domingo, 28 de setembro de 2014

O livreto de Samuel Snow - e a falsa profecia de 1844

O Centro White disponibilizou mais uma ‘pérola’. O livreto de Samuel Snow (AQUI O Verdadeiro Clamor da Meia-Noite), a “mão oculta” por detrás de G. Miller e da data de 22 de outubro de 1844. O pai do ímpeto dentro do movimento milerita chamado de “sétimo mês”. Bom destacar, porém, que Samuel Snow não recebe atenção alguma no Grande Conflito, crédito especifico algum, pois para Ellen White, G. Miller é o profeta americano!

Ellen White diz que os mileritas davam uma explicação satisfatória para o texto de Mt 24.36:

“A passagem é: "Daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do Céu, nem o Filho, mas unicamente Meu Pai." Mat. 24:36. Uma explicação clara e harmoniosa desta passagem era apresentada pelos que aguardavam o Senhor, e o emprego errôneo que da mesma faziam seus oponentes foi claramente demonstrado.  [e ela mesma dá uma explicação](O Grande Conflito, p. 371).

Interessante que o profeta do Tabernáculo da Fé em relação a 1977, o Corpo Governante TJ em relação a 1975, também deram explicações ‘razoáveis’ para essa passagem. Agora com esse livreto, a explicação de Samuel Snow a respeito do texto vem ao conhecimento dos leitores (p.3,4). Ele apresenta argumentos semelhantes, com algumas diferenças, do que é apresentado no GC, mas o eixo de sua explicação é que é ‘Deus Pai que faz conhecer o dia a e a hora’. Isto é, o Pai é que daria a revelação desse dia. O que resta é saber se Jesus também não sabia das passagens bíblicas que ele cita, o que dá a entender que Jesus não soube, mas Miller e Snow descobriram!!! E a profetisa não reprovou a explicação... mas de Ellen White espera-se qualquer coisa...

Outro ponto interessante é o chamado “Sete Tempos dos Gentios”, que veio fazer parte da escatologia das Testemunhas de Jeová. Mostrando assim que o nascimento das Testemunhas de Jeová, estava ali, em um sentido anterior ao surgimento desta seita, ‘ainda em laboratório’. Nos anos 1870 Nelson Barbour e Charles Russel usaram o mesmo esquema dos sete tempos, mas partiram de pontos diferentes e chegaram a 1914.

No livreto o Centro White emite uma nota de como alguns defenderam isso e outros rejeitaram. Entre os que defendiam estão Miller, Snow e ninguém menos que Hiran Edson! Mas os opositores eram poderosos demais – James White e Uriah Smith, dois pais arianos benditos do adventismo. O que é curioso é que os adventistas mostram como Ellen White é uma papisa mesmo. Diante dos ‘sete tempos’, que formam 2.520 anos, o que seria maior que os 2.300 do esquema adventista, a nota diz:

Se Ellen White diz que os 2.300 anos são a profecia mais longa da Bíblia, o que então representam os 2.520 anos? São automaticamente eliminados de serem candidatos de serem a profecia de tempo.”

Depois de apresentar outros argumentos, S. Snow encerra com a conclusão bombástica - o sêmen do adventismo do sétimo dia:

“Portanto, nosso bendito Senhor virá, para o espanto de todos que habitam sobre a terra e para salvação de todos os que verdadeiramente O aguardam, dia 10º dia do 7º  mês do ano do Jubileu: e esse é o presente ano, 1844.” 

Essa foi a mensagem poderosa segundo Ellen White. Alguns teólogos adventistas até dizem que ‘de uma grande decepção a uma poderosa mensagem’... O que restou dessa decepção pode ser encontrado hoje em dia na doutrina adventista do Santuário Celestial de 1844. Obviamente, os defensores adventistas só veriam problemas nisso se fosse um fato em outra religião, mas na deles, tudo é justificado, tudo é justo e bom.

5 comentários:

  1. Quanto mais o amigo traz à luz o assunto do adventismo, mais contradiz seus antigos artigos!

    Ora então a interpretação dos fundadores e co-fundadores, não surgiram mais de uma desculpa para o desapontamento? Cada co-fundador já tinha seu conhecimento parcial e seus estudos particulares acerca das profecias?

    Parabéns amigo Luciano Sena, pois o amigo tem prosseguido em criar novas conjecturas ao passo que mostra o quanto o amigo estava enganado em suas afirmações anteriores. Continue assim!

    Deus te crie.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E cada vez que o sr ninguém tenta 'ladainhar', sem interagir com as provas, mais demonstra que está sem rumo. Leia corretamente as postagens, se possível.

      Não posso parabenizar, nem com ironia seus comentários, aqui e no seu blog, por causa da fragilidade exagerada e sem nexo objetivos com meus artigos.

      Excluir
    2. Uma mente, espiritualmente lucida - iria mesmo considerar o seu comentário uma "reposta"? Somente apaixonado pela lenda, pelo mito... mas coloca em seu blog: "Reposta"... é para rir?

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2014/09/resposta-o-livreto-de-samuel-snow-e.html

      Excluir
  2. O amigo Luciano Senna deveria estudar mais a Linda história do Movimento Milerita. Pois nem todos os pensamentos dos pioneiros Adventistas é regra de fé na atual Igreja Adventista Do Sétimo Dia. Os pioneiros estudavam a Bíblia guiados pelo Espírito Santo. Todos eles oravam fervorosamente pedindo a orientação de Deus. Muitas vezes se equivocavam em suas interpretações, pois em Provérbios 4:18 diz"Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito." Comparar a doutrina Jeovista com os Adventistas Do Sétimo Dia é um erro mediocre do mesmo, falta de conhecimento Histórico Adventista. Qualquer Cristão que estudar a luz da Bíblia as diferenças Teológicas dos mesmos citados acima, verá que existem múltiplas diferenças. Como em todo movimento Cristão.Os Mileritas foram sinceros em apresentar novas verdades Bíblicas. Lembrando que o Movimento Milerita não representava a Igreja Adventista, Mas sim era um "Movimento Inter-Denominacional" onde se fazia presente (Metodistas, Batistas, Batistas Do Sétimo Dia, Congregacionalistas, Presbiterianos).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deveria estudar mais um pouco sobre tudo... e parar de ficar girando nesses aspectos de autopromoção de sua religião... ;)

      Excluir