é porque para ele era caso encerrado.

      Do mesmo modo nas igrejas que estabeleceu, o SÁBADO permaneceu como o "Dia do Senhor". Não há como negar!

      CONTINUANDO...

      Excluir
    7. Ouça mais:

      ATOS 20: 27

      “POR QUE NUNCA DEIXEI DE VOS ANUNCIAR TODO O CONSELHO DE DEUS”.

      Novamente usa PAULO a expressão global e abrangente: “TODO”.

      Ora, se ensinou tudo mais uma vez, e nada mencionou a respeito do DOMINGO SUBSTITUINDO O SÁBADO como sendo o dia de guarda, temos de admitir que o DOMINGO não é BÍBLICO e deve ser considerado então de origem puramente humana – uma tradição de homens!

      Por outro lado, tudo que Paulo ensinou, conforme temos estudado juntos, o fez sempre aos SÁBADOS, porque este era o dia consagrado ao culto dos fiéis.

      Era também, em seu tempo, o Dia do Senhor. Continua o apóstolo Paulo:

      ATOS 20: 31

      “Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.”

      Amado irmão, se PAULO teve tanto tempo entre os irmãos, doutrinando-os até as lágrimas, seria cruel deixá-los enganados quanto ao dia santificado por Deus.

      Por que ele NUNCA disse que o DOMINGO substituiu o SÁBADO?

      Não podia fazê-lo, pois ele mesmo observava o SÁBADO e, dessa forma, não poderia contradizer-se.

      Ele afirmou:

      II Co 11: 28“Além das coisas exteriores, me oprimem cada dia o cuidado de todas as IGREJAS.”

      “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8 : 32)

      Que Deus ilumine muito a sua vida, um grande abraço e fique com Deus!

      Excluir
    8. Alexandre, Você se esmerou, copiou, argumentou, mas não provou NADA.

      Sequer um versículo, dentro do Novo Testamento, você conseguiu encontrar onde positivamente os cristãos gentios receberam mandamento para observar o sábado, segundo a lei, (que é o único que existe), por parte dos Apóstolos.

      Não conseguindo encontrar o bendito versículo, você apelou para uma argumentação extensa, cheia de "provas (?!)", mas que se demonstrou inócua, porque você não conseguiu provar o tal mandamento para os gentios observarem o sábado.

      Agora, eu vou postar aqui em baixo, o decálogo, e peço que leiam o CONTEÚDO do decálogo, e me digam se ele pode ser a lei eterna de Deus, que existia com ele, antes de haver a criação.

      Ellen White, afirma que o decálogo que foi dado no Sinai, é uma CÓPIA EXATA de seu original, no Céu.

      Vamos lá:


      "1) (Êxodo 20:3) Não terás outros deuses diante de mim.

      2) (Êxodo 20:4, a 6 ) Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem. E faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam os meus mandamentos.

      3) (Êxodo 20:7) Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

      4) (Êxodo 20:8 a 11) Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o SENHOR o dia do sábado e o santificou."

      Veja que mo quarto mandamento, o do sábado, é permitido possuir escravos de acordo com a lei. Note também que a observância do sábado, aqui, em Êxodo 20, está relaciona a criação do mundo; já, em Dt.5, o quarto mandamento sofre uma modificação no que toca ao motivo de sua observância: É a saída do Egito.

      Ellen White, ainda afirma que os próprios anjos observam o decálogo, que para ela é a santa e eterna lei de Deus. Qual destes mandamentos os anjos observam? Será que eles se cansam, após seis dias de trabalho, e lá no Céu, descansam no sábado, ou e proíbido um anjo cobiçar uma anja?

      Volte ao decálogo, e leia de novo, e veja se ele pode ter existido com Deus por toda a eternidade passada, ou seja, antes de Deus começar a criar.

      5) (Êxodo 20:12) Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá.

      6) (Êxodo 20:13) Não matarás.

      7) (Êxodo 20:14) Não adulterarás.

      8) (Êxodo 20:15) Não furtarás.

      9) (Êxodo 20:16) Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

      10) (Êxodo 20:17) Não cobiçarás a casa do teu próximo; não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.

      Pergunto ao leitor atento: Como é que o decálogo, com este CONTEÚDO, pode ser a excelsa lei eterna de Deus, desde antes da criação do mundo?

      Mas vamos prosseguir, só que o Alexandre escreveu DEMAIS, e não vamos responder a todas as suas objeções, sendo que grande parte delas, só está para encher espaço.

      Prossegue......

      Excluir
    9. Ellen White várias vezes contradiz a Bíblia, ou afirma coisas absurdas, só que estes "desvios" estão misturados no meio de seus extensos escritos, não sendo notados pelo leitor ingênuo, crédulo.

      Aqui está um exemplo, uma pérola:

      Deus ordenou os judeus não para acender fogo em suas casas no dia de sábado.

      Êxodo 35:2-3 - 2. em seis dias, qualquer trabalho poderá ser feito, mas o sétimo dia lhes será santo sábado de descanso para o Senhor.Todo aquele que trabalhar neste dia deve ser condenado à morte. .3.NEM SEQUER ACENDAM FOGO EM NENHUMA DE SUAS CASAS NO DIA DE SÁBADO.

      Ellen White acusa os judeus de perverter o
      sábado, tornando-se um jugo de escravidão e chama a lei de Deus "restrições sem sentido". Em seguida, ela culpa os escribas e fariseus de tornar o sábado "um fardo intolerável", porque os judeus não tinham permissão para "acender uma fogueira ou acender uma vela no sábado." Foi Deus que ordenou não acender fogo no sábado, não os escribas e fariseus. Isso mostra que ela é uma falsa profetisa:

      "Os judeus haviam pervertido tanto a lei que eles fizeram dela um jugo de escravidão. Suas exigências sem sentido tornaram-se um provérbio entre as outras nações. ESPECIALMENTE ERA O SÁBADO LIMITADO POR TODOS OS TIPOS DE RESTRIÇÕES SEM SENTIDO. Ele não era para eles uma delícia, o santo ao Senhor, e honrado. Os ESCRIBAS E FARISEUS TINHAM FEITO SUA OBSERVÂNCIA UM FARDO INTOLERÁVEL. À UM JUDEU NÃO ERA PERMITIDO ACENDER FOGO, NEM MESMO PARA ACENDER UMA VELA NO SÁBADO. Consequentemente, as pessoas eram dependentes dos gentios para muitos serviços que suas regras os proibiu de fazer por si mesmos. Eles não refletiram que, se esses atos eram pecaminosos, aqueles empregavam outros para realizá-los eram tão culpados como se tivessem feito o trabalho por si próprios. Eles achavam que a salvação era restrita ao judeus, e que a condição de todos os outros, sendo já sem esperança, não poderia piorar. Mas Deus não deu mandamentos que não podem ser obedecidos por todos. SUAS LEIS NÃO SANCIONAM RESTRIÇÕES INJUSTIFICADAS OU EGOÍSTAS." "
      (Ellen White, O Desejado de Todas as Nações, p. 204, parágrafo 1. em inglês).

      Precisa explicar?

      Alexandre, você disse: "O tema do sábado não era tão necessário à discussão ou ao aconselhamento já que todos guardavam o SÁBADO."

      Pergunto: Como "todos guardavam o sábado?

      Estamos falando de TERRITÓRIO GENTIO E NÃO DE ISRAEL. Os gentios vieram do paganismo,e pouco conheciam dos costumes e tradições judaicos, porque muitos judeus da diáspora viviam em comunidades fechadas aos gentios.


      É óbvio que os gentios vindos do paganismo deveriam receber dos apóstolos, mandamento para observar o sábado, se este fosse o sinal entre o Senhor Jesus e sua Igreja.

      Você disse:
      "Paulo simplesmente guardou o SÁBADO."

      Eu quero o capítulo e versículo que mostrem o apóstolo Paulo observando o sábado, NÃO SEGUNDO OS ADVENTISTAS, MAS SEGUNDO A LEI, já que é a TORAH a ÚNICA que tem autoridade para definir como o sábado deve ser observado.

      Olhe o que Paulo disse a Pedro:

      Gálatas 2:14: "Quando vi que não estavam andando de acordo com a verdade do evangelho, declarei a Pedro, diante de todos: "Vocé É JUDEU, MAS VIVE COMO GENTIO, como pode obrigar a gentios a viverem como judeus?"

      Leia TODO o Antigo Testamento, e verá que o mandamento do sábado foi dado SOMENTE a ISRAEL, e a mais ninguém!

      Quando chegou a Nova Aliança, pelo derramamento do sangue de Cristo, em nenhuma vez foi dado qualquer mandamento para os convertidos dentre os gentios observarem o sábado. Prossegue.....

      Excluir
    10. Todos os capítulos e versículos que você citou em seu comentário de 21/05/2014, as 20:38, se referem a visitação que Paulo fazia as sinagogas (primeiro), sempre que iniciava o trabalho em alguma cidade; "Primeiro o Judeu, depois o grego."

      NADA fala de Paulo observando o sábado, ainda que em algumas oportunidades, o apóstolo, quando entre seu povo (carnal), respeitava seus costumes, como pode-se ver no livro de Atos.

      Você disse: ATOS 13:42

      “E, saídos os JUDEUS da Sinagoga, os GENTIOS rogaram que no SÁBADO seguinte lhes fossem ditas as mesmas coisas.”

      "MEU caro irmão Paulo Cadi, é contundente a expressão bíblica:

      os GENTIOS rogaram que Paulo novamente lhes pregasse no SÁBADO seguinte.

      Por que os GENTIOS NÃO FALARAM ASSIM:

      PAULO, nos pregue novamente amanhã?
      Ou de Segunda à Sexta?
      Ou ainda no DOMINGO dia da Ressurreição que era o assunto?
      Por que Paulo OMITIRIA algo tão importante e fundamental?"

      Resposta: Os gentios, no texto aí em cima, se encontravam no sãbado, na sinagoga, PORQUE ERAM PROSÉLITOS DO JUDAÍSMO. Eles, (os gentios aí de cima), ERAM CONVERTIDOS A SEITA DOS FARISEUS, (à qual Paulo pertenceu).

      Nas sinagogas, sempre que um irmão, (principalmente, Rabbi, e Paulo era um Doutor da Lei), estava visitando o lugar, era-lhe dada a oportunidade de trazer uma mensagem a comunidade.

      Paulo, se aproveitando disto, começou a lhes anunciar, JESUS; os gentios, prosélitos do judaísmo, que estavam crendo, pediram que Paulo voltasse no sábado seguinte, que naturalmente era o dia principal de reunião deles.

      Você interpretou este texto, fora de seu contexto. NADA existe aí de CRISTÃOS GENTIOS guardando o sábado.

      Quero lhe dar uma informação: Você está falando com um Calvinista - Dispensacionalista.

      Creio que os Cristãos, (atos 20:7), costumavam partir o pão (eucaristia), no primeiro dia da semana, em tributo ao Cristo ressurecto.

      Mas se os gentios devessem observar o sábado, (vou frisar), SEGUNDO A LEI, TORAH, e não segundo o adventistas), porque se assim o fosse, os cristãos gentios teriam que observar o sábado COMO ESTÁ NOS LIVROS DE ÊXODO, LEVÍTICO, NÚMEROS E DEUTERÔNOMIO; e se vier um adventista me dizer que eles não podiam "recolher" lenha no dia de sábado, porque a pessoa teria que fazer esforço fisíco, e que agora, nos tempos modernos pode acender o fogo do fogão para esquentar o alimento, porque não é trabalho, eu lhes digo que os cristãos do tempo dos apóstolos NÃO TINHAM FOGÃO E TINHAM QUE RECOLHER A LENHA PARA SEUS SERVIÇOS DOMÉSTICOS.

      Então, você não pode separar o mandamento da observância do sábado, das restrições que a MESMA LEI QUE DEU O MANDAMENTO PARA OBSERVÁ-LO PRECREVEU.

      Daí, você se torna um transgressor da lei, como diz Tiago, aquele grande mestre das escrituras, irmão do Senhor. Tg.2:10-12

      Você disse: "PAULO embarcou para ÉFESO e deixou os coríntios GUARDANDO o SÁBADO, que tanto amavam, exatamente como diz a Bíblia. Nesta cidade PAULO também positivou a prerrogativa de ser o SÁBADO o "Dia do Senhor", tanto na SINAGOGA , quanto na IGREJA Cristã.

      O QUUUUUÊ? Onde Paulo deixou Cristãos em Corinto guardando o sábado, se por ironia do destino, o ÚNICO dia que Paulo menciona, relacionado a manifestação do amor (Ágape), de uns pelos outros, está em 1Co.16:2, e é o primeiro dia! Prossegue....

      Excluir
    11. ALexandre, você disse, começando por citar Atos 15:21;

      "ATOS 15: 21

      “Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada SÁBADO é lido nas Sinagogas.”

      Portanto, não apenas em Jerusalém, a sede do cristianismo, mas em todas as cidades da Ásia por onde PAULO passou pregando o evangelho, TODOS observavam o SÁBADO, conforme o relato da Bíblia.

      O mais contundente é que foi o próprio apóstolo PAULO o portador destas novas para aqueles dissidentes. Tudo voltou à calma, o cristianismo venceu e o SÁBADO continuou SANTO e SEPARADO como sempre. Glória a Deus!

      De onde você tirou isso? Pela mãe do badanha!!1

      Mostre ONDE está isto, no livro de Atos.

      E você citando Atos 15:21, nem percebeu COMO inicia este versículo.

      Olhe:“Porque MOISÉS, (NÃO JESUS CRISTO), desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada SÁBADO é lido nas Sinagogas.”

      Você está fazendo uma desenfreada citação de textos que NADA tem a ver ver com cristãos gentios observando o repouso no dia de sábado.

      Você disse: "Mas nada há a este respeito no Novo Testamento, porque, como estamos vendo até o momento e comprovado pela Bíblia, o dia de repouso bíblico, tanto de JUDEUS quanto de CRISTÃOS, é o mesmo!
      O SÁBADO!"

      Pergunta: Onde está isso que você afirmou aí, se os CRISTÃOS em suas epístolas , somente tem, Gálatas 4: 8-10, e vou citar somente o 10: "Vocês estão observando dias especiais, meses, ocasiões específicas e anos! 11.Temo que meus esforços por vocês tenham sido inúteis."

      E colossenses 2:16: "Portanto, não permitam que ninguém os julgue pelo que vocês comem e bebem, ou com relação a dias de Festa, Lua Nova, ou Sábados. 17. Estas coisas são sombras do que haveria da vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo."

      Agora, para os adventistas, "os sábados de Colossenses 2:16, são os cerimoniais, não o do decálogo. Então, mande eles lerem Levítico 23, e lá vão encontrar o sábado do decálogo, INCLUÍDO, NO LIVRO DA LEI, ENTRE AS FESTAS CERIMONIAIS.

      Levítico 23: 1."Disse o Senhor a Moisés: 2."Diga o seguinte aos israelitas; Estas são AS MINHAS FESTAS, AS FESTAS FIXAS DO SENHOR, que vocês proclamarão como reuniões sagradas:

      3. "Em seis dias realizem os seus trabalhos, mas o sétimo dia é sábado, dia de descanso e de reunião sagrada. NÃO REALIZEM TRABALHO ALGUM; onde quer que morarem, será sábado dedicado ao Senhor."

      Depois vem a Páscoa, as Primícias, o Pentecoste, as Trombetas, a Expiação, e a festa das Cabanas."

      O sábado semanal vem em primeiro lugar na lista!

      Outra coisa: Se como querem os adventistas, somente ficou o decálogo, a lei moral, e o livro da lei foi abolido, Pergunto:

      Onde está no decálogo, os mandamentos contra o incesto, o alcoolismo, a pedofilia, dentre inúmeros outros que poderíamos citar?

      Mas vamos prosseguindo..... Continua....

      Excluir
    12. Agora vamos ver outra contradição nos escritos de Ellen White, ou seja, ela contradiz a Biblia:

      “Ninguém poderia deixar de ver que, se o
      Santuário terrestre era uma figura ou modelo Celestial,a lei depositada na arca, na terra, era UMA TRANSCRIÇÃO EXATA DA LEI NA ARCA QUE ESTÁ NO CÉU, e que a aceitação da verdade concernente ao Santuário Celestial envolvia o reconhecimento das reivindicações da Lei de Deus, e da obrigatoriedade do Sábado no quarto mandamento (…) Aí estava o segredo da oposição atroz e decidida à exposição harmoniosa das Escrituras, que revelavam o ministério de Cristo no Santuário Celestial.” Historia da Redenção, pp. 380, 381; O Grande Conflito, p. 435, edição de 1981.

      Agora, eu peço aos que lerem este comentário para abrirem suas Bíblias em Êxodo, capítulo 20, e façam uma leitura atenta do decálogo, em seu CONTEÚDO, e perguntem a si mesmo se o decálogo com, repito ESTE CONTEÚDO pode ser a lei eterna de Deus, que sempre existiu com ele, e pela qual o mundo será julgado?

      ....Mas é o que Ellen White ignorantemente afirma.

      “A lei de Deus no Santuário Celeste é o grande original de que os preceitos inscritos nas tábuas de pedra, registrados por Moisés no Pentateuco era uma TRANSCRIÇÃO EXATA.” O Grande
      Conflito, p. 434, edição de 1981.

      Completamente sem NOÇÃO!

      Veja esta declaração:

      “No templo celestial, morada de Deus, acha-se o
      seu trono, estabelecido em justiça e juízo. No lugar santíssimo está a SUA LEI, a grande regra da justiça, pela qual a HUMANIDADE TODA É PROVADA. A arca que encerra as tábuas da lei, a grande regra da justiça, pela qual a humanidade toda é provada. A arca que encerra as tábuas da lei se encontra coberta pelo propiciatório, DIANTE DA QUAL CRISTO, pelo Seu sangue pleiteia em prol do pecador” O Grande Conflito, p. 455, edição de 1981.

      Aí White chama o decálogo de Êxodo 20 de "lei de Deus", do qual as tábuas do santuário terrestre eram uma TRANSCRIÇÃO EXATA, inclusive do quarto mandamento, do sábado, onde é permitido possuir escravos, e também fala de boi, jumento etc...

      Depois ela contradiz o livro de 2 Coríntios, (ao querer perpetuar as duas tábuas de pedra, como o padrão de julgamento na Nova Aliança), capítulo 3:3, onde diz: "Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, NÃO EM TÁBUAS DE PEDRA, mas em tábuas de corações humanos."

      Neste mesmo capítulo de 2 Coríntios, no versículo 7, Paulo explicítamente diz: "O ministério (toda a lei, sua aplicação), que trouxe a morte FOI GRAVADO COM LETRAS EM PEDRA... Depois no verso 9, o apóstolo diz: "Se era glorioso o ministério, (gravado com letras em pedras), QUE TROUXE A CONDENAÇÃO..."

      Ellen White afirma que desde 22 de outubro de 1844, os adventistas ESTÃO SENDO JULGADOS PELAS DUAS TÁBUAS DE PEDRA, COM O MESMO CONTEÚDO DE ÊXODO 20!

      O apóstolo Paulo afirma que os cristãos, sob a dispensação da graça, NÃO TEM NADA QUE VER COM AS TÁBUAS DE PEDRA, mas eles são epístolas vivas, sob a ministração do Espírito de Deus!

      Depois, nesta última citação aí em cima, White afirma que Cristo está DIANTE DA ARCA DA ALIANÇA CONTENDO OS MANDAMENTOS, EXATAMENTE COMO ESTÁ ESCRITO EM ÊXODO 20!

      Ela coloca Cristo fazendo o mesmo serviço do sacerdote araônico, quando Cristo não tem NADA a ver com o sacerdócio levítico, como nos informa Hebreus 7.

      Olhem o que diz em Hebreus 10:10-12, fora outros versículos que dizem a mesma coisa:

      "Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do corpo de Jesus Cristo, oferecido uma vez por todas....Mas quando este sacerdote acabou de oferecer, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, ASSENTOU-SE À DIREITA DE DEUS."

