terça-feira, 1 de julho de 2014

Colossenses 2.16 - Samuele Bacchiocchi e o Comentário Adventista

S. Bacchiocchi, é o erudito adventista mais respeitado no campo teológico evangélico. Desde quando publicou sua tese a respeito do sábado, com reconhecimento de eruditos católicos e protestantes, tem sido muito usado por adventistas. Deve ser lembrado que ele recebeu uma resposta com robustez acadêmica de D. A. Carson & CIA.

Um dos motivos que Bacchiocchi ter sido aceito é que, pelo menos no livro, ele não ficou sob da autoridade mística de Ellen White. Aliás, ele também se tornou uma grande dor de cabeça para os cegos seguidores de Ellen White, especialmente no campo histórico. Mas a postagem hoje trás um trecho do livro onde ele questiona a interpretação do Comentário Adventista. Veja:

“O Sábado em Colossenses 2:16. Os tempos sagrados prescritos pelos falsos mestres são referidos como “dias de festas, ou lua nova, ou sábado e orthv h neorhhiva” (2:16). O consenso unânime dos comentaristas é de que estas três palavras representam uma sequência lógica e progressiva (anual, mensal e semanal) bem como uma enumeração completa dos tempos sagrados. Esta posição é validada pela ocorrência destes termos, em seqüência similar ou inversa, cinco vezes na Septuaginta e diversas vezes em outra literatura. Há, contudo, uma ocorrência excepcional em Isaías 1:13 e 14 onde a “lua nova” se encontra no início da enumeração em vez de no meio, porém uma exceção não invalida um uso comum. O Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia interpreta o sabbatwn-dias de sábado” como uma referência aos sábados cerimoniais anuais e não ao sábado semanal (Lev. 23:6-8, 15, 16, 21, 24, 25, 27, 28, 37, 38). É verdade que tanto o sábado e o Dia da Expiação em hebraico são designados pela expressão compostas shabbath shabbâthôn, significando “um sábado de descanso solene” (Êxo. 31:15; 15:2; Lev. 23:3, 32; 16:31). Porém esta expressão está traduzida na Septuaginta pela expressão grega composta “sabbata sabbatwn” que é diferente do simples “sabbatwn” encontrado em Colossenses 2:16. É, portanto, lingüisticamente impossível interpretar este último como uma referência ao Dia da Expiação ou a quaisquer outros sábados cerimoniais uma vez que estes nunca são designados simplesmente como “sabbata”. O comentário citado fundamenta sua interpretação, contudo, não no uso gramatical e lingüístico da palavra “sabbatwn”, mas numa interpretação teológica do sábado relacionado a “sombra” em Colossenses 2:17. Argumenta que “o sábado semanal é um memorial de um evento ao princípio da história da terra . . . por isso os ‘dias de sábado’ que Paulo declara serem sombras apontando a Cristo não podem referir-se ao sábado semanal . . . mas deve indicar os dias de repouso cerimoniais que alcançam realização em Cristo e Seu Reino”. Determinar o significado de uma palavra exclusivamente por suposições teológicas, ao invés de fazê-lo por evidências lingüísticas ou contextuais, é contra os cânones da hermenêutica bíblica. Além do mais, até mesmo a interpretação teológica que o Comentário Adventista dá ao sábado é difícil de justificar, pois vimos que o sábado pode legitimamente ser considerado como a “sombra” ou o símbolo adequado da presente e futura bênção da salvação. Além do que já anotamos que o termo “sombra” é usado, não em sentido pejorativo, como rótulo para observâncias sem valor que perderam sua função, mas para qualificar o seu papel num relacionamento com o “corpo de Cristo”. Uma outra indicação significativa insurgindo contra os sábados cerimoniais, é o fato de que estes já estão incluídos na palavra “eorthς-festival” e se “sabbatwn” significasse a mesma coisa haveria uma repetição desnecessária. Estas indicações obrigatoriamente mostram que a palavra “sabbatwn” como está utilizada em Colossenses 2:16 não pode referir-se a quaisquer dos sábados anuais cerimoniais.”


Fonte: DO SÁBADO PARA O DOMINGO - Uma Investigação do Surgimento da Observância do Domingo no Cristianismo Primitivo (pp. 213,214).

52 comentários:

  1. HOLA, VISITANDOLES NUEVAMENTE, BENDICIONES.
    MI BLOG www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. O dr. Bacchiocchi era um autentico, fervoroso e genuíno adventista do sétimo dia e nunca esteve contra esta Igreja a qual ele tanto amava.
    Se sua intenção é tentar confundir o leitor atento, seu propósito não terá nenhum fruto, sr. Luciano Sena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha intenção foi mostrar o que mostrei...

      Excluir
    2. Olá IRMÃO Luciano Sena, a paz do Senhor!

      EXATAMENTE IRMÃO Luciano!

      "Minha intenção foi mostrar o que mostrei"

      Ou seja:

      " Texto fora do contexto vira um pretexto"

      O irmão adora usar esta ARTIMANHA!

      Sua conduta SISTEMÁTICA não seria REPROVÁVEL do ponto de vista CRISTÃO? O que o IRMÃO acha?

      Para os BLOGUEIROS não ficarem a merce de tal TÉCNICA, CLIQUEM no LINK abaixo para fazer o DOWNLOAD do livro "DO SÁBADO PARA O DOMINGO" em PDF (totalmente GRÁTIS) e tirem suas próprias conclusões para não serem induzidos pelo PRETEXTO ou outra atitude que prefiro não mencionar!

      http://adventismoemfoco.files.wordpress.com/2008/11/tese-do-phd-dr-bacchiocchi-do-sabado-para-o-domingo.pdf

      Boa leitura, ou melhor, ÓTIMA leitura!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    3. O mandamento 1, 2, 3, 5, 6, 7, 8, 9, 10 não são sombras... só o 4° é? O mandamento 1 ,2 , 3, etc... Se transgredir é pecado, só o 4° não?

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IRMÃO Luciano Sena, a paz do Senhor!

      IRMÃO Luciano, se eu não estiver enganado, já LI que o IRMÃO sabe quem é o Sr Adventista.

      E como percebo em seu BLOG, que quando se utiliza um NOME FICTÍCIO o IRMÃO os deleta (e concordo, pois é a regra de seu BLOG) e também quando a pessoa se IDENTIFICA apenas uma ÚNICA vez esta pessoa passa a ter AUTORIZAÇÃO para participar dos comentários (não concordo, mas o BLOG é seu e assim o será) e também em casos ESPECIAIS como do IRMÃO FABULO (não concordo, mas é no mínimo coerente devido o pedido do IRMÃO FABULO).

      CORRIJA-ME se eu estiver errado, por favor!

      Entendi que que você sabe quem é o IRMÃO Sr Adventista!?

      O IRMÃO Luciano Sena, não poderia colocar o nome dele uma ÚNICA VEZ (como a grande maioria dos próprios BLOGUEIROS o fazem e tem seus com liberados) e assim o Sr Adventista passaria a poder comentar?

      Ou seria apenas uma questão de HONRA para o IRMÃO Luciano Sena?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  4. Samuele Bacchiocchi, era um Cristão verdadeiro, não foi dissimulado nem enganador? Interpretou corretamente colossensses 2:14 a 17 e também provou por A+B que a guarda do domingo não veio dos PAPAS, MAS DOS PRIMEIROS CRISTÃOS, AINDA NO PRIMEIRO SÉCULO. Alguns adventistas que nem leram seu livro o chamam de Jesuíta, o que é uma injustiça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que ele complicou um pouco algumas coisas para o adventismo...

      Excluir
    2. (1) Olá IRMÃO Luciano Sena, a paz do Senhor!

      Nos COMPLICANDO? Será?

      Por que o IRMÃO, não citou este parágrafo da mesma página 213? Segue "IPSIS LITERIS!:

      "Concluímos, portanto, que Paulo em Colossenses (2:16) não está CONDENANDO a ABSTINÊNCIA
      de COMIDA ou BEBIDA ou o uso de DIAS SAGRADOS tais como o SÁBADO, mas o motivo ERRADO envolvido na sua OBSERVÂNCIA. O que Paulo ataca é a promoção destas práticas como recursos AUXILIARES para a SALVAÇÃO, e como meio de ganhar a proteção dos “ELEMENTOS do UNIVERSO”. (grifos meus).

      O que o IRMÃO acha que ele quis dizer?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Continua no (2)...





      Excluir
    3. (2) Olá IRMÃO Luciano Sena, a paz do Senhor!

      Por que o IRMÃO, não citou este parágrafo também da mesma página 214? Segue "IPSIS LITERIS!:

      “A forma plural “”(SABBATA) refere-se exclusivamente ao SÁBADO do SÉTIMO DIA?

      O fato de que o PLURAL tem três significados, a saber:

      (1) vários SÁBADOS (LXX Eze. 46:3; Isa.1:13; Atos 17.2),

      (2) um SÁBADO, (apesar do plural-LXX Êxo. 20:11; Mat. 1:21; 2:23-24; 3-2-4), e

      (3) a SEMANA TODA (cf. os títulos dos Salmos na LXX, Sal.23:1; 47:1 93:1; Mar. 16:2; Luc. 24:1; Atos 20:7):

      tem levado muitos a acreditar que em Colossenses o termo se refere não exclusivamente ao SÁBADO do SÉTIMO DIA mas também a “DIAS da SEMANA”.(63 REFERÊNCIA).

      Esta POSIÇÃO MERECE CONSIDERAÇÃO pois a enumeração realmente SUGERE FESTIVIDADES ANUAIS, MENSAIS e SEMANAIS. E ainda mais, o fato de que em Gálatas 4:10 (cf. Rom. 14:5), onde Paulo se opõe a um FALSO ENSINO marcadamente semelhante que insistia na observância de “DIAS, e MESES, e TEMPOS e ANOS,” a lista começa com “DIAS-ς” (plural) dá-nos razões para acreditar que os “SÁBADOS” em Colossenses incluem outros DIAS além do SÁBADO. Neste caso, PAULO está ADVERTINDO contra a OBSERVÂNCIA de DIAS SANTOS ANUAIS, MENSAIS e SEMANAIS em geral (incluindo o SÁBADO). Também se encontra apoio para esta justaposição no qual “COMER e BEBER” e a OBSERVÂNCIA de TEMPOS SAGRADOS são colocados. A mesma correlação entre o COMER-NÃO COMER e a OBSERVÂNCIA de DIAS é sugerida em Rom. 14:2 e 5. É, portanto, totalmente POSSÍVEL que os “DIAS” de Romanos e Gálatas, e os “SÁBADOS” de Colossenses, estão inter-relacionados, incluindo, além do SÁBADO, outros DIAS da SEMANA caracterizados por JEJUM ou TABUS DIETÉTICOS.” (grifos meus).

      Unindo este parágrafo da página 214 com o da página 213, ambos NÃO publicados pelo irmão, segue também IPSIS LITTERIS.

      "Concluímos, portanto, que Paulo em Colossenses (2:16) não está CONDENANDO a ABSTINÊNCIA de COMIDA ou BEBIDA ou o uso de DIAS SAGRADOS tais como o SÁBADO, mas o motivo ERRADO envolvido na sua OBSERVÂNCIA. O que Paulo ataca é a promoção destas práticas como recursos AUXILIARES para a SALVAÇÃO, e como meio de ganhar a proteção dos “ELEMENTOS do UNIVERSO”. (grifos meus).

