sexta-feira, 13 de maio de 2016

A Lei de Deus, a Fé Reformada, Adventismo e o Dispensacionalismo

A postura Adventista a respeito da Lei é uma cópia da doutrina da Lei segundo defendeu os Puritanos e os Reformadores – especialmente na influência que a Confissão de Fé de Westminster, e outras confissões reformadas, imprimiram na tradição Batista, e esta, influenciou um grupo de desviados das igrejas cristãs, que esperaram Jesus voltar em 22 de outubro 1844, isto é, os Adventistas/Mileritas. Por vezes, até mesmo da parte de alguns ministros presbiterianos, que provavelmente se esqueceram das aulas nos Seminários, ou no que os Símbolos de Fé Presbiterianos dizem, sucumbem em um argumento dispensacionalista na crítica ao Adventismo.

A diferença mais específica está, certamente, na mistificação do quarto mandamento, em sua antiga formatação, o sábado, como carro proselitista do Adventismo. Embora a posição puritana defenda que o Verdadeiro Dia do Senhor, o Domingo, possui elementos pedagógicos diferentes de outros mandamentos, e um exemplo de devoção litúrgica externa, que não pode ser visto em outros mandamentos, não existe, porém, nada de uma mistificação em tal dia a ponto de substituir o selo do Espírito por um cumprimento da lei.

A Crença Fundamental Adventista 19 é um reflexo, em seus próprios termos, da doutrina Reformada da Lei, vista nas Confissões Reformadas e especialmente a CFW no Cap. XIX. E a crença a respeito do Sábado, contida na Crença Fundamental 20, pode ser uma postura inversa ao Verdadeiro Dia do Senhor do Cap. XXI da CFW.

Portanto, o problema entre o Adventismo e a Fé Reformada, a genuína tradição Protestante, não está na teologia da Lei, necessariamente. O Adventismo é que se apropriou dessa doutrina Reformada e Protestante, para levar a cabo seus ensinos judaicos. As mesmas Confissões que pensaram a respeito da Lei, que fizeram distinção entre Lei Moral e Cerimonial, e que defendeu o tríplice uso da Lei, é a mesma que com esse pressuposto, defendeu a substituição da Circuncisão pelo Batismo, a Páscoa pela Santa Ceia, Israel pela Igreja, O Sacerdócio Levítico pelo Sacerdócio Universal, e foi nessa mesma linha que entendeu na base da Lei e da revelação progressiva contida no Novo Testamento, a substituição do Sábado pelo Dia do Senhor, o Domingo (Ap 1.10).

O grande erudito Gleason Archer apresenta extensas razões da substituição em sua obra Enciclopédia de Dificuldades Bíblicas, das páginas 125 a 130. E uma interpretação de Colossenses 2.16 pode ser vista nos seguintes dizeres:

“o v.16 parece referir-se primordialmente às estipulações obsoletas do AT, umas dos quais é o sábado, como sétimo dia da semana, e a outra festa chamada sábado.” (p.129).

E o que dizer do dispensacionalismo? Existem vertentes dessa escola. Algumas que são mais enfáticas em sua faceta escatológica, que possuem loucuras proféticas, tal como a de 1844, e com falsas profecias. Existe, no entanto, um dispensacionalismo mais responsável, que apesar de ser moderado em sua escatologia está mais preocupado em fazer a distinção entre Israel e a Igreja. Não apenas encontramos isso em arminianos, mas até mesmo em calvinistas, como temos o exemplo de John MacArthur, e no Brasil temos o conhecido pastor calvinista Marcos Granconato, que é um dispensacionalista dessa linha (Fundamentos da Teologia da Vida Cristã, pp.88-96).

Não deixar de dizer também que existe um dispensacionalismo herético que nem mesmo o Senhorio de Cristo apresenta como necessário. Esse assunto é debatido por John MacArthur  em O Evangelho Segundo Jesus, e em O Evangelho Segundo os Apóstolos

Por fim, há os que defendem o fim da Lei Moral, mas com outra Lei Moral, revelada no NT, como padrão de vida para os cristãos. Que é na verdade bem semelhante aos 10 mandamentos – que não raro é apresentado como sendo um resumo da Lei Moral de Deus, porém, sem o Domingo como substituição do quarto mandamento, mantendo-se como tal. Embora, até mesmo muitos desses, olham o Domingo como legítimo da prática cristã neotestamentária [e patrística]. Como é o caso do Teólogo Assembleiano, Esequias Soares, que recentemente em uma excelente obra escreveu:

“A estrutura dos Dez Mandamentos se resumem no amor a Deus e ao próximo, diz respeito a Deus e à sociedade, que envolve pensamento, palavras e obras [...] A lei estabeleceu para Israel o sétimo dia da semana e, na graça, o sábado foi substituído pelo primeiro dia da semana, o dia da ressurreição de Jesus, e deixou de ser mandamento para ser praticado naturalmente, sem coerção alguma.” (Os Dez Mandamentos, pp. 9,10[ele repete a mesma ideia na página 72]).

Existem na proposta de Soares, acordos e desacordos com a Teologia Reformada – ele fez uma distinção entre o sábado institucional e o sábado legal; o primeiro é eterno e pode ser cumprido em qualquer dia – e ele mesmo, não nega o Domingo como essa alternativa; o segundo foi apenas para Israel para ser cumprido no sétimo dia (essa distinção, parece ser, o argumento mais fraco de Soares no livro citado). Obviamente, nem de longe o dispensacionalismo de Soares deve ser identificado com um antinomianismo (sem lei).

J. I. Packer lista em sua Teologia Concisa seis (6) tipos de antinomianismo (pp.155,156). O antinomismo dualístico, centrado ‘no Espírito’, em Cristo, dispensacional, dialético e situacionista. Todos os tipos de antinomismo apresentados são perigosos.

Deve ser dito, que mesmo Calvino tinha uma concepção diferenciada, e o que veio a ser a Teologia Puritana do sábado, não tinha total coesão com Calvino,  a respeito do sábado e de sua substituição. Para ele [assim como penso], Cl 2.16 é uma expressão clara de que o sábado do sétimo dia foi abolido. E que o Domingo entrou em seu lugar.

O SÁBADO E O DOMINGO

Tradição Protestante antiga, e confessional
Adventismo do Sétimo Dia
Dispensacionalismo moderado
O quarto mandamento é anterior ao Sinai. E é uma Lei eterna, assim como é os dez mandamentos. Essa
Lei no NT continua em uma nova roupagem, a saber, o domingo, o dia do  Senhor (Ap 1.10).
Calvino entendia que Cl 2.16 se refere ao sétimo dia.
Os puritanos entendiam que se refere aos sábados cerimonais e não ao moral.
O quarto mandamento é anterior  ao Sinai. E é uma Lei eterna, assim como é os dez mandamentos. Essa Lei no NT continua
com a mesma roupagem,
a saber, o descanso deve continuar sendo no sétimo dia.
O domingo é do diabo e será a marca da besta.
Eles entendem que Cl 2.16 se refere aos sábados cerimoniais.
O quarto mandamento
é sinaítico, e era uma
lei apenas para Israel.
Essa Lei não foi repetida para a Igreja, assim o como outras foram. O domingo é o dia da
adoração do NT, não no mesmo molde do sábado
é o dia do Senhor (Ap 1.10).
Para essa escola
Cl 2.16 é uma evidencia de sua rejeição ao sábado.


CONCLUSÃO

Portanto, dizer que o Adventismo é mais próximo da tradição protestante, por causa do assunto da Lei, é um disparate, pois assim podíamos dizer que eles são arminianos/wesleyanos, já que usam esse sistema para algumas explicações fazerem sentido na doutrina do santuário de 1844, nem mesmo podemos dizer que são eles pentecostais apenas porque defendem a continuidade dos dons, para sustentarem a crença em Ellen White!!!

Já que o adventismo oficialmente rejeita todos os demais postulados dos documentos reformados, a saber: A Trindade, a Doutrina da Escritura, dos Dons, do Batismo, da Alma, do Inferno, do Juízo, da Ressurreição, entre outros.

Na abordagem com o Adventismo, não devemos nos preocupar com a postura teológica plagiada (como Ellen White gostava disso!!) deles em relação a Lei de Deus, mas sim, no que leva eles a defenderem o que dizem respeito do sábado e sua mistificação – na verdade, só dizem o que Ellen White disse...

80 comentários:

  1. Luciano,você é extraordinário quando se trata de explicar essas falsas religiões.

    ResponderExcluir
  2. Luciano,você é extraordinário quando se trata de explicar essas falsas religiões.

    ResponderExcluir
  3. Luciano,você é extraordinário quando se trata de explicar essas falsas religiões.

    ResponderExcluir
  4. A posição reformada realmente é a mais coerente com o ensino bíblico, valoriza o Decálogo e o Sábado, dentro de de uma compreensão neotestamentária. A posição evangélica que diz que o Sábado foi abolido é problemática, pois se o Sábado tivesse sido abolido, não teríamos razão para falarmos de Decálogo, pois não existe Decálogo com nove mandamentos. O Sábado foi apenas mudado para o primeiro dia da semana, não abolido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Sales, mesmo na tradição reformada há um descompasso. Calvino e Lutero, não seriam 100% coesos com a tradição reformada posterior no assunto quarto mandamento e sétimo dia.

      Excluir
  5. Belas palavras irmão Sales Santos, só escorregou na:

    "MUDADO para o DOMINGO" que não existe base nem VETEROTESTAMENTÁRIA muito menos NEOTESTAMENTÁRIA para o suposta "MUDANÇA".

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Irmão Luciano, o Apóstolo João, escreve qual livro primeiro?

    Apocalipse ou o Evangelho de JOÃO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alexandre, pelo que nos indicam alguns especialistas foi o livro de Apocalipse.

      Excluir
    2. Bom dia, obrigado!

      Eu já tinha ouvido isso, mas não li ainda!

      Excluir
  7. Irmão Luciano, eu não sei ao certo qual dos dois LIVROS foi escrito primeiro, mas segundo alguns eruditos mencionado por você seria o APOCALIPSE o primeiro.

    Vamos supor que seja assim.

    Por que JOÃO no dia de sua VISÃO em Ap 1:10,65 anos após o CALVÁRIO aproximadamente teria atribuído ao DOMINGO a expressão do GREGO KOINÊ (KURIAKÊ HEMÉRA) que significa DIA do SENHOR ao PRIMEIRO DIA da SEMANA se KURIAKÊ HEMERA não significa isso?

    Qual seria a lógica na sua opinião de transformar o significado do GREGO KOINÊ de DIA do SENHOR (KURIAKÊ HEMÉRA) em PRIMEIRO DIA da SEMANA ou DOMINGO?

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia irmão Luciano, a paz do Senhor!

    Se JOÃO, transformou de alguma forma e ainda não sabemos como o SIGNIFICADO do GREGO KOINÊ de KURIAKÊ HEMÉRA (dia do senhor) em PRIMEIRO DIA da SEMANA ou DOMINGO escrevendo o APOCALIPSE antes do seu EVANGELHO de JOÃO.

    Na sua opinião irmão Luciano Sena, por que JOÃO após 65 anos aproximadamente do CALVÁRIO, estaria afirmando que o GREGO KOINÊ para DIA do SENHOR (kuriakê heméra) seria o PRIMEIRO DIA da SEMANA ou DOMINGO para posteriormente voltar a CHAMÁ-LO de PRIMEIRO DIA da SEMANA em seu evangelho (Jo 20:1 e 19), sendo que o mais coerente ou acertado, seria repetir o que ele teria afirmado anteriormente em Apocalipse 1:10 (supostamente)?

    O que você acha que o fez manter o significado LITERÁRIO em João 20:1 e 19 (posterior) e alterado de alguma forma o significado LITERÁRIO em Apocalipse 1:10 (anterior)?

    ResponderExcluir
  10. Existem 3 linhas de pensamento a saber:

    Sabatistas que creem que o Sábado é o Dia

    Dominguistas que crem que o Domingo é o Dia

    Semanaistas que creem que não existe um dia específico como sendo O Dia mas que todos os dias são iguais.

    Depois da ascenção de Jesus não existe nenhum mandamento para se guardar o Sábado, nem o Domingo e nem que não se prescisa guardar um dia em específico que no caso seriam o Sábado e o Domingo.

    Uma coisa é uma determinada denominação considerar por exemplo que o Sábado é o Dia do senhor outra bem diferente é uma outra denominação realizar cultos aos Sábados sem considerar o mesmo como mandamnento pois nesse caso em algum momento poderia se mudar o dia. Essa última visão seria a semanaista.

    A visão dominguista é a mais coerente cristianisticamente falando pois Jesus ressuscitou no Domingo.

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia irmão luiz, tudo bem com você? Espero que sim! E que a Paz do Senhor esteja com todos nós! Amém!

      Irmão LUIZ, seguindo sua visão CRISTOCÊNTRICA para definir qual dia se deva observar!

      Como você mesmo disse:

      "Depois da ascenção de Jesus não existe nenhum mandamento para se guardar o Sábado, nem o Domingo e nem que não se prescisa guardar um dia em específico que no caso seriam o Sábado e o Domingo".(nao creio nisso).

      Eu já entendi que o irmão crê que seja o DOMINGO a ser observado por causa da RESSURREIÇÃO!

      Mas onde, encontramos a ordenação, substituição, transição ou mudança para que o DOMINGO seja o que é para você, por causa da RESSURREIÇÃO?

      Excluir
  11. Olá Alexandre

    Boa tarde

    Como estas rapaz ?tudo bom? Que bom debater com você.

    Repare que eu escrevi que não existe um mandamento nem para o Domingo nem para o Sábado e nem que não existe um dia como sendo o Dia ( visão semanaista).

    Ai temos que ver o contexto bíblico temos que ver o que está escrito e o que a Bíblia quer dizer é sempre oportuno lembrar que se Cristo não tivesse ressuscitado em vão seria todo o Cristianismo.