      Há somente um trono, e neste o Senhor Jesus assentou-se, e não foi para o santíssimo lugar em 1844 para "pleitear pelos pecadores DIANTE da arca. Prossegue.....




      Excluir
    13. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    14. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      Irmão Paulo Cadi, se você não achou a lógica do TESTEMUNHO e EXEMPLO não apenas de PAULO, mas também de ÁQUILA e PRISCILA quanto a que dias deveriam TRABALHAR e que DIA deveriam SANTIFICAR. E mesmo assim o irmão IGNORA o FATO e REJEITA o relato BÍBLICO que é muito claro e evidente!

      O irmão REJEITA o TREMENDO exemplo de PAULO, ÁQUILA e PRISCILA quanto ao SÁBADO CONSCIENTEMENTE como SEM VALOR algum!

      E diz, afirma que não EXISTE mandamento direto! E que o EXEMPLO não serve!

      Irmão Paulo Cadi, se o EXEMPLO (do apóstolo) não serve e o mesmo não deu um mandamento direto (na sua visão)!

      Por que o irmão OBSERVA então o DOMINGO?

      Ou seja, o irmão rejeita o SÁBADO mesmo com o EXEMPLO do APÓSTOLO, mas GUARDA (observa) o DOMINGO sem um único EXEMPLO de OBSERVÂNCIA BÍBLICA do MESMO.

      O irmão rejeita o SÁBADO por que não existe um mandamento direto do mesmo, mesmo sabendo que o mesmo não foi ABOLIDO (mas eu sei que vai citar os versículos dos sábados cerimoniais), mas GUARDA (observa) o DOMINGO, que NUNCA foi ordenado que o observa-se.

      Ou seja, você REJEITA VOLUNTARIAMENTE o "LEMBRA-TE" de DEUS o LEGISLADOR e CRIADOR (Êx 20:8-11), mas GUARDA o DOMINGO de LEGISLAÇÃO HUMANA!

      Você REJEITA VOLUNTARIAMENTE o exemplo de PAULO e outros quanto ao SÁBADO, mas GUARDA o DOMINGO sem um ÚNICO exemplo da GUARDA do DOMINGO! E o pior mesmo é que não existe tal EXEMPLO!

      Você REJEITA VOLUNTARIAMENTE o SÁBADO por que "NÃO EXISTE MANDAMENTO DIRETO" para o mesmo, mas OBSERVA o DOMINGO sem exemplo, sem "mandamento direto" sem nada mesmo!

      Irmão Paulo Cadi, acho que o irmão deveria passar para a ICAR, pois somente nos moldes doutrinários dela é que se pode OBSERVA tal DIA ! Pois é baseado na TRADIÇÃO e PATRÍSTICA! ÚNICA forma do OBSERVÁ-LO! Não existe base BÍBLICA para tal!

      Mas o irmão deve ter razão mesmo!

      Mesmo com tamanha INCOERÊNCIA!

      FELIZ SÁBADO o "DIA do SENHOR"!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    15. Eu refutei os seus argumentos. Quer que eu continue?

      Excluir
    16. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      Você REFUTOU?

      Irmão Paulo, para você refutar precisa usar a bíblia e não a TRADIÇÃO e PATRÍSTICA!

      Por favor, REFUTE!

      Vou usar seu próprio argumento:

      Onde um Apóstolo ordenou a NÃO OBSERVÂNCIA do SÁBADO?

      Não EXISTE!

      Onde um Apóstolo ORDENOU a OBSERVÂNCIA do DOMINGO?

      Não EXISTE!

      No Novo Testamento existem vários EXEMPLOS de GUARDA do SÁBADO inclusive do próprio SENHOR do SÁBADO! JESUS, se lembre?

      Mostre-me o exemplo de JESUS GUARDANDO o DOMINGO?

      NÃO EXISTE!

      Mostre-me o exemplo de um Apóstolo se quer GUARDANDO o DOMINGO?

      NÃO EXISTE!

      O irmão refutou "TODOS meus COMENTÁRIOS"? Só se foi com a PATRÍSTICA!

      FELIZ SÁBADO o "DIA do SENHOR"!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    17. Você não viu Ellen White contradizendo a Bíblia?

      Você entende o que lê?

      Onde está o mandamento para os gentios observarem o sábado?

      O ônus da prova, está em quem acusa.

      Excluir
    18. Outra coisa: Vocês adventistas NÃO OBSERVAM O SÁBADO SEGUNDO A LEI, mas de acordo com a conveniência.

      Excluir
  27. "Vi que o sábado é e será a parede de separação entre o verdadeiro Israel de Deus e os descrentes; e que o sábado é a grande questão a unir os corações dos queridos santos de Deus que O aguardam."

    o grande sinal que faz a distinção entre crentes e descrentes é a guarda do sábado. Não são os que creem ou não em Cristo, dai da pre ver que a importância da lei para eles é maior que Cristo.
    Coisa de seita mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. retificando...dai dá pra ver.

      Excluir
    2. Olá irmão Fernando Costa, a paz do Senhor!

      O irmão Luciano Sena propôs o seguinte:

      "O Sábado entre os Adventistas – uma compreensão bíblica ou misticismo de Ellen White"?

      Ou seja, estamos falando do SÁBADO e ainda da compreensão que o irmão Sena tem em relação a SUBSTITUIÇÃO do SÁBADO pelo DOMINGO!

      Não estamos falando de JUSTIFICAÇÃO pela FÉ ou da GRAÇA que é um DOM IMERECIDO, ou seja, o ser humano não pode fazer nada para se SALVAR!

      Eu tenha certeza que você (Fernando) sabe disso!

      Não entendi por que o irmão em seu comentário AFIRMOU que eu (ou nós se prefarir - IASD´S) colocássemos a LEI acima de nosso SALVADOR como meio de SALVAÇÃO. Sua afirmação é fantasiosa ou mera tática para desviar do assunto e etc.

      Tenho certeza que você sabe disso e em nenhum momento foi falado que somos SALVOS por obras da LEI!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    3. Irmão Fernando Costa, a paz do Senhor!

      ““Como as pessoas eram SALVAS na época de Abraão, Isaque, Jacó, Moisés e etc?

      Como as pessoas eram salvas no ANTIGO TESTAMENTO?

      Elas eram SALVAS pela LEI ou pela GRAÇA mediante a FÉ?

      Se elas eram SALVAS pela LEI, então temos um problema aqui!

      Pois a LEI passaria a ter um caráter SALVÍFICO.

      Não acreditamos em hipótese nenhuma na SALVAÇÃO pela LEI!

      A LEI não pode SALVAR ninguém! É a BÍBLIA que diz isso várias vezes!

      Sendo assim, eu repito a pergunta:

      Como eram SALVOS os que viviam no ANTIGO TESTAMENTO?

      Ora, resposta obvia!

      Eles eram SALVOS da mesma forma que são SALVOS aqueles que vivem depois do NOVO TESTAMENTO. Ou seja, todos aqueles como nós eram SALVOS pela GRAÇA mediante a FÉ. Não tem DIFERENÇA alguma entre ELES e NÓS!

      Logo, esta chamada dispensação da LEI não faz sentido algum no que diz respeito a história da salvação, por que ninguém NUNCA em NENHUM tempo foi SALVO por obras da LEI. Nem Deus teve esta intenção.

      Agora veja, se Moisés, Abraão e vários outros foram salvos pela graça mediante a fé, por que será que Deus pediu para eles guardarem a LEI inclusive o SÁBADO?

      Ou melhor, por que Moisés SALVO pela GRAÇA tinha a obrigação de guardar o SÁBADO e eu igualmente SALVO pela GRAÇA, estou desobrigado de guardar o SÁBADO?

      Ou ainda, por que Abraão e Moisés SALVOS pela GRAÇA, podiam e deviam guardar os MANDAMENTOS, mas se eu pregar essa necessidade hoje, serei chamado de LEGALISTA e SABATISTA!?

      Com toda sinceridade, se ser SABATISTA é ser como Abraão e Moisés, então fico até feliz com a ALCUNHA! Pois ela se torna até um elogio para mim.

      Eu posso até guardar o SÁBADO um pouco diferente de Moisés, no sentido de que estou num CONTEXTO HISTÓRICO DIFERENTE , mas eu não guardo o SÁBADO com OBJETIVO DIFERENTE dele ou de qualquer outro personagem mencionado na bíblia.

      Mas que objetivo é esse:

      dar uma resposta de FÉ a GRAÇA de Deus que atua em minha vida salvando-me e transformando-me dia a dia no meu caráter para que eu me torne cada vez mais semelhante ao caráter de Jesus.

      Isto é SANTIFICAÇÃO.

      Ah, em que sentido eu disse que guardo o SÁBADO um pouco diferente de Moisés. É simples, ele ordenou aos israelitas que evitassem que acendessem fogo e cortassem lenha no SÁBADO.

      Este contexto por si só é bem diferente daquele que vivo atualmente em pleno século XXI. Paulo também desautorizou as mulheres a falarem na igreja, e nem por isso vou proibir a minha esposa de pregar na igreja adventista. São contextos diferentes que devem ser analisados.

      Uma outra coisa que não entendo é o seguinte:

      algumas pessoas me dizem que a LEI foi ANULADA na CRUZ, e por isso eu não deveria me preocupar em guardar o SÁBADO.

      Mas ai eu pergunto de volta:

      eu estaria livre para DESCUMPRIR os outros NOVE MANDAMENTOS?

      A resposta obvia é NÃO!

      Mas veja, eu citei NOVE dos DEZ MANDAMENTOS, ou seja, os mesmos que dizem que a lei foi abolida, admitem que NOVE MANDAMENTOS dela ainda continuam em VIGOR.

      Se for assim, seria mais coerente de sua parte, de sua teologia, pararem de dizer que a LEI foi ABOLIDA e se limitarem a dizer que apenas o SÁBADO foi ABOLIDO. Mas o problema é que não há nenhuma citação no novo testamento que confirme isso.

      Os católicos nesse sentido são mais coerentes quando admitem que a igreja católica MUDOU o SÁBADO para o DOMINGO, que ela teria autoridade para isso. Eles são mais coerentes com sua teologia.

      Agora, o problema neste caso é até que ponto preciso da bíblia para descobrir o que devo fazer se a igreja tem autoridade para mudar aquilo quando considerar conveniente. Se for assim, é melhor embasar meu comportamento mais nos ensinos de uma encíclica PAPAL do que numa carta do apóstolo Paulo.

      CONTINUANDO ...

      Excluir
    4. E por que?

      Simples, por que o apóstolo Paulo já morreu a muito tempo e seu escrito foi feito a mais de 2000 anos. Muitas vezes os teólogos tem que quebrar a cabeça com intermináveis exercícios de exegese para tentar entender o que Paulo quis dizer e como aplicar aquilo aos nossos dias.

      Já a encíclica papal é atual e não preciso me debater com hermenêutica para entender seu real significado. Para isto basta ir a Roma e perguntar ao SUMO PONTÍFICE o que ele quis dizer com aquilo e pronto.

      Esse exercício já não dá para fazer com o apóstolo Paulo.

      Quando digo que os católicos são mais coerentes ao afirmarem que a igreja MUDOU o SÁBADO para o DOMINGO, por que tem autoridade para isto, isto não significa que eu concorde com essa autoridade.

      Esse contexto de dizer que a igreja pode MUDAR por que está AUTORIZADA a fazer isto, coloca o MAGISTÉRIO e a TRADIÇÃO da igreja acima das escrituras, pois esta, tem AUTORIDADE de MODIFICAR um MANDAMENTO que estava ali registrado por escrito.

      E isto para que você saiba, contraria a própria CONSTITUIÇÃO DOGMÁTICA “DEI VERBUM”, segundo a qual:

      “A TRADIÇÃO DA IGREJA NÃO PODE TER POR OBJETIVO SER MAIOR QUE AS ESCRITURAS E QUE SEU PAPEL É TRANSMITIR AQUILO QUE FOI DADO POR ESCRITO AOS APÓSTOLOS E PROFETAS”.

      Em outras palavras, a igreja foi coerente num aspecto, mas não tão coerente em outro. Mudar um mandamento dado por Deus por ordem eclesiástica, Papal ou seja lá de quem for, para mim é um assunto muito sério e que não deveríamos ariscar este erro.

      Mas por fim, entenda mais uma vez!

      O SÁBADO não SALVA ninguém!

      Não é o SÁBADO que leva uma pessoa para o Céu!

      Então por que eu guardo o SÁBADO?

      Por três motivos:

      1- Primeiro por que amo ao Deus que me pediu para fazê-lo.

      2- Por que anuncio ao mundo que eu creio no criador do universo. O SÁBADO é o memorial da Criação.

      3- Por que o SÁBADO me faz bem.

      E o que evito de fazer neste dia, já que estou com Deus todos os dias da semana! Ou seja, se Deus está comigo no DOMINGO, SEGUNDA, TERÇA, QUARTA, QUINTA E SEXTA por que algumas coisas se tornam ofensivas só no SÁBADO?

      Afinal, não estou com Deus todos os dias?

      Deixe-me responder colocando a coisa assim:

      Eu e minha esposa trabalhamos juntos no mesmo Centro Universitário, o UNASP. Somos professores lá. Salvo em períodos em que estou viajando, eu e minha esposa almoçamos juntos todos os dias em casa, e temos uma convivência matrimonial muito agradável. Nós rimos juntos, conversamos o tempo todo, em fim, é um casamento com uma rotina muito feliz. Mas no dia 11 de abril, é nosso ANIVERSÁRIO de CASAMENTO, por mais que convivamos juntos todos os dias há coisas que neste dia não são de bom tom mesmo que NÃO sejam ERRADAS em SI mesmas. Imagine por exemplo que eu deixe minha esposa em casa no dia de ANIVERSÁRIO de CASAMENTO para ir jogar BOLA com meus amigos. O jogo em si NÃO é PECADO, mas se tornou CRIME se eu no dia do aniversário de casamento o coloco em PRIORIDADE ACIMA da comemoração com minha esposa.

      Assim, também é com o SÁBADO!

      O SÁBADO é o dia em que comemoro o meu aniversário só que dessa vez semanal com Cristo Jesus. E algumas coisas não são bem vindas nessa situação.

      Mas atenção:

      o dia 11 de abril só tem sentido na minha vida por que eu vivo bem com minha esposa nos demais dias do ano, ai sim, eu tenho o que comemorar nesse dia, se não, aquela data seria um dia de tristeza e não de alegria.

      Da mesma forma se da com SÁBADO.

      Se eu não me relacionar bem com JESUS nos demais dias da semana, esse feriado religioso será apenas um RITUAL VAZIO, LEGALISTA e SEM SIGNIFICADO.

      É por isso que eu guardo o SÁBADO o DIA DO SENHOR! E convido você também a fazê-lo.

      Esta é uma benção, você vai ver!

      Bem, espero ter respondido algumas das questões e testemunhado a você por que guardo o SÁBADO, mas isso não faz de mim melhor do que você! Somos cristãos em busca do nosso SALVADOR.

      Que Deus os abençoe!”"

      (Pr Dr Rodrigo Silva)

      Excluir
    5. "Vi que o sábado é e será a parede de separação entre o verdadeiro Israel de Deus e os descrentes; e que o sábado é a grande questão a unir os corações dos queridos santos de Deus que O aguardam."

      quem afirmou isso??

      Excluir
    6. Olá irmão Fernando Costa, a paz do Senhor!

      E qual o problema com a citação?

      Um forte abraço!

      Excluir
  28. De acordo com estudos, me parece que nem sábado e nem domingo coincidem com o "SHABAT" dos Hebreus, segundo o calendário LUNISSOLAR, antigo, usado por eles, que com certeza não era o Calendário Gregoriano, vejam:

    Os Judeus Admitem! "O verdadeiro calendário foi mudado."

    Suposições são perigosas, especialmente quando estão relacionadas à religião. Se uma crença teológica é baseada numa suposição falsa, a prática dessa religião estará em erro. Uma suposição comum feita por sabatistas que guardam o sábado é que o dia sábado tem que ser o sábado da Bíblia por que é o dia que o judeus guardam. O raciocínio é este: “Os judeus nunca guardariam nenhum dia que não fosse o sábado verdadeiro. Assim, o dia sábado tem que ser o sábado verdadeiro porque é quando os judeus adoram.” Um excelente exemplo de raciocínio circular!

    É verdade que os judeus nunca perderam a noção do verdadeiro sábado. No entanto, os próprios judeus admitiram que deliberada e conscientemente mudaram o seu calendário pelo qual o verdadeiro sábado havia sido calculado. Durante o século IV DC, a perseguição de todos os que usavam o calendário bíblico para a adoração foi tão intensa que, no final, os judeus desistiram do seu calendário transmitido desde a Criação através de Moisés e adotaram um calendário ajustado para para a adoração no calendário Juliano.
    Picture
    Os judeus são abertos em admitir o fato de que o calendário original foi anulado sob a intensa perseguição romana de todos os que usavam o calendário bíblico, no século IV DC "Sob o reinado de Constâncio (337-362) as perseguições dos judeus chegou a uma altura que. . . o cálculo do calendário foi proibido, sob pena de punição severa. "(1)

    Há três áreas principais em que o calendário original difere do falsificado:

    Calendário do Criador é luni-solar. Isto significa que o ano é solar, mas os meses são lunares, seguindo o ciclo lunar.
    O ano começou originalmente com a nova vida na primavera, no momento da colheita da cevada. Sendo que o calendário Juliano/Gregoriano é um calendário solar, as falsificações honram o deus sol começando o ano logo após o "renascimento" do deus do sol no solstício do inverno. (2)
    A maior diferença entre as falsificações e o calendário genuíno encontra-se no ciclo semanal. O calendário pagão Juliano/Gregoriano tem um ciclo semanal contínuo. O calendário original estabelecido na Criação, não. O ciclo semanal reinicia a cada lua nova.

    ResponderExcluir
  29. Continuação...

    A maior diferença entre as falsificações e o calendário genuíno encontra-se no ciclo semanal. O calendário pagão Juliano/Gregoriano tem um ciclo semanal contínuo. O calendário original estabelecido na Criação, não. O ciclo semanal reinicia a cada lua nova.

    Esses fatos são livremente admitidos por estudiosos judeus. O Rabino Louis Finklestein do Seminário Americano de Teologia Judaica foi selecionado pelo Kehillas of the World (Comunidades Judaicas) como um dos 120 judeus que melhor representou "uma lâmpada do judaísmo" para o mundo. Em uma carta ao Dr. L.E. Froom, datada de 20 de fevereiro de 1939, Finklestein admitiu: "O atual calendário judaico foi mudado [ajustado] no século IV." (3) Maimonides e a maioria dos outros judeus cronologistas concordam que o calendário judaico moderno é baseado nos "movimentos médios do sol e da lua, com o verdadeiro [calendário] tendo sido anulado." (4)
    Picture
    A Lua Nova ainda é, e o sábado foi originalmente, dependente do ciclo lunar... Originalmente, a Lua Nova era celebrada da mesma forma como o sábado; gradualmente tornou-se menos importante, enquanto o sábado se tornou mais e mais um dia de religião e de humanidade, de meditação e instrução religiosa, de paz e deleite da alma. (5)

    Com o desenvolvimento da importância do sábado como um dia de consagração e a ênfase colocada sobre o significativo número sete, a semana tornou-se mais e mais distante da sua conexão com a lua. . . . (6)

    Os meses do ano eram lunares, e começavam com a lua nova (“hodesh”, que veio a significar "mês"). Durante a era dos Reis a lua nova era observada através de um festival de dois dias (1 Sam. 20:24 -47.) (7)

    Durante o tempo de Cristo, os israelitas estavam usando o calendário original, dado por Moisés. O sumo sacerdote, que foi selecionado a partir da classe dominante dos saduceus, era encarregado de declarar quando um novo mês tinha começado. Os fariseus, cujas "tradições dos homens" Cristo tão enfaticamente denunciada, não controlavam o calendário. Este é um ponto muito importante porque o calendário em uso atualmente é um calendário elaborado pelos fariseus e justificado por sua tradição oral.

