quarta-feira, 13 de julho de 2016

Ellen White - seus problemas mentais e alucinações


“A lesão que Ellen sofreu em sua meninice e os problemas físicos resultantes são bem conhecidos e estão bem documentados. Começando com esse acidente, e seguindo através da adolescência e a média idade, ela sofreu ataques físicos, "que com freqüência acompanhavam o que seus seguidores deram em chamar visões abertas. Diz-se que, às vezes, não era consciente de nada a seu redor, ainda que às vezes conservasse o controle de seus movimentos. A igreja com freqüência se ufana de que ela começou com uma mente débil e sem adestrar, e um corpo delgado e desfigurado - o mais débil dos débeis." Se informa que, pelo menos cinco vezes, foi atacada de "paralisia," e que muitas vezes ela sentia que estava a ponto de morrer; com freqüência, permanecia inconsciente por longos períodos. Sob estas condições físicas, especialmente durante seus primeiros anos, sua mente com freqüência estava na mesma condição que seu corpo, às vezes nas areias movediças do desespero e às vezes no cume da glória. Este estado mental e físico foi observado ao começo da experiência de Ellen. Ficou um notável depoimento em relação com sua condição e o fato de que ela a reconhecesse já em 1865 , depoimento que foi publicado mais tarde, em 1877. A causa da natureza sensitiva da informação, é melhor reproduzir vários parágrafos das páginas que tratam dela. Quando, durante uma conferência em Pilot Grove em 1865 , ela relatou uma visita ao Instituto de Saúde do Dr. Jackson, disse que o doutor, depois de examiná-la, tinha declarado que sofria de histeria. Agora, para os que têm confiança na capacidade do Dr. Jackson como médico, esta declaração proporciona um indício da suposta inspiração divina de Ellen. De acordo com as autoridades médicas, a histeria é uma doença real, mas de tipo muito peculiar, pois afeta, não só o corpo, senão também a mente; produz fenômenos de uma natureza muito marcada, mas muito variada, e ao atuar a doença sobre diferentes pessoas e diferentes temperamentos, produz variados resultados. Quando o Dr. William Russell, que nesse então trabalhava no Instituto de Saúde de Battle Creek, escreveu-nos expressando suas dúvidas com respeito à inspiração divina das visões, e pedindo-nos a evidência que tivéssemos sobre esse tema, com gosto acedemos a sua solicitação e lhe enviamos as obras publicadas, e também um breve resumo da obra que agora apresentamos ao público. Também, chamamos seu atendimento sobre a opinião médica do Dr. Jackson no caso da Sra. White, e solicitamos a opinião dele para publicá-la também no livro. A isto contestou, em 12 de Julho de 1869, que tinha decidido, fazia algum tempo, "que as visões da Sra. White eram o resultado de um organismo enfermo e um cérebro ou um sistema nervoso defeituoso." Aqui, então, temos o depoimento de dois médicos, em cuja capacidade como médicos confiam geralmente a Sra. W. e os Adventistas do Sétimo Dia, que estão de acordo em sua opinião quanto à predisposição dela a uma condição enferma do cérebro e o sistema nervoso. Com estes testemunhos em mente, regressemos à primeira visão e vejamos se podemos, a partir das circunstâncias presentes, chegar a uma solução razoável e prática do fenômeno no caso. De acordo com suas obras publicadas, a Sra. White, à idade de nove anos, sofreu uma desgraça muito grave; uma pedrada lhe achatou o nariz, desfigurando-lhe o rosto permanentemente. Por suposto, não sabemos se este acidente foi ou não a causa de sua predisposição à histeria, mas uma coisa é verdadeira: Não a originou, senão que a agravou, como o descreve o Dr. Russell: "Um organismo enfermo ou um cérebro ou sistema nervoso defeituoso." Isto o demonstra o fato de que, durante três semanas depois do acidente, ela permaneceu completamente inconsciente, com o cérebro com tanta uréia que lhe causou a cessação de suas funções durante esse tempo. Em Life Incidents, pág. 273, o Ancião White também diz de sua saúde na época de sua primeira visão: "Quando teve a primeira visão, estava enfraquecida e inválida, e seus amigos e médicos só esperavam que morresse de consumpção. Nesse tempo só pesava oitenta libras. Seu sistema nervoso estava em tal estado que não podia escrever, e dependia de alguém sentado perto dela numa mesa até para verter bebida da xícara ao pires." Pouco depois de recuperar-se, parece ter voltado seu atendimento a temas religiosos, com os quais ficou profundamente impressionada, até que, à idade de doze anos, professou a conversão e ingressou à igreja Metodista. Sua experiência religiosa nessa temporã idade foi de um tipo peculiar; às vezes se exaltava até o êxtase, e novamente se deprimia até as profundidades da depressão. Esta desafortunada condição da mente não parece ter sido causada pelas circunstâncias externas que a rodeavam, que eram todas favoráveis a sua profissão religiosa, senão por sonhos e impressões agradáveis ou