    A morte de Jesus foi importante? Sim, mas se Jesus tivesse ficado morto o dia da morte continuaria sendo o mesmo mas o Cristianismo não seria o mesmo.

    A expressão "1º dia da semana" ocorre 7 vezes, coincidência? Não, foi justamente para substituir o sétimo(7)dia.

    Como você ve a visão semanaista? A impressão que passa é que alguns ,talvez a maioria não sei, dos sabadistas implicam só com a visão dominguista e se esquecem da visão semanaista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Luiz, mas onde encontramos a ORDENAÇÃO de REPETIÇÃO de algo ou não para CONTINUAR ou PASSAR a ter validade?

      Onde encontramos essa LEGENDA?

      Existe?

      Excluir
    2. Sim, sem RESSURREIÇÃO, não haveria SALVAÇÃO!

      Mas sem sua MORTE, haveria SALVAÇÃO?

      Irmão Luiz, a MORTE e RESSURREIÇÃO de JESUS são inseparáveis, mas o irmão consegue enxergar mais importância em uma do que em outra, seria isso?

      Excluir
  12. Irmão Luiz, você disse:

    "Sabatistas que creem que o Sábado é o Dia"

    Não acreditamos, as nossas bíblias dizem isso!

    O "dia do Senhor" na Bíblia

    No Velho Testamento a expressão "dia do Senhor" é escrita de duas formas:

    "Yhovah yowm" e "Adonay yowm"

    Enquanto no Novo Testamento ela é representada por:

    "Kurios hemera"

    Exceto em Apocalipse 1:10 onde se tem:

    "Kuriakos hemera".

    Ao todo, a expressão "dia do Senhor" surgi 27 vezes, e está distribuída em 25 versos, destes, 23 apresentam-na como sendo o:

    "dia do ajuste de contas com Deus"
    "dia do juízo final"
    "dia do julgamento"
    "dia do retorno de Jesus".

    E esses 23 versos são:

    Isaías 2:12;
    Isaías 13:6;
    Isaías 13:9;
    Jeremias 46:10;
    Ezequiel 13:5;
    Ezequiel 30:3;
    Joel 1:15;
    Joel 2:1;
    Joel 2:11;
    Joel 2:31;
    Joel 3:14;
    Amós 5:18;
    Amós 5:20;
    Obadias 1:15;
    Sofonias 1:7;
    Sofonias 1:14;
    Zacarias 14:1;
    Malaquias 4:5;
    Atos 2:20;
    I Coríntios 5:5;
    I Tessalonicenses 5:2;
    II Tessalonicenses 2:2;
    II Pedro 3:10.

    E os dois versos que não tratam a expressão "dia do Senhor" como sendo o "dia da volta de Jesus", ou, "dia do juízo de Deus" são:

    "Se desviares o pé de profanar o sábado [...]santo dia do Senhor [...]" (Isaías 58:13-14 RA).

    Se a BÍBLIA diz que o SÁBADO é o DIA do SENHOR (Is 58:13-14), que JESUS é o SENHOR do SÁBADO (Mt 12:8; Mc 2:28; Lc 6:5) e JOÃO sabendo disso, escreveu Apocalipse 1:10 em Grego Koinê (kuriakê heméra) que significa "DIA do SENHOR", mas estaria pensando no PRIMEIRO DIA da SEMANA? E logo após, ter escrito Apocalipse 1:10. Ele relata em seu evangelho Cap. 20:1 e 19 sobre o PRIMEIRO DIA da SEMANA. Por que ele chamaria o PRIMEIRO DIA da SEMANA de DIA do SENHOR - kuriakê hemera-(Ap 1:10) não sendo, para depois registrá-lo novamente
    como PRIMEIRO DIA da SEMANA ao invés de manter a suposta alteração do Grego Koinê para DIA do SENHOR?

    Portanto, o dia mencionado em Apocalipse 1:10 é esclarecido em Isaías 58:13, onde Deus pessoalmente diz que o Seu santo sábado, instituído no sétimo dia da semana, é o "dia do Senhor".

    Encontramos de forma expressa o SÁBADO como DIA do SENHOR na BÍBLIA (Is 58:13-14)!

    Onde encontramos de forma expressa o DOMINGO como DIA do SENHOR na BÍBLIA?

    Encontramos de forma expressa na Bíblia, que JESUS é SENHOR do SÁBADO ((Mt 12:8; Mc 2:28; Lc 6:5)!

    Onde de forma expressa encontramos JESUS sendo o SENHOR do DOMINGO?

    Então, meu amigo e irmão Luiz. João sabendo disso, ele escreveu KURIAKOS HEMÉRA designando o PRIMEIRO DIA da SEMANA? Sabendo que o DIA do SENHOR é o SÁBADO e que JESUS é SENHOR do SÁBADO, e que no GREGO KOINÊ, KURIAKOS HEMÉRA significa DIA do SENHOR e não PRIMEIRO DIA da SEMANA?

    É isso mesmo irmão LUIZ?

    ResponderExcluir
  13. Deus abençoou e santificou o Sábado pois descansou em Gênesis 2:3 portanto a essência está no DESCANSO e não no dia.O dia pode ser alterado e foi por Deus-Jesus.Deus pode alterar o Dia.

    Jesus é Senhor do Sábado por isso estava e esta acima do Sábado logo pode mudar o Dia ou seja o Dia não está acima de Deus.

    Primeiro Dia da Semana cristianicamente falando é Dia do Senhor. No Antigo Testamento o Dia do Senhor foi o Sábado, mas de acordo com Gênesis 2:3 a benção e a santificação do sétimo dia foi porque Deus DESCANSOU e o DESCANSO precede o Dia então temos que: Se o DESCANSO de Deus > o Dia e Deus > descanso de DEUS logo Deus > O Dia então como Jesus=Deus Ele pode mudar o Dia e mudou.

    Jesus como Senhor do Sabado antes da ascenção e as passagens do Antigo Testamento também estão antes da ascenção.

    Alexandre onde está escrito que Jesus riu? Se os cristãos e cristãs são imitadores de Cristo porque riem?

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde irmão Luiz, a paz do Senhor!

    Você disse:

    "Jesus é Senhor do Sábado por isso estava e esta acima do Sábado logo pode mudar o Dia ou seja o Dia não está acima de Deus".

    Exatamente, Jesus e Deus estão acima do dia, mas onde ELE fez a mudança?

    Ele fez a mudança irmão Luiz, onde?

    ResponderExcluir
  15. Irmão Luiz, a paz do Senhor!

    Tire-me uma dúvida:

    O DOMINGO é o DIA do SENHOR por que JESUS RESSUSCITOU no DOMINGO ou por que DEUS descansou no SÁBADO? Não entendi sua colocação!

    ResponderExcluir
  16. Irmão Luiz, a paz do Senhor!

    A essência do SÁBADO é o DESCANSO irmão LUIZ?

    A essência não seria a ADORAÇÃO a DEUS pois ELE é o nosso CRIADOR?

    O 4º Mandamento, diz que devemos lembrar de DESCANSAR no SÁBADO .>>>POR QUE<<<. "em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou". E Apocalipse 14:7 nos diz que: "e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas".

    Irmão Luiz, a essência do SÁBADO é o DESCANSO ou a ADORAÇÃO?

    O SÁBADO foi santificado e abençoado não por causa do DESCANSO, mas o DESCANSO foi instituído para que suas CRIATURAS não apenas DESCANSASSEM, mas se LEMBRASSEM e reconhecessem quem é nosso CRIADOR e quem merece receber ADORAÇÃO por o ser o CRIADOR!



    ResponderExcluir
  17. Irmão Luiz, a paz do Senhor!

    Você disse:

    "No Antigo Testamento o Dia do Senhor foi o Sábado".

    Está correto! Só o tempo verbal que está equivocado. Não é "foi", mas "é"!

    "mas de acordo com Gênesis 2:3 a benção e a santificação do sétimo dia foi porque Deus DESCANSOU e o DESCANSO precede o Dia então temos que [...]"

    Deixe eu ver se entendi. Deus descansou no SÁBADO, abençoou e santificou o SÁBADO (Gn 2:3) Deus diz que o SÁBADO é o DIA do SENHOR (Is 58?13-14) e que JESUS é SENHOR do SÁBADO (Mt 12:8; Mc 2:28 e Lc 6:5), mas no seu entendimento sem um único versículo que comprove sua teoria, o DOMINGO é o DIA do SENHOR por que DEUS descansou no SÁBADO que é o dia anterior ao DOMINGO e por isso o DOMINGO seria o DIA do SENHOR por causa do DESCANSO de DEUS no SÁBADO no V.T e o DOMINGO seria o DIA do SENHOR no N.T por que JESUS RESSUSCITOU no DOMINGO!

    Seria isso irmão LUIZ o seu entendimento sem embasamento?

    Ou temos embasamento escriturístico para sua teoria?

    Onde?

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde irmão Luiz, a paz do Senhor!

    Você disse:

    "A expressão "1º dia da semana" ocorre 7 vezes, coincidência? Não, foi justamente para substituir o sétimo(7)dia".

    Irmão Luiz, então o DOMINGO é o novo SÁBADO CRISTÃO por causa da RESSURREIÇÃO e a confirmação da MUDANÇA e SUBSTITUIÇÃO é a sequência de 7 citações do termo PRIMEIRO DIA da SEMANA.

    Seria isso?

    Então o irmão acha que o sábado foi abolido ou substituído por que o sábado não é ordenado nem cancelado após a ascensão, mas o DOMINGO é o novo dia de descanso por que JESUS ressuscitou no DOMINGO mesmo sem qualquer menção ao fato e ainda que a confirmação seria por que o termo PRIMEIRO DIA da SEMANA é repetido 7 vezes e o SÁBADO por ser o SÉTIMO DIA, seria a chave mestra para o entendimento da ordenação. Seria isso, irmão Luiz?

    Perdoe-me irmão Luiz, mas é preciso de muita criatividade e FÉ para crer em algo tão vago como essa ideia.

    ResponderExcluir
  19. Caro amigo Alexandre, eu devo recuar em minha afirmação, me unir a vc na incerteza se foi escrito antes. Talvez fui pego na osmose, ou por ter lido algo de pós-melinista K. Gentry, e acabei fazendo essa afirmação, que na verdade, não pode ser confirmada. Deleta...

    Com respeito ao seu questionamento, havendo a diferença na redação sendo escritos no mesmo tempo ou não, visto que era na mesma época os dois escritos – um ele diz "dia do Senhor" e outro simplesmente "primeiro dia da semana", respondo:

    não creio que seja dificuldade, pois o relato do Evangelho mostra o que ocorreu no primeiro dia da semana, que veio a ser no conceito cristão o dia do Senhor. Ele tinha que dizer dia do Senhor ali? Não, pois sendo descritivo, de um período passado, seria talvez até mesmo um anacronismo. Mas não o fez por que não foi inspirado a fazer, como o fez em Ap 1.10. Interessante que ele é o único evangelista que NÃO menciona o sábado no relato da ressurreição.

    ResponderExcluir
  20. Quanto as provas que temos em favor da substituição, sendo assim, por esse meio, o sábado no sétimo dia *abolido (Cl 2.16), são as mesmas que temos com respeito da substituição da Páscoa pela Santa Ceia. Uma conclusão teológica a partir da prática de uma e a omissão de outra. Esse argumento, jamais foi superado. Nem aqui no blog, nem em conversa com nenhum adventista ou sabatista.

    ResponderExcluir
  21. Olá Alexandre

    A essência não pode ser a adoração pois a adoração é feita por um crente a Deus então adoração não é essência mas consequência.

    O cristão e a cristã adoram a Deus no Dia do Senhor pois existe o Dia, ou seja o Dia vem antes para ai sim ter a adoração por parte do crente.Sem o Dia como terá adoração?

    A Ressurreição é o ápice da fé cristã e Jesus ficou com o seu corpo morto no Sábado assim Ele sepultou o Sábado.

    Criatividade? A Ressurreição de Jesus tá na Bíblia, as 7 ocorrências da palavra primerio dia estão na Bíblia.

    I Corintios 15:14 fala da ressurreição e a mesma foi no Domingo e em João 20:19-22 fala que Jesus soprou o Espirito Santo nos cristãos e isso foi num Domingo.

    ResponderExcluir
  22. Alô a todos!

    A Confissão de Fé de Westminster, diz assim, no Capítulo XIX, LEI DE Deus VI➡"Embora os verdadeiros crentes "não estejam debaixo da lei como pacto de obras, para serem por ela justificados ou condenados" contudo, ela lhes serve de grande proveito, como aos outros; manifestando-lhes, como regra de vida, a vontade de Deus, e o dever que eles têm, ela os dirige e os obriga a andar segundo a retidão; descobre-lhes também as pecaminosas poluções da sua natureza, dos seus corações e das suas vidas, de maneira que eles, examinando-se por meio dela, alcançam mais profundas convicções do pecado, maior humilhação por causa deles e maior aversão a eles, e ao mesmo tempo lhes dá uma melhor apreciação da necessidade que têm de Cristo e da perfeição da obediência dele. Ela é também de utilidade aos regenerados, a fim de conter a sua corrupção, pois proíbe o pecado; as suas ameaças servem para mostrar o que merecem os seus pecados e quais as aflições que por causa deles devem esperar nesta vida, ainda que sejam livres da maldição ameaçada na lei. Do mesmo modo as suas promessas mostram que Deus aprova a obediência deles e que bênção podem esperar, obedecendo, ainda que essas bênçãos não lhes sejam devidas pela lei considerada como pacto das obras - assim o fazer um homem o bem ou o evitar ele o mal, porque a lei anima aquilo e proibe isto, não é prova de estar ele debaixo da lei e não debaixo da graça. Rom. 6:14,e 8:1; Gal. 3:13; Rom. 7:12, 22, 25; Sal.119:5; I Cor. 7:19; Rom.7:7, e 3:20; Tiago 1:23, 25; Rom. 7:9,14, 24; Gal. 3:24; Rom. 8:3-4; Rom. 7:25; Tiago 2:11; Esdras 9:13-14; Sal. 89:30-34 e 37:11, e 19:11; Gal. 2:16; Luc. 17:10; Rom. 6:12,-14; Heb. 12:28-29; I Ped. 3:8-12; Sal. 34:12, 16."