    Com a destruição do Templo (70 DC), os saduceus desapareceram por completo, deixando a regulamentação de todos os assuntos judaicos nas mãos dos fariseus. Daí em diante, a vida judaica foi regulamentada pelos fariseus; toda a história do judaísmo foi reconstruída a partir do ponto de vista dos fariseus, e um novo aspecto foi dado ao Sinédrio do passado. A nova cadeia de tradição suplantou a antiga tradição sacerdotal (Abot 1:1). Fariseísmo moldou o caráter do Judaísmo bem como a vida e o pensamento dos judeus para todo o futuro. (8)
    Picture
    ...
    ...
    ...
    Desde os tempos bíblicos os meses e anos do calendário judaico foram estabelecidos pelos ciclos da lua e do sol. A lei tradicional prescreve que os meses devem acompanhar de perto o curso da lua. . . Nos primeiros tempos da nossa história a solução foi encontrada pelo seguinte procedimento prático: O início dos meses era determinado pela observação direta da lua nova.

    Se Alguém se interessou e quiser ler o resto do texto dirija-se ao link: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:sON3wQvViEgJ:buscandoverdade.weebly.com/saacutebado-o-seacutetimo-dia.html+&cd=1&hl=pt-PT&ct=clnk

    E Ainda temos estudos sobre o Calendario LUNISSOLAR usado na realidade pelos Hebreus, segundo a Torá, que pode se acompanhado mês a mês, atualmente, pelos que desejam saber a verdade, no link:

    CALENDÁRIO LUNISSOLAR
    http://calendariolunissolar.blogspot.com.br/

    Atenciosamente,

    Francisco Alberto

    ResponderExcluir
  30. ALEXANDRE DIETRICH,

    Saudações Cristãs!

    Para que esteja melhor informado, não esqueça que:

    Houve uma Ruptura entre o Caminho(Cristianismo nascente) e o Judaísmo

    Então esta história de Cristãos estarem se reunindo pacificamente com Judeus aos sábados nas sinagogas, não ocorria mais, pois foi movida uma perseguição contra os Cristãos pelos Judeus, veja como é verdade!!!

    1 Tessaloniceses 2

    13 E existe outra razão pela qual sempre damos graças a Deus. Quando levamos a vocês a mensagem de Deus, vocês a ouviram e aceitaram. Não a aceitaram como uma mensagem que vem de pessoas, mas como a mensagem que vem de Deus, o que, de fato, ela é. Pois Deus está agindo em vocês, os que crêem.
    14 Meus irmãos, o que aconteceu com vocês já havia acontecido também com as igrejas de Deus na Judéia, com o povo dali que pertence a Cristo Jesus. VOCÊS FORAM PERSEGUIDOS PELOS SEUS PRÓPRIOS PATRÍCIOS, DO MESMO MODO QUE OS CRISTÃOS DA JUDÉIA FORAM PERSEGUIDOS PELOS JUDEUS.
    15 FORAM OS JUDEUS QUE MATARAM O SENHOR JESUS E OS PROFETAS E TAMBÉM NOS PERSEGUIRAM. Eles desagradam a Deus e são inimigos de todos.16 Tentam até nos impedir de anunciarmos a mensagem de salvação aos não-judeus. Com isso eles completam o total dos pecados que eles têm cometido. Mas agora o castigo de Deus caiu finalmente sobre eles.
    17 Irmãos, nós tivemos de nos separar de vocês por algum tempo. Estamos longe dos olhos, mas perto do coração. Sentimos muitas saudades de vocês e gostaríamos de vê-los outra vez.
    18 Por isso quisemos ir até aí e fazer uma visita a vocês. Pelo menos eu, Paulo, quis fazer isso mais de uma vez, mas Satanás não nos deixou.
    19 Afinal, quando o nosso Senhor Jesus vier, vocês e ninguém mais são de modo todo especial a nossa esperança, a nossa alegria e o nosso motivo de satisfação, diante dele, pela nossa vitória.
    20 Sim, vocês são o nosso orgulho e a nossa alegria!

    Continua....

    ResponderExcluir
  31. Cotinuação...

    Ao ALEXANDRE DIETRICH,

    Penso também que no Cristianismo houve algum afastamento de algumas regras do velho testamento, que criavam um muro de separação entre os Judeus, Cristãos e Gentios.

    Até Jesus e os apóstolos foram discriminados e perseguidos por causa do sábado, vejam estas passagens:


    JOÃO 5
    9 – Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar. Ora, aquele dia era sábado.
    10 – Pelo que disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito.
    16 – POR ISSO OS JUDEUS PERSEGUIRAM A JESUS, PORQUE FAZIA ESTAS COISAS NO SÁBADO.
    18 – Por isso, pois, os judeus ainda mais PROCURAVAM MATÁ-LO, PORQUE NÃO SÓ VIOLAVA O SÁBADO, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

    JOÃO 7
    22 – Moisés vos ordenou a circuncisão (não que fosse de Moisés, mas dos pais), e no sábado circuncidais um homem.
    23 – Ora, se um homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja violada, como vos INDIGNAIS CONTRA MIM, porque NO SÁBADO tornei um homem inteiramente são?

    JOÃO 9
    14 – Ora, era sábado o dia em que Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos.
    16 -Por isso alguns dos fariseus diziam: ESTE HOMEM NÃO É DE DEUS; POIS NÃO GUARDA O SÁBADO. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles.

    VEJA BEM!

    ESTAVA FICANDO IMPOSSÍVEL PARA JESUS E OS APÓSTOLOS CONVIVER ENTRE OS QUE GUARDAVAM O SÁBADO, POIS ERAM PERSEGUIDOS E ATÉ PROCURAVAM MATÁ-LOS POR CAUSA DO SÁBADO. E Isto continuou após a crucifixão de Jesus, conforme Paulo relata e 1 Tess 2:13 a 20.

    Então vieram as recomendações apostólicas, quanto a certos assuntos, principais motivos de discórdias, assim como é hoje.

    Faz sentido quando Paulo disse em Col 2:16 e Romanos 14:5 e 6

    “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida ou bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados”.
    "Algumas pessoas pensam que certos dias são mais importantes do que outros, enquanto que outras pessoas pensam que todos os dias são iguais. Cada um deve estar bem firme nas suas opiniões.
    Quem dá mais valor a certo dia faz isso para honrar o Senhor. E também quem come de tudo faz isso para honrar o Senhor, pois agradece a Deus o alimento. E quem evita comer certas coisas faz isso para honrar o Senhor e dá graças a Deus."

    No Contexto de Atos 15, mostra claramente esta ruptura e o surgimento de uma nova religião dentro de novos parâmetros.

    Dizem que toda generalização é burra, e é mesmo! Portanto, Muitos Judeus da época de Cristo, por tornarem-se Cristãos foram perseguidos, e também muitos que não eram cristãos, nunca concordaram com a perseguição acima referida.


    (VEJA BEM! OS JUDEUS NÃO SÃO ANTI-CRISTÃOS, HOJE. ISTO FOI PASSADO E PENSO QUE NUNCA MAIS SE REPETIRÁ, MUITO PELO CONTRÁRIO OS CRISTÃOS HOJE GOSTAM DOS JUDEUS E PENSO QUE ELES GOSTAM DOS CRISTÃOS), INCLUSIVE EXISTEM MUITOS JUDEUS CRISTÃOS.

    Saiba mais - Sobre a Ruptura entre Cristãos e Judeus - Desenrolar e graves consequências
    No link: http://www.projetoresgatar.com.br/lernoticia.asp?id=3

    Saúde!

    Francisco Alberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Francisco Alberto,

      Que o Senhor esteja com vc...

      Gostaria de lhe perguntar uma coisa...

      Jesus Cristo violou/transgrediu o Sábado?

      Fique com Deus e tenha um ótimo fim de semana.

      Excluir
    2. Olá Gilson Tenório!

      Que O Senhor também esteja contigo!

      No meu entender não, mas de acordo com os religiosos da época sim!

      Outra, segundo eles, Jesus teria também teria transgredido o primeiro mandamento, que diz: "Não terás outros deuses diante de mim", quando disse: 14.9 Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?

      Você acha que eles tinham razão?

      Saúde!

      Excluir
    3. Olá irmão Francisco A. de Azavedo, a paz do Senhor!

      O irmão está corretíssimo!

      Jesus não pecou! Até por que o irmão sabe que Jesus não poderia pecar, se não, Ele não poderia ser "O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO".

      Diante disso, a sua pergunta sobre os ESCRIBAS e FARISEUS de terem ou não RAZÃO de acusar a Jesus só pode ter uma resposta:

      Não, eles não tinham RAZÃO!

      Caso eles tivessem RAZÃO, Jesus não mais poderia ser o "CORDEIRO" sem "DEFEITO" e sem "MANCHA". E estaríamos perdidos.

      O diálogo entre Jesus e os ESCRIBAS e FARISEUS, nunca foi em relação ao SÁBADO ser abolido ou se ele estaria ainda em vigor, mas qual deveria ser a forma CORRETA de OBSERVÁ-LO!

      O ESCRIBAS e FARISEUS também acusaram a JESUS de BLASFÊMIA. Eles tinham RAZÃO?

      Claro que não!

      E na acusação de IDOLATRIA, eles tinham RAZÃO? IDEM!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    4. ALEXANDRE DIETRICH,

      Saudações Cristãs!

      Sabia que vocês estão guardado o sábado no dia errado?

      Você respondeu uma pergunta feita ao Tenório, me parecendo que você não leu os textos que postei, sobre os "JUDEUS ADMITEM, O VERDADEIRO CALENDÁRIO FOI MUDADO", postado em Francisco A. de Azevedo 21 de maio de 2014 12:25 .

      Também parece não saber que postei um link de Estudos sobre o verdadeiro calendário usado pelos Hebreus, ou seja, "O CALENDÁRIO LUNISSOLAR"
      http://calendariolunissolar.blogspot.com.br/

      Aproveita e assiste também um pequeno vídeo de titulo: Linha Internacional de Mudança de Data: Sábado Inalterado? no link -
      https://www.youtube.com/watch?v=PIoCAIljiQs

      Por favor antes de responder leia todos os comentários que postei e assista ao vídeo acima, PARA ENTENDER PORQUE EU DISSE QUE VOCÊS ESTÃO GUARDANDO O SÁBADO NO DIA ERRADO, OK?

      Saúde!

      Francisco Alberto

      Excluir
  32. Olá irmãos:
    Entendo que na nova aliança não foi imposto nenhum dia de guarda com força de lei.
    O descanso nada mais é que descanso e Deus deve ser adorado todos os dias, não no sábado ou domingos.
    Deus não mais faz diferença entre os dias.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Papamentira, a paz do Senhor!

      O irmão tem toda a razão!

      Devemos adorar a Deus todos os dias!

      O irmão só esqueceu de um detalhe!

      De todos os dias que devemos adorá-lo, Ele SANTIFICOU e ABENÇOOU apenas UM! Que tenho certeza que o irmão sabe qual é! E tenho certeza que você também sabe que foi Deus quem o INSTITUIU, ou seja, o outro é uma INSTITUIÇÃO HUMANA, não bíblica e o mais incrível é que o defendem como se fosse.

      E em seu primeiro PARÁGRAFO, na Nova Aliança existe algum dia que não deveria mais ser OBSERVADO?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    2. Não há mandamento de guarda de dia nenhum aos "gentios " na nova aliança.
      O que vemos é apenas advertências contra aqueles que ainda praticavam as leis Judaicas; veja:

      “Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós, que não haja trabalhado em vão para convosco.”
      Gálatas 4:9-11.

      Romanos 14:5,6 - “Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz.”

      Esse texto à baixo já lhe foi detalhadamente explicado por um participante logo à cima, mas o Sr. "correu da raia" como o tinhoso da cruz, então viu citá-lo novamente:

      “Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo” (Cl.2:16,17)



      Para fugir à evidência de Cl.2:16-17, onde Paulo se refere ao Sábado semanal como integrante das coisas passageiras da Lei que terminaram com a morte de Cristo na cruz, os sabatistas costumam argumentar que a palavra “Sábado” não se refere ao sábado semanal, mas aos anuais ou cerimoniais de Lv.23. O que não é verdade, pois os sábados anuais ou cerimoniais já estão incluídos na expressão “dias de festa”. Esta indicação mostra positivamente que a palavra SABBATON, como é usada em Cl.2:16, não pode se referir aos sábados festivos, anuais ou cerimoniais.

      Comparando com Oséias 2:11:
      “E farei cessar todo o seu gozo, as suas festas, as suas luas novas, e os seus sábados, e todas as suas festividades.”

      Paulo afirma que não faz diferença se alguém guarda um dia e se outro guarda outro pois tudo isso é coisa indiferente. Ninguém é proibido de guardar algum dia, embora Paulo deixe claro que isso seja totalmente desnecessário a luz da Nova Aliança (Gl.4:10,11; Cl.2:16; Rm.14:5,6), mas ninguém também é obrigado, de maneira nenhuma, a observar qualquer dia que seja. “Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente”!



      Devemos nos apresentar ao Senhor como “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o culto racional” (Rm.12:1), e não a observância obrigatória de algum dia em que não podemos realizar trabalho algum.

      Se tiver alguma menção de obrigatoriedade de guarda do sábado aos gentios e eu não me atentei, fique a vontade Sr Alexandre para me apresentar tal texto.

      Abraço:

      Cesar Talles



      Excluir
  33. Luciano, eu acredito que nós, cristãos atuais, precisamos aprender a valorizar mais o Domingo, não de forma legalista, mas de forma piedosa. Muitos crentes não valorizam mais a escola dominical e nem os cultos do Dia do Senhor. Percebemos em Atos dos Apóstolos uma profunda reverencia pela Ceia do Senhor e pelas coisas concernentes ao Reino de Deus. Hoje o domingo se tornouum mero dia de lazer. Entendo que nós, cristãos, temos direito ao lazer saudável, mas o Domingo para nós deve ser um dia de consagração a Deus. Acho que devemos resgatar em nosso meio a santidade do Domingo. Paz e graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Sales Santos, a paz do Senhor!

      O irmão está corretíssimo!

      O "DIA do SENHOR" de mesmo ser CONSAGRADO a DEUS!

      O irmão só se equivocou em relacionar como "DIA do SENHOR" como sendo o "DOMINGO", mas é o "SÁBADO"!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  34. O Irmão Paulo Cadi perguntou ao irmão Alexandre onde estão os ensinamentos quanto a guarda do sábado aos gentios no novo testamento (nova aliança). Vejamos a resposta do irmão Alexandre:

    (O tema do sábado não era tão necessário à discussão ou ao aconselhamento já que todos guardavam o SÁBADO.

    Seria como “ensinar um PADRE a REZAR”.)


    Todos guardavam o sábado??????????????????

    Bom; já que Deus nos deu um cérebro e estamos livres e até aconselhados a usa-lo, vamos fazer uma analise da resposta do amigo Alexandre.

    Segundo essa resposta, parece que o mundo todo guardava o sábado na época de Paulo, pois não necessitavam ser ensinados em nada quanto a guarda do tal "selo de Deus". Seria até "ensinar padre rezar missa".

    Será que é isso mesmo? Ficaram convencidos???

    A bíblia então omite informações tão importante e o apóstolo Paulo também, passando a ensinar os gentios somente através do exemplo.
    Olha; chega até ser cômica essa resposta "enlatada" dos adventistas.
    Completamente sem lógica, inventada apenas para defender a doutrina deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia irmão "papamentira"!

      Vc discorda que todos os judeus guardavam o Sábado mesmo com tantas evidências de Paulo, os apóstolos e até mesmo Jesus, o Senhor do Sábado?

      Lembremos que todas ele eram Judeus e praticavam todas as Leis estabelecidas, até mesmos os gentios sabiam que o povo Judeu guardavam o Sábado e o respeitavam quando estavam nas cidades Judias.

      E como irmão ALEXANDRE DIETRICH disse "O tema do sábado não era tão necessário à discussão ou ao aconselhamento já que todos guardavam o SÁBADO".

      Nada mais coerente de se analisar desta forma. Acho até, que, o Sr. Luciano Sena e Paulo Cadi (opositores) não discordam disso.

      Obs: O Sr. Luciano Sena sempre pede para nos identificarmos para podermos continuarmos no blog.

      Fique com Deus.

      Excluir
    2. Olá irmão Gilson:

      Acho que o irmão não entendeu direito a pergunta!

      Estamos falando de "gentios" e não de Judeus.

      Quando Paulo chegava para evangelizar uma cidade distante não deveria ensinar-lhes a guardar o "santo" sábado?
      Entendeu a questão agora?

      Os povos gentios não praticavam a guarda do sábado, então não deviam ser ensinados da suposta importância da guarda desse dia?
      Não deveriam ser instruídos de como guarda-lo?

      Abraço irmão Gilson!

      Ass- Cesar Talles

      Excluir
  35. Segundo os ensinamentos da profetisa adventista E. G. White e das doutrinas ASD guardar o sábado "de por do sol ao por do sol" implica em "salvação"!
    Quem assim faz, recebe o suposto "selo de Deus" e salvo está.
    Isso é para todos os povos e não apenas para os Judeus!
    Nem precisamos citar os versos, pois quem tiver dúvida que dê uma pesquisadinha nos materiais e estudos bíblicos adventistas.

    Mas será então que Deus não se deu conta que os povos que vivem próximos aos pólos da terra não poderiam receber o "selo" por mais de 120 dias por ano, visto que pico do verão e do inverno o sol não se põe!

    Um quarto do território da Finlândia está a norte do Círculo Polar Ártico e no ponto mais ao norte do país o sol não se põe por 60 dias durante o verão. Em Esvalbarda, na Noruega, a região mais habitada do norte da Europa, não há pôr do sol de aproximadamente 19 abril a 23 agosto. Os locais extremos são os pólos onde o sol pode ser continuamente visível durante metade do ano.

    O fenômeno inverso, noite polar, ocorre no inverno, quando o sol permanece abaixo do horizonte durante todo o dia.

    http://www.terraselvagem.com/artigos/120605-sol-da-meia-noite/

    E aí adventistas "selados" pelo sábado; a guarda do sábado é para todos os povos ou não?

    Como faz onde o sol não se põe?

    O que a vossa "profetisa" diz sobre isso?

    Não vão para o céu quem vive nessas regiões?

    O que o legalismo de vossas doutrinas diz sobre essa questão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Cesar Telles, a paz do Senhor!

      O irmão conhece algum adventista que more na Finlândia?

      Pergunte a um deles como OBSERVAM o SÁBADO nos 60 dias sem POR do SOL?

      Eu sei!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    2. Certamente não é como a bíblia manda o israelitas guarda-lo!

      Devem ter criado algum jeitinho de guardar o sábado de sua própria maneira; bom mas isso se faz também no Brasil, não é?

      Abraço:

      Cesar Talles

      Excluir
  36. Papamentira, exatamente! É só ler em Êx.20, (e outros textos), que logo se vê, pela própria Torah, que a observância do total e absoluto repouso no dia de sábado, era válido somente dentro das fronteiras de Israel; e enquanto eles estavam em sua jornada para a terra prometida, onde Israel acampava era onde estavam as suas fronteiras!

    À quem interessar, peço que leiam os meus comentários as objeções do Alexandre Dietrich; eles estão aí em cima - 22/05/2014, as 13:52 . 14:49 . 15:59. 16:37 . 19.22.

    Penso que poderiam ser de proveito aos demais participantes e leitores. Obrigado.