desagradáveis. Mais ou menos por este tempo, pregava-se a doutrina Adventista em Portland, Maine, onde vivia a família de seu pai, e tanto sua família como ela mesma se interessaram nela, até o ponto de que em 1842 ela assistia constantemente às reuniões Adventistas, ainda que fosse Metodista. O resultado de que passasse o tempo sem que o Senhor regressasse em 1844 foi a divisão do povo Adventista em dois grupos. Enquanto um dos grupos se curvava à posição de que a vinda do Senhor estava próxima, mas admitia que os movimentos de 1843 e de 1884 eram errôneos, o outro afirmava que o Senhor lhes tinha guiado até esse momento e que o passado se justificaria plenamente; finalmente, os desta última classe caíram no erro da porta fechada, afirmando que o Esposo tinha vindo, e que o tempo para a salvação dos pecadores, os cristãos nominais, e os Adventistas apóstatas tinha passado. Em Life Incidents, pp. 183-91, o Ancião White faz um interessante relato da história da porta fechada. A Sra. White, (nesse tempo Ellen G. Harmon), identificou-se com os desta última classe, que se reuniam em casa de seu pai, o que mostrava que ela estava constantemente sob a influência deste terrível erro, cujo poder ninguém, exceto os que o presenciaram ou participaram nele, pode apreciar devidamente. Sob estas circunstâncias, e com seu organismo enfermo, seu cérebro ou sistema nervoso defeituosos, e uma predisposição à histeria não é de surpreender-se que tivesse o que se chamou uma visão, e que, tal como seria de esperar-se, sua visão correspondesse, em termos gerais, aos pontos de vista religiosos que ela abrigava, como mostramos claramente nesta obra. Sobre este ponto, o Ancião White apresenta outro depoimento em seu livro Life Incidents, página 272 (publicado em 1868), no qual diz: "Durante os passados vinte e três anos, ela teve provavelmente entre cem e duzentas visões. Estas ocorreram em quase cada tipo diferente de circunstâncias, e, no entanto, todas elas foram maravilhosamente similares; sendo a mudança mais evidente o que, em anos mais recentes, foram menos freqüentes e mais abarcantes." Sob estas circunstâncias, todo isto é muito natural e razoável. Ao melhorar a saúde da Sra. White, as visões se voltaram menos freqüentemente. Como a mente e seu funcionamento são o resultado do organismo humano, uma constituição física mais saudável produzirá um estado da mente melhor e mais saudável. E, como a saúde da Sra. White melhorou, seu cérebro e seu sistema nervoso adquiriram um estado mais natural, e seus estados de transe foram menos freqüentes; e como ela avançou em questões de informação geral (tendo sido sua educação temporã descuidada quase por completo a conseqüência de sua debilitada saúde), suas visões se fizeram mais abarcantes – uma conseqüência muito natural – que é uma das melhores evidências de do que suas visões surgiam de sua própria mente. Que os fenômenos das visões, a suspensão animada, e os poderes milagrosos da Sra. White são o resultado de uma organização física e mental em desordem o confirma o seguinte extrato do livro Practice of Medicine, p. 721, do Tomo 2, do Dr. George B. Wood, que me chamou o atendimento, e que corresponde a algumas das experiências da Sra. White em visão, particularmente ao fato de que se pusesse de pé com uma Bíblia na mão a levantasse por em cima de sua cabeça, e assinalasse e repetisse algumas passagens dela. Ao tratar desordens mentais, e explicar a causa e os fenômenos dos transes, o Dr. Wood diz: "O êxtase é uma afecção na qual, junto com perda da consciência das circunstâncias existentes, e insensibilidade às impressões externas, há uma aparente exaltação das funções intelectuais ou emocionais, como se o indivíduo fosse elevado a uma natureza diferente, ou a uma esfera diferente da existência. O paciente parece envolvido em algum pensamento ou sentimento absorvente, com uma expressão no rosto como de elevada contemplação, ou de inefável deleite. O movimento voluntário fica geralmente suspendido, e o paciente ou jaz insensível a influências externas, ou como na catalepsia, conserva a posição que tinha quando sofreu o ataque. Às vezes, no entanto, os músculos obedecem à vontade, e o paciente fala ou atua de acordo com seus impulsos existentes. Nestes casos, a doença risca muito de perto com o sonambulismo. Pode ser que o pulso e a respiração sejam naturais, ou mais ou menos diminuídos; o rosto está geralmente pálido; e a superfície do corpo está fresca. Se a freqüência do pulso aumenta, é geralmente mais débil também. A duração do ataque é muito incerta; em alguns casos não passa de alguns minutos, em outros se estende a horas ou dias. Ao recobrar-se do ataque, o paciente geralmente recorda seus pensamentos e sentimentos mais ou menos com exatidão, e algumas vezes fala das maravilhosas visões que viu durante suas visitas às regiões dos benditos, de encantador esplendor e harmonia, de inexprimível gozo dos sentidos ou afetos."