      O que o SAUDOSO IRMÃO BACCHIOCCHI quis dizer?

      Nos contradizer? Tenho certeza que não!
      Mas o IRMÃO Luciano Sena está usando do ditado, ou técnica se preferir:

      “Texto fora do Contexto vira Pretexto”

      REFERÊNCIA

      (63). Norbert Hugedé (nota 13); p. 144: “A. Baily em seu dicionário, ad. loc., esforça-se por assinalar que se o singular  designa o dia de repouso da Bíblia, ( pode ter este significado às vezes), o plural de  é a expressão usada especificamente para designar a semana (Anthologie, V.160); o autor cita textos do N.T. onde a palavra tem este significado: Mat.28:1: ς (o primeiro dia da semana); cf. Mar. 16:2; Luc.24:1; João 20:1, 19; Atos 20:7. Vemos, pois, que a palavra já em si mesma, sem levar em consideração o contexto helenístico onde estamos e que nos orienta, tem apenas relações longínquas com o dia do sábado, designado pelo Decálogo como o memorial da criação e do êxodo do Egito. . . . “sobre três empregos do plural  ver a explícita explicação de E. Lohse em TDNT VII, pp. 7, 20.

      Um forte abraço e fique com Deus!

      CONTINUA NO (3)...

      Acredito que o GREGO não aparecerá total ou parcialmente, "MAS PRA BOM ENTENDEDOR, MEIA PALAVRA BASTA". Mas se aparecer melhor ainda! Entes de enviar, só apareceram "QUADRADINHOS" em branco! Estranho, pois nas publicações do IRMÃO Luciano os CARACTERES em GREGO APARECEM normalmente! Vamos ver no que vai dar!?

      Excluir
    4. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

      Infelizmente minha suspeita se confirmou!

      IRMÃO Luciano, teria como resolver este problema com os CARACTERES em GREGO?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  5. Luciano,

    Essa interpretação aparentemente choca não só com a doutrina adventista, mas aparentemente com a nossa própria, que também é, a seu modo, sabatista.

    A interpretação dada pela Orthodox Presbyterian Church me pareceu mais interessante que a citada no texto do Blog. Gostaria de ouvir a sua opinião a respeito, caso possa fazê-lo, e de saber também quais as razões que o levam a preferir uma em detrimento da outra, caso possua já opinião formada.

    http://www.opc.org/GA/sabbath.html

    Valeu! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Diogo.

      Calvino por exemplo tem semelhanças e diferenças.

      1. Ele entendia que Cl 2.16 abolia o sábado.
      2. Ele entendia que a Lei continuava.
      3. Ele entendia que o domingo foi escolhido, sem superstições, por conveniência da Igreja do NT

      A teologia Reformada entende

      1. O texto de Cl 2.16 fala de dias cerimoniais.
      2. A Lei continua.
      3. Entende que o sábado foi substituído.

      Eu mantenho tanto o que a TR diz a respeito da Lei, mas a fico com a interpretação de Calvino a respeito do texto de Cl 2.16, mas que incluiria um qualificativo: O sábado foi abolido pela substituição.

      Discordo de Calvino quando esse diz que o dia do Senhor foi uma simples acomodação da Igreja do NT.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

      “Calvino, semelhanças e diferenças.”

      “1. Cl 2.16 abolia o sábado.”

      1B- Concordo com ele, pois se trata do SÁBADO CERIMONIAL que foi ABOLIDO ou como BACCHIOCCHI disse, não o ABOLINDO, mas CONDENADO seu USO ERRADO, ou seja, como meio de SALVAÇÃO pelos JUDAIZANTES!

      “2. a Lei continuava.”

      2B- CONCORDAMOS! Mas veja que engraçado: Nove continuam, mas UM é ABOLIDO! No mínimo ESTRANHO!

      “3. Ele entendia que o domingo foi escolhido, por conveniência da Igreja do NT”

      3B- Que a igreja do NT escolheu por conveniência o DOMINGO, esse é o maior ABSURDO que um teólogo pode afirmar! NÃO EXISTE ISSO NÃO SÓ NO VELHO, MAS PIOR AINDA NO NOVO TESTAMENTO! Cite O ou OS versículos (não existe) no NT e qual autor INSPIRADO que o fez (não existe)!?

      “A TR entende”

      “1. Cl 2.16 fala de dias cerimoniais.”

      1B- Concordo com ele, pois se trata do SÁBADO CERIMONIAL que foi ABOLIDO ou como BACCHIOCCHI disse, não o ABOLINDO (semanal), mas CONDENADO seu USO ERRADO, ou seja, como meio de SALVAÇÃO pelos JUDAIZANTES!

      “2. A Lei continua.”

      2B- CONCORDAMOS! ! Mas veja que engraçado: Nove continuam, mas UM é ABOLIDO! No mínimo ESTRANHO!


      “3.o sábado foi substituído.”

      3B- Que ‘A TEOLOGIA REFORMADA” escolheu por conveniência o DOMINGO por SUBSTITUIÇÃO, esse é outro ABSURDO que um teólogo pode afirmar! NÃO EXISTE ISSO NÃO SÓ NO VELHO, MAS PIOR AINDA NO NOVO TESTAMENTO! Cite “O” ou “OS” versículos (não existe) no NT e qual autor INSPIRADO que o fez no NT (não existe)!?



      “Eu mantenho tanto o que a TR diz a respeito da Lei, mas a fico com a interpretação de Calvino a respeito do texto de Cl 2.16, mas que incluiria um qualificativo: O sábado foi abolido pela substituição.”

      Concordo com ele, pois se trata do SÁBADO CERIMONIAL que foi ABOLIDO ou como BACCHIOCCHI disse, não o ABOLINDO (semanal), mas CONDENADO seu USO ERRADO, ou seja, como meio de SALVAÇÃO pelos JUDAIZANTES!
      ABOLIDO pela famigerada SUBSTITUIÇÃO é uma piada, ela (a SUBSTITUIÇÃO) realmente ocorreu provada pela HISTÓRIA e agrupado pelo SAUDOSO Irmão BACCHIOCCHI em seu livro “DO SÁBADO PARA O DOMINGO” que o IRMÃO Luciano Sena quer usar para SUPOSTAMENTE nos contradizer! Ledo engano e presunção! A HISTÓRIA nos afirma o ocorrido e isso é INDESMENTÍVEL! Foi isso mesmo o que OCORREU, mas o que o IRMÃO Luciano Sena ainda não ENXERGOU ou não quer ENXERGAR é:

      Quem AUTORIZA e aonde deve conter tal AUTORIZAÇÃO?

      Como o IRMÃO Luciano Sena, SEMPRE dá a mesma resposta, ou seja, ele não ENXERGA ou não quer ENXERGAR, ele o faz nos moldes da ICAR, ou seja, somente através da HISTÓRIA (indesmentível) e PATRÍSTICA (duvidosa nem toda, mas parte dela) é que se pode fazer tal AFIRMAÇÃO! Mas no NT como o IRMÃO sempre frisa que é aonde encontrarámos a SUPOSTA BASE TEOLÓGICA, NÃO EXISTE quem AUTORIZOU e muito menos AONDE encontramos tal AUTORIZAÇÃO! Não EXISTE!

      NÃO EXISTE ISSO NÃO SÓ NO VELHO, MAS PIOR AINDA, NO NOVO TESTAMENTO! Cite “O” ou “OS” versículos (não existe) no NT e qual autor INSPIRADO que o fez no NT (não existe)!?

      É HILÁRIO, DEUS INSTITUIU o SÁBADO!

      Agora, AONDE DEUS inspirou algum servo CANÔNICO, para ABOLIÇÃO ou SUBSTITUIÇÃO em toda a BÍBLIA?
      NÃO EXISTE! Só se DEUS inspirou os HISTORIADORES PÓS-APOSTÓLICOS ou PATRÍSTICOS o FAZEREM, mas AONDE encontramos na BÍBLIA que os tais teriam essa PRERROGATIVA e AUTORIZAÇÃO? Voltamos à estaca ZERO novamente, ou seja, NÃO EXISTE!

      DEUS INSTITUIU! Mas pasmem, o HOMEM quer MUDAR a todo custo, apenas com conjecturas e muito PRECIOSISMO!

      “Discordo de Calvino quando esse diz que o dia do Senhor foi uma simples acomodação da Igreja do NT.”

      Concordo com o CALVINO, foi uma tremenda ACOMODAÇÃO!

      “A ICAR , sem autorização da Bíblia, intitulou "PRIMA FERIA" como sendo "DIES DOMINICUS", que em LATIM significa "DIA do SENHOR". Lembrando que os textos bíblicos foram escritos em HEBRAICO, ARAMÁICO e GREGO, não consta absolutamente nada em LATIM”.

      TOTAL ACOMODAÇÃO, não acha?

      Um forte abraço IRMÃO Luciano Sena, e fique com Deus!

      Excluir
    4. Luciano,

      Entendi o que disse. Obrigado pela atenção. Compreendo um pouco esses posicionamentos de Calvino e da teologia reformada tradicional.

      Como presbiteriano, sou confessional quanto ao Quarto Mandamento, embora tenha de uns tempos para cá achado a interpretação dada pela OPC melhor que a reformada tradicional do texto em questão.

      Apenas queria saber sua opinião quanto à opinião da OPC, que sustenta que o texto de Colossenses, por conta de seu contexto, não fala de abolição de sábados cerimoniais nem da abolição do sábado moral, mas da abolição das cerimônias litúrgicas ocorridas nos sábados, tanto nos festivos quanto no moral. Não sei da sustentabilidade dessa opinião, mas me pareceu bastante atraente.

      Deixa eu explicar em termos genéricos o que se encontra no Relatório da OPC por meio de uma passagem de um dos livros do Frame.

      "O relatório [de 1972 da AG da OPC] observa que "comida e bebida" (v.16) geralmente são entendidas como uma referência às leis dietéticas do Antigo Testamento, mas na verdade não há leis dietéticas referentes à bebida. É mais provável, então, que "comida e bebida" se refira a ofertas de comida e bebida feitas no templo de Jerusalém. Isso estabelece o contexto para "dia de festa, ou lua nova, ou sábados". Essa tríade é encontrada junto com referências a ofertas de comida e bebida em Ezequiel 45.17: "Estarão a cargo do príncipe [do Israel ideal] os holocaustos, e as ofertas de manjares (comida) e as libações (bebida), mas nas festas de lua nova e nos sábados, em todas as festas fixas da casa de Israel."

      Dá uma lida lá no Relatório, se tiver um tempinho, porque essa minha explicação tá resumida demais... rs. Aí me dá a sua opinião. ;)

      Valeu!

      Excluir
  6. Muitos acham que os Cristãos primitivos reuniam-se aos "Shabats", com os judeus, Ledo engano! Eles foram perseguidos ferozmente pelos guardadores do Shabat, está na sua bíblia, veja:

    A Ruptura entre o Caminho(Cristianismo nascente) e o Judaísmo

    Houve com certeza uma ruptura entre o (Caminho)Cristianismo nascente e o Judaísmo.


    Então esta história de Cristãos estarem se reunindo pacificamente com Judeus aos sábados nas sinagogas, não ocorria mais, pois foi movida uma perseguição contra os Cristãos pelos Judeus, veja como é verdade!!!

