quinta-feira, 1 de março de 2012

O Calvinismo é bíblico? Parte 1

Um pecador é racionalmente capaz de se mover em direção a Deus? Essa é a questão nevrálgica para o arminianismo e calvinismo. Para o primeiro, o pecado não incapacitou o homem a ponto de ele não poder discernir entre a verdade e a mentira. Por isso sempre que Deus apela para o bom senso do pecador dizendo que ele se arrependa. Para o calvinismo, o pecado atingiu de forma tal que qualquer decisão espiritual do homem é impossível. Sendo o apelo de Deus um estimulo aos que Ele capacitou para o arrependimento.

Não podemos resolver essa questão sem a Bíblia. Invocar os Símbolos de Fé, ou os Pais da Igreja, Reformadores e Teólogos Reformados, só adiará a solução da questão. É na Escritura, e os limites lógicos subentendidos nela, que devem ser o nosso cânon doutrinário.

Vamos começar considerando o pressuposto acima:

Escolher Deus é uma decisão natural ou espiritual? Isto é, um pecador pode simplesmente ler na Bíblia que ele deve arrepender-se, e ele, “naturalmente”, julgará as questões e resolverá se sim, ou, se não?

A Bíblia diz: “... ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.” (1 Co 12.3 ACF). No entanto, Jesus disse: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus...” (Mt 7.21).

Queira ou não, temos um paradoxo. Se os que vão para o inferno falam “Senhor Senhor” falam por si mesmos ou pelo Espírito?

Veja as pessoas falam “Senhor Jesus” por qual motivação? Boa? Então, só pode ser pelo Espírito Santo. Se não, eles não estão enquadrados no que Jesus disse: “... o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” (Jo 6.37). Interessante que os que falam “Senhor Senhor”, sem ser pelo Espírito do Pai, Jesus dirá: “...apartai-vos de mim..”(Mt 7.23). Uma maneira prática de ‘lançar fora’.

A aceitação verdadeira do Evangelho não é uma simples escolha religiosa. Pode parecer, mas não é. Receber o Evangelho, que é o poder de Deus, envolve na verdade o deixar de ser das trevas, deixar de ser filho do diabo, inimigo de Deus, blasfemador por essência. Acredita mesmo, que o homem pode deixar desse estado por decisão pessoal sem a interferência de Deus? Irmão Arminiano, infezlimente, ou felizmente, a Bíblia diz que não (Ef 2.1-6).

O PECADO ATINGIU A CAPACIDADE VOLITIVA, NÃO A RACIONAL:

Esse tema pode ser muito espinhoso, visto que algumas nuanças disso podem ser mal interpretadas, e alguns poderão me chamar de arminiano (ou tomista/ escolástico). Mas minha leitura da Bíblia me leva dizer isso. Dependendo do quanto a graça de Deus influenciou uma pessoa, a sua família, ou o país; e se você disser a um adúltero que sua vida é pecaminosa ele concordará que sim. Entendo que o pecado destruiu a capacidade espiritual do homem em se render a Deus como autoridade sobre sua vida, fazendo-o deixar de amar o pecado. Ou seja, ele pode ver, pela razão, que está errado. Quer pela luz do Evangelho, ou pela luz da consciência. Mas desse ponto, ele ir em direção a Deus, da maneira correta, somente o Espírito pode fazer isso no eleito. A bem da verdade, até esse entender, é da mesma natureza do dizer “Senhor”, que Cristo rejeita. Não é da maneira que Deus quer. Pois quando um homem entende corretamente, ele busca a Deus.

Mas o que quero deixar claro é que a capacidade de entender a letra do Evangelho e até em aceitá-lo, não pode ser confundido com a percepção da alma. Somente Deus pode destruir as fortalezas da alma pecadora, e conduzi-lo a Cristo. Lídia ouvia o que Paulo falava, mas foi o Senhor que abriu o coração dela (a fonte das motivações, da vontade) para atentar ao que estava sendo ensinado (At 16.14).

O homem é deixado em sua vontade pecadora. Essa vontade não é violentada, mas transformada quando o Espírito de Deus age.

Então podemos dizer que o calvinismo é bíblico neste ponto? Bem, podemos dizer que sim. A tentativa de enfraquecer a verdade bíblica é um esforço inútil. A Palavra de Deus ao tratar dos judeus (Romanos 3.1-6)[obviamente o povo que melhor conheceu a Deus] garante que nem eles “buscam a Deus” !!!