Estas assombrosas páginas revelam alguns fatos sérios que podem ser verificados:


a . Deu-se uma descrição precisa do estado físico e mental de Ellen White do modo em que ela o descrevia com freqüência.

b. A análise de seu estado foi efetuada por médicos capazes, que em alguns casos eram aceitos pelos White.

c. As observações foram feitas no princípio de sua vida por pessoas que conheciam seu estilo de vida e a observaram de primeira mão.

d . Ellen White efetivamente creu e ensinou a porta fechada, cuja história se manteve oculta por mais de cem anos, como se revelou (e agora foi confirmada pelo White Estate).

Ellen até teve uma visão mostrando que a porta se fechou para os pecadores depois de 1844. Mais interessante, talvez, é o fato de que outros, alguns dos quais eram também médicos, notaram a similitude de seu estado durante seus "visões" e diagnosticaram seu estado de maneira similar. William S. Sadler, amigo da família White, uma vez verdadeiro crente e também ancião da igreja, e mais tarde médico, escreveu em 1923:

Não é raro que pessoas em transe cataléptico se imaginem que viajam a outros mundos. Em realidade, os maravilhosos relatos de suas experiências, que descrevem por escrito depois de que terminaram estes ataques catalépticos, são tão singulares e maravilhosos que servem de base para fundar novas seitas, cultos, e religiões. Muitos movimentos religiosos estranhos e singulares se fundaram e organizado deste modo. É um interessante estudo em psicologia observar que estes médiuns em transe sempre vêem visões em harmonia com suas próprias crenças teológicas. Por exemplo, uma médium que cria na natural imortalidade da alma sempre era guiada, em suas viagens celestiais, por alguns amigos mortos que tinham partido. Um dia, ela mudou seus pontos de vista religiosos - se converteu à crença no “sono da alma" - e desde então, quando estava em transe, era levada de um mundo a outro, em suas numerosas viagens celestiais, por anjos, e nenhum amigo morto ou separado jamais voltou a aparecer em nenhuma de suas visões depois desta mudança em suas crenças.


O registro das visões de Ellen de outros mundos pode verificar-se em Early Writings para ver se a informação relatada por Sadler se aplica a ela. Sadler continua com outras observações interessantes: Quase todas estas vítimas de transes e catalepsia nervosa, tarde ou cedo se chegam a crer mensageiros de Deus e profetas do céu, e sem dúvida a maioria deles é sincera em sua crença. Não entendendo nem a fisiologia nem a psicologia de sua aflição, sinceramente chegam a considerar suas peculiares experiências mentais como algo sobrenatural, enquanto seus seguidores crêem cegamente qualquer coisa que ensinem a causa do suposto caráterdivino destas assim chamadas revelações.

Sadler continua corroborando o que os médicos das décadas de 1860 e 1870 tinham detectado:

Outro interessantíssimo fenômeno que observei em relação aos médiuns em transe que, como observamos anteriormente, é em sua maioria mulheres, é que estes fenômenos de transe ou catalépticos, que em alguns aspectos são muito similares a ataques de histeria maior - só do que levados ainda além – digo do que foi minha experiência que geralmente aparecem depois de do que entrou a adolescência, e em nenhum caso que observei, ou do qual tenha eu ouvido, sobreviveram estes fenômenos à aparição da menopausa. A natureza dos fenômenos associados com estas profetisas ou médiuns em transe é sempre modificada pela aparição da “mudança de vida."

Novamente, é interessante observar o que o doutor diz que sucedia no caso de Ellen. Ela deixou de ter "visões abertas" arredor do tempo da vida em que ocorre a menopausa. É assim mesmo interessante observar que a cessação das visões coincidiu com a morte de Tiago White, seu esposo. Um escritor posterior retomou o tema físico em sua dissertação doutoral escrita em 1932:

Não há nem a mais mínima evidência de do que ela, neste estado, em nenhum momento aprendesse nem uma só coisa que não fora já bem sabida por seus sócios. Enquanto este escritor não chegaria até a dizer que ela estava "mesmerizada" por seu esposo, ele [o escritor] está plenamente convencido de que o conteúdo de suas primeiras "visões" estava determinado quase por completo pelo problema em que ele [Tiago White] estava interessado e ao qual lhe dedicava seu tempo no momento da manifestação. ... Mais tarde, depois de sua morte, a engraçada aprovação dela era um objeto muito desejado entre certos tipos de dirigentes e caixeiros que usavam todo tipo de métodos e ardis para obter o apoio dela para seus projetos. Quando White usou todos os métodos possíveis para a organização, sua esposa "viu" que era o plano de Deus; quando ele caiu sob suspeita na operação da impressora, a ela se lhe mostrou que isto não era agradável a Deus. Quando ele, por meio da pluma e de viva voz, chamou à "benevolência sistemática" [contribuições financeiras regulares à igreja], ela teve uma "visão" apoiando-a. No tempo em que ele estava ocupado escrevendo folhetos pró saúde, a ela se lhe mostrou sua "grande visão" sobre a reforma pró saúde. Esta lista poderia continuar, substituindo o nome de seu esposo pelos de seus dirigentes favoritos, até sua morte. Linden, em 1978, revisou as observações e teorias de psicólogos e psiquiatras de mediados da década de 1900 procurando indícios dos fatores causais dos fenômenos visionários. Foi necessário tomar em conta fatores tanto psicológicos como físicos. Talvez as respostas finais e mais satisfatórias a respeito de Ellen White poderiam dar-se em favor da mentira branca se o White Estate quisesse permitir a publicação dos detalhes do histórico médico dela do princípio ao fim. Outro escritor descobriu um tipo diferente de raciocínio para o problema de que Ellen copiava sem dar crédito, bem como sua crença em sua própria "originalidade visionária." M. Ronald Deutsch (The New Nuts Among the Berries) relata, no capítulo titulado "The Battles of Battle Creek," como Charles E. Stewart escreveu à Sra. White em resposta à afirmação pública dela de que "tinha recebido instruções do Senhor" para que convidasse aos que tinham "perplexidades ... em relação com os testemunhos" a "pôr por escrito" seus "objeções e críticas," que ela as contestaria. Os amigos de Stewart publicaram sua longa carta (que incluía cópias de correspondência adicional com outras pessoas) em forma de folheto em Outubro de 1907 – depois de que tinham passado cinco meses sem resposta de Ellen White. O prefácio do folheto dizia que Stewart tinha recebido um recibo de registro devidamente assinado, mas nenhuma resposta.