    Veja mais a perseguição e matança de Cristãos pelos Judeus que se reuniam em sinagogas:


    1 Tessaloniceses 2

    13 E existe outra razão pela qual sempre damos graças a Deus. Quando levamos a vocês a mensagem de Deus, vocês a ouviram e aceitaram. Não a aceitaram como uma mensagem que vem de pessoas, mas como a mensagem que vem de Deus, o que, de fato, ela é. Pois Deus está agindo em vocês, os que crêem.
    14 Meus irmãos, o que aconteceu com vocês já havia acontecido também com as igrejas de Deus na Judéia, com o povo dali que pertence a Cristo Jesus. VOCÊS FORAM PERSEGUIDOS PELOS SEUS PRÓPRIOS PATRÍCIOS, DO MESMO MODO QUE OS CRISTÃOS DA JUDÉIA FORAM PERSEGUIDOS PELOS JUDEUS.
    15 FORAM OS JUDEUS QUE MATARAM O SENHOR JESUS E OS PROFETAS E TAMBÉM NOS PERSEGUIRAM. Eles desagradam a Deus e são inimigos de todos.16 Tentam até nos impedir de anunciarmos a mensagem de salvação aos não-judeus. Com isso eles completam o total dos pecados que eles têm cometido. Mas agora o castigo de Deus caiu finalmente sobre eles.
    17 Irmãos, nós tivemos de nos separar de vocês por algum tempo. Estamos longe dos olhos, mas perto do coração. Sentimos muitas saudades de vocês e gostaríamos de vê-los outra vez.
    18 Por isso quisemos ir até aí e fazer uma visita a vocês. Pelo menos eu, Paulo, quis fazer isso mais de uma vez, mas Satanás não nos deixou.
    19 Afinal, quando o nosso Senhor Jesus vier, vocês e ninguém mais são de modo todo especial a nossa esperança, a nossa alegria e o nosso motivo de satisfação, diante dele, pela nossa vitória.
    20 Sim, vocês são o nosso orgulho e a nossa alegria!

    Continua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

      Concordo com o irmão, pois temos a mesma BÍBLIA!

      Exatamente, Saulo não perseguiu quem falava sobre JESUS? Quando Paulo aceitou a Cristo e passou à anunciá-Lo, agora ele era PERSEGUIDO! Não houve nenhuma mudança a esse respeito e foi devido a esta PERSEGUIÇÃO que ajudou na própria propagação da mensagem!

      Quem e aonde lhe passaram esta informação que este contato sempre foi PACÍFICO! E claro, este contato não era NÃO era PACÍFICO para quem não CONCORDAVA,mas já era PACÍFICO para os JUDEUS que aceitaram o CRISTIANISMO.

      E outra, a questão do contato ser PACÍFICO ou não, não muda em nada a questão da observância SABÁTICA, pois não era ele (o sábado) que estava em pauta, mas aceitar ou não a JESUS CRISTO como MESSIAS, para os JUDEUS.

      Ou o irmão Cristão Livre encontrou no texto citado acima algo sobre "GUARDAR ou NÃO o SÁBADO" ou "GUARDAR ou NÃO o DOMINGO"? O que teria levado os Judeus a perseguirem os CRISTÃOS...Não, não é mesmo!

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  7. Continuação...

    Penso também que no Cristianismo houve algum afastamento de algumas regras do velho testamento, que criavam um muro de separação entre os Judeus, Cristãos e Gentios.

    Até Jesus e os apóstolos foram discriminados e perseguidos por causa do sábado, vejam estas passagens:


    JOÃO 5
    9 – Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar. Ora, aquele dia era sábado.
    10 – Pelo que disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito.
    16 – POR ISSO OS JUDEUS PERSEGUIRAM A JESUS, PORQUE FAZIA ESTAS COISAS NO SÁBADO.
    18 – Por isso, pois, os judeus ainda mais PROCURAVAM MATÁ-LO, PORQUE NÃO SÓ VIOLAVA O SÁBADO, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

    JOÃO 7
    22 – Moisés vos ordenou a circuncisão (não que fosse de Moisés, mas dos pais), e no sábado circuncidais um homem.
    23 – Ora, se um homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja violada, como vos INDIGNAIS CONTRA MIM, porque NO SÁBADO tornei um homem inteiramente são?

    JOÃO 9
    14 – Ora, era sábado o dia em que Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos.
    16 -Por isso alguns dos fariseus diziam: ESTE HOMEM NÃO É DE DEUS; POIS NÃO GUARDA O SÁBADO. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles.

    VEJA BEM!

    ESTAVA FICANDO IMPOSSÍVEL PARA JESUS E OS APÓSTOLOS CONVIVER ENTRE OS QUE GUARDAVAM O SÁBADO, POIS ERAM PERSEGUIDOS E ATÉ PROCURAVAM MATÁ-LOS POR CAUSA DO SÁBADO. E Isto continuou após a crucifixão de Jesus, conforme Paulo relata e 1 Tess 2:13 a 20.

    Então vieram as recomendações apostólicas, quanto a certos assuntos, principais motivos de discórdias, assim como é hoje.

    Faz sentido quando Paulo disse em Col 2:16 e Romanos 14:5 e 6

    “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida ou bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados”.
    "Algumas pessoas pensam que certos dias são mais importantes do que outros, enquanto que outras pessoas pensam que todos os dias são iguais. Cada um deve estar bem firme nas suas opiniões.
    Quem dá mais valor a certo dia faz isso para honrar o Senhor. E também quem come de tudo faz isso para honrar o Senhor, pois agradece a Deus o alimento. E quem evita comer certas coisas faz isso para honrar o Senhor e dá graças a Deus."

    No Contexto de Atos 15, mostra claramente esta ruptura e o surgimento de uma nova religião dentro de novos parâmetros.

    Dizem que toda generalização é burra, e é mesmo! Portanto, Muitos Judeus da época de Cristo, por tornarem-se Cristãos foram perseguidos, e também muitos que não eram cristãos, nunca concordaram com a perseguição acima referida.


    (VEJA BEM! OS JUDEUS NÃO SÃO ANTI-CRISTÃOS, HOJE. ISTO FOI PASSADO E PENSO QUE NUNCA MAIS SE REPETIRÁ, MUITO PELO CONTRÁRIO OS CRISTÃOS HOJE GOSTAM DOS JUDEUS E PENSO QUE ELES GOSTAM DOS CRISTÃOS), INCLUSIVE EXISTEM MUITOS JUDEUS CRISTÃOS.


    Saiba mais - Sobre a Ruptura entre Cristãos e Judeus - Desenrolar e graves consequências
    No link: http://www.projetoresgatar.com.br/lernoticia.asp?id=34

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

      O irmão citou:

      "Até Jesus e os apóstolos foram discriminados e perseguidos por causa do sábado, vejam estas passagens"

      Mais uma vez concordo com você! Eles foram perseguidos e discriminados mesmo, não temos nenhuma dúvida disso (eu e você), mas quando o irmão cita estes textos acima o que o irmão realmente estaria querendo afirmar?

      Minha dúvida:

      Os ESCRIBAS e FARISEUS estariam com a razão (no seu entendimento)?

      Ou Jesus estaria com a razão?

      Qual seria o seu entendimento?

      Se os JUDEUS estivessem com a razão, então Jesus e os discípulos estariam ERRADOS, ou seja, teriam pecado certo? Mas se Jesus pecou, então Ele falhou no plano da SALVAÇÃO e não podemos mais sermos SALVOS e já estamos condenados à MORTE ETERNA! Sabemos que o CORDEIRO (tipo) sem MANCHA e DEFEITO representava O antítipo, a Jesus Cristo (Jo 1:29).

      Entende o que quero dizer?

      Mesmo nos textos citados pelo irmão acima, o discurso também não se tratava se o SÁBADO deveria ser OBSERVADO ou NÃO, mas segundo o diálogo de Jesus com os FARISEUS, o foco NÃO era "SE" e sim "COMO" o SÁBADO deveria ser OBSERVADO.

      Qual o seu entendimento sobre isso?

      O foco era "SE" ou "COMO” em sua opinião?

      Quem estaria com a RAZÃO, JESUS ou os FARISEUS?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  8. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

    Colossenses 2:16.

    Um novo estudo sobre Colossenses 2:16 demonstrou que o ensino adventista sobre o texto é o baseado na Bíblia.

    Se você lê inglês (eu infelizmente não leio ainda, mas vou ler), recomendo que adquira o livro JUDIGING THE SABBATH: DISCOVERING WHAT CAN'T BE FOUND IN COLOSSINAS 2:16 (“Julgando o Sábado: Descobrindo o que não pode ser encontrado em Colossenses 2:16”). O material é da autoria do Dr. RON DU PREEZ e pode ser adquirido no:

    sitehttp://www.andrews.edu/universitypress/catalog.cgi?key=195

    O resultado da pesquisa foi mencionado pelo Dr. ALBERTO R. TIMM, reitor do Seminário Adventista Latino-Americano de Teologia em seu livro "O SÁBADO na BÍBLIA, p. p. 71 e 72". O livro é o mais novo lançamento sobre a DOUTRINA do SÁBADO e pode ser adquirido com a editora Casa Publicadora Brasileira pelo telefone 0800-979 0606 ou pelo site www.cpb.com.br

    A seguir, um trecho do livro do Dr. TIMM que mostra o estudo realizado por PREEZ. Espero que goste e sirva de estudo para aqueles que teimam em utilizar de forma indevida Colossenses 2:16 na tentativa de invalidar a Lei eterna (Salmo 119:152) de Deus:

    “A maioria dos intérpretes vê a expressão "DIA de FESTA, ou LUA NOVA, ou SÁBADOS" como uma progressão ANUAL/ MENSAL/SEMANAL. Identificando o termo ‘SÁBADOS’ (grego SABBÁTON) com o SÁBADO do SÉTIMO DIA, tais intérpretes sugerem que, com a morte de Cristo na cruz, a observância do SÁBADO perdeu seu significado. Lógica como possa parecer, essa teoria é inaceitável…

    “Um dos motivos é o significado da própria expressão "DIA de FESTA, ou LUA NOVA, ou SÁBADOS" , à luz do Antigo Testamento. Comentaristas sugerem nove diferentes passagens (ver Nm 28-29; 1Cr 23:29-31; 2Cr 2:4; 8:12, 13; Ne 10:33; Ez 45:13-17; 46:1-15; Os 2:11) como possíveis antecedentes à referida expressão. Mas um estudo exegético, lingüístico, estrutural, sintático e intertextual de Colossenses 2:16 com esses textos, desenvolvidos por RON DU PREEZ, constatou que o verdadeiro antecedente dessa expressão está em Oséias 2:11, que diz: "FAREI CESSAR TODO O SEU GOZO, AS SUAS FESTAS de LUA NOVA, OS SEUS SÁBADOS e TODAS AS SUAS SOLENIDADES".