    Quer dizer: Os crentes não serão julgados pela lei, porque Cristo já foi julgado por eles. Está é a interpretação correta da expressão "não estar debaixo da lei (de sua condenação)" mas debaixo da graça. "

    Por outro lado, no Adventismo é ensinado que os crentes em Jesus Cristo, estão presentemente (desde 22 de outubro de 1844) sendo julgados pela lei. Este é um falso evangelho, porque coloca os crentes ainda" debaixo da condenação da lei", invalidando, por isto, a expiação realizada no Calvário.

    No livro "O Grande Conflito, p.430, encontramos....." Os que, pela fé, seguem a Jesus na grande obra da expiação, recebem os benefícios de Sua mediação em seu favor; "enquanto os que rejeitam a luz apresentada neste ministério" não são por ela beneficiados."

    Ellen White, aí em cima está dizendo que aqueles que não creem "neste ministério" (Cristo julgando os crentes pelos 10 mandamentos de Êxodo 20) estão fora do plano da salvação.

    O Grande Conflito, p.483....."Todos os que verdadeiramente se tenham arrependido do pecado e que pela fé hajam reclamado o sangue de Cristo, como seu sacrifício expiatório, tiveram o perdão acrescentado ao seu nome, nos livros do Céu; tornando-se eles participantes da justiça de Cristo, e verificando-se estar o seu caráter em harmonia com a lei de Deus, seus pecados serão riscados e eles próprios havidos por dignos da vida eterna."

    Aqui, White, ensina uma descarada "salvação pelas obras." O crente vive em santidade diante do Senhor, por causa do amor divino que foi derramado em seu coração pelo Espírito Santo, e não para ser aceito por Deus e obter a salvação. Ou é pela graça, ou pela lei.

    Em Efésios 4:32 Paulo escreveu.... "Antes, sede uns com os outros bondosos e compassivos. Perdoai-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou, em Cristo." Está expressão..... "Deus vos perdoou, em Cristo", faz referência ao dia da Expiação ou dia do Perdão (Levítico 23:26-32, Levítico 16). O perdão já foi dado na cruz, o crente se apropria dele pela fé.

    Prossegue.....

    ResponderExcluir
  23. Acredito que faltou comentar nessa postagem sobre a posição histórica dos Batistas do Sétimo Dia (conforme o irmão Luciano já havia feito em outras postagens do blog). Os Batistas do Sétimo Dia mantém a crença na validade da Lei Moral e do dia de Sábado como um tempo de descanso e adoração desde 1617, antes mesmo de várias das declarações de fé históricas terem sido escritas, e mais de 200 anos antes dos Adventistas. Como os demais cristãos, partilham a crença na Trindade, na inspiração e suficiência das Escrituras, na salvação unicamente pela graça de Deus por meio da fé em Jesus, e as demais doutrinas básicas do Cristianismo ortodoxo e evangélico. São verdadeiros cristãos evangélicos e Batistas, sendo assim reconhecidos pela Aliança Batista Mundial e outras associações interdenominacionais.
    Na questão da soteriologia, conheço pastores tanto calvinistas quanto arminianos (a denominação permite 'liberdade de consciência' neste ponto).

    Jamais chegaram perto de ensinar doutrinas heréticas como o Sábado sendo selo de Deus, juízo investigativo de 1844, etc.

    ResponderExcluir
  24. Olá Fablulo

    bom dia

    Mas de acordo com a crença batista do sétimo dia quem não guardar o Sábado será salvo?

    Luiz

    ResponderExcluir
  25. Irmão Fábulo, um grande prazer receber aqui um irmão Batista do Sétimo Dia. Tenho consideração e estima por essa denominação cristã.

    Nesse caso, o debate teológico a repeito do sábado no sétimo dia, ou no primeiro dia, toma proporções domésticas, onde podemos igualar a milênio, dons, etc.

    ResponderExcluir
  26. Luiz, essa é uma pergunta complicada. Tirando a mistificação em torno do selo, que a comunidade adventista faz, por causa de Ellen White, devemos pensar também no aspecto moral.

    Se vc não honrar seu pai e mãe, vc estará perdido ou salvo?
    Se vc matar, vc estará perdido ou salvo?

    Creio que, na convicção de um Batista do 7 dia, ele pode olhar essa restrição como norteadora, não como mística.

    Visto que o sábado tem elementos cerimoniais, há algum perigo em trazer isso a baila apenas no sentido moral.

    Eu tenho convicção que os sabatistas , quer sejam crentes (Batistas) ou hereges (adventistas), estão em um campo que foi suspenso no NT. Mas não vejo a prática em si, uma heresia, como o faz alguns irmãos dispensacionalistas.

    ResponderExcluir
  27. Olá Luciano Sena

    Bom dia

    Muito obrigado pelo seu comentário.

    A questão do dia faz parte dos Dez Mandamentos e é importantíssimo sim, eu pelo menos penso assim. Pode-se argumentar que quem salva é Cristo mediante a fé, sim mas quem tem fé em Cristo ama Ele e naturalmente obedece ao que está escrito. Fica realmente muito desconexo só ter um entendimento que a fé é suficiente se não se vive efetivamente tal fé.

    Pelo que eu entendi os batistas do sétimo dia creem que o Sábado é mandamento e aí quem tem fé em Deus consequentemente guarda o Sábado pois é mandamento então como seria um crente de uma denominação dominguista ou semanaista que tendo conhecimento pleno da doutrina sabatista chega a conclusão que não prescisa guarda-lo? Não seria rebeldia ? Fica aí minha dúvida.

    Se tem uma liberdade de consciência em relação a questão da soteriologia de serem arminianos ou calvinistas então vem a questão : se um batista do sétimo dia adotar o Domingo como o Dia do Senhor ou ser semanaista ainda assim o mesmo será considerado como um batista do sétimo dia? No caso do Dia teria tal flexibilidade?

    Dos 10 Mandamentos 9 são reforçados no Novo Testamento sendo que o 4º mandamento tem a troca pelo Domingo.

    Um bom texto para reflexão é João 14:21.

    Vejam foi apenas meu entendimento respeito a visão do Luciano Sena e do Fablulo.

    Um abraço

    Luiz

    ResponderExcluir
  28. Bom dia irmão Luiz, a paz do Senhor!

    Sobre "essência" ou "consequência" você trocou 6 por meia duzia. Confúcio explica isso!

    Você disse:

    "O cristão e a cristã adoram a Deus no Dia do Senhor pois existe o Dia"

    Concordo com você em 100%! Pois o Dia do Senhor é o "SÁBADO" (Is 58:13-14 e Ap 1:10)!

    Irmão Luiz...

    1)Deus descansou no SÉTIMO DIA (Gn 2:3)! Onde encontramos Deus descansando no PRIMEIROS DIA da SEMANA? Não existe!

    2) Deus ABENÇOOU o SÉTIMO DIA (Gn 2:3)! Onde encontramos Deus ABENÇOANDO o PRIMEIROS DIA da SEMANA? Não existe!

    3) Deus SANTIFICOU o SÉTIMO DIA (Gn 2:3)! Onde encontramos Deus SANTIFICANDO o PRIMEIROS DIA da SEMANA? Não existe!

    4) Deus CODIFICOU o SÉTIMO DIA no DECÁLOGO e deu-lhe um nome: Sábado (Êx 20:8-11)! Onde encontramos Deus CODIFICANDO o PRIMEIRO DIA da SEMANA no DECÁLOGO ou fora dele e dando-lhe o nome: PRIMEIRO DIA da SEMANA? Não existe!

    5) DEUS afirma em Isaías 58:13 e 14 que o SÁBADO é o "DIA do SENHOR"! Onde encontramos DEUS "afirmando" que o "PRIMEIRO DIA da SEMANA" como o "DIA do SENHOR"? Não existe!

    6) JESUS é o "SENHOR do SÁBADO" (Mc 2:28; Lc 6:5 e Mt 12:8)! Onde encontramos JESUS afirmando que ELE é "SENHOR do PRIMEIRO DIA da SEMANA"? Não existe!

    Logo, Apocalipse 1:10 não diz qual é o "DIA do SENHOR" mas apenas diz que JOÃO teve uma visão no "DIA do SENHOR"! Mas como vemos nos versículos acima, que estão em minha bíblia e na sua também. O DESCANSO, BENÇÃO, SANTIFICAÇÃO, DIA do SENHOR e SENHOR do DIA, estão TODOS sobre o SÁBADO! Então, a bíblia não eu, afirma que o "DIA do SENHOR" é o SÁBADO!

    Você disse:

    "ou seja o Dia vem antes para ai sim ter a adoração por parte do crente.Sem o Dia como terá adoração"?

    O dia vem ANTES do QUE?
    Adoração ocorre TODOS os DIAS, mas o sábado é o dia de adoração especial!

    Você disse:

    "A Ressurreição é o ápice da fé cristã e Jesus ficou com o seu corpo morto no Sábado assim Ele sepultou o Sábado".

    O ÁPICE é o PLANO da SALVAÇÃO da HUMANIDADE que é composto por MORTE e RESSURREIÇÃO. Morte e Ressurreição são INSEPARÁVEIS! Sem um, o outro não EXISTIRIA e vice versa!

    Bom, se JESUS sepultou o SÁBADO por que estava no TÚMULO! Então ELE sepultou igualmente SEXTA, SÁBADO e DOMINGO, pois ELE esteve no SEPULCRO nos TRÊS dias! Ou ainda, segundo sua ideia ou legenda de nova codificação por causa de EVENTOS! Deveríamos observar a SEXTA por que JESUS MORREU na SEXTA, observar o SÁBADO não mais por causa do DESCANSO, mas por causa do SEPULTAMENTO e observar o DOMINGO por causa da RESSURREIÇÃO! Assim, sua legenda seria muito mais coerente!

    Você disse:

    "Criatividade? A Ressurreição de Jesus tá na Bíblia, as 7 ocorrências da palavra primerio dia estão na Bíblia".

    Sim, claro, estão sim!

    E o que isso nos esclareceu? Nada!

    Onde a RESSURREIÇÃO e 7 vezes o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituem, modificam, cancelam (Gn 2:3; Êx 20:3-17; Is 58:13-14; Mc 2:28; Lc 6:5; Mt 12:8 e Ap 1:10)? Onde? Não existe!

    Você citou I Co 15:14 como autorizador da observância do PRIMEIRO DIA da SEMANA por causa da RESSURREIÇÃO!

    Vejamos: "E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé"

    Ajude-me aqui irmão Luiz! Onde nesse texto encontramos:

    A ORDENANÇA do DOMINGO por causa da RESSURREIÇÃO? Não encontrei! Sabe por que? Não existe!

    Continua no próximo comentário...

    ResponderExcluir
  29. Exatamente irmão Luiz, João 20:19-22 nos diz o que aconteceu no PRIMEIRO DIA da SEMANA, vejamos:

    "os discípulos estavam morrendo de MEDO"
    "Jesus apareceu e disse: paz sejo convosco"
    "mostrou as mãos e o lado"
    "discípulos ficaram alegres"
    "Jesus disse novamente: paz seja convosco"
    "assim com FUI enviado, voz envio"
    "Jesus disse: recebei o E.S!"

    Irmão Luiz, Jesus disse: "a paz seja convosco por duas vezes, mostrou as mãos e o lado, enviou ou discípulos e concedeu-lhes o E.S.

    E o que Jesus não disse em JOÃO 20:19-22?

    1) Que o DOMINGO passou a ser o DIA do SENHOR por causa da RESSURREIÇÃO, ELE não disse isso!

    2) Que o DOMINGO passou a ser OBSERVADO por causa da RESSURREIÇÃO, ELE não disse isso!

    3) Que o DOMINGO passou a ser OBSERVADO nos moldes do SÁBADO por causa da RESSURREIÇÃO, ELE não disse isso!

    4) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por causa da aparição de JESUS, ELE não disse isso!

    5) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por que JESUS disse duas vezes A PAZ SEJA CONVOSCO, ELE não disse isso!

    6) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por que JESUS mostrou as MÃO e o LADO, ELE não disse isso!

    7) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por que os discípulos estavam reunidos morrendo de MEDO neste dia, ELE não disse isso!

    8) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por que JESUS foi ENVIADO por DEUS, ELE não disse isso!

    9) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por que JESUS ENVIOU os DISCÍPULOS, ELE não disse isso!

    10) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por que os DISCÍPULOS se ALEGRARAM por que JESUS apareceu a eles neste dia, ELE não disse isso!

    11) Que o PRIMEIRO DIA da SEMANA substituiu o SÁBADO o DIA do SENHOR por que JESUS concedeu aos DISCÍPULOS o ESPÍRITO SANTO, ELE não disse isso!

    ResponderExcluir
  30. Logo, a criatividade e imaginação são incríveis!!

    ResponderExcluir
  31. Olá irmãos Luiz e Luciano, a paz do Senhor!

    Os Batistas do 7º Dia creem que o Sábado faz parte dos Dez Mandamentos, a Lei Moral do Senhor que não foi abolida. Portanto, é um mandamento ainda válido para a Nova Aliança, um tempo especial que Deus realmente requer que dediquemos a Ele. Guardamos o mandamento por amor a Deus, e não como uma tentativa de sermos justificados por obras, pois por obras da Lei ninguém será justificado.

    Creio que um irmão que guarda o Domingo ou outro dia qualquer ou dia nenhum está equivocado (e também em um 'pecado por ignorância', mas como nenhum de nós pode guardar a Lei de forma perfeita (é por isso que somos salvos pela graça de Deus), não cremos que quem pensa de forma diversa está perdido. O sangue de Jesus nos cobre de todas as faltas, sejam elas conscientes ou não.