    ResponderExcluir
  37. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

    Lembre-se irmão que não sou eu nem você quem convence as pessoas, mas o ESPÍRITO SANTO! ELE nos guia a TODA a VERDADE. ELE nos convence da JUSTIÇA, do PECADO e do JUÍZO!

    FELIZ SÁBADO o "DIA do SENHOR"!

    Um forte abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, eu já refutei os seus argumentos. Me mostre onde um Apóstolo de nosso Senhor Jesus, ordenou os cristãos, observarem o sábado.

      NÃO EXISTE!

      Excluir
    2. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      Você refutou?

      Aonde?

      Vou usar seu próprio argumento:

      Onde um Apóstolo ordenou a NÃO OBSERVÂNCIA do SÁBADO?

      Não EXISTE!

      Onde um Apóstolo ORDENOU a OBSERVÂNCIA do DOMINGO?

      Não EXISTE!

      No Novo Testamento existem vários EXEMPLOS de GUARDA do SÁBADO inclusive do próprio SENHOR do SÁBADO! JESUS, se lembre?

      Mostre-me o exemplo de JESUS GUARDANDO o DOMINGO?

      NÃO EXISTE!

      Mostre-me o exemplo de um Apóstolo se quer GUARDANDO o DOMINGO?

      NÃO EXISTE!

      O irmão refutou "TODOS meus COMENTÁRIOS"? Só se foi com a PATRÍSTICA!

      FELIZ SÁBADO o "DIA do SENHOR"!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  38. ALEXANDRE DIETRICH,

    Por favor vá ao comentário:
    Francisco A. de Azevedo23 de maio de 2014 17:42
    ALEXANDRE DIETRICH,

    E leia-o todo, assista o vídeo indicado, e por favor, só depois disto, dê o seu parecer.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  39. Olá irmão Francisco A. de Azevedo, a paz do Senhor!

    Quem quer, faz!

    Quem não quer arruma desculpa!

    FELIZ SABADO!

    Um forte abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  40. Entenda irmão Francisco, o fato de não existir por do sol por 60 dias, isto quer dizer que os 60 dias passariam a ser um único dia?

    A ano passaria a ter apenas 306 dias, pois 60 dias passariam a ser apenas um?

    O dia deixaria de ter 24 horas?

    O movimento de ROTAÇÃO da terra é o movimento em torno de seu próprio eixo!

    Na Finlândia ao norte, o movimento de ROTAÇÃO NÃO OCORRE?

    No movimento de ROTAÇÃO ao norte da Finlândia no VERÃO, não ocorrem as 24 horas de um dia completo na ROTAÇÃO?

    Se o sábado não poderia ser OBSERVADO (24 HORAS) por isso, o DOMINGO poderia ser OBSERVADO?

    FELIZ SÁBADO o "DIA do SENHOR"!

    Que Deus te abençoe ricamente não apenas em Seu Santo Dia, mas em todos os dias!

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Alexandre:

      A bíblia jamais falou em guardar o sábado em "24 horas", de onde você tirou esse ideia?
      A bíblia orientava os Israelitas a guardarem o sábado de por do sol ao por do sol.
      Entenda que é a orientação bíblica, querido!
      Porque o mandamento era especifico para aquele povo e não para todos os povos da terra onde inclusive como já mostrado, é impossível guarda-lo.

      Entendo que essa como tantas outras é uma questão muito embaraçosa para vocês explicarem, mas temos que seguir as orientações bíblicas se julgarmos tão necessário santificar o sábado. Sem essa de 24 horas ou seguir o relógio digital para estarmos "selados".

      Excluir
  41. Irmão Francisco, a regra de por do sol NÃO é nossa!

    Ela está na bíblia!

    Quanto a está dúvida, e tantas outras que não estão relatadas na bíblia, eu vou perguntar ao próprio CRIADOR e desejo do fundo do meu coração que façamos esta pergunta e tantas outras JUNTOS para JESUS CRISTO!

    CALMA! Não estou dizendo que estarei lá por causa do SÁBADO! Eu sei que você sabe que somos SALVOS única e exclusivamente pela GRAÇA mediante a FÉ! NINGUÉM é salvo e jamais o SERÁ POR OBRAS da LEI!

    Apenas desejo do fundo do meu coração estar lá e que o irmão também esteja lá! Amém!

    Ah, e por não haver por do sol por 60 dias lá, isso significaria que elas HIBERNARIAM por 60 dias ou não DORMIRIAM por 60 dias pela falta do por do sol?

    Claro que não, a vida continua normalmente!

    Todos controlam suas vidas normalmente, com o SÁBADO NÃO é diferente!

    Um forte abraço!

    FELIZ SÁBADO!

    ResponderExcluir
  42. ALEXANDRE DIETRICH,

    DISSE: VOCÊS ESTÃO GUARDANDO O SÁBADO NO DIA ERRADO,OK?

    POR FAVOR NÃO ESCREVA NADA ANTES DE LER TUDO QUE TE PEDI E ASSISTIR AO VÍDEO INDICADO, pois está entrando em assuntos dos quais não falei... calma! vá devagar! leia o que eu quis dizer, antes de se precipitar!!! Por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Francisco, a paz do Senhor!

      Ajude-me por favor?

      Onde citei isso:

      "VOCÊS ESTÃO GUARDANDO O SÁBADO NO DIA ERRADO"

      É serio! Me mostre por favor! Se escrevi, eu corrijo!

      Boa noite!

      Excluir
    2. ALEXANDRE DIETRICH,

      Muito bem! Agora você percebeu o que eu quis dizer! Quem disse isto fui eu e não você, ok?

      Agora peço-lhe: Leia os tópicos dos links abaixo e assista ao vídeo, que vou postar de novo pois parece que não sabe do que estou falando...

      1 - Calendário Lunissolar - http://www.acongregacao.org.br/calen/calen2.htm - Veja que os sábados de Maio/2014, não batem com os SHABATS!

      2 - O Judeus admitem - "O Verdadeiro calendário foi mudado" - http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:sON3wQvViEgJ:buscandoverdade.weebly.com/saacutebado-o-seacutetimo-dia.html+&cd=1&hl=pt-PT&ct=clnk

      3 - Linha Internacional de Mudança de Data: Sábado Inalterado? no link -
      https://www.youtube.com/watch?v=PIoCAIljiQs

      Só depois que você estudar estes assuntos e saber do que estou falando, então poderá opinar sobre o assunto com conhecimento de causa, poderemos voltar a discutir o assunto; caso contrário não compensa continuar nosso diálogo.

      Peço sua compreensão e tolerância!

      Saúde!

      francisco Alberto

      Excluir
    3. Olá irmão Francisco Alberto, a paz do Senhor!

      Irmão Francisco, da forma como você escreveu:

      "ALEXANDRE DIETRICH,

      DISSE: VOCÊS ESTÃO GUARDANDO O SÁBADO NO DIA ERRADO,OK?"

      Assim quer dizer que eu fui o autor!

      Mas depois você afirmou acima que foi você que afirmou!

      Então não entendi!

      Você errou ou foi de propósito?

      Vamos supor que a teoria acima esteja certa (não acredito nela) e que você acredita nela:

      Como você faria para OBSERVAR o DOMINGO ao norte da Finlândia se o SOL não se poe por 60 dias?

      Você esperaria por 60 dias, até iniciar o ciclo semanal novamente?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  43. Eu quero debater, somente com o Alexandre Dietrich. Ele NÃO teve condição de responder o que escrevi; então eu quero um debate, somente com ele; eu quero ver se ele ele entende de Biblia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Paulo Cadi, a paz do Senhor!

      Primeiro, não estou DEBATENDO, não é com espírito com o qual eu participo deste BLOG, mas sim como alguém que faz parte de alguns temas publicados pelo irmão Luciano Sena! E assim, me vejo no direito de expor também em que acredito.
      Considero isso um esclarecimento e posicionamento sobre alguma questão DISCORDANTE.

      Estou apenas DIALOGANDO.

      E digo mais: parabenizo o irmão LUCIANO SENA mais uma vez pela conduta ética-cristã de manter os COMENTÁRIOS de todos os participantes!

      Se eu entendo de bíblia? Quase nada!

      Estou aprendendo com você, só não concordo com algumas coisas do meu mestre!

      Como disse o irmão Josinaldo, "O irmão Paulo Cadi se acha o IRREFUTÁVEL". Será?!

      Mais uma vez FELIZ SÁBADO o DIA do SENHOR!

      Amanhã pela manhã, tenho que acordar cedo, pois, você já sabe, vou para o culto no DIA do SENHOR, o SANTO SÁBADO!

      Fora a adoração à Deus que é o principal, vou ter o privilégio de ter minha filha MARINA de 6 meses, ser apresentada à DEUS pelo Pr Josué! Assim, como Jesus sendo o primogênito, foi apresentado à Deus no TEMPLO!

      Não tenho palavra de agradecimentos a Deus por tamanha BENÇÃO!

      Obrigado SENHOR!

      MARANATA? O SENHOR LOGO VEM! AMÉM

      VEM SENHOR JESUS!

      Abraços irmão Paulo Cadi e fique com Deus!

      Excluir
    2. Irrefutável? Só nosso Senhor Jesus Cristo!

      Leia o decálogo, o seu CONTEÚDO, e me diga se o decálogo pode ser a lei eterna de Deus, antes de haver a criação.

      Você, como nasceu na igreja adventista, não consegue raciocinar de outro modo.

      Leia os meus comentários lá em cima e refutete eles.

      Ora, o que estão fazendo os adventistas, testemunhas de jeová e mórmons?

      No seu caso: um adventista foi para a igreja luterana; o seu pastor vai dizer: "Amén, que maravilha? Velho, não vem com conversa fiada.

      Excluir
  44. Prezados irmãos Alexandre Dietrich, Laerte Augusto e Gilson Tenório,

    Parabéns pelas respostas bíblicas que vc's dão aos prezados dominguistas, srs. Sena, Fernando, Cadi, Francisco, etc.
    A observância do sábado é amplamente defendida pela Bíblia enquanto que a guarda do domingo é sustentada por conjecturas, achismos, considerações hipotéticas acerca de alguns versos bíblicos que citam o "primeiro dia da semana"...

    Gostaria de citar aqui um comentário do sr. Paulo Cadi, porque, quanto mais ele fala, mais me dar motivos para rir dele. Interessante é que ele se acha o irrefutável! Pode?! (rsrs)
    Este dominguista disse que a "principal fonte primária" seria apenas o Novo Testamento.
    Ora, sr. Cadi, o próprio Cristo disse que a "Escritura" como um todo é que deve ser examinada (Jo.: 5.39) pelo servo dEle, aliás, quando Ele afirmou isso, o NT ainda nem estava escrito. O apóstolo Paulo também disse que "Toda a Escritura é inspirada por Deus" (2 Tim.: 3.16) e não apenas parte dela.
    Portanto, a Escritura como um todo é a PRINCIPAL FONTE PRIMÁRIA e não apenas parte das Sagradas Letras.
    Como o sr. Cadi quer ter credibilidade no que diz se ele fica atacando parte da Palavra de Deus, o Antigo Testamento? Como levar a sério um indivíduo desses? Não dar, né?! É só pra rir de um coitado desses! (rsrsrs)

    Tenho dois questionamentos para os dominguistas:
    1 - A Escritura chama o sétimo dia de "o santo sábado do SENHOR" (Êx.: 16.23). Se houve a mudança no descanso semanal do AT para o NT, onde, a partir da primeira vinda de Cristo, temos uma expressão sobre o primeiro dia da semana como sendo "o santo domingo do Senhor"?
    Basta isso para a finalizar a discussão!

    2 - O sr. Sena e o Wilton ainda não disseram qual é o dia mais importante para o cristão: a sexta em Cristo morreu na cruz ou o domingo em que Ele ressuscitou. Alguém poderia responder?

    Com a palavra os dominguistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês não respondem aos meus comentários, mas se desviam, porque não tem resposta, já que tenho mostrado as contradições de White com relação a Bíblia, e também que vocês não observam o repouso no sábado, segundo a TORAH, que é a única que tem autoridade para legislar sobre o que se deve e não deve fazer no sábado.



      Excluir
    2. Sr. Cadi,

      Não dar para levar a sério uma pessoa que vive atacando a Palavra de Deus, no caso, o Antigo Testamento. Como responder a um indivíduo desses que não crer na vigência das Escrituras Sagradas? É algo análogo à uma conversa com um ateu!

      EGW foi uma mulher do SENHOR, portanto, vc nunca vai nos provar nada contra ela, desista!
      Em nossos comentários, não citamos os escritos de EGW para defendermos as doutrinas bíblicas pregadas pelo adventismo. Até porque, fazer tais citações não é necessário, pois nossa única regra de fé e prática é a Bíblia Sagrada.

      Excluir
  45. Respostas
    1. FELIZ SÁBADO, IRMÃO ALEXANDRE!

      Parabéns pela apresentação de sua bebê, Marina, na Casa do Senhor! Fiz o mesmo com a minha amada Pérsida Esther (hoje com 10 meses).

      Que o Pai Eterno permaneça com todos nós!

      Excluir
    2. Sim Josinaldo!
      Para vocês que ainda vivem na "antiga aliança", Deus continua habitando em templos criados por homens!



      Excluir
  46. Só uma pequena correção para que não haja a menor dúvida na minha pergunta 1 do meu comentário acima, (23/05/2014, às 21h41):

    Onde se lê:
    "1 - A Escritura chama o sétimo dia de "o santo sábado do SENHOR" (Êx.: 16.23). Se houve a mudança no descanso semanal do AT para o NT, onde, a partir da primeira vinda de Cristo, temos uma expressão sobre o primeiro dia da semana como sendo "o santo domingo do Senhor"?"

    Leia-se:
    1 - A Escritura chama o sétimo dia de "o santo sábado do SENHOR" (Êx.: 16.23). Se houve a mudança no descanso semanal do AT para o NT, onde, na Palavra de Deus, a partir da primeira vinda de Cristo, temos uma expressão sobre o primeiro dia da semana como sendo "o santo domingo do Senhor"?
    Basta isso para finalizar a discussão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que eu quero saber de vocês é o seguinte:

      O sábado é o descanso de Deus ou do homem?

      Excluir
    2. Prezado Felipe,

      A Escritura responde ao seu questionamento:
      Gên.: 2.1-3: "Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército... E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou..."

      Mar.: 2.27: "... o sábado foi estabelecido por causa do homem... o Filho do homem é senhor ... do sábado."

      Agora poderia responder às nossas indagações, sr. Felipe?

      Excluir
    3. Se o descanso é de Deus, não se trata de um descanso físico pois Deus é Espírito e não se cansa. Sem contar que Deus não esta preso na relação tempo x espaço logo não ha diferença entre dias, meses e anos. A percepção de tempo do homem é linear a de Deus não.

      Excluir
    4. Prezado Felipe,

      Isto é o melhor que vc pode fazer? Filosofar, conjecturar, liberar geral (nem sábado, nem domingo, nem sexta), promover um descompromisso com o Eterno? Olha, tá ruim desse jeito, viu?

      Excluir
    5. Não é descompromisso, o meu entendimento que é diferente do seu.

      Paulo pregou a espiritualização da lei, entenda que a santificação é dom de Deus e não dos homens. Você não pode usar a lei como instrumento de santificação ( para que o sábado serviu de sinal segundo êxodo 31:13 ? )

      Nunca haverá uma lei dizendo proibido bater asas e voar para nós, afinal de contas, voar não faz parte da nossa natureza, porém, somente pelo simples fato de haver uma lei dizendo não matar ou não furtar significa que em nos há uma tendência a praticar aquilo que é errado caso contrário não haveria necessidade de lei.

      A lei é feita para os injustos e pecadores leia 1 Timóteo 1:9-10.

      A pregação de Paulo foi toda em torno da espiritualizaçao da lei, é so ler suas epístolas. Da pra perceber que seu entendimento desse assunto não leva isso em conta.

      Excluir
  47. Claro deixar claro, uma coisa.

    Existem cristãos que acreditam que houve a mudança de dia, do repouso no sábado para o domingo.

    Agora, existe uma grande parte dos cristãos, (e nesse grupo, eu me incluo), que não acreditam que houve a substituição do repouso, (SEGUNDO A LEI), do sábado judaico, para o domingo cristão, ainda que compartilhemos em que os cristãos, livremente começaram a se reunir para "partir o pão" no primeiro dia da semana, não como mandamento, mas como um tributo, homenagem, ao Senhor ressurreto; e, as fontes primárias e históricas, confirmam isto, desde o ano 100 d.C.

    As reuniões no dia do sábado, estão, no livro de Atos, sempre ligadas a SINAGOGA, onde Moisés era anunciado, (pelo ensino da Torah), todos os sábados.

    “Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada SÁBADO é lido nas Sinagogas.” Atos 15:21.

    O primeiro dia da semana, sempre está relacionado a Igreja do Senhor, desde sua ressurreição. (Ver os relatos da ressurreição, nos evangelhos.

    Quando Lucas, menciona o primeiro dia, se refere a reunião da Igreja, em Trôade, para "partir o pão", que é o termo informal e apostólico para a (em grego), "eucaristia."

    Mas se os gentios devessem observar o sábado, (vou frisar), SEGUNDO A LEI, TORAH, e não segundo o adventistas), porque se assim o fosse, os cristãos gentios teriam que observar o sábado COMO ESTÁ NOS LIVROS DE ÊXODO, LEVÍTICO, NÚMEROS E DEUTERÔNOMIO; e se vier um adventista me dizer que eles não podiam "recolher" lenha no dia de sábado, porque a pessoa teria que fazer esforço fisíco, e que agora, nos tempos modernos pode acender o fogo do fogão para esquentar o alimento, porque não é trabalho, eu lhes digo que os cristãos do tempo dos apóstolos NÃO TINHAM FOGÃO E TINHAM QUE RECOLHER A LENHA PARA SEUS SERVIÇOS DOMÉSTICOS.

    Os gentios, vindo do paganismo, pela misericórdia demonstrada à eles por nosso Senhor, Jesus, o Cristo, não tinham nenhuma autoridade para interpretar ou ensinar a lei.

    Se o sábado devesse ser observado pelos gentios, DEVERIA SER COMO ESTÁ PRESCRITO NA TORAH, NADA MAIS, NADA MENOS.

    Perguntamos: Onde está este mandamento para os gentios guardarem o sábado segundo a lei?

    Os adventistas, NÃO OBSERVAM O SÁBADO SEGUNDO A LEI!

    Ninguém tem autoridade para mexer NO CORPO DA LEI, ou seja, ficar com a parte que lhe agrada, e tirar as outras.

    Quem faz isto, comete o pecado de TRANSGRESSÃO A PRÓPRIA LEI que não deu autorização e nem procuração para alguém mexer em seu conteúdo.

    É só lerem os vários exemplos no Antigo Testamento.

    Um por exemplo, é o de um israelita que não era levita, e quis carregar a arca da aliança. Capuft! Caiu morto na hora!

    Já falei, e vou repetir, TODOS OS MANDAMENTOS DA LEI, SÃO MORAIS, até mesmo porque os chamados mandamentos cerimoniais estão repletos de moralidade, por causa do objetivo a que foram destinados, ou seja, fazer expiação!

    Por exemplo: Matar um cordeiro, era um mandamento "cerimonial", mas também era moral, porque representava Cristo.

    Depois continuaremos, e vamos mostrar, de acordo com uma citação de White, que eu postei lá em cima, como ela dá com a língua nos dentes!

    Coisa simples, mas interessante de se ver.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Domingo cristão por causa do "partir o pão" no primeiro dia da semana... entenda-se, para um bom leitor, achismos novamente. Fale uma novidade, sr. Cadi!

      Ops, ele disse uma novidade: ohhhhhhh! Falou que o sábado segundo a torah continua em vigor e que ele mesmo acredita! (rsrsrs)
      Mas, não sejamos tão rigorosos, afinal, digamos que tenha havido algum avanço, né?