Deutsch cita a seguinte opinião de seu livro:

Creio que ela é vítima de auto-hipnotismo. Em realidade, ela se tem auto-hipnotizado para crer que estas visões são genuínas. Não creio que ela voluntariamente se propunha enganar - ela adquiriu o hábito visionário – mas, sim, culpo aos que vendem às pessoas um truque que é, nem mais nem menos, uma grosseira fraude.

O ano de 1907 passou faz muito tempo. A questão dos problemas da saúde de Ellen e as preocupações dos médicos de seu tempo poderiam ter-se esquecido se estas perguntas não seguissem aparecendo de tanto em tanto. Tão recentemente como em 1981, apareceu um artigo no Toronto Star de 23 de Maio:

Uma pedra que golpeou a testa de uma fundadora da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Ellen Gould White, quando tinha nove anos de idade, quase seguramente é a causa de suas visões, as quais são a base para a doutrina da igreja, dizem dois médicos. O golpe causou uma forma de epilepsia, disseram numa entrevista os doutores Delbert Hodder e Gregory Holmes, de Connecticut. Estiveram em Toronto para descrever suas descobertas durante uma reunião da Academia Americana de Neurologia no Sheraton Centre recentemente.... Hodder, que é Adventista, diz que seu relatório e o de Holmes (que não é Adventista) poderia sanar a divisão que existe na igreja. "Têm estado considerando-o de uma maneira teológica," disse, mas sua investigação mostra que "ela pode ser explicada cientificamente." A muitos poderia parecer-lhes que o argumento médico é a melhor maneira de explicar a questão ética suscitada por seu engano, ainda que não justificasse aos que, obviamente sem conhecer o estado dela (e, portanto suas debilidades), continuaram ajudando a expandir a mentira branca. Também, geraria algum grau de simpatia pelas ações de Ellen - com base em sua capacidade diminuída somente. De maneira similar, ajudaria a explicar as muitas inconsistências em suas "visões" com as quais a igreja teve que lidar, ou teve que escusar, ou tampar através dos anos. Pode ser que a última linha das palavras do sábio árabe se apliquem a este ponto de vista sobre o problema ético: "O que sabe, e sabe que sabe, é um sábio. Segue-o."


(H[enry] E. Carver, Mrs. E. G. White's Claims to Divine Inspiration Examined [Um Exame das Afirmações da Sra. E. G. White de Que Era Inspirada] , 2dá. edit. (Marion, Iowa: Advent and Sabbath
Advocate Press, 1877) pp. 75-80. Idem, pp. 75-80.

W[illiam] S. Sadler, The Truth about Spiritualism [A Verdade Sobre o Espiritismo] (Chicago: A. C.McClurg & Co., 1923), pp. 157-58. Ídem.Ídem, p. 159.

De acordo com a SDA Encyclopedia (veja-se "Visions," p. 1557), a última "visão aberta" de Ellen White ocorreu em Junho de 1884. Linden, em The Last Trump, diz que Tiago White sublinhava que "os músculos e as conjunturas dela se punham rígidos," e sua vista precisava algum tempo para acomodar-se outra vez à normalidade.

Winslow, Guy Herbert, "Ellen Gould White and the Seventh-Day Adventism," dissertação (Worcester, MA: Clark University, 1932) p. 290.

Linden, Ingemar, The Last Trump, pp. 159-163.

M. Donald Deutsch, The New Nuts Among the Berries, Pau Alto, Ca. Manlyn Dunlop, "Were Adventist Founder's Visions Caused by Injury?")

Fonte: A Mentira Branca

40 comentários:

  1. Irmão Luciano, devido a todos esses relatos de medicos e pessoas próxima a sr White, como devemos agir como aqueles que defendem uma autoridade profética em relação a Sr White? Devemos ser incisivos em dizer que ela é uma falsa profeta.Ou devemos minimizar por ter seus escritos relatos referentes a bíblia, como defendem alguns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado irmão, o diabo tb citou textos bíblicos... os Mórmons tb citam.. a Torre de Vigia tb. Assim, ela citar a Bíblia não resolve nada.

      Ela é um mulher que alucinou demais... misturou roubo literário, sonhos, heresias, e quando estudou um pouco mais um autor protestante, melhorou um pouco... mas não abandonou suas crenças falsas.
      Falsa profetisa igual a Smith, Russel, etc. A diferença é que tinha problemas mentais também.

      Excluir
    2. Durante toda a sua vida ela escreveu mais de 5.000 artigos e 49 livros; mas hoje, incluindo compilações de seus manuscritos, mais de 150 livros estão disponíveis em inglês, e cerca de 90 em português. Ellen G. White é a escritora mais traduzida em toda a história da literatura. Seus escritos abrangem uma ampla variedade de tópicos, incluindo religião, educação, saúde, relações sociais, evangelismo, profecias, trabalho de publicações, nutrição e administração. Sua obra-prima sobre o viver cristão feliz, Caminho a Cristo, já foi publicada em cerca de 150 idiomas.
      http://centrowhite.org.br/ellen-g-white/biografia-de-ellen-g-white-1827-1915/

      Ellen White tinha problemas mentais? Rsrsrsrsrs

      Excluir
    3. Exatamente irmão Luciano...

      Será que foi por isso JESUS disse:

      "Muitos dirão a mim naquele dia: ‘Senhor, Senhor! Não temos nós profetizado em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios? E, em teu nome, não realizamos muitos milagres?’ Então lhes declararei: Nunca os conheci. Afastai-vos da minha presença, vós que praticais o mal. O sábio e o insensato" (Mt 7:22 e 23).