    Mas se algum irmão tem o entendimento de que deve guardar este dia, e não o guarda, está em um pecado consciente. Como o NT diz, quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, está pecando. E tudo o que não procede de fé é pecado. Seria, como você disse, um ato de rebeldia. Assim como alguém descobre que está pecando em outra área, mas decide não fazer uma mudança em sua vida.

    O Sábado como dia do Senhor foi um dos pontos que levou os Batistas do 7º Dia a se separarem dos demais Batistas no começo do século XVII (começaram a criar certas discussões, sobre qual dia celebrar a ceia e coisas assim, e uma separação foi mais viável para ambos os grupos). Portanto, embora haja liberdade quanto à forma de se guardar o dia (não estipula-se uma lista de 'podes' e 'não podes'), creio que essa doutrina é um dos pontos distintivos da denominação. Se algum irmão pensa de forma diversa, não sei se sentiria 'em casa' na igreja. Talvez em outra igreja Batista tradicional.

    Meu ponto não era entrar em discussão aqui sobre o qual o dia do Senhor, apenas destacar que não são apenas grupos heréticos e/ou judaizantes que guardam este dia.

    Um abraço a todos os irmãos!

    ResponderExcluir
  32. Olá Alexandre

    Não, a essência é o descanso a adoração é a consequência ainda mais porque a adoração depende antes de duas coisas uma de um crente para adorar e do dia de descanso para tal adoração portanto são coisas diferentes.

    Engraçado que você se empenha tanto em tentar refutar a santa doutrina dominguista e parece não se importar com a doutrina semanaista mas tudo bem. O Sábado foi o Dia agora não é mais, a Tradição e o Magistério da sua denominação é que interpreta a Bíblia assim ou seja está escrito uma mensagem e vocês interpreta de outra maneira. Assim a Bíblia se torna insuficiente.

    Gênesis 2:32 você leu mas não entendeu a essência do raciocínio a essência é o descanso não o Dia. Primeiro vem a base que o descanso depois vem o Dia que pode ser mudado pois não é a base que é fixa. Deus abençoou e santificou porque DESCANSOU e só depois abençoou e santificou.

    A palavra Sábado remete a descanso mas na Nova Aliança a Santa Igreja entende que é o Domingo pela compreensão correta do contexto. Repare que até a própria palavra Sábado é descanso então aponta para a essência antes do dia e o Domingo como o Dia do Senhor e aí Deus é maior que o Dia por isso que Jesus é o Senhor do Sábado pois tem domínio sobre ele Jesus ser o Senhor do Sábado significa que Ele está acima do Dia logo pode mudar o Dia e mudou.

    Apocalipse 1:10 aponta para o Domingo pois já foi depois da ascenção e não se ve depois da ascenção nenhum crente no Senhor guardando o Sábado.


    Se Jesus tivesse só morrido e não tivesse ressuscitado o que valeira a morte dEle? O dia da morte independente de se Ele ressuscitasse ou não ficaria sendo o mesmo ou seja a sexta-feira. A ressurreição está entre a morte e a ascenção. A Bíblia diz que se Jesus não tivesse ressuscitado a fé cristã seria vã.
    Só que tem um detalhe importante aí Alexandre e que você parece que não percebeu o Sábado foi o único dia que Ele permaneceu o DIA INTEIRO no túmulo. Foi realmente o sepultamento do Sábado.

    O que está escrito deve ser corretamente compreendido ou seja o que está escrito é importante sim mas como se deve interpretar é mais importante ainda. A Escritura depende da ação do Espirito Santo da Santa Tradição e da Santa Igreja. No caso da Igreja Adventista do Sétimo Dia vocês tem um estudo que foi elaborado por um grupo de pessoas que são a Tradição e o Magistério de vocês.


    Em I Co 15:14 a idéia está em harmonia com o contexto e nos leva a perceber o Santo Domingo como o Dia.

    Onde está escrito de forma explicita para Adão, Noé e Abrãao guardarem o Sábado ?
    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite irmão Luiz, a paz do Senhor!

      A Doutrina Semanaista não é Bíblica assim como não é Bíblica a Dominguista!

      Você disse bem, a "Santa Igreja" interpreta o "contexto" como lhe apraz. Só que nem "direta nem indiretamente" o contexto remeteria a tal interpretação!

      Você disse:

      "Apocalipse 1:10 aponta para o Domingo pois já foi depois da ascenção e não se ve depois da ascenção nenhum crente no Senhor guardando o Sábado".

      Irmão Luiz, onde após a "ascensão" encontramos:

      O descanso deixando o sábado e sendo transferido para o domingo? Não existe!

      A santificação deixando o sábado e sendo transferido para o domingo? Não existe!

      A benção deixando o sábado e sendo transferido para o domingo? Não existe!

      O 4º mandamento sendo transferido para o domingo? Não existe!

      O Dia do Senhor (Is 58:13-14) sendo transferido para o domingo? Não existe!

      Jesus como Senhor do Sábado (Mc 2:28; Mc 6:5 e Mt 12:8) sendo transferido para o domingo? Não existe!

      Maria observando o Sábado (Lc 23:54) transferiu esta guarda para o domingo o observando? Não existe!

      Irmão Luiz, Paulo era CRENTE?

      Se for, o que ele fazia aos SÁBADOS durante 1 ano e 6 meses que ficou fazendo TENDAS com ÁQUILA e PRISCILA! Paulo fazia TENDAS no SÁBADO! Ou Paulo descansava no DOMINGO e trabalhava no SÁBADO? Só falto o irmão dizer que a "Santa Igreja" encontrou isso no contexto também! Ou ele observava o sábado mesmo? (At 18: 4 e 11). Que dia Paulo observou após a ascensão irmão Luiz?

      Você disse:

      "Se Jesus tivesse só morrido e não tivesse ressuscitado o que valeira a morte dEle"?

      Mas é justamente isso que venho dizendo, mas parece que o irmão não está ou não quer entender!

      MORTE e RESSURREIÇÃO são INSEPARÁVEIS! Uma não funciona sem a outra, por isso são inseparáveis! Simples assim!

      Mas o irmão para justificar o injustificável, eleva a RESSURREIÇÃO diminuindo a CRUZ!

      Sem derramamento de SANGUE não existe REMISSÃO de PECADOS e sem RESSURREIÇÃO é vã nossa FÉ! Ambos os EVENTOS estão intimamente LIGADOS e são INSEPARÁVEIS!

      Se são inseparáveis, o irmão precisa ser coerente com sua doutrina (não bíblia) de que é o EVENTO que determina a MUDANÇA do SÁBADO pelo DOMINGO, do DIA do SENHOR (sábado) para o DOMINGO (não bíblico) SUBSTITUIÇÃO do SÁBADO pelo DOMINGO, mas não pode se esquecer de que seguindo a sua doutrina do EVENTO DETERMINANTE, a SEXTA deve ter seu LUGAR pela MORTE e o SÁBADO como um dia que foi SEPULTADO (segundo sua ideia que também não é bíblica).

      Você disse:

      "Ele permaneceu o DIA INTEIRO no túmulo. Foi realmente o sepultamento do Sábado".

      Ta, deixa eu ver se eu entendi: o sábado foi sepultado por que ELE passou o sábado inteiro no túmulo. Só uma pergunta: Jesus MORREU e RESSUSCITOU para SALVAR a HUMANIDADE ou ELE MORREU e RESSUSCITOU para SEPULTAR um DIA da SEMANA? Diz ai irmão Luiz?

      Você disse:

      "o que está escrito é importante sim mas como se deve interpretar é mais importante ainda".

      Concordo em 100% com você!

      Após a ASCENSÃO, Paulo observou 78 SÁBADOS ou 78 DOMINGOS tendo como PROFISSÃO o fazer TENDAS assim como ÁQUILA e PRISCILA em CORINTO por 1 ano e 6 meses?

      Leia Atos 18:1-11 e interprete corretamento. Paulo guardou 78 SÁBADOS ou 78 DOMINGOS em CORINTO?

      Li I Corintios 15:1-19 e não encontrei uma única citação da MUDANÇA, SUBSTITUIÇÃO, DIA do SENHOR (sábado) para o DOMINGO por CAUSA da RESSURREIÇÃO, em DIRETA, nem INDIRETAMENTE, nem no CONTEXTO! Será que é mesmo I Corintio 15:14 e seu contexto que você queria citar irmão Luiz? Pois não encontrei absolutamente nada!

      Mas está escrito que não era pra guardar o sábado?

      Ou, os outros 9 mandamentos também não foram mandado guardar! Então não existia a LEI? A LEI só passou a existir no SINAI? Adão e Eva desobedeceram ao comerem o FRUTO, mas a transgressão foi a cobiça?

      Como poderiam COBIÇAR se não existia LEI!
      E veja, essa análise, não é adventista, mas de várias denominações protestantes. E agora?

      Abraços irmão, e fiquemos com Deus!

      Excluir
  33. Em João 19: 20-20 a questão de Jesus soprar o Espirito Santo capacita os crentes na missão repare a ação do Espirito Santo e foi num Domingo. Foi um santo ato registrado na Bíblia com una finalidade e propósito bem definido.

    Nenhum crente no Senhor guardou o Sábado depois da Ascenção.

    Não há mandamento depois da ascenção para se guardar o Sábado.

    Parece que a descida do Espirito Santo em Atos foi num Domingo.

    Luiz


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite irmão Luiz, a paz do Senhor!

      Você disse:

      "Em João 20:19-22 a questão de Jesus soprar o Espirito Santo capacita os crentes na missão repare a ação do Espirito Santo e foi num Domingo. Foi um santo ato registrado na Bíblia com una finalidade e propósito bem definido".

      Concordo com você em GÊNERO, NÚMERO e GRAU!
      O ato de JESUS soprar o ESPÍRITO SANTO sobre os DISCÍPULOS foi real e maravilho e imprescindível para o IDE dos discípulos! Foi um ato SANTO e registrado na BÍBLIA para uma FINALIDADE e PROPÓSITO bem DEFINIDO! E ainda por cima, registra o DIA em que isso ocorreu! Foi no DOMINGO!

      Ou seja, finalidade e propósito bem definidos! Jesus provou que RESSUSCITOU para os discípulos mostrando as FERIDAS, concedeu-lhes o SANTO ESPÍRITO SANTO para cumprirem a missão! E tudo isso aconteceu num DOMINGO!

      Logo, não encontramos nada, absolutamente nada, sobre o DOMINGO ter se tornado o DIA do SENHOR (sábado) ou ter SUBSTITUÍDO o SÁBADO por causa da RESSURREIÇÃO, nem por ter aparecido aos discípulos no DOMINGO, nem por ter concedido o SANTO ESPÍRITO SANTO para a FINALIDADE e PROPÓSITO bem DEFINIDOS do IDE dos DISCÍPULOS! Não vemos absolutamente NADA!

      Irmão Luiz, de onde você tira estas ideias?

      Você disse:

      "Nenhum crente no Senhor guardou o Sábado depois da Ascenção".

      Após a ASCENSÃO, Paulo observou 78 SÁBADOS ou 78 DOMINGOS tendo como PROFISSÃO o fazer TENDAS assim como ÁQUILA e PRISCILA em CORINTO por 1 ano e 6 meses?

      Leia Atos 18:1-11 e interprete corretamento. Paulo guardou 78 SÁBADOS ou 78 DOMINGOS em CORINTO?

      Você disse:

      "Não há mandamento depois da ascenção para se guardar o Sábado".

      Seguindo essa sua linha de raciocínio:

      Onde há mandamento depois da "ASCENSÃO" para se guardar o DOMINGO?

      Vamos supor que você esteja certo (não está)...por que Paulo, guardaria 78 SÁBADOS em 1 ano e 6 meses na cidade de CORINTO trabalhando como profissional na confecção de TENDAS juntamente com ÁQUILA e PRISCILA (At 18:1-11) sendo que o sábado teria sido abolido (não foi) substituído (não foi) ao invés de ter descansado no DOMINGO segundo sua doutrina da "ASCENSÃO" e da suposta "SUBSTITUIÇÃO" por causa da RESSURREIÇÃO?

      Você disse:

      "Parece que a descida do Espirito Santo em Atos foi num Domingo".

      Parece não foi mesmo!

      Mas em nenhum relato da ASCENSÃO, da RESSURREIÇÃO ou DESCIDA do ESPIRITO SANTO, não ratificam nem nem citam, nem de perto, nem de longe, nem direta nem indiretamente a suposta MUDANÇA do SÁBADO para o DOMINGO, nem alteração do DIA do SENHOR (sábado) para o DOMINGO por nenhum destes EVENTOS ocorridos no DOMINGO!

      Os eventos são IMPORTANTÍSSIMOS, não o DIA que eles ocorreram! Simples assim!

      Abraços e fique com Deus!

      Excluir
  34. Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou juntamente com Cristo. Ele nos perdoou todas as transgressões,
    e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz,
    e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz.
    Portanto, não permitam que ninguém os julgue pelo que vocês comem ou bebem, ou com relação a alguma festividade religiosa ou à celebração das luas novas ou dos dias de sábado.
    Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo.
    Colossenses 2:13-17

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido irmão Matias, se o irmão não conhece sua própria doutrina sobre a divisão da LEI, então você precisa se inteirar um pouquinho melhor, de uma lida nela. Abraços!

      Excluir
  35. O ministério que trouxe a morte foi gravado com letras em pedras; mas esse ministério veio com tal glória que os israelitas não podiam fixar os olhos na face de Moisés por causa do resplendor do seu rosto, ainda que desvanecente.
    Não será o ministério do Espírito ainda muito mais glorioso?
    2 Coríntios 3:7,8

    ResponderExcluir
  36. Bom dia irmão Matias, a paz do Senhor!