    Enquanto os dias de ‘FESTA’ (hebraico hag; grego heorte) dizem respeito às ‘TRÊS festas de peregrinação da PÁSCOA, do PENTECOSTES e dos TABERNÁCULOS, os ‘SÁBADOS’ (hebraico sabbat; grego sábbata) se referem às três celebrações adicionais das TROMBETAS, da EXPIAÇÃO e dos ANOS SABÁTICOS… Em segundo lugar… Somente os ‘SÁBADOS’ cerimoniais judaicos, instituídos no Sinai (ver Lv 23), podem ser qualificados como ‘ORDENANÇAS’ e ‘SOMBRAS’ (Cl 2:17). O ‘SÁBADO’ do sétimo dia, instituído na semana da criação (ver Gn 2:2, 3), é de natureza moral e não pode ser qualificado como mera ‘SOMBRA DAS COISAS QUE HAVIAM DE VIR’ [os oponentes precisam entender que o sábado semanal, por ser um memorial de um evento passado – a criação – não pode ser uma “SOMBRA de CRISTO”. Ler Êxodo 20:8-11]. Assim, de acordo com RON DU PREEZ, “o ‘SÁBADO’ de Colossenses 2:16 deve ser necessariamente entendido como se referindo aos SÁBADOS CERIMONIAIS da antiga religião hebraica, e não ao SÁBADO do SÉTIMO DIA entesourado explicitamente no Decálogo””.

    Espero que esse estudo ajude-o (a) a reforçar sua fé e que ao mesmo tempo SIRVA os críticos que teimam em tirar Colossenses 2:16 de seu contexto. Lembre-os, que o texto está no contexto de heresias ensinadas em Colossos (v.v 18, 21 e 23) e que os SÁBADOS MORAIS e CERIMONIAIS nunca foram HERESIAS. Do contrário, o próprio Deus que os estabeleceu seria um HEREGE.

    Podemos concluir que em Colossenses 2:16, segundo o estudo citado, Paulo está indo CONTRA a OBSERVÂNCIA de TRÊS FESTAS (Trombetas, Expiação e Ano Sabático) no contexto da HERESIA de Colossos. Como judeu, ele não poderia ser contra o SÁBADO BÍBLICO, guardado por ele em um território pagão (Atos 16:13) – provando assim que ele não observava o mandamento “PARA AGRADAR JUDEUS”.

    Um forte abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  9. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

    Vejamos alguns textos de Romanos 14:

    “Quem és tu que julgas o servo alheio? Para o seu próprio senhor está em pé ou cai; mas estará em pé, porque o Senhor é poderoso para o suster. Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente”. (Romanos 14:4-5).

    “Um crê que de tudo pode comer, mas o débil come legumes”. (Romanos 14:2).

    “Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Quem distingue entre dia e dia para o Senhor o faz; e quem come para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e quem não come para o Senhor não come e dá graças a Deus”. (Romanos 14:5-6).

    “Débil na fé – Isto é, aquele que não tem senão uma limitada compreensão dos princípios da justiça. Nele está o desejo de ser salvo e ansioso para cumprir o que quer que dele seja exigido.

    “Porém, na imaturidade da sua experiência cristã (ver Hebreus 5:11 a 6:2), e provavelmente também como resultado da primitiva educação e crença tenta obter a sua salvação mais seguramente pela observância de certas regras e regulamentos que na realidade não são obrigatórios. Para ele, estes regulamentos revestem-se de grande importância. Ele os considera como absolutamente obrigatórios para a sua salvação, e torna-se agoniado e confundido quando vê outros cristãos ao seu redor, especialmente os que parecem mais experientes, não participarem de seus escrúpulos.
    “A declaração de Paulo em Romanos 14 tem sido interpretada de várias formas, e tem sido usada por alguns: (1) para depreciar uma dieta vegetariana, (2) abolir a distinção entre alimentos puros e impuros, e (3) remover toda distinção entre dias, abolindo dessa forma, o sábado do 7o dia. Que Paulo não está fazendo nenhuma destas coisas torna-se evidente quanto este capítulo é estudado á luz de certo problemas religiosos referidos que perturbaram alguns cristãos do primeiro século.

    “Paulo menciona vários problemas que são uma ocasião de mal entendido entre os irmãos: (1) problemas relativos á dieta (verso 2), e (2) problemas concernentes á observância de certos dias (versos 5, 6). Em I Coríntios 8 o problema do irmão forte versus irmão débil, considerando a dieta, também é tratado. A carta aos Coríntios foi escrita menos de um ano antes da enviada aos Romanos. Parece razoável concluir que em I Coríntios 8 e Romanos 14 Paulo está tratando em essência do mesmo problema. Em Coríntios o problema é identificado quanto a ser próprio o comer de alimentos sacrificados aos ídolos. Segundo a antiga prática pagã, os sacerdotes praticavam um intenso mercado de animais oferecidos aos ídolos. Paulo dissera aos crentes de Corinto conversos do judaísmo e do paganismo que desde que era um ídolo, nada havia de errado em si, no comer alimentos dedicados a ele. Contundo, explica, por causa da herança em instrução primitiva e diversidade no discernimento espiritual, nem todos possuíam este “conhecimento” e não podiam com a consciência livre, comer de tais alimentos… Daí, Paulo insta com aqueles sem escrúpulos quanto á consideração desses alimentos, a não colocarem pedra de tropeço no caminho dos irmãos pelo consumo destes alimentos (Romanos 14:3). Sua admoestação encontra-se dessa forma em harmonia com a decisão do Concílio de Jerusalém, e sem dúvida lança luz, sobre pelo menos uma razão por que o concílio tomou posição sobre este assunto…Provavelmente por temor de ofender neste assunto, alguns cristãos abstiam-se inteiramente de alimentos cárneos, o que significa que o seu alimento era restrito a “ervas”, isto é, vegetais (Romanos 14:2).

    continua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Paulo não está falando de alimentos higienicamente prejudiciais. Não está sugerindo que os cristãos de fé vigorosa possam comer qualquer coisa, desconsiderando os seus efeitos sobre o bem estar físico. Paulo já tem deixado claro no capítulo 12:1 que o verdadeiro crente compreenderá que o seu corpo dever ser preservado santo e aceitável a Deus como sacrifico vivo. O Homem de fé robusta considerará como ato de adoração espiritual, manter boa saúde (Romanos 12:1 e I Coríntios 10:31).

      “Um fato adicional lança luz sobre os problemas que Paulo está discutindo. Apenas muito palidamente, a princípio, os judeus cristãos compreenderam que a lei cerimonial encontra os seus cumprimentos em Cristo… e que esta daí por diante não mais era válida. Em verdade, os primeiros Cris~tabus não forma chamados abruptamente a cessar o serviço das festas anuais judaicas ou repudiar os ritos cerimoniais de uma vez por todas. Sob a lei cerimonial os judeus deviam guardar 7 sábados anuais. Paulo mesmo observou várias festas após a sua conversão (Atos 18:21, etc). Embora pensasse que a circuncisão nada era (I Coríntios 7:19), tinha consigo o circuncidado Timóteo (Atos 16:3) e concordara em cumprir um voto segundo as estipulações do código antigo (Atos 21:20-27). Sob tais circunstâncias parecia melhor permitir que os vários elementos da lei cerimonial da lei judaica gradualmente viessem a desaparecer a medida que a mente e a consciência se iam iluminando. Dessa maneira, era inevitável que entre os judeus cristãos surgisse a questão quanto á conveniência de observar certos “dias” – dias santos judaicos, em conexão com as suas festas anuais (Ver Levíticos 23:1-44).

      “Em vista destes fatos, torna-se evidente que Paulo, em Romanos 14, não está: (1) depreciando a dieta de “ervas” (vegetais), ou (2) indo de encontro á antiga distinção bíblica entre – alimentos puros e impuros, ou (3) abolindo o sétimo dia, o sábado da lei moral… O que pretenda afirmar que assim foi, deve estar vendo no argumento de Paulo algo o que aí não existe.

      “Que Paulo não ensina ou mesmo de a entender a abolição do sábado do sétimo dia tem sido reconhecido por comentaristas tais como: Janieson, Fausset e Brown em seus comentários sobre o cap. 14:5 e 6: “Dessa passagem sobre a observância de dias, Alford infelizmente infere que tal linguagem não podia ter sido usada se a sábado-lei não estivesse forçando o evangelho de qualquer maneira. Certamente não podia, se o sábado fosse meramente um dos dias de festas judaicas; porém, tal não acontecerá pois não foi outorgado meramente porque fora observado sob, a economia judaica. E certamente se o sábado era mais antigo que o judaísmo; se mesmo sobre o judaísmo foi guardado como relíquia entre a terna santidade do decálogo, proferido, com nenhumas outras porções do judaísmo o foram, em meio, aos terrores do Sinai; e se o próprio Legislador disse quando na terra “O Filho do homem ´se Senhor até do sábado” (Marcos 2:28). Será difícil mostrar que o apóstolo significasse que o mesmo devia ser colocado pelos seus leitores entre aqueles desaparecidos dias de festa judaicas, e que só um “débil” poderia imaginar estarem ainda em vigor, uma debilidade que os que tinham mais luz deviam, apenas por amor, suportar.

      “Em Romanos 14: a 15:14 Paulo insta com os cristãos mais fortes para dar simpática consideração aos problemas de seus irmãos mais fracos. Como nos capítulos 12 e 13, ele mostra que a fonte da unidade e paz na igreja é o amor cristão genuíno. Este mesmo amor e respeito mútuo assegurará harmonia contínua entre o corpo de crentes, a despeito das opiniões e escrúpulos diferentes em assuntos de religião”.

      “Paulo não diz que todos os dias são iguais. A palavra iguais está em itálico (Versão Almeida Revista e Corrigida), porque não se encontra no original grego e foi acrescentada por Almeida.

      continua...

      Excluir
    2. O dia aí mencionado não é o dia de repouso semanal, porque o mesmo apóstolo, em sua epístola aos Colossenses (2:16), tratando do mesmo assunto (pois o mesmo problema surgira naquela igreja) nos esclarece que são “dias de festa”. E em Gál. 3:10, abordando o mesmo problema, Paulo menciona “dias, e meses, e tempos e anos” (grifo nosso). Quer dizer que eram dias de festa, os feriados anuais e mensais, como:

      Páscoa – Pentecostes – Dia da Expiação – Luas Novas – Tabernáculos – Jubileu regulados pela lei cerimonial. Por quê? Porque embora abolidos na cruz, esses dias, os judeus neófitos na fé, recém-convertidos (judaizantes) não se desvencilharam deles de pronto; queriam observa-los e ainda julgavam os cristãos vindos do gentilismo por não os observarem. Diz o comentarista Adão Clark: “A referência aí feita [à palavra dia] se prende a instituições judaicas, e especialmente a seus festivais, tais como a páscoa, pentecostes, festa dos tabernáculos, lua nova, jubileu, etc… Os gentios convertidos… consideravam… que todos esses festivais não obrigam o cristão. Nós os tradutores acrescentamos a palavra iguais, e fazemos texto dizer o que, estou certo, jamais foi pretendido, isto é, que não há distinção de dias, nem mesmo do sábado.” (Clark’s Commentary, Rom. 14:5)

      Também os fundamentalistas Jamieson, Fausset e Brown comentam: “… será difícil mostrar que o apóstolo tenha rebaixado o sábado de maneira a ser classificado por seus leitores entre as transitórias festas judaicas…”.
      Em parte algumas dos ensinos de Paulo, o sétimo dia do decálogo é assunto de controvérsia.”

      “Não destruas a obra de Deus por causa da comida. Todas as coisas, na verdade, são limpas, mas é mau para o homem o comer com escândalo. É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar ou se ofender ou se enfraquecer”. (Romanos 14:20-21).

