terça-feira, 30 de julho de 2019

O EVANGELHO DE JOÃO E OS MUÇULMANOS


O EVANGELHO DE JOÃO E OS MUÇULMANOS

TENHO uma tradução do Alcorão*, livro sagrado dos muçulmanos, que diz em alguns textos:

“Os anjos o chamaram, enquanto rezava no oratório, dizendo-lhe: Alah te anuncia o nascimento de João, que corroborará o Verbo de Alah, será nobre, casto e um dos profetas virtuosos.” (3º Surata, 39 – [p. 40]).

“E quando os anjos disseram: Ó Maria, por certo que Alah te anuncia o Seu Verbo, cujo nome será o Messias, Jesus, filho de Maria, nobre neste mundo e no outro, e que se contará entre os diletos de Alah.” (3º Surata, 45 – [p. 41]).

“Ó adeptos do Livro, não exagereis em vossa religião e não digais de Alah senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, foi tão-somente um mensageiro de Alah e Seu Verbo, com o qual Ele agraciou Maria por intermédio do Seu Espírito. Crede, pois, em Alah e em Seus mensageiros e digais: Trindade! Abstende-vos disso, que será melhor para vós; sabei que Alah é Uno. Glorificado seja! Longe está a hipótese de ter tido um filho. A Ele pertence tudo quanto há nos céus e na terra, e Alah é mais do que suficiente Guardião.”(4º Surata, 171 – [p. 67]).

Pergunte-se, de qual trecho Bíblico o termo aplicado a Jesus – Verbo – foi retirado? Dos escritos de João! E em uma nota (320) , explicações teológicas e apologéticas Muçulmanas constam que

O Evangelho de João (seja quem for que o tenha escrito) colocou uma grande qualidade de misticismo alexandrino e gnóstico em torno da doutrina do Verbo (Logos, em grego), mas ela é explicada simplesmente aqui. [na citação acima transcrita]” (p. 497).

Ou seja, o uso do termo VERBO, que aparece no Evangelho de João (1.1,14), pode gerar algum problema para negação islâmica da Divindade de Jesus – fora outras afirmações de que Deus é seu Pai. Para tanto, o termo ‘’Verbo”, deve ser revestido de sentido diferente (anacronicamente) em séculos adiante, como diz a nota! No entanto, na tentativa de identificar o profeta Maomé, com as palavras de Jesus, diz uma outra nota (1523) , parece que o Evangelho de João, agora seria confiável e sua expressão, “parácleto” sem nenhum problema:

“"Ahmad" ou "Mohammad", o louvado, é quase a tradução da palavra grega Paracleto. No Evangelho de João 14:16, 15: 26 e 16:7, a palavra "Consolador", na versão portuguesa, refere-se a Paracleto, que significa "Intercessor", "alguém chamado em auxílio de outro, um amigo generoso"; é melhor do que "Consolador". Os nossos doutos afirmam que Paracleto é uma corruptela de Periclytos, e que no dito original de Jesus havia uma profecia sobre um Profeta, chamado Ahmad. Mesmo se lermos Paraclete, isto poderia ser aplicado ao Profeta Mohammad, que foi "uma misericórdia para a humanidade" (21ª Surata, versículo 107).” (p. 638).

Parece, que esse sentido anacrônico, posterior, ou mesmo que seja um não pretendido no contexto, dado pelos teólogos Muçulmanos, teria um espaço em outra parte do Evangelho de João:

“[Nota] 935. Eles nunca dizem nada, antes que recebam ordem de Alah, e suas orações são igualmente condicionadas. Este é, também, o ensinamento de Jesus, como está relatado no Evangelho de João (12:49-50) "Porque eu não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, me deu a ordem no tocante ao que eu deveria dizer, ao que eu deveria falar. E eu sei que a Sua ordem é para a vida toda; o que quer que eu fale, portanto, é o que o Pai disse que eu falasse". Se corretamente compreendido, "Pai" tem o mesmo significado de "Rabb", - Sustentador e Velador, e não Procriador, ou Progenitor.”(p. 565).


A tentativa apologética Islã é autoexcludente! A fonte usando é o Evangelho de João, que claramente ensina que Jesus é Deus associado com o termo “Verbo”(Jo 1.1), e Filho de Deus (Jo 3.16). Verdade essa, infelizmente, rejeitada pelo Islã.

Seguramente, apontamos a Jesus Cristo, Filho de Deus Pai, conforme revelado nos Evangelhos (Mt, Mc, Lc e Jo), e predito em Moisés,  nos Profetas e nos Salmos, e explicado nas cartas apostólicas da, como sendo o Salvador, que morreu pelos pecados e pecadores, cuja autoridade deve ser reconhecida, Nosso Senhor, que convida a todos os cansados a irem a Ele, pois em amor e perdão receberá os arrependidos (Mt 11.28-30). Jesus, o único caminho, a única verdade e a única vida, sem ele, ninguém se achegará a Deus Pai (Jo 14.6).


*Versão em PDF - http://www.coran.org.ar/portuges/Indices/indicesuras.htm

2 comentários:

  1. O islã no Brasil é um desafio a nossa fé, os apologéticos deveriam investir mais nessa matéria pois aos poucos estão engolindo a América do sul, como fizeram já Europa, acorda igreja Brasileira.

    ResponderExcluir