      Prezados leitores, como levar um camarada desses a sério? Um dia, ele disse que, apesar de não guardar o domingo sempre, pois, se precisasse trabalhar para ganhar dinheiro, ele o faria; assim ele teria apenas uma, digamos, estima pelo domingo...
      Agora está dizendo que se inclui no grupo que crer que o sábado segundo a torah está valendo, é mole?! O que concluir de um indivíduo desses?!
      E fica julgando os adventistas que, segundo Cadi, não observa o sábado segundo a torah! Meu caro, quem é vc para julgar uma pessoa? Um só é o Juiz do Universo (Gên.: 18.25, Tia.: 04.12).
      Conscientize-se de sua insignificância, sr. Cadi, vc é só mais um réu perante o Juiz!

      Excluir
    2. Josinaldo, agora eu me convenci de que vocês NÃO ENTENDEM o que lêem, ou, sem argumentos, estão de má fé!

      Você disse: "Ops, ele disse uma novidade: ohhhhhhh! Falou que o sábado segundo a torah continua em vigor e que ele mesmo acredita! (rsrsrs)"

      Cole, e poste ONDE eu disse que o sábado, segundo a Torah, está "valendo?

      Eu afirmei que se os adventistas querem observar o repouso no dia de sábado, devem fazê-lo conforme está na TORAH!

      NA LEI, está a maneira correta de observar o dia de repouso, de acordo com DEUS, o autor e legislador da lei.

      Vocês NÃO OBSERVAM o repouso no dia de sábado, (ou dia de repouso), com A LEI ORDENA.

      A maneira como os adventistas observam o sábado é pura fantasia, e NÃO ESTÁ DE ACORDO COM A TORAH.

      Preciso explicar mais?

      Excluir
    3. Prezado Paulo Cadi,

      Eu sei muito bem o que eu digo, e aqui está o "copie e cole" que vc pediu a respeito do que a sua pessoa escreveu:
      "Agora, existe uma grande parte dos cristãos, (e nesse grupo, eu me incluo), que não acreditam que houve a substituição do repouso, (SEGUNDO A LEI), do sábado judaico, para o domingo cristão..."
      E em outro comentário, vc diz que teria uma estima pelo domingo. Como vc não disse que mudou de opinião... fica a ambiguidade...

      Se vc escreveu o que não condiz com a sua opinião, então tome mais cuidado quando for se manifestar.

      Excluir
  48. Muito bem colocado Paulo Cadi;
    Existem muitos pontos dos comentários que poderíamos levantar, questionar e debater; sim, são diversos e diversos; mas falando da "guarda" do sábado pelos amigos ASD, achei bem interessante, em especial, esse comentário do Sr Alexandre Dietrich:

    O SÁBADO é o dia em que comemoro o meu aniversário só que dessa vez semanal com Cristo Jesus. E algumas coisas não são bem vindas nessa situação.

    Então eu gostaria de levantar uma questão: Por quê desfrutar daquilo que condena aparentemente é bem vindo?... Do que falo? Explçico: Dos diversos serviços executados aos sábados, que os amigos adventistas não realizam por “ser pecado”, mas não deixam de desfrutar dos resultados dos mesmos. É energia elétrica, água encanada, telefone móvel, telefone fixo, internet... E em muitas situações também utilizam no sábado: o limpa-fossa, encanador, chaveiro, mecãnico 24hs, seguradora, borracheiro, eletricista, táxi, ônibus, farmácia... Aí aparecem uns ASD e alegam que tais serviços são “essenciais”; ou “indispensáveis”! (vejam, não estou falando de médicos, policiais, defesa civil, ou bombeiros, que tais serviços são considerados como “fazer o bem”).
    Agora, focalizando nos tais serviços “essenciais” citados, eu gostaria sinceramente de saber: então o borracheiro, o pessoal da Cia de energia, telefonia fixa, telefonia móvel, água, limpa-fossa, encanador, chaveiro....e todos outros já citados (sem falar nos esquecidos); eles trabalham, ou fazem o bem? Sim; pois, esse argumento de serviços “essenciais” tem de ser explicado!! Ou o serviço “essencial” no sábado é “trabalho”, ou é “fazer o bem”; ou é uma coisa ou outra. Pois uma é aprovada e outra reprovada aos sábados. Se os senhores ASD usufruem dos produtos resultantes dos trabalhos citados e isso não tem problema algum, pois os senhores entendem que tais sejam “essenciais” ; apacere um problema pois ocorre que: se são “essenciais” ou até indispensáveis, então logicamente devem ser enquadrados em “fazer o bem”!!! (ou não?) mas aí é que a coisa pega: motorista de ônibus ou táxi, trabalha ou faz o bem?(e os ASD usam) Cia de energia faz o bem ou trabalha? (idem). Chaveiro socorrendo um ASD para abrir a igreja no sábado, faz o bem ou trabalha? Já vi alarme de igreja disparar no sábado e o técnico ser chamado para resolver o caso...tal técnico fez o bem ou trabalhou? Telefonia é fazer o bem ou trabalho??? E a seguradora e o ghincho que lhes atende ao sábado? OS SENHORES ASD TRABALHARIAM NESSAS ÁREAS AOS SÁBADOS? LÓGICO QUE NÃO! INCLUSIVE DÃO ESTUDOS PARA OS PROFISSIONAIS DESSES SERVIÇOS, ENSINANDO A “GUARDA” DO SÁBADO!! (continua...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OU SEJA: 1º- DÃO ESTUDOS PARA ELES, DIZENDO QUE TRABALHAR NO SÁBADO É PECADO...
      2º - NÃO TRABALHAM NESSAS ÁREAS, POIS SERIA PECADO...
      3º - AO MESMO TEMPO USUFRUEM DOS PRODUTOS OU RESULTADOS DAQUILO QUE CONDENAM...
      4º - QUANDO QUESTIONADOS, ALEGAM QUE EXISTEM SERVIÇOS “ESSENCIAIS”...
      5º - MAS NESSES TAIS “ESSENCIAIS”, OS AMIGOS ASD NÃO EXPLICAM SE SÃO LÍCITOS OU ILÍCITOS NO SÁBADO...
      6º - SE SÃO LÍCITOS, OS ASD NÃO DEVERIAM EVITAR DE TRABALHAR NESSAS ÁREAS, MAS EVITAM TOTALMENTE...
      7º - SE SÃO LÍCITOS, OS ASD NÃO DEVERIAM DAR ESTUDOS PARA TAIS PROFISSIONAIS, QUE O TRABALHO DELES É PECADO...
      8º - E SE SÃO ILÍCITOS, NÃO PODEM SER CONSIDERADOS “ESSENCIAIS” E NEM OS ASD USUFUIREM DE SEUS PRODUTOS...
      AÍ ESTÁ UM GRANDE DILEMA DE INCOERÊNCIA ADVENTISTA!!!
      Porque os amigos ASD, não usufruem dos trabalhos dos outros no sábado, ao menos uma vez... ou num momento mais difícil... esporadicamente... Os senhores usufruem conscientemente, seguidamente, repeditamente e frequentemente, TODOS OS SÁBADOS!!! Os senhores querem e prescisam que tenha alguém lá, trabalhando para os senhores poderem usufruir do conforto, mas nem de longe querem ou “podem” trabalhar nesses serviços. Os senhores sabatistas, não podem nem querem por exemplo, trabalhar na telefonia e Cia de energia(e outros), mas não ficam sem usar condicionadores de ar na igreja ou em casa, nem desligam seus telefones. Que bom que tem todos esses “profanadores”, não é senhores ASD? Sem eles, a “guarda” do sábado, seria um fardo!
      Muitos ASD dizem:
      “não é pecado utilizar serviços essenciais à vida...” Mas é claro...Pois é;... quer dizer: é pecado produzir, mas não desfrutar dessa produção...E COMO FICA AQUELA ARGUMENTAÇÃO DE NIVELAR A PROFANAÇÃO AO ROUBO?
      Ou será que agora, a profanação do sábado não está mais no mesmo nível de roubar, senhores ASD?? AAAhh...estão vendo como são as coisas?
      -Usufruto de produto roubado...........NÃO PODE! (roubar é pecado e usufruir conscientemente do produto do roubo é pecado)
      -Usufruto de produto profanado.......PODE!!!???? (trabalhar no sábado é pecado, mas usufruir conscientemente disso, PAREÇE QUE NÃO É!!!)
      É essa a grande incoerência: nenhum ASD quer trabalhar no sábado...mesmo nesses “serviços essenciais”, pois é “pecado”; mas quer que tenha alguém lá, para produzir tais serviços para eles desfrutarem!
      ORA, SE NÃO É PECADO UTILIZAR UM SERVIÇO “ESSENCIAL” À VIDA, POR QUÊ É PECADO PRODUZIR O “ESSENCIAL” À VIDA??? PARA UNS UTILIZAREM O “ESSENCIAL”, É PRECISO LOGICAMENTE QUE OUTROS ESTEJAM PRODUZINDO O “ESSENCIAL”!!!!

      Excluir
    2. (continuando...)
      Além disso; o se clasificaria como “essencial” à vida? Só uns exemplos: Conversar com amigos nas tardes de sábado via internet, celular, telefone fixo...é essencial à vida? (Ou os ASD usam as comunicações só para ligar para a polícia, bombeiros e médicos?) Desfrutar do conforto do condicionador de ar, é “essencial” à vida? Ir a igreja de táxi ou ônibus é “essencial” à vida? Estão vendo como essas palavras “essencial” e “vida”(ou seria estilo de vida), são beeeeem variáveis e flexíveis? É a conveniência ASD que determina.

      E tem mais; EGW está sendo ignorada, pois ela escreveu(bem colocado pelo Paulo Cadi):
      Ao judeu não era permitido acender fogo, nem mesmo uma vela no sábado. Conseqüentemente, O POVO DEPENDIA DOS GENTIOS QUANTO A MUITOS SERVIÇOS QUE SEUS REGULAMENTOS PROIBIAM QUE FIZESSEM PARA SI MESMOS. NÃO REFLETIAM QUE, SE ESSAS AÇÕES ERAM PECAMINOSAS, OS QUE EMPREGAVAM OUTROS PARA AS PRATICAR ERAM TÃO CULPADOS COMO SE AS HOUVESSEM PRATICADO ELES PRÓPRIOS.”(O desejado de todas as nações pg 204)

      Os senhores ASD perceberam??? É a própria “profetisa” dizendo para não usufruir daquilo que condena!! Se os amigos ASD não podem realizar esse ou aquele trabalho no sábado, por ser pecado; coerentemente, não devem desfrutar dos resultados dos mesmos!!!Se um ASD tem um comércio varejista, este não vende brincos, colares, etc, não é? E jamais seria sócio em criação de porcos, não? Não Investiria numa empresa que trabalha e lucra no sábado, não é?

      Pois é; é isso que eu levanto aqui. Quando é para apresentar coerência nos princípios..., dependendo da situação... a coisa muda, não? Ora, quem é contra a pescaria, que não coma o peixe oras! é contra o contrabando? Não compre muamba! É contra as armas? Não participe dos lucros de uma fábrica de armas! Se é contra a profanação do sábado, use o mesmo princípio; não usufrua do resultado de trabalhos alheios neste dia! Ah, os trabalhadores que lhe servem produzindo energia ou telefonia, ou outra, não sabem que tal é pecado...ok; Pior ainda para os senhores! Pois OS SENHORES SABEM!!! E AINDA ASSIM, USAM! Seria o mesmo que usufruir de produtos roubados por uma criança em um supermercado. A pequenina criança sem noção do que faz, pega chocolates e doces da prateleira e lhe dá um, e o amigo ASD, SABENDO QUE O PRODUTO É ROUBADO, DEGUSTA!! Do mesmo modo; se os senhores sabem que no sábado não se deve “trabalhar”(palavra bem relativa não???), não deveriam usufruir daquilo que condenam! (ASD não pode trabalhar na Cia de energia elétrica, pois diz que é pecado, mas não larga o fornecimento da mesma!!??) Assim é muito cômodo “guardar” sábado... dependendo da situação... o “trabalho” se transforma em “fazer o bem” e vice-versa. A conveniência para o momento dirá. Na hora do apuro, é muito bom (e conveniente)ter gente trabalhando no sábado para lhes servirem, não?
      Então vem alguns ASD e dizem: ““Ah, mas de qualquer forma, os tais trabalhadores já estaríam trabalhando mesmo...”

      Quer dizer então, que se alguém estiver roubando... não faz mal nenhum usufruir dos produtos roubados? Se o ladrão já vai estar roubando mesmo... nada de mal tem em usufruir do roubo? Os senhores vêem um garoto roubando goiabas e sabendo disso, aceitam as frutas que o mesmo lhes ofereçe? Compraria ou usufruiria de um produto roubado sabendo que é roubado? Pois é; usufruir do roubo não pode, mas usufruir de trabalhos alheios no sábado, os quais não o realizam por ser pecado, pode!

      Produto do roubo, não...Produto da profanação, sim?? Ora, por favor...

      E que Deus tenha Misericórdia de todos nós, pecadores.

      Décio – um Aprendiz de Cristão.

      Excluir
    3. Prezado Décio,

      Vc escreve muito acerca de um assunto tão simples. Aliás, isto que vc escreveu é por falta de argumentos para comprovar a suposta mudança divina do sábado para o domingo? As falas dominguistas cheias de achismos e de suposições acerca de algumas passagens bíblicas (que citam o primeiro dia da semana) estão incomodando vc's? Daí a razão para argumentarem como estão argumentando, baseando-se em serviços oferecidos à população em geral, e não aos adventistas em particular?
      Pense nisso, sr. Décio, pois vai fazer bem a vc!

      Sobre os táxis, creio que o adventista que o pegue não esteja fazendo o que é correto aos sábados, caso seja apenas para ir à igreja, mas se for por uma questão de urgência de saúde, não consiste em transgressão. Sobre o chaveiro, creio que, se isso ocorrer, não se trata de rotina, mas de alguma raridade (a igreja tem de ser aberta para a programação!).
      Em relação a serviços coletivos, por acaso os ônibus, as companhias de energia, de água, de telefonia fixa e móvel, etc., operam aos sábados somente para atender às necessidades dos adventistas? Claro que não, né! Se fosse assim, eu concordaria com vc, mas como não é o caso...

      Gostaria de saber como estas acusações irão ajudá-lo a ter um bom relacionamento com Deus. Poderia explicar?

      Vc é dominical, pois já vi comentários seus em defesa do domingo, como os dominguistas fazem quando se encontram nessas mesmas circunstâncias descritas nos seus comentários acima em que vc acusa os adventistas de transgressão ao sábado?

      Se sua fala fosse plausível, vc's também não estariam em uma posição confortável, não é mesmo?

      Portanto, o que estamos debatendo é:
      qual é o dia do Senhor, o sábado ou o domingo?

      Excluir
  49. Décio, eu estava esperando que um sabatista se prontificasse a responde-lo, mas você...... passou como uma trilhadeira por cima deles, kkk!

    É a velha e boa conveniência adventista. Que beleza!

    A própria White está sendo a algoz de seus filhos. Caramba!

    Fora outros desvios que estão espalhados através dos escritos dela, mas que o sabatista comum< (e muitos líderes), se assim posso me expressar, ingênuamente passa por alto.

    ResponderExcluir
  50. Estamos afirmando, todo o tempo, fundamentados na palavra, que os adventistas ainda que se ufanem de ser os legítimos observadores do sábado, SÃO FALSOS OBSERVADORES, porque transgridem a lei, não observando o sábado como está PRESCRITO NA LEI QUE PROMULGOU A SUA OBSERVÂNCIA AO POVO DE ISRAEL.

    A Torah, dada por Deus a Moisés, é o ÚNICO PADRÃO estabelecedor para a observância do sábado, e não um bando de gentios vindos do paganismo, à quem não foi dada por Deus, NENHUMA PROCURAÇÃO E AUTORIZAÇÃO.

    Os ÚNICOS, dito pela própria Torah, que tem autoridade dada por Deus para ensinar como o sábado deve ser observado, assim como o resto da lei SÃO OS LEVITAS.

    O que é necessário para manter o sábado de acordo com a Lei de Moisés:

    1 Nenhum trabalho deveria ser realizado (Ex.2010; Lv.23:3; Jr. 17:21-22). Não molhar o gramado, não trabalhar no quintal, nenhum passatempo, não consertar pneus furados, etc. Por lei, se uma pessoa não parar com todos os tipos de atividade em honra ao sábado, ele estava violando a lei. Em Números 15:32-36, um homem foi apanhado recolhendo gravetos no sábado, e ele recebeu um show de pedradas de pessoas que o conheciam.

    2 Não acender fogo (Ex. 35:3). Nada de churrasco! Você não pode ir a um restaurante e comer um hambúrguer que tenha sido chama grelhado, você não pode cozinhar ovos ou fazer torradas, porque você estaria acendendo fogo para cozinhar. Dirigir um carro seria para "acender fogo" Na câmara de combustão do seu motor.

    3. Nada de viagens itinerante (Ex. 16:29). Mais tarde, os judeus ACRESCENTARAM a esta lei (afrouxaram as rédeas), permitindo apenas um Kilometro de viagem no sábado como vemos observado no NT. Mas a lei pura diz "ficar em casa." Na verdade, se você observasse essa parte da lei, você não poderia viajar para a sua reunião da igreja a menos que fosse menos de um 1 Kilometro de sua casa. (Isto depois que os mestres da lei, deram uma colher de chá). Se você tivesse uma emergência, você não poderia dirigir até o hospital.

    4. Nada de negócios (Amós 8:5). Se você precisasse de gasolina para chegar ao culto na igreja, você não poderia "usar" dinheiro para a gasolina. Você não iria ser autorizado a comprar um DVD com conteúdo religioso e nem mesmo uma Bíblia.

    5. Nenhuma propaganda (Neemias 10:31; 13:15,19). Certifique-se de não fazer compras em absoluto. Você não pode comprar sorvete para a sobremesa depois do jantar ou qualquer outra coisa. Se você ficar sem comida ou bebida em casa, você não pode sair para comprar.

    6 ". ... Uma santa assembléia com o dobro da oferta diária, juntamente com as outras ofertas. Em outras palavras, você está a dar o dobro no sábado (Nm 28:9). Será que você praticou isto hoje, em cumprimento da LEI? Estamos vendo que você sabatistas realmente praticam a lei do sábado!

    7. Reposição dos pães da proposição no lugar santo (Lv.24:8). Claro que isso não pode ser feito hoje, pois não há templo, então esta parte do sábado não pode ser seguido pela igreja. O FATO É QUE O SÁBADO NÃO FOI FEITO PARA OS GENTIOS, MAS PARA OS JUDEUS E SUAS GERAÇÕES. Ex.31:12-17). É uma lei entre Deus e os judeus.

    8. A última parte dos requisitos para observar a lei no dia de sábado é a pena por quebrá-lo: MORTE.

    Vamos repetir: A observância do sábado, em NENHUMA HIPÓTESE, pode ser separada dos deveres prescritos na lei para a observância deste dia.

    Nenhum gentio INCIRCUNCISO, pode chegar no pedaço e meter o pitaco!

    A observância do sábado, pelos adventistas, não passa de uma fábula!

    Depois continuaremos.......




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E cadê as provas bíblicas de que houve a suposta mudança do sábado para o domingo, sr. Cadi?!
      Até agora vc e o Décio não estão provando nada!
      Como se já não bastasse a sua descredibilidade, vemos também a sua incapacidade de provar o improvável?! (rsrs)

      Excluir
    2. Josinaldo,

      2Co.3
      6. O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, NÃO DA LETRA, mas do espírito; PORQUE A LETRA MATA e o espírito vivifica.
      7. E, se o MINISTÉRIO DA MORTE, GRAVADO COM LETRAS EM PEDRAS, VEIO (é passado!) em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória,
      8 Como não será de maior glória o ministério do Espírito?