MAS SE DEUS NÃO IRÁ COLOCAR EM UMA PESSOA DISPOSIÇÃO PARA ARREPENDER-SE, POR QUE DEUS PEDE PARA ELE FAZER ISSO?

Podemos propor duas sugestões para essa objeção. Lembrando que a resposta da Bíblia é final para esse tipo de questionamento – Veja: Rm 9.19,20.

1º) A Evangelização é exposição da salvação por meio de Cristo. Deus alcança os eleitos por meio do uso ordinário da Igreja em sua tarefa evangelística. Ele decidiu que para os eleitos essa mensagem seria o meio de salvá-los. E aos não eleitos, um ‘meio’ de condená-los: “Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para a vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas?” (2 Co 2.15,16).

Se, somos o ‘bom perfume de Cristo’ para ambos os grupos, como seremos cheiro de morte? Visto que Jesus disse que não veio condenar, visto que ele mesmo disse que suas palavras são ‘espírito e vida’. Como essa mensagem produz morte? É pela rejeição dos incrédulos. E eles rejeitam por quê? Por causa de sua natureza. A Bíblia diz que os que crê no evangelho são os que foram ‘destinados para a vida eterna’ (At 13.48). Só cremos se Deus nos conceder essa graça (Fl 1.29).

Nesse ponto, lembramos da proposta de Vincent Cheung: Deus não oferece o Evangelho para os que não são eleitos. A Pregação ordinária da Igreja, muitas vezes atrai os repóbros. Jesus disse que isso ia acontecer (Mt 13.36-43; 47-50). Observe bem que na Igreja (nesse caso o reino dos céus), é Cristo que planta a boa semente e o diabo planta o joio, isto é, os repóbros. Não ouve inversão genética dessa semente: Uma boa semente se torna má, e uma má se torna boa. Eles chegam definidos. No segundo caso, na pesca, que na verdade é uma versão da parábola do joio, fica bem claro que os peixes maus são pegos na rede. Mas eles não foram mudados. Assim, creio que a Evangelização é a proclamação da soberania de Cristo onde exige aos ouvintes que se submetam. O que não foi eleito desobedecerá, para confirmação de sua natureza má, para si mesmo, no último dia.

2º) A vontade do preceito, do prazer e do decreto. Existem graus de qualificações na vontade divina. Quando Deus diz que o homem não deve mentir, e o homem mente, a vontade de Deus não foi feita. Pois essa é a vontade do preceito. Não é sobre essa vontade que a Palavra diz que ‘ninguém jamais resistiu a sua vontade’(Rm 9.19). Muito menos quando ele diz: “... farei toda a minha vontade.” (Is 46.10).

A vontade do prazer também pode ser resistida, sendo que Ele quis muitas vezes agregar Jerusalém, mas eles não quiseram (Mt 23.37). Podemos usar uma comparação: Um patrão exige que os funcionários de sua empresa usem uma camisa verde como uniforme, porém a calça, embora prefira o jeans, ele não exige qual.

Pergunto: A salvação humana é um preceito de Deus ou um decreto? No geral vemos um convite preceptivel e/ou do prazer de Deus, dizendo ao homem que se arrependa. Mas locomover-se para esse convite está apenas, e tão somente, dentro do decreto divino que ‘força’ o ímpio querer a Deus.

Jesus disse: “...ninguém pode vir a mim se o Pai não o trouxer” (João 6.44). Quando esse arrastar é feito, houve uma mudança monergista na disposição da alma, daí ele passa a querer a Deus. E sobre esses, Jesus disse: ‘o que vem a mim de modo nenhum o lançarei fora’! Visto que Jesus lançou o maldito Judas fora, ele não foi dado a Cristo pelo Pai. Jesus o escolheu para o fim ‘decretado’.

Nessa questão, pela natureza do pecado, sendo necessária uma mudança drástica o prazer e o preceito de Deus não seriam correspondidos. Deve haver o decreto, que segundo a linguagem bíblica afirma:

"E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade..." Ef 1.5

Sim, a doutrina Calvinsta é bíblica!