      Agora, quem será que terá condições de JULGAR qual PROFECIA, MILAGRES e EXPULSAR DEMÔNIOS será de CRISTO?

      Os HOMENS (acusadores) ou JESUS?

      Excluir
  2. Obrigado irmão Luciano pela sua resposta, também acredito que essa mulher é uma verdadeira falsa profeta, e aqueles que a seguem estão participando do seus erro e heresias.

    ResponderExcluir
  3. Incrível como uma pessoa com supostas doenças mentais, escreveu a mão mais de 5 mil artigos e 40 livros, totalizando mais de 100 mil paginas! E ainda entrou para a lista dos americanos mais influentes de todos os tempos pela Smithsonian Magazine. Não sei vocês, mas nunca vi nenhum débil mental chegar à este ponto. A Bíblia diz: "pelos seus frutos, os conhecereis..." - devo crer em suposições ou nos frutos do ministério dela? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom, irmão Gabriel Sanchez!

      Que o SENHOR continue abençoando-o sempre!

      Realmente, Ellen White foi uma profetisa do verdadeiro Deus da Bíblia.

      Excluir
    2. Irmão Luciano, obrigado pelo esclarecimento!

      Eu queria ser LOUCO assim, pois ser NORMAL, não está com nada! (Rs).

      Excluir
  4. quantos livros escreveu chico xavier, russel escreveu tambem um tomo, agora a questâo do 5 mil artigos e 40 livros plagiando escrevo mas kkkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odair Vieira.
      Chico Xavier, Charles Taze Russell, pelo que sabemos nunca foram acusados de doentes mentais assim como acusam àqueles que odeiam Ellen White.
      O que Gabriel Sanchez escreveu foi isso. Como uma mulher intitulada doente mental com ensino primário escreveu, o que escreveu, e teve um papel relevante no movimento adventista?

      Excluir
    2. antes de escrever 5 mil artigos e 40 livros, precisará saber a diferença entre "MAS e MAIS" Odair kkkk

      Excluir
  5. Desde quando a bíblia autoriza mulher ter autoridade ministerial e doutrinaria na Igreja meu nobre?
    1Co 14:26-35 "Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais... como em todas as igrejas dos santos. As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é indecente que as mulheres falem na igreja".

    1Tm 2:11-14 "A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão".

    ResponderExcluir
  6. Primeira coisa que você deve fazer é retirar 100 mil páginas, que podem até ter sido escrita, mais muitas não são de sua autoria, Leia sobre o que Hipócrates falou sobre alimentação muitos séculos antes dela por exemplo (e só pra constar o café faz bem a saude).
    Benny Hinn também escreveu muitos livros, nem por isso é um profeta!
    O fruto transgênico parece o original (profecia bíblica ) mais quando você come (observa ) Vera que possui muitas diferenças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro Christian Temperance and Bible Hygiene, publicado em 1890, continha uma homenagem a Ellen White, escrita por Harvey Kellogg. Nessa homenagem ele reconhecia que ela havia usado os escritos de outros sobre saúde. Kellogg afirmou: “Deve-se admitir como sendo muitas vezes extraordinário, que uma pessoa que não alega ter nenhum conhecimento científico ou erudição, fosse capaz de organizar, a partir da confusa e infeccionada massa de ideias desenvolvidas por uns poucos escritores e pensadores sobre assuntos de saúde, um corpo de princípios de higiene tão harmoniosos, tão consistentes e tão genuínos que as discussões, as pesquisas, as descobertas e as experiências de um quarto de século não conseguiram demolir um único princípio, mas têm servido apenas para confirmar as doutrinas ensinadas.”
      http://centrowhite.org.br/perguntas/perguntas-sobre-ellen-g-white/as-negativas-de-ellen-white-plagio/

      Excluir
  7. Boa noite,

    Estou questionando a suposta doença mental de Ellen G. White.

    Se Chico Xavier ou outros autores escreveram muitos materiais, ok. Mas nenhum deles possuíam problemas mentais, creio eu.

    A questão é: seria possível uma pessoa doente mental escrever tantos livros com tanta propriedade e coerência? Seguindo uma linha racional de estrutura textual e argumentação? Pelo que me parece, seria necessário grande grau de inteligência.

    Há muito tempo leio e ouço sobre esses supostos plágios. A parte engraçada é que não existem provas de nada disso. Ellen G. White é reconhecida mundialmente como uma autora séria, coerente e original. O fato dela utilizar fontes científicas e outros autores, não significa nada, já que ele cita as referências bibliográficas. Não me parece que alguns de vocês tenham tido contato com os materiais dela, parece-me que apenas leram artigos críticos sem consulta as fontes primárias. Isso se chama desonestidade intelectual. Mas tudo bem, respeito todos vocês e suas opiniões.

    Sobre alimentação, boa saúde e afins, creio que não precisamos discutir muito, já que Deus não deseja que nos matemos aos poucos, ou que aceleremos o processo de mortalidade através de alimentações irregulares, bebidas, drogas e etc...não precisaria de Ellen G. White para entender um princípio como este. Mas blz!

    Sobre a figura da mulher na pregação do evangelho, também não discutirei, por é um assunto arcaico e ultrapassado pra mim, que sou progressista. Apenas deixo esta palavra:

    "Não há judeu nem grego, escravo ou livre, homem ou mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus." - Gálatas 3:28

    Não há sexismo em Deus!