      Após as considerações anteriores, podemos tr mais luz para entender este verso. Paulo está dizendo para os Corintos não destruírem a obra de Deus por causa do comer ou não carnes sacrificadas aos ídolos. O ídolo nada é.
      Ao dizer que “todas as coisas são limpas”, Paulo está se referindo ás “carnes sacrificadas a ídolos”; não está usando o termo genericamente, pois se o fizesse, teríamos de supor que até cobras, lagartos, cachorro, são limpos para alimentação.

      Paulo falou que “é bom não comer carne e nem beber vinho” porque estes eram evidentemente os objetos principais dos escrúpulos religiosos do irmão mais fraco, provavelmente porque eram costumeiramente usados nos sacrifícios aos ídolos pagãos.

      Conclusão:

      Romanos 14 trata em essência do mesmo assunto de I Coríntios 8: Carnes sacrificadas a ídolos. Podemos facilmente perceber isto através da comparação dos dois livros:

      “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo”. (Romanos 14:17).
      “Não é a comida que nos recomendará a Deus, pois nada perderemos, se não comermos, e nada ganharemos, se comermos”. (1 Coríntios 8:8).
      Podemos ver que em Romanos 14 está sendo tratado sobre o mesmo assunto, que diz respeito ás carnes sacrificadas a ídolos. O versos 17 não está dando autorização para usarmos alimentos imundos, pois neste é este o objetivo do livro.

      Outro fator que leva-nos a concluir que o assunto é o mesmo nos dois livros, é o fato da epístola aos Coríntios ter sido escrita menos de um ano antes da de Romanos. Chega-se á inevitável conclusão de que falam do mesmo assunto.
      Lembremos de que o próprio Paulo disse: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus”. (I Coríntios 10:31).

      Os versos 4 e 5 referem-se aos dias de festividades judaicos, que eram chamados de ‘sábados cerimoniais’, sábados estes que eram diferentes do sábado do Senhor, abençoado e santificado na criação do mundo. (Leia Levíticos 23:38; Levíticos 23:3 e 24-25).

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  10. ALEXANDRE DIETRICH,

    Saudações Cristãs!

    Entendo toda sua explicação, ok?

    Temos um problema que é " O Julgar outros Cristãos por causa de sábados" .

    Nada contra quem quer guardar o sábado do calendário Gregoriano, contudo temos que admitir que o "SHABAT" dos judeus, não coincide com o sábado de hoje, pois o calendário antigamente usado pelos Hebreus era o "LUNISSOLAR", conforme podemos ver em estudos sobre o calendário segundo a TORAH, como FICA DEMOSTRADO NOS seguinte links:

    1 - Calendário Lunissolar - http://www.acongregacao.org.br/calen/calen2.htm - Veja que os sábados de Maio/2014, não batem com os SHABATS!

    2 - O Judeus admitem - "O Verdadeiro calendário foi mudado" - http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:sON3wQvViEgJ:buscandoverdade.weebly.com/saacutebado-o-seacutetimo-dia.html+&cd=1&hl=pt-PT&ct=clnk

    3 - Linha Internacional de Mudança de Data: Sábado Inalterado? no link -
    https://www.youtube.com/watch?v=PIoCAIljiQs


    Portanto depois de estudar os calendários, cheguei a conclusão de que nenhum cristão deve se considerar melhor que outros, simplesmente por causa do sábado, pois entendo que quem guardar o sábado no dia errado, não pode julgar quem guarda ou adora em outro dia da semana.

    Outra Nem Jesus e nem os discípulos reivindicaram especificamente dos Cristãos a guarda do Shabat. Mas há claras recomendações apostólicas para que não se julgue ninguém por causa de sábados, coisa que os Adventistas não se cansam de fazer, caindo portanto em Juízo temerário.

    Ficam estes links acima citados para que os cristãos bereanos, pesquisem e cheguem a conclusões bem fundamentadas.

    Passe bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

      Não quero lhe provar nada, mas apenas em que acredito.

      ASTRONOMIA

      Os registros astronômicos e datas, que remontam a 600 a.C. concordam com a contagem dos astrônomos de HOJE, de que JAMAIS se alterou EM TEMPO ALGUM o ciclo semanal.

      REFORMAS DO CALENDÁRIO

      Houve, de fato, mudanças no calendário. Nenhuma delas, porém, mexeu com a ORDEM dos DIAS da SEMANA. NÃO vamos referir-nos às REFORMAS PRECÁRIAS que não foram adotadas, ou apenas SIMBÓLICAS como o calendário POSITIVISTA, o da Revolução FRANCESA, e outros. Analisemos resumidamente as mudanças que ALTERARAM a contagem dos MESES, DIAS e ANOS. O calendário judaico vinha dos primeiros tempos bíblicos, e consignava o SÁBADO. Os calendários das demais nações do Antigo Oriente, embora DESSEMELHANTES quanto aos MESES ou ANOS, eram contudo IDÊNTICOS na divisão SEMANAL.

      O calendário ROMANO mais antigo, que se crê fora dado por RÔMULO, na qual propôs um ano de 305 dias em 10 meses, a partir de março. NUMA, sucessor de Rômulo, acrescentou dois meses, elevando o ano civil para 365 dias. Quando
      JÚLIO CESAR subiu ao poder supremo de Roma, notando que o calendário vigente era deficiente, chamou o famoso ASTRÓLOGO ALEXADRINO SOSÍGENES para estudar a questão.

      Este determinou que se ABANDONASSE o calendário dos meses LUNARES, e se adotasse o EGÍPCIO. Essa reforma foi feita em 45 a.C. e a SEMANA que vinha no calendário EGÍPCIO era PARALELA à do calendário JUDAICO, e foi mantida.

      Assim a ORDEM SETENÁRIA dos dias da semana NÃO se ALTEROU. Isso foi antes do nascimento de Cristo. Nos tempos de Jesus e dos apóstolos, a semana na PALESTINA COINCIDIA com a semana dos ROMANOS quanto a ordem dos dias. Também a denominação dos dias era a designação ORDINAL, pois OS NOMES aos dias da semana se devem a CONSTANTINO, o mesmo que, por decreto, legalizou (LEI CIVIL e NÃO RELIGIOSA) da observância do primeiro dia. Voltando a JÚLIO CESAR, o calendário ficou alterado, sem afetar a ordem dos dias semanais. É a REFORMA chamada JULIANA.

      A outra reforma que ALTEROU a CONTAGEM, mas NÃO a SEMANA, é a denominada GREGORIANA, feita por ordem do Papa GREGÓRIO XIII. Os países LATINOS: ESPANHA, PORTUGAL e ITÁLIA aceitaram-na em 1582. A reforma se fez no dia 4 de OUTUBRO daquele ano. O dia 4 de OUTUBRO pulou para 15 (havendo portanto uma subtração de 10 dias). Mas o dia 4 foi quinta-feira, e o dia 15 logo a seguir foi a sexta-feira, permanecendo INALTERADO o CICLO SEMANAL. Nos países de fala inglesa a MUDANÇA GREGORIANA só foi aceita em 1752, em SETEMBRO daquele ano. Assim o dia 2
      foi seguido pelo dia 14. Mas o dia 2 de SETEMBRO caiu, numa quinta-feira. De novo NÃO se ALTEROU a SEMANA.

      O que o irmão acha disso?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
    2. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

      TESTEMUNHO DOS ASTRÔNOMOS

      Não creio haver pessoas mais bem informadas a respeito do assunto do que os astrônomos. Recorramos, pois, a eles. Eis o que depõem:

      1- "Tivemos a oportunidade de investigar os resultados dos trabalhos de especialistas em cronologia, e jamais se soube de um sequer que tivesse a MENOR DÚVIDA acerca da
      continuidade do CICLO SEMANAL desde muito tempo antes da era cristã. Nenhuma das reformas havidas em nosso calendário, em séculos passados, afetou de algum modo o ciclo da semana."

      Dr. A. JAMES ROBERTSON, Diretor do Observatório Naval de Washington,respondendo a carta de consulta, em 1932. (Fotocópia publicada à pág. 560 de Answers to
      Objections, de F. D. Nichol.)

      2- Outra carta assinada por Sir FRANK W. DYSON, do Real Observatório de Greenwich, Londres, diz, em 1932:

      "Tanto quanto se sabe, nas várias mudanças do Calendário, não tem havido NENHUMA ALTERAÇÃO na ordem dos sete dias da semana, a qual transcorre INALTERADA desde os mais remotos tempos." (Fac-símile no mesmo livro, pág. 562).

      3- Depoimento do Prof. D. EGINITIS, Diretor do Observatório de Atenas, num relatório apresentado à antiga Liga das Nações:

      "A quebra da continuidade DA SEMANA, que tem
      atravessado, ainda intacta, os séculos e todos os calendários conhecidos, e o uso universal desta unidade de medição de tempo, são as razões que se opõem a esta mudança de
      calendário."

      4- Em NATURE, publicação científica inglesa, de 06/06/1931, na "COLUNA da ASTRONOMIA", há o seguinte tópico:

      "A regularidade ININTERRUPTA da sequência das semanas, que têm decorrido SEM uma QUEBRA por mais de três mil anos, está agora levantando debates... Alguns...defendem a utilidade de manter-se a unidade do tempo que se mantém INALTERÁVEL desde o alvorecer da História."

      5- O Dr. FOTHERINGHAM, uma das mais eruditas autoridades em cronologia, num artigo, publicado no NAUTICAL ALMANAC para 1931, pág. 740, afirma:

      "Evidência clara é que o período
      de SETE DIAS era contado INDEPENDENTEMENTE do MÊS e de TODOS os períodos astronômicos. Da Igreja Judaica passou-se ele para a Igreja Cristã."

      6- O congressista SOL BLOOM, de Nova Iorque, falando no senado americano, em 11/06/1929, sobre a reforma do calendário, disse:

      "As MUDANÇAS do calendário de modo algum INTERFERIRAM na continuidade dos DIAS da SEMANA... Não produziram QUEBRA no ciclo SEMANAL. As datas do mês FORAM ALTERADAS, mas NUNCA os DIAS dA SEMANA... Não foi ALTERADA quando a França cancelou DEZ dias de seu calendário no mês de DEZEMBRO. A mudança teve
      lugar numa SEXTA-FEIRA, mas continuou sendo SEXTA-FEIRA dia 20 em vez de SEXTA-FEIRA dia 10... Os dias do CICLO semanal JAMAIS foram ALTERADOS em tempo ALGUM, em QUALQUER reforma processada no calendário."

      CONGRESSION RECORD, junho, 1829, pág. 5.

      7- "A divisão da semana vem INALTERADA em milhares de anos" - M. ANDERS DONNER, professor de Astronomia da Universidade de HELSINQUI (Report on the Reform of the
      Calendar, 17 de agosto, 1926, pág. 51.

      Ainda seria possível citar perto de quinze depoimentos de autoridades em matéria de calendário, entre elas o Prof. M. EDOUARD BAILLAND, Diretor do Observatório de PARIS, o Prof. FREDERICO OOM, Diretor do Observatório Astronômico
      de LISBOA, o Prof. M. EMILE PICARD, Presidente do OFFICE LONGITUDES.

      CONTINUA...

      Excluir
    3. Para encerrar esta presente seção, segue uma transcrição de debates havidos em torno da reforma do calendário, no Congresso de Washington, sessão de 21/01/1929, entre os congressistas SOL BLOOM, CYRENUS COLE e W. S. EICHELBERGER, então Diretor do Observatório Naval dos E.U.A:

      "MR BLOOM: Não é um fato que, nas mudanças produzidas no calendário, as datas foram mudadas, porém nunca os DIAS? V. Exa. sabe de algum tempo na História em que algum calendário, a partir do princípio do remoto calendário egípcio, em que o dia da semana se tenha trocado?
      MR EICHELBERGER: Não, não sei absolutamente.