    Se a Lei de Deus é o “MINISTÉRIO da MORTE”, então o Criador é um assassino, pois, Ele nos pede obediência (João 14:15). Agora, se o “MINISTÉRIO da MORTE” for visto como a forma como a Lei era aplicada aí sim as coisas ficam fáceis de entender. Não devemos nos esquecer que no contexto da carta aos Coríntios “O propósito do apóstolo era REFUTAR aos seus adversários JUDAIZANTES de Corinto [… 2 Coríntios 11:22] cujo ministério era da “LETRA” e não do “ESPÍRITO”.” (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 847). Os JUDAIZANTES que questionavam o ministério de Paulo haviam PERVERTIDO a compreensão correta da LEI e, por isso, a forma como eles ministravam os ensinamentos de Deus se tornou um fardo.

    Também é importante lembrarmos que Paulo destaca nesse verso uma das funções da LEI: mostrar que SOMOS pecadores (ler Romanos 3:20). Ela é chamada de “MINISTÉRIO da MORTE” por que mostra a nossa condição pecaminosa e, ao mesmo tempo, nos condena à morte eterna como punição (Romanos 6:23; ler 2 Coríntios 3:9). Por causa dos Dez Mandamentos sentimos a necessidade de um Salvador e consequentemente vamos a Ele para sermos salvos (por Ele).

    Portanto, Paulo está argumentando o seguinte em 2 Coríntios 3:7:

    “A LEI não é o MEIO de SALVAÇÃO, assim como pensam os JUDAIZANTES. Ela mostra nossa condição miserável para recorrermos a Jesus. Ela NÃO tem função SALVÍFICA. Precisa ser obedecida com a ajuda do Espírito Santo (verso 6) por que é Ele quem a escreve no coração do ser humano (Hebreus 8:10)”.

    Longe de ser o caminho da salvação (Efésios 2:8, 9) a LEI é o resultado de um coração transformado pela graça de Jesus (Efésios 2:10; Tito 3:7-8). Paulo não está abolindo a Lei (mesmo porque Jesus não deu autoridade para ser humano algum fazer isso – ver Mateus 5:17-19), mas, colocando-a no seu devido lugar.

    Se não fosse esse propósito do apóstolo, 1 Timóteo 1:8 perderia o sentido:

    “SABEMOS, PORÉM, QUE a LEI è BOA, se ALGUÉM DELA se UTILIZA de MODO LEGÍTIMO” 1 Timóteo 1:8.

    A LEI de Deus existente em toda a Sua Palavra é considerada “SANTA, JUSTA e BOA” (Romanos 7:12).

    Não cremos que Paulo tivesse “DUPLA PERSONALIDADE” ao ponto de afirmar que o mandamento “SANTO, JUSTO e BOM” seja “o MINISTÉRIO da MORTE” quando observado da maneira correta.

    Por que ele afirmaria que a LEI é BOA e pode ser seguida de forma LEGÍTIMA se a mesma NÃO mais VIGORA depois da morte de Cristo?
    Paulo incentiva em suas cartas uma OBEDIÊNCIA INTERNA, PELO ESPÍRITO (2 Coríntios 3:6). Afinal, não existe desobediência pelo Espírito em Romanos 8.

    Quem ler esse capítulo e continuar crendo na ideia de que a LEI foi ABOLIDA, terá de dar contas a Deus, pois, mesmo obedecendo a Deus com a ajuda do Espírito Santo, o texto é claro em afirmar que, os que não estão em harmonia com a LEI de Deus, O “DESAGRADAM”:

    “Porque as pessoas que vivem de acordo com a natureza humana têm a sua mente controlada por essa mesma natureza. Mas as que vivem de acordo com o Espírito de Deus têm a sua mente controlada pelo Espírito.

    As pessoas que têm a mente controlada pela natureza humana acabarão morrendo espiritualmente; MAS as que têm a mente controlada pelo Espírito de Deus terão a vida eterna e a paz. POR ISSO as pessoas que têm a mente controlada pela natureza humana se tornam inimigas de Deus, POIS não obedecem à LEI de Deus E, de FATO, NÃO PODEM OBEDECER a ELA. AS PESSOAS QUE VIVEM de ACORDO COM a SUA NATUREZA HUMANA não podem agradar a Deus.” Romanos 8:5-8 (Nova Tradução Na Linguagem de Hoje)

    Deixar de lado a LEI é “VIVER de ACORDO com a NATUREZA HUMANA” o que trará morte espiritual. Viver no Espírito é, pela graça de Deus, obedecê-Lo (lembrando que a santificação é um processo que leva a vida toda). Como a tese antinomista (de que a lei foi abolida) pode resistir a tal argumento do apóstolo Paulo?

    ResponderExcluir
  37. Olá Alexandre

    Os eventos são importantíssimos e ao mesmo tempo a compreensão que o Dia em que forma realizados também pois pela correta compreensão percebe-se que foi num Domingo. Acaso? Sem um propósito?

    Não está escrito que os eventos são importantes mas o Dia não é.

    Embora você e outro sabatistas entendam assim pois leram mas não compreenderam o que está escrito ou seja leu mas não entendeu , está escrito mas não está compreendido por isso que só ler a Bíblia não é suficiente é presico entende o que se le. Você pede uma escrita na Bíblia de forma explicita de Deus mudando o Dia isso está feito pela correta compreensão do contexto pois a mensagem bíblica é essencialmente espiritual que se manifesta em forma material e Deus possibilita através do Espirito Santo a verdadeira compreensão pois só existe UMA e SOMENTE uma doutrina.

    Noé,Abrãao e Jacó guardaram o Sábado? Tem alguma passagem explícita para eles guardarem o Sábado?

    Atos 18:4 - Paulo ia debater na Sinagoga nada fala sobre guarda do Sábado. Em atos na descida do Espirto Santo os crentes estavam reunidos e no caso de Paulo na Sinagoga em Atos 18:4 só ele foi lá debater. Entre estarem reunidos em Cristo e um só ir debater chega-se a conclusão que no Dia do Senhor o santo ajuntamento era mais lógico.

    A Srª Ellen G. White inicialmente cria no Sábado como Dia de guarda?

    Um abraço

    Luiz


    Luiz

    ResponderExcluir
  38. Bom dia irmão Luiz, tudo bem? Espero que sim!

    Você disse:

    Os eventos são importantíssimos e ao mesmo tempo a compreensão que o Dia em que forma realizados também pois pela correta compreensão percebe-se que foi num Domingo. Acaso? Sem um propósito"?

    Irmão Luiz, pela correta compreensão, fica evidente, claro e notório que JESUS se apresentou ao discípulos, provou que ressuscitou com suas feridas, tranquilizou o MEDO dos discípulos e os ENVIOU cheios do E.S! E tudo isso ocorreu num DOMINGO!

    O importante em João 20:19-22 é o dia?
    Claro que não! O importante foi o que ocorreu nesse dia, e não o dia!

    Tanto que se o DIA é que fosse o foco, João 20:19-22 estaria escrito assim:

    "Ao cair da tarde daquele dia, o primeiro da semana, O SANTO DIA da RESSURREIÇÃO, o NOVO DIA do SENHOR, e SUBSTITUTO do ANTIGO SÁBADO. Trancadas as portas da casa onde estavam os discípulos ESPERANDO a JESUS com MUITA ALEGRIA no SANTO DIA da RESSURREIÇÃO, o PRIMEIRO DIA da SEMANA, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: O PRIMEIRO DIA da SEMANA a partir de AGORA é o SÁBADO CRISTÃO.
    E, dizendo isto, lhes mostrou as mãos e o lado. E por CAUSA DISSO o PRIMEIRO DIA da SEMANA SUBSTITUIU a SÁBADO. Alegraram-se, portanto, os discípulos ao verem o Senhor, no SANTO PRIMEIRO DIA da SEMANA por ISSO e por ISSO, o SÁBADO foi SUBSTITUÍDO. Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: FELIZ PRIMEIRO DIA da SEMANA, o NOVO DIA do SENHOR! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio.E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. E TAMBÉM por CAUSA DISSO, o PRIMEIRO DIA da SEMANA, SUBSTITUIU o SÁBADO e PASSOU a SER o NOVO DIA do SENHOR!

    Irmão Luiz, sinceramente, é isso que sua EXEGESE e HERMENÊUTICA interpretam?

    O irmão Luciano, chama uma forma de obediência de MÍSTICA sendo BÍBLICA!

    Como intitular uma EXEGESE e HERMENÊUTICA dessas?

    Nem me arrisco!

    ResponderExcluir
  39. Boa tarde irmão Luzi, a paz do Senhor!

    Você disse:

    "Não está escrito que os eventos são importantes mas o Dia não é".

    Irmão Luiz, se o DIA é importante, onde encontramos a menção da importância desse dia? Pelo menos em João 20:19-22 não menciona absolutamente nada!

    Teríamos uma menção em outro local que não seja apenas a menção do DIA, mas da menção de que este DIA é importante por exemplo:

    No sábado temos a menção do DESCANSO, SANTIFICAÇÃO e BENÇÃO (Gn 2:3), CODIFICADO (Êx 20:8-11), DIA do SENHOR (Is 58:13-14), SENHOR do SÁBADO (Mc 2:28; Lc 6:5 e Mt 12:8) e só por duto isso Apocalipse 1:10 só pode ser o SÁBADO!

    Então, para o PRIMEIRO DIA da SEMANA, onde encontramos a suposta MENÇÃO assim como temos para o SÁBADO, e não apenas a MENÇÃO do DIA? Como percebemos e VEMOS em TODOS os VERSÍCULOS que mencionam o PRIMEIRO DIA da SEMANA, em nenhum é justificado o que ocorre na passagem por ter ocorrida tais coisas neste dia, mas apenas que certas coisas ocorreram neste dia! Nada mais que isso!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  40. Boa tarde irmão Luiz, a paz do Senhor!

    Você disse:

    "Noé,Abrãao e Jacó guardaram o Sábado? Tem alguma passagem explícita para eles guardarem o Sábado"?

    Mas está escrito que não era pra guardar o sábado?

    Ou, os outros 9 mandamentos também não foram mandados guardar! Então não existia a LEI? A LEI só passou a existir no SINAI? Adão e Eva desobedeceram ao comerem o FRUTO, mas a transgressão foi a cobiça!

    Como poderiam COBIÇAR se não existia LEI!
    E veja, essa análise, não é adventista, mas de várias denominações protestantes, apenas concordamos. E agora?

    1) ASSEMBLEIA de DEUS.

    "Os Dez Mandamentos foram pronunciados por Deus e escritos por Ele em duas tábuas de pedra, Êx 31.18. Foram escritos de ambas as bandas, Êx 32.15. Não se deve pensar que não existia nada destes mandamentos, antes de Moisés. Foram escritos nas mentes e nas consciências dos homens desde o princípio. Não há pecado que não é condenado por um dos Dez Mandamentos. A súmula do Decálogo é o dever para com Deus e o dever para com o próximo; melhor, é o amor para com Deus e o amor para com o próximo."4

    4. BOYER, O. S. (1966). Pequena Enciclopédia Bíblica, 1.ª ed., Rio de Janeiro: CPAD, p. 237; (verbete: "Dez Mandamentos").

    2) Igreja Batista

    "Acreditamos que o homem foi criado em santidade, SUBORDINADO à LEI de seu Criador; mas por transgressão voluntária caiu desta condição santa e feliz. Por consequência todos os homens são agora pecadores, não por coação, mas por escolha; sendo por natureza completamente destituído da santidade EXIGIDA pela LEI de Deus, inegavelmente inclinados para o mal e, portanto, sob justa condenação à ruína eterna, sem defesa ou desculpa."5
    "A MESMA LEI lei que foi escrita no coração do homem, continuou a ser uma perfeita regra de justiça APÓS a queda, e foi ENTREGUE por Deus no monte Sinai, em Dez Mandamentos escritos em duas tábuas, os quatros primeiros contendo nosso dever para com Deus, e os outros seis o nosso dever para com o homem."6
    5. The New Hampshire Confession of Faith (1833), chap. III (Of the Fall of Man).
    6. The 1677/89 London Baptist Confession of Faith, chap. XIX, art. II.


    3) Igreja Congregacional

    "Deus ENTREGOU a Adão uma LEI, como um pacto de obras, pela qual Ele o submeteu e toda sua posteridade, a uma obediência perpétua, pessoal, completa e perfeita; prometeu vida sob a condição de cumprir e ameaçou de morte em caso de violar a mesma, e dotou-lhe com poder e capacidade para guardá-la. Essa LEI APÓS sua queda, CONTINUOU a ser uma perfeita regra de justiça; e, como tal, foi entregue por Deus no monte Sinai, em Dez Mandamentos, escritos em duas tábuas: os primeiros quatro mandamentos contêm o nosso dever para com Deus; e os outros seis, o nosso dever para com o homem."8
    "Aprendemos com este assunto o absurdo do antinomianismo(c). Duas doutrinas antinomianas proeminentes são: que a lei de Deus não é um regulamento de dever para os cristãos; e que as transgressões dela pelos cristãos não são pecados.

    Pecado, diz S. João, é a TRANSGRESSÃO da LEI(d). É uma forte afirmação; nesse caso, uma declaração exigindo justificação na qual nenhum homem pode pleitear: que não há tal coisa, ou, que não existe este assunto de transgressão da lei, que não é pecado. Por qual razão não seriam pecaminosas as transgressões dos cristãos? Seriam eles seres santos? Adão era perfeitamente santo, até sua transgressão arruinar o mundo. Anjos eram perfeitamente santos, em um estado muito superior ao de Adão, mas suas transgressões os afastaram do Céu! Porque estariam os cristãos liberados?"9

    c. Movimento ideológico que vale-se da graça divina para defender a abolição de regras ou preceitos da lei; filosofia que confronta os padrões de conduta determinados pela lei de Deus; que desvia-se da lei divina.
    d. Citando I João 3:4 (cf. Romanos 4:15; Romanos 7:7).
    8. The Savoy Declaration of Faith and Order (1658), chap. XIX, art. I, II.
    9. DWIGHT, T. (1823). Theology Explained and Defended, vol. III, 3th ed., New-Haven: Printed by S. Converse, ser. XCI, p. 59-60.