    Tenham todos uma boa semana!

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu irmão, autores consultam outros autores, profetas bíblicos são inspirados por Deus, não misture as coisas. Ser reconhecida pelo mundo como grande autora de livros é diferente de ser reconhecida pela igreja como profeta ( que eu saiba com excessao de vocês, ninguém mais acha isso)
      Quanto ao seu dizer que não consultamos as fontes primárias, acho que você ao defende lá como profeta é quem não consultou a fonte primária (a bíblia )
      Só pra constar, seus dias estão nas mãos de Deus (jo 14:5) você não vai morrer antes do tempo determinado por ele.
      Não seja missionário na china, nem na índia, nem entre os índios..pq lá tem alimentos proibidos por sua profeta...e você vai pecar se comer..Pobre Hudson Taylor na China.
      Quanto ao texto de galatas, o contexto não é ministerial ou eclesiástico meu caro, mais salvivifico..em Cristo homens e mulheres são um...mais com "funções" diferentes.
      Parabéns por chamar os ensinos de Paulo em suas cartas pastorais de arcaico. .
      Mais blx

      Excluir
    2. Irmão Felipe...

      Deus é quem determina nossos dias ou Ele sabe qual é o nosso último dia?

      A Onisciência de Deus agora virou CAUSA ATIVA ou Ele sabe do fim desde o PRINCÍPIO?

      Então por Deus saber o nosso fim (não nos matar, claro) estamos liberados para injetarmos uma droguinha, cheirarmos uma carreirinha?

      A bíblia por acaso proíbe o uso de:

      maconha;
      haxixe;
      coca[ína];
      anfetam[ína];
      hero[ína];

      Esse [ína] me lembra alguma coisa...

      Ah, eu sempre ouvi que alguns profetas bíblicos citaram outros autores e inclusive autores não canônicos!

      Mas, claro, você deve estar certo mesmo irmão Felipe. Um profeta verdadeiro não citaria outros autores, será?

      Onde está essa regra mesmo?

      Excluir
    3. Causa ativa (salmo 139:16, deut 32:39, jo 14:5) determinados, limites que não podem ser ultrapassados.
      Pq eu usaria essas coisas sendo elas prejudiciais? Isso foi infantil da sua parte.
      Caro Alexandre, usar ditados, provérbios, fatos históricos é diferente de fazer profecias usando autores não canônicos.

      Excluir
  8. A Verdade sobre “The White Lie”
    (A Mentira Branca)
    http://centrowhite.org.br/perguntas/perguntas-sobre-ellen-g-white/a-verdade-sobre-the-white-lie-a-mentira-branca/

    ResponderExcluir
  9. Deixa eu ver se entendi direito...

    Então, uma pessoa deixaria de ser profeta por ESCREVER POUCOS livros e alguém passaria a ser PROFETA por que escreveu muitos LIVROS?

    Seria isso irmão FELIPE ALMEIDA o que você quis dizer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso são palavras suas Alexandre, quem diz ser profeta alguém baseado em escritos não canônicos não sou eu.

      Excluir
    2. Quem também comparou escritores por quantidade de escritos como profetas também não foi eu.

      É claro, isso é apenas zombaria. Sabemos disso. Não faz a menor diferença!

      Cada um acredita no que quer ou no que lhe agrada!

      Excluir
  10. Irmão FELIPE...

    Se você tiver as seguintes oportunidades de falar com DOIS MÉDICOS pesquisadores (não achistas):

    Um que defenda que o CAFÉ é bom!

    E outro que defenda que o CAFÉ não é o TODOS pensam!

    Ai, você terá as duas informações e assim você tomará a sua decisão, se sim ou se não!

    Tudo faz bem hoje, principalmente quando se CONTRATAM PESQUISAS para se descobrirem substâncias ISOLADAS, assim como fazem com o VINHO!

    Não NUTRIMOS de ALIMENTOS e não de SUBSTÂNCIAS ISOLADAS.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, entre no google e busque nas bases de artigos acadêmicos chamada Scielo, se existe algum estudo que comprove isso que você está dizendo..
      Lógico que excessos vão fazer mal, assim como a soja em excesso aumenta produção de hormônios femininos em homens.
      Sua profeta errou,e sei que você dará dará vida por ela, portanto não estou aqui pra convencer ninguém é nem pra denegrir a imagem de ninguém.
      Só não posso chamá lá de profeta.
      Abraço @

      Excluir
    2. Isso Scielo.

      Por que será que não se encontra artigos científicos né!

      Assim que eu encontrar um eu compartilho com você!

      Excluir
    3. Ok , se ainda não possui tal comprovação é porque o que ela falo tá falado né, nem precisa de verificação.
      Abraço, fica na paz!!

      Excluir
    4. Pelo contrário, ela falou antes da SCIELO!

      SCIELO só comprova!

      Excluir
  11. Ellen White latria. falsa profeta do engano.

    ResponderExcluir
  12. Rapaz você nunca deveria falar de um catolico por ter Maria como um mulher de autoridade na igreja. Vocês tem Elen White que tem as mesmas prerogativas que Maria dos católicos tem. Só uma pergunta:na igreja adventista tem pastora? se não tem; em que voces se apoiam, sendo que Ellen White exerce autoridade White exerce autoridade espiritual sobre a igreja adventista. sobre a igreja adventista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EGW é Pastora? Não sabia dessa!