34 comentários:

  1. A verdade meu caro, é que a doutrina da Depravação Total é Bíblia.
    Nesse ponto Arminío era calvinista tanto quanto Lutero e Agostinho (risos). Para que você confirme, veja a frase de Armínio acerca daquilo que o senhor provou achando que estaria refutando o arminianismo, lembre-se, a acusação de que o arminianismo é um semi-pelagianismo ou pelagianismo é uma manobra desonesta de mestres calvinista.

    Veja aqui>>> http://www.arminianos.com/?p=98

    Iremos discordar da graça inresistivel.

    Eleição incondicional.

    Perseverança do Santos.

    Sobre a expiação limita, não irei dizer que discordam de mim, pois o Próprio Calvino acreditava na EXpiação Ilimitada. Na verdade vcs discordam de Calvino nesse quesito.

    Sempre na Graça do nosso Senhor!

    Jean Patrik

    ResponderExcluir
  2. Em dialogo com alguns arminianos mais informado, eu percebi esto também. A questão é q há uma diferença entre o arminianismo histórico que realmente crer na depravação total e, neste sentido, nega o livre arbítrio, pois acredita q a vontade é escrava do pecado; e, o arminianismo popular, que é sim semi-pelagiano.

    ResponderExcluir
  3. Irmão Jean, pelo menos não é manobra minha!

    No final, não faria diferença, faria mesmo? Se TODOS são capazes de crer (pela graça preveniente ou não).

    Ou seja, vc despistou o obvio. Acho que ficou do mesmo jeito. Se a depravação é total, fica incapaz de que ???

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Agora sobre essa história que Calvino não cria na expiação limitada, indico esse link:

    http://www.mackenzie.com.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_IX__2004__1/leandro.pdf

    ResponderExcluir
  5. Irmão Vandim, grato pela observação.

    ResponderExcluir
  6. Essa doutrina não tem respaldo na Escritura. Jesus disse "Todo o que o Pai me dá >>VIRÁ<< a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora."Jo 6.37

    ResponderExcluir
  7. Luciano, acredito que esteja substimando a doutrina arminiana classica.
    Acreditamos que a vontade do homem escravisada ela é libertada quando a graça atua no individuo.
    E a vontade de Deus é que todos sejam salvos 2Tm.2.4. Não tendo prazer aos que se perdem Ez.18:23; 18:32 e 33:11.

    Eis as declarações de Calvino:
    Em Marcos 14:24 Calvino disse: "A palavra muitos não significa uma parte do mundo apenas, mas toda a raça humana" ( Comentários de Calvino, Mark).

    Em 1 João 2:2 Calvino disse: "Também é um fato, sem controvérsia, que Cristo veio para expiar os pecados do mundo inteiro" ( Um Tratado sobre a predestinação eterna de Deus ).

    Ao contrário do hiper-calvinistas que negam que devemos oferecer o evangelho a todas as pessoas, Calvin disse o seguinte: "Ele anuncia a salvação a todos os homens indiscriminadamente. (Institutos, 3. 24 17.)

    Fonte: http://arminiantoday.blogspot.com/2010/10/confusion-of-calvin-on-atonement.html

    Pelo jeito Calvino era um calvinista de 4 pontos.

    VAmos fazer o seguinte, antes de você escrever a segunda parte, gostaria que lesse e tivesse contato com os escritos de Arminio. Isso ainda não é possivel aqui no Brasil, pois não temos livros traduzidos que trate do arminianismo autentico, então irei passar um link, e lá pesquise sobre cada assunto. E ai sim você pode refuta-los. A parte ruim disso tudo é que se você não ler em inglês, então terá que traduzir pelo google tradutor ou no google chorme eu prefiro o ultimo: http://www.williamwbirch.com/.

    Peço também que ouça um esclarecimento de dois podcast sobre o arminianismo do maior defensor dele aqui no Brasil.
    Tai o link: http://bibotalk.com.br/site/tag/arminianismo

    Um abraço varão!

    Jean Patrik

    Jean Patrik

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NA VERDADE NEM CALVINISMO É NADA NEM ARMINIANISMO É ALGUMA COISA. SÃO TEORIAS CRIADAS POR HOMENS FALHOS TANTO QUANTO NÓS. TUDO SE RESUME NISSO: QUEM CRER....SERÁ SALVO E QUEM NÃO CRER SERÁ CONDENADO. O RESTO É SÓ ENCHIMENTO DE LINGUIÇA MESMO.