      MR BLOOM: Mas as datas foram mudadas?

      MR EICHELBERGER: Sim, não há dúvida.

      MR BLOOM: V. Exa. pode mudar qualquer data do calendário a seu critério, como o fez o Papa Gregório, desprezando 10 dias em 1582, e o britânicos 11 dias em seu calendário, instituindo-se assim o calendário sob o qual vivemos. As datas foram trocadas, mas não foi alterado sequer um dia da
      semana...

      MR EICHELBERGER: Tanto quando eu saiba, isto é exato.

      MR COLE: Há fundamento na crença de que o SÁBADO, ou outros dias da semana se têm sucedido em ININTERRUPTA continuidade desde tempos remotos?

      MR EICHELBERGER: Tanto quanto eu sabia, isto é VERÍDICO."

      CONGREGZSSIONAL REPORT, pág. 68.

      Ante o exposto, podemos ter absoluta certeza de que o dia de SÁBADO jamais se PERDEU na meada dos MILÊNOS.

      E, a despeito da multiplicidade das provas, contentamo-nos com uma:

      "sendo o DIA que tem o brilho INVIOLÁVEL da bênção DIVINA,
      JAMAIS se PERDERIA na noite dos tempos. O próprio Deus Onisciente cuidou que assim fosse. E de fato o foi".

      O que o irmão acha disso?

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  11. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

    Não julgamos quem não guarda o SÁBADO!
    O que fazemos é tentar fazer com que os cristãos reflitam na relação do GRANDE CONFLITO que existe entre o BEM e o MAL, ou seja, de DEUS e SATANAS. Logo, entendemos que o adversário quer a todo custo quer SUBVERTER a verdade revelada na LEI de DEUS! Que revela SEU caráter e o AMOR a Ele e ao próximo. Neste prisma, se Sua Lei é atacada ou menosprezada quem estaria na dianteira no GRANDE CONFLITO?

    Qual sua opinião sobre o GRANDE CONFLITO?
    Seria REAL ou apenas uma DEMAGOGIA? ILUSÃO?

    Nesta perspectiva, não julgamos quem não OBSERVA o SÁBADO até por que todo cristão sabe ou deveria saber que não temos esta PRERROGATIVA de JULGAR a ninguém, mas apenas como EXALTAÇÃO da verdade que estaria (está em nosso entendimento) sendo DETURPADA no GRANDE CONFLITO.

    Quanto ao calendário, já recebi esta indicação de link´s (não sei se os mesmos) pelo irmão Francisco Alberto que também crê que o ciclo semanal teria se perdido no tempo. Não creio assim.

    Não sei se você considera o DOMINGO como o NOVO SÁBADO CRISTÃO, mas vou supor que sim.

    Se o ciclo semanal se perdeu no tempo, teríamos como OBSERVAR o DOMINGO hoje?

    Concordo com você! Todo cristão deve ser BEREANO!

    Um forte abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  12. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

    Vou tentar ler os LINK´S citados pelo irmão ok.

    Um forte abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  13. ALEXANDRE DIETRICH,

    Saudações em Cristo Jesus!

    Muito bem! Não vou tentar te convencer com minhas argumentações, mas penso que você mesmo deve responder seus questionamentos pesquisando como os Bereanos! Claro! Pedindo a luz do Espírito de Deus!

    - Dizer que guarda os mandamentos é diferente de guardá-los de verdade!

    Pense muito nos mandamentos:

    - Não terás outros Deuses diante de mim;
    - Não dirás falso testemunho contra o teu proximo;
    - Lembra-te do SHABAT = Descanso....


    Será que os Cristãos em geral guardam estes mandamentos corretamente?

    A Paz e luz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

      Exatamente, não é este o ponto!
      Você não quer me convencer e vice e versa, estamos apenas dialogando.

      Mais uma vez concordo com você! Não devemos dialogar se os mandamentos devem ou não serem OBSERVADOS, mas COMO devem ser OBSERVADOS. Você tem toda a razão!

      Acredito que alguns sim e outros não, independentemente de religião, pois o verdadeiro cristianismo está na SINCERIDADE do cristão em relação com Deus e não com a religião que frequenta, mesmo as doutrinas sendo diferentes. É minha opinião.

      Um forte abraço e fique com Deus!

      Excluir
  14. ALEXANDRE DIETRICH,

    Saudações em Cristo Jesus!

    Esqueci de responder uma pergunta sua: Se já li o livro "O GRANDE CONFLITO"? Este livro contém erros históricos.

    As nossas divergências não devem nos tornar adversários, mas visar nossa edificação, afinal O Nosso Deus e Salvador é o mesmo.

    Não me considere seu inimigo por não concordar com algumas interpretações de sua organização religiosa; portanto não leve para o lado pessoal.

    Já lí:

    -O Grande conflito;
    -O Desejado de todas as nações;
    -Patriarcas e profetas;
    -Vida e Ensinos;
    -Primeiros escritos;
    -Eventos finais;
    -Vida de Jesus;
    -Caminho a Cristo;
    -Parábolas de Jesus;
    -preparação para crise final;
    -Assim diz o Senhor;

    E muitos outros doutrinários..

    Consultei:

    Orientação da Criança;
    Ciência do bom viver;
    Tenho os três volumes de testemunhos seletos(não li todos);

    Quanto aos conselhos de medicina , saúde e alimentação, acho mais correto "Avenidas da Saúde", publicado pela CPB em 1961, escrito pelo médico Adventista HAROLDO SHRYOCK, decano de medicina de Loma Linda - California EE.UU; contudo foi excluído das publicações, pois não leva nome de peso de EGW e não vende.... Este livro mostra como saudável o consumo de leite, ovos e etc, e não segue todos conselhos indicados no (Espirito de Profecia Adventista).

    Ultimamente estou dando uma revisada em tudo que aprendi nos cursos:
    - Revelações do apocalipse;
    - Tesouros da fé;
    - Deus revela seu amor;
    - Apocalipse final feliz
    - A bíblia revela;
    - Ouvindo a voz de Deus;
    - Encontro com a vida;
    - Família feliz;
    - O Grande Conflito-Luiz Gonçalves
    - 2300 tarde e manhãs;
    - Juízo investigativo;
    - Sei sobre o sábado como o foco dos eventos finais;
    - Estou pesquisando o outro lado da vida de EGW, ou seja, Espírito de Profecia e IASD e etc, pois por ser justo e ser bem informado e para dizer que conhecemos verdadeiramente uma moeda, devemos olha-la e analiza-la pelos dois lados e bordas.

    "SER BEM INFORMADO NÃO É REBELIÃO; SER BEM INFORMADO É HONESTO; ESCONDER A VERDADE É HIPOCRISIA".
    Não fui excluído da Igreja; pedi para ter meu nome retirado do rol de mebros.

    Veja o que é na realidade "O Espirito da Profeica bíblico" no link: http://adventistalivre.blogspot.com.br/2012/06/o-testemunho-de-jesus-e-o-espirito-da.html

    O TESTEMUNHO DE JESUS É O ESPÍRITO DA PROFECIA?

    Continua....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Cristão Livre, a paz do Senhor!

      O irmão entendeu errado!

      Não perguntei se você LEU o Livro "O Grande Conflito" !

      Perguntei para o irmão qual seria sua opinião sobre o GRANDE CONFLITO, ou seja, entre o BEM e o MAL, JESUS e SATANÁS?

      Se este contexto seria FACTÍVEL ou um mero CONTO de FADAS, em sua visão?

      Foi o que perguntei!

      Mas não tem problema!

      Pelo seu comentário você é ex-adventista e não tenho nenhum problema com isso! E nem com não adventistas, estou falando de EDUCAÇÃO!
      Temos irmãos EDUCADOS em todas as religiões e o contrário também!

      Não o considero meu adversário e acredito que é recíproco e também não me lembro de tê-lo ofendido ou vice e versa! Sinceramente, vejo em você uma abordagem diferente do que normalmente encontramos aqui, INFELIZMENTE.

      Com certeza você já leu muito mais EGW do que eu e também estudou muito sobre os estudos mencionados por você que os conheço, mas estou iniciando na carreira de BEREANO!

      Tenho muito o que aprender ainda, mas sabemos que é muito mais importante praticarmos o que conhecemos do que termos apenas conhecimento, mas não praticarmos, ou seja, quanto mais sabemos, mais responsabilidades teremos e seremos mais cobrados também. Não é uma indireta, apenas uma reflexão.

      Quanto ao link, vou dar uma olhada!

      Um forte abraço e fique com Deus!





      Excluir
  15. Continuação....

    O TESTEMUNHO DE JESUS É O ESPÍRITO DA PROFECIA?

    DOUTRINA FUNDAMENTAL NÚMERO 18 DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA:
    (NÃO SERIA USURPAÇÃO?)
    O DOM DE PROFECIA
    Um dos dons do Espírito Santo é a profecia. Este dom é uma característica da Igreja remanescente e foi manifestado no ministério de Ellen G. White. Como a mensageira do Senhor, seus escritos são uma contínua e autorizada fonte de verdade e proporcionam conforto, orientação, instrução e correção à Igreja. Eles também tornam claro que a Bíblia é a norma pela qual deve ser provado todo o ensino e experiência.
    Razões bíblicas: Joel 2:28 e 29; Atos 2:14-21; Hebreus 1:1-3; Apocalipse 12-17; 19:10 |

    Aqui há um grande malabarismo com textos bíblicos para querer provar que TESTEMUNHO DE JESUS é o espírito de profecia de egw, contudo é O TESTEMUNHO DO PRÓPRIO JESUS E DE SEUS SEGUIDORES FIÉIS desde a era apostólica que é o verdadeiro ESPÍRITO DA PROFECIA.

    Veja bem, no livro do apocalipse, os textos sobre TESTEMUNHO DE JESUS:

    Apocalipse
    1.2 o qual atestou a palavra de Deus e o TESTEMUNHO DE JESUS CRISTO, quanto a tudo o que viu.
    1.9 Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e do TESTEMUNHO DE JESUS.
    12.17 Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm O TESTEMUNHO DE JESUS; e se pôs em pé sobre a areia do mar.
    19.10 Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm O TESTEMUNHO DE JESUS; adora a Deus. Pois O TESTEMUNHO DE JESUS É O ESPÍRITO DA PROFECIA.
    20.4 Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dos decapitados por causa do TESTEMUNHO DE JESUS, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.

    veja bem! pelo livro do Apocalipse o testemunho de Jesus vem da época apostólica, tanto que João estava preso em Patmos por causa do TESTEMUNHO DE JESUS… MUITOS OUTROS FORAM DECAPITADOS POR TESTEMUNHAREM DE JESUS; Veja bem! a IASD surgiu depois de 1844, então não pode querer ter exclusividade do verdadeiro “TESTEMUNHO DE JESUS”, QUE É O ESPÍRITO DA PROFECIA”.

    Outra, quantos Cristãos no mundo hoje estão tendo seu sangue derramado, sendo martirizados por causa do NOME DE JESUS, OU SEJA, POR TESTEMUNHAREM DE JESUS….E pasme, são Cristãos de qualquer denominação ou de denominação nenhuma… São apenas simples Cristãos pobres em situação adversas no mundo muçulmano e Países como Coréia, China e outros; basta ver o mapa dos países que mais perseguem e matam Cristãos..

