quarta-feira, 20 de novembro de 2013

'O que estão fazendo com a IPB?'

A IPB é Reformada apenas em menos da metade de igrejas locais e em documentos oficiais... 

Dizem por aí que a IPB está sendo reconhecida internacionalmente como uma Igreja de profundidade Teológica e Reformada... até mesmo Michael Horton andou dizendo algo a respeito em um vídeo...


Engano!!!

Será que temos 40% de igrejas  locais genuinamente Reformadas? 

Sempre recebemos informações da multifacetada fé Deformada em que se encontra o Brasil Presbiteriano; cultos de toda espécie, menos reformados. Flerte com mensagens heréticas, como a Teologia da Prosperidade, etc.

Não sei, dependendo de como o termo seria definido, especialmente nos quesitos; culto e conhecimento doutrinário, acho que nem 20%... Temos uma teoria dita ao público, mas vivemos uma mentira interna na prática. 

Estão jogando a IPB no lixo em muitos locais... 

Que nossos Símbolos de Fé voltem a serem lidos por nosso povo, por nossos presbíteros, por nossos pastores... Cremos que é a mais perfeita exposição Bíblica nas mãos da Igreja. 

Que os Concílios respeitem a hierarquia Conciliar - creio que está aqui o centro nervoso dos problemas.


Os últimos acontecimentos envolvendo "Comunidades Presbiterianas", pregador da Universal na Igreja de Manguinhos e na "Catedral" Presbiteriana do Rio, posição pública e não confessional do Rev. Marcos Amaral, Caminhada Presbiteriana para ONU ver, tem me levando a pensar: 



Somos mesmos em nossa maioria Reformados? 

"Deus, tenha misericórdia de nós!"

 [ Leia as  Dez Propostas para a IPB ]

4 comentários:

  1. Luciano tô preocupado demais com esse negócio...
    Quando vi a notícia da IP de Manguinhos fiquei transtornado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que dizer da Catedral? Ah, aí o bicho pega... e os demais... silêncio no tribunal...

      Excluir
  2. Graça e paz do SENHOR aos irmãos do blog...

    Meu irmão, tudo é uma questão de liderança (Nm: 27.16-17). O órgão maior da nossa igreja não faz força alguma de deixar as igrejas locais ou sínodos e presbitérios com uma aparência verdadeiramente reformada. Se podemos contar um ou dois membros do referido concílio com tal intenção, SERIA MUITO! Talvez o sejam em suas igrejas e... só!

    Política, política e mais política... este tem sido o lema infeliz da liderança de nossa denominação (veja-se o caso Marcos Amaral e os mencionados agora). Que Deus ajude-nos e modifique tal mentalidade em 2014 e, se necessário for, as pessoas que lá estão. Oremos (muito) pelas eleições nacionais e denominacionais.

    Que o SENHOR tenha misericórdia de nós!

    ResponderExcluir