      Excluir
  8. Olá amigo Luciano;

    Desculpa por um comentário aqui que não tem a ver com o assunto em pauta.

    Estou aparecendo por aqui para perguntar ( desculpe a insistência ) se o amigo ainda vai responder minha pergunta lá na postagem WILLIAM MARRION BRANHAM SOB ESCRUTINIO: PARTE 3...ou se o amigo não tem mais interesse naquele debate.

    Sei que o amigo não tem disponível a internet a todo momento, e também não tem tempo disponível, mas como você colocou esta postagem aqui depois de minha pergunta... e respondeu algumas perguntas aqui e não respondeu a minha pergunta lá, achei que você poderia não ter mais interesse naquele debate.

    Seria isso mesmo?

    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Ok, Jean,farei isso quando puder.

    De igual modo leia, como já indiquei esse link:

    http://www.mackenzie.com.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_IX__2004__1/leandro.pdf

    Caso queira contestar, me passe as informações que eu tenho como perguntar para o autor desse estudo.

    Mas olhe bem, que eu já comentei algo sobre isso: "E a vontade de Deus é que todos sejam salvos 2Tm.2.4. Não tendo prazer aos que se perdem Ez.18:23; 18:32 e 33:11."


    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. De forma alguma Raimundo (aquela lá eu não vou responder mesmo!)

    Mas já está na agulha para quarta-feira mais uma postagem sobre o WMB.

    Eu confesso que não respondo sempre por incapacidade (pessoal e tempo).

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. 1 - Em vez de links um tanto tendenciosos dos mackenzistas (que AMAM inocentar Calvino do caso Servetus, enquanto muitos calvinistas são machos o suficiente para conviver sem florear isto), eu prefiro um blog muito bem-articulado:
    http://mortoporamor.blogspot.com/
    Ele pelo menos usa documentação primária - e não o 'Mackenzie me disse'.

    Calvino cria num formato bastante peculiar de 'expiação ilimitada': eficiente para os eleitos mas suficiente a todos - e crê-se que era nisso que ele apoiava a missão evangelística.

    Sobre a papagaiada calvinista acerca de depravação total:

    2 - Definição filosófica: livre-arbítrio implica escolhas não causadas por agentes externos ao indivíduo. Nada desse papinho de 'escolher entre bem e mal'. O homem não é capaz de responder favoravelmente a Cristo sem a apresentação do Evangelho e o mover do Espírito - é nisso que o arminiano crê. Mas, este mover do Espírito é geral, indiscriminado e resistível. Atos 7 é só uma das muitas passagens advogadas a favor da graça resistível - mas, as passagens calvinistas acerca da graça irresistível sectária são baseadas em pressupostos forçados - como o 'morto em pecados' e o 'regenerar para depois crer' e a 'chamada eficaz'.

    Estranho, né? O Sola Fide e o Solo Christos tem mais sentido no arminianismo que no calvinismo!

    ResponderExcluir
  12. Vamos brincar um pouco com esta paradinha...

    Um pecador é racionalmente capaz de se mover em direção a Deus? Essa é a questão nevrálgica para o arminianismo e calvinismo. Para o primeiro, o pecado não incapacitou o homem a ponto de ele não poder discernir entre a verdade e a mentira.


    Primeira mentira deslavada, típica de gente que não sabe pesquisar, só reproduzir 'o que falam por aí'. Merece no mínimo um puxão de orelhas do próprio Arminius:

    Neste estado [caído], o livre-arbítrio do homem para o verdadeiro bem não está apenas ferido, enfermo, inclinado, e enfraquecido; mas ele está também preso, destruído, e perdido. E os seus poderes não só estão debilitados e inúteis a menos que seja assistido pela graça, mas não tem poder algum exceto quando é animado pela graça divina.[The Writings of James Arminius]

    Só por esta frase, que eu declaro pura desonestidade, intencional ou não, nem vale a leitura do restante. Depois quer me passar um artigo de mackenzista?

    ResponderExcluir
  13. Crédulo, eu agradeço a sua visita, tentarei responder os mesmos questionamentos, que vem de vários outros, inclusive do irmão Jean.

    Mas veja bem comno vc me tratou.

    Não tinha necessidade de dizer da maneira que você falou.

    Somos irmãos em Cristo ou não?

    Calma... só isso.

