quinta-feira, 9 de junho de 2011

‘O Cristão não usa armas!’ – Respondendo às Testemunhas de Jeová

A seita TJ é pacifista. Eles entendem que o cristão verdadeiro não serve o exército, não trabalha em qualquer serviço que precise usar arma. Com essa aparente posição de piedade, eles dizem que os demais são falsos cristãos. Ao passo que eles são os verdadeiros. 
Quais bases bíblicas eles apresentam? Como responder suas objeções?

Isaias 2.1-5: A parte ‘não aprenderão mais a guerra’ e ‘transformarão suas armas em instrumentos de trabalho’ são detalhes importantes ressaltados pelos TJs, para ‘provarem’ que os cristãos protestantes estão errados em servir o exército, por exemplo. 

Vamos ao texto: Antes de focar uma resposta, precisamos nos lembrar dos limites contextuais. Não podemos simplesmente dizer que um texto se ‘aplica ali ou aqui’, sem uma consciência abrangente do mundo e da situação que o escritor ou profeta vivia. Geralmente as profecias tiveram mais de um cumprimento.
Israel no tempo de Isaias (e de Miquéias 4) vivia sob constante ameaça. A sobrevivência da adoração divina dependia da segurança de Israel. Essa profecia de Isaias 2. 1-5 tem esse pano de fundo. E por certo teve algum cumprimento quando Israel deixou o cativeiro Babilônico.

Em Is 2. 1-5 temos uma promessa bíblica que os cristãos seriam pacíficos.
 
Os Cristãos não são mais uma nação, e assim não necessitam de uma estrutura nacional de defesa. O povo de Deus seria de várias nações. 
O que seria a força dessa nova nação de cristãos? O ensino e o amor
A igreja não estenderia seus limites com base na força. Os limites de Israel foram assim estendidos. A igreja não! Jesus disse como dominaria o mundo em Mt 28.19,20. [Acredito também, como os pós-milenistas, que o texto de Isaias garante uma expansão do cristianismo à medida que a volta de Cristo se aproxima.]
Agora quando um cristão torna-se parte da autoridade de um país, para ele tem a autorização bíblica de Romanos 13.1-7. Nenhum cristão pode promover nada pela força, ou pela ‘espada’. Mas notamos em Rm 13. 1-7 dizendo que as autoridades têm ‘a espada’, e a autorização do uso da força. O cristão age nesse caso como agente do Estado para os interesses lícitos do Estado para ordem. Não está usando a força pelo cristianismo.

Joel 3.10 está na contramão de Isaias 2.4. Em Joel a ordem é transformar os instrumentos de trabalho em armas para a batalha do dia do Senhor. Caso fossemos raciocinar da maneira que os TJs pensam, teríamos um grande problema para resolver! Em Joel também é dito que aquilo se cumpriria nos ‘últimos dias’. Veja isso em Joel 2.28- 3.1. Visto que acredito que esse livro tenha sido escrito por volta do século IX a.C, fica mais fácil entender que o bojo das predições de Joel tinha guerras contra Assíria, e outras, ainda por vir.
Isaias 2. 1-5 (e Miquéias 4.1-4) não é uma proibição militar secular aos cristãos. Mesmo que uma nação fosse cristã, não se aplicaria tal texto, pois Romanos 13. 1-7 concede a autoridade bélica a qualquer nação. 

‘Não matarás’
Quando um TJ coloca o mandamento de não matar num debate sobre o uso de armas por cristãos, em trabalhos que o exige, eles desconsideram um aspecto crucial. Uma autoridade quando elimina uma pessoa por meio de alguma atuação; pena capital, guerra, ação policial, etc. Não houve um homicídio pessoal, mas uma execução penal por parte do Estado que tem a espada (Rm 13.1-7). As próprias Testemunhas de Jeová não discordam da pena de morte.
Se um país pode executar, ou tirar a liberdade de um criminoso, dentro de seus limites, qual motivo esse mesmo país não teria para defender seus limites territoriais?
Claro que em muitas guerras existe a intromissão de outra nação nos abusos que certa nação faz com seus súditos. Isso também é legítimo pois nesse caso as pessoas estão sendo massacradas por puro autoritarismo. 