    ResponderExcluir
  41. Olá Alexandre

    Gosto de debater com você, você é esforçado e dedicado.

    Foram sem sombra de dúvida fatos importantíssimos no Santo Domingo, a Bíblia faz questão de colocar o 1º dia da semana foi obra do acaso?foi sem propósito? Pelo menos na Bíblia está escrito sete vezes " primeiro dia da semana" aí há de se ter uma compreensão mais profundo sobre isso.

    Se Jesus não tivesse ressuscitado, se Jesus não tivesse assoprado o Espírito Santo a mensagem cristã continuaria? Claro que não. O Santo Domingo serviu para mostrar isso.

    A compreensão da passagem está na correta interpretação do contexto bíblico.Veja o Sábado é citado várias vezes e o 1º Dia da Semana bem menos assim como o Batismo na fórmula na Santíssima Trindade é citado apenas uma vez e 4 vezes o batismo é citado apenas no nome de Jesus e o correto é o Batismo Trinitariano.

    então Nóe, Abrãao não guardaram o Sábado? Se guardaram seguiram a quem?

    Se Apocalipse 1:10 é o Sábado então há uma contradição insuperável pois nenhum crente no Senhor depois da ascenção guardou o Sábado.

    Dos 10 Mandamentos 9 são ratificados no Novo Testamento depois da Santa Ascenção Gloriosa só faltou o Sábado ser ratificado pois Jesus realmente sepultou o Sábado.

    em relação à Bíblia:

    Ler e compreender corretamente,se está escrito mas não está compreendido então o contexto fora da correta compreensão vira pretexto também.

    Um grande abraço

    Luiz



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde irmão Luiz, a paz do Senhor!

      Vamos supor que sua matemática de que por causa do PRIMEIRO DIA da SEMANA ser mencionado no N.T 7 vezes seja a CHAVE para entendermos e confirmarmos que é o PRIMEIRO DIA da SEMANA que prevaleceria em detrimento do SÁBADO, sua regra ou legenda matemática (inexistente-não bíblica)cai por terra assim que instituída!

      Se assim o fosse, jamais seria o PRIMEIRO DIA da SEMANA a primazia, mas continuaria sendo o SANTO SÁBADO, poi o mesmo é mencionado 103 vezes em toda a bíblia. 57 no V.T e 46 no N.T!

      Quantas vezes mesmo o PRIMEIRO DIA da SEMANA é mencionado no N.T? 7 vezes?
      E o SÁBADO? 46 vezes!
      Segundo sua matemática, essa ideia é totalmente furada!

      Abraços irmão Luiz! Você também é muito esforçado e persistente.

      Excluir
  42. Continuação...

    4) Igreja Luterana

    "Estas foram as razões, porque, na descrição do pecado original fizemos menção também da concupiscência. (...) o pecado original também contém estas enfermidades, a saber: ignorância de Deus, desprezo de Deus, caráter destituído de temor e confiança em Deus, incapacidade de amar a Deus. Estas são as principais falhas da natureza humana, conflitantes especialmente, com a primeira tábua do DECÁLOGO."(10)

    "O primeiro pecado do homem, ou queda, foi a transgressão da lei do Paraíso, na qual os nossos primeiros pais violaram uma interdição divina que proibia-lhes de comer o fruto da 'árvore do conhecimento do bem e do mal' (...). Nossos primeiros pais, na queda, violaram diretamente uma lei positiva, porém de forma INDIRETA e PRATICAMENTE, através da desobediência deles, quebraram do início ao fim as limitações de TODA a lei Moral(e)."(11)

    "O catecismo luterano, fornece a seguinte definição: 'Pecado original consiste em uma propensão para as coisas proibidas pela lei de Deus e uma aversão à Sua vontade'. Na apologia da confissão(f), encontramos a seguinte definição: 'Pecado original consiste na primeira ausência de santidade e justiça no paraíso'."12

    e. Acesse: Lei Moral & Lei Cerimonial
    https://sites.google.com/site/iasdonline/home/reparador/leis03
    f. Apologia da Confissão de Augsburgo (The Apology of the Augsburg Confession).

    10. The Apology of the Augsburg Confession, chap. I, art. II (Of Original Sin). In: JACOBS, H. E. (1911). The Book of Concord: The Symbolical Books on the Evangelical Lutheran Church, Philadelphia: The United Lutheran Press, p. 78.
    11. KRAUTH, C. P. (1872). The Conservative Reformation and its Theology: As Represented in the Augsburg Confesssion, and in the History and Literature of the Evangelical Lutheran Church, Philadelphia: Printed by J. B. Lippincott & Co., art. IX (Original Sin), p. 377.
    12. LOCHMAN, J. G. (1818). The History, Doctrine and Discipline of the Evangelical Lutheran Church, Harrisburgh: Printed by John Wyeth, art. II, p. 87.

    5) Igreja Metodista

    "(...) a lei Moral, constituída por Dez Mandamentos e ministrada pelos profetas, Ele [Jesus Cristo] não removeu. Não foi o objetivo de Sua vinda, revogar qualquer parte dela. Esta é uma lei que jamais pode ser inutilizada; que 'permanece firme como uma testemunha fiel no Céu'(g). (...) surgiu desde o PRINCÍPIO do MUNDO, sendo 'escrita não em tábuas de pedra', mas no coração de todos os filhos dos homens, QUANDO saíram das mãos do Criador."13
    "(...) Se examinarmos a lei de Deus, assim como IGUALMENTE ENTREGUE a Adão, ou a Moisés, nós a encontraremos perfeita e sem defeito, respeitada em si mesma. Pois em verdade, 'a lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom.'(h) Procedendo de Deus, a fonte de santidade, justiça e bondade, ela deve necessariamente possuir estes atributos. Pode, portanto, ser justamente chamada de 'transcrição de Sua natureza'."14
    "(...) É verdade, Adão não tinha a lei escrita em tábuas de pedra; mas ela FOI ESCRITA em sua mente. Deus IMPRIMIU-A em sua alma, lhe ESTABELECEU uma LEI em si mesmo (...). Todas as suas paixões, na verdade, todos os seus interesses e sensíveis impulsos eram subordinados à sua razão e vontade, as quais estavam de acordo com a vontade de Deus. Eram completamente, por consequência, puros de toda profanação, livres de toda desordem ou imperfeição; pois todas as suas atitudes estavam devidamente submetidas a sua límpida razão e sua santa escolha. Ele tinha também uma faculdade ativa, responsável por seu desejo, uma capacidade para fazer o bem que ele sabia que deveria ser feito, e se dispusera a fazer; exatamente para cumprir TODA a LEI de Deus. Se não fosse assim, Deus não teria requerido a perfeita obediência dele."15

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. g. Em referência a Salmos 119:89 (cf. Êxodo 34:28, Apocalipse 11:19).
      h. Citando Romanos 7:12.
      13. DREW, S. (1829). Sermons on Several Occasions by the Rev. John Wesley, vol. I, London: Printed by Thomas Tegg, ser. XXVII, disc. V, p. 276-277.
      14. SMITHSON, W. T. (1859). The Methodist Pulpit South, 3th ed., Washington, D.C.: Printed by Henry Polkinhorn, p. 164-165; ("The Perfect Law of Liberty").
      15. WESLEY, J. (1828). The Miscellaneous Works of the Rev. John Wesley, vol. II, New York: Printed by J. Harper, part. VII (The Doctrine of Original sin), p. 353.

      Excluir
  43. 6) Igreja Presbiteriana

    A "The Westminster Confession of Faith"16 (confissão de fé adotada pela igreja Presbiteriana), defende integralmente a mesma doutrina apresentada pela "The Savoy Declaration of Faith and Order" em seus artigos I e II do capítulo XIX.

    Desde modo, para evitar redundância deste conteúdo, releia acima (caso haja necessidade) a citação de número 8, da igreja Congregacional.

    O catecismo da igreja Presbiteriana nos Estados Unidos, após revisão e aprovação feita pela Assembleia Geral (ocorrida em maio de 1829, na cidade de Princeton, Kentucky), expõem:

    Pergunta: O que é pecado?
    Resposta: Pecado é qualquer falta de concordância ou transgressão da lei de Deus.

    Pergunta: Qual foi o pecado pelo qual nossos primeiros pais caíram do estado em que foram criados?
    Resposta: O pecado pelo qual nossos primeiros pais caíram do estado em que foram criados, foi a COBIÇA de comer o fruto proibido.
    (...)

    Pergunta: Qual é o dever que Deus exige do homem?
    Resposta: O dever que Deus exige do homem, é a obediência à Sua vontade revelada.

    Pergunta: O que Deus em primeiro lugar revelou ao homem como regra de sua obediência?
    Resposta: A regra que Deus revelou primeiramente ao homem para sua obediência, foi a lei Moral.

    Pergunta: Onde está a lei Moral resumidamente compreendida?
    Resposta: A lei Moral está resumidamente compreendida nos Dez Mandamentos.17

    "A confissão de fé, adotada tanto pela Antiga e Nova Escolas Presbiterianas, afirmam que 'todo pecado, tanto original e atual, sendo uma transgressão da justa lei de Deus e contrária a esta, produz em sua própria natureza a culpa sobre o pecador, por ele [pecado] está destinado à ira de Deus'."18

    16. The Westminster Confession of Faith (1647), chapter XIX, art. I, II.
    17. The Constitution of the Cumberland Presbyterian Church in the United States of America. (1843). Pittsburgh: Printed by Arthur A. Anderson, p. 83, 87-88.
    18. PARK, E. A.; TAYLOR, S. H. (1863). Bibliotheca Sacra and Biblical Repository, vol. XX, London: Printed by Thübner & Co., art. III, p. 579.





    7) Igrejas Reformadas

    "Por pecado entendemos a corrupção inata do homem que tem sido derivada ou propagada em todos nós a partir de nossos primeiros pais (...) Repletos de toda a maldade, desconfiança, menosprezo e ódio a Deus, somos incapazes de fazer ou até mesmo pensar algo bom por nós mesmos. Ademais, mesmo ao envelhecermos, através de maus pensamentos, palavras e atos praticados CONTRA a lei de Deus, produzimos publicamente frutos corruptos digno de uma árvore do mal (Mateus 12:33 ss)."19

    19. The Second Helvetic Confession, chap. VIII: Of Man's Fall, Sin and the Cause of Sin; (esta confissão de fé foi escrita em 1562 por Heinrich Bullinger, sendo publicada posteriormente na cidade de Zurique em 1566 por Frederico III da Palatina e, adotada também pelas igrejas Reformadas da Suíça, França, Holanda, Escócia, Hungria, Polônia e Inglaterra).

    ResponderExcluir
  44. Olá Alexandre

    boa noite

    Em relação a expressão ter sido citada 7 vezes o número lembra o Sábado ou não?

    E isso é para nos mostrar que algo aconteceu com o Sábado.

    Agora em relação as tantas vezes que o Sábado é citado a questão não é quantas vezes é citado mas por que é citado, qual o objetivo e propósito de ter sido citado as vezes que foi ou seja as vezes que o primeiro dia foi citado teve um propósito para auxiliar a Santa Igreja a entender de forma clara e inequívoca que o Dia é o Domingo. O Antigo Testamento aponta para Cristo e o Sábado tá no Antigo Testamenteo sendo direcionado para a santa troca do Dia.

    A Lei Cerimonial não tinham várias ordenanças? E Jesus não aboliu todas em UM ato? E Jesus sepultou o Sabado em UM dia só.

    O Batismo na fórmula Trinitaria só é citada uma vez e o batismo só no nome de Jesus é citado 4 Vezes.

    Um abração

    Luiz

    ResponderExcluir
  45. Feliz Sábado meu irmão Luiz!

    Fique com Deus e até a semana que vem se Deus quiser!

    SHABBAT SHALOM o verdadeiro e único dia do SENHOR! (Is 58:13-14 e Ap 1:10).

    IOD RÊ VAV RÊ!

    ResponderExcluir
  46. Bom dia e Feliz Sábado irmão Luiz, a paz do Senhor!

    O DOMINGO passou a SER o DIA do SENHOR por que É mencionado SETE VEZES no N.T!

    ÃH?? Será??

    SETE - NÚMERO DA PREFERÊNCIA DIVINA

    SETE são os dias da semana,
    SETE são as cores do arco-íris,
    SETE são as maravilhas do mundo antigo,
    SETE são as notas musicais.
    SETE indica plenitude!

    SETE não lembra nada a você?

    Há pessoas ensinando que basta “guardar um dia em SETE”, ou “qualquer dia pode ser o SÉTIMO”, ou ainda, “não precisa guardar dia NENHUM”; atitude semelhante assumiu Lúcifer, tentando subestimar a ordem divina, questionando a Lei de Deus, querendo implantar sua própria vontade, levando anjos, com seu ensino, a também se perderem.

    Muitos hoje estão percorrendo o mesmo caminho de desobediência, contornando a vontade de Deus, no intuito de fazer prevalecer sua própria vontade.

    Deus ordenou ao homem trabalhar seis dias e descansar no sétimo (Sábado). O homem, porém, está descansando no primeiro dia (domingo) , antes de trabalhar os seis. – Tudo trocado.

    É justo isso?

    Será que Deus se conformará com tal atitude?

    Deus não disse: Lembra-te de “UM” Sábado, nem de “UM” dia de Sábado. Ele definiu-o para você (Êxo. 20:8-11).

    “O Sábado tem a sua origem na criação. Gênesis 2: 1-3.” – Pastor Carlo Johansson (teólogo Assembleano), Síntesi Bíblica do Velho Testamento, pág. 48.

    “O Grande Arquiteto do Universo completou em seis dias Sua obra da criação, e descansou no sétimo dia... No sétimo dia Ele descansou, dando ao homem o exemplo, trabalhando em seis dias e descansando no sétimo.” – Pastor Myer Pearlman (teólogo Assembleano), Através da Bíblia, págs. 14,15.