      2Co.3


      1 PORVENTURA começamos outra vez a louvar-nos a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de recomendação de vós?
      2 Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens.
      3 Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, NÃO EM TÁBUAS DE PEDRA, mas nas tábuas de carne do coração.

      Agora, leia esta declaração de White.

      Veja esta declaração:

      “No templo celestial, morada de Deus, acha-se o
      seu trono, estabelecido em justiça e juízo. No lugar santíssimo está a SUA LEI, a grande regra da justiça, pela qual a HUMANIDADE TODA É PROVADA. A arca que encerra as TÁBUAS DA LEI, a grande regra da justiça, pela qual a humanidade toda é provada. A arca que encerra as tábuas da lei se encontra coberta pelo propiciatório, DIANTE DA QUAL CRISTO, pelo Seu sangue pleiteia em prol do pecador” O Grande Conflito, p. 455, edição de 1981.

      Agora eu lhe peço que escreva um comentário, HARMONIZANDO os escritos de White, com os do Apóstolo Paulo, e não o contrário.

      Estamos esperando o seu comentário.

      Excluir
    3. "E cadê as provas bíblicas de que houve a suposta mudança do sábado para o domingo, sr. Cadi?!"

      16 Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados,
      17 Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.

      ta ai a prova, fomos liberados da guarda do sabado.

      os asd fazem malabarismos para desqualificar as palavras do apostolo Paulo.

      Excluir
    4. Olá irmão Fernando Costa, a paz do Senhor.

      Existe diferença entre a LEI MORAL e a LEI CERIMONIAL?

      O ERUDITO bíblico JOHN D. DAVIS, autor PRESBITERIANO de um dos mais famosos dicionários bíblicos que já alcançou várias edições, assegura:
      “OS DEZ MANDAMENTOS, sendo a LEI fundamental e sumária de TODA MORAL, PERMANECEM FIRMERS; baseiam-se na IMUTÁVEL natureza de Deus e nas relações permanentes do homem sobre a terra. A respeito do QUARTO MANDAMENTO, disse Jesus: ‘O SÁBADO foi feito para o homem’; segue-se, pois, que a LEI permanece em toda sua força enquanto o HOMEM EXISTIR sobre a TERRA.

      “A LEI CERIMONIAL a que se refere a Carta aos Hebreus 8:7, como o PRIMEIRO PACTO, ela a declara como antiquada e prestes a perecer, v.13 comparar com os caps. 8 a 10. O apóstolo NÃO julgou necessário obrigar a ela os gentios, atos 15:23–28. TINHA FUNÇÃO TRANSITÓRIA, apontando para CRISTO, nosso SUMO PONTÍFICE por meio de seu SACERDÓCIO, de SEUS sacrifícios, de suas cerimônias e de seus símbolos. CHEGADO que foi o ANTÍTIPO, cessaram de uma vez os TIPOS, sem contudo perder de vista a importância que eles tem em todas as idades futuras.”

      Em “O Novo Dicionário da Bíblia”, p. 356–357. Grifos acrescentados.

      Vejamos qual a posição oficial presbiteriana encontrada na já citada
      “Confissão de Fé de Westminster”:

      “III. Além dessa lei (os Dez Mandamentos), geralmente chamada LEI MORAL, foi Deus servido dar ao seu povo de Israel, considerado uma igreja sob a sua tutela, LEIS CERIMONIAIS que contêm diversas ORDENANÇAS TIPICAS. Essas LEIS, que em parte se referem ao CULTO e prefiguram CRISTO, as suas graças, os seus atos, os seus sofrimentos e os seus benefícios, e em parte representam várias instruções de deveres morais, estão todas ab-rogadas sob o Novo Testamento.
      Hb.10:1; Gl.4:1–3; Cl.2:17; Êx.12:14; I Co.5:7; II Co.6:17; Cl.2:14,16–17; Ef.2:15–16.

      “IV. A esse mesmo povo, considerado como um corpo político, Deus deu LEIS CIVIS que terminaram com aquela nacionalidade, e que agora não obrigam além do que exige a sua equidade geral.
      Êx.21:1–36,22:1–29; Gn.49:10; Mt.5:38–39.”

      — Op. cit. cap. XIX.
      O Dr. ALBERT BARNES, respeitado comentarista PRESBITERIANO, em seu comentário sobre Mateus 5:18 e 19, declara:

      “As LEIS dos judeus estavam geralmente DIVIDIDAS em MORAIS, CERIMONIAIS e JUDICIAIS.
      As LEIS MORAIS são aquelas que emanam da natureza das coisas, que não podem, por conseguinte, ser mudadas — tais como o dever de amar a Deus e Suas criaturas. Estas NÃO PODEM SER ABOLIDAS, pois jamais poderá ser correto odiar a Deus ou aos nossos semelhantes. Dessa natureza SÃO os DEZ MANDAMENTOS (veja irmão Fernando Costa, dez e não nove mandamentos); e estes, nosso Salvador NÃO ABOLIU nem SUPRIMIU.

      “As LEIS CERIMONIAIS são as determinadas para atender a certos estados da sociedade, ou regulamentar ritos religiosos e cerimônias do povo. Estas poderão ser MUDADAS quando mudarem as circunstâncias, e não obstante, a LEI MORAL PERMANECE IMUTÁVEL.

      “Aprendemos, portanto:
      1. Que TODA a LEI de DEUS é OBRIGATÓRIA para os CRISTÃOS. (Comparar com S. Tiago 2:10).
      2. Que TODOS os MANDAMENTOS de Deus DEVEM SER ENSINADOS, em seu lugar apropriado, pelos ministros CRISTÃOS.
      3. Que aqueles que pretendem que haja LEIS de Deus tão pequenas que não precisem obedecer-lhes, são indignos de Seu reino.
      4. Que a VERDADEIRA piedade demonstra RESPEITO para com todos os MANDAMENTOS de Deus. (Comparar com Salmos 119:6).”
      Em “NOTES, EXPLANATORY AND PRACTICAL ON THE GOSPEL” (1860), vol. 1, p. 65–66.


      Irmão Fernando Costa, parece que você acredita mesmo que o verso CITADO pelo irmão se relaciona com o SÁBADO SEMANAL, mas seus amigos e irmãos PRESBITERIANOS o ERUDITO bíblico JOHN D. DAVIS e o Dr. ALBERT BARNES, PARECE QUE PENSAM DIFERENTE de VOCÊ.

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    5. Desculpe a intromissão, mas permita-me colocar uma visão diferente sobre esse assunto.

      Parece que você está usando a lei como instrumento de santificação, sem saber que é Deus que santifica. Como disse acima em outro comentário, para que o sábado serviu de sinal segundo êxodo 31:13?

      Vou deixar algumas perguntas pra você para saber como é seu ponto de vista.

      1 - Em Tiago esta escrito:

      10 Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.
      11 Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei.

      Se os adventistas se consideram pecadores, eles então são transgressores de todos os mandamentos pois se tropeçam em um so ponto são culpados de todos. Sabendo isso, a pergunta é : qual a diferença entre nós? Qual a diferença entre você e um malfeitor?

      2 - Você se considera uma nova criatura? Se sua resposta é sim, porque se preocupa com mandamentos de não matar não furtar, se você nasceu de novo?

      E como se da esse novo nascimento? Pela fé ou pela lei?

      3 - Jesus disse que não veio abolir a lei e os profetas, mas cumprir, mas os adventistas dizem que Jesus aboliu a circuncisão, as festas, sacrifícios e outros aspectos da lei. Jesus veio ou não veio abolir? É uma contradição.

      4 - Jesus disse ao jovem rico: ".... Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos".

      Se alguém te perguntar o que deve fazer para herdar a vida eterna o que você responde? Guarda os mandamentos?

      Obrigado.

      Excluir
  51. Passei aqui, apenas para levar um questionamento ao amigo Luciano Sena:

    Lembro que fui solicitado a gravar aqui minha identidade em época oportuna quando estava a conversar com Décio.

    Uma coisa me chamou a atenção: Por que até o presente momento o amigo Luciano não exigiu da pessoa do Décio a colocação de sua verdadeira identidade nos comentários, permitindo a este comentar livremente com o uso de pseudônimo.

    Não tenho nada contra esta amizade de Luciano Sena com Décio, acho até louvável, também não me incomoda que a pessoa do Décio, ou qualquer outra pessoa continue a comentar aqui com o uso de pseudônimo.

    Porém creio que seria mais apropriado, usar de sinceridade e vou lhe perguntar de forma bem direta:

    Caro amigo Luciano Sena, alguém lhe solicitou a pedir minha identidade?

    Pergunto isto porque tem havido uma "corrida" em busca de minha identidade desde que a identidade de Editor, Décio e outras 14 pessoas houveram sido comprometidas. E isto justamente nos dias em que Luciano Sena iniciou a solicitação de minha identidade.

    Vários outros integrantes deste meio, preocupados, já solicitaram em tom de desafio, inclusive abertamente nos comentários, em meu blog, por minha identidade.

    Coincidência?

    E gostaria de aproveitar para mandar um recado. As pessoas a quem se endereça este recado saberão que é para eles:

    Enquanto tiver liberdade, para fazer meu trabalho na internet, o farei da forma como sempre tenho feito, entretanto, chegando ao ponto de se tornar deveras dificultoso fazer o meu trabalho, terei de mudar de postura para continuar a fazer o meu trabalho e, segundo a vontade de Deus, continuarei a fazer o meu trabalho.

    Para que vejam que a questão é séria, me dirijo ao Décio:

    Amigo Décio, não deveria dizer aqui estas coisas acerca do sábado, por motivos pessoais, e o amigo sabe o porquê! Não deveria fazer através de pseudônimo aquilo que não tem costume de fazer no seu dia-a-dia! Ponto!

    Não tenho interesse em mexer na identidade do amigo, bem algum me faria. Fora as doutrinas, procuro não discutir pessoas, mas atitudes, como o amigo pode observar nas charges que tenho postado em meu blog e para por aqui, se assim o amigo e seus colegas o permitirem.

    Ao amigo Luciano Sena, obrigado pelas orações em favor de nosso irmão que está em uma situação muito delicada em sua saúde, que Deus lhe abençoe ricamente por isto.

    Aproveito também para mandar um abraço a todos os participantes comentarista do blog MCA com quem dialoguei, em certo tempo e também aos novos, inclusive alguns irmãos de fé.

    E um abraço também aos costumeiros comentaristas do blog exadventistas, que tem aparecido por aqui, com os quais também, em certo tempo, pude dialogar.

    Estejam com Cristo.

    ResponderExcluir

  52. Argumentam os sabatistas: Você gostaria de ter outro deus diante de Deus? Curvar-se diante de imagens, ou tomar o seu Santo nome em vão? Não deseja você honrar seus pais? Ou quer matar alguém? Cometer adultério, furtar, testemunhar falsamente, cobiçar? Então aguardam a sua resposta que, obviamente, é: Não! Depois cheios de retórica perguntam: Por que então você não guarda o sábado, se o mesmo faz parte do corpo dos Dez Mandamentos guardado por você?
    Refutação: Responda a esse questionamento, lendo S. Mateus 12.5: “Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?”
    Agora, faça, aos sabatistas, as mesmas perguntas que fizeram a você: “Os sacerdotes no templo podiam ter outro deus diante de Deus e ficar sem culpa? Curvar-se diante de imagens, ou tomar o seu santo nome em vão e ficar sem culpa? Podiam desonrar seus pais? Ou matar alguém? Cometer adultério, furtar, testemunhar falsamente, cobiçar e ficar sem culpa? Obviamente que todas as respostas a essas questões seriam “não”. Os sacerdotes não podiam cometer nenhum desses delitos dentro do templo. Entretanto, quanto ao sábado à resposta seria um sonoro SIM, ou seja, o texto mostra a legalidade ritualística do sábado e sua dissociação com relação à ética e a moral intrínseca a natureza de Deus. Se o sábado fosse algo ético e moral não poderia nunca ser quebrado, nem mesmo pelos sacerdotes dentro do templo.
    Além do que, Jesus, como Senhor do sábado e com autoridade para determinar qual o grau de culpabilidade de quem trabalha no sábado (como na acusação que os judeus fizeram aos apóstolos), declarou: Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes (Mt 12.7).
    Ademais, não estamos debaixo do Antigo Concerto (Hb 8.6-13). O sábado foi abolido (Os 2.11; Cl 2.14-17) – embora os adventistas digam que a palavra sábados em Cl 2.14-17 se refira aos sábados de cerimônias anuais, denominados festas (Lv 23.37). Os próprios adventistas declaram que as palavras sábado, (singular), sábados (plural) e a expressão dia de Sábado aparecem no Novo Testamento 60 vezes. Em 59 casos eles admitem que se trate do sábado semanal, mas negam essa interpretação somente em Cl 2.16. Se, pois, conservarmos o sentido de sábado semanal em Cl 2.16, teremos o apoio de 59 referências bíblicas. Corroborando o nosso ponto de vista, diz Samuele Bacchiocchi, escritor adventista: Um outro significado argumentado contra os sábados cerimoniais ou anuais é o fato de que estes já estão incluídos nas palavras ‘dias de festa’, positivamente que a palavra SABBATON, como é usada em Colossenses 2.16, não pode se referir aos sábados festivos, anuais ou cerimoniais (…). ( From Sabbath to Sunday. Samuele Bacchiocchi. Biblical Perspectives. 1987. P. 358-359). Vemos, assim, que a doutrina adventista é que determina sua compreensão dessa passagem, sem consideração às evidências lingüísticas e contextuais e contra as regras de hermenêutica bíblica. O sábado e todos os demais ritos do Velho Testamento foram sombras ou símbolos preparatórios de bênçãos da salvação presente e futura em Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Sanlopes, a paz do Senhor!

      O MINISTRO e COMENTRISTA PRESBITERIANO Dr. ALBERT BARNES, assim comenta COLOSSENSES 2:16 e 17:

      “A palavra ‘SÁBADO no ANITGO TESTAMENTO, é aplicada NÃO somente ao SÉTIMO DIA, mas a TODOS os OUTROS DIAS de REPOUSO SAGRADO que eram OBSERVADOS pelos hebreus, e particularmente ao começo e encerramento de suas grandes festividades. Há, certamente, referência a esses DIAS nesse lugar, visto que a palavra é usada no PLURAL e o apóstolo não se refere particularmente ao assim chamado SÁBADO, propriamente.

      “NÃO HÁ NENHUMA evidência nessa passagem de que PAULO ensinasse que NÃO HAVIA mais OBRIGAÇÃO de observar qualquer TEMPO SAGRADO, pois NÃO HÁ a mais LEVE RAZÃO para crer que ele quisesse ensinar que UM dos DEZ MANDAMENTOS havia CESSADO de ser OBRIGATÓRIO à HUMANIDADE.

      “Se ele tivesse escrito a palavra ‘O SÁBADO’, no SINGULAR, então, certamente estaria claro que ele quisesse ensinar que aquele mandamento (O QUARTO) CESSOU de ser OBRIGATÓRIO, e que o SÁBADO não mais devia ser OBSERVADO. Mas o uso do termo no PLURAL, e a sua conexão, mostram que o apóstolo tinha em vista o GRANDE NÚMERO de DIAS que eram OBSERVADOS pelos hebreus como FESTIVAIS, como uma parte de sua LEI CERIMONIAL e TÍPICA, e não a LEI MORAL, ou os DEZ MANDAMENTOS.

      “Nenhuma parte da LEI MORAL — NENHUM dos DEZ MANDAMENTOS — poderia ser referida como ‘SOMBRA DAS COISAS FUTURAS’. Estes mandamentos são, pela NATUREZA da LEI MORAL, de OBRIGAÇÃO PERPÉTUA e UNIVERSAL.”

      — Em “Notes on the New Testament”, tit. 7, p. 267. Grifos acrescentados.

      Mais uma questão devidamente esclarecida. E muito bem esclarecida, pelo ilustre Dr. ALBERT BRNES, comentarista de reconhecido valor no meio PRESBITERIANO.

      E a posição OFICIAL da Igreja PRESBITERIANA é que COLOSSENSES 2:16 não está falando do SÁBADO do QUARTO MANDAMENTO. Está falando da LEI CERIMONIAL, e não da LEI MORAL!

      Irmão Sanlopes, parece que seu irmão PRESBITERIANO o Dr ALBERT BARNES não concorda com você.

      Um forte abraços e fique com Deus!

      Excluir
    2. Olá irmão Sanlopes, a paz do Senhor!

      Os mestres judaicos orgulhavam-se de seu conhecimento das Escrituras, e na resposta do Salvador havia indireta censura a sua ignorância das sagradas letras.

      "NUNCA LESTES", disse Ele, "o que fez Davi quando teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, e tomou os pães da proposição, ... os quais não é lícito comer senão só aos sacerdotes?" Luc. 6:3 e 4. "E DISSE-LHES: O SÁBADO FOI FEITO POR CAUSA DO HOMEM, E NÃO O H9MEM POR CAUSA DO SÁBADO." Mar. 2:27 e 28. "Não TENDES LIDO lido na LEI que, aos SÁBADO, os sacerdotes no templo violam o SÁBADO, e ficam sem culpa?

      Pois EU vos digo que está aqui quem é maior do que o templo." "O FIHO DO HOMEM ATÉ DO SÁBADO É SENHOR. Mat. 12:5 e 6.

      Se era LÍCITO a DAVI satisfazer a fome comendo do pão que fora separado para um FIM SANTO, então era LÍCITO aos DISCÍPULOS prover a sua necessidade colhendo umas espigas nas sagradas horas do SÁBADO.

      Demais, os SACERDOTES no TEMPLO realizavam MAIOR TRABALHO no SÁBADO que em outros DIAS.

      O mesmo trabalho, feito em negócios seculares, seria pecado, mas a obra dos sacerdotes era realizada no SERVIÇO de Deus.

      Estavam praticando os ritos que apontavam ao poder REDENTOR de CRISTO, e seu trabalho achava-se em harmonia com o desígnio do SÁBADO.

      Agora, porém, viera o próprio Cristo. Os discípulos, fazendo a obra de Cristo, estavam empenhados no serviço de Deus, e o que era necessário à realização dessa obra, era direito fazer no dia de SÁBADO.

      Cristo queria ensinar, aos discípulos e aos inimigos, que o serviço de Deus está acima de tudo. O objetivo da obra de Deus, neste mundo, é a redenção do homem; portanto, tudo quanto é necessário que se faça no SÁBADO no cumprimento dessa obra, está em harmonia com a lei do SÁBADO. Jesus coroou então Seu argumento, declarando-Se "SENHOR DO SÁBADO" - Alguém que estava acima de qualquer dúvida, acima de toda lei. Esse eterno Juiz absolve de culpa os discípulos, apelando para os próprios estatutos de cuja violação são acusados.

      Jesus não deixou passar a questão com uma simples repreensão aos inimigos. Declarou que, em sua cegueira, se haviam enganado quanto ao desígnio do SÁBADO. Disse:

      "SE VÓS SOUBÉSSEIS O QUE SIGINIFICA: MISERICÓRDIA QUERO, e NÃO SACRIFÍCIOS, NÃO CONDENAARÍEIS OS INOCENTES." Mat. 12:7.

      Os muitos ritos deles, destituídos de coração, não podiam suprir a falta daquela verdadeira integridade e terno amor que há de para sempre caracterizar o genuíno adorador de Deus.

      Cristo reiterou ainda a verdade de que os SACRIFÍCIOS eram, em si mesmos, DESTITUÍDOS de VALOR. Eram um MEIO, e não um FIM. Seu objetivo era dirigir os homens ao Salvador, levando-os assim em harmonia com Deus. É O SERVIÇO DE AMOR QUE DEUS APRECIA. Quando falta esse, a mera rotina da cerimônia é-Lhe OFENSIVA. O mesmo quanto ao SÁBADO. Visava este pôr os homens em comunhão com o Senhor; quando, porém, o espírito estava absorvido com enfadonhos ritos, o objetivo do SÁBADO era contrariado.