    Infelizmente eu me esqueci dizer sobre a 'graça preveniente' (sei lá que outro termo é dado).
    Mas na prática, não existe diferença, pois essa graça capacitou a dizer "sim", mas não incapacitou dizer não.
    Podemos depois falar mais sobre isso.

    Mas acho que no momento, é bom ir de vagar.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  14. Crédulo, sobre Servetus veja esse link :

    http://mcapologetico.blogspot.com/2012/01/joao-calvino-e-o-caso-serveto.html

    ResponderExcluir
  15. Irmão Jean, gostaria que vc me confirmasse duas cosas:

    Me disse que: "A verdade meu caro, é que a doutrina da Depravação Total é Bíblia." É isso mesmo?

    ResponderExcluir
  16. O site que vc me indicou, representa SUA opinão tb?

    ResponderExcluir
  17. A Confissão que está em seu blog diz assim: "6. Soteriologicamente CREMOS no Sinergismo de Conceito Arminiano, próximo à Graça Preveniente (o ser humano, por causa de seu representante primevo, Adão, herda uma natureza corrompida, apesar de não receber o mesmo pecado cometido por Adão. Apesar de tal natureza depravada, >>detém<< a volição para buscar a Deus).

    Poderia explicatr melhor, antes que continue com a parte dois...

    abraços de seu irmão (irmão mesmo!) em Cris.

    ResponderExcluir
  18. A confissão não é uma posição pessoal meu caro, e sim de várias ramificações do arminianismo.
    Desculpe mas não posso lhe da essa resposta.
    Mas antes que você questione sobre essa volição, acredito que tu les-te que tal volição é escrava da natureza conrupida.

    "CREMOS que o homem herdou uma natureza contaminada pelo pecado, não merecendo o favor divino para sua salvação – dependendo da graça divina para tal – o que faz o homem confirmar por seus pensamentos e atos seu estado espiritualmente morto. “Todos pecaram” porque confirmaram em seus pensamentos e em seus atos sua essência pecaminosa. Assim, cremos que é imputada ao homem uma natureza corrompida pelo pecado consequente ao pecado adâmico, mas não o “próprio” pecado “pessoal/contextual” de Adão."

    Como ele disse lá, o homem é morto espiritualmente.

    Possivelmente talves o arminianismo descrito nessa confissão seja o wesleyano.

    A minha posição é o arminianismo clássico.

    E como o site não é restrito só a minha posição, mas a de vários arminianos, você terá que saber o que está tratando quando fala de arminianismo.

    Contudo, acreditamos como você na depravação total, pois essa era a posição de arminio.

    Jean Patrik

    ResponderExcluir
  19. Jean, grato pela resposta.

    Depois eu postarei a parte 2... (espero que não apareça um arminiano bravo igual o Credulo!!! kkk)

    abraços

    ResponderExcluir
  20. Graça e paz do SENHOR aos irmãos do blog...

    "A aceitação verdadeira do Evangelho não é uma simples escolha religiosa. Pode parecer, mas não é. Receber o Evangelho, que é o poder de Deus, envolve na verdade o deixar de ser das trevas, deixar de ser filho do diabo, inimigo de Deus, blasfemador por essência"

    Rapaz, que frase linda! Meu irmão, quase chorei (é sério!). Puxa vida, me deu até mais ânimo para continuar a pregação aos eleitos. Deus nos abençoe!

    ResponderExcluir
  21. Hahaha! Arminiano bravo. Essa é boa!
    E se eu falasse mal do seu calvinismo, usando mentiras como a que você fez já no primeiro parágrafo do seu texto? E pior ainda, as mesmas mentiras que são veiculadas desde 1618, fruto de uma tramóia política, de um joguinho de cartas marcadas, de algo que foi de uma desonestidade digna da politicagem brasileira?

    Acha que é nosso dever ficar caladinho ouvindo besteiras difamatórias e potencialmente dolosas? Ah,e se acaso você não sabe, ignorância não é desculpa.

    Detalhe: você confessou claramente, ao pedir 'calminha, somos irmãos em Cristo', que não entende coisa alguma do arminianismo que ataca (ou 'discute pra ver se tem alguma base na Bíblia').
    Legal, né, atacar um 'herege' porque ele não segue o seu sistema soteriológico, mas pedir 'paz ao irmão em Cristo' só porque ele é enérgico ao defender a doutrina na qual crê?