OBSERVAÇÃO: Na Segunda Guerra as Testemunhas de Jeová foram perseguidas pelos Nazistas (o Líder TJ da época primeiro provocou e depois bajulou  Hitler, causando a fúria do ditador.). Naquele caso as Testemunhas de Jeová pacifistas, foram libertadas pelos que fizeram uso das armas que elas condenam!

14 comentários:

  1. Caro Luciano,

    Na frase final, o certo não seria "Naquele caso as Testemunhas de Jeová pacifistas, foram libertadas pelos que fizeram uso das armas QUE elas condenam!"?

    Obs: Coloquei em maiúscula pra destacar.

    Abraço, em Cristo.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom.Evidentemente que a Igreja não precisa e nem deve se valer de armas; porém, o cristão, enquanto ministro de Deus na esfera cível tem necessidade, dever e direito de fazê-lo. Além disso, é um direito INDIVIDUAL de todo homem, inclusive o cristão. Todo governo desarmamentista é autoritário, anti-biblico e mentiroso.

    Paz e bem.

    ResponderExcluir
  3. efesios 6:12
    Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
    mateus 26:52
    Então Jesus disse-lhe: Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão.
    mateus 5:21
    Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo.
    romanos 13:9
    Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
    mateus 5:44
    Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;

    ResponderExcluir
  4. Michael, grato pelo comentário (na verdade apenas referencias bíblicas)
    Bom lembrar que citou o texto de Rm 13.9 mas esqueceu de considerar seu contexto.
    abraços

    ResponderExcluir
  5. tjs nao fazem uso de armas nem prestam serviço militar por sua consciencia treinada pela bilbia . a desculpa de que enquanto esta na terra é permitdo combater o mal por usar armas nao é correto , Jeova diz que a vingança e dele ele pagara de volta , nós tjs nao tentamos consertar o mundo de satanas mas antes promovemos o reino de deus como soluçao dos problemas da humanidade

    ResponderExcluir
  6. Flavio, intereja com a postagem... poderia contestá-la?

    ResponderExcluir
  7. O que Jesus acharia de um seguidor seu fuzilar o outro só por que este mora em outro país, sendo que Jesus disse que nem ele e nem seus seguidores são deste mundo? João 17:16 > João 18:36

    Por acaso existe um pai humano amoroso que aprovaria tal ato??? O que dizer de Jesus que é perfeito amor??? Se querem uma desculpa pra poder matar vão em frente, mas a lógica e a bíblia diz que vocês estão errados.

    Atos 5:27-29 > Prova que em certos casos pode-se ir contra as leis humanas, desde que para obedecer a soberania de Deus em primeiro lugar!

    Se uma pessoa aceita um emprego no qual usa arma, ela está assumindo que está disposta a matar alguém caso seja necessário. Não é pecado ser policial, mas certamente é uma opção não muito coerente com os conselhos de Jesus, que diz que não devemos matar, que eu saiba não há nenhuma forma válida de matar nas escrituras cristãs. DiZ claramente PRA NÃO MATAR.

    ResponderExcluir
  8. Quem usa a espada pela espada perecera,um cristão jamais seria autoridade do governo pois segue o exemplo que Cristo deixou,que ele e seus servos não fazem parte deste mundo,ou seja governo bjs..

    ResponderExcluir
  9. Quem usa a espada pela espada perecerá, um cristão verdadeiro jamais seria uma autoridade desse governo pois Jesus disse que seus seguidores não faria parte desse governo.

    ResponderExcluir
  10. Quem usa a espada pela espada perecera,um cristão jamais seria autoridade do governo pois segue o exemplo que Cristo deixou,que ele e seus servos não fazem parte deste mundo,ou seja governo bjs..

    ResponderExcluir
  11. Não servem ao exército, não usam armas e blá blá blá...
    Basta ouvir um barulho no quintal de madrugada, fazem o que? Pegam a Bíblia e oram ou telefonam para o 190 e chamam a polícia?

    Me poupem de tanta hipocrisia em nome de Deus.
    Deveriam servir a pátria como dever cívico de todo cidadão, e deveriam "se tocar", ter um pouco mais de educação e não perturbar a vida das pessoas que trabalham a semana inteira, as 8 horas da manhã em um domingo. Já coloquei muitos TJ pra correr. Domingo de manhã vir apertar a campainha da minha casa para vir pregar...?

    Era só o que me faltava.

    ResponderExcluir