      SUA OBSERVÂNCIA MERAMENTE EXTERIOR, ERA UM ESCÁRNIO.

      Excluir
  53. LIVRO A MENTIRA BRANCA MUITO INTERESSANTE SOBRE ELEN G. WHITE

    http://www.baptistlink.com/creationists/amentirabranca.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Sanlopes, a paz do Senhor!

      O SÁBADO foi santificado na criação. Instituído para o homem, teve sua origem quando "AS ESTRELAS da ALVA JUNTAS ALEGREMENTE CANTAVAM, e TODOS os FILHOS de DEUS REJUBILAVAM". Jó 38:7. Pairava sobre o mundo a paz; pois a Terra estava em harmonia com o Céu. "VIU DEUS TUDO QUANTO TINHA FEITO, E EIS QUE ERA MUITO BOM" (Gên. 1:31); e Ele repousou na alegria de Sua concluída obra.

      Como houvesse repousado no SÁBADO, "ABENÇOOU DEUS o DIA SÉTIMO, e o SANTIFICOU" (Gên. 2:3) - separou-o para uso santo. Deu-o a Adão como dia de repouso. Era uma lembrança da obra da criação, e assim, um sinal do poder de Deus e de Seu amor. Diz a Escritura: "FEZ LEMBRADAS as SUAS MARAVILHAS." Sal. 111:4. As "COISAS QUE ESTÃO CRIADAS" declaram "as SUAS COISAS INVISÍVEIS, DESDE a FUNDAÇÃO do MUNDO," "TANTO SEU ETERNO PODER, COM a SUA DIVINDADE". Rom. 1:20.

      Todas as coisas foram criadas pelo Filho de Deus. "No PRINCÍPIO era o VERBO, e o VERBO ESTAVA com DEUS. ... TODAS as COISAS foram FEITAS por Ele, e SEM ELE NADA do que foi FEITO se FEZ." João 1:1-3. E uma vez que o SÁBADO é uma lembrança da obra da criação, é um testemunho do amor e do poder de Cristo.

      O SÁBADO chama para a natureza nossos pensamentos, e põe-nos em comunhão com o Criador. No canto do pássaro, no sussurro das árvores e na música do mar, podemos ouvir ainda Sua voz, a voz que falava com Adão no Éden, pela viração do dia. E ao Lhe contemplarmos o poder na natureza, encontramos conforto, pois a palavra que criou todas as coisas, é a mesma que comunica vida à alma. Aquele "que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo". II Cor. 4:6.

      Foi esse pensamento que despertou o cântico:

      "Tu, Senhor, me alegraste com os Teus feitos; Exultarei nas obras das Tuas mãos. Quão grandes são, Senhor, as Tuas obras Mui profundos são os Teus pensamentos." Sal. 92:4 e 5.

      E o Espírito Santo declara, por intermédio do profeta Isaías:

      "A quem pois fareis semelhante a Deus? ou com que O comparareis? ... Porventura não sabeis? porventura não ouvis? ou desde o princípio se vos não notificou isto mesmo? ou não atentastes para os fundamentos da Terra? Ele é o que está assentado sobre o globo da Terra, cujos moradores são para Ele como gafanhotos; Ele é o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar. ... A quem pois Me fareis semelhante, para que lhe seja semelhante? diz o Santo. Levantai ao alto os vossos olhos, e vede quem criou estas coisas, quem produz por conta o Seu exército, quem a todas chama pelos seus nomes; por causa da grandeza das Suas forças, e pela fortaleza do Seu poder, nenhuma faltará. Por que pois dizes, ó Jacó, e tu falas, ó Israel: O meu caminho está encoberto ao Senhor, e o meu juízo passa de largo pelo meu Deus? Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da Terra, nem Se cansa nem Se fatiga? ... Dá esforço ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor." Isa. 40:18-29.

      "Não temas, porque Eu sou contigo; não te assombres, porque Eu sou teu Deus; Eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da Minha justiça." Isa. 41:10.

      "Olhai para Mim, e sereis salvos, vós todos os termos da Terra; porque Eu sou Deus, e não há outro." Isa. 45:22.

      Eis a mensagem escrita na natureza, e que o SÁBADO se destina a conservar na memória. Quando o Senhor pediu a Israel que Lhe santificasse os SÁBADO , disse:

      "Servirão de sinal entre Mim e vós, para que saibais que Eu sou o Senhor vosso Deus." Ezeq. 20:20.

      O SÁBADO estava incluído na lei dada no Sinai; mas não foi então que primeiro se tornou conhecido como dia de descanso.

      CONTINUA...

      Excluir
    2. O povo de Israel tinha disso conhecimento antes de chegarem ao Sinai. No caminho para aí, o SÁBADO era guardado.

      Quando alguns o profanaram, o Senhor os repreendeu, dizendo:

      "ATÉ QUANDO RECUSAREIS GUARDAR os MEUS MANDAMENTOS e as MINHA LEIS?" Êxo. 16:28.

      O SÁBADO não se destinava meramente a Israel, mas ao mundo. Fora tornado conhecido ao homem no Éden, e, como os demais preceitos do decálogo, é de imutável obrigatoriedade. Dessa lei de que o QUARTO MANDAMENTO é uma parte, declara Cristo:

      "ATÉ QUE O CÉU E A TERRA PASSEM, NEM UM JOTA OU UM TIL SE OMITIRÁ DA LEI, SEM QUE TUDO SEJA CUMPRIDO." Mat. 5:18.

      Enquanto céus e Terra durarem, continuará o SÁBADO como sinal do poder do Criador. E quando o Éden florescer novamente na Terra, o SANTO e DIVINO DIA de REPOUSO será honrado por TODOS debaixo do Sol.

      "DESDE UM SÁBADO ATÉ O OUTRO", os habitantes da glorificada nova Terra irão "ADORAR PERANTE MIM, DIZ O SENHOR". Isa. 66:23.

      Nenhuma outra das instituições dadas aos judeus tendia a distingui-los tão completamente das nações circunvizinhas, como o SÁBADO. Era intenção do Senhor que sua observância os designasse como adoradores Seus. Seria um sinal de sua separação da idolatria, e ligação com o verdadeiro Deus. Mas a fim de santificar o SÁBADO, os homens precisam ser eles próprios santos. Devem, pela fé, tornar-se participantes da justiça de Cristo. Quando foi dado a Israel o mandamento: "LEMBRA-TE do DIA de SÁBADO, PARA o SANTIFICAR" (Êxo. 20:8), o Senhor lhes disse também:

      "E SER-ME-EIS HOMENS SANTOS." Êxo. 22:31.


      Só assim poderia o SÁBADO distinguir Israel como os adoradores de Deus.

      Ao se apartarem os judeus do Senhor, e deixarem de tornar a justiça de Cristo sua pela fé, o SÁBADO perdeu para eles sua significação. Satanás estava procurando exaltar-se e afastar os homens de Cristo, e trabalhou para perverter o SÁBADO, pois é o sinal do poder de Cristo. Os guias judaicos cumpriram a vontade de Satanás, rodeando o DIVINO DIA de repouso de enfadonhas exigências. Nos dias de Cristo, tão pervertido se tornara o SÁBADO, que sua observância REFLETIA o caráter de homens EGOÍSTAS e ARBITRÁRIOS, em lugar de o fazer ao caráter do amorável Pai celeste.

      Virtualmente os RABIS representavam a Deus como dando leis que os homens não podiam obedecer. Levavam o povo a olhar a Deus como TIRANO, e a pensar que a observância do SÁBADO, segundo Ele a exigia, tornava os homens DUROS de CORAÇÃO e CRUÉIS. Competia a Cristo a obra de esclarecer essas mal-entendidas concepções. Embora os RABIS O seguissem com impiedosa hostilidade, Ele nem sequer parecia conformar-Se com o que requeriam, mas ia avante, guardando o SÁBADO segundo a lei divina.

      Um SÁBADO, ao voltarem Jesus e os discípulos do local do culto, passaram por uma seara madura. Jesus continuara Seu trabalho até tarde e, ao passarem pelos campos, os discípulos começaram a apanhar espigas e a comer os grãos depois de esfregá-los nas mãos. Em qualquer outro dia, esse ato não teria despertado nenhum comentário, pois uma pessoa que passasse por uma SEARA, ou POMAR, ou VINHA, tinha liberdade de colher o que lhe apetecesse comer. Deut. 23:24 e 25.

      Mas, fazer isso no SÁBADO, era considerado um ato de PROFANAÇÃO. Não somente era o APANHAR a ESPIGA uma espécie de CEIFA, como o ESFREGÁ-LAS nas mãos uma espécie de DEBULHA.

      Assim, na OPINIÃO dos RABIS, havia DUPLA OFENSA.

      Os espias queixaram-se imediatamente a Jesus, dizendo:

      "VÊS? POR QUE FAZEM NO SÁBADO O QUE NÃO É LÍCITO?"

      Quando acusado de pisar o SÁBADO, em BETESDA, Jesus Se DEFENDEU, afirmando Sua FILIAÇÃO de Deus e declarando que operava em harmonia com o Pai.

      Agora, que eram acusados Seus discípulos, cita aos acusadores exemplos do Antigo Testamento, atos praticados no SÁBADO pelos que estavam ao serviço de Deus.

      Excluir
    3. Os mestres judaicos orgulhavam-se de seu conhecimento das Escrituras, e na resposta do Salvador havia indireta censura a sua ignorância das sagradas letras.

      "NUNCA LESTES", disse Ele, "o que fez Davi quando teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, e tomou os pães da proposição, ... os quais não é lícito comer senão só aos sacerdotes?" Luc. 6:3 e 4. "E DISSE-LHES: O SÁBADO FOI FEITO POR CAUSA DO HOMEM, E NÃO O H9MEM POR CAUSA DO SÁBADO." Mar. 2:27 e 28. "Não TENDES LIDO lido na LEI que, aos SÁBADO, os sacerdotes no templo violam o SÁBADO, e ficam sem culpa?

      Pois EU vos digo que está aqui quem é maior do que o templo." "O FIHO DO HOMEM ATÉ DO SÁBADO É SENHOR. Mat. 12:5 e 6.

      Se era LÍCITO a DAVI satisfazer a fome comendo do pão que fora separado para um FIM SANTO, então era LÍCITO aos DISCÍPULOS prover a sua necessidade colhendo umas espigas nas sagradas horas do SÁBADO.

      Demais, os SACERDOTES no TEMPLO realizavam MAIOR TRABALHO no SÁBADO que em outros DIAS.

      O mesmo trabalho, feito em negócios seculares, seria pecado, mas a obra dos sacerdotes era realizada no SERVIÇO de Deus.

      Estavam praticando os ritos que apontavam ao poder REDENTOR de CRISTO, e seu trabalho achava-se em harmonia com o desígnio do SÁBADO.

      Agora, porém, viera o próprio Cristo. Os discípulos, fazendo a obra de Cristo, estavam empenhados no serviço de Deus, e o que era necessário à realização dessa obra, era direito fazer no dia de SÁBADO.

      Cristo queria ensinar, aos discípulos e aos inimigos, que o serviço de Deus está acima de tudo. O objetivo da obra de Deus, neste mundo, é a redenção do homem; portanto, tudo quanto é necessário que se faça no SÁBADO no cumprimento dessa obra, está em harmonia com a lei do SÁBADO. Jesus coroou então Seu argumento, declarando-Se "SENHOR DO SÁBADO" - Alguém que estava acima de qualquer dúvida, acima de toda lei. Esse eterno Juiz absolve de culpa os discípulos, apelando para os próprios estatutos de cuja violação são acusados.

      Jesus não deixou passar a questão com uma simples repreensão aos inimigos. Declarou que, em sua cegueira, se haviam enganado quanto ao desígnio do SÁBADO. Disse:

      "SE VÓS SOUBÉSSEIS O QUE SIGINIFICA: MISERICÓRDIA QUERO, e NÃO SACRIFÍCIOS, NÃO CONDENAARÍEIS OS INOCENTES." Mat. 12:7.

      Os muitos ritos deles, destituídos de coração, não podiam suprir a falta daquela verdadeira integridade e terno amor que há de para sempre caracterizar o genuíno adorador de Deus.

      Cristo reiterou ainda a verdade de que os SACRIFÍCIOS eram, em si mesmos, DESTITUÍDOS de VALOR. Eram um MEIO, e não um FIM. Seu objetivo era dirigir os homens ao Salvador, levando-os assim em harmonia com Deus. É O SERVIÇO DE AMOR QUE DEUS APRECIA. Quando falta esse, a mera rotina da cerimônia é-Lhe OFENSIVA. O mesmo quanto ao SÁBADO. Visava este pôr os homens em comunhão com o Senhor; quando, porém, o espírito estava absorvido com enfadonhos ritos, o objetivo do SÁBADO era contrariado. SUA OBSERVÂNCIA MERAMENTE EXTERIOR, ERA UM ESCÁRNIO.

      Outro SÁBADO, ao entrar Jesus na sinagoga, viu aí um homem cuja mão era mirrada. Os fariseus O observavam, ansiosos de ver o que faria. Bem sabia o Salvador que, curando no SÁBADO, seria considerado transgressor, mas não hesitou em derribar o muro das exigências tradicionais que atravancavam o SÁBADO.

      Jesus pediu ao enfermo que se adiantasse, perguntando então:

      "É LÍCITO NO SÁBADO FAZER BEM, OU FAZER MAL? SALVAR A VIDA, OU MATAR?"

      Era uma MÁXIMA entre os judeus que deixar de fazer o BEM, havendo oportunidade para isso, era fazer MAL; negligenciar salvar a vida, era MATAR. Assim Jesus os atacou com suas próprias armas. E eles calaram-se:

      "E, olhando para eles em redor com indignação, condoendo-Se da dureza do seu coração, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e foi-lhe restituída a sua mão, sã como a outra". Mar. 3:4 e 5.

      Quando interrogado:

      "É LÍCITO CURAR NO SÁBADO?"

      Jesus respondeu:

      Excluir
    4. "Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num SÁBADO cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois quanto mais VALE um HOMEM do que uma OVELHA? É, por consequência, LÍCITO fazer bem nos SÁBADOS." Mat. 12:10-12.

      Os espias não ousaram responder a Jesus em presença da multidão, por temor de se envolverem em dificuldades. Sabiam que Ele dissera a verdade. De preferência a violar suas tradições, deixariam um homem sofrer, ao passo que socorreriam um animal por causa do prejuízo para o possuidor, caso fosse o mesmo negligenciado. Assim, maior era o cuidado que manifestavam por um animal, que por um homem, criado à imagem divina.

      Toda religião que combate a soberania de Deus, despoja o homem da glória que lhe pertencia na criação e lhe deve ser restituída em Cristo. Toda religião que ensina seus adeptos a serem descuidosos para com as necessidades, sofrimentos e direitos humanos. O evangelho dá alto valor à humanidade, como resgate do sangue de Cristo, e ensina uma terna solicitude pelas necessidades e misérias do homem.

      O Senhor diz:

      "FAREI QUE UM HOMEM SEJA MAIS PRECIOSO DO QUE O OURO FINO DE OFIR." Isa. 13:12.

      Quando Jesus Se voltou para os fariseus com a pergunta se era lícito no dia de SÁBADO fazer BEM ou MAL, SALVAR ou MATAR, pôs-lhes diante os próprios maus desígnios deles.

      Estavam-Lhe dando caça à vida com ÓDIO AMARGO, ao passo que Ele salvava a vida e trazia felicidade às multidões.

      Seria melhor MATAR no SÁBADO, como estavam planejando, do que CURAR o AFLITO, como fizera Ele?

      Seria mais JUSTO ter o HOMICÍDIO no CORAÇÃO durante o SANTO DIA de DEUS, que AMOR para com TODOS os HOMENS - AMOR que se exprime em atos de MISERICÓRDIA?

      Na cura da mão mirrada, Jesus condenou o costume dos judeus, e colocou o QUARTO MANDAMENTO no lugar que Deus lhe destinara.

      "É ... lícito fazer BEM nos SÁBADOS", declarou Ele. Pondo à margem as absurdas restrições dos judeus, Cristo honrou o SÁBADO, ao passo que os que dEle se queixavam estavam desonrando o SANTO DIA de DEUS.

      Os que afirmam que Cristo aboliu a lei, ou parte da LEI, ensinam que Ele violou o SÁBADO e justificou os discípulos em assim fazer. Colocam-se assim na mesma atitude que tomaram os astutos judeus. Contradizem dessa maneira o testemunho do próprio Cristo, que declarou:

      "TENHO GUARDADO OS MANDAMENTOS DE MEU PAI, E PERMANEÇO NO SEU AMOR." João 15:10.

      Nem o Salvador nem Seus seguidores violaram a lei do SÁBADO. Cristo era um vivo representante da lei. Nenhuma transgressão de seus santos preceitos se encontrou em Sua vida. Olhando a uma nação de testemunhas ansiosas por uma oportunidade para O condenar, pôde dizer, sem contradição:

      "QUEM DENTRE VÓS ME CONVENCE DE PECADO?" João 8:46.

      O Salvador não viera para pôr de parte o que os patriarcas e profetas haviam falado; pois Ele próprio falara por intermédio desses representantes. Todas as verdades da Palavra de Deus tinham vindo dEle. Mas essas inapreciáveis jóias haviam sido postas em falsos engastes. Sua preciosa luz fora aplicada a servir ao erro. Deus queria que fossem tiradas desses engastes de erro, e recolocadas nos da verdade. Essa obra unicamente uma divina mão podia realizar. Por sua ligação com o erro, a verdade tinha estado ao serviço da causa do inimigo de Deus e do homem. Cristo viera colocá-la em condições de glorificar a Deus, e operar a salvação da humanidade.

      "O SÁBADO FOI FEITO POR CAUSA DO HOMEM, E NÃO O HOMEM POR CAUSA DO SÁBADO", disse Jesus. Mar. 2:27.

      As instituições estabelecidas por Deus são para benefício da humanidade.

      "TUDO ISSO É POR AMOR A VOCÊS." II Cor. 4:15.

      "Seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro, tudo é vosso. E vós de Cristo, e Cristo de Deus. I Cor. 3:22 e 23.

      A LEI dos DEZ MANDAMENTOS, da qual o SÁBADO é uma parte, Deus deu a Seu povo como uma bênção.

      CONTINUA...

      Excluir
    5. "O SENHOR NOS ORDENOU", disse Moisés, "QUE FIZÉSSEMOS TODOS ESSES ESTATUTOS, PARA TEMER AO SENHOR NOSSO DEUS, PARA NOSSO PERPÉTUO BEM, PARA NOS GUARDAR EM VIDA."Deut. 6:24.

      E, por intermédio do salmista, foi dada a Israel a mensagem:

      "Servi ao Senhor com alegria; e apresentai-vos a Ele com canto. Sabei que o Senhor é Deus: foi Ele, e não nós que nos fez povo Seu e ovelhas do Seu pasto. Entrai pelas portas dEle com louvor, e em Seus átrios com hinos." Sal. 100:2-4.

      E o Senhor declara acerca de todos quantos "GUARDEM O SÁBADO, NÃO O PROFANANDO:" "... os levarei ao Meu SANTO MONTE, e os festejarei na MINHA CASA DE ORAÇÃO". Isa. 56:6 e 7.

      "ASSIM O FILHO DO HOMEM ATÉ DO SÁBADO É SENHOR."

      Estas palavras acham-se repletas de instrução e conforto. Por haver o SÁBADO sido feito para o homem, é o DIA do SENHOR. Pertence a Cristo. Pois "TODAS AS COISAS FORAM FEITAS POR ELE, E SEM ELE NADA DO QUE FOI FEITO SE FEZ". João 1:3.