      Quando falei de católicos por causa de Maria?

      Mas Maria também foi uma mensageira para o Espírito de Profecia?

      Também não sabia dessa!

      Não, não temos PASTORA, mas temos pregadoras, evangelistas, missionárias, e uma que escreveu pelo Espírito de Profecia!

      Excluir
  13. Boa Noite! Estive fazendo uma pesquisa exaustiva a respeito do tema da postagem, avaliando ambos os lados...Aqueles que afirmam serem as visões de Ellen White, resultado de problemas mentais, e os que a defendem, negando as acusações e afirmando que as visões dela, são de origem divina.

    Ambos os grupos apresentaram seus argumentos.

    Bem, após ler e reler, analisar, etc, cheguei a conclusão de que aqueles que afirmam serem as visões de Ellen White, resultado de alguma doença mental, não apresentaram argumentos convincentes (quando se leva em conta todo o histórico de Ellen White, no movimento Adventista desde 1844).

    Ainda que Ellen White tenha copiado material alheio, ela, na verdade, produziu muita literatura não plagiada ou copiada, e que não poderia ser fruto de uma pessoa mentalmente perturbada (no sentido psicológico).

    Por outro lado, ainda que ela tenha suficiente material de sua própria autoria, que surgiu no contexto da história do Adventismo (e creio importante levar isto em conta) eu (e existem outros que pensam assim) sigo por uma terceira via...Ou seja, desde o início do Adventismo houveram manifestações carismáticas, e os escritos de Ellen White, claramente surgiram neste contexto, havendo o testemunho da atuação de forças sobrenaturais inegáveis, e que não se encaixam nos padrões de comportamento de doentes mentais.

    Eu tenho conhecimento deste assunto, há muitos anos, e, na verdade, a acusação imputada a Ellen White, de sofrer de algum distúrbio (tipo esquizofrenia) como resultado de uma pedrada, parece sem fundamento.

    Os relatos de exames feitos em Ellen White, e que confirmariam ser suas visões produto de alguma anomalia no funcionamento de seu cérebro, vem de fontes suspeitas dentro do Adventismo (antagônicos a ela). Para mim, assim como para outros, o argumento da doença mental não se sustenta quando se acompanha todos os movimentos desta mulher, e sua capacidade organizacional, o que, nem de longe pode ser atribuído à uma pessoa perturbada.

    Eu não creio que a acusação de White ser uma doente mental, fortaleça a posição dos que defendem esta tese, porque a própria história do Adventismo se encarregará de desmentir isto.

    Parece que estou defendendo Ellen White....não. Estou apenas limpando o terreno. Acho muito confusos e forçados os argumentos a favor da insanidade de Ellen White. Admito o sobrenatural no movimento Adventista e a manifestação de espíritos, assim como no início do Mormonismo, da Ciência Cristã (não do Russelismo ou Testemunhas de Jeová, ainda que analisando o histórico destes, se vê claramente a influência direta do ocultismo na vida de Charles Taze Russel).

    Continua....

    ResponderExcluir
  14. Estabelecida minha posição com relação ao assunto, vou falar um pouquinho sobre o julgamento de Israel Dammon.

    "Em 17 de Fevereiro de 1845, menos de 4 meses após o Grande Desapontamento, um ancião milerita chamado Israel Dammon, foi levado à julgamento em Pistacaquis County, Maine. Segundo a acusação levantada contra ele, Dammon..."tem sido um vagabundo e ocioso, andando à esmo pela cidade de Atkinson...de um lugar a outro, mendigando." Ele é desses brigões ou rixentos, descuidado de suas obrigações e trabalho, desperdiçando seus ganhos, e não provê o seu sustento e o da família, e perturbando a paz do estado do Maine. As acusações resultaram de uma série de encontros religiosos que, Dammon teria conduzido ao longo de vários dias, se não semanas. De acordo com o testemunho de um membro do governo local, muitos cidadãos de Atkinson, solicitaram que as reuniões fossem cessadas, queixando-se que Dammon e outros estavam vivendo mediante certas pessoas da cidade, aparentemente sem quaisquer outros meios de apoio... Testemunhas das reuniões descreveram uma verdadeira balbúrdia de entusiasmo religioso. Segundo o testemunho, a primeira reunião durou oito dias. Dammon disse que os pecadores iriam para o inferno em dois dias. Eles se beijavam e abraçavam. Dammon se deitava no chão, e em seguida, saltava..."A reunião parecia muito profana...(diz uma testemunha) ...Tenho visto ele (Dammon) sentar-se no chão com uma mulher entre suas pernas, e seus braços ao redor dela...Por vezes, eles falavam todos ao mesmo tempo, gritando ao máximo que podiam. Alguns deles disseram que havia muito pecado lá (nas reuniões). Eles ficavam sentados ou deitados de maneira promíscua, e faziam muito barulho...Esta é a reunião mais barulhenta que já vi lá, não existe ordem nem harmonia, nem qualquer coisa que se pareça com outra reunião que eu já tenha ido. Eu já fui jovem e agora sou velho, e, de todos os lugares que fui, eu nunca vi tamanha confusão, nem mesmo em um bêbado atrapalhado."

    Continua....

    ResponderExcluir
  15. Ainda que a defesa discordasse das afirmações mais extremas da acusação, nenhuma tentativa foi feita para negar a natureza caótica das reuniões, da maratona religiosa.