    Dizem que SETE é conta de mentiroso. A Bíblia, porém, contradiz frontalmente esse conceito. O SETE é predominante nela. No Novo Testamento, por exemplo, há estas referências:

    Jesus disse que quando Satanás sai do coração do homem, e os frutos do Espírito não o povoa, ele volta e traz SETE ESPÍRITOS PIORES. Mat. 12:45.

    SETE foram os PÃEZINHOS que Jesus multiplicou para dar comida à uma multidão, e ainda sobraram SETE CESTOS cheios (Mat. 15:34-37).

    Pedro desejava saber o limite do perdão. SETE VEZES? perguntou a Jesus! Não até SETE, mas até SETENTA vezes SETE, respondeu Jesus. Mat. 18:21 e 22.

    Os saduceus, em abono de sua crença herética, perguntaram a Jesus de qual seria a mulher dos SETE irmãos que a desposaram (Mat. 22:24-28).

    Quando Jesus ressuscitou, a primeira pessoa a vê-Lo foi Maria Madalena, da qual tinha expulsado SETE DEMÔNIOS. Mar. 16:9.

    SETE ANOS também foram os dias de felicidade que tivera ao lado de seu esposo a profetisa Ana (Luc. 2:36).

    Jesus ensinou que se o nosso irmão pecar contra nós SETE vezes em um dia, SETE vezes devemos perdoá-lo. Luc. 17:4.

    SETE homens foram escolhidos para serem diáconos e ajudar na Igreja Apostólica (Atos 6:3).

    SETE nações foram destruídas por Israel até que se estabeleceu definitivamente na Terra Prometida (Atos 13:19).

    SETE foram os filhos de Ceva, judeu principal dos sacerdotes, que tentavam imitar a Paulo, em suas maravilhas e milagres (Atos 19:14).

    SETE dias ficou Paulo em Tiro, quando o navio em que viajava parou para ser descarregado. Atos 21:4.

    Filipe era um dos SETE diáconos (Atos 21:8).

    SETE dias era o prazo para a purificação do templo (Atos 21:27).

    SETE dias ficou Paulo com os irmãos da Igreja de Potéoli (Atos 28:13 e 14).

    SETE mil foram os fiéis que não dobraram seus joelhos diante de Baal (Rom. 11:4).

    SETE dias foi o prazo em que o povo de Deus rodeou os muros de Jericó até derrubá-lo (Heb. 11:30).

    SETE pessoas foram as únicas que se salvaram juntamente com Noé, das águas do dilúvio. II Ped. 2:5.

    SETE são as igrejas da Ásia que João relata em sua visão (Ap 1:4);

    SETE são os espíritos que estão diante do trono de Deus (Apoc. 1:4).

    Continua em (2)...

    ResponderExcluir
  47. Continuando em (2)...

    SETE castiçais de ouro João viu em sua visão (Apoc. 1:12 e 13).

    SETE estrelas viu João na destra de Jesus (Apoc. 1:16).

    João disse que as SETE estrelas são os SETE anjos das SETE Igrejas, e os SETE castiçais, são as SETE igrejas (Apoc. 1:20).

    “Eu sei as tuas obras”, disse aquEle que tinha em Sua destra as SETE estrelas (Apoc. 2:1 e 2).

    Os SETE espíritos diante do trono de Deus são comparados por João a SETE lâmpadas, ou SETE tochas. Apoc. 4:5.

    João viu na mão de Deus um livro selado com SETE selos. Somente Jesus podia abrir aqueles SETE selos (Apoc. 5:1 e 5).

    Jesus é simbolizado por um Cordeiro com SETE pontas e SETE olhos, que são os SETE espíritos (Apoc. 5:6).

    “O Cordeiro abriu um dos SETE selos” (Apoc. 6:1).

    Na abertura do selo número SETE, houve “silêncio no Céu por quase meia hora” e João viu diante de Deus SETE anjos e foram-lhe dadas SETE trombetas (Apoc. 8:1-2).

    Então os SETE anjos com as SETE trombetas se prepararam para tocar (Apoc. 8:6).

    “Os SETE trovões fizeram soar suas vozes” quando um anjo veio do Céu com um livrinho na mão, colocando seu pé sobre a terra e outro no mar. Apoc. 10:3.

    SETE mil homens morreriam através de um terremoto, segundo a profecia de Apocalipse 11:13.

    João viu no Céu um dragão com SETE cabeças e SETE diademas (Apoc. 12:3).

    Depois viu subir do mar uma besta que tinha SETE cabeças (Apoc. 13:1).

    Divisou também um grande sinal no Céu: SETE anjos com as SETE últimas pragas (Apoc. 15:1).

    Posteriormente “um dos quatro animais deu aos SETE anjos salvas de ouro, cheias da ira de Deus” (Apoc. 15:7).

    Após o que ordenou aos SETE anjos, derramar sobre a Terra as SETE salvas da ira de Deus. Apoc. 16:1.

    Em espírito João foi levado ao deserto, onde viu uma besta de cor escarlata que tinham SETE cabeças (Apoc. 17:3).

    As SETE cabeças são os SETE montes (Apoc. 17:9).

    São também, segundo o apóstolo, SETE reis (Apoc. 17:10).

    Há um enigma a mais em Apocalipse 17:11: “A besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos SETE, e vai à perdição.”

    A multiplicidade desta palavra SETE é como que um chamar insistente e constante à nossa consciência para alguma coisa. O SETE é o número da PERFEIÇÃO e predileção divina, tanto que, ao criar o nosso mundo, Deus o fez em seis dias e descansou no SÉTIMO. Não que Deus se canse, mas para nos dar o exemplo.

    Você já observou que na Lei de Deus, oito mandamentos começam com a injunção NÃO, e somente um inicia-se com a palavra LEMBRA-TE?

    É, o quarto mandamento!

    Deus deseja que a cada final de um ciclo semanal os Seus filhos se lembrem de santificar o SÁBADO.

    Prevendo Deus que com o passar do tempo o homem iria se esquecer, focalizou tanto o número SETE, para, certamente, trazer à lembrança que o SÁBADO é o SÉTIMO DIA dia da semana e deve ser dedicado em adoração ao Senhor, não acha?

    Algumas pessoas pensam que o DOMINGO é o SÉTIMO dia da semana, porque contam a partir de segunda-feira.

    Mas, diga-me, pode existir segundo sem primeiro?

    Evidente que não.

    Assim, o PRIMEIRO DIA da SEMANA o DOMINGO. Ninguém poderá se enganar, porque, neste particular Deus não deixou brechas para dúvidas, pois disse que o SÉTIMO DIA é o SÁBADO do SENHOR. Êxo. 20:10.

    Gráficas e Editoras poderão imprimir calendários e neles colocar a segunda-feira como PRIMEIRO DIA, e o DOMINGO como SÉTIMO. Isso, porém, jamais inutilizará o calendário de Deus.

    Irmão Luiz, entendo sua insistência, perseverança e dedicação em defender o PRIMEIRO DIA da SEMANA, mas mais uma vez a sua tentativa caiu por terra. A ideia é até bem intencionada, mas infrutífera!

    Onde encontramos no V.T ou N.T a menção de SETE “PRIMEIRO DIA da SEMANA” assim como vimos em TODOS os VERSOS acima?

    Vou me antecipar, NÃO existe!

    Mas se caso o irmão encontrar, por favor, compartilhe conosco!

    Um forte abraço e fiquemos com DEUS!

    ResponderExcluir
  48. Olá Alexandre

    Boa tarde

    Muito obrigado pelo comentário.


    O Sacro Santo Domingo não é o Dia do Senhor apenas porque a expressão “ primeiro dia da semana “ é citada 7 vezes mas também por isso devemos entender o contexto. A indicação da referida expressão sete vezes indica uma ação do Inspirador da Bíblia com um propósito bem definido.

    Se sete é o número da preferência divina isso só corrabora com que eu escrevi antes sobre o propósito do Inspirador ou seja Deus em Sua Sacro Santa Providência decidiu por ato Soberano colocar a expressão “ primeiro dia da semana” sete vezes indicando a preferência dEle em mudar o Dia e considerando que o sete é uma preferência então tal preferência tem um propósito específico. O sete está diretamente atrelado a expressão “ primeiro dia da semana” porém os sabatistas podem argumentar que o mesmo sete está atrelado ao Sábado porém na expressão “primeiro dia da semana” aparece a essência da expressão que é a palavra "dia" indicando assim o novo Dia Santo mostrando também que se o Sábado é um dia ,e é mesmo, o Domingo também é e o mesmo está sendo citado de forma proposital. Só lembrando que o Sábado é o Sétimo Dia então a palavra "dia" indica tal mudança para o primeiro dia tudo gira em torno do Dia. Observe que o Santo Domingo é um dia também assim como o Sábado.

    Gostei Alexandre você lembrou da doutrina semanaista que ensina que não existe um Dia especifíco. De fato existe um dia ou melhor o Santo Dia.

    Em relação a Gênesis 2:1-3 explica bem pois Deus abençoou e santificou pois DESCANSOU então e essência está no DESCANSO que obviamente vem antes do Dia a essência é o DESCANSO e depois vem o Dia por isso o Dia pode ser mudado pois já em Gênesis depende de Deus e da ação dEle e como Jesus é Deus e Jesus ressuscitou no Domingo e isso foi uma ação de Deus também logo houve a santa mudança.

    Em Êxo. 20:8-11 fala não somente do Sábado mas dos outros 6 dias também ressaltando a importância deles veja justamente no Santo Mandamento o Sábado não é citado sozinho mas Deus faz questão de citar os outros 6 dias pois o Sábado depende dos outros 6 e isso lembra a ação de Deus santificar e abençoar o Sábado que dependeu do descanso. Sem os outros 6 dias o Sábado nada seria e nem o Domingo por isso temos que ter em mente que o descanso de Deus como essência é algo fundamental.

    Alexandre você citou várias passagens bíblicas em que aparece a palavra “sete” e me perguntou onde eu encontro a menção de sete como tem nas passagens acima. Bem, não sei se você reparou que em todas as passagens tem palavra sete e no caso da citação do “ primeiro dia da semana “ não aparece a palavra “sete” e isso é um motivo para diferenciar a questão das sete vezes em que aparece a expressão das outras passagens ou seja cada uma das passagens tem um propósito e justamente na questão da expressão não tem o número sete o que tem é repetição dela 7 vezes está implícito essa compreensão aí está o aspecto singular e único da expressão que diferencia das demais passagens é algo tão fundamental e importante que se destaca na compreensão mais profunda. E se se destaca é porque tem algo de muito importante aí. Assim como a ressurreição de Jesus foi um ato singular e único dEle e a ressureição foi num Domingo.

    Observe uma coisa : Jesus passou o DIA INTERIO do Sábado conforme eu já escrevi e isso sepultou o Sabado e depois na sequência Ele ressuscitou no Santo Dia isto é a sequencialidade dos acontecimentos indica uma mudança saiu de um e foi imediatamente para outro.

    Um forte abraço

    Luiz






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz Sábado o Único e Verdadeiro Dia do Senhor (Is:13-14) irmão Luiz!

      Realmente, você acertou em cheio!

      Não existe a expressão "SETE PRIMEIRO DIA da SEMANA"! E mesmo que aparecesse, também não mudaria em nada a questão, pois não é a quantidade de CITAÇÕES que se ESTABELECEM ou DERRUBAM mandamentos! Pois esta LEGENDA, é sua e não da BÍBLIA!

      Mas o interessante é que mesmo assim, com o exemplo de TODOS os VERSÍCULOS acima, que dizem "SETE alguma coisa", mas o irmão continua tendo imagináveis ideias para encaixar o PRIMEIRO DIA da SEMANA.

      Irmão Luiz, o PRIMEIRO DIA da SEMANA nunca foi e nunca será o SÁBADO nem por causa de SUBSTITUIÇÃO, nem por causa da RESSURREIÇÃO, nem por causa de REUNIÃO, nem por causa de ASCENSÃO, nem por causa da APARIÇÃO, nem por causa da DESCIDA do ESPÍRITO SANTO e muito menos por causa de aparecer SETE vezes!

      Isso simplesmente não existe!

      Abraços!

      Excluir
    2. Ah, e se por acaso a exegese e hermenêutica da Santa Igreja for diferente das outras igrejas, fica até é compreensível, mas se não for, é muita viagem!

      Abraços!

      Excluir
  49. Alexandre esqueci de uma observação :

    Se o sete é número da perfeição então o fato de Deus ter colocado sete vezes a expressão "primero dia da semana" foi perfeita para a perfeita comprenssão com o ato perfeito da ressurreição no Domingo.

    Um abração

    Luiz

    ResponderExcluir
  50. Feliz Sábado irmão Luiz!

    Sim, SETE é um número que representa a PERFEIÇÃO!

    Mas o irmão não percebeu ainda!

    O Sábado não é o DIA especial por que ele foi citado SETE vezes, mas como o irmão gosta de dizer, "não basta ler, mas deve-se interpretar corretamente". Ele é o que é por que DEUS o estabeleceu como tal, e não por ser apresentado como SETE SÁBADOS e puf, passou a ser o que é e muito menos por que ele teria sido citado não com a expressão SETE SÁBADOS, mas citado em momentos e lugares diferentes ma QUANTIDADE de SETE!

    Entendeu irmão Luiz?

    Se o Sábado não foi estabelecido por causa disso, por que o Domingo seria?

    E como já vimos, o número SETE possui algo de especial, e como o irmão também gosta de dizer, " NÃO POR ACASO" DEUS escolheu o SÉTIMO DIA e lhe deu um nome SÁBADO!