      Uma vez que Ele fez todas as coisas, fez também o SÁBADO. Este foi por Ele posto à parte como lembrança da criação. Mostra-O como CRIADOR tanto como SANTIFICADOR. Declara que Aquele que criou todas as coisas no Céu e na Terra, e por quem todas as coisas se mantêm unidas, é a cabeça da igreja, e que por Seu poder somos reconciliados com Deus.

      Pois, falando de Israel, disse:

      "Também lhes dei os Meus SÁBADOS, para que servissem de SINAL entre Mim e eles, para que soubessem que Eu sou o Senhor que os SANTIFICA" (Ezeq. 20:12) - os torna santos.

      Portanto, o SÁBADO é um SINAL do PODER de Cristo para nos fazer SANTOS. E é dado a todos quantos Cristo SANTIFICA. Como SINAL de Seu poder SANTIFICADOR, o SÁBADO é dado a todos quantos, por meio de Cristo, se tornam parte do Israel de Deus.

      E o Senhor diz:

      "Se desviares o teu pé de PROFANAR o SÁBADO, e de cuidar dos teus próprios interesses no Meu santo dia, e se chamares ao SÁBADO deleitoso, e SANTO DIA DO SENHOR, digno de honra, ... então te deleitarás no Senhor." Isa. 58:13 e 14.

      A todos quantos recebem o SÁBADO como SINAL do poder CRIADOR e REDENTOR de Cristo, ele será um deleite.

      Vendo nele Cristo, nEle se deleitam. O SÁBADO lhes aponta as obras da CRIAÇÃO, como testemunho de Seu grande poder em redimir. Ao passo que evoca a perdida paz edênica, fala da paz restaurada por meio do Salvador. E tudo na natureza Lhe repete o convite:

      "VINDE A MIM, TODOS OS QUE ESTAIS CANSADOS E OPRIMIDOS, E EU VOS ALIVIAREI." Mat. 11:28.

      Um forte abraço e fique com Deus.

      Excluir
  54. A Paz de Cristo a todos.

    Estimado Josinaldo Costa; O Sr disse:
    Em relação a serviços coletivos, por acaso os ônibus, as companhias de energia, de água, de telefonia fixa e móvel, etc., operam aos sábados somente para atender às necessidades dos adventistas? Claro que não, né! Se fosse assim, eu concordaria com vc, mas como não é o caso...
    R: Querido amigo, parece que você não leu todo meu comentário, pois eu já havia levantado esse argumento e respondido. Sim, tais serviços são operados e produzidos aos sábados para todos, sim, para todos independente de crença. Ocorre que: Como eu relatei antes, nenhum ASD quer trabalhar nessas Cias, se tiver de fazer-lo aos sábados, pois consideram isso pecado!! Mas ao mesmo tempo, não abrem mão de usufruir dos produtos e serviços fornecidos nesse dia!

    Não querem ou não podem trabalhar, mas querem, precisam e usufruem dos mesmos!! Portanto, não se trata de tais serviços serem para todos ou não; trata-se dos senhores pregarem que trabalhar nesses serviços aos sábados é pecado, dos senhores não quererem(ou não poderem) trabalhar nessas áreas aos sábados...mas usufruirem disso! Se para você trabalhar aos sábados é pecado, não usufrua daquilo que condena!!! Voce diz que porque tais serviços são feitos para todos, então não tem problema...Então, por exemplo, supondo que: se um ladrão rouba produtos para vender ou dar para adventistas, e se aparece um católico e compra o produto roubado, ele não pecou???? Seria pecado só se o comprador fosse um adventista? Amigo; O ladrão rouba e depois se quiser, vende para qualquer um que pagar!!! Amigo; roubo é roubo; quem compra produto roubado sabendo que é, peca também!

    Seguindo ainda seu racicínio, então logicamente você pode comprar algo roubado, já que os ladrões não estão roubando só para adventistas, roubam e repassam a mercadoria para qualquer um que queira. Analise suas próprias palavras, trocando esses serviços, por roubo/ladrões:

    Em relação a roubos, por acaso os ladrões operam aos sábados somente para atender às necessidades dos adventistas? Claro que não, né! Se fosse assim, eu concordaria com vc, mas como não é o caso...

    Percebeu? os ladrões agem para si, ou para qualquer um que queria comprar sua mercadoria roubada. Não existe roubos para atender a adventistas, outro roubo para batistas, outro para aquela outra crença... Os ladrões agem e vendem para qualquer um que pague! igual aos serviços em questão! Se...Porque os ladrões estão lá, roubando para todo mundo, então você vai lá se beneficiar do roubo também, porque os caras roubam para todo mundo, e não só para ASD??? Ora amigo, por favor!

    Pois, Assim, do mesmo modo, os tais serviços são fornecidos para quem paga, independente de crença! Mas você não compra nem usufrui de produto roubado não é? Então porque usufrui de produto produzido no sábado?? Porque esse comportamento de dois pesos, duas medidas???
    (continua...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além do que, tem a questão do comércio no sábado:
      O amigo bem sabe que, nenhum adventista desmente que todo e qualquer comércio no sábado é proibido. Agora analise: Todos esses serviços que citei, são fornecidos comercialmente; ou seja, água, esgoto, gás central, sinal de internet, telefonia fixa e móvel, energia elétrica, entre outros, SÃO PAGOS! As companhias ou empresas fornecedoras, não estão doando seus produtos e serviços para carentes, não estão “fazendo o bem”; estão trabalhando e praticando compra e venda, alvejando lucros; o comércio. A partir do momento que o usuário utiliza o produto ou serviço, que pagará, isso caracteriza usufruto do produto disponibilizado, fornecido, comercializado, que será pago!

      Até podem alegar: “Oh, sim, mas a energia, só pagarei no final do mês, e ainda assim, nunca no sábado...” É mesmo? bom, então sendo assim, os senhores adventistas também poderíam ir até o mercadinho da esquina; aquele onde você pega a mercadoria e não paga na hora; é só anotado no “caderninho”, não ? sendo assim, a compra fiada, não seria profanação, não é mesmo? você também poderia então comprar no hipermercado com cartão ou cheque-pré, ou pela internet, pois o produto é entregue em casa e só é pago mais tarde, em boleto bancário. Mas por acaso os adventistas praticam essa compra e venda fiada no sábado? Lógico que não! (o sr compra fiado no mercadinho aos sábados? Não? é pecado? Então porque não é pecado comprar energia e telefonia fiado??????)

      PENSE: E se hipotéticamente a energia elétrica fosse fornecida não por fios, mas com a troca de uma espécie de bateria, que durasse aproximadamente uns 30 dias e após isso, o profissional da Cia responsável, tivesse que ir até sua casa, realizar a troca da bateria... você chamaria o tal técnico se a bateria acabasse no sábado(que tal na sexta ao pôr-do-sol?) Não chamaria, não é? Pois é; quando o gás acaba no sábado, os adventistas não acionam a troca do botijão, pois além de ter alguém trabalhando na sua propriedade, terão de pagar por isso, mesmo que o serviço fosse pago noutro dia; e muitos outros profissionais não podem realizar nenhum serviço na residência dos ASD. Mas então, por quê a energia e telefonia são usados? Porque o sinal ou energia chega através de cabos, fios e ondas de rádio? Seria por isso? Mas do mesmo modo, tem que ter profissionais trabalhando para todos esses sistemas funcionarem. E falando em rádio, as emissoras ASD, funcionam no sábado, levando aos ouvintes a mensagem “divina” da “verdade”, graças a serviçais que estão trabalhando para fornecer todos os meios para tal; para depois, a emissora adventista ainda pregar “no ar”, sobre o pecado de trabalhar no sábado! (Não é de ficar pasmo?)
      Continua...

      Excluir
    2. Portanto senhores adventistas, a partir do momento que o produto ou mercadoria (ex: energia e telefone) chega em sua casa e os senhores aceitam, utilizam, consomem, vocês estão aceitando e usufruindo do produto ou mercadoria comercializada, usando e praticando o acordo, o contrato comercial do negócio, como consumidor-comprador, feito com a empresa fornecedora. Usando o produto agora, para pagar depois; portanto, estão praticando o comércio! Para o adventismo ser coerente, deveria rejeitar todo o tipo de comércio, todo, e não apenas parcialmente.

      E digo mais: o sr disse: “ operam aos sábados somente para atender às necessidades dos adventistas?

      R: AAAh... são necessidades???? Os senhores querem e precisam de atendimento de "necessidades" aos sábados??? Então se são necessidades a serem atendidas, não teria problema os semhores ASD trabalharem nessas áreas aos sábados para atenderem as necessidades dos outros não??? Ahh,....Mas aí, a coisa muda né??? Daí é pecado... Os senhores não podem... Mas querem e precisam que tenha alguém lá, produzindo para que todos, incluindo vocês, tenham e ususfuam do serviço!

      Outra frase sua: “ Gostaria de saber como estas acusações irão ajudá-lo a ter um bom relacionamento com Deus. Poderia explicar?
      R: Digamos que ajudarão (ou nada ajudarão) , tanto quanto como as acusações de dizer que deternimada igreja é uma grande prostituta e as demais são filhas da PT!

      E que Deus tenha Misericórdia.
      Décio – um Aprendiz de Cristão.

      Excluir
    3. kkkkkkkkkk é verdade, passam o sábado todo na internet e ai da operadora se deixar o sinal cair!

      Essa incoerência é de anojar qualquer um que tenha pelo menos um pouquinho de sensatez.


      .

      Excluir
    4. E por que o amigo não diz isto para sua esposa, amigo Décio? Por que em todo este tempo não a convenceu com seus argumentos? Se praticar o comércio NÃO é tão somente a negociação (compra e venda), mas também a parte de uso, teremos sérios problemas com esta teologia.

      Porque israel também pagava impostos e usufruía dos benefícios também no dia de sábado. A rede de água que levava recursos pra a cidade também era utilizada aos sábados. Os serviços de banho ritualístico também funcionava aos sábados. Entretanto, não compravam nem vendiam, nem contratavam, nem negociavam preços e condições dos serviços no dia de sábado.

      Muitos assalariados executavam trabalhos de atendimento de emergência no dia de sábado, como socorrer um boi que caiu nalgum buraco e recebiam por isto posteriormente à passagem do sábado.

      A população usufruía do trabalho dos guardas que trabalhavam no dia de sábado e que recebiam salários em revezamento, bem como da proteção de Roma em vários aspectos.

      O amigo parte do pressuposto de que usufruir do bem está contido como um ato de negociação/pratica de comercio.

      Então usar um carro financiado no sábado não poderia, porque você ainda estaria pagando mês a mês pela mercadoria, seria isto?

      Dê uma olhada na seguinte postagem:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/05/por-que-deus-proibiu-o-acendimento-de.html

      Dialoguemos em meu blog, se o amigo assim o desejar, afinal, Luciano Sena já havia pedido para usuários que usam pseudônimo e que não se identificam aqui, não usarem dos comentários, e não tenho achado o seu nome completo escrito em lugar algum.

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/05/resposta-ao-decio-acerca-do-usufruto-de.html

      E gostaria de fazer uma pergunta e um pedido ao Luciano Sena.

      Gostaria de saber se poderia pedir para alguém, com nome completo, postar aqui um link com respostas à comentários, ou se poderia, fazê-lo por eu mesmo, postando apenas o link, sem escrever linha alguma, senão uma saudação.

      Creio que assim estaria em harmonia com a nova regra de que todo comentário deverá ter identificação. A menos que o problema não seja de fato o comentar com pseudônimo, mas sim a presença de minha pessoa.

      Excluir
  55. Então revele-se Sr Adventista! Não exija dos outros aquilo que você não faz, ok?

    ResponderExcluir
  56. A paz de Cristo a todos.
    Lamento, mas não tenho tempo para rebater ou comentar todas as linhas...então vou levantar a frase que acho ser a chave da questão:

    O amigo parte do pressuposto de que usufruir do bem está contido como um ato de negociação/pratica de comercio.

    É realmente impressionante como mesmo depois de bem “mastigado”, ainda aparece alguém que não entendeu...Mas observando de quem se trata, na verdade creio que entendeu sim, (pois já debatemos isso em outra ocasião) mas não quero acreditar que novamente, outra vez, e de novo... Esse Estimado sr quer torcer o que escrevei... “para variar”...
    Olha meu prezado irmão em Cristo Sr Adventista; eu não parto do pressuposto do “usufruto do bem”... Me baseio no FATO da pessoa aceitar a venda e ainda usufruir de uma mercadoria, que sabe que é vendida, que sabe que não é de graça, sabe que será cobrada. Se eu lhe vendo algo agora e digo que você pode pagar semana que vem, e você naquela hora aceita, pega o produto, fazendo usufruto da mercadoria na hora ou não, você aceitou o acordo, concordou com a proposta, você se colocou na posição de comprador, aceitando a condição da venda, aceitando o comércio. É o famoso leve(e use) agora, pague depois! Isso é compra à fiado! Se você aceita e usufrui do produto que está sendo comercializado, mesmo pagando depois, você está em comércio. E se não tem problema usufruir de energia elétrica e telefonia que são produtos vendidos fiado(usa agora e paga depois), por que não se pode comprar fiado no mercadinho do “seo Joaquim” na esquina???
    Também me baseio no FATO dos amigos ASD condenarem o trabalho que produz esse bem, que muito querem e muito usam; e assim, usufruem do resultado daquilo que condenam, usando de dois pesos duas medidas, pois nivelam a profanação do sábado com algo tão grave como roubar.... E os senhores não usufruem de produtos oriundos de roubos, pois é pecado! Mas não fazem o mesmo com os produtos produzidos pelo pecado de profanar!
    E analisando sua própria frase Sr Adventista, seguindo com o mesmo peso, então quem faz usufruto de um bem roubado, não está pecando?? Então os ASD podem usufruir de bens roubados, sabendo que são roubados?? Ora, se o usufruto de mercadoria vendida não caracteriza negociação /comércio, e assim não caracteriza pecado, então usufruir de produto roubado não caracteriza pecado também não? Ou aí, a coisa muda?

    - O roubo é pecado e condenado.... e o uso consciente de produto roubado também o é!
    - A profanação do sábado é pecado e condenada mas o uso de produtos oriundos de trabalhos nesse dia.... NÃO É?


    E tem mais; EGW está sendo ignorada, pois observe o que ela escreveu:

    o povo dependia dos gentios quanto a muitos serviços que seus regulamentos proibiam que fizessem para si mesmos. Não refletiam que, se essas ações eram pecaminosas, os que empregavam outros para as praticar eram tão culpados como se as houvessem praticado eles próprios.”(O desejado de todas as nações pg 204)

    Observe como tal frase serve direitinho para os senhores:

    “O POVO ADVENTISTA DEPENDE DOS “GENTIOS” QUANTO A MUITOS SERVIÇOS QUE SEUS REGULAMENTOS PROIBEM QUE FAÇAM PARA SI MESMOS. NÃO REFLETEM QUE, SE ESSAS AÇÕES SÃO PECAMINOSAS, OS QUE EMPREGAM OUTROS PARA AS PRATICAR SÃO TÃO CULPADOS COMO SE AS HOUVESSEM PRATICADO ELES PRÓPRIOS".

    Cristo é Maior.
    Décio – um Aprendiz de Cristão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca Décio, vc aprendeu mesmo com os fariseus... Está parecendo um "doutor da Lei"

      Está igualzinho a eles quando acusavam Jesus!

      Agora uma pergunta:

      Eles estavam corretos na acusação?

      Excluir
    2. Irmão Gilson; não querendo ser entrometido, mas a essência da questão analisada pelo irmão Décio me parece ser a "acusação" dos próprios ASD quanto aos cidadãos que precisam trabalhar nesses trabalhos essenciais à sociedade em dia de sábado e acabam sendo taxados pelos adventistas (nem todos) de "transgressores" e "perdidos"; selados pela "besta".
      Mas nem de longe cogitam a possibilidade de deixar de usufruírem os frutos desse suposto pecado. Assim usufruindo também de trabalhos de servos no sábado, coisa que a bíblia condena.

      Isso se chama incoerência!

      Excluir
    3. Querido irmão César Talles, papamentiras, nós ASD NÃO acusamos ninguém de trabalhar aos Sábados, pelo contrário, nós, apenas, admoestamos quanto ao dia que todos nós, seres humanos e criaturas de Deus, deveríamos GUARDAR e DESCANSAR de nosso labor diário. Este dia deveria ser de plena comunhão e louvor com o Senhor assim como está escrito na Bíblia e assim como Jesus nos ensinou quando esteve aqui.

      Quando Jesus esteve aqui veio ensinar como o povo deveria guardar esse mandamento, pois os escribas e fariseu da época tinham enxertado e engodado o mandamento com tantas tradições dos anciãos que se tornou um fardo para o povo, fardo este que nem eles mesmos (fariseu e escribas, doutores da lei) não conseguiam carregar, por isso Jesus os chamava de hipócritas e comparava-os a um sepulcro caiado.

      As colocações do Sr. Décio está igual ao dos escribas e fariseus (doutores da lei), querendo colocar fardos que não existe no mandamento e acusa os ASD de transgredirem o mandamento. Não estou dizendo que todo ASD guarda o Sábado como deveria ser guardado. Existem ASD que ainda não entendem a verdadeira essência do mandamento do Sábado, assim como existem muitas pessoas que não o guarda, simplesmente, por não conhecê-lo, ou puramente, por tradição dominical advindo de um ensino da ICAR nos primeiros séculos após a morte de Cristo.

      Lembre-se! Não podemos colocar TRADIÇÕES humanas nos mandamentos de Deus.

      Que Jesus Cristo, o Senhor do Sábado, abençoe vc e sua família. Amém!

      Excluir
    4. Engana-se Décio, o problema do comércio do sábado nunca foi a questão de usufruir de algo comprado com dinheiro.

      A ilicitude do comércio no sábado não trata de uma questão financeira, mas de comunhão.

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/05/por-que-deus-proibiu-o-acendimento-de.html

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/05/resposta-ao-decio-acerca-do-usufruto-de.html

      Isto porque a Lei não se trata de um capricho divino, mas de leis com objetivos claros e bem definidos, de manter um saudável relacionamento com Deus (comunhão) e os irmãos (congregação) no sábado.

      O problema de se dedicar à atividades de remuneração pessoal ou de prática de comércio visando lucro pessoal é pelo único motivo de impedir a comunhão com Deus e a congregação!

      Excluir
    5. Irmão Gilson:
      Vamos supor então que jesus veio realmente ensinar o sábado (mesmo sem ter dado nenhuma declaração em favor desse mandamento). Ele diz que é Senhor do sábado (descanso), como tu citaste, e que o sábado ou "descanso" foi feito por causa do homem e não o homem por causa do "descanso".
      Jesus aqui deixa claro que em primeiro lugar está
      as pessoas e não o "sábado"!!!
      Será que jesus condenaria quem está trabalhando no dia de sábado, para que a sociedade não vire um "caos" nesse dia?

      Será que não são vocês que então sendo os "fariseus dos gentios"?

      Para se pensar:

      Excluir
    6. Olá irmão Cesar Talles, a paz do Senhor!

      E nossa SOCIEDADE não está um CAOS?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  57. Senhores debatedores,

    Livro online

    Interessante livro sobre o assunto - TABLAS DE PIEDRA - http://www.vozdegracia.com/libro2.html

    ResponderExcluir
  58. "Existem ASD que ainda não entendem a verdadeira essência do mandamento do Sábado,"

    isso é bem verdade, já que:

    a verdadeira essência a igreja entendeu desde o começo no NT, ou seja um dia de descanso, e não o calendário, e meu dia de descanso pode ser qualquer dia que reservar para a consagração.

    como diz as Escrituras:

    "Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente." (Romanos 14 : 5)


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Fernando Costa, a paz do Senhor!

      O irmão afirma que nós "NÃO ENTENDEMOS A VERDADEIRA ESSÊNCIA DO SÁBADO", mas em contrapartida o irmão entende perfeitamente, não é mesmo!

      Cita Romanos 14:5 como sendo UM ponto final no assunto.