    Segundo o testemunho de ambos os lados, no meio da comoção, havia uma jovem de uns 18 ou 19 anos, de Portland, Maine, que era, ou não (as testemunhas diferem sobre isto) referida como a "imitação de Cristo." Ela foi descrita como estando deitada no chão, em transe, do qual ela periodicamente se levantava, apontando para alguém, e contando seu caso, o qual ela disse, vinha do Senhor. Ela disse para várias pessoas que, elas iriam para o inferno, a não ser que elas fossem imediatamente batizadas ou rebatizadas. Muitas destas advertências ocorreram tarde da noite, aparentemente necessitando fazer imersões geladas em um riacho próximo, e no escuro.

    Enquanto a mulher e seu companheiro deixavam a cidade, antes do julgamento (de Israel Dammon) eles foram identificados como, Ellen Harmon e James White.

    Após 15 anos, Ellen G. White (como Ellen Harmon era conhecida após seu casamento com James White, alguns meses depois do julgamento de Israel Dammon) incluíu uma descrição do incidente em um relato publicado de suas experiências, depois do Grande Desapontamento. "Ellen G. White, Spiritual Gifts, vol.2, (1860) pp.40-42." Segundo ela, a prisão de Dammon, foi um exemplo de perseguição ao qual o "pequeno rebanho (little flock)" que retinha a verdade do Advento, estava sujeito.

    Continua....

    ResponderExcluir
  16. Ela descreve como "a divina intervenção", impediu a força policial, de remover Dammon, do interior da casa, por cerca de quarenta minutos. (De acordo com a transcrição do julgamento, Dammon resistiu a prisão, com a ajuda de um número de mulheres que se agarraram a ele). White não faz menção do barulho, e do comportamento estranho que atraíram a atenção das autoridades. Ela também indica que Dammon foi liberado sem sentença, quando na verdade ele foi sentenciado (e aparentemente não ficou) a dez dias de prisão. Enquanto o relato de White foi baseado, evidentemente, em uma recordação imperfeita do que deve ter sido, uma experiência confusa para todos os envolvidos, as discrepâncias entre seu relato escrito, em Spiritual Gifts, e o relato que foi registrado no jornal, descoberto em 1986, por um estudante Pós Graduado da Universidade Andrews, levantam algumas interessantes questões sobre a história dos primeiros Adventistas, e a mulher ao redor de cujas visões a IASD foi formada.

    Na verdade, desde o fiasco de 22 de Outubro de 1844, não houve arrependimento da parte do grupo de Ellen White. Eles, ao contrário, continuaram em linha descendente, abrindo cada vez mais a porta para os espíritos enganadores (que começaram a atuar nestas reuniões aí descritas, e mais tarde aparecendo a Ellen White como anjo de luz, ao qual ela chamava de seu anjo guia, produzindo toda a espécie de fenômenos paranormais).

    Ellen White criticou o início do movimento pentecostal ocorrido na Azuza Street, em 1906, esquecendo que tem telhado de vidro... O movimento Adventista começou com manifestações similares, inclusive com Ellen White crendo na doutrina do inferno! Continua...

    ResponderExcluir
  17. Gabriel Sanchez, disse..."Incrível como uma pessoa com supostas doenças mentais, escreveu a mão mais de 5 mil artigos e 40 livros, totalizando mais de 100 mil paginas! E ainda entrou para a lista dos americanos mais influentes de todos os tempos pela Smithsonian Magazine. Não sei vocês, mas nunca vi nenhum débil mental chegar à este ponto. A Bíblia diz: "pelos seus frutos, os conhecereis..." - devo crer em suposições ou nos frutos do ministério dela? Abraços!"

    Isto não quer dizer absolutamente nada. Na Smithsonian estão também elencados os Mórmons, Joseph Smith e Brigham Young (ambos praticantes da poligamia) Mary Baker Eddy (fundadora da Ciência Cristã) L. Ron Hubbard (fundador da Cientologia) Hillary Clinton (feminista e comunista, apoiada pelo mentiroso Barak Obama, infiltrado para destruir os USA, usando uma falsa identidade...tudo que ele diz é mentira) Al Capone (famoso líder mafioso) etc. Os critérios utilizados (por Skiena e Ward) é a classificação de pessoas de acordo com sua importância histórica que, eles definem como, "o resultado de forças sociais e culturais atuando sobre o volume de realizações de um indivíduo." Ou seja, os critérios são subjetivos, de acordo com o objetivo buscado pelo pesquisador.

    Concordo em que Ellen White não teve suas visões como resultado de doença ou perturbação mental, mas afirmo que sua personalidade complexa esteve desde os primórdios do Adventismo sobre a influência de forças demoníacas.

    Esta afirmação, por incrível que pareça, pode parecer estranha para os supostos cristãos modernos das igrejas-empresa secularizadas que imperam na atualidade, que desvinculados da vida espiritual querem explicar (como os incrédulos) tudo do ponto de vista psicológico, esquecendo que eles tem uma Bíblia (se é que ainda acreditam na Bíblia).

    Continua....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É notável a forma como o diabo fala pela boca do Paulo Cadi, se as visões e sonhos de EGW São resultados de possessão demoníaca, como então entender as milhares de vidas transformadas com a ajuda de seu livros, vidas estas que foram tomadas das garras do diabo? Acaso o reino de satanás está dividido?

      Excluir
  18. Deus usou até mula pra prega, este para salvar os judeus de um edito real, e Ellen g White porque dois homens rejeitaram. Ou seja na o avia homens qualificados para obra final

    ResponderExcluir