    Vale o ditado: “Aquilo que os olhos não vê o coração não sente.”

    Então pretender que O TESTEMUNHO DE JESUS seja algo exclusivo dos IASD, através dos escritos de Ellen G. White, extrapola o que diz a bíblia e menospreza o MARTÍRIO DE MILHÕES DE CRISTÃOS EM TODAS AS ÉPOCAS.

    O ESPIRITO DA PROFECIA QUE É O TESTEMUNHO DE JESUS, QUE querem(TEM A PRETENSÃO) de usurpar, dizendo tratar-se do ministério de Ellen G White, através de seus escritos.

    Continua...

    ResponderExcluir
  16. Continuação...

    Significado de palavras importantes para este texto acima:

    A CONSEQÜÊNCIA DA “PRETENSÃO” PODE VIR A SER A "USURPAÇÃO”, Veja O SIGNIFICADO DE DAS DUAS PALAVRAS:

    Significado de P R E T E N S Ã O
    s.f. Ato ou efeito de pretender.
    Aspiração infundada a talento, a honras, a consideração.
    Suposto direito a alguma coisa.
    Desejo ambicioso.
    Exigência.
    Vaidade, orgulho, presunção.
    Excessiva confiança em si próprio.
    pl. Impostura, bazófia, jactância; extrema vaidade; tendência exagerada e ridícula a inspirar conceitos que não merece.
    (Do lat. Praetensus)
    Sinônimos de Pretensão
    Sinônimo de pretensão: afectação, amaneiramento e pedantismo
    Fonte: http://www.dicio.com.br/pretensao/


    Significado de U S U R P A Ç Ã O
    Sinônimos: calúnia mesquinhez ciúmes inveja ROUBO DEFRAUDAÇÃO espoliação FALSIFICAÇÃO USURPAÇÃO extorsão chantagem ladroeira PIRATARIA depredação dilapidação exploração furto latrocínio malversação muamba pilhagem rapto ratonice rombo subtraçao mais…
    Relacionadas: usurpar usurpador mais…
    1. U S U R P A Ç Ã O
    Enviado por Érico Ramos (RJ) em 28-09-2008
    É uma ação forçada para retirar uma coisa de alguém, ou ainda, exercer sem qualquer legitimidade uma função.
    Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus (Filipenses 2:5-6)
    2. U S U R P A Ç Ã O
    Enviado por Viviane Arruda (MA) em 15-09-2008
    É uma ação forçada para retirar uma coisa de alguém, ou ainda, EXERCER SEM QUALQUER LEGITIMIDADE UMA FUNÇÃO. É um tipo de crime praticado com freqüência e através do recurso às novas tecnologias, umas vezes inadvertidamente, outras intencionalmente.
    Segundo o Art. 161 do CP, usurpação é a EXPLORAÇÃO TORPE DO CRÉDITO – parte integrante do patrimônio – em detrimento do que, compelido pela necessidade, recorre ao auxílio financeiro do onzenário, que, assim constrói sua fortuna sobre a ruína econômica de outrem.
    3. U S U R P A Ç Ã O
    Enviado por Dicionário inFormal (SP) em 07-05-2008
    Ato ou efeito de usurpar. Aquele que se apodera de algo por meio de violência, OU NÃO.
    Ele usurpou o cargo do chefe.
    OU, ela usurpou o namorado da melhor amiga.
    Fonte:
    http://www.dicionarioinformal.com.br/usurpa%C3%A7%C3%A3o/
    OBS:
    Minha a colocação de algumas palavras em maiúsculo…

    pa e Luz!

    ResponderExcluir
  17. Sobre os erros históricos e outros do Livro "O GRANDE CONFLITO", Vejam nos links:

    Poturguês:
    http://adventismonamiradaverdade.blogspot.com.br/2012/01/o-grande-conflito.html

    E Em Inglês nos links:

    1 - http://www.tithing-russkelly.com/sda/id11.html ;
    2 - http://www.tithing-russkelly.com/sda/id12.html ;
    3 - http://www.tithing-russkelly.com/sda/id13.html

    Estudem!

    ResponderExcluir
  18. Cristão Livre, se já não fez, por favor, se identifique.

    ... por algum tempo o blog acima esteve fora do ar. Sei que a TV Novo Tempo andou recorrendo por causa do nome e acabou saindo do ar... o que aconteceu? vc é o Hélio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano,

      Saudações Cristãs!

      Veja que quando fiz uma referência ao blog citado, mostrei a fonte das informações que procedem de sites em Inglês que são:

      E Em Inglês nos links:

      1 - http://www.tithing-russkelly.com/sda/id11.html ;
      2 - http://www.tithing-russkelly.com/sda/id12.html ;
      3 - http://www.tithing-russkelly.com/sda/id13.html

      ; Então a fonte original parece ser Americana, berço da IASD, que conhecem os conhecm melhor do que nós.

      Penso que algum Adventista, não sei se da TV Novo Tempo ameaçou o blog: "Adventismo na mira da verdade", mas não tenho certeza se foi a justiça; afinal os Adventistas são os que mais apontam os dedos para os outros cristãos, acusando-os!!!?? Não é mesmo?

      Seria contraditório para eles ASD, quererem amordaçar, censurar pessoas que mostram seus erros, enganos, mentiras e até heresias. Eles usam o medo e a pressão psicológica contra os administradores de Sites e Blogs que fazem estas denúncias, para que saiam do ar.

      Meu blog é:
      http://cristaoslivres-francisco.blogspot.com.br/

      Onde me identifico e conto minha história.

      Saúde e paz!

      Excluir
  19. quanto a problemática do tema da postagem, é complicado caminhar de forma produtiva... se a única profetisa do tempo do fim disse que foi satanás que efetuou a mudança do sábado para o domingo, qualquer argumentação esbarrará nessa 'visão' mistica...

    ResponderExcluir
  20. Olá irmão Luciano Sena, a paz do Senhor!

    Deus se utiliza de agentes humanos para sua obra?

    E satanás, se utilizaria de agentes humanas para suas intenções?

    O que você pensa disso?

    Um forte abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  21. AS SETE VERDADES BÍBLICAS SOBRE O SÉTIMO DIA.

    Parte 1 de 6

    A maioria cristã faz uma tremenda confusão a respeito de sábados e domingos. Os cristãos, em minoria, julgam corretamente que o Criador, que nunca muda, jamais aceitaria que uma só de suas leis fundidas nas Rochas Sagradas pudesse ser “lixada” pelos homens, portanto, creem firmemente que o Sábado é o Dia do Senhor. Outra parte considerável crê que Jesus teria revogado todas as dez leis a favor da religião da graça e da liberdade. Uma terceira parte, bem maior, prefere crer que pela ressurreição de Jesus ele teria revogado o Quarto Mandamento a favor do domingo, permanecendo, então, como válidos, os demais mandamentos (nove).

    ONDE ESTÁ, ENTÃO, DE FATO E DE DIREITO, A VERDADE BÍBLICA? Ora, vamos colocá-la aqui, resumidamente, mas de modo tão legítimo, tão cristalino e conclusivo que não dará chance alguma a qualquer refutação, sem se ingressar no farisaísmo religioso (o que é pior do que não ser cristão).

    Vamos às Sete Verdades que não têm como ser desmentidas, pois Está Escrito. Primeiramente é óbvio e muitíssimo fácil concluir que o Sábado é para sempre, apenas lembrando que a Palavra de Deus permanece eternamente. Quem fugir dessa Verdade, ingressa no farisaísmo:

    “Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

    “Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”. I Pedro 1:24.

    Então, vamos às Dez provas só refutáveis para aqueles que tentam, de todas as maneiras, fugir da VERDADE BÍBLICA DO SÉTIMO DIA:

    1) O Mandamento do Sétimo Dia foi instituído na Criação do mundo (Gênesis 2:3), não para o próprio Criador, pois em sua perfeição jamais criaria um Mandamento para si próprio, não tem como e, como Espírito Perfeito jamais se cansa, então o Mandamento do sábado foi criado para o homem, pois ele, sim, necessita de um dia de descanso na semana. O próprio Jesus legitimou isso no Evangelho ao reger:

    “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28. Se o Filho de Deus afirmou que o sábado foi criado para o homem, então o sábado foi criado para a Humanidade, assim como os castigos promulgados contra Adão e Eva foram, também, dirigidos à Humanidade.

    Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6, maior que Abraão (João 8:57), maior que Jonas (Lucas 11:32), maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles, portanto, também não desmereceu o santo sábado, pois é o Senhor de Tudo, pois está Escrito que Deus lhe deu toda a autoridade sobre tudo o que existe:

    “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. Jesus, em Mateus 28:18,

    2) A maioria evangélica, católicos e ortodoxos julgam, temerariamente, que a Ressurreição de Jesus teria anulado, teria riscado das Rochas de CONTINUE...

    ResponderExcluir
  22. As sete verdades bíblicas sobre o Sétimo Dia. Parte 2 de 6

    3) Deus o Mandamento do Sétimo Dia, dando lugar ao primeiro dia da semana, o tal domingo, mas isso é absolutamente impossível, pois não há uma só linha no Evangelho que autorize tal mudança, mesmo porque Está Escrito que Deus Nunca Muda em suas Promulgações à Humanidade:

    “Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.


    “Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”. I Pedro 1:24.

    Então, segundo as Escrituras, o sábado é para sempre, e se teria havido mudança a respeito, essa foi criada pelo homem e nunca por Deus. Quanto a isso, num descuido, o clero católico confessa, por escrito, o seu gravíssimo erro ao atentar violentamente contra o Sétimo Dia.:

    “A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado”. Catecismo católico, Edição2, Editora Vozes, Petrópolis, RJ. 1962.

    4) Uma parte dos cristãos julga que Jesus acabou com as leis a favor da graça e da liberdade, mas Jesus fez tudo exatamente ao contrário, pois legitimou TODAS as leis do Decálogo em sua primeira pregação à Humanidade, no Sermão do Monte e ainda amentou o grau de observação em algumas das 10 leis (Mateus, 5:21 a 32.

    “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei sem que tudo seja cumprido”. Jesus, em Mateus 5:17 a 37. Está Escrito que tudo será cumprido na Consumação dos Séculos, no Grande Dia de Jesus, quando os Portais do Reino de Deus serão abertos aos mortais de Jesus, antes fechados desde Adão e Eva (João 14:1 a 3, como também em 1 Tessalonicenses 4:13 a 17).

    Se Jesus Cristo afirmou que das leis de Deus Pai nem mesmo um simples til se poderá retirar, é absolutamente impossível atentar contra a lei do sábado, pois o Quarto Mandamento contém 80 palavras ou 433 caracteres. E assim, pelo menos até o Grande dia da Volta de Jesus, o sábado é para sempre!

    5) A ampla maioria cristã alega que em sua vida pública Jesus teria violado os sábados ao trabalhar nesse dia, mas quem o acusou de violar os sábados foram os fariseus, os filhos do diabo, assim como Jesus Cristo os nomeou em João 8:44. A respeito dessa acusação dos filhos de Satanás, vamos ver que Jesus respondeu a eles que apenas APARENTAVA que ele desrespeitava os santos sábados:

    “Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”. Jesus, em João 7:23 a 24

    CONTINUE...