    Detalhe que Calvino foi enérgico ao defender a trindade, bem como Gomarus foi enérgico ao atrapalhar a vida de Arminius - chegando a tramar para que ele não fosse matriculado em Leiden.

    Aprenda a pesquisar decentemente, e evite o próximo ataque de um crédulo raivoso.

    ResponderExcluir
  22. Sua arrogância é típica das atitudes quem está criticando. Infelizmente.

    Já que vc tratou com zombaria o fato de eu chamar vc de irmão em Cristo (olhe pelo menos a atitude do arminiano Jean, ok?... já que não acha possivel aprender algo da Bíblia, pode pelo menos imitar o Jean que sempre discorda de mim nesse ponto, mas não demonstra a arrogância que tem demonstrado..), me preocupa sua procedência cristã.

    Você que está dizendo que EU estou te chamando de herege.

    Fique bem claro que se eu pensasse assim de vc, não te chamaria de irmão.

    Mas para vc, que diferença faz não é mesmo?

    Quanto a ignorância do assunto, eu não disse que tenho. "Acho" que a maioria dos calvinistas sabem dessa interpretação de Armínio sobre a graça.

    Lamento por que não a citei.

    Porém, temos que destacar dois pontos. Na prática não faz diferença, mostrarei isso em uma próxima postagem. Segundo, que ese tipo de arminianismo não é o popular, seria? Obvio que não, e vc sabe disso.

    Por último, eu não te responderei mais se contitnuar falando desse jeito. Fique a vontade em comentar. Mas sinceramente, vc demonstra que por alguns segundos pode hunmilhar, desdenhar, e ofender um irmão em Cristo "só por que ele não segue seu sistema doutrinário."

    Isso é tipico de Cheung, não é mesmo?!? Mande um e-mail para ele e dispute esse tipo de tratamento, ok?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoal, estou postando em todo artigo que houve comentários, então...
      http://mcapologetico.blogspot.com/2012/03/como-fazer-um-bom-debate.html

      São as novas regras de debate do MCA para melhorar as discussões.

      Excluir
  23. o calvinismo è uma doutrina monstruosa,derivada de uma super interpretacão dos textos biblicos relacionados à eleicão EM CRISTO.Esta doutrina não responde em nada à justica divina.contadiz textos clarissimos como ezequiel 18:23;lucas 9:52-56;1 timoteo 2:3-4 por exemploO capitulo 9 de romanos é a respeito da eleicão dos gentios como igreja,filhos de Deus e Israel; os santos do antigo testamento como servos,daí o mais velho servirá ao mais novo.Nada tem a ver com esta besteira de infralapsurianimo e supralapsurianismo.isto foi inventado pelos teólogos calvinistas que promovem uma doutrina seca sem misericórdia onde um infeliz que nem nasceu já está condenado por um decreto divino às chamas do inferno.è claro que como toda a falsa doutina ela vem recheada de pseudo sabedoria e verborragia.não sei como ainda existem papagaios incautos que ficam repetindo o que calvino disse sem perceber as implicacões disto.Paulo no capitulo 9 de romanos está dizendo aos cristãos judeus que Deus escolhe quem quer (no caso, os gentios).não há nada neste capítulo à respeito de predestinacão individual.Se existisse eleicão individual Cristo não precisaria ter morrido na cruz e ressucitado.Espero que alguém entenda isto.paulo 15 de maio de 2012.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo em td com o q vc disse

      Excluir
    2. Bem, não creio que Deus elegeu vagas, ele elegeu pessoas.

      Excluir
  24. não é tão simples assim,não meu amigo,é bem mais complexo,existe uma eleição divina muita clara nas escrituras sendo essa em cristo,como explicar tudo é que ninguém consegue

    ResponderExcluir
  25. Carlinhos sobre o que vc está falando?

    ResponderExcluir
  26. Soteriologia Arminiana é lixo, são fezes, graças a Deus ele me tirou dessa desgraça de Teologia arminiana. Não conhecia a Doutrina da predestinação (Só o que os opositores dizem dela) quando cri nessa doutrina (Eleição Incondicional) , nunca tinha lido nada, nem conhecia pessoa de Calvino, apenas a Doutrina em debates, Deus me livrou desse lixo, de soteriologia arminiana.

    ResponderExcluir