    Como já vimos acima e ficou muito bem esclarecido, DEUS definiu o SÁBADO como o SÉTIMO DIA da SEMANA, e não por que ele é citado SETE vezes! Até por que, o SÁBADO é citado 57 vezes no V.T e 46 no N.T! Se fosse por CITAÇÕES (o que não é) o SÁBADO continuaria sendo o DIA do SENHOR (Is 58:13-14) dando um banho do PRIMEIRO DIA da SEMANA tanto no V.T como no N.T!

    Irmão Luiz, é claro que essa LEGENDA que o irmão defende, não existe, mas mesmo usando os seus parâmetros, é totalmente improvável! Não se sustenta!

    Só lembrando, o SÁBADO é o SÉTIMO DIA e o DOMINGO é o PRIMEIRO DIA da SEMANA! Simples assim! O SÁBADO não é o SÁBADO por causa de SETE citações ou por causa de 103 citações em toda a bíblia! E muito menos o PRIMEIRO DIA da SEMANA seria no NOVO SÁBADO CRISTÃO, por ser citado em SETE momentos diferentes e mesmo que existisse a expressão de SETE "PRIMEIRO DIA da SEMANA" não faria a mínima diferença, pois não é a o citar ou deixar de citar algo por SETE VEZES ou com a expressão SETE, que transformaria algo em especial, eles já são, não se tornam.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  51. Olá Alexandre

    Boa noite

    Antes da 1ª vinda advento de Cristo o Sábado realmente foi o Dia mas depois de Cristo ter ressucitado o Dia mudou. Deus estabeleceu o Sábado de que maneira? Tendo como base o descanso e não o dia.

    O Sábado teve sua vez no passado foi estabelecido por Deus aos homens de uma maneira e o Domingo foi estabelecido de outra. O Domingo não é o sétimo dia e o número de vezes que a expressão “ primeiro dia da semana” é citado é justamente para indicar a mudança junto com outras corretas interpretações.

    O número de vezes é sete para lembrar o Sábado ou seja foi a perfeição do ato de Deus na mudança do Dia.

    Sim, mas veja na expressão “ primeiro dia da semana ” não aparece o número sete mas a mesma é citada sete vezes e aí já se tem uma informação valiosa e considerando que o número sete possui algo especial então a correta compreensão sobre esse número mesmo não estando escrito possui algo muito mais especial pois não adianta estar escrito e não estar compreendido.

    O Sábado em si já é identificado como sétimo dia não haveria necessidade do mesmo ser citado sete vezes mas o Domingo não é o sétimo dia logo prescisaria de um indicativo para se compreender que o mesmo substituiu o Sábado.

    Um abração

    Luiz




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia irmão Luiz, a paz do Senhor!

      Você disse:

      "O Sábado teve sua vez no passado foi estabelecido por Deus aos homens de uma maneira e o Domingo foi estabelecido de outra".

      Irmão Luiz, do Gênesis ao Apocalipse, não encontramos essa MUDANÇA!

      Você disse:

      "O Domingo não é o sétimo dia e o número de vezes que a expressão “ primeiro dia da semana” é CITADO é justamente para INDICAR a MUDANÇA junto com outras corretas interpretações".

      Do Gênesis ao Apocalipse, não encontramos a INDICAÇÃO e muito menos a MUDANÇA!

      Você disse:

      "O número de vezes é sete para lembrar o Sábado ou seja foi a perfeição do ato de Deus na mudança do Dia".

      Do Gênesis ao Apocalipse, não encontramos a SONHADORA analogia e muito menos a famigerada MUDANÇA!


      Você disse:

      "Sim, mas veja na expressão “ primeiro dia da semana ” não aparece o número sete mas a mesma é citada sete vezes e aí já se tem uma informação valiosa e considerando que o número sete possui algo especial então a correta compreensão sobre esse número mesmo não estando escrito possui algo muito mais especial pois não adianta estar escrito e não estar compreendido".

      Irmão Luiz, é muita viagem para uma pessoa só! Caso o irmão seja ICAR, nem seus irmãos lhe entenderão!

      Você disse:

      "O Sábado em si já é identificado como sétimo dia não haveria necessidade do mesmo ser citado sete vezes mas o Domingo não é o sétimo dia logo prescisaria de um indicativo para se compreender que o mesmo substituiu o Sábado".

      Meu Deus, quanta viagem! Depois o irmão Luciano Sena, chama o sábado de MÍSTICO! Imagina se ele avaliar a sua visão, que nome será que ele daria?

      Abraços irmão!

      Excluir
  52. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  53. ACHO DESNECESSÁRIO OS ADVENTISTA RETRUCAR TANTO SOBRE A QUESTÃO DO SÁBADO NA BÍBLIA. BÍBLIA DIZ QUE A LEI É BOA,PORÉM SOMOS MAUS, POR ESSE MOTIVO A LEI NÃO CONSEGUIU TER EFICACIAS PARA JUSTIFICAR O SER HUMANO, POR ISSO A FUNÇÃO DA LEI FOI NOS LEVAR A CRISTO.PORTANTO, LEI CUMPRIU COM MUITA EFICIÊNCIA O SEU PROPÓSITO, QUANDO FALO DE LEI É COMO UM TODO. ACREDITO QUE A LEI NÃO MAIS TENHA VALOR DE LEI PARA NÓS QUE ESTAMOS DEBAIXO DA GRAÇA DE CRISTO, PORÉM DEVEMOS RESPEITAR PRINCIPIOS MORAIS DE TODA QUE A LEI NOS DEIXO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Matias, bom dia!

      Você está meio confuso.

      Uma hora a LEI não teve EFICÁCIA (justificar -só lembrando, a LEI nunca teve função de justificar, só não sei de onde o irmão tirou essa ideia), outra hora ela TEVE (nos levar a Cristo)!

      Seu comentário é simplesmente antagônico!

      Depois, o irmão diz que a LEI foi ABOLIDA, mas depois diz que seus princípios MORAIS devem ser seguidos!

      Não existe algo mais contraditório e confuso do que isso!

      Abraços!

      Excluir
  54. Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. FAZ UM HERMENEUTICA LEGAL ALEXANDRE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Matias, a LEI que regia o SACERDÓCIO era a LEI LEVÍTICA ou as DEZ PALAVRAS?

      Qual mesmo dos DEZ PRECEITOS que regem sobre a exclusividade do SACERDÓCIO LEVÍTICO?

      Estou procurando aqui em Êxodo 20:1-17, mas não estou encontrando!

      Será que é o 4º mandamento?

      Ajude-me irmão Matias!

      ABraços!

      Excluir
  55. Olá Alexandre

    Muito bom dia

    Existe a expressão "lei moral" e " lei cerimonial" de forma explícita na Bíblia?

    Mas pelo entendimento mais profundo percebemos que os Dez Mandamentos são importantes para os cristãos pois tem aspecto moral essencial sim,sem dúvida.

    então observe com calma dos Dez mandamentos 9 são ratificados no Novo Testamento o único que não é citado é o 4º mandamento. Acaso? Sem propósito?

    Não está escrito a mudança do Dia de forma explicita então é aquele raciocínio não está escrito mas está compreendido contrastando com o raciocínio que é :está escrito mas não está compreendido.


    Um grande abraço

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite irmão Luiz, a paz do Senhor!

      Não existe LEI MORAL nem CERIMONIAL expressa desta forma!

      Mas existe a LEI que trata de assuntos MORAIS e que eu conheça, não existiria nenhuma igreja que não enxerga desta forma da mesma forma que ocorre com a LEI que trata de assuntos CERIMONIAIS!

      Da mesma forma, que não existe a palavra MILÊNIO, mas não devemos usar essa palavra? Claro que sim, pois o Apocalipse existe o termo MIL ANOS!

      Agora veja que interessante:

      Deus descansa, abençoa e santifica o SÁBADO (Gn 2:3), mas só o irmão enxerga isso no DOMINGO sem um único versículo na bíblia do Gênesis ao Apocalipse! Não sei como, mas você consegue o impossível, mesmo não existindo!

      Deus CODIFICA o SÁBADO no 4º MANDAMENTO (Êx 20:8-11), mas só o irmão enxerga isso no DOMINGO sem um único versículo na bíblia do Gênesis ao Apocalipse! Não sei como, mas você consegue o impossível, mesmo não existindo!

      Deus AFIRMA que o SÁBADO é o "DIA do SENHOR" (Is 58:13), mas só o irmão enxerga isso no DOMINGO sem um único versículo na bíblia do Gênesis ao Apocalipse! Não sei como, mas você consegue o impossível, mesmo não existindo!

      Jesus AFIRMA ser o "SENHOR do SÁBADO" (Mc 2:28; Lc 6:5 e Mt 12:8), mas só o irmão enxerga isso no DOMINGO sem um único versículo na bíblia do Gênesis ao Apocalipse! Não sei como, mas você consegue o impossível, mesmo não existindo!

      E por fim, a bíblia diz que o SÁBADO é o DIA do SENHOR (Is 58:13) e Jesus o SENHOR do SÁBADO (Mc 2:28; Lc 6:5 e Mt 12:8) o que corrobora APOCALIPSE 1:10, mas só o irmão enxerga isso no DOMINGO sem um único versículo na bíblia do Gênesis ao Apocalipse! Não sei como, mas você consegue o impossível, mesmo não existindo!

      Abraços!

      Excluir
    2. Boa noite Irmão Luiz, a paz do Senhor!

      Você disse:

      "então observe com calma dos Dez mandamentos 9 são ratificados no Novo Testamento o único que não é citado é o 4º mandamento. Acaso? Sem propósito"?

      Irmão Luiz, onde na bíblia encontramos a citação de V.T e N.T?

      Respondo: NÃO EXISTE!

      Mas isso quer dizer que não podemos chamá-los assim?

      Respondo: CLARO QUE SIM, NÃO TEM PROBLEMA ALGUM!

      Agora, isso é uma DOUTRINA do que estaria ou não em vigor em relação ao V.T e N.T?

      Respondo: CLARO QUE NÃO!

      Da mesmo forma acontece com os seus 9 MANDAMENTOS no N.T, simplesmente isso não tem base bíblica para tal afirmação! Por que não existe V.T e N.T e um ABOLINDO o outro!

      Você de forma bem CRIATIVA e IMAGINATIVA, diz que agora o DOMINGO é o DIA do SENHOR e que SUBSTITUIU o SÁBADO por que JESUS RESSUSCITOU no PRIMEIRO DIA da SEMANA e por que o DOMINGO foi citado SETE vezes no N.T.

      Bom, eu poderia fazer o mesmo e dizer que o SÁBADO continua sendo o SÉTIMO DIA e DIA do SENHOR por que o mesmo foi citado 46 vezes no N.T e por que JESUS descansou por 24 HORAS no SEPULCRO durante o SANTO SÁBADO! Mas isso é simplesmente infantil, assim como o que você afirma!

      Logo, o N.T não vem para RATIFICAR ou EXCLUIR nada, é apenas CITADA a LEI e trás novos detalhes! Aprofundamento!

      Sempre que se cita UM dos 10 MANDAMENTOS, no N.T está se falando do DECÁLOGO, e não de RATIFICAÇÃO de UM e EXCLUSÃO de OUTRO! Simples assim!

      A ideia de que o sábado não deve ser observado porque o quarto mandamento não foi transcrito para o Novo Testamento, deveria ser aplicada também aos seguintes preceitos:

      "Não terás outros deuses diante de Mim." (Êxodo 20:3 RA);

      "não farás para ti imagem de escultura (...) não as adorarás, nem lhes darás culto (...)" (Êxodo 20:4-6 RA);

      "não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão (...)" (Êxodo 20:7 RA).

      Estes três preceitos da lei de Deus também não foram transcritos para o Novo Testamento. Portanto, aqueles que sustentam a ideia citada, deveriam igualmente eliminá-los de suas vidas.

      Porém, será que tais pessoas procedem fielmente com o argumento que defendem?

      Excluir
    3. O Novo Testamento não contém várias normas de conduta essenciais à vida cristã presentes no Velho Testamento, tais como aquelas encontradas em: Levítico 18:6-24;
      Levítico 19:28;
      Deuteronômio 18:10-12;
      Deuteronômio 22:5; e etc.

      No entanto, isso jamais foi justificativa para negligencia-las.

      O Novo Testamento não foi idealizado para ser uma cópia exata do Velho Testamento, mas, uma extensão de seus ensinos.

      Quando Jesus declarou:

      "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de Mim" (João 5:39 RA).

      Ele referia-se ao Velho Testamento, pois o início da redação do Novo Testamento ocorreu 31 anos após a Sua ascensão ao Céu, sendo concluída 66 anos depois. Os primeiros cristãos, que eram judeus, tinham como fonte de aprendizado o Antigo Testamento e os ensinos transmitidos diretamente por Cristo, e nestes ensinos não existe absolutamente nada sobre a revogação do sábado.

      E muito menos o estabelecimento de outro dia!

      Abraços irmão Luiz!

      Excluir
  56. Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir?
    Guardais dias, e meses, e tempos, e anos.
    Receio de vós, que não haja trabalhado em vão para convosco.
    Gálatas 4:9-11 ALEXANDRE, POR FAVOR! FAÇA UM HERMENEUTICA DESSE TEXTO COMO UM TODO. GOSTARIA DE ENTENDER MELHOR.

    ResponderExcluir
  57. Boa noite irmão Matias, a paz do Senhor!

    O Salmista e Marcos nos dizem o seguinte:

    "Deus é SANTO, JUSTO e BOM (Salmos 99:5; Marcos 10:18; Salmos 7:11!

    O Apóstolo Paulo diz que a LEI é SANTA, JUSTA e BOA (Romanos 7:12).

    Alinhadas acima características inerentes a Deus e atribuídas também a Sua lei.

    Irmão Matias, na sua opinião: PAULO seria BIPOLAR?

    Pois uma ora ele compara a LEI (santa, justa e boa com os atributos inerentes de DEUS) e depois ele a chama de "RUDIMENTOS FRACOS e POBRES"!

    Irmão Matias, você realmente acredita nisso?

    Essa é sua HERMENÊUTICA e EXEGESE?

    ResponderExcluir