    ResponderExcluir
  23. As sete verdades bíblicas. Parte 3 de 6.

    “E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga (filho do diabo acusador), indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado. Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber? E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?”. Lucas 13:14-16, Jesus revela que o amor de caridade tem preponderância sobre qualquer lei (1 Coríntios 13:13)..

    “E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles (os fariseus do diabo), para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados. Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra. E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem”. Mateus 12:10-14.

    “E os escribas e fariseus (filhos do diabo) observavam-no, se curaria no sábado, para acharem de que o acusar. Mas ele (Jesus) bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé. Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar? E, olhando para todos em redor, disse ao homem:

    Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe foi restituída sã como a outra. E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o que fariam a Jesus”. Lucas 6:7-11.

    “E dizia-lhes Jesus: Invalidais o Mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”. Jesus, em Marcos 7:9

    6) O sábado é o ÙNICO Mandamento chamado por Deus de Santo e Bendito e o Único estabelecido como UM SINAL entre ele e a Humanidade: “Santificai os meus sábados, pois servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o SENHOR, vosso Deus”. Ezequiel 20:20.

    Ora, se o sábado foi estabelecido por Deus como UM SINAL entre ele e a Humanidade, de modo algum jamais sairá dessa condição divina. Quanto aos que julgam que esse Sinal foi dado apenas aos israelitas, então, nesse caso, nós não podemos nos servir de nenhum livro do Velho Testamento, nem dos Salmos, etc. e nem mesmo de Malaquias, muito usado para legitimar os dízimos. É ou não é? Dois pesos e duas medidas não vale! Além disso, abaixo, no capítulo 7, Está Escrito que nós somos os legítimos herdeiros dos israelitas e que Jesus, de todos nós, fez UM SÓ POVO.

    7) Dizem os sábios que um bom exemplo vale mais que mil palavras. É ou não é? É claro que é! então, vamos ver os vários exemplos de Jesus e de sua Igreja Primitiva santificando os sábados (que valem mais que milhões de palavras) até mesmo décadas após a Ressurreição? Essa parte ANULA completamente as pretensões dos que defendem erradamente o domingo “substituindo” o Sábado Santo, solene e Abençoado do Senhor:

    “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”. Lucas 4:16. Jesus, nos concedendo o exemplo, pois segundo o Mandamento e a Tradição israelita, guardou o sábado por toda a sua vida. CONTINUE...

    ResponderExcluir
  24. As sete verdades bíblicas sobre o Sétimo Dia. Parte 4 de 6.

    Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:

    “O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”. Lucas 23:55 - 56. A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.

    Então, Jesus ensinou a sua Igreja a ser também legalista! Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, décadas depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo fazendo do sábado um dia de culto e louvor:

    “No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13.
    Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens! Mas fariseus de quase todas as denominações, também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo. É possível uma tolice dessas, depois dessas revelações?

    “No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”. Atos 13:41 - 44.
    Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, mas sim um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. Isso não poder ser negado!

    “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.
    Os defensores do domingo, inventado, argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois, pela sua tradição, os judeus jamais aceitariam que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo jamais aceitariam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas principalmente aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás, segundo o Apocalipse 13:7.

    Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

    “Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado...”. Atos 1:12. Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

    CONTINUE...

    ResponderExcluir
  25. As sete verdades bíblicas sobre o Sétimo Dia. Parte 5 de 6.

    “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.
    Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

    8) Os cristãos, em parte, alegam, altamente equivocados, que o Decálogo do Monte Sinai, no qual o sábado está intrínseco, teria sido dado apenas aos israelitas, e não a nós do Evangelho, por isso, alegam que “nós não temos obrigação de guardar”. Mas vejamos que a Verdade do Evangelho de Deus que nos faz herdeiros dos israelitas:

    “E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”. Atos dos Apóstolos 3:24 - 25. Os herdeiros não herdam apenas as bênçãos, mas também as obrigações.

    Novamente, a Verdade do Evangelho faz dos cristãos e de Israel um só povo:

    “Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito. Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus”. Efésios 2:14 a 19.

    “...na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças...”. Esse verso, retirado do preceito acima, nada tem a ver com a derrocada do Decálogo, pois sendo isso impossível, o apóstolo Paulo, sempre dirigido pelo Espírito Santo de Deus, se refere às ordenanças e leis antigas, provindas de Levítico, criadas numa época para regular as ações dos israelitas nos difíceis 40 anos de deserto, mas que de forma alguma tiveram lugar no Evangelho de Jesus. E isso Está Escrito em Lucas 16:16, que revela:

    A lei e os profetas vigoraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele. E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei. Lucas 16:16 e 17 Esses dois preceitos nos mostram a derrocada (no Evangelho) das leis que escravizavam, que amaldiçoavam e até poderiam nos matar, se tivessem sido integradas no Evangelho. Em seguida a essas colocações, a Palavra de Deus novamente legitima o Decálogo de Deus (as 10 leis).
    CONTINUE...

    ResponderExcluir
  26. • As sete verdades bíblicas sobre o Sétimo Dia. Parte Final.


    • “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas. Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo.
    • Nesse mesmo preceito, Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável por causa do homem. Portanto, enquanto existir o homem na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos. E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

    • Para aquele que julga que todos os dias são de Deus, isso é verdade, mas só um ele elegeu como Um SINAL entre ele e o homem e o único dia que nomeou como Santo e Bendito.

    • No arquivo anexado temos um escrito que completa perfeitamente esse presente, de nome O Tratado sobre as leis de Deus, onde nos mostra como o sábado de Deus foi corrompido e porquê.

    • Quem precisa de mais que isso para inteirar-se de que O SÁBADO É PARA SEMPRE??? PONTO FINAL!

    • www.segundoasscrituras.com.br

    • O Tratado sobre as leis de Deus Elaborado cuidadosamente, e com todos os detalhes sobre as leis bíblicas, pois nada no Universo funciona sem leis.

    • http://www.segundoasescrituras.com.br/livrosword/122pastoresinterpretamerradoacartaaosgalatas.doc O livro de Gálatas é interpretado errado pela maioria evangélica, também pelos pastores e de maior prestígio.

    • Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br


    ResponderExcluir
  27. As sete verdades bíblicas sobre o Sétimo Dia. Parte 5 de 6.

    “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.
    Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

    8) Os cristãos, em parte, alegam, altamente equivocados, que o Decálogo do Monte Sinai, no qual o sábado está intrínseco, teria sido dado apenas aos israelitas, e não a nós do Evangelho, por isso, alegam que “nós não temos obrigação de guardar”. Mas vejamos que a Verdade do Evangelho de Deus que nos faz herdeiros dos israelitas:

    “E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”. Atos dos Apóstolos 3:24 - 25. Os herdeiros não herdam apenas as bênçãos, mas também as obrigações.

    Novamente, a Verdade do Evangelho faz dos cristãos e de Israel um só povo:

    “Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito. Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus”. Efésios 2:14 a 19.

    “...na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças...”. Esse verso, retirado do preceito acima, nada tem a ver com a derrocada do Decálogo, pois sendo isso impossível, o apóstolo Paulo, sempre dirigido pelo Espírito Santo de Deus, se refere às ordenanças e leis antigas, provindas de Levítico, criadas numa época para regular as ações dos israelitas nos difíceis 40 anos de deserto, mas que de forma alguma tiveram lugar no Evangelho de Jesus. E isso Está Escrito em Lucas 16:16, que revela:

    A lei e os profetas vigoraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele. E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei. Lucas 16:16 e 17 Esses dois preceitos nos mostram a derrocada (no Evangelho) das leis que escravizavam, que amaldiçoavam e até poderiam nos matar, se tivessem sido integradas no Evangelho. Em seguida a essas colocações, a Palavra de Deus novamente legitima o Decálogo de Deus (as 10 leis).
    CONTINUE...

    ResponderExcluir
  28. As sete verdades bíblicas sobre o Sétimo Dia. Parte 4 de 6.

    Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:

    “O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”. Lucas 23:55 - 56. A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.

    Então, Jesus ensinou a sua Igreja a ser também legalista! Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, décadas depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo fazendo do sábado um dia de culto e louvor:

    “No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13.
    Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens! Mas fariseus de quase todas as denominações, também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo. É possível uma tolice dessas, depois dessas revelações?

    “No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”. Atos 13:41 - 44.
    Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, mas sim um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. Isso não poder ser negado!

    “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.
    Os defensores do domingo, inventado, argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois, pela sua tradição, os judeus jamais aceitariam que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo jamais aceitariam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas principalmente aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás, segundo o Apocalipse 13:7.

    Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

    “Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado...”. Atos 1:12. Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

    CONTINUE...

    ResponderExcluir
  29. AS SETE VERDADES BÍBLICAS SOBRE O SÉTIMO DIA.

    Parte 1 de 6

    A maioria cristã faz uma tremenda confusão a respeito de sábados e domingos. Os cristãos, em minoria, julgam corretamente que o Criador, que nunca muda, jamais aceitaria que uma só de suas leis fundidas nas Rochas Sagradas pudesse ser “lixada” pelos homens, portanto, creem firmemente que o Sábado é o Dia do Senhor. Outra parte considerável crê que Jesus teria revogado todas as dez leis a favor da religião da graça e da liberdade. Uma terceira parte, bem maior, prefere crer que pela ressurreição de Jesus ele teria revogado o Quarto Mandamento a favor do domingo, permanecendo, então, como válidos, os demais mandamentos (nove).

    ONDE ESTÁ, ENTÃO, DE FATO E DE DIREITO, A VERDADE BÍBLICA? Ora, vamos colocá-la aqui, resumidamente, mas de modo tão legítimo, tão cristalino e conclusivo que não dará chance alguma a qualquer refutação, sem se ingressar no farisaísmo religioso (o que é pior do que não ser cristão).

    Vamos às Sete Verdades que não têm como ser desmentidas, pois Está Escrito. Primeiramente é óbvio e muitíssimo fácil concluir que o Sábado é para sempre, apenas lembrando que a Palavra de Deus permanece eternamente. Quem fugir dessa Verdade, ingressa no farisaísmo:

    “Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

    “Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”. I Pedro 1:24.

    Então, vamos às Dez provas só refutáveis para aqueles que tentam, de todas as maneiras, fugir da VERDADE BÍBLICA DO SÉTIMO DIA:

    1) O Mandamento do Sétimo Dia foi instituído na Criação do mundo (Gênesis 2:3), não para o próprio Criador, pois em sua perfeição jamais criaria um Mandamento para si próprio, não tem como e, como Espírito Perfeito jamais se cansa, então o Mandamento do sábado foi criado para o homem, pois ele, sim, necessita de um dia de descanso na semana. O próprio Jesus legitimou isso no Evangelho ao reger:

    “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28. Se o Filho de Deus afirmou que o sábado foi criado para o homem, então o sábado foi criado para a Humanidade, assim como os castigos promulgados contra Adão e Eva foram, também, dirigidos à Humanidade.

    Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6, maior que Abraão (João 8:57), maior que Jonas (Lucas 11:32), maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles, portanto, também não desmereceu o santo sábado, pois é o Senhor de Tudo, pois está Escrito que Deus lhe deu toda a autoridade sobre tudo o que existe:

    “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. Jesus, em Mateus 28:18,

    2) A maioria evangélica, católicos e ortodoxos julgam, temerariamente, que a Ressurreição de Jesus teria anulado, teria riscado das Rochas de CONTINUE...

    ResponderExcluir